quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012

Filetes de peixe com arroz de abóbora assada


As pescarias do meu pai transformam-se em momentos de alegria para mim. Sabe-me tão bem quando recebo peixe apanhado por ele. Da última vez que fui para os lados de Santarém não resisti e trouxe mais uns peixinhos deliciosos. Este peixe cheira sempre a mar.

Quando o peixe é fresco e de boa qualidade, para mim, não há nada melhor do que o cozinhar sem grandes temperos. Procurar a simplicidade e retirar de um bom produto o seu sabor autêntico, é o meu lema. Foi o que fiz ao cozinhar estes filetes num caldo de legumes.


Arroz de abóbora assada

Ingredientes:
350g de arroz carolino
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1dl de azeite
9dl de água ou caldo de peixe
250g de abóbora assada com tomilho e azeite
sal


1. Num tacho refogar no azeite a cebola e o alho. Juntar o arroz, o sal e o caldo de peixe ou água. Deixar cozinhar com o tacho tapado em lume brando.

2. Passados 10 minutos do arroz estar a cozer, juntar a abóbora esmagada com um garfo. Ir mexendo de vez em quando até o arroz estar cozido.

3. Servir o arroz com os filetes de peixe cozidos num caldo de ervas.



Filetes de peixe cozidos em caldo de legumes

Ingredientes:
3 folhas verdes da rama de alho-francês
1 cenoura cortada em cubos
1 raminho de rama de funcho
3 grãos de pimenta-da-Jamaica
sal q.b.
2 filetes de besugo (ou outro peixe a gosto) por pessoa


1. Colocar os ingredientes num tacho com água. Levar ao lume e deixar ferver até a cenoura estar cozida.

2. Colocar os filetes no caldo com cuidado com a pele virada para baixo. Deixar cozer durante dois a três minutos, dependendo do tamanho dos filetes.

3. Servir os filetes com o arroz de abóbora.


Eu usei besugos pequenos a que retirei os filetes. A cabeça e a espinha do peixe podem servir para fazer um caldo para cozer o arroz.

terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012

Ginjinha e os sabores de Lisboa


A rotina dos seus dias pouco se tem alterado, no último ano. O Coronel, começa todas as manhãs, depois de tomar o pequeno-almoço, sob o olhar atento de Rosa, a ler o jornal sentado na cadeira de baloiço virado para o jardim. Nos últimos tempos, nunca consegue acabar as leituras. As memórias invadem-lhe o coração e começa inevitavelmente a pensar na vida. A olhar para trás. A recordar. Hoje, o estrondo forte feito por um carro na rua, sobressaltou-o e foi o pretexto para fechar o jornal e pensar em África, onde esteve na Guiné, durante a Guerra do Ultramar.

O barulho seco do carro fez-lhe lembrar uma emboscada que a sua companhia sofreu quando ia de Bissau para Cacheu. O ataque deu-se à entrada desta última localidade, numa estrada, esburacada, onde não circulavam carros há muitos anos. A viagem feita de luzes desligadas, muito lentamente, foi um teste de resistência aos nervos. A noite anterior ao ataque tinha sido passada em Teixeira Pinto e não foi das melhores. Não havia camas para todos os soldados e o Coronel não conseguiu pregar olho. Decidiu ficar no carro mas as melgas, o tempo quente e húmido que lhe deixavam a roupa encharcada de suor, não ajudaram. Na viagem, esteve vinte e quatro horas sem sair do carro até ao momento em que a coluna foi atacada com tiros vindos de todo o lado, que mais parecia uma chuva de granizo. Os seus homens responderam e conseguiram sair da emboscada com o apoio de dois bombardeiros no ar. Mas no meio do fogo, uma bala certeira apagou um dos seus grandes camaradas.

Na guerra vê-se a morte, mas pensa-se na vida. Ali tem-se a certeza que a morte inveja a vida. E no meio de todo o caos, questiona-se ainda mais o sentido da vida. Luta-se para conquistar algo que a certa altura se deixa de saber bem o que é. Perde-se a referência e são os outros que se transformam em apoio, que dão uma ajuda para se voltar a encontrar o norte. A vida é uma bênção. Aqueles que se vêem cair, ajudam a ser quem somos, são a moldura do puzzle que é a nossa vida. Desde a guerra que o Coronel acredita que só morremos quando morrer a última pessoa que se lembrar de nós. Por isso ele gosta de recordar. E se na guerra viveu muitos amargos de boca, foi também ali que encontrou amigos para a vida, com quem passou momentos que até hoje recorda de forma muito feliz. De sorriso aberto.

As idas à praia do Biombo, onde se enchiam de ostras frescas, camarão e cerveja Cuca, ficaram na memória do Coronel como momentos muitos especiais. Depois de comerem bem, rematavam o final das refeições com umas garrafas de ginjinha. A zona era segura e passavam lá horas e horas nos dias de folga. Eram momentos de pausa, de paragem e de silêncio no meio de toda a confusão que os rodeava. Iam para ali conversar, ouvir o mar, comer e beber ginjinha. O Eduardo Canelas era o responsável pelo fornecimento. O Coronel nunca conseguiu saber como é que ele arranjava a bebida. Pelos rótulos, a ginjinha vinha de umas tascas, perto do Rossio, onde costumavam passar, mas como chegava às mãos do Eduardo, foi sempre um segredo bem guardado.

Desde que voltou, em 1975, que faz questão de ter sempre uma garrafa de ginjinha em casa. Pois há dias, em que se lembra e gosta de brindar àqueles que nunca irá esquecer. Hoje, será um desses dias.


Ginjinha ou Licor de Ginja

Ingredientes:
1Kg de ginjas
1L de aguardente
1Kg de açúcar branco
1 pau de canela


1. Colocar todos os ingredientes num recipiente com tampa. Fechar.

2. Nos primeiros 3 ou 4 dias, agitar pelo menos uma vez por dia o recipiente até o açúcar estar dissolvido.

3. Guardar num local escuro durante seis meses.


Agradeço à minha colega Rosário Cruz, que num dia solarengo de Junho, me surpreendeu com um saco de ginjas na minha secretária. Obrigada! Foi com elas que fiz esta ginjinha.

Esta história faz parte de uma viagem gastronómica por Lisboa onde se inclui:
- Bacalhau à Brás e os sabores de Lisboa;
- Pastéis de nata e os sabores de Lisboa.

segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012

Tarteletes de abóbora com camarão e tomilho


Há alturas em que gosto de escrever sobre o que tenho feito ou sobre alguma coisa que me chamou a atenção. O texto de hoje enquadra-se nesse espírito.

Ontem, foi noite de Óscares e fiquei ainda com mais vontade de ver alguns filmes, como O Artista, Cavalo de Guerra, A Dama de Ferro e Albert Nobbs.

Acabei este fim-de-semana a leitura do livro O Grande Livro dos Chefs de Fátima Moura. E gostei bastante. Abre-nos a porta ao universo de alguns dos melhores chefs da nossa praça. Até já escolhi algumas receitas para colocar em prática.

Na edição do mês de Março de 2012 da revista Activa, saiu uma receita do Cinco Quartos de Laranja, o que me deixou muito feliz.

Até dia 29 de Fevereiro decorre a festa de aniversário do Cinco Quartos de Laranja. Quem quiser participar, ainda o pode fazer. Consultem as condições de participação.

Este fim-de-semana ainda houve tempo para ir ao mercado e comprar os frescos para a semana e cozinhar. A cozinha é mesmo o coração da casa. Uma das coisas que fiz foram estas tarteletes de abóbora com camarão e tomilho:


Massa

Ingredientes:
300g de farinha sem fermento
90g de manteiga
1 ovo
0,5dl de água


1. Trabalhar a farinha com a manteiga. Juntar o ovo batido e amassar.

2. Adicionar a água e envolver muito bem.

3. Estender a massa numa superfície polvilhada com farinha.

4. Forrar as tarteletes com a massa. Picar o fundo da massa com um garfo.


Recheio

Ingredientes:
300g de abóbora em puré
200g de miolo de camarão
2 dentes de alho picados
azeite q.b.
4 ou 5 hastes de tomilho fresco
2 ovos
100g de queijo creme
sal e pimenta preta de moinho
1 pitada de pimenta caiena


1. Cortar o camarão em pedaços.

2. Colocar um fio de azeite numa frigideira. Levar ao lume. Adicionar o alho picado e o camarão. Temperar com sal e pimenta preta de moinho. Por fim, juntar folhas de tomilho frescas de 3 a 4 hastes.

3. Numa taça juntar a abóbora, o queijo creme e os ovos. Mexer bem com uma vara de arames.

4. Adicionar o camarão salteado, se tiver largado muito água, escorrê-la previamente. Mexer bem.

5. Temperar com uma pitada de pimenta caiena, pimenta preta de moinho e sal.

6. Colocar este recheio nas tarteletes. Polvilhar as tarteletes com tomilho fresco.

7. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 40 minutos.



Para fazer o puré de abóbora. Cozi um pedaço de abóbora em água. De seguida escorri muito bem e triturei.

As tarteletes ficam deliciosas. O toque do tomilho é imprescindível. Experimentem e digam-me se gostaram!

Boa semana.

quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012

Bolo de chocolate e laranja


Passei a manhã de ontem numa visita à Quinta da Regaleira, em Sintra. O dia esteve bonito. Com sol e céu azul. É o que se poderia dizer um dia inspirador, convidativo a um passeio por uma quinta cheia de mistérios e segredos. Gosto de visitar esta quinta. Apesar de ir ali quase sempre em trabalho, nunca me canso de admirar as estátuas, o poço iniciático, de tentar "descobrir" caminhos secretos, de admirar a vista.


Quando cheguei a casa, ao final da tarde, deliciei-me com uma generosa fatia de bolo de chocolate e laranja. Depois de um passeio, de andar a subir e a descer, de acelerar para apanhar o comboio, nada melhor do que uma fatia de bolo para compensar as energias gastas num prazenteiro passeio.


Bolo de chocolate com laranja

Ingredientes:
5 ovos
2dl de azeite
225g de açúcar
raspa de uma laranja
1dl de sumo de laranja
125g de chocolate 70% de cacau
25g de cacau em pó
225g de farinha com fermento


1. Bater os ovos com o azeite e o açúcar.

2. Adicionar a raspa e o sumo de laranja.

3. Adicionar o chocolate derretido em banho-maria.

4. Juntar, por fim, a farinha e o cacau.

5. Colocar a massa numa forma (26 cm) untada com margarina e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 40 minutos.


Calda de laranja

Ingredientes:
2dl de sumo de laranja
3 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de água


1. Levar os ingredientes num tacho ao lume. Deixar ferver um a dois minutos, mexendo para que o açúcar se dissolva.

2. Assim que o bolo sair do forno, desenformar e ainda quente regar com a calda de laranja.


Cobertura de chocolate

Ingredientes:
150g de chocolate
1dl de natas


1. Derreter o chocolate em banho-maria.

2. Juntar as natas e mexer.

3. Barrar o bolo depois de frio com a cobertura de chocolate.



A combinação de chocolate e laranja tornam este bolo irresistível.

quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

Bacalhau confitado com migas de broa e grelos


Quando recebo boas notícias apetece-me logo comemorar e partilhar. As coisas boas só têm um verdadeiro valor quando as vivemos com os outros. Por isso, hoje trago-vos uma boa notícia.

Está a decorrer, como penso que sabem, até às 24h do dia 29 de Fevereiro o desafio Seis anos e uma receita com laranja, com o intuito de festejar os seis anos do Cinco Quartos de Laranja, que me tem trazido muitas e boas recordações. E a boa notícia é que para além da garrafa de vinagre condimentado de figo e canela, seis dos leitores que participarem no desafio, receberão também, através de sorteio, uma garrafa de azeite virgem extra Herdade do Esporão DOP Moura oferta da Esporão S.A..

Para agradecer este patrocínio, a receita de hoje é um elogio ao bom azeite.


Bacalhau confitado

Ingredientes:
3 lombos de bacalhau (800g)
6 dentes de alho com camisa
2 folhas de louro
10 grãos de pimenta da Jamaica
1 raminho de tomilho
1 haste de alecrim
azeite virgem extra Herdade do Esporão DOP Moura q.b.
sal q.b.


1. Pré-aquecer o forno a 100ºC.

2. Retirar a pele das postas de bacalhau. Cortar os lombos ao meio, de modo a retirar as espinhas do meio das postas.

3. Colocar os lombos num tabuleiro de forno. Temperar com um pouco de sal. Em volta dispor os dentes de alho, as folhas de louro, a pimenta da Jamaica, o tomilho e o alecrim.

4. Regar generosamente com azeite. O bacalhau deve ficar mergulhado em azeite até mais ou menos a meio.

5. Levar ao forno durante 1h15. O bacalhau deve assar lentamente. O azeite não deve ferver.




Migas de broa e grelos

Ingredientes:
200g de broa de milho sem a côdea
500g de grelos
1dl de azeite virgem extra Herdade do Esporão DOP Moura
sal e pimenta q.b.


1. Cozer os grelos em água temperada com sal. Assim que estejam cozidos, escorrer e passar por água fria. Escorrer novamente.

2. Colocar 1 dl de azeite numa frigideira. Levar ao lume. Assim que o azeite estiver quente, adicionar a broa de milho cortada em cubinhos. Mexer e deixar frigir um pouco. De seguida, adicionar os grelos cozidos e envolver muito bem com a broa. Temperar com pimenta preta de moinho e sal a gosto.

3. Servir os lombos de bacalhau com as migas de broa e grelos. Regar generosamente com o azeite do bacalhau.


Este é um daqueles pratos que nos preenchem e fazem sentir que a vida vale a pena quando é bem saboreada.

Fico a aguardar as vossas participações até dia 29 de Fevereiro. As condições de participação poderão ser consultadas aqui. Vamos fazer destes seis anos uma grande festa!

segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2012

Tortelloni com bacon, espinafres e tomate cereja


Há dias em que a vontade se resume a pouco. Em que necessitamos de fugir da rotina e dedicar-nos a pequenos prazeres, apenas possíveis em dias de férias. Uma ida à zona de Belém para um café, ver o rio e os barcos a passarem no Tejo. Depois um almoço feito em três tempos, mas reconfortante, como o dia e a disposição exigem.


Ingredientes:
250g de tortelloni de queijo (massa com a mesma forma dos tortellini, mas maior)
1dl de azeite
65g de bacon
2 dentes de alho picados
200g de folhas de espinafre
8 tomates cereja
sal e pimenta preta de moinho
7 a 8 folhas de manjericão
2 colheres de sopa bem cheias de queijo grana padano ralado


1. Numa colocar o azeite e o bacon cortado em pequenas tiras. Deixar frigir um pouco o bacon.

2. Entretanto, colocar a cozer a massa, seguindo as indicações do fabricante.

3. Adicionar as folhas de espinafre, mexer e deixar cozinhar um pouco. De seguida acrescentar o tomate cereja cortado ao meio. Temperar com sal e pimenta a gosto.

4. Escorrer a massa, colocar numa taça. Adicionar a mistura anterior à massa, as folhas de manjericão rasgadas com as mãos e mexer.

5. Polvilhar com o queijo grana padano ralado e servir.


A tarde resume-se à companhia de um livro - Um Quarto com vista de Edward Morgan Forster, espreitar pela janela e ver o sol. Quem sabe, se ainda haverá vontade para fazer um bolo e uma grande chávena de café.

Há dias assim ...

sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012

Arroz de espinafres com vieiras


Ao longo destes anos, o Ricardo e eu, comemoramos o dia dos namorados sempre com uma refeição um pouco mais especial. Houve alturas em que procurávamos um restaurante, mas nos últimos anos, temos preferido ficar em casa. Este ano, para o jantar do dia dos namorados, fiz um arroz de espinafres servido com vieiras, que nos soube muito bem.


Ingredientes:
350g de arroz carolino
1,1L de caldo de legumes ou água
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
250g de folhas de espinafres
água a ferver para escaldar os espinafres
8 vieiras grandes
sal e pimenta
um fio de óleo


1. Num tacho colocar a cebola picado e o alho. Adicionar o azeite e levar ao lume e refogar até a cebola quebrar.

2. Adicionar a água quente e o arroz. Temperar com sal. Deixar cozinhar em lume brando, mexendo de vez em quando.

3. Escaldar os espinafres durante com água a ferver. De seguida escorrer, passar por água fria e picar os espinafres.

4. Juntar os espinafres picados ao arroz e deixar acabar de cozinhar.

5. Temperar com sal e pimenta as vieiras.

6. Colocar um fio de óleo numa frigideira. Levar ao lume e quando estiver bem quente colocar as vieiras. Deixar cozinhar 1 a 2 minutos de um lado, virar e deixar cozinhar de igual modo.

7. Servir o arroz com as vieiras.


O arroz ficou delicioso e as vieiras, confeccionadas assim de forma tão simples permitem-nos desfrutar do seu sabor e textura em pleno.

Este arroz de espinafres com vieiras ajudou-nos a ter um dia ainda mais feliz. Bom fim-de-semana a todos!

quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012

Beringelas recheadas com queijo feta e ervas aromáticas


No domingo de manhã fui ao mercado. Adoro as minhas idas ao mercado. Gosto de ver as frutas e os legumes frescos, com um ar viçoso, fresco e apelativo. Quando vou ao mercado trago para casa vários sacos com coisas boas. Desta vez trouxe tomate em cacho, ervas aromáticas, espinafres, agrião, rabanetes e beringelas. Sempre que vou ao mercado acho as beringelas lindas. E como o Ricardo adora, trouxe e cozinhei-as logo para o almoço.


Ingredientes:
3 beringelas grandes
2 dentes de alho picados
2 chalotas
1dl de azeite
3 tomates
0,5dl de água ou vinho branco
sal e pimenta
120g de queijo feta
20g de coentros picados
15g de salsa picada
50g de azeitonas cortadas
2 colheres bem cheias de queijo ralado grana padano


1. Pré-aquecer o forno a 200ºC.

2. Cortar as beringelas ao meio e retirar parte da polpa interior. Cortar em pequenos pedaços o miolo da beringela.

3. Refogar as chalotas picadas e o alho no azeite. De seguida acrescentar o tomate cortado em pequenos cubos e deixar cozinhar uns minutos.

4. Acrescentar a polpa da beringela picada. Juntar a água. Temperar com sal e pimenta. Deixar cozinhar em lume brando até a beringela estar macia.

5. Adicionar o queijo feta esboroado ou cortado em pequenos cubos, as azeitonas cortadas, a salsa e os coentros picados. Mexer e retirar do lume.

6. Rechear as beringelas com o preparado anterior. Polvilhar com o queijo ralado.

7. Colocar as beringelas recheadas num tabuleiro, regado com um fio de azeite.

8. Levar ao forno durante 50 minutos.


Acompanhei as beringelas com uma salada de tomate, alface e rabanetes. O tempo de forno poderá variar de acordo com o tamanho das beringelas. As que usei eram grandes.

Eu que dantes torcia o nariz sempre que o Ricardo me pedia para cozinhar beringelas, agora ando uma verdadeira fã. Posso dizer que agora adoro beringelas, especialmente assadas no forno. Mais uma receita que me agradou, muito.

quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012

Ovos quentes


Eu adoro desafios. Os desafios são estímulos que nos levam a fazer alguma coisa. E quando a More Than Cookies me desafiou a fazer uma receita para uns suportes de ovos - lindos! - com a respectiva colher, que me ofereceram, eu nem sequer hesitei.

A More Than Cookies é uma loja on-line com produtos principalmente para a casa, com artigos de decoração, artesanato e até bijutaria. É um prazer visitar esta loja. Os produtos são muito apelativos, com linhas marcadas pelo bom gosto. Passem por lá.


Ingredientes:
4 ovos à temperatura ambiente
água suficiente para cobrir os ovos
flor de sal e pimenta preta de moinho
pão torrado para servir


1. Colocar a água ao lume num tacho. Assim que levantar fervura adicionar os ovos com cuidado para não se partirem. Deixar cozer durante 3 minutos a 3 minutos e meio.

2. Colocar os ovos nos suportes. Partir a casca do cimo do ovo com uma colher. Com a ajuda de uma faca retirar o tampo e alguma casca que caia na gema.

3. Temperar com flor de sal e pimenta preta de moinho.

4. Servir os ovos quentes com pão torrado.


Estes ovos são uma excelente sugestão para um pequeno-almoço de domingo, com tempo para apreciar.

Agradeço à More Than Cookies a oferta dos suportes e da colher e por terem escolhido o Cinco Quartos de Laranja para este desafio. Muito obrigada.

terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012

Mousse de chocolate com café e cardamomo


Hoje para comemorar o Dia dos Namorados resolvi fazer uma mousse de chocolate com café e cardamomo. O pretexto foi dado por uma simpática oferta da IKEA, que me fez chegar o seu livro de cozinha, Sabores da IKEA, e duas tabletes de chocolate. Uma de chocolate preto 70% e outra de chocolate com avelãs.

No dia em que o presente chegou o Ricardo e eu, não resistimos ao de avelãs e sem grande esforço o chocolate desapareceu. Só vos digo, era muito bom.

Quando li a sugestão de utilização para estas tabletes, percebi que não deveria ter comido o chocolate! As indicações sugeriam o uso das duas embalagens na confecção de uma receita, trufas de chocolate, do livro Sabores da IKEA. Oops! Algo já não estava a correr bem!

Quando algo inesperado acontece, o melhor é resolver a situação. O que fazer com o chocolate preto 70%? Uma coisa eu sabia, tinha que ser algo especial. Por isso, para hoje, Dia dos Namorados, proponho uma mousse de chocolate com café e cardamomo, feito com um sabor IKEA. Uma sobremesa intensa, para saborear neste dia em que se comemora o amor.


Ingredientes:
100 g de chocolate preto CHOKLAD MÖRK 70%
3 ovos
60 g de açúcar amarelo
20 g de manteiga
2 colheres de sopa de café expresso
2 cardamomos (apenas as sementes)
Uma pitada de sal


1. Abrir os cardamomos e esmagar num almofariz as sementes até ficarem em pó.

2. Derreter em banho-maria o chocolate com a manteiga, o café e o cardamomo.

3. Partir os ovos e separar as gemas das claras. Bater as gemas com o açúcar.

4. Depois do chocolate derretido juntar à mistura das gemas.

5. Bater as claras em castelo com uma pitada de sal.

6. Envolver as claras batidas com a mistura anterior.

7. Colocar o preparado em recipientes e levar ao frigorífico três a quatro horas antes de servir ou de um dia para o outro.


Nesta mousse nota-se o sabor intenso do chocolate com 70% de cacau, um ligeiro travo a café finalizado pelo aroma do cardamomo. Feliz Dia dos Namorados!

segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2012

Seis anos e uma receita com laranja


Hoje é dia de festa, cantam as nossas almas os parabéns ao Cinco Quartos de Laranja, que faz seis anos. Ao longo destes seis anos cresci e aprendi muitas coisas com este projecto. O blogue é um pouco da minha vida comentada através da comida, das viagens e das leituras. É um projecto que me deixa muito feliz, que cada vez mais me preenche e me deixa sonhar com novas perspectivas.

Para comemorar este aniversário resolvi lançar a todos os leitores, o desafio Seis anos e uma receita com laranja, com o patrocínio dos vinagres Creative produzidos pela Mendes Gonçalves. Para participar deverão:

i) Fazer uma receita em que um dos ingredientes seja a laranja;

ii) Tirar uma fotografia;

iii) Publicar a participação na página do Cinco Quartos de Laranja no Facebook:
- Quem tiver blogue, basta publicar o link para a respectiva publicação (onde constem o nome, as indicações de confecção, pelo menos uma fotografia e referência ao desafio);

- Quem não tiver, deverá anexar a fotografia respectiva e indicar o nome da receita e as instruções de confecção;

- Caso o leitor não esteja registado no Facebook, poderá enviar a participação para o seguinte email de maneira a que eu possa proceder à respectiva publicação no Facebook:
iv) Serão sorteadas entre todas as participações seis garrafas de vinagre condimentado com Figo e Canela;

v) O envio das garrafas, a efetuar pela Mendes Gonçalves, estará limitado apenas a moradas válidas em Portugal Continental e Ilhas;

vi) Todas as participações terão de ser efetuadas até às 24h de 29 de Fevereiro de 2012.


E para esta festa, hoje preparei uma salada, como não poderia deixar de ser, com laranja e temperada com o delicioso vinagre de Figo e Canela, que a empresa Mendes Gonçalves amavelmente me fez chegar. Esta salada foi o pretexto para experimentar este vinagre. E digo-vos que foi uma agradável surpresa. Nota-se o sabor doce do figo com um toque especial da canela. Para quem adora figo como eu, de certeza que se irá tornar fã deste vinagre.


Ingredientes:
1 laranja
1 toranja
2 ovos cozidos e cortados às rodelas
mistura de folhas verdes
70g de queijo feta
4 nozes
2 colheres de sopa de azeitonas pretas sem caroço
sal a gosto
azeite q.b.
vinagre condimentado com figo e canela


1. Descascar a laranja e a toranja. Cortá-las às rodelas.

2. Dispor em dois pratos as folhas verdes. Dividir a toranja e a laranja pelos pratos.

3. Por cima da laranja colocar as rodelas de ovo. Adicionar as azeitonas e esboroar o queijo feta. Polvilhar com as nozes picadas grosseiramente.

4. Temperar com sal, um fio de azeite e vinagre de Figo e Canela, a gosto.


O vinagre condimentado com Figo e Canela foi uma revelação. Combinou muito bem com os ingredientes desta salada. Tenho a certeza que irão gostar.

Vamos fazer destes seis anos uma grande festa? Conto convosco!

sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

28 ideias para o menu do Dia dos Namorados


O que tem que ter um jantar romântico? Quando penso num jantar romântico, penso em algo que envolve algum requinte, elegância e bom gosto. Penso numa mesa cuidada, em que todos os pormenores são importantes. Desde uma toalha bonita a combinar com o jogo de pratos e copos, uma jarra com uma flor ou uma vela acesa. Penso numa refeição especial e inesquecível.

A comida deve ter um leve travo a picante e especiarias, como o gengibre, a pimenta caiena, o açafrão, os cominhos, a canela e o cardamomo. Entre os alimentos que acendem a chama da paixão contam-se as ostras, o camarão, as amêijoas e os mexilhões. Num jantar romântico não poderá faltar uma sobremesa com chocolate ou com um toque afrodisíaco.

O Dia dos Namorados merece uma refeição especial por isso, apresento hoje 28 ideias para vos ajudar a preparar uma refeição memorável:


Sopas e Entradas:
- Creme de abóbora com alho-francês e gengibre;
- Creme de abóbora, funcho e cominhos;
- Creme de abóbora picante com chocolate;
- Mexilhões;
- Queijo chèvre com chocolate e sal preto;
- Salada de espargos com ovo quente;
- Salada de mozzarella com tomate, morangos e manjericão;
- Vieiras gratinadas.

Prato principal:
- Arroz de agrião com amêijoas e camarão;
- Beringelas com cuscuz e molho de iogurte com açafrão;
- Bifes com molho de chocolate;
- Caril de vaca com batata-doce e abóbora;
- Esparguete com gengibre, tomate e camarão;
- Esparguete negro com tinta de choco, camarão e manga;
- Risotto de caril vermelho;
- Risotto de ervilhas com vieiras salteadas;
- Risotto de tomate cereja e gengibre com filetes em manteiga;
- Tagliatelline de chocolate com molho de amêndoa e mascarpone.

Sobremesas:
- Bolo de chocolate;
- Bolo de chocolate com amêndoa;
- Bolo de chocolate com mascarpone;
- Brownie de chocolate e avelãs;
- Brownie de chocolate e beterraba;
- Morangos com chocolate;
- Panna cotta de chocolate e café;
- Parfaits de frutos vermelhos com chantilly de lima e gengibre;
- Risotto de morango;
- Salame de chocolate.

quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012

Cogumelos portobello recheados com ovos mexidos e trufa


Há já alguns dias que esta receita não me saía da cabeça. Não sei muito bem como é cheguei à ideia de conjugar estes ingredientes, mas o que é certo é que despertaram a minha curiosidade. Acho que o nosso processo criativo nem sempre tem uma explicação linear e palpável. Também se tudo fosse explicado, não teria metade da piada, não acham? Mas o que é certo é que achei que deveria rechear cogumelos com ovos mexidos e dar uso a uma embalagem de trufas pretas em conserva que tinha à espera de destino, na despensa da cozinha.

Queria tanto experimentar esta ideia que ontem, saí de uma reunião de trabalho depois das nove da noite, passei pelo supermercado e ainda vim para a cozinha preparar o jantar. Há dias assim, em que uma ideia, uma receita tem mais força de vontade do que o cansaço de um dia de trabalho. No final, ficou a satisfação.


Ingredientes:
6 a 8 cogumelos Portobello
6 ovos
0,5dl de leite
50g de manteiga
sal fino e pimenta preta de moinho a gosto
mistura de folhas verdes
6 tomate cereja
2 rabanetes
cebolinho picado
1 trufa preta de conserva
azeite


1. Limpar os cogumelos e retirar-lhes o pé.

2. Grelhar os cogumelos na chapa. Depois de grelhados polvilhar com sal fino e pimenta preta de moinho a gosto.

3. Mexer os ovos com o leite. Temperar com sal q.b.

4. Colocar a manteiga numa frigideira e levar ao lume. Assim que derreter, colocar os ovos e deixar cozinhar, mexer de modo a que não peguem à frigideira e não fiquem secos.

5. Numa taça misturar as folhas verdes, o tomate cereja cortado ao meio e os rabanetes cortados em rodelas. Regar com azeite, sal (facultativo) e mexer.

6. Colocar num prato a salada, dois a três cogumelos por pessoa. Rechear os cogumelos com os ovos mexidos. Polvilhar cebolinho picado e trufa preta ralada. Regar com um fio de azeite e servir.


Estes cogumelos recheados para além de ficarem muito bonitos, transformaram-se numa deliciosa refeição. Foi a primeira vez que usei trufa. Talvez por ser de conserva, não sei, achei o sabor pouco acentuado. Mas o prato valeu a pena.

Decidi fazer este prato como refeição principal no entanto, estes cogumelos recheados podem ser servidos como entrada. Fica ao vosso critério.

quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2012

Gelatina de tangerina com especiarias


Desde que comecei a fazer as minhas gelatinas que gosto muito mais de gelatina. As gelatinas caseiras são sem dúvida mais aromáticas e saborosas. Para além disso, podemos usar a imaginação e fazer diferentes combinações de sabores. Uns resultam muito bem, outros mais ou menos. As experiências são mesmo assim. Mas por aqui, só gosto de relatar o que corre bem e que aconselho os meus leitores a experimentar.

A receita de gelatina de hoje correu muito bem e já a fiz várias vezes. A ideia veio de uma receita de Martha Stewart, gelatina de laranja com especiarias, em que usava sementes de anis e canela. A ideia agradou-me muito e resolvi fazer uma gelatina de tangerina usando essas especiarias. E ainda bem, porque resultou muito bem.


Ingredientes:
7dl de sumo de tangerina
2dl de água
1 pau de canela
1 colher de chá de sementes de anis
80g de mel
20g de gelatina neutra em pó (2 saquetas)


1. Colocar num tacho a água, 2 dl de sumo de tangerina, a canela, as sementes de anis e o mel. Levar ao lume e deixar ferver 1 a 2 minutos, em lume médio. Depois de ferver, passar por um coador.

2. Dissolver a gelatina no restante sumo de tangerina.

3. Juntar o mistura fervida quente ao sumo de tangerina com a gelatina dissolvida. Mexer bem. Colocar num recipiente ou forma. Depois de frio, levar ao frigorífico pelo menos quatro horas antes de servir.


O sabor do anis marca esta gelatina. Deliciosa e muito aromática.

Experimentem!

terça-feira, 7 de Fevereiro de 2012

Filetes em manteiga de sálvia, laranja e arroz


Eu adoro cozinhar. Quando vou para a cozinha perco a noção do tempo. É um tempo tão bom e delicioso que não me enfado nunca de ali estar. Adoro misturar ingredientes, de arriscar novas combinações, de fazer um bolo ou um assado e sentir o aroma reconfortante dos citrinos ou das especiarias a espalhar-se por toda a casa. De passar o dia com uma receita na cabeça e quando chego a casa, ligar o rádio, e ter a oportunidade de a colocar em prática, num espaço que é meu. Cozinhar é uma forma de liberdade. Uma alquimia de sabores que desperta os sentidos.

Cozinhar, para mim, é tão agradável como o prazer de comer. Cozinhar e falar de comida são coisas que me deixam muito feliz. Transformo-me de tanto entusiasmo que transporto naquilo que digo. E nunca me canso!

Uma das receitas que gostei de fazer recentemente foi estes filetes em manteiga de sálvia, laranja e arroz, feito com caldo de peixe.


Ingredientes:
2 sargos
1 colher de sopa de manteiga bem cheia
6 folhas de sálvia
zestes de uma laranja (raspa em tirinhas)
sal e pimenta
gomos de uma laranja limpos de peles e sementes (facultativo)


1. Retirar os filetes aos sargos. Temperá-los com sal e pimenta.

2. Com as espinhas e cabeça preparar um caldo para o arroz.

3. Colocar a manteiga numa frigideira e levar ao lume. Assim que a manteiga estiver quente, adicionar as folhas de sálvia e deixar fritar um pouco. Quem preferir pode retirar as folhas de sálvia e reservar ou deixar ficar, como foi o caso.

4. Juntar os filetes com a pele virada para baixo e as zestes de laranja. Deixar cozinhar um a dois minutos de cada lado.

5. Servir os filetes com o arroz e um gomo de laranja por cima.


Arroz de caldo de peixe:
250g de arroz carolino
1dl de azeite
3 dentes de alho picados
2 chalotas picadas
1dl de vinho branco
8dl de caldo de peixe quente
sal


1. Levar ao lume num tacho o azeite, as chalotas e o alho. Deixar frigir até a chalota quebrar.

2. Juntar o arroz e deixar fritar um pouco. Refrescar com o vinho branco.

3. Adicionar a pouco e pouco o caldo de peixe, à medida que o arroz for solicitando. Temperar com sal a gosto.


Nesta receita poderão usar filetes de outro peixe a gosto. Eu uso sargo, pois é um dos peixes que chega cá a casa em abundância, graças às pescarias do meu pai.

O aroma da sálvia e o toque cítrico da laranja deixaram estes filetes muito aromáticos. Combinou na perfeição com o arroz.

segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2012

Orecchiette com lulas e azeite de coentros com alho


No fim-de-semana houve tempo para ir visitar os meus pais em Santarém e ficar boa parte do tempo em frente à lareira, na conversa. Houve tempo para começar a ler As Voluptuosas Receitas de Miss Dahl, de ir tomar café com umas amigas e falar sobre livros e leituras, na cafetaria do Museu de Arte Antiga e de cozinhar.

Para o almoço de ontem fiz esta massa com lulas e azeite de coentros e alho. Apesar do dia estar solarengo, o frio fazia-se sentir e eu queria algo que me trouxesse uma sensação de conforto, que pudesse ser servida num prato fundo e comida apenas com um garfo. Há dias em que gosto destas refeições práticas, em que me posso enroscar no sofá e ver uma das minhas séries favoritas enquanto como. O domingo à tarde foi um desses dias.


Ingredientes:
500g de lulas limpas cortadas
0,5dl de azeite
sal e pimenta preta de moinho
250g de massa orecchiette

Para o azeite:
0,75dl de azeite
2 dentes de alhos
35g de coentros frescos


1. Colocar 0,5dl de azeite numa frigideira. Levar ao lume. Assim que o azeite estiver quente, colocar as lulas. Temperar com sal e pimenta. Mexer e deixar cozinhar até ficarem tenras.

2. Cozer a massa, seguindo as indicações da embalagem.

3. Triturar os dentes de alho com os coentros e o azeite.

4. Numa taça colocar a massa escorrida, as lulas e o azeite de coentros. Mexer. Retificar o sal e a pimenta a gosto.


Esta receita pode ser enriquecida com queijo ralado no final.

A massa fica deliciosa com as lulas. O molho de coentros e alho faz mesmo toda a diferença.

sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2012

Bolo de chocolate com amêndoa


Eu adoro bolo de chocolate. Especialmente dos bolos que ficam húmidos por dentro, daqueles em que se come uma fatia e o sabor do chocolate nos transporta para outra dimensão.

Adoro bolos de chocolates, daqueles que nos obrigam a durante uns minutos a apenas saborear, a esquecermos tudo o resto que nos rodeia e apenas sentir o sabor forte e delicioso do cacau. O bolo de hoje, é um desses bolos.


Ingredientes:
250g de chocolate de cozinha com 70% de cacau
250g de manteiga sem sal
6 ovos
125g de açúcar
50g de amêndoa ralada
1 pitada de sal


1. Pré-aquecer o forno a 190ºC.

2. Derreter em banho-maria a manteiga com o chocolate. Deixar a arrefecer.

3. Bater as gemas com o açúcar até obter um creme fofo.

4. Gradualmente, misturar o chocolate com as gemas batidas. Juntar a amêndoa ralada.

5. Bater as claras em castelo com uma pitada de sal.

6. Adicionar as claras ao preparado anterior.

7. Colocar o preparado numa forma forrada com papel vegetal e untada com margarina. Levar ao forno durante 30 minutos. Retirar e deixar arrefecer.


Receita da revista Fabulous Food de Setembro/Outubro de 2011.

quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2012

Frango com laranja, vinagre balsâmico e puré de feijão branco


A chegada do frio já se faz anunciar. Durante o dia de sexta e o fim-de-semana, a situação vai-se agravar e as temperaturas vão baixar significativamente, para o que estamos habituados.

Nestes dias em que Crio estende o seu manto branco com partículas de gelo sobre a terra, em que Bóreas, o bravio vento norte, se revolta e sopra toda a sua força sobre as árvores e os mares, com o intuito de se fazer ouvir perante o poder de Crio, quem sofre as consequências desta guerra de titãs são os humanos. Sem culpa, os protegidos de Prometeu, reconhecendo a força imprevisível dos deuses e sem os querer melindrar, refugiam-se nos agasalhos, no conforto da lareira e num prato de comida quente e fumarenta.

Para enfrentar os dias frios nada melhor do que a sugestão de hoje, frango com laranja e vinagre balsâmico, acompanhado de puré de feijão branco.


Frango com laranja e vinagre balsâmico

Ingredientes:
2 pernas de frango (separadas pelas coxas)
sal e pimenta
1 colher de sopa de azeite
1 laranja cortada em gomos com a casca
3 colheres de sopa de vinagre balsâmico
1 colher de chá de folhas de tomilho


1. Pré-aquecer o forno a 230ºC.

2. Colocar o azeite numa frigideira que possa ir ao forno e alourar as pernas de frango, durante mais ou menos 7 minutos. Para evitar salpicos, tapar a frigideira com uma tampa apropriada para o efeito.

3. De seguida, colocar a frigideira no forno e deixar assar durante 8 minutos.

4. Retirar do forno, reservar o frango. Levar novamente a frigideira ao lume. Adicionar o vinagre balsâmico, o tomilho e os gomos de laranja. Deixar cozinhar durante 1 a 2 minutos, até a laranja ficar macia.


Esta receita de frango é de Martha Stewart, com pequenas alterações minhas. A receita original sugere o uso de 1 colher de sopa de manteiga sem sal no molho de laranja e vinagre balsâmico, mas eu achei que a gordura do frango era suficiente e por isso não a coloquei. Acrescentei o tomilho.


Puré de feijão branco

Ingredientes:
1 cebola picada
1 dl de azeite
1 dl de vinho branco
3 dentes de alho laminados
850 g de feijão branco cozido
sal, pimenta-preta de moinho e noz moscada q.b.


1. Colocar o azeite, a cebola e os alhos num tacho. Levar ao lume e deixar refogar.

2. Acrescentar o vinho branco e o feijão cozido. Temperar com uma pitada de sal a gosto. Deixar cozinhar até o vinho se ter evaporado.

3. Passar a mistura por um passe-vite. Temperar com pimenta preta e uma pitada de noz moscada.


Este prato é revigorante. O frango fica crocante e estaladiço. O vinagre balsâmico misturado com aroma doce e cítrico da laranja tornar-se uma conjugação de fazer saltar o palato. O puré de feijão branco fecha toda esta explosão de aromas e sabores. Macio. Cremoso e intenso.

Este é mesmo um prato para nós, humanos, conseguirmos suportar as agruras decorrentes do humor dos Deuses!

Bom dia a todos!

quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2012

Quem é que não gosta de salame de chocolate?


Quem é que não gosta de salame de chocolate que ponha o dedo no ar? - perguntar isto numa sala, o mais provável é que ninguém ponha, porque o salame é das tais sobremesas especiais que, de forma geral, todos apreciam.

Ora bem, não sei muito bem como aconteceu, mas o que é certo é que o Ricardo durante as últimas semanas assim que chega a casa, diz-me: - Tens que fazer um salame de chocolate para levar aos meus colegas. Eu dizia que sim, mas confesso que nas primeiras vezes que me pediu eu acho que não o ouvi. Mas depois de várias insistências procurei saber a raiz da história. Quem o manda a ele dizer aos colegas, no local de trabalho, que se deliciou por alturas do Natal, com o aromático salame de chocolate com vinho do Porto?


Ingredientes:
200g de chocolate em pó
200g de bolacha tipo Maria
200g de manteiga sem sal
200g de açúcar fino
4 gemas


1. Amassar muito bem a manteiga com o açúcar.

2. Adicionar as gemas e mexer.

3. Juntar o chocolate e mexer muito bem.

4. Juntar as bolachas esmagadas grosseiramente e mexer.

5. Formar com o preparado um rolo. Envolver com papel de alumínio e apertar bem. Guardar no frigorífico durante umas horas antes de servir.


É importante bater ou amassar com as mãos muito bem a massa do salame para que o açúcar se dissolva.

Este salame fica mesmo muito bom, com um forte sabor a chocolate. Quem é que não gosta de salame de chocolate?