Próximos Workshops
Lisboa 8 de Dezembro de 2016
5a-feira:
17h00 - 18h00      Entradas e Petiscos para a Ceia de Natal na loja Maria Granel
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP
Lisboa 11 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h30 - 11h30      Pequeno-almoço no dia de Natal na loja Maria Granel

segunda-feira, 12 de maio de 2008

O contacto com as pessoas ...

Nos passeios que faço pelo campo gosto do contacto com as pessoas. Gosto de ouvir as suas histórias, o modo como encaram a vida, as lamentações sobre o estado do mundo e, sobre a pouca valorização que se dá a quem ainda trabalha de forma tradicional a terra.

No sábado, tive a possibilidade de ver apanharem ervilhas, favas e batatas. No meio desta azáfama, só dei uma pequena ajuda a apanhar pinhas. Apanham-se agora secas, guardam-se e usam-se na lareira no Inverno. Achei piada quando ouvi um agricultor queixar-se dos corvos que lhe comem as favas e os amendoins que semeou.

Ervilhas.

Batatas arrancadas da terra com uma enxada.

Tenho respeito por quem ainda trabalha a terra, que se guia pelo estado do tempo para semear esta ou aquela cultura. Todos os produtos resultantes de uma agricultura de subsistência, apesar de não serem tão bonitos como os que se encontram à venda nos supermercados, são muito mais saborosos. Cada vez mais valorizo os produtos frescos e produzidos sem pesticidas.

Um destes dias vi na televisão uma reportagem, na SIC, sobre um projecto em Odemira. O projecto intitula-se Cabaz da Horta e tem como objectivo fazer chegar ao litoral produtos cultivados por vários agricultores isolados no interior deste concelho alentejano.

Fiquei surpreendida, nunca tive conhecimento deste tipo de iniciativas por cá. Ao ver a reportagem lembrei-me logo da Fer e dos produtos fresquinhos que recebe, semanalmente, numa cesta orgânica. Ainda bem que por cá também se fazem este tipo de iniciativas, é pena é estarem tão pouco divulgadas.

7 comentários :

  1. Pois eu também dou muito valor a essas pessoas. Minha família do lado da minha mae é do concelho de odemira e os meus avôs tambem ainda cultivam batatas etc. e sabem bem melhor. obrigada pelas fotos bonitas. beijocas

    ResponderEliminar
  2. Que lindas fotos!! Eu também tenho um profundo respeito por esses trabalhadores.

    ResponderEliminar
  3. Pois é um trabalho árduo e pouco reconhecido, infelizmente.
    E não há nada melhor que os legumes e fruta "caseiros" do nosso quintalinho...
    Patrícia

    ResponderEliminar
  4. Também vi essa reportagem cá! E também tive o mesmo pensamento que tu: lembrei-me da Fer e da agricultura biológica do Chucrute. Sintonia de bolgueiras... :o) Fez-me ficar feliz pois descobri que uma iniciativa que admiro tanto como a cesta biológica, está também no nosso país.

    Mais fotos lindas!

    ResponderEliminar
  5. Isabel, essas fotos estao emocionantes. Pra mim, essa eh a base da VIDA! grande beijo pra voce, com carinho e saudade,

    ResponderEliminar
  6. Embora seja citadina, tenho bastante contacto com o campo - felizmente!

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar