terça-feira, 31 de março de 2009

Bifes de peru grelhados com peras e molho de iogurte

Este fim-de-semana foi assim meio sem graça. No sábado fui a Santarém, mas estava uma ventania terrível que nem me apeteceu passear pelo campo. Mesmo assim, ainda me apercebi que as flores das árvores deram lugar a pequenos frutos e como não me agasalhei convenientemente, apanhei um resfriado. Tenho andado com o nariz numa lástima.

No domingo andei de volta da cozinha e o tempo voou. Quase que não deu para nada. No entanto, para o jantar descongelei bifes de peru. Inspirada nesta receita resolvi fazer uma com os mesmos ingredientes base, mas com algumas alterações adaptadas ao meu gosto.

Temperei aproximadamente 400g de bifes de peru com sal, pimenta preta de moinho, alho e salva em pó. Deixei a carne neste tempero sensivelmente meia hora e depois grelhei os bifes.

À parte da carne, grelhei também duas peras rocha cortadas em fatias e apenas pinceladas com azeite. Numa frigideira torrei três colheres de sopa de pinhões.

Preparei dois pratos com uma cama de folhas de espinafre e de rúcula. Sobre a cama de verduras coloquei um bife de peru, pinhões e fatias de pêra rocha assada.

Servi este prato com um molho de iogurte e ervas. Para o molho usei dois iogurtes naturais, folhas de hortelã, coentros frescos, cebolinho fresco picado e pimenta preta de moinho. Quem preferir pode colocar sal, eu não usei. Com a varinha mágica triturei os ingredientes e servi numa molheira.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Bolo de ricotta com arandos secos

Tenho sempre o hábito quando há um aniversário na família mais chegada de fazer um bolinho para levar para a festa. Como o meu cunhado Hugo está desde Fevereiro a trabalhar noutro continente, aqui fica uma pequena homenagem para comemorar o seu trigésimo primeiro aniversário.


Ingredientes:
1 embalagem de queijo ricotta (250g)
250g de açúcar
250 g de farinha com fermento
160g de arandos secos
3 ovos
0,5 dl de natas
sal q.b.
1 colher de sopa de raspa de limão
margarina para untar a forma
açúcar em pó para polvilhar

1. Partir os ovos e separar as gemas das claras.

2. Bater as claras em castelo bem firme com uma pitada de sal.

3. Envolver o queijo com as natas.

4. Num recipiente colocar as gemas, o açúcar, os arandos, a raspa de limão e a mistura das natas com o queijo. Mexer bem.

5. Envolver a farinha e as claras, alternadamente no preparado anterior.

6. Levar a cozer ao forno numa forma untada com margarina.

7. Depois de desenformar o bolo, polvilhar com açúcar em pó.

Este bolo foi a nossa companhia, cá em casa, no domingo à tarde. A receita original do bolo, da revista italiana Millericette In Cucina, sugere que se use passas de uva em vez de arandos. Mas como tinha uma embalagem de arandos secos na despensa, que tinha comprado há uns tempos no Lidl, resolvi usar e não me arrependi. Ficou óptimo.

sábado, 28 de março de 2009

Às quintas é dia de piza

A quinta-feira tornou-se há já algumas semanas o dia de pizza cá em casa. A ideia consiste em convidar uma ou duas pessoas para virem confeccionar connosco a sua pizza. Nós preparamos a massa e o molho de tomate. As condições apresentadas na altura do convite são que cada um dos convidados terá que estender a massa, fazer a cobertura e dar um nome à sua piza.

O mais curioso desta experiência é que a maior parte dos nossos convidados, até agora, nunca ou raramente cozinha no dia-a-dia. Fazer pizza é mesmo um desafio.

Nesta quinta-feira passada tivémos cá em casa o Diogo, que sem se aperceber esteve na origem desta ideia, e a minha amiga de longa data, Sandra Palma.

O Diogo fez uma "Pizza Helénica" e, apostou, segundo ele, na simplicidade e no minimalismo. Colocou na sua pizza molho de tomate, tomate partido em pequenos cubos, queijo feta, cebola, dois pedaços de espargos no centro e orégãos secos. Quando a pizza saiu do forno colocou mais um pouco de cebola, regou o meio da pizza com um fio de azeite e polvilhou com orégãos secos.


O Ricardo continua com as suas experiências pouco convencionais e que nos deixam mais ou menos na dúvida. Colocou na sua pizza molho de tomate, fatias finas de queijo de ilha, polpa de tomate, tomate seco em azeite, espargos, rodelas de salpicão, três rodelas de chouriço mouro, tomate às rodelas, queijo roquefort, salmão fumado e orégãos secos.



Na cobertura da minha piza coloquei molho de tomate, 200 g de queijo camembert, tomate às rodelas, espargos cortados ao meio, dois cogumelos fatiados, azeitonas pretas às rodelas, queijo mozzarella ralado e orégãos secos.


A minha amiga Sandra chegou um pouco mais tarde, já nós estávamos na fase das fotos e com a última piza no forno. Para não nos atrasarmos ainda mais, fomos dar-lhe uma ajudinha à cozinha.

Enquanto escorria duas latas de mexilhões em escabeche, pediu-nos para esgamar três dentes de alho num almofariz com coentros frescos picados e azeite.

A base da piza foi pincelada com a mistura de azeite, alho e coentros. Depois colocou os mexilhões, ervilhas e milho de conserva. Seguiu para o forno.

A "Pizza Mexilhona" da Sandra foi simplesmente arrasadora. A Sandra conseguiu uma pizza saborosa e inovadora. Todos concordámos que para quem diz que não cozinha, saiu-se muito bem.

Comecámos a nossa refeição com broa de milho barrada com manteiga de alho, tomate seco em azeite e orégãos. A ideia era fazer pão de alho, mas o único pão que tinha cá em casa era broa de milho e lá teve que ser. O vinho escolhido foi Monte Velho tinto de 2007 da Herdade do Esporão, escolha do Diogo.

Para sobremesa o Diogo trouxe tortas de Azeitão, fiz uma mousse de chocolate e também servi uma taça com morangos.

A conversa prolongou-se noite dentro ...

quinta-feira, 26 de março de 2009

Arroz de feijão com couve lombarda

O Cinco Quartos de Laranja começou a elaborar o seu álbum fotográfico no Olhares. O objectivo é agregar num mesmo espaço algumas das fotos mais apelativas aqui publicadas. Para além disso, também tem uma conta no Twitter, onde tenho colocado as actualizações do Cinco Quartos de Laranja e por enquanto, mais uma ou outra informação. Bem, mas chega de publicidade institucional.

Esta semana se tivesse que escolher um ou dois ingredientes como os eleitos da semana, estes seriam, sem dúvida, o arroz e o feijão. Duas receitas na mesma semana com estes ingredientes justificariam esta decisão.

Piquei uma cebola para um tacho juntamente com três dentes de alho. Levei ao lume com um pouco de azeite e deixei amaciar um pouco a cebola. De seguida adicionei um tomate maduro picado e deixei refogar mais um pouco.

De seguida acrescentei arroz carolino e água quente. Quando começou a ferver juntei couve lombarda cortada e um pouco de sal. Ao longo da cozedura fui acrescentando água quente quente sempre que foi necessário.

Uns minutos antes de sair do lume, adicionei feijão encarnado cozido com um pouco de molho da cozedura.

Cá em casa este arroz numa refeição foi acompanhamento e noutra, para mim, foi prato principal ao almoço.

Outra receita com arroz e feijão:
- Arroz de grelos com camarão e feijão encarnado

quarta-feira, 25 de março de 2009

Carne de porco com cogumelos e azeitonas

Ontem deixei a descongelar carne de porco aos quadradinhos, como costumo dizer, para confeccionar para o jantar . A ideia inicial era fazer jardineira mas depois de encontrar esta receita mudei de ideias.


Ingredientes:
700 g de carne de porco cortada em pequenos cubos
sal
2 colheres de sobremesa de colorau
5 dentes de alho
6 colheres de sopa de azeite
80 g de margarina
2 dl de vinho branco
320 g de cogumelos frescos laminados
120 g de azeitonas verdes
1 malagueta
casca de uma laranja
1 a 2 folhas de louro
salsa picada
orégãos secos

1. Temperar a carne com sal q.b., colorau e dois dentes de alho picados. Deixar a repousar durante 30 minutos.

2. Colocar o azeite numa frigideira juntamente com dois dentes de alho picados. Levar ao lume e deixar frigir um pouco os alhos. De seguida adicionar a margarina.

3. Adicionar a carne temperar e deixar cozinhar em lume brando. Voltá-los de vez em quando.

4. Quando a carne estiver bem cozinhada, tenra, quase a começar a esturricar, adicionar o vinho branco. Juntar os cogumelos, as azeitonas, a malagueta aberta ao meio ou cortada em quatro, a casca de laranja, um dente de alho picado, duas folhas de louro pequenas e orégãos secos.

5. Deixar ferver um pouco até acabar de cozinhar.



Servi a carne com batata cozida. Este prato fica muito saboroso. Uma delícia.


terça-feira, 24 de março de 2009

Legumes assados no forno

Na passada sexta-feira quando cheguei a casa, depois do trabalho, tinha um convite para jantar fora. Sabe bem de vez em quando ter assim uma surpresa e claro que aceitei. No entanto, os bifes de vitela que tinha deixado a descongelar para o jantar ficaram para o almoço de sábado.

Tinha a intenção de seguir uma receita de bifes que já tinha anotado para confeccionar, mas quando voltei a ler a receita apercebi-me que deveria ter deixado os bifes a marinar umas horas. Nada feito, já não dava tempo. Mudança de planos. Resolvi grelhar os bifes apenas com umas pedrinhas de sal e para acompanhamento fiz legumes assados no forno.


Ingredientes:
1 couve-flor média
300 g de cogumelos brancos frescos
10 tomates de cereja
1 dl de azeite
sal
tomilho seco

1. Dispor num tabuleiro a couve-flor cortada em raminhos, os cogumelos fatiados e os tomates.

2. Temperar com uma pitada de sal e tomilho a gosto. Regar com o azeite.

3. Levar ao forno a assar.

Os legumes ficam muito agradáveis. Tenros e suculentos, mesmo a couve-flor.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Arroz de grelos com camarão e feijão encarnado

Os fins-de-semana passam muito rápido, especialmente se andarmos ocupados e estiver bom tempo. Este fim-de-semana deu para muita coisa, embora eu considere sempre que poderia ter dado para muito mais.

Cozinhar, ter uma tarde de sábado de cinema em casa a ver um pouco da vida de Marie Antoinette, dormir, ler e, no domingo participar na mini-maratona de Lisboa, foram algumas das minhas actividades deste fim-de-semana.

Foi a primeira vez que participei na mini-maratona de Lisboa. 7 km num percurso que incluía a travessia da Ponte 25 de Abril a pé, o que para mim foi um dos pontos altos da prova. Apesar de sentir que o evento poderia estar mais bem organizado, com melhores acessos e mais importante de tudo, a separação entre os que fazem o percurso a correr e os que fazem a andar, acabei por me divertir.

Em dias de grande agitação é fundamental uma boa refeição para retemperar forças. Aqui fica uma sugestão.


Ingredientes:
2 postas de pescada (200 g)
1 cebola picada
4 dentes de alho
1 dl de azeite
1 tomate maduro grande (190 g)
180 g de grelos de couve
caldo de cozedura do peixe (aprox. 1,100 ml)
250 g de arroz carolino
120 g de mexilhão
200 g de miolo de camarão
400 g de feijão encarnado cozido

1. Cozer as postas de pescada em água temperada com sal.

2. Depois do peixe cozido, limpá-lo de peles e espinhas. Coar a água de cozedura e reservar.

3. Num tacho colocar a cebola, os dentes de alho picados e o azeite. Levar ao lume e deixar refogar um pouco. De seguida adicionar o tomate picado. Deixar refogar mais um pouco.

4. Adicionar o arroz e sensivelmente metade do caldo de cozedura do peixe, que deverá estar quente. Quando levantar fervura juntar os grelos.

5. Sensivelmente a meio da cozedura do arroz adicionar o mexilhão e o camarão (usei congelados). Acrescentar caldo pouco a pouco, sempre que necessário.

6. Por fim, adicionar o feijão cozido e deixar cozinhar mais uns minutos.

Este arroz fica muito bom. É importante servir o arroz ainda com um pouco de caldo e não deixar secar demasiado, pelo menos é assim que eu prefiro.


domingo, 22 de março de 2009

Tarte de maçã


Na quinta-feira fiz para sobremesa uma tarte de maçã. Esta tarte é uma receita que considero óptima para quando se quer fazer uma sobremesa e não se tem muito tempo. Apesar de ser rápida, normalmente todos gostam.

Ingredientes:
1 embalagem de massa folhada
3 a 4 maças reineta
1 limão
1 colher de sopa de mel
1/2 colher de chá de extracto de baunilha
canela e açúcar amarelo q.b.

1. Estender uma base de massa folhada numa tarteira. Picar o fundo da tarte com a ajuda de um garfo.

2. Dispor a maçã cortada em gomos. Quando estou a arranjar a maçã à medida que a vou descascando espremo limão por cima, para que não oxide.

3. Polvilhar a maçã com canela a gosto e uma colher bem cheia de açúcar, desta vez usei açúcar amarelo.

4. Levar ao forno a 180ºC até que a massa começar a ficar dourada.

5. Num copo colocar uma colher de sopa de mel e o extracto de baunilha. Mexer e pincelar a tarte assim que sair do forno com esta mistura. Quando o mel está pouco líquido, normalmente aqueço-o uns segundos no microondas.

sábado, 21 de março de 2009

Piza à Joe King

Na passada quinta-feira foi dia de piza e como convidados recebemos os meus sogros. Os meus sogros são como pais para mim. Damos-nos todos muito bem e não passa uma semana em que não estejamos pelo menos uma vez juntos.

Como na quinta-feira foi também Dia do Pai, acho que não haveria melhor data para os convidarmos a vir cá a casa colocar as mãos na massa.

A massa e o molho de tomate para as pizas foram feitos da maneira habitual já aqui apresentada. As pizas, cada um fez a sua, como já é da praxe.


A minha sogra colocou na sua piza uma camada de fatias finas de presunto, tomates cereja cortados ao meio, espargos brancos de conserva e azeitonas verdes sem caroço, por fim polvilhou com queijo mozzarella ralado.

A piza foi servida com rúcula selvagem e foi considerada a mais bem apresentada.

Eu coloquei na cobertura um queijo mozzarella fresco cortado às rodelas, bacon cortado em cubos, tiras de presunto, pimento vermelho e pimento verde cortados em tiras, azeitonas pretas às rodelas e azeitonas verdes sem caroço inteiras e quatro quadradinhos de queijo roquefort. Por fim, polvilhei com queijo mozzarella ralado e óregãos secos.

Servi a piza com folhas de manjericão frescas.

Agora os rapazes:

O Ricardo desta vez, mesmo assim, foi mais comedido nas suas pizas 3D. Usou queijo feta, azeitonas pretas, polpa de tomate, salpicão, queijo ricotta, queijo roquefort, queijo mozzarella ralado, meias rodelas de tomate e brócolos.

Mas a revelação da noite foi o meu sogro Joaquim. Surpreendeu-nos a todos, primeiro com o seu à vontade a trabalhar a massa e depois a colocar a cobertura na piza.

Será que andou a treinar durante a semana? - verbalizámos nós em jeito de brincadeira, mas a perceber que tinhamos ali especialista. Mas o melhor ainda estava para vir, a cobertura da piza.


Na sua piza colocou chouriço picante e linguiça às rodelas, gomos de tomate, tomate cereja, tiras de pimento verde, azeitonas pretas às rodelas, azeitonas verdes sem caroço, queijo ricotta, ananás, rabanetes às rodelas e queijo mozzarella ralado.

A sua piza foi considerada a melhor, a mais saborosa de todas e a primeira a acabar. O chouriço picante deu-lhe uma graça que a distinguiu de todas as outras. Quem sabe, sabe.

Durante o jantar decidimos que a sua piza seria designada Piza à Joe King.

O jantar foi acompanhado de um vinho tinto Marquês de Borba de 2006 e para sobremesa fiz uma tarte de maçã em massa folhada.

Uma experiência em família, sem dúvida, a repetir.