Próximos Workshops
Porto 25 de Fevereiro de 2017
Sábado:
10h30 - 13h30      Brunch
 
 
15h30 - 19h00      Vamos fazer pão?

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Curd de morango


Quando me perguntam qual a minha fruta preferida, confesso que tenho alguma dificuldade em escolher uma só. Adoro fruta. Não passa um dia em que não coma pelo menos uma peça de fruta, senão duas ou três. Na fruteira durante todo o ano procuro ter maçãs. A preferida para o dia-a-dia é a royal gala, a que se segue a reineta, para assar no forno com vinho, especialmente nos dias mais frios ou chuvosos de Outono, em que começa a apetecer ligar o forno.

Nas peras, a escolhida é a pêra rocha. Este ano, com as várias idas ao mercado procurei trazer outras variedades produzidas também em Portugal e da zona Oeste. As bananas, é fruta comum cá por casa. E que bem que sabe uma bananinha! Vai bem com quase tudo, até com queijo da Ilha de São Jorge no final de uma refeição, em jeito de sobremesa improvisada.

De vez em quando, quando encontro ananases dos Açores bem perfumados, não resisto e trago para casa. Comido ao natural faz as delícias no final de uma refeição.

Não digo que não a uma taça de cerejas frescas e doces, a um pêssego maduro, às nêsperas beijadas pelo sol, aos alperces perfumados, a fazerem lembrar um campo de flores carregadas de pólen, e aos figos. Como eu adoro figos!

Assim que chegam os marmelos, os kiwis, os dióspiros e as romãs, tento sempre aproveitar este tipo de frutas o melhor que consigo. Marmelos salteados ou assados no forno com borrego, tão bons!

Desde que a Primavera nos traz os primeiros morangos que nunca mais cá faltam em casa. Em sumos, batidos, bolos, saladas, gelatinas, compotas e numa coalhada (curd), resultam na perfeição.

A receita, com uma das frutas preferidas cá de casa, que hoje vos deixo, foi desenvolvida para a edição de Maio/Junho de 2014 da revista Comer, inserida num artigo que escrevi sobre o morango.


Curd (coalhada) de morango

Ingredientes para 1 frasco de 550ml:
350 g de morangos
130 g de açúcar
10 g de amido de milho
3 ovos
30 ml de sumo de lima
Raspa de 1 lima
60 g de manteiga sem sal


1. Colocar os morangos numa panela pequena. Tapar e levar ao lume durante cinco minutos, tendo atenção para não deixar queimar os morangos.

2. Bater os ovos com o açúcar, o amido, a raspa e o sumo da lima. Adicionar a mistura aos morangos.

3. Levar o preparado de morangos e os ovos ao lume em banho-maria. Ir mexendo sempre até engrossar.

4. Retirar do lume e adicionar a manteiga.

5. Guardar ainda quente em frascos.


E vocês, qual a vossa fruta preferida? Quais as frutas que não podem faltar em vossa casa?

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Uma visita ao Mercado de Sabores


A quinta edição do Mercado de Sabores do Continente este ano realizou-se em Lisboa e teve como tema a comida de rua, ou street food. Eu fui visitar o espaço logo no primeiro dia, 12 de Setembro, à tarde.


Uma das coisas que me motiva a visitar este tipo de eventos, é, por um lado a comida, a variedade de produtos oriundos de diversas zonas do país, a possibilidade de conhecer os produtores e por outro, as actividades que se realizam, como os workshops e as demonstrações de cozinha dos vários chefs.

A primeira coisa que fiz assim que cheguei foi fazer uma visita pelos expositores. Comecei pela zona da banana da Madeira, passei pelos produtores de dióspiro e romãs, descobri o polvo em azeite na zona das conservas, não resisti a provar as uvas dos diferentes produtores representados, os queijos bons de várias zonas do país, o pão - de Gimonde, de Rio Maior, broa de Avintes - a carne de vaca maturada grelhada. Descobri a carne maturada através da leitura do livro Aventuras da Carne, na altura por cá, era assunto pouco falado, que eu soubesse. Hoje, é interessante ver este tipo de oferta no mercado nacional. Parei também na zona das ervas aromáticas. Adoro usar ervas nos meus cozinhados e foi com agrado que descobri o anis e tive a possibilidade de provar uma folha de stevia, um substituto natural do açúcar. E digo-vos, é mesmo doce. Das Aromáticas Vivas diziam-me enquanto eu provava: "É mais doce do que o açúcar!"


Ao final da tarde assisti ao workshop de ovos moles, um dos ex libris da cidade de Aveiro. Para a preparação dos ovos moles são precisos 5 dl de água, 1 kg de açúcar e 1 kg de gemas. O segredo dos ovos moles está no ponto de açúcar. Mistura-se a água com o açúcar até obter ponto espadana e depois juntam-se as gemas. Dito assim parece fácil, mas quando passamos para a prática, sabemos que a experiência ajuda muito. Para a preparação das hóstias usam farinha, água e um fio de azeite para que a massa não cole. Ali, usaram folhas de hóstia já prontas. Penso que é daquelas coisas que para fazer em casa deve ser mesmo um verdadeiro desafio, por isso ainda nunca me atrevi a experimentar. Depois de pronta a massa é colocada em moldes. A hóstia é ligeiramente molhada e depois é então recheada com os ovos moles. Coloca-se outra hóstia por cima e vai à prensa. De seguida são cortados os ovos moles com as diversas figuras marinhas que tão bem conhecemos.


Durante esta visita assisti também ao processo de fabrico de queijo fresco de forma artesanal. O leite é aquecido e o sal ao ser adicionado é colocado num saco de mousseline para se ir dissolvendo e evitar que se acumule no fundo. O leite é coalhado com a flor de cardo. O líquido preparado com o cardo triturado fica com um tom acastanhado, pronto a usar, depois de coado. Eu tenho um certo fascínio por este processo. Ver se este é o ano em que me aventuro a fazer queijo fresco cá por casa, ou não fosse esse um dos vários desejos que ainda tenho por realizar.


Durante a tarde decorreram várias demonstrações de cozinha realizadas pelos alunos da Escola de Hotelaria de Lisboa e pelo conhecido chef Hélio Loureiro, que apresentou pizzas com ingredientes portugueses.


Passar pelo Mercado de Sabores foi mais uma forma de conhecer o que de bom se produz em Portugal.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Granola com cacau e mel


Os pequenos-almoços são momentos muito importantes nos nossos dias. Desde que me lembro que nunca saio de casa sem comer. Mesmo que esteja atrasada, é uma regra que não abdico. Há sempre qualquer coisa no frigorífico pronta a ser transportada e consumida em poucas dentadas.

Para o dia-a-dia, procuro ter sempre iogurtes líquidos, muito fáceis de transportar, queijinhos embalados individualmente, fruta, nomeadamente maçãs. Seja para um pequeno-almoço em menos de cinco minutos ou para um lanche, estas são opções muito práticas, que podem procurar ter sempre à mão.

Para além do pão, leite e café, uma das coisas que gosto de comer ao pequeno-almoço, para ir variando, é granola com iogurte e fruta. Adoro a textura crocante da granola. A última que fiz foi com cacau.

Granola com cacau e mel

Ingredientes:
400 g de flocos de aveia
130 g de amêndoa com a pele
50 g de sementes de abóbora
50 g de sementes de girassol
150 g de mel
70 g de açúcar amarelo
1,5 dl de óleo de grainha de uva
30 ml de extracto de baunilha
25 g de cacau em pó
1 pitada de sal


1. Colocar num tabuleiro os flocos de aveia e as sementes.

2. Levar ao lume num tacho o mel, o açúcar, o óleo, a pitada de sal, o extracto de baunilha e o cacau em pó. Mexer. Assim que o açúcar se tenha dissolvido, retirar do lume.

3. Regar a mistura de flocos e sementes com o preparado anterior. Mexer muito bem. Compor de modo a que fique uma camada uniforme.

4. Levar ao forno pré-aquecido a 150ºC, durante 25 minutos. Mexer a mistura muito bem e deixar no forno mais 25 minutos.

5. Retirar do forno e deixar arrefecer. Guardar numa caixa bem fechada.


O sabor do cacau fica suave. Quem gostar de um sabor a chocolate mais acentuado, pode, assim que a granola arrefecer juntar pepitas de chocolate negro. Fica uma verdadeira tentação!


Outras receitas de granola:
- Granola com bagas goji;
- Granola com fruta e vinho do Porto no meu livro Delicioso Piquenique, para um lanche a meio da tarde.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Doce de melão com tomate


Fazer doces traz-me boas memórias. É um processo que me transporta à infância. Aos tempos em que a minha mãe todos os anos fazia doce que íamos comendo ao longo do ano. As frutas preferidas eram o tomate, que trazia da horta e muitas vezes, também o melão. A abóbora escolhida para os doces lá de casa, era a porqueira. Hoje para mim, é a eleita para fazer doce.

Ao longo do ano íamos guardando todos os frascos que conseguíssemos para que quando chegasse a altura de preparar o doce tivéssemos em número suficiente. Uns grandes, outros pequenos, com tampas coloridas, enchiam-se assim que o tacho saia do lume. O cheiro adocicado da fruta com o açúcar amarelo e o aroma doce da canela a invadirem a cozinha durante uma tarde, são inesquecíveis!

Das memórias desse tempo guardo também o sabor do doce de melão com tomate que a minha mãe chegou a fazer várias vezes. Este ano experimentei fazer cá em casa. Comido ao pequeno-almoço com um papo seco fresco e estaladiço é de comer e querer repetir!


Ingredientes
1,500 kg de melão (limpo de casca e sementes)
1,250 kg de tomate (limpo de peles e sementes)
1, 300 kg de açúcar amarelo
2 paus de canela


1. Colocar o melão e o tomate cortados em pedaços numa panela.

2. Juntar o açúcar e os paus de canela.

3. Levar ao lume e deixar ferver, mexendo de vez em quando.

4. Assim que tiver reduzido boa parte do sumo das frutas, retirar os paus de canela e triturar com a varinha mágica.

5. Deixar apurar até obter ponto de estrada.

6. Guardar ainda quente em frascos.


A minha mãe aos anos que já não faz doce. Cabe-me a mim, agora partilhar com ela estes pequenos mimos.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Sopa de abóbora com gengibre


O Outono trouxe as trovoadas e a chuva. Já se começa a notar que a noite chega pouco a pouco mais cedo. Cá por casa, depois de um final de semana a comer fora, sabe bem começar uma nova semana com o conforto de um prato de sopa de abóbora com gengibre que desenvolvi para a edição de Fevereiro de 2014 da revista Saber Viver.

Sopa de abóbora com gengibre

Ingredientes para 4 pessoas:
800 g de abóbora sem casca
1 cebola
2 dentes de alho
1 dl de azeite
7 g de gengibre em pó
150 g de alho-francês sem rama
1 l de caldo de vegetais
1 dl de leite de coco
25 g de sementes de abóbora
1 colher de chá de paprica
Sal q.b.


1. Refogar no azeite a cebola e os dentes de alho picados. Assim que a cebola quebrar, adicionar o gengibre e mexer.

2. Adicionar a abóbora cortada em pequenos cubos e o alho-francês em rodelas. Deixar refogar um a dois minutos.

3. Juntar o caldo de legumes. Temperar com sal. Deixar cozer durante aproximadamente 20 minutos.

4. Levar uma frigideira anti-aderente ao lume. Colocar as sementes de abóbora e deixar tostar, mexendo de vez em quando. Reservar.

5. Depois dos legumes cozidos, reduzi-los a puré com a ajuda de uma varinha mágica.

6. Servir a sopa com o leite de coco e as sementes de abóbora tostadas. Polvilhar com a paprica.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Doce de figo com vinho do Porto


Esta semana, felizmente, tem sido especial. Tive a possibilidade de visitar a Quinta das Gaeiras, junto a Óbidos, uma quinta com uns jardins inspiradores e um palacete do século XVII que respira histórias de outros tempos. Por curiosidade, a fachada, pintada de amarelo, da casa aparece na novela da TV, Sol de Inverno. O motivo da visita foi a prova de dois vinhos, o Casa das Gaeiras reserva vinhas velhas branco de 2013 e o tinto de 2012. Vinhos produzidos com a casta Vital. Uma casta que exige condições climatérias especiais, nem anos muito secos, nem chuvosos - neste caso a película do bago não aguenta a excessiva hidratação e rebenta - para produzir com qualidade. A proximidade do mar e o micro-clima da região, ajudam a produzir um vinho com características especiais.

Fui conhecer o renovado restaurante O Funil, cá em Lisboa. Um restaurante que re-abriu no passado mês de Agosto com uma nova gerência e que aposta em pratos da cozinha portuguesa. Nesta visita destaco o delicioso bolo de chocolate da autoria de Francisco Siopa.

Nos dias 17 e 18 deste mês decorreu a final do Schweppes Challenge 2014. Assisti à apresentação dos cinco finalistas do concurso que decorreu no restaurante do chef Cordeiro. O vencedor deste ano foi o barmen Paulo Gomes. É curioso ver a paixão dos jovens participantes pela sua profissão. Uma das coisas que destaco das apresentações que vi, para além da criatividade, foi o uso de alguns produtos, das regiões de onde os participantes são oriundos, nos seus cocktails, como por exemplo, a laranja algarvia. Acredito que este tipo de desafios é uma forma de promover e dignificar, neste caso a profissão de profissional de bar. É bom que se aposte em mais iniciativas deste género alargadas também a outras áreas.

Na minha cozinha este ano tem sido de doces e compotas. Penso que deve ter sido o ano em que mais doces fiz até agora. Fazer doces é uma forma de guardar as coisas boas que o Verão nos oferece dentro de um frasco. Em Agosto e agora no início de Setembro, fiz doce de ameixas brancas com vinho da Madeira, doce de ameixas vermelhas, doce de meloa, e hoje trago-vos o doce de figos de Pingo de Mel com vinho do Porto. Um dos momentos do dia em que adoro comer doces com pão, queijo ou manteiga, é logo pela manhã ao pequeno-almoço. Sabe tão bem começar o dia assim!


Doce de figo com vinho do Porto

Ingredientes:
2 kg de figos Pingo de Mel maduros
1 kg de açúcar amarelo
Casca de 1 limão
1 pau de canela
1,5 dl de vinho do Porto ruby
1 pitada de sal


1. Retirar os pés aos figos e cortá-los em pedaços para uma panela.

2. Adicionar aos figos os restantes ingredientes e levar ao lume.

3. Depois de os figos cozidos, retira o pau de canela e a casca de limão, triturar o preparado com a ajuda de uma varinha mágica.

4. Deixar apurar até obter ponto de estrada.

5. Guardar em frascos ainda quente.


Outros doces com figo:
- Compota de figos Pingo de Mel com especiarias;
- Doce de melão e figo.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Batatas assadas com alecrim


Agora que a chuva parece que veio para ficar, deixo-vos um acompanhamento de forno, muito reconfortante, batatas assadas com alecrim. As batatas assadas desta forma são uma excelente alternativa às batatas fritas. Cá em casa estamos fãs.

Batatas assadas com alecrim
( receita da revista BBC Food )

Ingredientes:
850 g de batatas
2 hastes de alecrim
4 dentes de alho
0,5 dl de azeite
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cortar as batatas em gomos.

2. Colocar as batatas num tabuleiro de forno, com os dentes de alho esmagados com a camisa.

3. Polvilhar as batatas com as folhas de alecrim picadas. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto.

4. Regar com o azeite e mexer.

5. Levar as batatas a assar no forno, pré-aquecido a 200ºC, durante aproximadamente 40 minutos. Servir as batatas quentes.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Bruschetta de morango com queijo e tomate


Setembro já vai a meio. No ar sente-se que o Verão começa a querer despedir-se. Este mês tem sido de recomeços. Colocar muitas ideias no lugar. Fazer planos. Traçar objectivos a curto e a longo prazo.

Pouco a pouco começo a adaptar-me às novas rotinas. Setembro tem sido preenchido. No início do mês fui até Cuba, no Alentejo, para um showcooking onde apresentei receitas com o bom pão alentejano. No dia a seguir, cozinhei para uma festa de aniversário surpresa de uma leitora do Cinco Quartos de Laranja - uma situação nova para mim, que adorei. No passado sábado, ministrei dois workshops no Porto, um dedicado a Entradas & Petiscos e outro com o tema Doces de Chocolate. Foram momentos muito bem passados, rodeados de pessoas muito carinhosas e cheias de vontade de aprender.

Setembro trouxe-nos a chuva, mas os dias continuam abafados e quentes. Por isso, hoje deixo-vos uma receita fresca que desenvolvi para a edição de Maio/Junho de 2014 da revista Comer, inserida num artigo sobre o morango.

Bruschetta de morango com queijo e tomate

Ingredientes para 4 pessoas:
180 g de morangos
85 g de tomate cereja
170 g de queijo fresco
2 hastes de tomilho-limão
30 ml de azeite
15 ml de vinagre balsâmico
1 colher de café de açúcar amarelo
6 fatias de pão regional
Flor de sal e pimenta-preta q.b.


1. Cortar os morangos e o tomate cereja para uma taça. Adicionar as folhas de tomilho, o azeite, o vinagre e o açúcar. Mexer.

2. Torrar o pão.

3. Esmagar o queijo com um garfo. Temperar com pimenta-preta a gosto.

4. Barrar o pão com o queijo. Por cima dispor a mistura de morangos e tomate.

5. Polvilhar as bruchettas com flor de sal imediatamente antes de servir.


Apesar de poder parecer estranho esta combinação de tomate e morango, o que é certo é que estes dois ingredientes combinam muito bem, uma vez que partilham muitos compostos de sabor. Podem em alguns pratos ser substituídos um pelo outro. Nos anos 90, Ron G. Buttery descobriu que o tomate contém o que é conhecido como "a furanona de morango", que se encontra também nas framboesas, ananás, na carne de vaca, entre outros alimentos.

Estas bruschettas ficam cheias de sabor e são muito frescas. Ideais para alegrar estes dias quentes, em que o sol se teima em esconder.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Mercado de Sabores 2014 em Lisboa


O Mercado de Sabores do Continente está de volta nos dias 12, 13 e 14 de Setembro de 2014, no Meo Arena, em Lisboa. Esta quinta edição é inspirada nos sabores da cidade, nas iguarias e petiscos portugueses, na comida de rua ou street food que encontramos em roullotes ou quiosques, permitindo a todos os visitantes uma viagem gastronómica pelos melhores ingredientes e sabores nacionais.

O evento conta com showcookings, ao longo dos três dias, de vários chefs nacionais, como Justa Nobre, Henrique Sá Pessoa, Kiko Martins, Luís Baena e Hélio Loureiro, que trazem, inspirados nas cores e ambientes das cidades, receitas inovadoras associadas às tradições de várias regiões do país.

O Mercado de Sabores tem uma área de exposição com vários produtores nacionais, pertencentes ao Clube de Produtores do Continente, onde é possível, ver, experimentar e até adquirir, desde frescos, a queijos, enchidos, pão, vinhos e doces regionais. Esta iniciativa é mais uma forma de aproximar os consumidores de quem produz.

Entre as diversas iniciativas programadas destaco a fábrica de queijos, onde os visitantes poderão aprender as várias fases no fabrico de queijo, o workshop de ovos moles, para além de todas as actividades lúdicas pensadas para a família que encontram ao consultar o programa do Mercado de Sabores.

Hoje à tarde, passo pelo Mercado de Sabores. Encontramo-nos lá?

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Sopa de quinoa com lentilhas vermelhas


O Verão começa a despedir-se. Sente-se no ar um cheiro fresco a Outono. O uso de guarda-chuva e sapatos fechados, nos últimos dias, tornou-se um imperativo.

E assim que a chuva aparece, surge também a vontade de pratos quentes, reconfortantes. Por isso hoje deixo-vos uma sopa cheia de sabor que preparei para a edição de Março de 2014 da revista Saber Viver.

Sopa de quinoa com lentilhas vermelhas

Ingredientes:
80 g de quinoa real
65 g de lentilhas vermelhas sem casca
1 cebola roxa
2 dentes de alho
1 folha de louro
400 g de tomate pelado em conserva
200 g de talos de aipo
300 g de abóbora Hokkaido
1,2 l de caldo de legumes
1 dl de azeite
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Levar ao lume a cebola roxa e os dentes de alho picados, com o azeite e a folha de louro. Deixar refogar até a cebola quebrar.

2. Adicionar o tomate pelado e esmagar grosseiramente com a colher-de-pau. Deixar cozinhar durante dois minutos.

3. Adicionar o caldo de legumes, as lentilhas, a quinoa, previamente lavada, o aipo e a abóbora cortados.

4. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto e deixar cozinhar, durante aproximadamente 15 minutos ou até os legumes estarem cozidos.


Se quiserem podem acrescentar a esta sopa umas folhas de espinafres ou um ramo de agrião.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Batata recheada com alho-francês e salmão


O final do Verão traz no ar uma certa nostalgia. Assim que a chuva aparece, o estado de espírito muda. Não é bom nem é mau. É sinal de mudança.

A pouco e pouco começam as rotinas normais de quem regressou ao trabalho e as habituais preocupações de quem tem filhos a iniciar mais um ano escolar. A compra dos manuais escolares, o equipamento para as aulas de educação física, a calculadora, isto tudo entre a escolha da mochila e dos lápis coloridos. E a par de toda esta azáfama de início de mais um ciclo estão também as refeições. Hoje deixo-vos uma sugestão muito prática que desenvolvi para a edição de Março de 2014 da revista Saber Viver.

Batata recheada com alho-francês e salmão

Ingredientes para 1 pessoa:
1 batata assada
100 g de lombo de salmão
2 dentes de alho
50 g de alho-francês sem rama
30 ml de azeite
10 g de queijo Emmental ralado
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Lavar muito bem a batata. Levar ao forno a assar a 220ºC durante 40 minutos.

2. Com uma faca afiada, cortar uma tampa na batata e, com a ajuda de uma colher de chá, remover a parte de dentro, tendo o cuidado de não romper a casca. Esmagar com a ajuda de um garfo o interior retirado da batata.

3. Levar ao lume o azeite com os dentes de alho picados. Deixar frigir um pouco e adicionar o alho-francês cortado finamente e a batata esmagada.

4. Adicionar o salmão cortado em cubos.

5. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto. Retirar do lume assim que o salmão esteja cozinhado.

6. Rechear a batata com a mistura. Polvilhar com queijo e levar a gratinar ao forno, até o queijo estar dourado.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Doce de ameixa branca com vinho da Madeira


Quem tem uma horta ou um pequeno quintal sabe que quando chega a altura das colheitas, os frutos e os legumes não esperam. Assim que estão prontos têm que ser retirados da terra ou das árvores e receber destino. Nestas alturas é importante saber gerir a abundância. Usar e abusar do que a horta nos vai dando, congelar para mais tarde utilizar, são as alternativas mais imediatas.

Eu tenho a sorte de ter uns pais que têm um quintal onde produzem muitas coisas boas com que me vou deliciando ao longo do ano. No Outono e Inverno, chegam-me as couves, coração de boi e lombarda, as abóboras - a maior da colheita é sempre guardada para os fritos de Natal, os dióspiros e os marmelos. Ingredientes que me fazem pensar em pratos quentes e cheios de sabor. As sopas com feijão seco cozido, abóbora aos pedaços e umas folhas de couve cortadas, até nos aquecem a alma. Na Primavera, não têm faltado as favas e as ervilhas que tanto adoro, e que sabem ainda melhor quando posso acompanhar a minha mãe no dia em que as vai colher. No Verão, temos as curgetes e as suas flores, o tomate, os figos pingo de mel, as beldroegas que crescem no fresco junto aos feijoeiros, e as ameixas. Vermelhas e brancas, são tão boas. Doces.

Numa das idas a Santarém durante o mês de Agosto trouxe uma caixa cheia de ameixas lindas. E quando a fruta nos chega em abundância existem várias sugestões para lhe darmos destino, desde sumos, batidos e saladas. Mas a alternativa que tem atravessado gerações é transformar a fruta em doce. Cá por casa a altura do ano para fazer doces e compotas é sem dúvida o Verão em que a fruta nos chega madura e perfumada. Parte das ameixas foram para uma panela com açúcar, mel e vinho. O resultado ficou irresistível.

Doce de ameixa branca com vinho da Madeira

Ingredientes:
1,500 kg de polpa de ameixa branca (aprox. 2,100 kg de ameixas)
1,250 kg de açúcar
200 g de mel
1,5 dl de vinho da Madeira


1. Colocar todos os ingredientes numa panela e levar ao lume até atingir o ponto de estrada.

2. Guardar ainda quente em frascos.


Adoro comer doce com pão ao pequeno-almoço ou então, a meio da tarde, num lanche com direito a chá.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Batido de morango com iogurte grego


As férias fecham um pequeno ciclo que se volta a renovar com a chegada de Setembro. Este é um mês de recomeços, de mudanças. E nesta altura do ano volto a fazer um balanço dos objectivos que tracei, do que quero continuar a fazer. Traçar metas, escrever no papel algumas das coisas que quero fazer no curto prazo ajuda-me a manter um rumo. É uma forma de me organizar e que acho muito importante.

Enquanto, faço o meu balanço e revejo os meus objectivos, deixo-vos uma receita que desenvolvi para a edição de Maio/Junho de 2014 da revista Comer, inserida num artigo sobre o morango.

Batido de morango com iogurte grego

Ingredientes para 4 pessoas:
500 g de morangos
60 g de framboesas
200 g de iogurte grego natural
15 g de flocos de aveia integrais
85 g de mel


1. Colocar todos os ingredientes num liquidificador e triturar.

2. Distribuir o preparado por copos e servir.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

2 workshops no Porto no espaço WORK IT


No sábado, dia 13 de Setembro de 2014, regresso ao Porto para dois workshops no espaço WORK IT. Um de manhã, dedicado a Entradas & Petiscos onde iremos preparar mais de uma dezena de receitas práticas e muito saborosas para festas ou para partilhar com a família e os amigos.

À tarde o tema é Doces de Chocolate onde iremos confeccionar várias receitas usando diferentes tipos de chocolate. Vai ser uma tarde muito doce. No final dos workshops haverá degustação de todas as receitas realizadas.


Conto com a vossa participação. Inscrevam-se!

Para mais informações:
work@sott.pt   91 700 1802   espaço WORK IT


Que temas gostavam que eu abordasse nos meus próximos workshops? Deixem as vossas sugestões no formulário. Obrigada.


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Galinha guisada com tomate e pimento vermelho


Agosto chegou ao fim. Foi um mês de férias com direito a passeios pela cidade e encontros com amigos. Durante este mês tive a oportunidade de participar num workshop de cozinha indiana e fui ver o filme A Viagem dos Cem Passos. É sempre interessante ver a adaptação para cinema de um livro que se leu. O filme é interessante, cheio de imagens inspiradoras com comida, mas se puderem não deixem de ler a obra que, por exemplo, aprofunda muito mais a questão dos restaurantes com estrelas Michelin.

Agosto foi também um mês de showcookings. Estive a cozinhar no festival Fusing na Figueira da Foz e em Setúbal, no festival Marisco no Largo. Fui ao programa da Fátima Lopes, A Tarde é Sua na TVI, apresentar duas receitas do meu livro Delicioso Piquenique. Mais uma vez adorei a experiência.


Agosto foi também um mês de almoços com a família. Um dos pratos que comi num desses almoços, em Santarém, feito pela minha mãe, foi galo guisado, servido com feijão verde e batata cozida. A carne estava tão boa, tenra, suculenta e o molho cheio de sabor que todos adoraram. Decidi reproduzir a receita cá por casa.

Galinha guisada com tomate e pimento vermelho

Ingredientes para 2 pessoas:
700 g de galinha cortada em pedaços
450 g de tomate maduro
1 cebola
4 dentes de alho
1 folha de louro
1/4 pimento vermelho
1 malagueta vermelha
1 dl de vinho branco
5 dl de caldo de galinha
0,5 dl de azeite
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Colocar num tacho a carne, a cebola picada, os dentes de alhos picados, o tomate picado limpo de peles e sementes, a folha de louro, o pimento cortado em tiras finas e a malagueta picada sem sementes.

2. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto. Regar com o azeite, o vinho branco e o caldo de galinha.

3. Tapar o tacho e deixar cozinhar durante 30 minutos em lume médio. Baixar o lume para o mínimo, manter sempre o tacho tapado e deixar cozinhar mais 1 hora e trinta minutos. A meio verificar se é necessário acrescentar mais caldo.


Servir a galinha guisada com feijão verde e batatas cozidas. Cá em casa também gostam de colocar na base do prato uma fatia de pão para aproveitar o sabor bom do molho.


Setembro chega com vontade de mudança. Mais um ciclo que se aproxima. Depois das férias há que recomeçar. No dia 6 de Setembro de 2014, vou estar às 11 horas em Cuba, no Alentejo, para um showcooking no Festa do Nosso Pão na Feira Anual de Cuba onde irei confeccionar duas apetitosas receitas com o genuíno Pão Alentejano.