domingo, 28 de setembro de 2008

Tarte de courgette com camarões e tomate seco

Há domingos e domingos. Há uns domingos em que fico em casa, faço sopa, organizo a semana e confecciono umas comidinhas mais elaboradas, depois há aqueles em que saio e necessito de fazer alguma coisa relativamente rápida para o jantar em quantidade suficiente que dê para o almoço de segunda-feira. Foi o caso de ontem.

Entre a dúvida sobre o que fazer e o que não fazer, decidi confeccionar uma tarte de courgette que vi na Epicurious, mas quando dei por mim já me estava a desviar, sem possibilidade de retorno, da receita original. É por isto que gosto de cozinhar. É um excelente exercício de imaginação e de criatividade.


Ingredientes:
1 embalagem de massa quebrada fresca
2 courgettes cortadas em rodelas
queijo parmesão ralado
200 g de queijo mozarella ralado
tomate seco em óleo
250 g de camarões descascados
3 ovos
200 ml de natas
sal e pimenta
6 folhas de manjericão
óregãos frescos

1. Colocar a massa quebrada na tarteira seguindo as intruções da embalagem.

2. Polvilhar o fundo da massa da tarte com queijo mozzarella ralado. Dispor em cima do queijo rodelas de courgette. Polvilhar a courgette com um pouco de queijo parmesão ralado.

3. Cortar os camarões ao meio ou em pedaços.

4. Levar os camarões e pedaços de tomate seco em óleo numa frigideira ao lume. Juntar um colher de sopa do óleo do tomate. Temperar com pimenta e deixar cozinhar um pouco. Antes de retirar do lume, adicionar as folhas de manjericão picadas.

5. Colocar o preparado na tarte. Polvilhar com folhas frescas de óregãos. De seguida, dispor as rodelas de courgette.

6. Bater os ovos com as natas. Temperar com um pouco de sal. Colocar por cima da tarte.

7. Polvilhar a tarte com o restante queijo mozzarella e queijo parmesão a gosto. Levar ao forno.

Acompanhei esta tarte com uma salada mista de alfaces, rúcula, tomate e cebola.

P.S. A inspiração para esta tarte veio daqui.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Figos com queijo chévre

Eu tinha dito que a época dos figos tinha acabado para mim, mas enganei-me. No fim-de-semana ainda consegui arranjar figos e não resisti.


1. Lavar 6 figos e fazer uma cruz em cada um (se for muito funda o figo abre e fica em forma de estrela depois de sair do forno).

2. Colocar no centro de cada figo um pouco de queijo chévre e levar ao meio do forno a 200ºC, entre três a quatro minutos para fundir ligeiramente. Retirar do forno e servir os figos polvilhados de pimenta rosa e acompanhados de folhas de rúcula.


Como o meu forno é do tempo da avózinha e, consequentemente não controlo eficazmente a temperatura, usei o grill do microondas.

O contraste do queijo com o figo fica muito interessante.

P.S. Receita da revista Mulher Moderna na Cozinha, nº 150, de Setembro - 2008.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Lombinhos de porco com mostarda e maple syrup

Uma das manias que tenho quando viajo é trazer revistas de culinária. Da minha última viagem trouxe na bagagem uma revista da Donna Hay. Uma das receitas que me chamou a atenção foi esta de porco com maple syrup e mostarda numa base de pêra. Todos os ingredientes me pareceram combinar tão bem.


Ingredientes:
2 lombinhos de porco
2 colheres de sopa de mostarda
3 colheres de sopa de maple syrup
3 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta preta de moinho
1 pêra e meia (usei pêra Rocha)

1. Aquecer o forno a 200º C.

2. Misturar a mostarda, o maple syrup, o azeite, o sal e a pimenta. Mexer bem.

3. Cortar a pêra em fatias.

4. Colocar as fatias de pêra no molho e envolver bem. Retirar a pêra para um tabuleiro de forno. Colocar as fatias duas a duas, uma ligeiramente em cima da outra.

7. Cortar os lombinhos em cinco a seis pedaços, conforme o tamanho deles.

8. Alourar a carne numa frigideira anti-aderente. Deixar alourar bem, especialmente os pedaços maiores.

9. Colocar um pedaço de carne em cima de cada conjunto de duas fatias de pêra.

10. Colocar por cima da carne o resto do molho de mostarda que sobrou.

11. Levar ao forno a assar durante 15 ou 20 minutos. Antes de retirar do forno verificar a cozedura da carne.


Esta receita é excelente. O contraste do sabor da carne com a pêra fica maravilhoso. Acompanhei os lombinhos com courgette e cenoura no forno.


Coloquei num tabuleiro courgettes pequenas cortadas ao meio, duas cenouras em palitos, 4 dentes de alho esmagados e um um pouco de hortelã fresca. Temperei com sal e reguei com azeite. Levei ao forno a assar. Não deixar os legumes assarem de mais. Convém que a courgette fique suculenta.

P.S. A receita dos lombinhos de porco é da revista australiana Donna Hay, nº 38, Abril/Maio de 2008.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Sopa de Courgette

As sopas para mim são essenciais. Vejo-as como uma excelente forma de iniciar uma refeição e uma óptima maneira de comer legumes. Apesar de adorar sopas, sinto que às vezes ainda sou um pouco tradicional. Não costumo fazer sopas frias e muito raramente sopas com queijo ou natas. Não encontro razões especiais para isso, acho que é apenas o hábito e a maneira como organizo as refeições da semana. Mas como se costuma dizer nem sempre, nem nunca.

A mãos com uma superabundância de courgettes na minha cozinha resolvi fazer esta sopa, que já estava há muito tempo na minha lista de receitas a confeccionar. Fica muito cremosa, aveludada.




Ingredientes:
1 kg de courgettes
1 cebola
4 triângulos de queijo fundido
1 pacote de natas (200 ml)
sal
coentros
croutons

1. Lavar e cortar as courgettes e a cebola. Colocar os vegetais dentro de uma panela e tapá-los com água.

2. Levar ao lume. Temperar com sal e deixar cozer os legumes.

3. Adicionar os queijinhos e o pacote de natas. Deixar levantar fervura e triturar a sopa.

4. Servir a sopa salpicada de coentros picados e com croutons.


P.S. Receita adaptada do folheto promocional dos supermercados Dia.

sábado, 20 de setembro de 2008

Penne com camarões, milho e feijão verde

O Verão começa a despedir-se. As manhãs e as noites já estão mais frias. Os dias apesar de abafados, quentes, não são solarengos. Quando saio à rua já levo casaco e algumas vezes o chapéu de chuva . Sendo assim, apetece comer coisas intermédias, nem totalmente quentes nem muito frescas, especialmente ao jantar. A pensar nisso, na quinta-feira fiz esta receita de pasta.


Ingredientes:
300 g de penne
200 g de feijão verde cortado em pedaços (usei congelado)
200 g de milho (usei de lata)
1 requeijão
4 a 5 colheres de sopa de pesto de coentros (usei pesto de manjericão já confeccionado)
300 g de camarões descascados (usei congelados)
Coentros picados

1. Deixar a descongelar os camarões.

2. Cozer a massa e o feijão verde em recipientes separados porque os tempos de cozedura são diferentes.

3. Misturar o requeijão com o pesto. Colocar num tacho e levar ao lume. Adicionar o milho e os camarões. Deixar cozinhar em lume brando e ir mexendo regularmente.

4. Depois da massa cozida, escorrer e colocar num recipiente. Fazer o mesmo ao feijão verde e colocar juntamente com a massa.

5. Envolver o preparado dos camarões com a massa. Polvilhar com coentros picados e servir.

Esta receita confecciona-se muito rapidamente e é muito agradável.

P.S. Receita da revista Good Food de Setembro de 2006.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Salada de figos com queijo mozzarella


Este ano procurei aproveitar a época dos figos para fazer várias receitas. Encerro agora a época com esta entrada.


Ingredientes:
1 queijo mozzarela fresco
4 figos
sal
cebolinho ou alho aromático
pimenta preta de moinho

1. Cortar o queijo e os figos às rodelas. Num prato intercalar rodelas de figo com queijo. Salpicar com cebolinho picado ou alho aromático e pimenta a gosto.


Gostei bastante do contraste de sabores. Da próxima vez, vou experimentar a colocar um fio de azeite para ver como fica.

P.S. Receita da revista Mulher Moderna na Cozinha nº 150, Setembro de 2008.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Cuscuz com grão, salsa e queijo feta

Depois de viajar trazemos sempre ideias para um ou outro prato. No Canadá, andei por Toronto, Montreal, mas foi na Cidade de Quebeque que experimentei uma salada de cuscuz que gostei bastante, quando cá cheguei resolvi pôr em prática a ideia.

Ingredientes
cuscuz
grão cozido (1 lata das pequenas)
milho cozido
200 g de queijo feta cortado em pequenos cubos
1 cebola vermelha picada
pimento vermelho assado cortado aos pedaçinhos
pimento verde assado cortado aos pedaçinhos
1 ramo de salsa picado
azeitonas pretas
sal
pimenta
azeite
vinagre

1. Num recipiente colocar os cuscuz. Regá-los com água quente e mexer com um garfo para soltar os grãos. Deixar arrefecer um pouco.

2. De seguida adicionar os restantes ingredientes. Temperar com sal, pimenta de moinho, azeite e vinagre. Mexer e servir.

À parte fazer uma salada de alface ou mistura de alfaces com tomate e servir para acompanhar com os cuscuz.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Laranja com figos, limão e mel

Como sabem gosto de visitar livrarias. Às vezes não compro nada. Mas gosto de ver o que há de novo ou simplesmente descobrir o que está exposto.

No sábado depois de um almoço com umas amigas, passei pela livraria Fnac no Chiado. Dei uma voltinha na livraria e parei na secção de gastronomia, que acho sempre pequena, mas enfim. Vi alguns livros e num deles, sobre cozinha tradicional portuguesa, descobri uma receita que me chamou a atenção. Registei mentalmente logo a ideia. Tinha que experimentar.

Cortar duas laranjas e 4 figos sem o pé às rodelas. Num recipiente intercalar as rodelas de laranja com as de figo. Juntar duas hastes de hortelã.

Fazer um sumo espremendo uma laranja e um limão. Neste sumo dissolver uma colher de sopa de mel.

Colocar este molho por cima da laranja e do figo. Levar ao frigorífico.

Esta sobremesa é muito agradável. Gostei da ideia de juntar o figo com a laranja, ideia que até acho invulgar.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Morcela com maçã

Uma vez por outra, aos fins-de-semana, gosto de fazer umas entradinhas especiais, que acabam quase sempre por serem mais calóricas. No domingo passado resolvi fazer morcela assada com maçã.

Na minha cabeça já tinha mais ou menos desenhado o que pretendia. Há uns tempos atrás tinha visto a ideia num livro, se não me engano era do Chef Henrique Sá Pessoa, mas não fiquei com as indicações para a confeccionar.

Morcela assada até aí nada de problemático, mas como é que se faz a maçã?! Naveguei um pouco na internet em busca de ideias para cozinhar a maçã, mas não encontrei nada que me agradasse. Também diga-se que não me cansei à procura de uma receita de maçã para acompanhar com a morcela, no entanto, pensei que seria mais fácil. Nestes casos, o melhor é usar a imaginação e o saber de experiência feito. Assim fiz.

Cortei a morcela às rodelas e levei-a ao microondas na opção grill. De seguida cortei duas maçãs Royal Gala em meias luas.

Salteei a maçã numa frigideira com um pouco de margarina. Temperei com pimenta preta. E deixei a maçã alourar um pouco.

Servi a morcela com a maçã. O contraste de sabores resultou muito bem. Acompanhei esta entrada com um vinho açoreano Terras de Lava branco da Ilha do Pico.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Coentrada de tintureira com camarões

Ontem, domingo voltei à tintureira. A ideia inicial era fazer a receita de coentrada de tintureira com amêijoas da revista Saberes & Sabores. Olhei para a receita e não tinha em casa amêijoas para a confeccionar. Fui ao supermercado na tentativa de comprar as amêijoas, mas não havia. Não faz mal pensei, faço sem amêijoas. Assunto resolvido.

Chegada a casa comecei a preparar a receita, mas na minha cabeça começaram a surgir algumas ideias e já não me apeteceu seguir o plano original. Enquanto ponho o alho e o azeite ao lume e a casa se enche desse cheirinho apetitoso a refogado, a sala da minha casa recebe uma equipa de filmagens. A vista da minha varanda foi a eleita para o último take de uma curta metragem financiada pela Gulbenkian.


Ingredientes
600 g de tintureira (usei posta de tintureira congelada)
sal
1 limão
pimenta preta de moinho
5 colheres de sopa de azeite
5 dentes de alho
1 cebola
2 colheres de sopa de polpa de tomate
250 g de camarões sem casca (usei uma embalagem de camarões congelados)
1 ramo de coentros


1. Depois do peixe descongelado, temperar com sal, pimenta preta e o sumo de limão. Reservar.

2. Colocar num tacho os dentes de alho esmagados e o azeite. Levar ao lume e deixar o alho frigir um pouco.

3. De seguida adicionar a cebola picada. Mexer e deixar refogar um pouco. Por fim adicionar, duas colheres de sopa de polpa de tomate. Mexer e juntar a tintureira e os camarões. Tapar o tacho. Colocar o fogão em lume brando. Quando começar a ferver adicionar os coentros e deixar acabar de cozinhar.


Quando a coentrada estava quase pronta, verifiquei que o molho estava um pouco líquido e resolvi engrossá-lo. Dissolvi uma colher de sopa de farinha Maizena com um pouco de molho que retirei do tacho da coentrada. Fui acrescentando molho até a farinha estar toda dissolvida. Acrescentei este preparado à coentrada. Peguei nas asas do tacho e agitei-o com movimentos circulares de modo a envolver o molho. Deixei mais um minutinho no lume e servi com batatas cozidas com pele.


Este prato resultou muito bem. O molho de coentros com os camarões combinaram muito bem com este peixe.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Carne assada no forno com mostarda em grão

Ultimamente tenho procurado cozinhar com o que há cá em casa. Na terça-feira fiz esta carne assada no forno e que resultou muito bem.


Ingredientes:
900 g de pá de porco sem osso
5 dentes de alho
3 colheres de chá de coentros em grão
sal grosso a gosto
3 colheres de chá de pimenta branca em grão
4 colheres de chá de sementes de mostarda
3 colheres de sopa de azeite
1 colher de salva em pó
3 colheres de chá de colorau
1,5 dl de vinho verde
3 colheres de sopa de azeite

1. Colocar num almofariz os dentes de alhos esmagados, os coentros, o sal e a pimenta. Esmagar os ingredientes até fazer uma pasta. Adicionar as sementes de mostarda, o colorau, a salva e 3 colheres de sopa de azeite. Mexer bem.

2. Barrar a carne com o preparado anterior. Deixar uma boa camada do preparado em cima da carne.

3. Colocar a carne num recipiente de forno. Regar com o vinho verde e 3 colheres de sopa de azeite.

4. Levar ao forno a assar.

Acompanhei esta carne com batatas assadas no forno. Num tabuleiro dispus batatas descascadas e cortadas em meias-luas. Adicionei meio pimento vermelho assado cortado às tiras e 4 cebolinhas pequenas cortadas ao meio. Temperei com sal. Adicionei 3 hastes de alecrim. Reguei com um pouco de azeite e levei ao forno a assar.


A carne fica muito saborosa com o crocante da mostarda e as batatas ficam muito perfumadas.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Flan de Courgettes

Aprendi a fazer esta receita de Flan de Courgettes num curso de Brunch que fiz na Vaqueiro. Como já se devem ter apercebido sou fã destes cursos. O conceito é muito giro.

Para frequentar os cursos de cozinha da Vaqueiro é muito fácil. Basta consultar o calendário e fazer uma inscrição. Os cursos estão abertos a todos. Novos, velhos, para os que sabem e para os que não sabem cozinhar.

Os cursos são temáticos e as receitas a confeccionar vão de encontro ao tema do curso. A cozinha onde pomos os nossos dotes em prática está dividida em pequenas ilhas. Regra geral, somos agrupados em pares para realizar as receitas que nos calham em sorteio.

Todo o processo é acompanhado por um dos chefs da Vaqueiro. Primeiro temos uma breve explicação teórica sobre os diferentes pratos, esclarecimento de dúvidas e depois partimos para a prática. Este é um dos momentos mais divertidos. Aprendemos, rimos e às vezes também nos enganamos, mas muito raramente, pois os chefs nunca nos deixam ficar mal. As ideias que ali se tentam transmitir são, por um lado, que cozinhar não é nada complicado e, por outro, que as receitas são uma indicação. Podemos sempre a partir de uma receita reinventar, acrescentar outros ingredientes, adaptá-la ao nosso gosto.

Depois da comidinha feita, vamos para a mesa provar todas as iguarias por nós confeccionadas. Refira-se que durante o curso podemos ir sempre petiscando uns queijinhos, doces, frutos secos, bolachinhas, entre outras coisas que temos numa mesa à nossa disposição, para além dos diferentes tipos de chás, sumos, vinho e café. Como recordação trazemos o avental, mais uma ou outra lembrança da Vaqueiro, um certificado e a sensação de umas horas muito bem passadas.


Ingredientes:
2 courgettes
60 g de margarina
5 ovos
sal
pimenta de moinho
1 dl de natas
100 g de queijo ralado em fios

1. Ligar o forno e regulá-lo para os 180º C.

2. Lavar e ralar as courgettes.

3. Derreter a margarina numa frigideira anti-aderente, juntar as courgettes e deixar refogar até estarem macias.

4. Partir os ovos para uma tigela, temperá-los com sal e pimenta acabada de moer. Bater com uma vara de arames até os ovos estarem desfeitos.

5. Juntar as natas e o queijo aos ovos. Misturar muito bem.

6. Deitar este preparado sobre as courgettes e levar ao forno, numa forma untada com margarina, cerca de 20 minutos.


Quem preferir pode envolver as courgettes na mistura dos ovos, também fica muito bem. Acompanhei este flan com uma salada de mistura de alfaces.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Porco com figos

O verão é sinónimo de figos. Quem viajar pelo campo nesta altura do ano, facilmente encontra uma figueira carregada de figos prontos a serem colhidos. Eu adoro figos.

Sobre figos gostei de ler a referência feita a este fruto na revista do Expresso da semana passada, que aqui transcrevo. «Uma das mais antigas representações do fruto da figueira subsiste na famosa pirâmide de Gizé, no Egipto, onde foram encontrados desenhos representativos da sua colheita. Como em muitos outros aspectos, os gregos seguiram os gostos dos egipcíos na devoção dos figos. As figueiras eram consagradas a Dionísio, deus das festas, do vinho e do prazer, e eram uma espécie de eixo das cidades.

Sempre que se fundava uma cidade plantava-se uma figueira, assinalando o local de reunião dos anciãos. Também se diz que era a fruta predilecta de Platão - o que lhe valeu o atributo de «fruta dos filósofos» - e que o médico romano Galeno a recomendava aos atletas e gladiadores.

Apesar de terem passado 1800 anos sobre esta recomendação, não perdeu validade. Pela sua riqueza em hidratos de carbono, os figos são especialmente bons para quem pratica desporto e necessita de repor as reservas de glicogénio. »


Ingredientes:
4 figos
8 medalhões de porco ( usei 600 g de carne de porco cortada em cubos)
1 laranja (raspa e sumo)
4 cenouras
2 a 3 courgettes
2 batatas
3 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de manteiga ou margarina
1 dl de vinho da Madeira
1 colher de sopa de cebolinho picado
sal
mistura de pimenta preta e rosa

1. Cortar os figos em gomos e reservar.

2. Temperar a carne de porco com sal e a raspa de laranja.

3. Descascar as cenouras e as batatas. Cortar em pedaços, juntamente com a courgette e levar a cozer em água temperada com sal.

4. Colocar o azeite numa frigideira e deixar corar a carne. Escorrer a gordura e juntar a margarina, o sumo de laranja e o vinho da Madeira. Quando ferver juntar os figos. Virá-los e retirá-los. Deixar apurar um pouco o molho.

5. Antes de servir, polvilhar a carne com a mistura de pimentas.

6. Servir a carne com os figos, o molho e os legumes cozidos tudo polvilhado com cebolinho picado.


Esta receita é da revista Mulher Moderna na Cozinha deste mês. Resolvi fazer a receita porque me agradou a ideia de usar figos e carne. No entanto, fiz algumas alterações. Como indiquei anteriormente, a receita original usa medalhões de porco, como não tinha usei rojões. Acrescentei a batata e a mistura de pimentas. Como não encontrei cebolinho fresco, usei seco.

Os figos fazem a diferença nesta receita, dão um toque muito especial ao molho. Arrependi-me de só ter usado quatro, pois teríamos comido muitos mais.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Tintureira no forno com legumes

Apesar de gostar muito de peixe, confesso que as minhas refeições andam sempre à volta dos mesmos tipos de peixe. Cá para casa costumo comprar salmão, pescada, lulas, chocos, sardinhas, peixe-espada, dourada e uma ou outra vez sargo. Também não os compro sempre com a mesma regularidade. Lombos de salmão e de pescada tenho quase sempre no congelador. Os outros não. As lulas e os chocos compro de vez em quando. Por norma só compro sardinhas e peixe-espada no Verão, para os grelhados no quintal. Apesar de grande parte do peixe que compro ser congelado, para os grelhados prefiro sempre peixe fresco.

Nas primeiras compras de supermercado depois das férias descobri, na secção dos congelados, postas de tintureira. Não me lembrava se já tinha ou não provado, mas apesar disso arrisquei e lá trouxe duas embalagens deste peixe, também conhecido como tubarão-azul e muito abundante na nossa costa.


Ingredientes:
500 g de postas de tintureira
sal
pimenta preta de moinho
1 limão
1 beringela
1 cebola picada
3 dentes de alho picados
4 colheres de sopa de azeite
2 nabos médios
1 courgette
40 g de tomate seco
4 a 5 colheres de maionese
tomilho

1. Temperar as postas de tintureira, depois de descongeladas, com sal, pimenta e sumo de limão.

2. Levar a cebola e os alhos, num tacho, ao lume com o azeite. Deixar refogar um pouco.

3. Descascar e cortar os nabos em pequenos cubos. Adicionar ao refogado. Mexer e deixar suar sempre com o tacho tapado.

4. Cortar a courgette e a beringela em pequenos cubos. Cortar também o tomate seco. Juntar estes ingredientes aos outros legumes que estão ao lume. Temperar com sal e pimenta. Deixar cozinhar mais ou menos 5 minutos.

5. Untar com um pouco de margarina um tabuleiro que possa ir ao forno. Dispor as postas de tintureira.

6. Envolver os legumes com a maionese e espalhá-los sobre o peixe. Salpicar com folhas de tomilho.

7. Levar ao forno durante cerca de 8 minutos em forno pré-aquecido a 180ºC.


Gostei muito deste peixe. As postas eram grandes e quase sem espinhas. Acompanhei este prato com arroz selvagem cozido.

P.S. Receita da revista Saberes & Sabores nº 174, Agosto de 2008.

sábado, 6 de setembro de 2008

Uma espécie de risotto com legumes, amêndoas e queijo da ilha

Há dias em que chego a casa e não me apetece o que já tenho preparado para o jantar. E mais ainda, nem apetece carne, nem peixe. O que fazer então? Uma salada? Como os últimos dias se assemelharam mais a dias de Outono, resolvi fazer um arroz de legumes. Vi o que havia no frigorífico e na despensa e dei asas à imaginação. O resultado não ficou nada mal.


Ingredientes:
1 cebola
2 a 3 dentes de alho esmagados e picados
azeite
2 chávenas de chá de arroz para risotto (usei Carnaroli)
sal
caldo de galinha (usei caldo da cozedura de meio frango caseiro)
vinho branco
1 alho francês (apenas a parte branca)
2 cenouras
1 lata de alcachofras
amêndoas torradas
queijo da ilha de S. Jorge cortado em pequenas lascas

Piquei a cebola para um tacho, juntamente com os dentes de alho. Reguei com um pouco de azeite e levei ao lume. Deixei alourar um pouco a cebola sem deixar queimar. Se seguida, adicionei o arroz e a cenoura cortada em cubinhos. Mexi e deixar "fritar" um pouco os ingredientes que coloquei.

Refresquei o arroz com um pouco de vinho branco e mexi de vez em quando até o vinho ser absorvido. De seguida juntei o alho francês e um pouco de sal. A pouco e pouco fui adicionando o caldo de galinha quente. Mexendo regularmente para que o arroz não pegue ao fundo do tacho.

Por fim, adicionei uma lata de alcachofras cortadas em quatro. Mexi, juntei mais um pouco de caldo e deixei acabar de cozinhar.


Servi o risotto com amêndoas torradas, lascas de queijo da ilha de S. Jorge. Por fim, salpiquei com um cheirinho de coentros picados.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Beringelas assadas com grão, azeitonas pretas e pimento vermelho

Depois das férias e logo na primeira ida às compras ao supermercado, o Ricardo pediu-me para trazer beringelas e fazer um prato "assim com elas cortadas e recheadas". Na altura acedi ao pedido e no carrinho de supermercado seguiu um saco com beringelas.

Na altura de as confeccionar descobri na revista Delicious, que trouxe de férias, esta receita que me despertou a curiosidade e o apetite.


Ingredientes:
2 colheres de sopa de vinagre balsâmico
2 colheres de sopa de molho de soja
2 dentes de alho esmagados
6 folhas de manjericão picadas
pimenta
azeite
4 beringelas pequenas ou médias

Acompanhamento:
1 pimento vermelho assado cortado em pedaços
80 g de azeitonas pretas sem caroço e cortadas
200 g grão cozido
4 folhas de manjericão picadas
3 colheres de sopa de salsa picada
1 colher de sopa de hortelã picada
100 g de queijo feta cortado aos cubinhos

1. Colocar numa tigela o vinagre balsâmico, o molho de soja, o alho, o manjericão e azeite (3 colheres de sopa). Mexer e adicionar um pouco de pimenta a gosto. Reservar o molho.

2. Cortar as beringelas ao meio. Golpear cada uma das metades com vários cortes de modo a fazer um padrão cruzado.

3. Levar uma frigideira ao lume com azeite. Fritar as beringelas do lado que estão cortadas mais ou menos 5 minutos, em lume médio. (Como não consegui fritar as beringelas de uma só vez, depois tive que colocar mais azeite pois estas absorvem-no muito facilmente).

4. Depois de fritas, colocar as beringelas num prato de forno com a parte cortada para cima. Colocar mais ou menos metade do molho com o vinagre balsâmico por cima das beringelas. O molho deve ser colocado de modo a entrar nos cortes da beringela.

5. Levar ao forno a assar. Até as beringelas estarem macias.

6. Colocar os restantes ingredientes numa taça. Adicionar o resto do molho do vinagre balsâmico. Temperar com sal e pimenta a gosto.

7. Servir as beringelas com o preparado anterior em cima e com folhas de rúcula selvagem.


As beringelas assim confeccionadas ficam óptimas. O molho deixa-as muito saborosas.

P.S. Receita da revista Delicious. de Junho de 2008.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Salmão em papelote com pimentos vermelhos e alcaparras

Como já aqui referi gosto de comprar lombos de salmão. Para além de serem muito práticos são, também muito em conta em termos económicos. Tenho sempre cá em casa uma a duas embalagens no congelador.

A receita do post de hoje foi descoberta na minha ronda pelas revistas que tenho comprado nos últimos anos e, das quais escolhi e organizei uma lista com algumas receitas que me agradaram e que pretendo confeccionar.


Ingredientes:
2 lombos de salmão (300 g)
sal e pimenta
1 limão
1 cebola
2 dentes de alho
1/2 pimento encarnado assado
3 colheres de sopa de azeite
alcaparras a gosto

1. Temperar os lombos de salmão com sal, pimenta e sumo de meio limão.

2. Colocar o azeite numa frigideira. Adicionar a cebola cortada às rodelas, os alhos picados e pimento cortado em tiras. Levar ao lume e deixar refogar. Juntar as alcaparras.

3. Colocar os lombos de salmão nas folhas de alumínio. Verter o preparado com a cebola por cima dos lombos. Fechar os papelotes e levar ao forno durante 20 minutos a 220ºC.

P.S. Receita da revista Cozinha Prática de Sucesso nº 60, Setembro de 2007. Substituí a lima por limão.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Bolo de figos frescos

Agosto é o mês dos figos. As figueiras enchem-se de figos, alguns até racham de tão madurinhos que estão e deixam escorrer um pouco do seu mel.

Depois de vir de férias fui visitar os meus pais e trouxe uma grande cesta de figos. Ofereci e ainda fiquei com muitos. Pensei em fazer um bolo de figos e encontrei esta receita.


Ingredientes:
250g de figos (usei 300 g) brancos pingo de mel
250g de margarina
500g de açúcar
500g de farinha
6 ovos
2 colheres de chá de canela
1 cálice de aguardente (usei aguardente velha)
1 chávena (chá) de leite
1 colher de sopa de fermento em pó
raspa de 1 limão

1. Retirar os pé aos figos. Picar os figos na picadora.

2. Colocar a margarina numa tigela e batê-la um pouco. Juntar os figos picados, o açúcar, a canela, o leite, a raspa de 1 limão e a aguardente. Bater muito bem.

3. Juntar os ovos um a um e ir sempre batendo.

4. Por fim, adicionar a farinha misturada com o fermento.

5. Levar ao forno a cozer em forma untada com margarina.

Estes ingredientes dão um bolo muito grande. Eu resolvi dividir a massa e fazer dois bolos. Num coloquei uma calda de figos que encontrei no blogue da Elvira e que ficou um sucesso. Quem teve a possibilidade de escolher entre o de cobertura e o sem cobertura, o eleito foi o com a cobertura da calda de figo.

Para a calda de figos segui as indicações da Elvira: usei 12 figos. Retirei-lhes os pés e dividi-os em 4. Coloquei-os numa tigela com uma colher de sopa de açúcar, 1 colher de sopa de mel e uma colher de sopa de aguardente velha. Mexi bem e deixei a repousar mais ou menos 15 minutos. Depois do bolo cozido, piquei-o com um palito e espalhei a calda de figos em cima do bolo. Levei ao forno mais 10 minutos, mas com o forno no mínimo.

Este bolo fica mesmo muito bom. Em época de figos, será de certeza um bolo a repetir.