segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

Afinal, o que mais contribui para a felicidade dos seres humanos?

O que é que mais contribui para a felicidade dos seres humanos? As grandes descobertas científicas ou a descoberta de um novo prato? O Que se leva desta Vida é o título da peça escrita por João Canijo, em cena no Teatro S. Luiz, até dia 22 de Novembro, em Lisboa, e dá-nos a resposta a estas questões:

«Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues são dois cozinheiros criativos que dirigem o restaurante Cópia, em Lisboa.
Costumam dizer que a descoberta de um novo prato contribui mais para a felicidade dos seres humanos do que a descoberta de uma nova estrela. Mas quando tentam inventar juntos a receita que lhes pode conquistar a primeira estrela Michelin, o confronto é inevitável. Um espectáculo sobre a arte e a ciência da cozinha, sobre a insatisfação permamente e o espírito inventivo de dois cozinheiros que acabam por descobrir que um prato conta sempre a história de quem o cozinhou.»

Na sexta-feira aceitei o convite da Isabel e lá fomos nós, com o Luís, a Suzana, o Pedro e o Ricardo ao teatro. Ver no palco reproduzida a azáfama de uma cozinha profissional e consequentemente uma história e diálogos à volta da comida, foi o suficiente para que eu não quisesse perder esta peça.

Como é referido na sinopse, a acção passa-se na cozinha do restaurante Cópia, em Lisboa, onde se assiste, por parte da brigada do restaurante, à confecção de um menu: Miminhos dos Chefs - vieiras coradas com espuma de cenoura e gengibre; Texturas de Gaspacho - gelatina de gaspacho vermelha, gaspacho líquido e espuma de gaspacho; Índico - espetada de camarão de Moçambique com gelatina de funcho braseada e ar de marisco; Escamas Martín - escamas de salmonete crocantes com ar de peixe e legumes verdes; Outonal - risotto com magret de pato e seu molho; Mentira de carnes - variações sobre a alheira: areias, crocantes, gelatinas e gelado; Silvestre - panacotta de pimenta longue com creme de framboesas silvestres e gelado de rosas.

Ao longo do desenrolar dos diálogos vamos percebendo que os chefs Gonçalo e Tiago olham para o mundo dos sabores de maneira diferente. Um valoriza os produtos em si, a qualidade e a origem, enquanto o outro aposta no resultado final, nas fórmulas e na cozinha molecular ou científica. Este é o ponto de discórdia que conduz a uma discussão entre os dois, ao longo da peça.

Gostei dos diálogos e dos momentos de humor, do cenário, de ver ao vivo a confeccção de todo o menu, surpreendi-me com a confeccção das escamas de salmonete, gostei das referências a grandes cozinheiros, a técnicas e da presença do compêndio de cozinha Food and Cooking de Harold McGee. Foi interessante ver os intérpretes a utilizarem azoto líquido e a empratarem as suas criações/experiências. No entanto, houve momentos em que achei a discussão cansativa e o recurso a excessos de linguagem usados durante demasiado tempo. Na representação, destaca-se a interpretação de Gonçalo Waddington.

Em busca da nossa felicidade, assim que acabou o teatro, rumámos para o restaurante Fábulas, no Chiado. O local é muito agradável, as paredes são de pedra e algumas das mesas são máquinas de costura antigas. Pedimos uma garrafa de vinho tinto e tostas de pão de sementes com pasta de azeitona, queijo de cabra e rúcula acompanhadas com salada de alface e tomate cereja. Humm ... uma noite de sexta-feira muito bem passada.

8 comentários:

  1. Já tinha visto reportagem sobre esta peça num qualquer canal de televisão e fiquei com vontade de ir ao S. Luiz... Ainda estou a tentar convencer o meu marido, lol.
    Deve ser muito interessante do ponto de vista em que é elaborado o menu em pleno palco e que podemos satisfazer também o sentido do olfacto!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Ainda não conhecia essa peça, mas parece-me muito interessante. Principalmente para quem, como nós, é apaixonado pelos alimentos e pela cozinha :)

    ResponderEliminar
  3. Ainda tenho esperança de conseguir ir, mas ando a 1000 à hora.
    O adoro o trabalho do Gonçalo Waddington no teatro.

    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar
  4. Oi
    Coisas super interessantes só
    acontece nessa terra maravilhosa,
    essa peça deve ser muito boa,
    mais você sabe morro do outro
    lado do Altântico.
    Que poder saber das novidades
    pelo seu blog.
    Beijos...
    Lúcia.

    ResponderEliminar
  5. Foi mais uma simpática noite em conjunto! Pena mesmo é que não possa ser mais frequente.

    Bj*

    ResponderEliminar
  6. Bom, só tenho pena de não morar mais perto para poder ver essa peça...infelizmente Aveiro fica bem longe...
    Um dos actores é bem jeitoso! Estou a brincar...gostava amesmo era de ver o génio em acção!

    ResponderEliminar
  7. não sei mas o rapazinho da esquerda pode muito bem contribuir para a minha felicidade!!! =D

    ResponderEliminar