10h30 - 13h00      Conservas Portuguesas na Ementa
 
15h00 - 17h30      Doçaria Tradicional Portuguesa
Inscrições limitadas   work@sott.pt   91 700 1802 espaço WORK IT

sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

Dás-me uma salada?

Para comemorar o segundo aniversário do Delícias & Companhia, a Manuela, que tive o prazer de conhecer na minha última visita à Ilha Terceira, promove a iniciativa Dás-me uma salada? A iniciativa está aberta a quem queira participar no entanto, a confecção da salada segue algumas orientações dietéticas.

As indicações para a salada estão relacionadas com o seu novo projecto: uma dieta. Para relatar as suas experiências e partilhar informações úteis a quem queira fazer uma alimentação mais cuidada, a Manuela criou um outro blogue, já que está como ela diz "numa onda mais light" o nome não poderia ser mais apropriado, o Delícias Saudável.

Eu decidi participar na iniciativa. Apesar de não estar a fazer dieta, sou uma fã de saladas. Gosto delas coloridas e com ingredientes variados, especialmente com contraste de sabores e texturas. Para o segundo aniversário do Delícias & Companhia fiz uma salada de agriões, cogumelos brancos grelhados, fatias de peito de peru, aipo, tomate cereja com molho de iogurte natural e cebolinho.


Salada de agriões, cogumelos, ervilhas, aipo e tomate com molho de iogurte


Ingredientes:
agriões em folha
duas folhas de alface
180 g de cogumelos brancos fatiados grelhados
1 copo de ervilhas cozidas
14 tomates cereja abertos ao meio
2 talos de aipo cortados finos
85 g de fatias de peito de peru com baixo teor de gorduras
2 iogurtes naturais
1 ramo de cebolinho
sal
pimenta

1. Misturar os seis primeiros ingredientes numa taça.

2. Para preparar o molho: colocar os iogurtes num recipiente, mexer e adicionar o cebolinho picado. Temperar com sal e pimenta de moinho a gosto.

3. Servir a salada com as fatias de peito de peru. Regar com o molho de iogurte.

Esta salada ficou muito agradável. O aipo ajuda a perfumar e a dar textura à salada. O molho de iogurte normalmente agrada aos comensais, é leve e muito agradável.

As quantidades desta salada são para duas pessoas.

quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

Feijoada de choquinhos


Os choquinhos foram descongelados para serem feitos na frigideira com alho, azeite e um bom ramo de coentros, acompanhados de batatas primor cozidas. Mas a vida não é linear e as coisas não acontecem sempre como queremos ou como pensamos. O dia em que pensei cozinhar os choquinhos foi no domingo. Mas, no domingo, passei a tarde em casa da querida Carlota com a Isabel e a Suzana, num magnífico lanche de mesa cheia do primeiro aniversário do Tangerina Aderente. Claro que me fartei de comer coisinhas boas e o lanche acabou por entrar pela noite dentro, a par de muita conversa e boa disposição. Resultado, quando cheguei a casa não me apeteceu ir para a cozinha.


Na segunda-feira quando resolvi cozinhar os choquinhos, mudei de ideias. O melhor era fazer uma feijoada. Uma comida por excelência de Inverno. Quente e consistente. ;)


Ingredientes
azeite
1 cebola
2 dentes de alho
1/4 de pimento vermelho
2 tomates maduros
800 g de choquinhos
1 dl de vinho
1 folha de louro
sal
3 cenouras
piripiri
feijão encarnado cozido
água quente
um ramo de salsa

Num tacho refoguei, em 0,5 dl de azeite, uma cebola picada e dois dentes de alho. Depois adicionei 1/4 de pimento vermelho cortado em pedaçinhos e dois tomates bem madurinhos, a que tirei a pele e as sementes. Deixei refogar um pouco. De seguida adicionei os choquinhos, 1 dl de vinho branco, uma folha de louro e uma pitada de sal. Tapei o tacho e deixei ferver uns minutinhos. Acrescentei três cenouras cortadas às rodelas, um piripiri, um 1/2 chouriço cortado às rodelas. Voltei a tapar o tacho e deixei cozinhar em lume brando. Depois dos choquinhos estarem tenros, adicionei feijão encarnado cozido e um pouco de água quente. Deixei ferver.

Antes de seguir para a mesa, adicionei um ramo de salsa picada.

Ficou uma delícia. Acompanhámos com um vinho tinto da casa Ermelinda Freitas, 2007, edição do Pingo Doce. E ainda ensopei o pãozinho no molho ... terrível, mas delicioso.

quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

Costeletas de porco com molho de tomate e amêndoa


Os dias têm estado chuvosos e frios. Ontem, quando saí do trabalho aconteceu-me uma pequena peripécia. Ia eu muito bem de chapéu de chuva aberto, que nem era meu, a chover razoavelmente bem, eis que vem uma rabanada forte de vento, o chapéu vira-se e as varetas ficam completamente todas torcidas. O que era um chapéu de chuva transformou-se numa estrutura metálica torcida e sem aproveitamento nenhum. No meio da chuva, assim que vi o que aconteceu ao chapéu dei uma enorme gargalhada. Quem me seguia por perto deve ter pensado que eu não regulava bem. Mas eu continuei, ainda tentei proteger-me da chuva com o que restava do chapéu, mas era inevitável. O destino foi o primeiro caixote do lixo que encontrei e segui viagem assim mesmo. Ao longo do meu trajecto fui encontrando mais carcaças de chapéus abandonados.

Em dias de pequenas peripécias nada melhor que um prato reconfortante. A receita destas costeletas encontrei-a na revista Saberes & Sabores nº 122 de Abril de 2004.


Ingredientes:
4 costeletas de porco
sal
pimenta
60 g de margarina
2 colheres de sopa de farinha
1 colher de chá de alho em pó
1 lata pequena de tomate pelado em cubos
1 copo de água
0,5 dl de vinho do Porto
50 g de amêndoas raladas
canela em pó
3 a 4 colheres de sopa de natas
tomilho fresco

1. Temperar as costeletas com sal e pimenta.

2. Derreter a margarina numa frigideira.

3. Misturar a farinha com alho. Passar as costeletas de ambos os lados nesta mistura.

4. Fritar as costeletas na frigieira com a margarina até alourarem de ambos os lados. Retirar para um prato e reservar de modo a que se conservem quentes.

5. Deitar o tomate na frigideira onde se alourou as costeletas e deixar cozinhar aproximadamente 10 minutos. Ir adicionando água aos poucos.

6. Adicionar o vinho do Porto e as amêndoas raladas. Mexer. Adicionar uma pitada de canela, sal e pimenta a gosto.

7. Deixar apurar um pouco e junte as natas.

8. Servir o molho com as costeletas. Salpicar com tomilho fresco.

Acompanhar este prato com esparguete ou fettucine cozido.

O segredo destas costeletas está no molho. Bom. Muito bom!

terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010

Sopa de feijão frade com grelos



Esta é a última de um conjunto de sopas ditas substanciais que fiz recentemente. O frio exige comidas reconfortantes e uma sopa quente com substância, por assim dizer, é uma excelente opção. Pelo menos cá por casa tem sido.

Ingredientes:
1,5 L de água
800 g de feijão frade cozido com caldo de cozedura
1 cenoura
200g de abóbora
2 dentes de alho
200 g de grelos
0,5 dl de azeite
sal

1. Refogar a cebola e os dentes de alho picados no azeite. Adicionar a cenoura e a abóbora cortadas em cubinhos. Temperar com sal e deixar cozinhar uns minutos em lume brando e com a panela tapada. Mexer de vez em quando.

2. Acrescentar o feijão frade cozido com um pouco de caldo, os grelos e a água, de preferência quente. Retirar do lume assim que os grelos estejam cozidos.

3. Servir a sopa com fatias de pão torrado.


segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010

Quem diria ...



Quando vi o envelope em cima da minha secretária percebi logo o que era. Mas assim que o abri foi uma grande surpresa. Fiquei com um sorriso de orelha a orelha.

Há uns tempos atrás fui contactada pela querida Bombom que inspirada numa etiqueta de Natal, obra dos primos Tété e Gino, fez uma rena e um pai-natal, fantoches de dedo. Quem diria! Fiquei muito orgulhosa.

Reparem que ternura! Tem um ar mesmo simpático.

Para além dos fantoches de dedo, fui contemplada ainda com uns saquinhos também feitos pela talentosa Fátima.

Muito obrigada, querida Bombom.

Mais um dia de pizas ...

A sexta-feira, nestas últimas semanas, tem sido dia de piza. Para além do prazer de comer, o momento de piza está associado à diversão, à partilha e é isso que torna os dias de piza tão especiais. Fazer piza é como uma brincadeira de crianças.

O processo de confeccção das pizas é sempre o mesmo. O Ricardo faz a massa e depois cada um fica responsável por uma piza. Desta vez apostámos em pizas sem o molho de tomate.

Na minha massa, depois de estendida, coloquei uma boa camada de queijo ricotta. De seguida dispus cogumelos portobello grandes refogados num pouco de azeite com uma cebola em meias luas, três dentes de alho e por fim três colheres de sopa de vinagre balsâmico. Antes de seguir para o forno polvilhei com queijo mozzarella ralado.


Servi com folhas de rúcula e lâminas de queijo parmigiano reggiano 30 meses.


O Ricardo voltou às suas famosas pizas 3D com beringela.

Na base da massa espalhou pasta de tomate com azeite, por cima colocou beringela, rodelas de tomate, paio de porco preto, azeitonas verdes e por fim, queijo mozzarella ralado.


Serviu com lâminadas de queijo parmigiano reggiano 30 meses.

E vocês, como fazem as vossas pizas? Algum ingrediente favorito?

sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

4 por 6: Folhados de chévre com ameixas secas e Empadão de sardinhas com cebolada


Para a minha participação no projecto 4 por 6 desta semana proponho para entrada folhados de queijo chévre com ameixas secas e para prato principal empadão de sardinhas com cebolada. Bom apetite!

Folhados de queijo chévre com ameixas secas


Ingredientes:
2 rectângulos de massa folhada
4 fatias de queijo chévre Palhais
queijo mozzarella ralado
4 ameixas secas
pimenta de moinho

1. Cortar os rectângulos de massa folhada ao meio.

2. Dispor em cada quadrado de massa uma fatia de queijo chévre, polvilhar com pimenta, adicionar uma ameixa seca descaroçada e previamente picada. Polvilhar com queijo mozzarella ralado e unir apenas duas pontas do quadrado de massa. Repetir a operação para cada quadrado de massa folhada.

3. Levar ao forno.

4. Servir os folhados com gomos de tomate ou uma salada de folhas verdes.


Ficam deliciosos. Aconselho a que sejam servidos ainda mornos.


Nesta participação primeiro fiz o prato principal e depois a entrada. Deste modo pude usar um pouco do ovo batido para pincelar os folhados, para além do empadão. O ovo ajuda a que fiquem com um ar mais dourado.

Empadão de sardinhas com cebolada


Uma das formas que encontro para me inspirar para os menus do 4 por 6 é consultando revistas. Este prato foi inspirado na receita pastelão de batata, publicada na revista Saberes & Sabores de Maio de 1999, à qual fiz muitas alterações.


Ingredientes:
1, 100 kg de batatas para cozer
0,25 de margarina
0,5 dl de leite
sal
pimenta
noz moscada
1 cebola
3 dentes de alho
0,5 dl de azeite
1/2 pimento verde cortado às tirinhas
3 tomates bem maduros
110 g de azeitonas com caroço
2 latas de sardinha em óleo vegetal
1 ovo


1. Retirar o caroço às azeitonas.

2. Entretanto, cozer as batatas, cortadas em pedaços, em água e sal. Esmagar as batatas ou passar pelo passe vite.

3. Adicionar a margarina e mexer. Juntar o leite, temperar com pimenta e noz moscada a gosto. Mexer bem.

4. Colocar a cebola cortada em meias luas num tacho com o azeite e os dentes de alho picados. Levar ao lume. Assim que a cebola quebrar, adicionar os tomates cortados, previamente limpos de peles e de sementes. Juntar o pimento, as azeitonas, temperar com sal e pimenta a gosto. Deixar cozinhar até o pimento estar macio.

5. Barrar um tabuleiro de forno com margarina. Colocar uma camada de puré de batata, o refogado de cebola e pimento, as sardinhas cortadas ao meio e previamente limpas da espinha. Por fim, colocar uma camada de puré de batata. Alisar bem e pincelar com ovo batido.

6. Levar ao forno.

Servir o empadão com salada de alface.

Este empadão foi uma surpresa. Fica muito agradável.

Vamos então às contas:


quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

Bifes com molho de chocolate ...

A terça-feira de Carnaval acordou cinzenta e com chuva. Eu acabei por ficar o dia em casa. Estes dias assim de preguiça, de vez em quando, sabem tão bem, não acham? O Carnaval tem pouco significado para mim. Não me mascaro e já há uns bons anos que não assisto a desfiles carnavalescos.

No frigorífico ainda guardava os bifes que tinha pensado fazer para o jantar de domingo. Não foi preciso pensar muito. A receita escolhida foi bifes com molho de chocolate da revista Saberes & Sabores nº 171 de Maio de 2008.


Ingredientes:
25 g + 25 g de margarina
4 medalhões do lombo de vaca ou 2 bifes grandes cortados ao meio
sal
pimenta preta de moinho
alho em pó
0,5 dl de rum
30 g de chocolate negro (+ de 60 % de cacau)
2 dl de natas

1. Derreter 25 g de margarina numa frigideira em lume médio. Introduzir os bifes de vaca, aumentar o lume, e deixar alourar os bifes. Temperar com sal, pimenta e alho, a gosto.

2. Regar com o rum e puxar fogo. Deixar arder até a chama se extinguir, agitando a frigideira. Retirar a carne e reservar, mantendo quente.

3. Deitar na frigideira a restante margarina, o chocolate ralado e as natas. Mexer com uma vara de arames para que o molho fique homogéneo. Rectificar com sal e a pimenta.

Acompanhei estes bifinhos com massa fusilli cozida e salada. A receita original recomenda arroz branco solto e tiras de pimentos morrones.

Desde o filme Chocolate e da famosa refeição em casa de Amande Voizin, que a minha curiosidade por pratos de carne com chocolate aumentou. Não me esqueço das caras satisfeitas e prazenteiras dos convidados a saborear aqueles magníficos pratos com chocolate.

Acompanhei esta refeição com uma sugestão do Ricardo, um tinto alentejano com um nome bastante curioso.

A tarde foi passada enrolada às mantinhas do sofá com o aquecedor ligado. As temperaturas não andam para brincadeiras, especialmente numa casa de pé alto. Ali no quentinho, assisti ao filme Last Holiday que passou na televisão.

Georgia Byrd (Queen Latifah) é uma jovem empregada na secção de cozinha das lojas Kragen's, em Nova Orleães, que sonha com uma vida melhor. Cria até um livro de "Possibilidades" onde através de imagens dá forma a alguns dos seus sonhos, nomeadamente casar com um colega de trabalho, por quem se apaixonou.

Um dia depois de fazer exames médicos descobre que tem vários tumores cerebrais e que lhe restam poucos meses de vida. Como não tinha possibilidades de pagar os exorbitantes custos dos tratamentos médicos, Georgia decide aproveitar da melhor forma o tempo de vida que lhe resta. Parte de férias para o Grande Hotel Pupp, na República Checa.

Determinada a desfrutar da vida compra vestidos em lojas caras, usa os serviços SPA do hotel, faz snowbording, salta de uma ponte com pára-quedas e prova as iguarias do chef Didier (Gérard Depardieu). E são os momentos ligados à comida que achei deliciosos. Georgia no primeiro dia que janta no hotel, depois do empregado lhe apresentar o menu e de lhe explicar que o Chef Didier faz um menu diferente todos os dias, Georgia não hesita e pede um prato de cada sem substituições, ao contrário da mesa ao lado, que em cada prato pediam alterações. O Chef Didier fica encantado. Sem substituições, era sinal de alguém que apreciava os seus pratos e a comida em si.

Georgia visita o mercado local com o Chef Didier, e este diz-lhe algo que achei fantástico: "Tu e eu sabemos o segredo da vida ... a manteiga." Georgia cozinha com o chef Didier o menu da passagem de ano. No final descobre que houve um engano, a máquina onde efectuou os exames estava avariada e portanto, não tinha cancro.

Georgia e Sean, o seu colega de trabalho que entretanto a foi procurar e se lhe declarou, regressam a Nova Orleães onde abrem um restaurante e recebem a visita do Chef Didier e de Emeril Lagasse, por quem Georgia nutria uma especial admiração.

E assim se passou o dia de Carnaval!

quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2010

Sopa de bacalhau com grelos e ovos



Nestes dias frios em que nem apetece sair de casa, uma sopa substancial transforma-se numa excelente forma de reconforto.

Ingredientes:
2 postas de bacalhau
água da cozedura do bacalhau (aprox. 1,5 L)
água
1 cebola picada
3 dentes de alho
1 dl de azeite
2 tomates grandes maduros
1/4 de pimento vermelho
sal
200 g de massa cotovelinhos
250 g de grelos (aprox.)
4 ovos

1. Cozer as postas de bacalhau em água. Limpar o bacalhau de peles e espinhas. Desfazer as postas em lascas.

2.Refogar a cebola, os alhos e o pimento no azeite. Adicionar a água de cozedura do bacalhau e acrescentar mais um pouco de água. Deixar levantar fervura.

3. Adicionar o bacalhau, os grelos e a massa. Temperar com sal e deixar cozinhar.

4. Uns minutos antes de retirar a sopa do lume, adicionar um a um os ovos, previamente abertos.

Acompanhei a sopa com fatias de pão torrado.