10h30 - 13h00      Conservas Portuguesas na Ementa
 
15h00 - 17h30      Doçaria Tradicional Portuguesa
Inscrições limitadas   work@sott.pt   91 700 1802 espaço WORK IT

segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011

A história de um Tiramisù


A história deste Tiramisù começou com uma lista de desejos para 2011. No início do ano, achei que deveria experimentar fazer esta sobremesa. Tiramisù, que significa "que te faz levantar", é uma sobremesa que adoro e houve alturas em que nos restaurantes italianos era a minha preferida.

No dia em que publiquei a minha lista recebi por eMail uma oferta generosa e que me deixou encantada. Uma leitora, Ana Maciel, decidiu ajudar-me a concretizar o meu desejo, para isso, oferecia-me uma das bolachas com que é feito o Tiramisù, as pavesini, e uma receita da sua cunhada que vive em Itália para eu experimentar. Que mais poderia eu desejar?!

Ingredientes:
3 ovos
4 colheres de sopa de açúcar
250 g de mascarpone
2,5 dl de café frio
1/2 cálice de rum
200 g de pavesini ou savoiardi
Cacau em pó q.b.


1. Separar as gemas das claras.

2. Bater as gemas com o açúcar até ficar uma mistura amarela clara e bastante espessa.

3. Adicionar o mascarpone ao preparado anterior e mexer bem até o creme ficar homogéneo. Juntar as claras batidas em castelo.

4. Misturar o rum com o café num prato fundo. Embeber os pavesini com cuidado para não se partirem. Forrar com eles o fundo de um pyrex baixo. Por cima da primeira camada de pavesini colocar metade do preparado de mascarpone.

5. Embeber o resto dos pavesini e colocá-los por cima do creme. Deitar o resto do creme por cima desta nova camada de pavesini. Alisar a superfície.

6. Tapar o pyrex e levar ao frigorífico durantes umas horas ou de um dia para o outro.

7. Antes de servir, polvilhar a superfície com cacau em pó.


A história deste Tiramisù levou-me a um encontro com a Ana, que passou por um almoço e muita conversa. Tanta foi a nossa empatia, que estivemos quase duas horas a falar sobre comida, blogues, restaurantes e sem dar pelo tempo passar.

Ana, obrigada por esta história de Tiramisù!

sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2011

20 receitas com laranja


Pelo que sei, através de uma grande referência da cozinha portuguesa, Maria de Lourdes Modesto, na sua obra Palavra Puxa Receita, a laranja doce nasceu na China. Foi Vasco da Gama que a trouxe para a Europa. «Será deste pé de laranjeira que descendem as que ainda hoje são uma das atracções do Parque de Versalhes e que deslumbraram Luís XIV. Pelo efeito e perfume que exalavam, porque para a sua mesa o Rei-Sol importava-as de Portugal

Foram os portugueses que espalharam a laranja pelo mundo e é por isso que em alguns países as laranjas doces são denominadas "portuguesas". Em Itália, encontramos a portogallo, nos países árabes são conhecidas por bortugal. Laranja em grego é portokail, em turco é portakal e em romeno, portocala. Os portugueses também estão na origem de umas das melhores variedades de laranja, a laranja da Baía, também conhecida como laranja do umbigo. Uma laranja sem sementes. Doce. Suculenta.

Fevereiro é o mês em que este blogue festeja o seu aniversário. A laranja está presente, desde o nome do blogue ao nome com que assino, como tal não poderia deixar de destacar este fruto a que a nossa história nos ligou e a que este blogue faz referência desde o seu início:

- Laranja com azeite e alho;
- Laranja com cebola, azeite e presunto;

- Salada com queijinhos frescos Saloio;
- Salada de frango com agriões, amêndoas e laranja;
- Salada de beterraba com laranja;
- Salada de laranja, couve e pêra;
- Salada de laranja sanguínea com camarões grelhados e queijo Piacentinu Ennese;
- Salada de laranja sanguínea com rúcula, beterraba e queijo feta;

- Medalhões de pescada com manga e laranja;
- Salmão com molho de laranja;
- Salmão com molho de laranja e pimento vermelho;

- Bifes com molho de laranja;
- Entrecosto assado no forno com tomilho fresco e laranja;
- Frango assado no forno com laranja e tomilho;

- Banana frita com laranja;
- Bolo de laranja;
- Bolo de natas e laranja;
- Carpaccio de laranja com calda de anis;
- Laranja com canela;

- Sumo de toranja e laranja.

quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

Creme de agrião com queijo fresco


Voltei há poucos dias ao livro de Julia Child, My Life in France. Comecei-o a ler numas férias em Londres e depois parei. Nem sei bem qual o motivo pelo qual parei. Deve ter sido o regresso ao trabalho, a rotina, o stress e depois foi ficando de parte. Este ano coloquei-o na minha lista de livros que gostaria de ler. E agora voltei. Voltei e apesar de o livro não ter receitas, fiquei logo com vontade de fazer uma sopa que a Julia fez na sua École de Gourmets, em 1952, em Paris.

Na sopa Julia colocou alho-francês, batata, agriões e natas ou leite. Foi o que me bastou. Pela descrição pareceu-me que seria um creme, para usar natas, deveria ser! Este foi o ponto de partida para a minha imaginação levantar voo, reunir na cozinha alguns ingredientes e transformá-los num creme apetitoso.


Ingredientes:
2 batatas
2 chuchus
1 alho-francês (apenas a parte branca)
1 ramo de agriões
1 cebola
1,6L de água quente
sal
170g de queijo fresco
azeite
pimenta preta de moinho
croutons para servir (facultativo)

1. Colocar numa panela a cebola, as batatas e os chuchus descascados e cortados em pedaços. Adicionar o alho-francês cortado às rodelas e os agriões, limpos apenas dos talos mais grossos.

2. Temperar com sal. Adicionar a água e levar ao lume até os legumes estarem cozidos.

3. Depois dos legumes cozidos, adicionar o queijo fresco e triturar. Levar ao lume apenas até levantar fervura.

4. Servir o creme com um fio de azeite, um pouco de pimenta acaba de moer e croutons.


Quem preferir pode substituir o queijo por natas ou leite.

Este creme ficou muito agradável. A surpresa para mim foi o uso dos agriões na base da sopa. Fica muito agradável.

quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

A tentação em forma de bolo de chocolate


Eu sou fã de chocolate. Cá por casa nunca nenhum chocolate chega ao fim de validade. Já aconteceu lembrar-me que tinha chocolate, ir à procura e perceber que já tinha desaparecido. Alguém se tinha lembrado antes de mim! ;) Em relação ao chocolate, somos incorrigíveis, mas sabe tão bem! É um excelente prazer.

Movida por este gosto pelo chocolate, para um jantar animado de pizas numa destas sextas-feiras resolvi fazer um bolo de chocolate. A receita foi-me passada pela minha amiga Paula Borralho há uns bons anos atrás.


Ingredientes:
300 g de chocolate para culinária 70% de cacau
250 g de manteiga sem sal
8 ovos
200 g de açúcar
30 g de farinha
Uma pitada de sal
Um pouco de óleo


1. Derreter a manteiga e o chocolate partido em pedaços numa caçarola grande, em banho-maria. Assim que o chocolate estiver derretido, retirar e deixar arrefecer.

2. Separar as gemas das claras. Misturar bem as gemas de ovo com 100g de açúcar e 30g de farinha.

3. Começar a bater as claras em castelo com uma pitada de sal. A meio adicionar o açúcar e acabar de bater.

4. Misturar o chocolate derretido, já fora do lume, com a mistura de gemas. Por fim, juntar, envolvendo com cuidado, as claras batidas em castelo.

5. Untar uma forma com o óleo, deitar a massa na forma.

6. Levar ao forno pré-aquecido a 150º C durante 25 a 30 minutos.


O bolo fica húmido, intenso, mesmo a saber a chocolate. Cuidado ao desenformar, porque o bolo no meio fica tipo mousse de chocolate. Este bolo é uma verdadeira tentação! Impossível resistir!

terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011

Pão com requeijão, legumes e ovo


Um destes dias vi um programa do Masterchef US em que os participantes tinham que fazer um prato em que o protagonista era um ovo. Eu tenho um fraquinho por ovos, sejam eles mexidos, cozidos ou estrelados. Depois de ver esse programa a minha cabeça nunca mais parou e dizia-me que eu deveria fazer um prato com ovo. Para variar um pouco dos ovos mexidos porque, cá em casa existe alguém que só de ouvir falar em ovos mexidos torce o nariz! E às vezes até diz: "Outra vez!?". Bem, para tentar agradar a gregos e a troianos, fiz uma receita com ovo, mas com a gema líquida, porque assim, sei que é sucesso garantido ao palato cá de casa. ;)


Ingredientes:
2 fatias de pão fresco grossas
Requeijão para barrar com alho e ervas
2 cenouras médias
1 courgette
1/2 cebola roxa
8 tomates cereja
azeite
sal e pimenta
cebolinho

1. Numa frigideira colocar um pouco de azeite até tapar o fundo. Levar ao lume. Quando estiver quente adicionar a cebola picada, as cenouras e a courgette cortadas em pequenos cubos. Deixar saltear.

2. Quando os legumes estivam tenros, adicionar os tomates cereja cortados ao meio. Temperar com sal e pimenta a gosto. Deixar cozinhar mais um pouco.

3. Antes de retirar do lume, polvilhar com cebolinho picado e mexer.

4. Barrar o pão com o requeijão com alho e ervas. Colocar a mistura de legumes salteados por cima. Finalizar com um ovo estrelado.


Esta é uma receita muito simples, mas que ficou muito agradável. Os legumes ficam crocantes e o requeijão combina bem com o pão e com o ovo. É excelente para quando se quer fazer uma refeição rápida.

Cá em casa houve quem repetisse ... até com o ovo! ;)

segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2011

Pão de azeitonas


Um dos meus desejos para 2011 é fazer pão sem recorrer à máquina do pão. Mas enquanto não me decido, vou pedindo ao Ricardo para fazer um ou outro pãozinho. Como o pão que ele faz sai tão bem, eu nem sequer me tenho atrevido a interferir. Como se costuma dizer, em equipa vencedora não se mexe! ;)


Ingredientes:
2,5dl de água morna
2 colheres de sopa de azeite
1/2 colher de chá de sal
300g de farinha de trigo T65
130g de farinha integral
18g levedura em pó
1 chávena de azeitonas verdes e pretas sem caroço cortadas aos pedaços

1. Colocar todos os ingredientes, excepto as azeitonas, na forma da máquina do pão, tendo o cuidado de não colocar o sal em contacto com a levedura.

2. Seleccionar o programa pão médio e iniciar o programa. Acrescentar as azeitonas na segunda amassadura.

3. Depois de terminado o programa, retirar o pão da cuba e deixar arrefecer.


Quando escolhi esta receita da revista Lusitana nº 23, fiquei com algum receio que o pão ficasse a saber muito a azeitonas, mas o resultado final contrariou a minha ideia inicial. O pão fica muito agradável, as azeitonas dão-lhe personalidade. Este pão é excelente para acompanhar queijo ou para molhar em azeite.

sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2011

Um animado jantar de pizas


Na passada sexta-feira voltei a combinar um jantar de pizas cá em casa. Os convidados, a querida Pipoka, amiga que ganhei com este blogue, e o Luís.

Antes de irmos para a cozinha fazer as pizas, sentámo-nos à mesa e entretemo-nos com umas entradas. Pasta de azeitona com queijo parmesão, que a Pipoka trouxe, muito agradável. Depois de ver a receita publicada no Three Fat Ladies fiquei com curiosidade em experimentar e eis que surge a oportunidade. ;)


Eu preparei uma taça com azeite e vinagre balsâmico cremoso, azeitonas verdes com alho e malagueta, anchovas com azeitonas e pimento, que comprei já prontas a servir e um queijo ricotta com mel e canela.


O queijo ricotta com mel e canela foi uma verdadeira surpresa. Para além de ser uma entrada que não dá trabalho nenhum a fazer, muito prática, fica muito bom. Recomendo.


Ingredientes:
1 queijo ricotta
2 colheres de sopa de mel
1 colher de chá de canela

1. Misturar o mel com a canela e levar ao microondas durante 20 segundos ou aquecer num recipiente no fogão. Não aquecer demasiado, apenas o suficiente para que o mel fique líquido.

2. Colocar o queijo num prato de servir e regar com a mistura de mel e canela. Servir.

Esta sugestão é do blogue Souvlaki for the Soul, que muito aprecio. O autor sugere que seja servido depois da refeição, a acompanhar o café. Mas como entrada também resulta muito bem.

Para acompanhar as entradas, resolvi pedir ao Ricardo para fazer um pão de azeitonas, verdes e pretas, na máquina do pão. Para além do pão de azeitonas servi também gressinos com sésamo. Quando estive em Itália, em quase todos os restaurantes uma das primeiras coisas a chegar à mesa assim que nos sentávamos era um pacotinho de gressinos, finos, que desapareciam rapidamente. Bons tempos! :)


A acompanhar as entradas servimos um vinho branco Duas Castas 2010 da Herdade do Esporão.


Na hora de fazer a piza descobri que a Pipoka tinha como ingredientes peras rocha, queijo roquefort e nozes. Uma excelente combinação, em memória de um fantástico jantar no restaurante Café Buenos Aires onde em tempos comemos uma salada de roquefort, pêra, nozes e endívias. A piza Café Buenos Aires depois de sair do forno confirmou a boa conjugação dos ingredientes!


Eu e o Ricardo optámos por fazer a uma piza com alcaparras, alcachofras e anchovas. Há uns anos vimos um filme português - Contrato - em que o protagonista fazia uma piza com estes ingredientes. Na altura achámos uma combinação pouco usual e ficámos de experimentar. Com o passar do tempo, esquecemo-nos dos ingredientes. Sabíamos que começavam por A, até que recentemente nos voltámos a lembrar.


Às alcaparras, alcachofras e anchovas resolvemos acrescentar azeitonas. Para esta piza dos Quatro A, colocámos uma base de queijo mozzarella ralado, corações de alcachofra cortados, anchovas em azeite, alcaparras. Finalizámos com mais queijo mozzarella e parmesão ralados. Ficou com um sabor bastante forte e as anchovas marcaram presença de forma excessiva, por causa do sal! Da próxima vez, talvez as coloque em água antes de as usar.


Acompanhámos as pizas com um tinto alentejano Terra Grande reserva 2008, escolha do Luís, e uma garrafa de tinto da zona do Douro, Casa Antiga reserva 2007.

Para sobremesa, a Pipoka trouxe uns deliciosos bombons de chocolate branco e limão. Eu servi um bolo de chocolate húmido, daqueles que é suposto ficarem quase mousse de chocolate.


As sobremesas foram acompanhadas com uma garrafa de ice wine que trouxe de Niagara-on-the-Lake, no Canadá. O ice wine servido foi um Cabernet Sauvignon 2006. Quando ouço falar em ice wine lembro-me logo de uma prova de vinhos que fiz na loja da Pillitteri Estates Winery.


Foi aqui que descobri este precioso néctar, meia hora antes de sobrevoar de helicóptero as Cataratas do Niágara, num dia de céu azul. Uma experiência inesquecível!


Como não poderia deixar de ser, quando pessoas com os mesmos interesses se juntam, parece que os temas de conversa nunca se esgotam. A noite deu para que falássemos de comida, de viagens, dos Açores, de livros de gastronomia, de fotografia, de blogues, de desejos e de sonhos. Que venham muitos mais encontros!

quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Carré de borrego no forno com mistura de ervas


Alguns domingos de Inverno, para mim, são dias de preguiça. Gosto de ficar em casa. Sentir que tenho tempo. Nada de pressas. Preparar um almoço especial, diferente. E à tarde ficar no sofá. Ter tempo de abrir e folhear algumas revistas de culinária. Ler. Parar para ver a chuva a cair da janela da sala. Ligar a televisão. Assistir a alguma série de que gosto, Dexter, 30 Rock, The Big Bang Theory, Delicious Miss Dahl ou agora o MasterChef US. Na prática estes domingos são uma forma de quebrar com a minha rotina, são verdadeiros oásis em semanas intensas e sabem tão bem!

Neste domingo, para o almoço fiz carré de borrego assado no forno que adaptei do livro Olives & Oranges de Sara Jenkins e Mindy Fox.


Ingredientes:
1 carré de borrego
sal
1 colher de chá de alecrim seco
1 colher de chá de alho em pó
1 colher de chá de tomilho-limão
1 colher de sálvia em pó
2 colheres de sopa de azeite

1. Numa taça misturar o sal, o alecrim, tomilho, sálvia, alho e azeite. Misturar bem.

2. Barrar a carne com a mistura de ervas e azeite. Levar ao forno a assar.

3. Assar no forno a 175ºC durante 20 minutos.

Foi a primeira vez que fiz carré. Arranjei uma peça de costeletas de borrego inteira e cá em casa preparei-a. Tirar a carne junto das costelas ainda custa um bocadinho, mas lá consegui.


A carne ficou muito saborosa, suculenta. O alecrim combina muito bem com o borrego e da mistura de ervas, é o sabor que mais sobressai. Eu gosto da carne de borrego e de vaca assada mal passada. Para quem não aprecia deverá aumentar o tempo no forno em aproximadamente 10 minutos.

E soube tão bem!

quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011

Salmão com molho de laranja e pimento vermelho


Laranja e salmão não é uma combinação nova. No entanto, é uma junção que resulta e que eu aprecio. Como tal, de vez em quando procuro receitas com estes dois ingredientes, especialmente agora que encontramos óptimas laranjas.

A receita deste salmão foi encontrada no site da McCormick.


Ingredientes para o salmão:
4 postas de salmão
2 colheres de sopa de azeite
1 dl de sumo de laranja
1 + 1/2 colher de chá tomilho-limão
1 colher de sopa de açúcar amarelo
1 colher de chá de paprika
sal

Ingredientes para o molho de laranja e pimento:
1 colher de chá de raspa de laranja
1 laranja cortada aos pedaços sem as peles
1/2 pimento assado ou de conserva cortado aos pedaços
1 colher de sopa de mel
1/2 cebola roxa picada
1 colher de sopa de salsa picada ou cebolinho
1 colher de chá de gengibre em pó

1. Temperar o salmão com o sumo de laranja, o azeite e uma colher de chá de tomilho. Deixar a marinar durante 30 minutos.

2. Aquecer o forno a 200º C.

3. Misturar a paprika, o resto do tomilho, o açúcar e o sal. Retirar o salmão da marinada, passar pela mistura anterior e colocar num prato de forno.

4. Levar ao forno durante 10 a 15 minutos.

5. Numa taça colocar os gomos de laranja sem peles cortados aos pedaços pequenos, o pimento cortado, a cebola picada, o mel, o gengibre e a salsa ou outra erva aromática.

6. Servir o salmão com o molho de laranja.


O salmão fica muito agradável, mas a graça deste prato está no molho de laranja e pimento. Fica muito interessante, ligeiramente adocicado.

terça-feira, 15 de Fevereiro de 2011

Salada com queijinhos frescos Saloio


Desde que me lembro que gosto de queijo fresco. Recordo-me vagamente de a minha avó paterna fazer queijinhos em casa. Apesar de a recordação ser vaga, é boa. Sempre que me lembro, dou por mim com um sorriso nos lábios. Talvez por isso associe o queijo fresco sempre a bons momentos.

Em minha casa sempre me lembro de o meu pai comer o queijo fresco com pimenta. Hoje dou por mim e adoro queijo fresco polvilhado com um pouco de pimenta acabada de moer.


Quando recebi o desafio da Cabra Palhais em criar uma receita com um ou vários queijinhos da Saloio, a minha decisão recaiu sobre o queijo fresco. Adoro fazer saladas e o queijo fresco é um excelente ingrediente. É uma das coisas que tenho sempre no meu frigorífico. E claro, nesta salada não poderia faltar a pimenta!


Ingredientes para 2 pessoas:
salada mista de folhas (alface roxa e verde, folha de ervilha, canónigos e cebolinho)
gomos sem a pele de 1 laranja
100g de salmão fumado
2 queijinhos frescos Saloio cortados
5 rabanetes cortados às rodelas
1/2 cebola roxa cortada em rodelas
4 gressinos finos partidos
pimenta preta de moinho
azeite
sal fino (facultativo)

1. Por prato colocar salada mista, gomos de laranja, salmão fumado, queijo fresco, rabanetes, cebola roxa e gressinos.

2. Temperar com pimenta preta de moinho, um fio de azeite a gosto e uma pitadinha de sal fino.


A salada fica muito agradável. O salmão, a laranja e o queijo fresco são uma óptima combinação de sabores nesta salada. Os gressinos podem ser substituídos por croutons.

segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

Feliz dia dos namorados


No dia em que se comemora o amor, nada melhor que um pequeno pecado de boca! Doce ... Especial! Um pecado em forma de coração e com recheio de chocolate. ;)


Bolachinhas de manteiga com canela e limão, recheadas com pasta de chocolate e avelã. A pasta de chocolate foi uma simpática oferta da Helena, no dia em que fizemos o jantar de pizas.


Feliz dia dos Namorados! Com muitos pecados ... ;)

domingo, 13 de Fevereiro de 2011

Cinco anos, Cinco ingredientes


Faz hoje cinco anos que este blogue nasceu. É uma idade muito especial, por isso resolvi comemorar este aniversário de maneira diferente do que tenho feito nos outros anos. Assim, para o quinto aniversário do Cinco Quartos de Laranja, proponho um desafio a todos os entusiastas da boa comida. O desafio intitula-se Cinco anos, Cinco ingredientes:

A ideia é estimular a criatividade e pretende-se que os participantes no desafio criem ou recriem receitas com apenas cinco ingredientes. Sim, apenas cinco! :)

O desafio decorre até final do mês de Fevereiro, mais precisamente, até à meia-noite do dia 28 de Fevereiro! :) No dia 1 de Março publico aqui a lista de receitas ordenada pela ordem de chegada.

As receitas deverão ser publicadas nos respectivos blogues, com indicação do evento e deverão enviar um eMail com o assunto Cinco anos, Cinco ingredientes, mencionando o título da receita e o link de publicação. Deverão enviá-lo para:


Entre todas as participações será sorteado um exemplar do livro de Joanne Harris, Cinco Quartos de Laranja. Caso pretendam, poderão utilizar a imagem do selo associado a este desafio.

Para comemorar este evento, fiz umas bolachinhas com apenas 5 ingredientes. A receita é do Livro de Receitas de Pastelaria e Sobremesas da Vaqueiro.


Bolachinhas com canela

Cinco ingredientes:
175 g de margarina ou manteiga
75 g de açúcar
uma pitada de sal
uma colher de chá de canela
250 g de farinha


1. Trabalhar a manteiga com o açúcar e o sal.

2. Adicionar a canela e a farinha peneirada. Amassar até obter uma massa maleável.

3. Moldar uma bola, tapar com um pano húmido e enrolar em folha de alumínio. Deixar descansar no frigorífico durante 1 hora.

4. Dividir a massa em duas porções. Polvilhar uma superfície lisa com farinha e estenda a massa com a ajuda de um rolo numa placa de 4 mm.

5. Cortar a massa com o corta-bolachas. Levar as bolachas ao forno a 200º C, num tabuleiro ao forno forrado com papel vegetal, durante 10 a 13 minutos ou até alourarem.

As bolachinhas ficam muito agradáveis. São um óptimo acompanhamento para uma chávena de café.


Fazer receitas com cinco ingredientes é um verdadeiro desafio. Mas é possível, desde entradas, sopas, sumos, doces e até pratos de peixe e de carne! Para se inspirarem, deixo-vos aqui cinco sugestões com exactamente cinco ingredientes:

- Pão com pasta de azeitona, queijo e ovo a cavalo;

- Costeletas de borrego grelhadas com tomilho-limão;

- Bifes de atum grelhados;

- Bolo de Tangerina;

- Batido de figo com banana e iogurte.


Cozinhar com cinco ingredientes vai ser um exercício de criatividade. Espero que agarrem este desafio. Participem! ;)




O selo Cinco anos, Cinco ingredientes é da autoria da Caterina Florêncio.

sexta-feira, 11 de Fevereiro de 2011

Jantar em casa do casalinho maravilha ...


Um dos votos para 2011 foi promover mais encontros, mais almoços e/ou jantares, em suma muito mais convívio. E como para se cumprir é preciso marcar eu, desde Janeiro que tenho procurado preencher a minha agenda. O último em que participei foi no jantar que os meus cunhados Hugo e Cláudia, o casalinho maravilha como carinhosamente os chamamos, organizaram na sua nova casa. Os cunhados Cristina e Paulo juntamente com as minhas duas queridas sobrinhas também participaram neste evento.


Começámos o jantar com azeitonas e umas bruschettas. Depois o Hugo e a Cláudia, serviram uma sopa de legumes, que o Hugo fez na sua Bimby.


O prato principal foi filetes de peixe com mistura chinesa ao papelote. O peixe foi acompanhado com umas deliciosas batatinhas assadas no forno e salada. O vinho escolhido foi um tinto Casa Antiga reserva Douro 2007.


Para sobremesas a Cláudia fez uma mousse que intitulou Delícia do Bosque, que todos apreciaram.


Ingredientes
1 gelatina de morango
400 g de frutos silvestres
400 ml de natas
1 lata de leite condensado
2 folhas de gelatina

1. Fazer a gelatina seguindo as indicações da embalagem. Colocar a gelatina numa taça e deixar solidificar.

2. Bater as natas. Adicionar o leite condensado, os frutos silvestres triturados e as folhas de gelatina derretidas.

3. Misturar e colocar em cima da gelatina. Levar ao frigorífico antes de servir.

Depois da Delícia do Bosque, foi ainda servida uma mousse de chocolate com After Eight, feita pela Cristina. Ainda houve "tempo" para um Doce Lá de Casa, como lhe chamaram, e um bolo de ameixa com gelado de nata, que eu fiz.


A noite prolongou-se. Falámos de educação, do canal Food Network, do MasterChef in America que é apresentado pelo "terrível" chef escocês Gordon Ramsay e da apresentação dos Globos de Ouro 2011 por Ricky_Gervais. E por fim, no sofá a concorrer com especialistas no Buzz. Foi uma noite muito divertida e em excelente companhia. A repetir!