10h30 - 13h00      Conservas Portuguesas na Ementa
 
15h00 - 17h30      Doçaria Tradicional Portuguesa
Inscrições limitadas   work@sott.pt   91 700 1802 espaço WORK IT

quarta-feira, 30 de Junho de 2010

Batido de Alperce

Portugal jogou, ontem, com a Espanha nos oitavos de final do campeonato do mundo de futebol na África do Sul. Infelizmente, deixámos marcar um golo e os nossos jogadores regressam a casa.

Eu não sou muito dada a futebol, mas quando joga a selecção a situação já muda de figura e interesso-me muito mais. Ontem, resolvi ver o jogo cá em casa com o Ricardo.

Para acompanhar o visionamento e atenuar o nosso sofrimento durante o jogo, resolvi fazer um batido de alperce, pois graças à minha querida amiga Ana Assis não me têm faltado alperces cá em casa.

Coloquei 2,5 dl de leite frio num copo grande. De seguida acrescentei 14 alperces pequenos limpos de pele e caroço, que tinha no frigorífico, e 6 cubos de gelo. Triturei e servi em dois copos decorados com hortelã.

Decidi não colocar açúcar e gostámos bastante, mas poderão adoçar ao vosso gosto.

O melhor dos 90 minutos a que assisti ao jogo, foi mesmo o batido! ;)

terça-feira, 29 de Junho de 2010

No domingo houve festa ...

No domingo o Ricardo fez anos e houve festa. Eu, a minha sogra e o meu cunhado Hugo organizámos a ementa. O aniversariante apesar de ter feito alguns pedidos, acabou por se sujeitar aos nossos desígnios. Para almoço queria sardinhas assadas ao que nós dissémos não! :) Acabou por ter o seu desejo concretizado no sábado, em casa dos meus pais. Depois de muita insistência por parte do Ricardo e de dizer, com ar pesaroso, que ainda bem que era ele que fazia anos porque ninguém ligava aos seus pedidos, o Hugo resolveu mudar de planos e fez o seu magnífico cheesecake, regado com uma explosão de frutos vermelhos.

Eu fiz a entrada, almofadinhas de alheira servidas com salada de folhas verdes que toda a gente adorou.

A minha sogra fez um arroz de tamboril com camarão servido com coentros picados que ficou soltinho e muito saboroso.

Para sobremesas, tivemos o cheesecake, já um clássico nos nossos encontros de família.

Um pudim de coco, feito pela minha sogra.

As filhoses da minha mãe, que o Ricardo adora, e o bolo de aniversário.

A escolha do bolo de aniversário teve como critério as frutas preferidas do Ricardo, morangos, cerejas, framboesas e mirtilos.

O bolo ficou muito agradável e fresquinho ficou uma maravilha.

A tarde passámo-la de volta das princesas da família, a Marta e a Inês.


Bolo Tentação de Morango

Massa do bolo:

Ingredientes:
4 ovos
2 chávenas de chá de açúcar
2 chávenas de chá de farinha de trigo
1 chávena de chá de leite quente
4 colheres de sopa de chocolate em pó
1 colher de sopa de fermento em pó
margarina (para barrar)

Preparação:
1. Bater as claras em castelo;

2. Bater as gemas durante dois minutos e adicionar-lhes o açucar aos poucos, mas sempre sem parar de bater. Quando o creme ficar fofo, juntar a farinha aos poucos, alternando com o leite quente, batendo sempre o preparado;

3. Acrescentar o chocolate em pó e o fermento e bater tudo muito bem;

4. Misturar as claras em castelo delicadamente. Com uma colher, colocar a massa numa forma rectangular, previamente untada com margarina;

5. Levar ao forno até cozer.


Recheio:

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
1 lata de leite (medida pela do leite condensado)
500 g de morangos
1 colher de sopa de farinha Maizena

Preparação:
1. Lavar bem os morangos, reservando os cinco maiores e dividindo os restantes em duas partes;

2. Juntar uma das porções dos morangos com o leite condensado, o leite e a farinha Maizena e triturar tudo na liquidificadora;

3. Colocar este preparado numa panela e levar ao lume até engrossar;

4. Picar a outra metade de morangos e adicionar ao creme, assim que este estiver frio.


Cobertura:

Ingredientes:
300 ml de natas
100 g de açúcar

Preparação:
1. Bater as natas juntamente com o açucar até ficarem em chantilly.


Montagem do bolo:
1. Cortar o bolo na horizontal, em duas partes iguais;

2. Colocar uma das partes do bolo num prato decorativo e regá-lo com leite e açucar;

3. Espalhar o recheio e cubrir com a outra metade do bolo;

4. Espalhar a cobertura com o auxílio de uma espátula;

5. Decorar o bolo a gosto com o sortido de morangos, cerejas e frutos silvestres;

6. Levar ao frigorífico pelo menos durante duas horas antes de servir.


Receita cedida pelo Restaurante Pátio da Pi
Rua António dos Reis, 145, 2710-302 Linhó, Sintra, Tel.: 21 924 2357
Publicada no jornal Dica da Semana distribuído pelo Lidl.

segunda-feira, 28 de Junho de 2010

Paprica da Hungria

Os pais da minha amiga Sandra Palma fizeram, há pouco tempo, uma viagem pela Europa e trouxeram, da Hungria, um colar de paprica seca.

A Hungria é o maior produtor do mundo de paprica.

Como a Sandra não aprecia picante, eu fui a feliz contemplada. Muito obrigada.

sexta-feira, 25 de Junho de 2010

Macarrão com courgette, cenoura e bacon

Um destes dias, para dar uso às courgettes que ainda tenho, resolvi fazer um prato de macarrão, usando o que havia no frigorífico.


Ingredientes:
azeite
1 cebola picada
100 g de bacon
1 cenoura
3 courgettes
1 ramo de salsa
macarrão cozido

1. Numa frigideira colocar um pouco de azeite e levar ao lume. Adicionar o bacon cortado em tirinhas e deixar frigir um pouco.

2. De seguida adicionar a cebola picada. Deixar cozinhar um pouco até a cebola ficar transparente.

3. Por fim, adicionar as courgettes cortadas e a cenoura cortada em pequenos palitos. Temperar com sal e pimenta a gosto. Quando os legumes estiveram tenros retirar do lume.

4. Adicionar um ramo de salsa picada e misturar com o macarrão riscado cozido em água temperada com sal.

Simples, mas muito saboroso.

quinta-feira, 24 de Junho de 2010

Tarte tatin de alperce

A minha amiga e colega Ana Assis presenteou-me com um grande saco de alperces da sua quinta. Para além de satisfazer a minha gulodice por esta fruta, ainda me permitiu fazer uma tarte tatin e partilhar com a família num dos tradicionais almoços de peixe grelhado, no passado fim-de-semana, no quintal. Obrigada, amiga!


Ingredientes:
1 embalagem de massa folhada fresca
150 g de açúcar amarelo
80 g de manteiga sem sal
15 alperces
canela em pó
1 mão cheia de nozes
raspa de 1/2 limão

1. Levar o açúcar e a manteiga num recipiente redondo que possa ir ao forno, ao lume.

2. Lavar, cortar ao meio os alperces e retirar os caroços.

3. Dispor a metade de alperces na forma com a parte cortada para cima. Polvilhar com canela a gosto, as nozes picadas e raspa de limão. Deixar cozinhar um pouco até os alperces estarem macios.

4. Tapar os alperces com a massa folhada. Picar a massa com um garfo e levar ao forno. Assim que a massa folhada estiver dourada retirar do forno e desenformar de modo a que a massa folhada fique na base da tarte.

A tarte ficou bastante agradável, mas notava-se um ligeiro ácido característico dos alperces. Da próxima vez experimento aumentar a quantidade de açúcar, dado que a tarte foi feita sem receita, um risco que corri. Mas como podem imaginar, não sobrou migalha para contar a história!


quarta-feira, 23 de Junho de 2010

Salada de batata com feijão verde, queijo feta e camarão

Agora que o Verão chegou sabe muito bem uma salada, especialmente se for feita com produtos da época, que são sempre muito mais saborosos.

À minha cozinha chegaram batatas novas, que tive o prazer de ir apanhar da terra (uma aventura!) e feijão verde.


Ingredientes:
350 g batatas novas
200 g de feijão verde
200 g de camarão (usei uma embalagem de miolo de camarão congelado já cozido e descascado)
50 g de queijo feta
4 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto
sal e pimenta preta de moinho

1. Cozer as batatas com a pele. Depois de cozidas escorrer e deixar arrefecer um pouco
2. Cozer o feijão verde cortado em pedaços. Depois de cozido, escorrer.

3. Grelhar o camarão na chapa.

4. Numa taça colocar as batatas cozidas cortadas em quatro, o feijão verde e o miolo de camarão. Polvilhar com queijo feta e temperar com o vinagrete (numa taça colocar o azeite, o vinagre, uma pitada de sal, pimenta a gosto e mexer muito bem).

A salada resultou muito bem. As batatas novas são sempre muito saborosas e fazem a diferença.


terça-feira, 22 de Junho de 2010

Costeletas de borrego grelhadas com tomilho-limão

Quando me convidam para uma festa, costumo presentear os anfitriões, normalmente, com um bolo ou um outro tipo de sobremesa. Mas como já me apercebi que os outros convidados presentearam as anfitriãs com alguns docinhos, resolvi oferecer para o terceiro aniversário do blogue Three Fat Ladies um prato aromático e suculento, costeletas de borrego grelhadas com tomilho-limão das Ervas da Zoé, alho e limão. Delicioso. Provem, tenho a certeza que irão gostar. Feliz aniversário!


Ingredientes:
6 costeletas de borrego
2 dentes de alho picados
sal
sumo de 1 limão pequeno
tomilho-limão das Ervas-da-Zoé

1. Temperar as costeletas com sal, o alho, sumo de limão e o tomilho-limão seco. Deixar a marinar durante uma hora.

2. Grelhar as costeletas no carvão durante, sensivelmente 3 a 5 minutos de cada lado, consoante a sua dimensão.

O sabor do tomilho, com o alho e o limão deixam as costeletas muito saborosas. Foram servidas com legumes cozidos (batata, feijão verde e cenoura) e uma salada mista (alface, tomate e pepino) num dia de sol, muito agradável, no meu quintal.


segunda-feira, 21 de Junho de 2010

Bacalhau cozido com chícharos

Em casa dos meus pais já ouvi imensas vezes falar de chícharos, especialmente nos almoços com o meu avô Júlio, que ao contar algumas das suas histórias acrescenta, muitas das vezes, aspectos gastronómicos. Apesar de já ter ouvido falar e de saber que Alvaiázere organiza o festival gastronómico do chícharo, nunca me lembro de ter comido ou até mesmo de ter visto. Por certo, quando era miúda devo ter comido, pois os meus pais dizem que em Santarém, antigamente, eram muito comuns, mas que agora raramente se encontram, pois caíram em desuso.

Depois do fim-de-semana por terras do sotavento algarvio, pedi aos meus pais para me arranjarem os famosos chícharos e estes, simpaticamente, assim fizeram. Contentíssima trouxe um saco de chícharos comigo. Passado algum tempo, ainda o saco de chícharos descansava na minha despensa, a minha mãe perguntou-me como é que tinha cozinhado os chícharos, ao que eu respondi que ainda não os tinha feito. Esta sua questão deixou-me cheia de dúvidas: - eu, que queria tanto os chícharos agora não sei como é que os irei cozinhar. Chícharos comem-se como? Há alguma receita tradicional de chícharos? Mas de que forma é que eu irei cozinhar os chícharos?

Num dos almoços de fim-de-semana perguntei como é que antigamente se comiam os chícharos. O meu pai respondeu-me que os chícharos se cozinham tal e qual como o grão-de-bico. Que devem ser demolhados e depois cozidos. E falou-me de forma elogiosa de bacalhau cozido com chícharos e de arroz de chícharos. A minha primeira receita de chícharos recai então numa das sugestões do meu pai.


Ingredientes:
2 postas de bacalhau
2 ovos
250 g de chícharos
1 cebola
um raminho de salsa
sal
azeite & vinagre
pimenta de moinho

1. De véspera demolhar os chícharos. No dia seguinte colocar os chícharos numa panela, adicionar água e um pouco de sal. Levar ao lume até estarem cozidos. Depois de cozidos, escorrer a água.

2. Cozer as postas de bacalhau e os ovos.

3. Picar a cebola e a salsa para uma taça.

4. Servir os chícharos com os ovos e o bacalhau. Servir polvilhado com a mistura de cebola e salsa e, temperado com pimenta, azeite e vinagre a gosto.

Os chícharos convenceram-me. Em termos de sabor sinto algumas dificuldades em descrevê-lo, no aspecto e na textura apresenta semelhanças com o tremoço, mas ao mesmo tempo não está muito distante do grão-de-bico.


sexta-feira, 18 de Junho de 2010

4 por 6: Pataniscas de atum com arroz de tomate e bolinhos de coco e ovos


O 4 por 6 está de volta aos Cinco Quartos de Laranja depois de algumas semanas largas de interregno. Para esta participação apresento para prato principal Pataniscas de atum e arroz de tomate e pimento, para sobremesa uma deliciosa e doce combinação de coco, açúcar e ovos do Chef José Avillez, publicada na colecção Boa Cama Boa Mesa do Expresso no livro Sobremesas. Desejo-vos então: - Bom Apetite!

Pataniscas de atum


Ingredientes:
200 g de farinha de trigo
2 ovos
1,5 dl de água
sal
pimenta
1 cebola
1 cenoura
2 latas de atum
salsa picada
óleo para fritar

1. Deitar a farinha numa taça, abrir uma cavidade ao centro e deitar aí os ovos e a água. Mexer muito bem com uma vara de arames até obter um polme liso.

2. Temperar com sal e pimenta.

3. Descascar e picar a cebola.

4. Descascar e ralar a cenoura.

5. Escorrer o atum e desfazê-lo com a ajuda e um garfo.

6. Adicionar a cebola, a cenoura, a salsa e o atum ao polme. Misturar muito bem com uma colher de pau.

7. Colocar óleo numa frigideira.

8. Quando o óleo estiver quente deita colheradas da massa na frigideira. Espalmar a massa com as costas da colher e deixar alourar de ambos os lados. Depois das pataniscas fritas retirar e deixar a escorrer em papel absorvente.

Foi a primeira vez que fiz pataniscas e não achei nada complicado. Ficaram muito boas.
Para acompanhar as pataniscas proponho um arroz de tomate e pimento.

Arroz de tomate com pimento


Ingredientes:
250 g de arroz carolino
1 tira de pimento vermelho
2 tomates grandes e bem maduros
1 cebola
alho em pó
0,5 dl de azeite
sal

1. Colocar a cebola picado num tacho juntamente com um pouco de alho em pó e o azeite. Levar ao lume e deixar refogar até a cebola ficar transparente. De seguida adicionar os tomates picados, limpos de peles e sementes e, o pimento cortado em pedacinhos.

2. Adicionar o arroz, um pouco de sal e mexer. Ir acrescentando água pouco a pouco até o arroz estar cozido.

Eu gosto do arroz cremoso, portanto este é daqueles pratos ou melhor, acompanhamento que não pode esperar por ninguém, é fazer e servir logo.


Bolinhos de coco e ovos


Ingredientes:
3 ovos
125 de coco
250 g de açúcar
1 colher de sobremesa de farinha

1. Numa taça misturar todos os ingredientes muito bem.

2. Distribuir o preparado por formas, previamente untadas com margarina.

3. Levar ao forno, em banho-maria, a 150ºC durante aproximadamente 15 minutos.

No meu forno tenho sempre o problema de controlar a temperatura, por isso as indicações de cozedura são as indicadas na receita do Chef José Avillez.

Estes bolinhos ficaram bem doces num contraste seco/molhado. Por cima uma camada mais dura, seca, e por baixo ficam húmidos. Uma maravilha.

Os meus, ao contrário da imagem que documenta a receita original, não davam para desenformar, dada a base ter ficado muito agradável, mas húmida, ainda tentei mas não resultou. Fiquei na dúvida se controlei bem o tempo ou não.


Vamos então às contas:


Dicas de poupança: Aproveitar as promoções, mas ter sempre em atenção as datas de validade e o preço por quilo.

quinta-feira, 17 de Junho de 2010

Sopa de courgette com alho-francês e amêndoa

As aventuras à volta das courgettes continuam. Como sabem a planta da courgette dá imensas aboborinhas. Apanham-se hoje e passados um a dois dias já podemos voltar a apanhar.

Hoje apresento mais uma sopa com courgettes que ficou muito agradável.

Ingredientes:
1 kg de courgettes
2 alhos-franceses
1 cebola grande
pimenta
sal
noz moscada
azeite
amêndoa laminada torrada

1. Colocar as courgettes, os alhos-franceses com rama e a cebola cortados em pedaços dentro de uma panela. Tapar com água. Adicionar sal e levar ao lume para cozer.

2. Depois de os legumes cozidos, triturar com a varinha mágica. Adicionar um fiozinho de azeite, pimenta e um pouco de noz moscada. Deixar levantar fervura e retirar do lume.

3. Servir a sopa com amêndoa laminada torrada e um fio de azeite.


A amêndoa torrada ajuda a fazer a diferença nesta sopa.

quarta-feira, 16 de Junho de 2010

Salada de massa pevide

Há umas semanas atrás fui ver o filme Estômago, realizado pelo brasileiro Marcos Jorge. O filme conta a história de Raimundo Nonato que chega a São Paulo vindo do Nordeste. Sem dinheiro, fica alojado e a trabalhar num pequeno café. Aí começa a demonstrar a sua arte para a cozinha. Faz umas "cochinhas" maravilhosas. Apaixona-se por Irina, uma prostituta que é louca por comida.


Do pequeno café, passa a trabalhar num prestigiado restaurante de comida italiana, onde tem a possibilidade de melhorar os seus conhecimentos. Paralelamente a esta ascensão, vamos conhecendo o dia-a-dia do protagonista numa prisão e o modo como os seus dotes para a cozinha o ajudam a ter prestígio junto dos seus colegas de cela. Apenas no final, sabemos que crime Nonato cometeu para ir parar à prisão.

Gostei bastante do filme, apesar de algumas vezes não perceber o que era dito, devido ao sotaque bem fechado dos personagens. Apesar de ser em português, houve alturas em que achei que deveria ter legendas. :)

Gostei de ver a paixão pela comida de Irina, a visita ao mercado e algumas explicações do dono do restaurante italiano e claro, o modo como Nonato melhora a comida da prisão.

Esta receita é muito simples e rápida de se executar, excelente para quem tem pouco tempo para jantar antes de ir ao cinema. ;)

Ingredientes:
1 embalagem de massa pevide
2 tomates cortados em cubos
1/2 pepino cortado em cubos
100 g de queijo feta cortado em cubos
1 cebola roxa picada
azeitonas
sal
azeite
vinagre balsâmico
um raminho de coentros

1. Cozer a massa pevide em água temperada com sal. Depois de cozida, escorrer, passar por água fria e deixar arrefecer.

2. Numa saladeira juntar o tomate, o pepino, o queijo, a cebola e as azeitonas. Por fim adicionar a massa pevide.

3. Adicionar um raminho de coentros picados, temperar com sal, azeite e vinagre balsâmico. Mexer muito bem.

Apesar de sugerir o uso de sal, cá em casa neste tipo de saladas já o deixei de colocar. Como faço umas boas saladas e muitas das vezes sobra, comecei a optar por temperar a salada no prato.


A receita original no seriouseats.com.