Próximos Workshops
Lisboa 2 de Abril de 2017
Domingo:
10h00 - 13h00      Doces e Folares de Páscoa
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Bolo de morango e ruibarbo


Na minha última ida às compras aos supermercados biológicos Brio vi os primeiros produtos do Outono, as romãs, as nabiças, a pastinaca, a batata violeta, juntamente com alguns ingredientes ainda de Verão, os figos, os morangos e as ameixas. Descobri ainda um fruto, a pêra-melão, que estou curiosa por experimentar. Uma das coisas que gosto sempre que vou ao Brio é encontrar novos produtos, juntamente com uma grande variedade de vegetais frescos e viçosos.

Os dias chuvosos convidam a ficar em casa. E parte do meu fim-de-semana foi de volta da cozinha, de novas receitas e algumas leituras. No domingo, para o lanche fiz este bolo delicioso, ainda com um cheirinho a Verão, mas a pedir o conforto de um café bem quente.

Ingredientes:
125 g de manteiga sem sal (à temperatura ambiente)
350 g de açúcar
4 ovos
100 g de farinha de espelta
250 g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1,5 dl de leite
150 g de ruibarbo
200 g de morangos
Farinha para polvilhar
Açúcar em pó para polvilhar (facultativo)


1. Bater a manteiga com o açúcar.

2. Adicionar os ovos um a um e bater entre cada adição.

3. Juntar as farinhas com o fermento, adicionar ao preparado anterior com o leite. Mexer.

4. Cortar os morangos ao meio ou em quatro, e cortar o ruibarbo em pedaços com aproximadamente 1 cm. Polvilhar com farinha.

5. Envolver os morangos e o ruibarbo na massa.

6. Colocar o preparado numa forma untada com manteiga. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 50 minutos.

7. Depois de desenformado, polvilhar com o açúcar em pó.


Este bolo fica muito macio, fofo. Adoro encontrar os pedaços da fruta. Com um chá ou café, num dia de chuva, cinzento como o de hoje, sabe tão bem!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Pastéis de carne com alho-francês


No mundo da cozinha uma das questões que me deixa curiosa é como é que os chefs chegam ao empratamento de um prato. Onde vão buscar a inspiração para dispor os vários elementos de forma apelativa? A primeira coisa que vemos assim que recebemos um prato num restaurante, é a apresentação. Se está bonito, surpreendente, temos ainda mais prazer em desfrutá-lo. A comida, para além da sua função de sobrevivência, está também associada ao prazer de nos deliciarmos a saborear um bom cozinhado e se tiver boa apresentação, ainda melhor.

Esta semana tive a oportunidade de ver o chef Nuno Barros da 1300 Taberna a falar sobre a importância dos empratamentos, numa acção organizada pela AEG. O chef realçou a importância da utilização de diferentes cores e texturas no prato. Mostrou-nos alguns dos produtos que costuma usar para dar uma outra vida aos seus petiscos, como por exemplo o azeite de ervas, purés, pasta de azeitona, crocante de chouriço, micro vegetais, entre outros. O importante é marcar a diferença e surpreender da parte do restaurante, o cliente.


Deixo-vos, hoje, uma sugestão que apresentei na edição de Agosto de 2013 da revista Saber Viver e que pode fazer parte de uma refeição ou em alternativa pode servir como petisco quando recebemos amigos. Confesso que cá por casa, da última vez que os fiz, desapareceram enquanto o diabo esfregava um olho!

Ingredientes:
280 g de massa fina congelada cortada em discos
250 g de carne de porco picada
25 g de linguiça
0,5 dl de azeite
70 g de cebola
2 dentes de alho
1 folha de louro
50 g de alho-francês sem rama
15 g de coentros
Sal e pimenta-preta q.b.
1 ovo batido para pincelar


1. Refogar em azeite, numa frigideira, a cebola e os dentes de alho picados. Adicionar a folha de louro e a linguiça cortada em pequenos cubos.

2. Juntar ao preparado o alho-francês cortado às rodelas e a carne picada. Temperar com sal e pimenta preta a gosto. Deixar cozinhar.

3. Ao retirar do lume adicionar os coentros picados.

4. Rechear a massa com a carne. Pincelar as bordas da massa com um pouco de água e de seguida dobrá-la. Com um garfo pressionar para fechar os pastéis.

5. Pincelar os pastéis com ovo batido.

6. Levar os pastéis num tabuleiro forrado com papel vegetal ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 18 minutos.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Legumes assados no forno para um dia de Outono


Com a temperatura a descer, o tempo começa a pedir por comida feita no forno. Hoje, apresento uma sugestão de acompanhamento que, por exemplo, vai muito bem com carne estufada, filetes de peixe panados e tranches de peixe na frigideira. Pode até mesmo constituir uma refeição leve ao jantar. É relativamente rápido de preparar e ajuda a reconfortar a alma nestes dias um pouco mais cinzentões. Fiz esta receita para a edição de Janeiro de 2013 da revista Saber Viver.


Ingredientes:
500 g de abóbora
2 cherovias
180 g de floretes de couve-flor
1 curgete
1 chuchu
180 g de tomate cherry
10 g de salsa picada
5 g de tomilho fresco picado
1 dl de azeite
0,5 dl de vinagre balsâmico
Sal q.b.


1. Pré-aquecer o forno a 180ºC.

2. Num tabuleiro colocar os legumes cortados aos cubos, com excepção do tomate que deverá ser colocado inteiro.

3. Polvilhar os legumes com a salsa e o tomilho. Temperar com sal e regar com o azeite e o vinagre. Mexer.

4. Levar ao forno a assar durante 60 minutos. A meio da assadura, mexer os legumes.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Ida às vindimas e o que fazer quando nos sobra grão cozido?


Já há algum tempo que gostava de ir a uma vindima. Eu que cresci no campo, cheguei a acompanhar de perto esta azáfama e confesso que já tinha saudades. Por isso quando recebi o convite para participar nas vindimas da Quinta do Gradil aceitei com entusiasmo. No passado sábado rumei para os lados do Cadaval e fui vindimar, juntamente com muitos outros convidados, alguns dos quais bloggers amigos. A casta vindimada foi tannat e confesso que não me saí muito mal. Enchi o meu cesto num instante. Quando se aprende a vindimar nunca mais se esquece, é como andar de bicicleta. E dá algum prazer retirar das cepas os cachos de uvas e saber que estamos a contribuir para a produção de um vinho, processo com séculos de existência.


O dia estava particularmente quente, por isso soube muito bem terminar a tarefa e ter o prazer de ir provar alguns dos vinhos produzidos pela Quinta do Gradil num almoço farto, com direito a porco assado no espeto, que adoro.

Dos vinhos produzidos pela quinta tive a oportunidade de provar os brancos Verdelho 2012, Viosinho 2012 e um destacado Arinto & Sauvignon Blanc 2011 e os tintos Touriga & Tannat 2012 (vindimado numa iniciativa semelhante no ano passado) e um superlativo Cabernet Sauvignon & Tinta Roriz 2010. Ainda consegui degustar uma muito interessante aguardente com mais de 40 anos. O almoço foi ao ar livre, com uma vista fabulosa para os vinhedos que rodeiam a quinta. Claro que a seguir ao almoço, e depois de tanto vinho bom provado, só me apetecia dormir a sesta.

E o fim das vindimas coincide com a chegada do Outono. As primeiras chuvas, o céu cinzento carregado de nuvens, o tempo fresco a pedir a mudança de guarda-roupa, são sinais de que temos mudança de estação. E com o Outono vem também a vontade de ter na mesa pratos quentes. A sugestão de hoje é uma ideia para aproveitar sobras de grão cozido que fiz para a edição de Maio de 2013 da revista Saber Viver inserida num artigo de aproveitamentos.


Sopa de grão com espinafres

Ingredientes:
525 g de grão cozido
1 dl de azeite
1 cebola
3 dentes de alho
125 g de folhas de espinafres
1 l de água ou caldo de legumes quente
Sal q.b.


1. Com um garfo esmagar grosseiramente o grão. Reservar.

2. Levar o azeite ao lume com a cebola picada e os dentes de alho. Deixar refogar até a cebola estar transparente.

3. Acrescentar a água ou caldo de legumes e o grão cozido e desfeito. Deixar ferver 3 a 4 minutos.

4. Juntar as folhas de espinafres e temperar com sal a gosto.


Bem-vindo Outono!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Tarte de tomate e curgete com queijo Camembert


O Verão chegou ao fim. O Outono, que no início, dá sinais de timidez, deixando o sol brilhar, acaba por pouco a pouco fazer notar a sua chegada. Gosto da mudança de estações. A mudança implica renovação. E o renovar é sempre seguido de perto de balanços, de avaliações, de querer fazer e descobrir coisas novas. E o que quero eu para este Outono? Principalmente, quero continuar a sorrir perante o magnífico mistério da vida. Quero continuar a sonhar que consigo fazer coisas, muitas coisas. Quero ajudar sempre que sei que alguém precisa de mim. Sentir-me útil.

Se com o Outono penso em aproveitar o melhor que posso os marmelos, as castanhas, as romãs, os dióspiros, com o Verão rendo-me ao encanto da doçura do tomate e do verde das curgetes, que nos chegam em abundância. E enquanto, o Outono nos brinda com a sua timidez, em que o vento e a chuva discutem pormenores com o céu e as nuvens, e enquanto as folhas das árvores não caem, deixo-vos uma receita de forno, ainda com sabor a Verão, para a rubrica Momentos Président avec Plaisir.


Ingredientes:
1 queijo Camembert Président
5 ovos
1 dl de leite
1 colher de chá de orégãos secos
2 tomates
1 curgete
2 folhas de massa brick
1 colher de chá de manteiga
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Estender a massa brick e pincelar as folhas com a manteiga derretida. Colocar a massa numa forma de tarte.

2. Bater os ovos com o leite, sal e pimenta-preta a gosto.

3. Cortar o tomate e a curgete às rodelas.

4. Dispor as rodelas de tomate e curgete alternadamente na forma de tarde.

5. Regar com a mistura de ovos.

6. Cortar o queijo Camembert e dispor as fatias em cima da tarte.

7. Polvilhar com orégãos secos.

8. Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 25 minutos.


Servir com uma generosa salada de verdes.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Na biblioteca municipal de Algés a falar do Cozinha para Dias Felizes


Queridos Leitores,

no próximo sábado, dia 28 de Setembro de 2013, às 16h vou estar na Biblioteca Municipal de Algés a falar do Cozinha para Dias Felizes, de romances em que a comida é um dos ingredientes principais, da minha paixão pelas coisas boas da vida, de gastronomia e viagens. Prometo muitas histórias à volta da mesa.

Para este encontro, também vou colocar as mãos na massa, como se costuma dizer, e preparar-vos uma deliciosa salada, que de seguida terão a oportunidade de degustar. Para além disso, será ainda oferecido a quem assistir, um exemplar da revista Saber Viver com qual colaboro e terão a possibilidade de levar o vosso exemplar do Cozinha para Dias Felizes autografado.

Conto convosco? Apareçam!

Salmonetes no forno com cebolada e tomate assado


Os aniversários devem ser comemorados. A festa é sinal de agradecimento, de alegria, de partilha com os outros de um momento que nos é querido e que queremos que os outros façam parte. Quando soube que os supermercados biológicos Brio faziam cinco anos também me quis juntar à festa. Para mim, tem sido um desafio interessante, nos últimos meses, ir às compras semanalmente
e confeccionar uma receita que reflicta a filosofia do Brio. E como hoje é dia de festa, a mesa já está posta:



Para prato principal deixo-vos uma sugestão de peixe, ou melhor de salmonete. Os supermercados biológicos Brio passaram a vender peixe. O peixe vem todo de Sesimbra, fresco, amanhado, embalado a vácuo, comercializado por O Melhor Peixe do Mundo.

Para além do peixe fresco, não resisti às diferentes variedade de tomate mini e às batatas violeta. Descobri estas batatas roxas quando andei por alguns mercados do Canadá e Estados Unidos. Na altura fiquei tão curiosa, mas não cheguei a provar. Por cá, nunca tinha tido a possibilidade de comprar, por isso quando vi as batatas violeta não deixei escapar a oportunidade.

Salmonetes no forno com cebolada e tomate assado

Ingredientes:
2 salmonetes
1 cebola grande
3 dentes de alho
0,8 dl de azeite
2 hastes de alecrim ou tomilho fresco
500 g de tomate variado (laranja, ameixa preta, ameixa rosa, pêra amarela, voyage, green zebra)
3 batatas violeta
1 batata-doce
Sal q.b.


1. Cortar a cebola às rodelas.

2. Levar a cebola, os dentes de alho picados numa frigideira, com 0,5dl de azeite, ao lume. Deixar cozinhar até a cebola quebrar.

3. Fazer dois cortes em cada um dos lados do peixe. Nos cortes colocar um pouco de alecrim.

4. Colocar a cebolada num tabuleiro de forno. Por cima, dispor os salmonetes e o tomate. Temperar com sal.

5. Regar o preparado com um pouco de azeite. Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 20 minutos.

6. Cozer as batatas com a pele, separadamente, em água. Depois de cozidas, retirar-lhes a pele, cortá-las em cubos.

7. Servir as batatas com o peixe assado.


O peixe é tão bom. Uma carne firme, que combina deliciosamente com o aroma do alecrim ou do tomilho.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Tagliatelle com mexilhão e pesto de flor de curgete


O Verão começa a despedir-se. As noites chegam mais cedo. Apesar dos dias quentes e cheios de sol, que nos deixam cheios de vontade para ir para a praia, as noites já se sentem mais frescas. A natureza segue o seu ritmo. E nós acompanhamos e tentamos aproveitar todas as coisas boas que nos tem para oferecer. E uma das coisas que gosto de aproveitar no Verão é a curgete e a sua flor.

Com flores de curgete já fiz ovos mexidos, flores recheadas, frittata e tartes. Este ano decidi-me também por um pesto.

Pesto de flor de curgete

Ingredientes:
50 g de flores de curgete
80 g de avelãs tostadas
50 g de queijo parmesão ralado
1 dente de alho
2 dl de azeite
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Retirar o pé e o estame das flores de curgete.

2. Colocar as flores, as avelãs, o queijo, o alho e o azeite num copo liquidificador. Temperar com sal e pimenta preta a gosto. Triturar.



Tagliatelle com mexilhão e pesto de flor de curgete

Ingredientes:
250 g de miolo de mexilhão
280 g de tagliatelle
2 g açafrão-das-índias
1 dente de alho
0,5 dl azeite
200 g de pesto de flor de curgete
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cozer a massa seguindo as indicações da embalagem, em água e sal.

2. Picar o alho.

3. Levar uma frigideira ao lume com o azeite e o alho. Deixar frigir.

4. Adicionar o miolo de mexilhão. Temperar com açafrão, sal e pimenta preta acabada de moer, a gosto.

5. Assim que o miolo estiver cozido, retirar do lume.

6. Numa taça misturar a massa, o miolo de mexilhão e o pesto de flor de curgete. Mexer e servir.

Este prato fez as delícias cá de casa, num dia bonito de Verão.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Depois do treino: Sumo de tomate com agrião


Setembro é o mês de (re)começar certo tipo de rotinas. E para quem este mês (re)começa o seu jogging, futebol, ou outro tipo de actividade física, deixo-vos aqui uma sugestão para ser bebida depois de uma sessão intensa de exercício físico, um sumo de tomate com agrião. Este sumo ajuda a hidratar rapidamente o organismo contribuindo ainda para formação da massa muscular (proteína de leite) e acção anti-oxidante (tomate e agrião).

Ingredientes:
100 ml de água
1 medida de proteína de soro de leite
1 tomate
1 molho de agrião


1. Colocar todos os ingredientes na liquidificadora e triturar até obter um líquido homogéneo.


Esta receita faz parte de um conjunto de cinco sugestões para sumos/batidos para tomar antes e depois do treino, que produzi para edição de Abril de 2013 da revista Saber Viver com a preciosa ajuda da fisiologista do controlo de peso Teresa Branco.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Como aproveitar frango assado | Fusilloni com frango e molho de tomate


Há dias em que procuramos soluções para dar destino ou uma outra roupagem a sobras. Comer sempre o mesmo cansa. E termos frango assado para o jantar e no dia seguinte, por exemplo levar na marmita o almoço ou fazer uma refeição em casa, não é lá muito apelativo. Hoje deixo-vos uma ideia saborosa e fácil de preparar para quando temos sobras de frango e preparar uma deliciosa refeição que desenvolvi para a edição de Maio de 2013 da revista Saber Viver.

Ingredientes:
450 g de frango assado
250 g de massa fusilloni
80 g de azeitonas pretas às rodelas
1 embalagem (340g) de molho de tomate e manjericão
30 g de queijo parmesão ralado
Sal q.b.


1. Cozer a massa em água temperada com sal, seguindo as instruções da embalagem.

2. Desfiar o frango.

3. Numa taça colocar o frango desfiado, as azeitonas e o molho de tomate.

4. Depois de cozida e previamente escorrida, adicionar a massa ao preparado anterior. Mexer muito bem.

5. Polvilhar com o queijo parmesão e servir.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Sandes quente de queijo Brie com presunto e curgete grelhada


Houve uma altura em que adorava ir às casas de sandes, muito comuns em centro comercias. Eram novidade e apresentavam sandes variadas em pão estaladiço. Faziam uma refeição rápida e em conta, em tempos de universidade. Uma das sandes que me lembro era uma que levava queijo Brie com presunto. O queijo ligeiramente derretido sabia tão bem, que uma sandes, apesar de grande sabia a pouco! Hoje para a rubrica Momentos Président avec Plaisir, deixo-vos uma sandes de Brie com presunto e curgete, que pode ser uma excelente ideia para um almoço apressado ou um lanche generoso, para partilhar com alguém especial.


Ingredientes:
1 queijo Brie Président
1 baguete
6 fatias de presunto
1 curgete
1 colher de sopa de mostarda em grão


1. Cortar a curgete em fatias e grelhá-las.

2. Abrir a baguete e barrar as metades com a mostarda.

3. Cortar o queijo Brie em fatias e distribuir pelo pão. De seguida, dispor o presunto e as fatias de curgete grelhadas. Fechar a sandes com a parte superior do pão.

4. Levar ao forno ou à torradeira até o queijo começar a derreter.


Tão bom! O queijo derretido é uma verdadeira tentação.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Salada de beldroegas com mozzarella, figos e salmão fumado


Uma das coisas a que associo o Verão é aos figos. Gosto tanto de figos. Perco-me logo de amores, assim que nos começam a chegar os lampos. Aos outros, que chegam mais tarde, são conhecidos como vindimos, entre eles destaco os pingo de mel, que são uma tentação.

A figueira é um dos símbolos da abundância e uma das primeiras árvores referidas na Bíblia. Quando Adão sai do Paraíso e descobre que está nu, cobre-se com uma folha de figueira. O figo, por causa das suas sementes, está associado à fertilidade.

No dia-a-dia encontramos muitas expressões ligadas a este fruto. "Não há figos para ninguém" ou "Uns comem figos, a outros rebenta-lhes a boca", ou ainda, "Em tempo de figos há amigos". E como eu compreendo que em tempo de figos hajam amigos. São tão bons! Quando nos chegam maduros, doces, são irresistíveis. Há tanta variedade de figos. E claro, se forem como eu, não me contento em apenas comer um.

Na minha última ida ao supermercado biológico Brio não resisti aos figos e às beldroegas, que estavam tão frescas e viçosas.

Ingredientes:
1 molho de beldroegas (350g)
2 queijos mozzarella de búfala
250 g de figos frescos
100 g de salmão fumado
0,5 dl de azeite
2 colheres de sopa de vinagre balsâmico cremoso
1/2 cebola roxa
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Lavar e limpar as beldroegas dos talos mais rijos.

2. Colocar as beldroegas numa taça ou travessa. Adicionar o queijo mozzarella cortado, os figos cortados ao meio, o salmão fumado cortado em tiras e a cebola roxa cortada em meias luas.

3. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto. Regar com o azeite e o vinagre balsâmico cremoso. Mexer e servir.


As beldroegas ficam muito bem em saladas. Cruas, ficam ligeiramente crocantes, deliciosas. Assim conjugadas com os figos, ficam de de comer e não haver para mais ninguém!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A cozinhar no Porto Wine Fest 2013


Há momentos que recordo como muito especiais desde que comecei o Cinco Quartos de Laranja. Guardo com carinho a vinda da Fer a Lisboa, o encontro com várias bloggers, as primeiras entrevistas, as idas à televisão no início com mil borboletas de inquietação no estômago, o desafio de colaborar mensalmente com uma revista, as entrevistas a chefs e amantes da boa comida, a visita a restaurantes galardoados com estrelas Michelin e ultimamente as demonstrações de cozinha com público a assistir. Cada vez que faço um showcooking é sempre tão especial, sinto uma energia enorme e uma felicidade que me faz sorrir. Adoro o contacto com o público, explicar o que estou a fazer e no final ver a reacção das pessoas quando provam o que confeccionei é sempre tão bom!

E foi assim com enorme prazer que aceitei o desafio da IVO Cutelarias para estar presente na segunda edição do Porto Wine Fest. Este evento teve lugar de 4 a 8 de Setembro de 2013 no Cais de Gaia, com uma bonita vista para o Douro e para a Ribeira do Porto. A minha sessão decorreu no sábado às 19h30 e confecionei três pratos com vinho do Porto.


Neste showcooking fiz canapés de queijo com uma compota de cebola roxa com vinho do Porto. De seguida preparei um risotto de cogumelos com vinho do Porto branco que fez as delícias de quem assistiu e onde utilizei os deliciosos boletos e senderilhas desidratados da Terrius. Terminei a minha apresentação com uma sobremesa, creme de iogurte grego com queijo ricotta e compota de figo com vinho do Porto, que fez sorrisos de felicidade em quem provou.

Agradeço à organização do Porto Wine Fest o modo caloroso com que me recebeu.

Se há dias especiais, este sábado, dia 7 de Setembro de 2013, com dois showcookings foi sem dúvida um deles. Em Outubro, voltarei ao Porto.

A cozinhar em Gaia, no El Corte Inglés


O passado sábado foi um dia em grande, bem preenchido. Acordei cedo e rumei em direcção ao Porto. O dia estava bonito, de céu azul e o sol a brilhar.

O meu primeiro showcooking desse dia foi no El Corte Inglés de Gaia, a convite da IVO Cutelarias. Aqui apresentei duas receitas frescas, de Verão, do Cozinha para Dias Felizes e mais duas deliciosas sobremesas que se confeccionam de forma rápida e que são excelentes para dias em que recebemos visitas inesperadas e que não temos tempo para estar na cozinha. Ao longo da demonstração fui falando da importância de ter uma boa faca, ajuda preciosa para quem cozinha. Aconselho, sempre, pelo menos duas facas. Uma faca Santoku ou uma faca de chefe e uma faca de descascar de boa qualidade. Expliquei também alguns dos cuidados a ter com este tipo de facas.


A primeira vez que fiz um showcooking foi no Porto, por isso fico muito feliz sempre que rumo ao Norte. Desta vez, para além do público que carinhosamente assistiu à minha demonstração, tive também o prazer de ter algumas amigas bloggers que me deram uma ajuda preciosa na altura do empratamento das minhas receitas. Foi um prazer ter ali a Inês do Ananás & Hortelã, a Ondina do Coentros & Rabanetes, a Naida do Frango do Campo, a Teresa do Lume Brando e a Mary d'O Meu Refúgio Culinário.

Deixo aqui um grande abraço a todos os que estiveram presentes. Obrigada!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O que fazer quando nos sobra pescada cozida? Cannelloni de pescada com requeijão


A última semana foi cheia de compromissos e coisas boas, que me têm deixado feliz. Assisti na ACPP a uma demonstração culinária do chef Henrique Mouro com produtos do Alto Alentejo, os cogumelos desidratados, os pimentos em conserva e outros produtos da Terrius, carne alentejana, queijo de Nisa e os bons vinhos da Adega Mayor. As costeletas com crosta de broa e farinheira, servidas com puré de cardos e cogumelos trompeta negra, e o creme de castanhas piladas, pratos confeccionados pelo chef, ainda não me saíram da cabeça. Ver se um destes dias os experimento cá em casa.


Assisti ainda, à apresentação dos novos aromas da Nespresso, Kazaar e Dharkan, na Mãe d'Água nas Amoreiras, onde aprendi a degustar um café. Eu adoro café e estes novos lotes da Nespresso irão começar a fazer parte do meu dia-a-dia, já que finalmente tenho a questão da minha máquina de café resolvida. Os cafés da Nespresso são tão bons! A semana passada ainda houve tempo para conhecer o Ingrediente, um jornal do grupo Angelini que detém as marcas Bonsalt, Barral, entre outras. O Ingrediente é um jornal cheio de dicas e conselhos, principalmente sobre o consumo de sal e a hipertensão. É distribuído gratuitamente nas farmácias.


Terminei esta semana preenchida, como eu gosto, com dois showcookings, um no El Corte Inglés de Gaia, a apresentar receitas do Cozinha para Dias Felizes, e outro no Porto Wine Fest, a convite da IVO Cutelarias, onde apresentei receitas com vinho do Porto. Mas depois conto-vos como correu.


Estes últimos dias têm sido também atarefados na minha cozinha. E para quem como eu já regressou ao trabalho, deixo-vos uma sugestão de aproveitamento de peixe cozido, que pode ser uma boa ideia para levar na marmita para o trabalho, uns cannelloni de pescada com requeijão.


Ingredientes:
2 postas de pescada cozidas
1 embalagem de cannelloni
1 cebola
2 dentes de alho
1 dl de azeite
115 g de folhas de espinafres
2 requeijões
25 g de salsa picada
400 ml de molho bechamel
50 g de queijo da Ilha de São Jorge ralado
Noz moscada q.b.
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Colocar o azeite num tacho e levar ao lume. Adicionar o alho picado e de seguida a cebola picada. Deixar frigir até a cebola quebrar.

2. Adicionar as folhas de espinafres picadas grosseiramente e envolver no preparado anterior.

3. Juntar os requeijões, a pescada desfiada e a salsa picada. Temperar com sal, pimenta preta e noz moscada a gosto. Envolver bem.

4. Rechear os cannelloni com o preparado de pescada e requeijão.

5. Dispor os cannelloni num tabuleiro de forno untado com manteiga e regar com o molho bechamel.

6. Polvilhar com o queijo ralado.

7. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 40 minutos.


Quem preferir pode usar folhas de massa fresca para fazer os cannelloni. Esta receita resulta muito bem também com sobras de outros peixes cozidos, como por exemplo bacalhau. Pode ser também uma excelente forma de aproveitar salmão grelhado. Desenvolvi esta receita para a edição de Maio de 2013 da revista Saber Viver.

A todos, votos de um resto de semana feliz.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Camembert no forno com conhaque e tomilho fresco


Há receitas que resultam sempre e que deveriam fazer parte do receituário de cada um de nós. Uma das receitas que adoro fazer quando recebo amigos em casa é Camembert no forno. É simples, rápido e resulta sempre bem. Ninguém resiste ao queijo derretido, a escorrer, cheio de sabor. Barrado em tostas é de comer e voltar a repetir, uma, duas, três vezes ... até o queijo simplesmente desaparecer! Desenvolvi esta receita para a rubrica Momentos Président avec Plaisir.


Ingredientes:
1 queijo Camembert Président
1 colher de sopa de folhas de tomilho fresco
1 dente de alho
1 pitada de pimenta-de-caiena
2 colheres de sopa de conhaque
1 colher de sopa de azeite
Tostas q.b.


1. Com um garfo picar a parte de cima do queijo.

2. Numa taça misturar o dente de alho espremido com as folha de tomilho. Colocar esta mistura em cima do queijo. Polvilhar com a pimenta-de-caiena e regar cuidadosamente com o conhaque, de modo a que este vá entrando no queijo.

3. Por fim, regar com o azeite.

4. Levar ao forno a 210ºC durante 15 minutos.

5. Retirar do forno e servir de imediato com tostas.



O conhaque pode ser substituído por vinho branco seco e quem preferir pode usar alecrim em vez de tomilho.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Cerveja com flor de sabugueiro e lima, uma bebida fresca de Verão


Nas minhas idas ao supermercados biológicos Brio, privilegio normalmente a aquisição de frescos e cereais. Da última vez, resolvi espreitar a área das bebidas com mais atenção. Não resisti às diferentes cervejas e a um refrigerante biológico de extracto de flor de sabugueiro. O resultado foi uma refrescante bebida para ainda os dias quentes de Verão que nos restam.

Bebida de cerveja com flor de sabugueiro e lima

Ingredientes:
1 cerveja (33cl) de mosteiro Spezial
0,5 L de refrigerante biológico com extracto de flor de sabugueiro
1 lima
1 colher de sopa de açúcar amarelo
6 folhas de hortelã
Cubos de gelo q.b.


1. Colocar num jarro a cerveja, o refrigerante, sumo de meia lima e a restante cortada às rodelas, o açúcar, as folhas de hortelã rasgadas com as mãos e cubos de gelo.

2. Mexer e servir.

Podem substituir o refrigerante de extracto de flor de sabugueiro por gasosa.

No Verão gosto de ir fazendo as minhas bebidas. A hortelã, e os citrinos são quase sempre ingredientes escolhidos. A todos, votos de boa semana.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Solha no forno com batatas, um prato de peixe económico


A minha sogra costuma fazer muitas vezes solha assada no forno. Quando pensei nas várias receitas económicas com produtos do mar para a edição de Março 2013 da revista Saber Viver, decidi logo fazer a minha versão de solha no forno. A solha é um peixe relativamente em conta e assim assado no forno fica muito saboroso.

Ingredientes:
700 g de solha
600 g de batatas
1 cebola
2 dentes de alho
1 colher de chá de pimentão doce
1 folha de louro
1 dl de vinho branco
1 dl de azeite
10 g de salsa picada
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Pré-aquecer o forno a 200ºC.

2. Num tabuleiro de forno dispor as batatas e a cebola cortadas às rodelas.

3. Adicionar o alho picado e a folha de louro.

4. Dispor as postas de solha por cima das batatas.

5. Temperar com sal, com o pimentão doce e pimenta a gosto. Polvilhar com a salsa picada.

6. Regar com o vinho branco e com o azeite.

7. Levar ao forno a assar durante aproximadamente 40 minutos.