quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

Lisboa Restaurant Week IV Edição - restaurantes Bistro 100 Maneiras, Casa da Dízima e Tágide


Na quinta-feira, dia 30 de Setembro, o jantar, no âmbito da iniciativa Lisboa Restaurant Week, foi marcado no Bistro 100 Maneiras do chef Ljubomir Stanisic, responsável pelo conhecido 100 Maneiras, no Bairro Alto em Lisboa. A reserva foi feita pouco depois das nove da manhã e só conseguimos mesa para as 22h. Quando chegámos a casa estava cheia e mesmo depois de jantarmos, por volta das 23h30, ainda chegavam pessoas para jantar.

O espaço é muito bonito, moderno, dominado pelo branco e pelo preto. Nós ficámos numa mesa situada junto a uma janela com uma vista magnífica para a Rua da Misericórdia.

Depois de nos sentarmos e de sentirmos um pouco o ambiente do restaurante, todas as mesas estavam cheias, os empregados de mesa com fardas cinzentas e verde e com um semblante a combinar com a farda, sem sorrirem, andavam atarefados de um lado para o outro, a limpar mesas, a receber pedidos, a servir a comida.

A ementa do restaurante é apresentada com umas designações originais: No picanço (entradas); O resto é conversa (prato principal) e Final feliz (sobremesas). Na Lisboa Restaurant Week não estava disponível, mas no menu encontrava-se também uma outra proposta, Para corajosos, em que se podia escolher algumas iguarias para apreciadores tais como rins, túbaros, molejas, mioleira, etc.

Eu, para prato de entrada escolhi atum braseado e adorei. O atum estava magnífico, suculento, saboroso e combinava divinamente com o molho. O Ricardo optou pelo burek jugoslavo de queijo fresco e espinafres que foi servido numa pequena frigideira, enrolado. A forma fez-me lembrar os bolos conhecidos como caracol. A massa filo estava estaladiça e o recheio era óptimo.

Para prato principal escolhemos marmita de peixe que foi servida num tacho Le Creuset. A marmita tinha peixe variado e notava-se um agradável sabor a funcho. O Nuno optou pelo bife com batatas Milfontes e estava muito bem servido.

As sobremesas não foram assim um final tão feliz, escolhi o falso cheesecake e não me convenceu, a base deveria estar mais sólida. O Ricardo optou pela sopa de ananás e fez muito bem, pois estava muito agradável.

O vinho escolhido foi uma sugestão do sommelier, pois a carta apresentava apenas 11 tintos, mas pelo que percebi e pela garrafeira, uma sala em vidro, que vemos assim que subimos as escadas para o primeiro andar, existem muitas mais opções. O vinho sugerido foi Meandro do Vale Meão de 2008 que agradou.

Ljubomir Stanisic procura com este seu Bistro 100 Maneiras oferecer pratos da cozinha tradicional portuguesa e do seu país de origem, a Jugoslávia, mas com um toque de requinte e bom gosto. Os talheres e o serviço de pratos são da Vista Alegre e os copos da Atlantis. Se por um lado, achei a comida excelente, uma dos melhores desta temporada do Lisboa Restaurant Week, por outro lado, houve aspectos que o Bistro terá que melhorar. Não nos foi servido couvert e o serviço revelou-se muito desatento e demorado.

No dia 1 de Outubro, sexta-feira, jantámos em Oeiras, na Casa da Dízima onde trabalham os chefs Artur Santos e Nuno Rebelo. Assim que entrei chamou-me logo a atenção as mesas e cadeiras de madeira que transmitem uma ideia de solidez e elegância, e as paredes e o tecto, em abóboda, que se apresentam em bruto com a pedra e o tijolo.

Aqui a ementa foi fixa. Serviram-nos pão de cereais, trigo e broa de milho, feitos na casa. A entrada foi queijo Camembert panado em tomilho-limão sobre compota de pimento vermelho que estava bem servido e muito agradável, especialmente pelo contraste do panado com a compota de pimento.

O prato principal foi folhado estaladiço de bacalhau e camarão sobre legumes salteados e redução de vinho da Madeira. Óptimo. Bem servido.

Para a sobremesa foi-nos servido bavaroise de frutos do bosque. Achei que deveria ter sido servida um pouco mais fria, assim tornou-se excessivamente doce.

O vinho que escolhemos para acompanhar a nossa refeição foi o tinto Quinta da Bacalhôa 2007, que foi uma excelente escolha.

A Casa da Dízima revelou-se um restaurante que se nota que tem curriculum, com experiência, uma casa que sabe servir. A voltar!

No sábado dia 2 de Outubro, o local escolhido para jantarmos foi o restaurante Tágide no Chiado, em Lisboa. Antes de nos sentarmos à mesa para degustar a comida do chef Luís Santos, subimos a elegante escadaria até ao primeiro andar e esperámos pela Sandra, enquanto esperávamos, aproveitámos para tomar uma bebida no espaço de bar, junto à sala de refeições.

A nossa mesa ficou junto a uma das portas que dá para a varanda e fomos brindados com uma vista fabulosa sobre a Praça do Município, toda a encosta do Castelo São Jorge, o Tejo e a outra margem.

A decoração da sala assenta em motivos clássicos, lustres de cristal, candeeiros ou velas nas mesas, e algumas jarras com estrelícias.

Começámos a nossa refeição com pãezinhos, azeite e azeitonas marinadas. Escolhemos o vinho, tinto para não variar, Esporão Reserva 2007.

Para entrada optei pelo creme de castanhas com queijo Niza que estava divino. Uma excelente escolha, com sabores equilibrados da castanha com o queijo. O Ricardo, optou pelos ovos mexidos com castanhas e trufas pretas sobre rúcula que estavam bem confeccionados.

Para prato principal saboreei bochechas de porco preto em cozedura lenta com canela e cardamomo, migas de legumes e uvas caramelizadas. Excelente. Bem confeccionado. Saboroso e as uvas davam-lhe um toque muito especial. Em alternativa poderia ter escolhido marisco, chocos e sua tinta com arroz em falso risotto.

Para sobremesa optei pelo pudim de coco com espuma de licor Beirão que ficou aprovadissímo. O Ricardo escolheu o requeijão com gelado de mel e nozes que também não desiludiu.

Dos sete restaurantes que visitei nesta IV edição do Lisboa Restaurant Week, o Tágide fica claramente no topo das preferências, seguido da Casa da Dízima e em terceiro lugar o OPAQ. Os critérios para esta classificação prenderam-se com a comida, o serviço e o ambiente.

Apercebi-me que muitos restaurantes aderem a esta semana, mas depois não estão devidamente preparados, falhando principalmente na qualidade do serviço prestado.

5 comentários:

  1. Laranjinha, acompanhei a tua ronda pelo Lisboa Restaurant Week e agradou-me imenso a descrição e críticas sempre positivas que elaboraste.
    Serve-nos de roteiro, obrigada :)

    ResponderEliminar
  2. 5ª feira... dia 30 de Outubro?? Eu sabia que este blog era muito à frente, mas continua-me a parecer que seria antes dia 30 de Setembro! eheh ;)

    ResponderEliminar
  3. Manuela,
    muito obrigada por teres acompanhado as minhas andanças pela Lisboa Restaurant Week e pelo teu comentário.
    Um beijinho,

    ResponderEliminar
  4. Caro Anónimo,
    tem toda a razão! Obrigada pela chamada de atenção.

    ResponderEliminar
  5. No Restaurant Week, as melhores refeições que já tive foram no Tágide, e já fui a muitas (estrelados inclusivé).
    Um restaurante fora do circuito da moda, mas que neste conceito é imbatível.
    E ainda tem aquela maravilhosa vista!

    Parabéns pelo blog!

    ResponderEliminar