sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Lombos de salmão com mel e mostarda no forno



Nos dias frios, volto às comidas de forno. A receita deste salmão com mel e mostarda é do site da Vaqueiro.


Ingredientes:
4 lombos de salmão
sal
pimenta preta de moinho
sumo de 1 limão (pequeno)
3 colheres de sopa de mel
1 colher de sobremesa de condimento de mostarda
600 g de batatinhas
500 g de castanhas congeladas
azeite
sementes de sésamo

1. Temperar os lombos de salmão com sal e pimenta. Misturar o sumo de limão com o mel e a mostarda. Mexer bem e regar os lombos com este prepardo. Deixar a marinar aproximadamente 30 minutos.

2. Colocar as batatas num tacho e cobrir com água. Temperar com sal e levar ao lume. Uns minutos antes de as batatas estarem cozidas adicionar as castanhas congeladas. Vigiar a cozedura das castanhas para que não cozam demasiado e se desfaçam.

3. Escorrer as batatas e as castanhas. Dispô-las num tabuleiro de forno com o salmão e a marinada. Regar com um fio de azeite e levar ao forno a assar.

4. Servir o salmão polvilhado com sementes de sésamo.


O sabor do mel e da mostarda ficam muito agradáveis neste prato.

quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Ovos com fígado de frango e cogumelos


A semana passada quando confeccionei a sopa de frango com legumes para o 4 por 6 não usei o fígado do frango. A ideia era experimentar uma receita que encontrei no Serious Eats, omeleta de fígado de frango. Eu adoro omeletas, ovos mexidos ... Sei que às vezes abuso um bocadinho, mas esta receita era uma das que queria experimentar, principalmente pelo uso do fígado.


Ingredientes:
1 cebola picada
3 dentes de alho
margarina
3 cogumelos brancos
1 fígado de frango
sal e pimenta
5 ovos
coentros picados
leite

Coloquei um pedaço de margarina numa frigideira. Levei ao lume e adicionei a cebola e os dentes de alho. Deixar cozinhar um pouco até a cebola começar a dar sinais de estar macia. Adicionei um fígado de galinha cortado em pedaçinhos. Mexi e deixei cozinhar um pouco. De seguida adicionei três cogumelos fatiados fininhos. Mexi. Temperei com sal e pimenta. Antes de retirar do lume, adicionei coentros picados.

Coloquei o preparado num prato e voltei a levar a frigideira ao lume com mais um pedaço de margarina. Entretanto bati 5 ovos (pequenos) com um pouco de leite. Deitei na frigideira e preparei uma omeleta, mas sem a dobrar. Antes de retirar do lume, coloquei por cima o preparado de cogumelos e fígado.

Servi com uma salada de alface e tomate.

Como poderão verificar fiz algumas alterações em relação à receita original, mas essa é a beleza de cozinhar.


terça-feira, 26 de Janeiro de 2010

Bacalhau assado no forno com batatas


O domingo foi um dia preenchido. De manhã, um lanche em Sintra seguido de um passeio na vila, à tarde um almoço em família, com direito a Cozido à Portuguesa, que é por excelência, na minha opinião, um prato para juntar pessoas à mesa. Não tem piada nenhuma fazer Cozido à Portuguesa para duas pessoas! Em casa dos meus sogros, sempre que há cozido são colocados uns pratos comprados para o efeito. Grandes, para que no prato caiba um pouco de tudo a que temos direito: couves, cenouras, feijão, nabos, carnes, enchidos e arroz.

Ao jantar resolvi fazer bacalhau assado no forno acompanhado com grelos cozidos. Este é um prato que adoro e resulta sempre bem.


Ingredientes:
4 postas de bacalhau
Batatas primor com a pele
1 colher de sobremesa de paprica
2 folhas de louro
8 dentes de alho
2 dl de azeite
Pimenta-preta e pimenta-rosa q.b.


1. Num pyrex coloquei quatro postas de bacalhau e batatas primor com pele. De seguida temperei com pimenta-preta e pimenta-rosa em grão, uma colher de sobremesa de paprica, duas folhas de louro e oito dentes de alho grandes esmagados. Reguei com 2 dl de azeite.

2. Tapei o recipiente com papel de alumínio e levei ao forno. Deixei tapado com folha de alumínio sensivelmente 15 minutos e depois deixei acabar de assar destapado.


Acompanhei o bacalhau com grelos cozidos.

No domingo, depois de jantar, ainda houve tempo para ver o filme Duplicity, com um actor que aprecio particularmente, Clive Owen.

segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Voltei à Saudade ...


No domingo de manhã, o encontro do clube de leitura À volta das letras foi no café Saudade, em Sintra. Um espaço que adoro. Decorado com objectos tradicionais portugueses, eu reparei nestas bonequinhas de barro alusivas aos trabalhos das camponesas que achei deliciosas. Para além disso, o serviço é muito simpático.

Para acompanhar a troca de ideias à volta do romance de Jane Austen, Orgulho e Preconceito, pedimos chá e scones. Muito adequado, não acham?


sábado, 23 de Janeiro de 2010

Omeleta da Julia Child



O que me surpreendeu neste vídeo com a inigualável Julia Child, foi o uso de água na preparação da omeleta. Já cheguei a fazer com leite, mas o uso de água deixou-me curiosa.

Hoje, para o pequeno-almoço experimentei fazer a omeleta tal como Julia exemplifica e digo-vos, ficou muito fofa. Afinal, é mesmo assim, quem sabe, sabe! Experimentem!

Como ela diria: Bon appétit!

sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010

4 por 6: Sopa de frango com legumes e Tarte Tatin de banana

Nesta minha participação no projecto 4 por 6, a primeira de 2010, apresento uma sopa de frango cheia de legumes, inspirada na sopa de frango de Alice Waters, e para sobremesa uma tarte tatin de banana, criação de Jamie Oliver.

Sopa de frango com legumes

Ingredientes:
700 g de frango do campo
1 cebola
2 cenouras
1 cabeça de nabo
2 talos de aipo
100 g de massa cotovelinhos
70 g de folhas de espinafre
água
sal

1. Cozer o frango em água temperada com sal. Depois do frango cozido, desfiá-lo.

2. Levar a água de cozedura do frango ao lume, se necessário acrescentar mais um pouco de água. Quando ferver adicionar a cebola picada. Deixar ferver uns minutos.

3. Acrescentar a cabeça de nabo, as cenouras e os talos de aipo cortados em cubos. Deixar cozer.

4. Acrescentar a carne de frango, as folhas de espinafres e a massa. Se necessário rectificar sal e/ou acrescentar um pouco de água a ferver. Deixar ao lume até a massa estar cozida.

O frango que usei tinha gordura suficiente para a sopa, mas se não for o caso, aconselho a acrescentar um fio de azeite.

A sopa fica muito boa. Perfumada, graças ao aipo.


Tarte tatin de banana

Uma tarte tatin de banana não será muito enjoativa? Esta foi uma das minhas preocupações quando resolvi fazer esta tarte. A banana, para mimem sobremesas cozinhadas nem sempre resulta muito bem, mas mesmo assim arrisquei e não me desiludi. A tarte não ficou nada enjoativa e a cozinha não ficou empestada com cheiro intenso a banana cozinhada. A raspa de laranja e a canela são essenciais nesta receita.

Ingredientes:
250 g de massa folhada
4 bananas
50 g de margarina
100 g de açúcar
raspa de 1/2 laranja grande
canela para polvilhar

1. Colocar a margarina e o açúcar numa forma. Levar ao lume até o açúcar ficar ligeiramente caramelizado.

2. Adicionar as bananas cortadas às rodelas. Deixar cozinhar um pouco as bananas. Uns minutos antes de retirar do lume, polvilhar com canela em pó e a raspa de laranja.

3. Colocar a massa folhada por cima das bananas. Picar a massa com um garfo e levar ao forno.

4. Assim que a massa folhada estiver cozida, retirar do forno, deixar arrefecer um pouco e desenformar.

Na tarte, usei 100 g de açúcar porque não queria que ficasse muito doce para o meu gosto. Mas quem gostar de mais docinho aconselho a que acrescente um pouco mais de açúcar.

Vamos então às contas:
Dica de poupança: Comparar os preços dos produtos frescos com os produtos congelados. A massa folhada usada na receita da tarte foi da secção de congelados, porque em comparação com a fresca era mais barata e em termos de qualidade, não notei diferenças.

quinta-feira, 21 de Janeiro de 2010

Peitos de frango picantes


Para uma refeição rápida e saborosa, hoje proponho peitos de frango. A receita sugere que sejam picantes, mas isso, fica ao critério e gosto de cada um.

Ingredientes:
2 peitos de frango
sal e pimenta
1 colher de chá de sementes de coentros
1 piripiri picado
sumo de 1 limão
hortelã fresca
2 colheres de sopa de azeite

1. Temperar os peitos de frango com sal, pimenta, sementes de coentros, a hortelã e o piripiri picado. Regar com o sumo de limão e deixar a marinar durante 30 minutos.

2. Levar uma frigeira ao lume com o azeite. Assim que estiver quente adicionar os peitos de frango. Deixar alourar de um lado e depois virar. Adicionar o molho da marinada e deixar acabar de cozinhar.

Receita da revista Donna Hay magazine edição 45. Na receita original são usados orégãos frescos em vez da hortelã.

quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

Salada de quinoa com espinafres, cogumelos e queijo parmesão


O que fazer para o jantar? O que é que me está ou não a apetecer? - Estas são algumas questões que faço muitas vezes quando penso em preparar o jantar. Durante a semana, só cozinho ao jantar.

Para poupar algum tempo a decidir o que fazer em dias em que tenho algumas dúvidas, criei uma lista de receitas que gostaria de confeccionar. Na sexta-feira passada, depois de consultar a minha lista no Delicious, resolvi fazer uma salada de quinoa que já me tinha conquistado.

Ingredientes:
200 g de quinoa
4 colheres de sopa de azeite
60 g de pimento vermelho
30 g de tomate seco em azeite
150 g de folhas de espinafres
3 dentes de alho
300 g de cogumelos brancos frescos
2 hastes de tomilho fresco
queijo parmesão


1. Lavar a quinoa e cozê-la em água temperada com sal. Depois de cozida, escorrer.

2. Escaldar os espinafres e escorrer.

3. Refogar em duas colheres de azeite o pimento vermelho e o tomate seco cortados em tirinhas.

4. Adicionar ao refogado os espinafres. Mexer e temperar com sal e pimenta a gosto. Retirar para uma taça de servir.

5. Saltear os cogumelos fatiados na frigideira com duas colheres de sopa de azeite e os dentes de alho picado. Temperar com sal e pimenta a gosto.

6. Misturar numa taça a mistura de espinafres, a quinoa e os cogumelos. Temperar com folhas de tomilho.

7. Servir com queijo parmesão laminado.

A salada ficou muito agradável. Em relação à receita original fiz algumas alterações, substitui as folhas de acelga por espinafres e introduzi o tomate seco em azeite.

A salada pode servir como refeição ou como acompanhamento. Cá em casa, serviu como acompanhamento a um resto de carne de borrego assada no forno.

Para beber, escolhemos um vinho tinto italiano, chianti, muito agradável.


terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

Salada de laranja, couve e pêra


Assim que vi esta salada de laranja, couve e pêra no blogue Cook & Eat que fiquei com vontade de a confeccionar. Laranja, peras, couve e aipo são ingredientes, de uma maneira geral, pouco comuns na nossa tradição de saladas. Por outro lado, quando vejo saladas com laranja fico logo curiosa. Por que será?

Ingredientes:
1 a 2 laranjas
120 g de couve coração de boi
1 pêra rocha
2 talos de aipo
3 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de vinagre de vinho branco
sal e pimenta
1 colher de sopa de sementes de papoila

1. Cortar a laranja em gomos. Retirar as peles brancas e aproveitar o sumo que resultar da preparação das laranjas.

2. Cortar a couve e os talos de aipo em juliana bem fininha.

3. Cortar a pêra em fatias finas.

4. Misturar numa taça o sumo de laranja, o azeite, sal, pimenta e vinagre. Mexer.

5. Num prato misturar a pêra, couve, aipo e laranja. Polvilhar com as sementes de papoila e temperar com o molho.

A salada resulta muito bem. Os ingredientes combinam de forma muito agradável. Cá em casa esta salada foi servida como acompanhamento de um prato de carne.


segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010

Filetes recheados com presunto em papillote


Este fim-de-semana que passou fiquei, principalmente, em casa. Em termos de leituras terminei o delicioso Orgulho e Preconceito e já mergulhei no Dilema do Omnívoro de Michael Pollan.

Também houve tempo para espreitar a vida no quintal. Arranquei os pés secos de manjericão e muitas urtigas que começam a invadir todo o espaço. O quintal é literalmente um pequeno quadrado com terra onde existe um loureiro, dois limoeiros e duas laranjeiras pequenas, herança da avó Maria. O ano passado procurei ter ervas aromáticas e espinafres. As ervas aromáticas nesta altura do ano ou estão secas ou a começar a rebentar, agora os espinafres estão cheios de vida e de vontade de se expandirem por todo o lado. Frescos. Com folhas carnudas e verdes. Lindos.

Para o almoço de sábado procurei usar os espinafres do quintal numa receita inspirada num dos cozinhados feitos, na Bimby, pelo meu cunhadinho Hugo. O Hugo há uns tempos atrás deu-nos a provar uns filetes, cozinhados ao vapor, recheados com presunto que me agradaram bastante. Nesta minha experiência adaptei a ideia ao papillote.


Ingredientes:
4 filetes de pescada
4 fatias de presunto fininhas (usei presunto já fatiado)
sal e pimenta
alho em pó
140 g de folhas de espinafre
2 rodelas de limão
azeite

1. Temperar os filetes com sal e pimenta a gosto.

2. Numa folha de alumínio com outra de papel vegetal por cima, colocar as folhas de espinafre. Em cima dos espinafres colocar um filete, depois duas fatias finas de presunto e depois o outro filete. Temperar com alho em pó, colocar uma rodela de limão cortada ao meio e regar com um fio de azeite. Fechar o papillote. Proceder de igual modo com os outros dois filetes.

3. Levar ao forno.

4. Servir com batatas primor cozidas com a pele.

Os filetes ficaram muito agradáveis e suculentos.

Em alternativa, também poderão abrir os filetes e recheá-los, mas para isso é conveniente que estes tenham grossura suficiente.

sábado, 16 de Janeiro de 2010

Os bombons da Carlota


A vida tem coisas curiosas. Já tinha registado esta receita de bombons para fazer. Hoje, num encontro, a meio da tarde, para um chá com as amigas Suzana, Isabel e Carlota, eis que recebo uma caixinha feita com muito bom gosto com os referidos bombons.

Obrigada, Carlota.

sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Arroz de miúdos


Quando fiz a galinha do campo assado no forno, guardei os chamados miúdos, reduzidos ao fígado e à moela do animal, e alguma da gordura para fazer uma canja ou um arroz.

Para um jantar a meio da semana, recuperei este pequeno tesouro e resolvi dar-lhe um destino. Canja não apetecia. A solução foi um arroz.

Num tacho coloquei uma cebola e dois dentes de alho picados. De seguida, cortei um pedaço de gordura da galinha (aprox. 100g) em pedaçinhos e juntei aos ingredientes no tacho. Levei ao fogão, em lume brando, e deixei quebrar a cebola. Como era uma galinha caseira tinha bastante gordura que, na minha opinião, era uma pena desperdiçar. Usei a gordura da galinha em subsituição de outro tipo de gordura, por exemplo azeite ou margarina.

De seguida introduzi o fígado e a moela cortados em pedaçinhos, juntamente com uma folha de louro e um pouco de sal. Adicionei um gole de água quente e deixei cozinhar a carne.

Por fim, adicionei três mãos cheias de arroz carolino e fui adicionando aos poucos água quente até o arroz estar cozido.

A gordura da galinha deu o toque especial de sabor a este arroz. Cá em casa o arroz serviu de prato principal, mas poderá ser um óptimo acompanhamento para um assado de carne.