Próximos Workshops
Lisboa 6 de Maio de 2017
Sábado:
14h00 - 18h00      Vamos fazer pão?
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Arroz de bacalhau com brócolos


Acabei de ler recentemente o livro Abraço de José Luís Peixoto e adorei esta descrição sobre os livros, «Os livros, esses animais sem pernas, mas com olhar, observam-nos mansos desde as prateleiras.», p.641.

Os livros, esses animais sem pernas mas que nos levam para todo o lado. Agarram-nos, prendem-nos a histórias, a personagens, mas principalmente fazem-nos sonhar. São janelas abertas para viagens impossíveis, conquistas, amores, aventuras. Já há muito que não consigo imaginar a minha vida sem este tipo de animais por perto. Cá em casa, enchem os móveis da sala. Amontoam-se no escritório. Na mesa de cabeceira não faltam também vários exemplares.

Gosto de comprar livros. Gosto de oferecer livros. Gosto do contacto com o papel. De abrir e sentir o cheiro de um livro novo. É tão especial!

E especial é também o prato que hoje vos trago. Um arroz de bacalhau com brócolos delicioso e que tal como os livros, também nos faz sonhar.

Esta receita foi feita para a revista Saber Viver de Dezembro de 2012.

Ingredientes:
2 postas de bacalhau
1 cebola
2 dentes de alho
1 folha de louro
1 dl de azeite
1,5 dl de vinho branco
320 g de arroz carolino
5 dl de água ou caldo de cozedura do bacalhau
400 g de brócolos em floretes
sal q.b.


1. Cozer o bacalhau. Reservar o caldo e limpar as postas de bacalhau de peles e espinhas.

2. Num tacho, levar ao lume a cebola e o alhos picados, a folha de louro e o azeite. Deixar refogar até a cebola ficar macia.

3. Juntar o vinho branco e o caldo de cozedura do bacalhau. Quando levantar fervura, adicionar o arroz.

4. Temperar com sal a gosto. Ir mexendo o arroz sempre que necessário.

5. A meio da cozedura adicionar os floretes de brócolos cortados ao meio e o bacalhau desfiado. Assim que o arroz estiver cozido, retirar do lume e servir. Os brócolos devem ficar crocantes.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

25 receitas rápidas de preparar para se fazer ao jantar


Quantas vezes chegamos a casa e ainda não sabemos o que fazer para o jantar? Hoje deixo-vos vinte e cinco sugestões rápidas para essas ocasiões:
- Bacalhau em azeite com puré de grão;
- Bifes de atum grelhados;
- Choquinhos na frigideira com alho e coentros;
- Creme de abóbora, cenoura e batata-doce;
- Febras no forno com alecrim e mel;
- Filetes de peixe-porco no forno;
- Frittata;
- Ovos mexidos com castanhas e azeite de trufa;
- Quiche de mascarpone, espinafres e morcela;
- Polvo em caldeirada com batata-doce e ervilhas;
- Salada de cogumelos grelhados com queijo feta;
- Salada de dióspiro com funcho e queijo gorgonzola;
- Salada de espargos com ovo, salmão e mozzarella;
- Salada de legumes grelhados com queijo feta;
- Salada de massinha com legumes salteados;
- Salada de melancia com queijo de cabra curado;
- Salada de mizuna com manjericão, beterraba, laranja e salmão grelhado;
- Salada de mozzarella com tomate, morangos e manjericão;
- Salada de queijo halloumi grelhado com alperces;
- Salmão assado com courgette, limão e ervas;
- Salmão com alcaparras e limão;
- Sardinhas no pão com pimento vermelho assado;
- Tacos com abacate e atum;
- Tagliatelle com courgette e bacon salteado;
- Tomatada com espinafres, chouriço e ovos escalfados.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Pequenos-almoços em 5 minutos: Iogurte com cereais e fruta


O pequeno-almoço é das refeições mais importantes do dia e talvez a menos valorizada no nosso dia-a-dia. O ano passado falei desta preocupação e de como podemos ir variando os nossos pequenos-almoços.

Uma das coisas que nos preocupa de manhã é o tempo. Entre arranjarmo-nos para sairmos de casa e tomar o pequeno-almoço, sobra sempre muito pouco tempo. Por isso, hoje apresento-vos um de cinco pequenos-almoços que se preparam em menos de cinco minutos que fiz para a edição de Fevereiro de 2013 da revista Saber Viver.

Iogurte com cereais e fruta

Ingredientes:
60 g de muesli com frutas secas
2 nozes picadas
1/2 manga cortada em cubos
125 g de iogurte grego natural (sem açúcar)
1 colher de café de sementes de papoila


1. Colocar os ingredientes numa taça.

2. Polvilhar com as sementes de papoila. Mexer.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Butelo com casulas, um sabor tradicional de Trás-os-Montes


A primeira vez que comi butelo com casulas foi num almoço animado em casa da minha querida amiga Fátima Moura, conhecida autora e investigadora na área da gastronomia que publicou em 2012, o livro Portugal, O Melhor Peixe do Mundo. Este almoço reuniu à mesa várias bloggers e a grande diva da cozinha portuguesa, Maria de Lourdes Modesto, de quem no final tive o prazer de ver autografar o meu exemplar de Cozinha Tradicional Portuguesa. Até esse dia desconhecia que existia em Portugal um enchido feito com ossos e que se secava o feijão com a sua vagem para consumir assim mesmo.

No fim-de-semana passado decorreu, em Bragança, o Festival do Butelo e das Casulas com o intuito de promover este enchido e consequentemente um prato tão tradiconal e único a nível nacional. No folheto do evento é referido:

O butelo é o exemplo acabado do bom aproveitamento do porco: envolvido pela bexiga ou pelo bucho, o humilde recheio de ossinhos do espinhaço e das costelinhas, com alguma carne agarrada, torna-se responsável pelas suas formas ventrudas e caprichosas e pelo seu inigualável sabor.

É costume comer este enchido artesanal, típico das casas de Bragança, no sábado de Carnaval, acompanhado pelas cascas de feijão secas, a que também se chamam casulas.

Trindade Coelho descreve-o como «um chourição famoso» que «Faz no fumeiro de baixo profundo, ou de figle numa filarmónica. É grotesco, mas, no Entrudo, com orelheira, até parece que se esgargalha no prato, a rir como um perdido para os que estão à mesa»


A riqueza de uma cultura reside na variedade e originalidade dos seus hábitos alimentares. Portugal esconde muitas riquezas em termos gastronómicos que é importante divulgar. Com esse objectivo, o Cinco Quartos de Laranja em parceria com a Origem Transmontana promovem um desafio intitulado Sabores do Fumeiro de Trás-os-Montes que decorre até dia 28 de Fevereiro e onde podem usar butelo, chouriço de mel, azedos e alheiras. Participem! Para vos inspirar, deixo-vos a seguinte receita:

Butelo com casulas


Ingredientes:
1 butelo pequeno
120 g de casulas (ou cascas)
500 g de batatas
4 a 5 cebolinhas pequenas
1/2 chouriço de carne
450 g de chispe de porco
650 g de entrecosto de porco
azeite q.b.
sal q.b.


1. Demolhar de véspera as casulas.

2. Temperar o chispe com sal de véspera ou pelo menos duas horas antes de o cozer.

3. Cozer o chispe e o entrecosto numa panela com água. Se necessário temperar com sal.

4. Cozer o butelo numa panela com água durante aproximadamente uma hora.

5. Cozer as batatas descascadas e cortadas ao meio com as cebolas em água temperada com sal.

6. Numa panela com água a ferver colocar as casulas, a carne já cozida, o chouriço e o butelo. Temperar com sal a gosto. Deixar cozinhar até as casulas estarem cozidas, o que é sensivelmente 1 hora.

7. Servir as casulas com a carne, o butelo, umas rodelas de chouriço, batatas e as cebolinhas. Regar com azeite.


Sobre o butelo com casulas, ler também:
- O butelo e as casulas em duas versões por Fátima Moura;
- Butelo, casulas e outras Transmontanices por Suzana Parreira;
- Das tradições gastronómicas portuguesas: butelo com casulas por Isabel Lacerda;
- Trás-os-Montes, o butelo, as casulas e os cuscos por Miguel Pires.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Pavlova com pepitas de chocolate e morangos


Gosto das semanas preenchidas. E esta foi uma semana de que gostei particularmente e de onde destaco dois workshops. O primeiro, realizado pelo meu amigo Rodrigo Meneses no Museu da Eletricidade, inserido na iniciativa Riso: Uma Exposição a Sério, onde a comida e o humor se aliaram. Foi interessante ver cozinhar e ao mesmo tempo ver "brincar" com o que estava a ser feito.

O segundo workshop, foi a minha participação num evento destinado a bloggers no Kiss the Cook e promovido pela Bonsalt, um produto substituto do sal. Neste workshop, ao meu lado, tive o Ricardo Martins Pereira do conhecido blogue O Arrumadinho. Formámos uma equipa eficiente e divertida enquanto aprendemos a confeccionar o nosso jantar sem o recurso ao sal.

Esta semana terminei o livro Abraço de José Luís Peixoto. Adoro a escrita fluida e poética deste autor. É uma escrita que nos apaixona. E só de pensar que tenho o nome dele ao lado do meu numa antologia poética dos tempos de faculdade, faz-me sorrir e sentir orgulhosa.

Esta semana também foi especial pelas inúmeras participações que têm chegado aos dois desafios promovidos pelo Cinco Quartos de Laranja actualmente a decorrer:
- Sabores do fumeiro de Trás-os-Montes até 28 de Fevereiro 2013;
- Sete anos à mesa com a Laranjinha até 9 de Março 2013.

As respostas aos desafios surpreendem-me sempre. Para mim é sempre muito especial constatar como a comida nos pode unir e ver que a vida vale a pena, especialmente se rodeada de coisas boas. Os prémios de cada um destes desafios são mesmo aliciantes. Participem!

E para terminar a semana nada melhor do que um pequeno mimo doce e delicioso. Hoje deixo-vos uma fatia generosa de pavlova com pepitas de chocolate. Aceitam?


Ingredientes:
6 claras
1 pitada de sal
375 g de açúcar em pó
1 colher de sopa de amido de milho
1 colher de sopa de vinagre
1 colher de sopa de cacau em pó
1 colher de chá de extracto de baunilha
25 g de pepitas de chocolate
200 ml de natas
morangos e framboesas para servir


1. Bater as claras com uma pitada de sal durante um minuto. Depois, adicionar pouco a pouco o açúcar e continuar a bater com a batedeira.

2. Adicionar o amido de milho, o vinagre, o cacau e o extracto de baunilha. Continuar a bater. Bater muito bem.

3. Adicionar as pepitas de chocolate e envolver com uma colher.

4. Colocar papel vegetal num tabuleiro de forno. Colocar ai o merengue, alisar e levar ao forno durante 10 minutos a 140ºC e depois 2 horas a 100ºC. Não abrir o forno durante este tempo.

5. Desligar o forno e deixar a pavlova arrefecer lá dentro.

6. Depois de fria, cobrir com 200ml de natas batidas com 2 colheres de sopa de açúcar. Decorar com morangos cortados ao meio e framboesas.

7. Levar ao frigorífico até à altura de servir.


As pepitas de chocolate dão a esta pavlova um toque especial. Esta receita foi feita para a edição de Fevereiro de 2013 da revista Saber Viver.

A todos, votos de bom fim-de-semana.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Perna de borrego assada no forno com cominhos e limão


Os dias de chuva apelam a pratos de forno, a conforto. A pequenos mimos. Uma das coisas que adoro fazer quando a chuva e o frio se fazem sentir é assados no forno. Como sabem, uma das carnes que aprecio é a de borrego.

Mas aqui volto a chamar a atenção para este tipo de carne. Comprem nacional, de boa qualidade, de animais que tenham andado pelo campo a correr e a saltar, felizes. O sabor não tem nada a ver com o que se compra correntemente, nomeadamente nas grandes superfícies. Conheço muitas pessoas que dizem que não gostam de borrego porque tiveram experiências menos boas com esta carne. A boa carne de borrego quase que é doce. Tem um sabor único e muito especial. É importante que não se deixe cozinhar demais, para que fique suculenta e deliciosa.

Ingredientes:
1,250 kg de perna de borrego
500 g de batatas
3 dentes de alho
1 colher de chá de pimentão-doce
1 colher de chá de sementes de cominhos
raspa de 1 limão
1 dl de azeite
1 dl de vinho branco
sal e pimenta preta


1. Num almofariz, esmagar os dentes de alho com o sal. Acrescentar a pimenta preta moída, o pimentão-doce, as sementes de cominhos, a raspa de limão e o azeite. Mexer e barrar a perna com esta mistura.

2. Descascar e cortar as batatas às rodelas.

3. Colocar as batatas cortadas no fundo de um tabuleiro de forno.

4. Colocar a perna de borrego por cima das batatas. Regar com o vinho branco.

5. Levar ao forno pré-aquecido a 190ºC durante aproximadamente 1h30.


Experimentem! E depois digam-me o que acharam.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Sardinhas no pão com pimento vermelho assado


Para refeições em que se exige rapidez, uma das coisas que gosto de ter em casa, sempre à mão, são conservas. Quando abro a porta da minha despensa encontro sempre, grão e feijão cozidos, azeitonas e várias latas de atum, polvo, bacalhau e sardinhas. À medida que as vou consumindo, tomo nota para que na próxima ida ao supermercado as possa repor. Em dias apressados, não há melhor truque do que usar umas quantas latas de conserva! Mas nem só de latas se faz uma refeição. Para o prato de hoje, que se confecciona em menos de dez minutos, aconselho também ter à mão pão e verduras.

Esta receita foi feita para a edição de Novembro de 2012 da revista Saber Viver.

Ingredientes:
3 latas de sardinhas em azeite
1 pimento vermelho assado
raspas de meio limão
salada de mistura de verdes
4 colheres de sopa de molho vinagrete
4 fatias de pão regional

1. Torrar as fatias de pão.

2. Depois de torrado, cortar as fatias de pão ao meio.

3. Cortar o pimento em pequenas tiras.

4. Distribuir as tiras de pimento pelo pão.

5. Em cada fatia de pão colocar uma sardinha.

6. Polvilhar as sardinhas com raspas de limão.

7. Servir as sardinhas no pão com salada de verdes temperada com molho vinagrete.


As zestes de limão dão um sabor fresco e delicioso a estas sardinhas no pão, a lembrarem dias coloridos de verão.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Salada de bulgur com abóbora assada e queijo de cabra


Há dias em que ando numa correria. De casa para o trabalho, do trabalho para algumas actividades que gosto de fazer ou que tenho curiosidade em ver. Na última semana, antes de ir ver o filme Hitchcock, fiz uma salada rápida para jantar, aproveitando abóbora que tinha assado.


Ingredientes:
175 g de bulgur
300 g de abóbora assada
200 g de tomate cereja
200 g de queijo de cabra com baixo teor de sal
50 g de alface ou outras folhas verdes
15 g de coentros picados
0,5 dl de azeite
1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto
sal e pimenta preta q.b.


1. Cozer o bulgur seguindo as indicações da embalagem, em água temperada com sal. Depois de cozido, escorrer e reservar.

2. Numa taça colocar a abóbora assada e o queijo de cabra cortados em cubos. Acrescentar o tomate cortado ao meio, as folhas de alface e os coentros.

3. Numa taça emulsionar o azeite com o vinagre, o sal e a pimenta.

4. Regar a salada com o molho, mexer e servir.


A salada fica deliciosa. O bulgur dá-lhe uma textura muito agradável. Depois de ver o filme Hitchcock, fiquei com curiosidade de rever Psycho!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Sopa de bacalhau com tomate e ovo escalfado


A que sabem as segundas-feiras? Há qualquer coisa de especial sempre em cada segunda-feira. Cada semana, para mim, é como uma corrida, tem um princípio e um fim. O princípio começa em cada uma das segunda-feiras que preenchem as nossas vidas. É o recomeço. É o voltar à rotina. Por um lado, sabe bem. Mas por outro lado ... é como quando se come um sobert de limão depois de um prato maravilhoso que nos deixou satisfeitos, cheios. O sorbet apaga os vestígios de sabor do que foi bom e prepara-nos para o que vem a seguir.

As segundas-feiras sabem a pratos agridoces. Sabem a dias cinzentos e chuvosos, a limonada sem açúcar, a dióspiros ainda sem tempo suficiente para amadurecerem, que deixam na boca um sabor adstringente.

Mas perante as coisas boas e menos boas da vida o importante é a atitude. A atitude com que encaramos tudo o que nos acontece ou que é simplesmente inevitável. O melhor é pensar que as segundas-feiras são dias bons. Que nos ajudam a fazer um percurso, que o melhor é começar a semana com o pé direito e principalmente com comida da boa, que nos faça sorrir e pensar que cada dia vale a pena ser bem vivido.

Hoje que é segunda-feira deixo-vos uma sopa reconfortante que vos vai ajudar a fazer a corrida até domingo. Aceitam? A todos, votos de boa semana.


Ingredientes:
1 posta de bacalhau
2 dentes de alho
1 cebola
1 folha de louro
1 dl de azeite
70 g de pimento vermelho
1 lata (400g) de tomate em pedaços
700 g de batatas
7 dl de água ou caldo de cozedura do bacalhau
4 ovos
sal e pimenta preta q.b.
25 g de salsa picada
4 fatias de pão torrado para servir


1. Cozer o bacalhau. Depois de cozido retirar-lhe a pele e as espinhas. Reservar.

2. Picar a cebola e os dentes de alho.

3. Levar ao lume uma panela com a cebola, os alhos, o azeite, o pimento cortado em pequenos cubos e o louro. Deixar refogar até a cebola ficar transparente.

4. Adicionar o tomate e deixar cozinhar um pouco. Temperar, a gosto, com sal e pimenta preta acabada de moer.

5. Adicionar o caldo de cozedura do bacalhau. Assim que levantar fervura adicionar as batatas cortadas às rodelas. Deixar cozer.

6. Juntar o bacalhau lascado e os ovos um a um. Assim que os ovos estejam cozidos, retirar do lume, polvilhar com salsa picada e servir.

7. Servir com fatias de pão torrado.


Esta receita foi feita para a revista Saber Viver de Dezembro de 2012.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Tacos com abacate e atum


Há dias em que chegamos a casa e com o cansaço de um dia de trabalho nem sempre a motivação para ir para a cozinha é a maior. Mas para preparar uma refeição rápida e deliciosa, por vezes bastam apenas dez minutos. Basta ter à mão um conjunto de ingredientes, como por exemplo uma embalagem de tortilhas, um abacate maduro e uma boa dose de imaginação. Esta receita foi feita para a edição de Novembro de 2012 da revista Saber Viver.

Ingredientes:
2 latas de atum em azeite
1 abacate
1 colher de sopa de sumo de limão
200 g de tomate cereja
1 cebola roxa picada
20 g de salsa picada
sal e pimenta preta de moinho q.b.
8 tortilhas mexicanas de trigo
salada de folhas verdes para servir


1. Descascar o abacate e regar com o sumo de limão. Reduzir a puré a mistura com a varinha mágica.

2. Juntar ao puré de abacate o tomate cereja cortado ao meio, a cebola roxa, o atum previamente escorrido e a salsa. Temperar com sal e pimenta a gosto. Mexer.

3. Aquecer as tortilhas seguindo as indicações da embalagem.

4. Rechear as tortilhas com o preparado de abacate e atum.

5. Servir com uma salada de folhas verdes.


Estas tortilhas ficam tão boas!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Crème brûlée e a invenção do Amor


Sempre que o Dia dos Namorados chega lembro-me de um poema que acho delicioso e que fala da invenção do amor com carácter de urgência:

A Invenção do Amor
(...)
Um cartaz denuncia que um homem e uma mulher se encontraram num bar de hotel
Numa tarde de chuva entre zunidos de conversa e inventaram o amor com carácter de urgência
Deixando cair dos ombros o fardo incómodo da monotonia quotidiana

Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome de ternura
E souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio
A descoberta
A estranheza de um sorriso natural e inesperado

Não saíram de mãos dadas para a humidade diurna
Despediram-se e cada um tomou um rumo diferente embora subterraneamente
Unidos pela invenção conjunta de um amor subitamente imperativo
(...)


Daniel Filipe
A Invenção do Amor e Outros Poemas
Lisboa, Editorial Presença, 1972

É urgente o amor. É imperativo que os homens e as mulheres se encontrem. Que cedam aos desígnios do coração. Que ofereçam flores, que guardem entre as páginas velhas de um livro a angústia e a solidão, que saiam para a rua com carácter de urgência e procurem num sorriso, num olhar um sinal para serem felizes!

E para este dia especial em que um homem e uma mulher inventaram o amor, deixo-vos uma deliciosa sobremesa.

Crème Brûlée

Ingredientes:
500 ml de natas
100 g de açúcar
4 gemas de ovo
1/2 vagem de baunilha


1. Colocar as natas num tacho juntamente com a baunilha aberta. Levar ao lume, só para aquecer, sem deixar ferver.

2. Bater as gemas com o açúcar.

3. Juntar as natas aquecidas à mistura de gemas, rejeitando a vagem de baunilha.

4. Colocar o preparado em ramequins.

5. Levar os ramequins num tabuleiro, com água até metade dos ramequins, ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 35 a 40 minutos.

6. Retirar os ramequins. Deixar arrefecer e levar ao frigorífico 4 horas antes de servir.

7. Antes de servir, cobrir o creme com açúcar e queimar com um pequeno maçarico de cozinha.

8. Servir decorado com framboesas.


Segui a receita do chef Marc Bauer. A todos, votos de um feliz Dia dos Namorados. E por favor, reinventem o amor com carácter de urgência!

Um jantar romântico no Dia dos Namorados - As participações


O Cinco Quartos de Laranja em parceria com a Herdade da Calada promoveram um desafio intitulado Um jantar romântico no Dia dos Namorados. Este desafio chegou ao fim. Publico agora as trinta e cinco participações válidas, todas elas com frases bem engraçadas. A todos que concorreram o meu muito obrigada!



1
Maria Oliveira
Quando a noite cai, dois amantes apaixonadamente se vão juntar, com Cinco Quartos de Laranja e uma Herdade da Calada, serão eternos momentos para recordar!
2
Marlene Teixeira
Com o aproximar deste dia tão especial, começam os nervos a surgir...recorro ao blogue, Cinco Quartos de Laranja para no meu jantar, uma refeição digna de reis conseguir...mas quase que me esquecia do que nunca poderia faltar, um bom vinho da Herdade da Calada, esse sim, vou ter que me presentear!
3
Luisa Alexandra
O blog Cinco Quartos de Laranja e a Herdade da Calada vão ajudar a surpreender a pessoa amada!
4
Dorita Diogo
Para um dia Inesquecível ter ... somente com um bom acompanhamento ... Cinco Quartos de Laranja a não perder ... com um vinho da Herdade da Calada para nunca esquecer ...
5
Filipe Baptista
Há uma coisa que me intriga há muito tempo: sendo o Cinco Quartos de Laranja um espaço que apresenta sempre propostas tão saborosas e saudáveis, como é que ainda não se lembrou de sugerir aos seus leitores um prato de "namorar", o ingrediente mais saudável que podemos encontrar!? Acho que, por exemplo um "namorar" à Bulhão Pato, acompanhado com uma garrafa de Vale da Calada rosé, da Herdade da Calada, é sempre uma ideia muito apetecível.
6
David Montez
Na Herdade da Calada, as báquicas virtudes do puro néctar parecem intensificar-se com ébrios pecados dos Cinco Quartos de Laranja!
7
Marta Cunha
Na Herdade da Calada vou partilhar contigo, meu Amor, Cinco Quartos de Laranja!
8
Marta Chambel
Com o Cinco Quartos de Laranja aguça o teu paladar! Acompanha com Herdade da Calada, e ... deixa intensificar o prazer de degustar!
9
Natércia Moreira
Segue o mapa até à Herdade da Calada, e, uma vez lá, encontra as pistas: um, dois, três, quatro e Cinco Quartos de Laranja e degusta-los-emos a dois neste paraíso feito para nós.
10
Cilinha Fernandes
Com Cinco Quartos de Laranja a cozinhar e Herdade da Calada a acompanhar o jantar do Dia dos Namorados será para sempre lembrar!
11
Gabriela DA Duarte
Amor é cego? Ainda bem que não perdeu o paladar!Assim vamos poder saborear a receita do Cinco Quartos com Laranja regada um bom vinho da Herdade da Calada! Ai amor, vamos para a cabana?
12
Mariana Teixeira
O amor aqui em casa nós festejamos todos os dias do ano, mas este dia eu queria tornar ainda mais especial. À mesa um bom vinho do meu Alentejo, o da Herdade da Calada seria o ideal. E para o degustar ter a acompanhar uma deliciosa refeição, inspirada no Cinco Quartos de Laranja, meu blog de eleição.
13
Verdadeira Poupança
Na mais linda noite de amor saborearei uma garrafa da Herdade da Calada e sentirei o perfume de uma receita requintada Cinco Quartos de Laranja.
14
Filipe Baptista
A ver se ganho estas garrafinhas da Herdade da Calada para acompanhar o jantar do dia 14. É que o resto já está na mesa, o amor e, dos Cinco Quartos de Laranja, uma bela surpresa.
15
Sílvia Fernandes
Como Cinco Quartos de Laranja e sorvo um gole de Herdade da Calada, olho-te apaixonada, a vida é bela e o amor surge.
16
Isabel Alvarrao
Com Herdade da Calada vou brindar
Cinco Quartos de Laranja vou degustar
O amor vou celebrar.
17
Sandra Aracy Minhós
Eram quase dezanove horas, a noite caía na Herdade da Calada... De cinco em cinco quartos havia um casal de amantes que tinha escolhido uma massagem corporal com essência de laranja... Estava na hora de satisfazer os seus pedidos...
18
Sandra Aracy Minhós
Branco, tinto ou rosé desde que seja da Herdade da Calada marcha, mas o que importa mesmo é ter pelo menos uma dessas garrafitas a acompanhar um belo repasto sugerido pelos Cinco Quartos de Laranja, o melhor blogue de culinária atual, com o meu amor no dia dos namorados!
19
André Caiado
Em ambiente de romantismo o amor anda no ar, Cinco Quartos de Laranja dá a receita de excelência ao paladar e a Herdade da Calada o licor divino que faz a alma levitar...
20
Marco Arm
Com uma noite de São Valentim no horizonte e a qualidade da Herdade da Calada como fronteira, as dicas do Cinco Quartos de Laranja são o melhor passaporte para elaborar um jantar romântico da melhor maneira!
21
Cilinha Fernandes
Com Cinco Quartos de Laranja a cozinhar e Herdade da Calada a acompanhar o dia dos namorados será para sempre recordar.
22
Sofia Prazeres
No dia e S.Valentim vou ficar "calada" a comer a "laranja" nos "Quartos" à tua espera ... volta pelas "cinco"da tarde para a minha "herdade".
23
Sandra Pinto
Com o nosso amor caminhamos lado a lado em terras de Alentejo, na Herdade da Calada, adoçando as nossas vidas com Cinco Quartos de Laranja.
24
Gabriela Dias
Neste dia de (e)namorados, na nossa cozinha para dias felizes, degustamos saborosamente este prato que o Cinco Quartos de Laranja nos oferece e pedimos a Baco que nos contemple com um néctar da Herdade da Calada.
25
Mariana Teixeira
Se ao amor queremos brindar, o vinho da Herdade da Calada eu vos venho recomendar. Na mesa, uma receita inspirada e feita com o coração, veio do Cinco Quartos de Laranja saboreada com emoção.
26
Tensinha Anjos
Na Herdade da Calada,no dia de São Valentim vou namorar e, vamos nos deliciar com Cinco Quartos de Laranja.
27
Dulce Correia
Com a comida de Cinco Quartos de Laranja acompanhada pelo vinho da Herdade da Calada o nosso amor será eterno.
28
Dora Costa
Ao sabor da Herdades da Calada, junta-se uma pitada de Cinco Quartos de Laranja a receita ideal para um dia de São Valentim cheio de paixão.
29
Lucia Fernandes
Um prato do Cinco Quartos de Laranja vou preparar, com um vinho da Herdade da Calada a acompanhar, para o meu amor impressionar!
30
Hugo Costa
Receita da Herdade da Calada para dia 14...Entrada: Tentações confitadas com harmonia...Prato: Amor braseado em cama de paixão com aroma a Cinco Quartos de Laranja, acompanhado com pitadas de desejo e novas sensações salteadas..Sobremesa: Sentimentos recheados com felicidade!
31
Cristiana Barata
Receita para um final feliz: servir um Herdade da Calada e deixar apurar os sentidos. Levar a emoção a lume forte, deixando levantar fervura. Quando estiver em ponto de rebuçado, finalizar com Cinco Quartos de Laranja. Empratar no dia 14/2, servir em qualquer dia do ano.
32
Filipa Garcia
Vinho Herdade da Calada no frio, receita do Cinco Quartos de Laranja e lareira acesa, ingredientes perfeitos para uma noite de São Valentim.
33
Eva Araújo
Na Internet andava eu a navegar, para encontrar um mimo para o meu amor enamorar, e aqui vim dar ... assim, uma receita para degustar dos Cinco Quartos de Laranja eu vou levar, e se tudo correr bem, a Herdade da Calada com um bom vinho nos vai abençoar!
34
Marina Martins
Ao meu amor vou preparar uma receita do blog Cinco Quartos de Laranja, e com todo o amor regar o jantar com vinho da Herdade da Calada .Só pode ficar perfeito, para o impressionar.
35
Cristina Basílio
Cinco Quartos de Laranja em lume brando, regados com vinho da Herdade da Calada, intensificam o paladar de fim-de-tarde secreto roubado a tudo mais.

A Herdade da Calada escolheu a participação #33 da Eva Araújo que será agora contactada de maneira a que possa receber o mais rapidamente possível as seguintes três garrafas de vinho:
- Uma garrafa de Vale da Calada rosé de 2012;
- Uma garrafa de Vale da Calada branco de 2011;
- Uma garrafa de Vale da Calada tinto de 2010.

Feliz Dia dos Namorados!