10h30 - 13h00      Conservas Portuguesas na Ementa
 
15h00 - 17h30      Doçaria Tradicional Portuguesa
Inscrições limitadas   work@sott.pt   91 700 1802 espaço WORK IT

terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

Cheiros, temperos, adubos e uma receita de carne de vaca guisada


Quem por aqui passa, facilmente se apercebe que gosto de cozinhar. Mas associado a este gosto está também a curiosidade de saber aspectos da história da alimentação, saber pormenores e curiosidades de alguns dos produtos que usamos hoje em dia. Foi esta vontade de querer saber um pouco mais sobre a história e os alimentos que me levou a ler um artigo de Isabel Maria Fernandes intitulado Alimentos e Alimentação no Portugal Quinhentista, que já aqui tinha referido.

Uma das coisas que achei curiosa foi a distinção entre cheiros, adubos e temperos. "Cheiros são as ervas aromáticas usadas frescas nos cozinhados - coentro, funcho, hortelã, poejo e salsa. Adubos são as especiarias que se usam para condimentar a comida - açafrão, açúcar, canela, cominho, cravo, gengibre, louro, malagueta, mostarda, noz-moscada, pimenta, pimenta longa. E temperos são os produtos que ajudam a dar paladar à comida - sal, azeite e vinagre." Os adubos usados eram diferentes consoante a época do ano.

Não sei como cozinhavam a carne de vaca no século XV, mas sei que esta receita está bem condimentada de cheiros, adubos e temperos.


Ingredientes
1,1Kg de carne de vaca do chambão cortada em cubos
1 colher de chá de pimenta da jamaica
pimenta de moinho
2 dentes de alho picados
1 cebola picada
3 cravinhos
1 pau de canela
1 piripiri
1 raminho de orégãos frescos
1 raminho de salsa picada
1 folha de louro
4 tomates maduros limpos de peles e sementes
sal
1dl de azeite
2dl de vinho tinto
0,5L de caldo de carne ou água
4 cenouras cortadas
150g de cogumelos portobello cortados em quatro
2 batatas cortadas em cubos
250g de cogumelos Paris fatiados
2 talos de aipo cortados


1.
Num tacho colocar a carne, as pimentas, sal, o alho picado, a cebola, o cravinho, a canela, o piripiri, os orégãos frescos e a salsa, a folha de louro e o tomate picado. Regar com o azeite e com o vinho. Levar ao lume brando, com o tacho tapado, durante aproximadamente 1 hora.

2. Juntar o caldo de carne, as cenouras, os cogumelos, o aipo e as batatas. Rectificar o sal se necessário. Tapar o tacho e deixar acabar de cozinhar.


Este guisado ficou muito saboroso. A carne de vaca do chambão tem uns veios gelatinosos, que bem cozinhados deixam a carne muito tenra. Maravilhosa. Como tinha molho, o Ricardo e eu, não resistimos a ensopar umas fatias de pão fresco.

A todos, votos de boa semana.

13 comentários:

  1. quew fotos lindas amiga. As cocottes tornam as fotos lindas. Tenho que usar as minhas que ainda estao mebaladas a espera de serem usadas :-D ADOREI A RECEITA. bjinhos

    ResponderEliminar
  2. Tem um aspecto suculento e os legumes trazem um belo colorido. Gosto dos pratos de carne bem condimentados, com sabores e perfumes quentes das especiarias. E porque no Portugal Quinhentista as especiarias estavam na moda, com os Descobrimentos, aposto que a cozinha era bem aromatizada, possivelmente até demais, pois os senhores ricos queriam mostrar aos convivas o seu poder durante as festividades. O artigo pareceu-me interessante (também sou uma curiosa e sempre sequiosa por informação no que diz respeito aos meus interesses, quer sejam culinária, decoração, fotografia, viagens, etc.) de modo que vou aproveitar a dica, e o fim de semana prolongado, para ler um artigo diferente dos que tenho lido ultimamente, para a minha interminável tese de mestrado!

    Nota pessoal (e mental): Quase que adivinho que este tacho foi comprado juntamente com o verde, já aqui apresentado noutras receitas :)

    ResponderEliminar
  3. A Ondina é muito observadora! Estão uma delicia, as fotos e a comidinha!
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Esse carne deve estar bem aromática!!Gostei muito!
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Talvez por isso aqui na minha terra alguns chamem salsa, coentro, hortelã de "cheiro verde".

    ResponderEliminar
  6. como sempre uma partilha deliciosa e fotos fantásticas que falam! Só de olhar sinto o cheiro o efeito dos adubos e o paladar dos temperos ...

    ResponderEliminar
  7. Que imagens deliciosas. Adorei a tua receita! parabéns!

    ResponderEliminar
  8. Maravilhoso, como sempre.


    http://asvezescozinheira.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Isabel, obrigada pela informação, achei muito interessante a distinção entre os cheiros, adubos e temperos. E gostei imenso desta carninha, deve ficar bem aromática
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  10. Olá Laranjinha, todas as vezes que cá venho saiu daqui mais rica. Umas vezes pela forma como misturas os ingredientes, outras pela forma como se cozinham os alimentos, outras pelas estórias que partilhas e muitas mais... Hoje fiquei a conhecer os designios dos alimentos, ervas e temperos... que fascinio! Adorei. Esse guizadinho ficou cá um pitéu e vejo que muito bem servido ;) Gostei da cor desse tachinho ;9

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Bimboca,
    muito obrigada. Eu fiquei "apaixonada" por estes tachinhos. Acho-os uma delícia.

    Ondina Maria
    este prato de carne fica intenso, bem aromático. O artigo lê-se num instante e acho que vais gostar. Sim, este tachinho veio com o verde. Não resisti! :)

    Dora,
    muito obrigada.

    Sandra G.,
    a carne fica muito aromática. A canela marca presença de forma muito agradável.

    Ana Paula Motta,
    é provável. Ainda hoje é comum ouvir "um raminho de cheiros".

    Sabor a Casa,
    muito obrigada.

    Marmita,
    muito obrigada. A carne fica mesmo tenra e deliciosa.

    A autora do blog,
    muito obrigada.

    Gisela,
    a carne ficou tão tenrinha e saborosa. Os temperos, adubos e cheiros ajudam a fazer a diferença.

    Susana,
    as tuas palavras deixaram-me orgulhosa e feliz. Muito obrigada. O tachinho é uma ternura, não é? Achei a cor linda, também. Este guisado para mim, tem um pouco dos Açores.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Mais uma receita, mais um tachinho :)
    Eu com tanto medo que estas cores novas esgotem antes de eu chegar para as férias do Natal, já pedi à minha tia para mos ir comprar.

    Não conhecia este artigo, mas é um tema que me interessa muito, e tenho vários livros sobre a história da alimentação, nada infelizmente sobre Portugal, vou investigar.

    bjs

    ResponderEliminar
  13. Olá Ana,
    és capaz de gostar do artigo. Dá-nos uma ideia do alguns dos produtos utilizados, do tipo de pão e da comida dos menos abastados no Portugal de quinhentos.
    Os tachinhos - eu fiquei encantada com eles. Se a tua tia não os encontrar, avisa-me!

    Um beijinho.

    ResponderEliminar