Próximos Workshops
Porto 25 de Fevereiro de 2017
Sábado:
10h30 - 13h30      Brunch
 
 
15h30 - 19h00      Vamos fazer pão?

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Sopa de peixe espada preto com tomate


O Outono vai-se instalando de mansinho. Os dias ainda estão quentes mas já se notam as manhãs e as noites mais frias. E a mim basta-me uns pingos de chuva para começar logo a pensar em preparar pratos de forno ou panelas de sopa bem quentinha e saborosa.

Comer sopa às refeições foi um hábito que adquiri em casa dos meus pais. Ainda hoje acho que a minha mãe faz sempre sopas tão boas, cheias de legumes frescos, umas vezes com feijão ou grão-de-bico cozido, algumas vezes com carne, outras com peixe ou melhor, bacalhau.

A última sopa que fiz cá em casa foi para aproveitar uma cabeça e uma posta de peixe espada preto que tinha congelado há uns tempos. Ficou tão boa!

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Equilíbrio, o segredo para comer bem


Para comer bem não é preciso fazer dietas ou regimes alimentares que nos aproximem da loucura, que nos façam sentir infelizes por estarmos sempre a negar a nós próprios as coisas de que gostamos. Confesso que tudo o que me tire o prazer de comer, vejo-o como um castigo, uma punição. Não é assim que quero viver, em permanente angústia em relação ao que como e ao peso que tenho.

Nos últimos tempos tenho procurado fazer um estilo de vida mais saudável. Uma das coisas que decidi fazer foi voltar ao ginásio. Todos sabemos que temos que nos mexer, uma vida sedentária não nos ajuda a ser felizes ou ter mais energia.

Quando falamos em comida ou comer bem existem dois hábitos que são fundamentais e que muitas vezes não damos importância. Ao comer, mastigar muito bem os alimentos. Mastigar. Mastigar. Comer devagar, sem pressas. E depois em vez de nos preocuparmos com dietas, regimes alimentares restritivos que nos afectam emocionalmente, é procurar fazer uma alimentação que nos faça sentir bem, com saúde. Para isso há que procurar um equilíbrio.

Sempre que vamos ao supermercado devemos encher o nosso carrinho de compras com legumes frescos - couves, brócolos, espinafres, cenouras, abóbora, curgetes, verdes para as saladas. Eu gosto de fazer saladas como acompanhamento misturando muitas coisas. Para além das folhas verdes - alfaces, rúcula e agrião, junto pepino, rabanetes, tomate e algumas vezes, pimento assado. Para além das saladas, as sopas são onde uso grande parte dos legumes que compro. Não é preciso fazer sopa todos os dias. Prepara-se uma base e congela-se em vários recipientes. Depois na altura de preparar a refeição é só juntar as folhas verdes que se querem, leguminosas ou uma mistura das duas e pode-se ir variando a sopa durante toda a semana. Não esquecer as frutas - principalmente as da época - a carne, o peixe e o marisco.

Colocar no carrinho de compras também leguminosas tais como feijão, lentilhas, grão-de-bico. É importante reduzir o consumo de produtos processados, com grandes quantidades de açúcares escondidos e não cair na ilusão dos super alimentos. Há uns tempos li a história de uma senhora que comeu durante meses cerca de um quilo a um quilo e meio de couve chinesa crua por dia porque tinha diabetes, até ao dia em que foi internada com hipotiroidismo. A couve é um alimento saudável, mas possui elementos que inibem a tiroide e em excesso tem as suas consequências. Não devemos exagerar o consumo de um alimento porque estamos convencidos que é saudável. É importante variarmos a nossa alimentação e termos consciência das opções que fazemos.

Para comer bem, todas as refeições são importantes mas o pequeno-almoço é fundamental. É a primeira refeição do dia, aquela que nos enche de energia. No meu pequeno-almoço há quase sempre pão. Pode ser fresco ou torrado. Iogurte. E sumos, que gosto de beber de vez em quando. Quando se trabalha, com horários a cumprir, nem sempre se consegue ter tempo para preparar um sumo de fruta.

Eu descobri há pouco tempo que agora o Compal Vital é adoçado com extracto de stevia. A primeira gama de néctares em Portugal adoçada apenas com este adoçante natural. Ao contrário de outros substitutos do açúcar, a stevia é uma planta - stevia rebaudiana - da família dos girassóis, cujas folhas são açucaradas devido aos glicosídeos de steviol. Daí resulta um adoçante com 250 a 300 vezes o poder adoçante da sacarose, além de que não tem calorias.

Gosto de tudo o que me facilite a vida e encontrar os néctares da Compal foi a solução para poder continuar a desfrutar, de vez em quando, deste tipo de néctares. No supermercado podemos encontrar diversos sabores, como o Uva Concord-Maçã-Lima, o Frutos Vermelhos ou o Manga-Laranja, uma das misturas de sabores que adoro. Estes foram logo para o meu carrinho de compras. Já experimentaram?

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Workshop Bolos e Biscoitos, em Lisboa


Os dias de festa estão quase a chegar. Até ao final do ano ainda temos o Halloween, o Dia de Todos os Santos, e por cá já se contam os dias até ao Natal. Nestes momentos sabe bem preparar um mesa bonita com bolos e biscoitos para partilhar.

No dia 10 de Outubro, às 14h30, teremos um workshop de bolos e biscoitos para quando se junta a família e os amigos para festejar um momento especial ou para um lanche a meio da tarde. Iremos preparar diferentes tipos de bolos e respectivas coberturas, e várias receitas de biscoitos (coco, leite condensado, chocolate, limão) para um chá a meio da tarde ou já a pensar nos presentes de Natal. Este vai ser um workshop bem doce e feliz. No final, degustamos tudo o que foi preparado e vamos ter diferentes chás a acompanhar.

O workshop vai ter lugar na ACPP - Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal, perto do Jardim da Estrela.

De manhã, das 10h30 às 13h00, terá lugar o workshop Vamos Petiscar. Quem se inscrever nos dois workshops terá 10% de desconto.

Conto com a vossa participação. Inscrevam-se!

Inscrições e mais informações:
formacao@acpp.pt   21 362 2705   ACPP

Workshop Vamos Petiscar, em Lisboa


Os workshops em Lisboa e no Porto estão de volta. Em Lisboa, o primeiro terá lugar no dia 10 de Outubro às 10h30 e será dedicado a petiscos. Petiscos para festas, para servir numa mesa rodeada de amigos ou família. Petiscos para partilhar com aqueles de quem gostamos ou para dias em que precisamos de preparar refeições rápidas.

Iremos preparar mais de dez receitas. Receitas diferentes dos workshops anteriores. Para vos abrir o apetite teremos croquetes de atum, hummus de pimento vermelho assado, charutinhos de queijo, bolinhos recheados com chouriço, torcidos crocantes de queijo e massa folhada, mini quiches e frittatas, entre outras boas sugestões.

O workshop vai ter lugar na ACPP - Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal, perto do Jardim da Estrela.

À tarde, das 14h30 às 17h00, terá lugar o workshop de Bolos e Biscoitos. Quem se inscrever nos dois workshops terá 10% de desconto.

Conto com a vossa participação. Inscrevam-se!

Inscrições e mais informações:
formacao@acpp.pt   21 362 2705   ACPP

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Arroz de pato


O arroz de pato é uma receita tradicional portuguesa muito apreciada cá em casa. Nem me lembro as vezes que foi servida em almoços ou jantares de família. É daqueles pratos que faz sempre sucesso.

Há muitas maneiras de fazer arroz de pato. Lembro-me que em casa de uns primos o arroz ia para o forno pincelado com ovo batido e com o chouriço disposto por cima, criando uma camada dourada, muito bonita.

Agora que o Outono chegou, que se nota que as noites começam a ficar mais frias, a pouco e pouco vem a vontade de fazer pratos de forno, cheios de conforto. Deixo-vos, hoje, mais uma versão de arroz de pato.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Filetes de pescada no forno com massa e espinafres


Tenho a sorte de o meu pai gostar de ir, de vez em quando, pescar com um grupo de amigos e de me oferecer peixe maravilhoso que preparo, normalmente, em ocasiões especiais. Mas para o dia a dia gosto de ter sempre no congelador lombos de salmão, tranches ou filetes de pescada. São muito práticos por que descongelam num instante e preparam-se em dez ou quinze minutos.

Um destes dias para uma refeição rápida preparei uns filetes de pescada no forno com uma salada morna de massa e espinafres salteados. Ficou tão bom!

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Queijo feta no forno com tomilho


Quando tenho tempo para estar à mesa a conversar com amigos ou apenas com a família mais chegada adoro preparar uns petiscos. Faço de vez em quando aqueles que sabem sempre bem, linguiça ou chouriço assado, umas pataniscas, amêijoas ou mexilhão no tacho, croquetes de alheira, entre outros. Mas há dias em que apetece variar. Experimentar coisas novas. O último petisco que fiz cá em casa foi queijo feta marinado com azeite, limão e tomilho e depois assado no forno. Com pão fresco, nem vos digo nada, é mesmo muito bom!

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Massada de bacalhau


Há pratos que me fazem recuar no tempo. Uma cozinha de mulheres. Os tachos ao lume e um cheirinho bom, apetitoso no ar, daqueles que nos deixa cheios de fome. Quem se aproximar da cozinha consegue ouvir as conversas e os risos de quem por lá está em grande azáfama. Uma caixa com cebolas e cabeças de alho, marcam presença todo o ano. Numa das paredes, um ramo grande de louro seco, pendurado, atado com um cordel.

Há pratos que me fazem lembrar momentos, em família, à volta da mesa. Pratos simples, mas deliciosos, daqueles que se comem e que ficamos com vontade de repetir. Pratos, cujo sabor das memórias nos acompanham pela vida. Um desses pratos é a massada de bacalhau.

Peparei esta receita para a rubrica Cuisine Companion, o robot de cozinha da Moulinex.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Sopa de espinafres com salsicha e ovo


Na semana passada fui conhecer o restaurante do Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar na Pontinha, a convite de uns amigos. Não conhecia o espaço e fiquei encantada. Um restaurante onde os alunos, estão em formação, desde a cozinha até ao serviço de sala.

Neste almoço foi-nos servida uma sopa com salsichas e espinafres. Gostei tanto que decidi fazer a minha versão no fim-de-semana.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

25 receitas de atum e outras conservas


Uma das coisas que gosto de ter sempre na despensa são umas latinhas de atum e de outras conservas. Num instante se prepara uma deliciosa refeição. Para quem gosta de pratos com atum e outras conservas, deixo-vos, hoje, vinte e cinco deliciosas sugestões:

- Bacalhau em azeite e alho com puré de grão;
- Batata com brócolos e atum;
- Beringelas gratinadas com atum;
- Bulgur com beringela grelhada e atum;
- Cogumelos no forno com atum;
- Croquetes de atum;
- Filetes de peixe espada preto com salada de cuscuz e abóbora;
- Laços com molho de tomate, atum e azeitonas;
- Massa chinesa com legumes e filetes de cavala;
- Pataniscas de atum;
- Polvo em caldeirada com batata-doce e ervilhas;
- Quiche de cenoura e atum;
- Salada de atum com feijão branco;
- Salada de batata com ovo e atum;
- Salada de canónigos com laranja e atum;
- Salada de couscous com atum e laranja;
- Salada de favas com atum;
- Salada de feijão verde e atum;
- Salada de fusilloni com atum, azeitonas e coentros;
- Salada de queijo com bacalhau em azeite e figos;
- Sardinhas no pão com pimentos assados;
- Spaghettoni com molho de tomate, cogumelos e atum;
- Tacos com abacate e atum;
- Tostas de tomate com pasta de atum e queijo;
- Vol-au-vent de atum com espinafres.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Doce de pêra com manga e laranja


Cá por casa estes dias de fim de Verão têm sido dedicados a fazer doces e compotas. Adoro aproveitar esta altura e guardar o sabor bom da fruta em doce para ir usando durante o resto do ano. Não faço muita quantidade de cada doce, prefiro apostar na variedade de acordo com a fruta que me vai chegando, muitas das vezes do quintal dos meus pais.

Os doces resultam muito bem para colocar nos cabazes de Natal ou para ir oferecendo à família e aos amigos durante todo o ano. Eu não me contenho. Quando faço algum doce acabo sempre por partilhar. Um destes dias fui com uma amiga ao teatro e levei-lhe um frasco de doce de figo com Moscatel e outro com laranja e baunilha. Na minha última ida a Santarém, ofereci também à família. Coloquei uns frascos de doce de figo nos presentes de aniversário de umas colegas de trabalho. Acreditem que já não tenho doce de figo!

Um dos últimos doces que fiz foi para aproveitar umas peras maduras que tinha comprado no mercado. Juntei-lhe um pedaço de manga e o aroma doce da laranja. Uma maravilha!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Moussaka de beringela


A primeira vez que ouvi falar de moussaka foi como sendo um prato tradicional grego. Feito com carne de borrego picada, tomate, fatias de beringela suculentas dispostas ao estilo de uma lasanha. Na altura, ao ouvir a descrição de quem me estava a apresentar o prato e tinha provado numa das suas viagens, até fiquei com água na boca. Tudo o que ouvia me parecia muito saboroso e eu que tenho vindo a aprender a gostar de beringela.

No fim-de-semana quando visitei os meus pais tinha um saco cheio de beringelas à minha espera. Uma das primeiras receitas que decidi experimentar, numa versão mais leve, sem molho béchamel, foi a da moussaka.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Biscoitos de coco


Que bem que sabe juntar a família à volta da mesa. Na minha casa, as refeições principais sempre foram feitas com toda a gente na mesa. Não se começava a almoçar ou a jantar sem que todos estivéssemos sentados ou disponíveis para fazê-lo. Hábito que ainda hoje existe e quando o Ricardo e eu nos atrasamos temos logo um telefonema a relembrar se sabemos qual é a hora do almoço! Sinto-me logo em falta. Há como que um poder, uma ordem que foi sendo instituída através destes momentos à mesa.

Com as correrias do dia-a-dia, acordar cedo, levar as crianças à escola, oito ou mais horas no local de trabalho, este hábito de fazer as refeições em família para conversar parece que se vai perdendo a pouco e pouco. Comer à mesa em família transforma-se em tempo precioso para criar laços. Em casa dos meus sogros não se fazem refeições com a televisão ligada. O telemóvel não tem espaço na mesa. Tablets é para estarem guardados. É tempo sagrado para conversarmos. Dizermos como têm sido os nossos dias. Rirmos de alguma coisa caricata que nos aconteceu. Relembrar momentos da vida. Discutirmos assuntos importantes em que todos têm tempo para ouvir ou serem ouvidos. Falarmos de tudo e de nada. E isso faz tanta falta!

E para partilhar num momento à mesa com a família deixo-vos, hoje, uns biscoitos de coco que combinam tão bem com o café no final da refeição.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Doce de figo com laranja e baunilha


Este fim-de-semana o Outono já deu um ar da sua graça. O vento fez-se notar e tivemos alguma chuva. O Ricardo e eu, no domingo, decidimos ficar em casa. Houve tempo para arrumar as frutas e legumes que trouxe da horta dos meus pais e para muitos cozinhados.

Gosto de preparar no fim-de-semana alguns pratos que me facilitem a vida no início da semana. Imaginem, asso um pedaço de pá de porco, frango, ou preparo um caril de lulas ou outro prato idêntico e durante a semana quando chego a casa faço o acompanhamento num instante. Gosto de assar pimentos, tirar a pele e guardar no frigorífico para as saladas. Há alturas em que asso abóbora e depois uso em saladas ou em sopas. É uma forma de organização que me ajuda a usufruir de algum tempo durante a semana, principalmente à noite.

No meio de toda a azáfama, à tarde, preparei um pequeno lanche para saborearmos enquanto víamos um filme. Fatias de pão doce com canela e erva-doce, um chá e doce de figo com laranja e baunilha. Este doce de figo ficou tão bom, a laranja e a baunilha ajudam a torná-lo irresistível!

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

25 receitas de doces de colher


Os doces de colher para mim têm um certo encanto que os distingue de todos os outros. Gosto muito de bolos, que se cortam em fatias, para um lanche. Adoro poder trincar um biscoito a meio da tarde ou a acompanhar um café. Mas os doces de colher são mais sedutores, jogam com o nosso paladar e despertam paixões. Dão-nos a cada colherada momentos de prazer que nos impelem a repetir.

Para quem gosta de doces de colher, deixo-vos, hoje, 25 gulosas sugestões:

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Wraps de salmão fumado com abacate


O fim-de-semana que passou para além do showcooking que realizei em Loures, na biblioteca municipal José Saramago, onde preparei uma receita do meu livro Cozinha para Dias Felizes, de ir tomar café durante a tarde com os cunhados, o Ricardo e eu decidimos visitar lojas e procurar algumas coisas que queremos comprar cá para casa, principalmente móveis e algumas soluções em termos de arrumação e optimização de espaços. Entre escolher a loja, visitar, fazer algumas compras, quando chegámos a casa apetecia-nos algo que nos permitisse petiscar. Abrimos uma garrafa de vinho verde rosé e enquanto o Ricardo montava alguma das peças que adquirimos, eu preparei uns wraps de salmão e abacate que nos souberam muito bem.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Biscoitos de farinha de milho com limão


Os biscoitos cá em casa vão desaparecendo assim pouco a pouco e quase sem dar por isso. Ora tiro um biscoito para acompanhar o café. Ora quando chego a casa e me apetece assim qualquer coisa crocante para entreter a boca.

A meio da tarde quando decido tirar uma hora para as minhas leituras, gosto de ter um biscoito por perto. Quando me encontro com alguma das minhas amigas de longa data, encho um saco com biscoitos, coloco um laço bonito, e ofereço para provarem.

Os últimos que fiz foi de farinha de milho com limão. Uma delícia.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Doce de meloa com laranja e lima


O olfacto é um feiticeiro poderoso que tem a magia de nos transportar no tempo, permite-nos recuar nos anos e a momentos que já vivemos. O cheiro da fruta madura e doce ao lume com os aromas a canela e limão fazem-me viajar até à casa dos meus pais, com a minha mãe de volta de uma panela grande, ao lume, durante horas. A mexer, a mexer com uma colher de pau que na altura me parecia enorme.

As fragrâncias de um tacho de fruta com açúcar e especiarias a borbulhar despertam-me doces memórias de verões passados no Ribatejo, em que ia apanhar fruta no quintal dos meus pais e a preparava durante tardes inteiras, à sombra de um alpendre. O cheiro mágico destes momentos ficou comigo para a vida. E todos os anos gosto de repetir o ritual e permitir que os meus sentidos se dilatem alegremente enquanto corto a fruta, junto o açúcar e levo ao lume esta mistura de cheiros e sabores que me ajudam a viajar no tempo.

A receita de hoje é doce de meloa com laranja e lima, uma sugestão para quem gosta de fazer doces e acha que recordar as coisas boas da nossa infância é meio caminho andado para sermos mais felizes.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Empadas de berbigão com coentros


Setembro é um mês especial, sabe a recomeços e a decisões. É tempo do regresso à escola. Quem não se lembra do cheiro dos cadernos novos, dos lápis, e das canetas para colorir em embalagens de plástico, organizadas por cores. O cheiro a novo, cheio de sonhos, era tão bom. Lembro-me que quando chegava esta altura tinha imensas saudades dos colegas da escola.

Encomendar os livros era um ritual todos os anos. Ver se já tinham chegado, era sempre um enorme entusiasmo. Nunca tive a mania de forrar os cadernos ou os livros com papel autocolante. Fi-lo duas ou três vezes, penso que não mais. Devido à falta de jeito, ficam sempre com umas quantas bolhas! Mas lembro-me de ter um colega, que era um verdadeiro mestre. Os cadernos estavam sempre perfeitos!

Setembro mostra-nos que caminhamos para o final do ano. É durante este mês que o Verão se despede e em que se instala o Outono, com a queda das folhas das árvores e os dias mais frescos. Já se nota que a noite chega mais cedo. Daqui ao Natal é um instante. Por cá, já se fazem compotas a pensar nos presentes a oferecer!

Setembro é para muitos o mês de regresso ao trabalho. De voltar à rotina de acordar cedo e de pensar as refeições com a devida antecedência, de modo a que a vida e a azáfama familiar corra da melhor forma. Há pratos que resultam muito bem para uma refeição em família e no dia seguinte levar para o trabalho. Uma das coisas que gosto de preparar para levar para o trabalho ou para uma refeição fora de casa são empadas. Adoro uma boa empada, com a massa crocante e um recheio cheio de sabor. Deixo-vos, hoje, uma receita de empadas de berbigão com coentros que ficam muito boas.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

25 receitas de tartes doces e salgadas


Gosto imenso de tartes sejam salgadas ou doces. As tartes doces resultam muito bem para usar fruta da época ou para preparar e levar para uma festa. Adoro servir uma fatia de tarte como sobremesa com uma bola gelado num dia de festa. É sempre um sucesso!

As tartes salgadas, permitem usar uma grande variedade de ingredientes e são muito práticas. Quantas vezes não preparei uma tarte ou quiche para uma refeição em casa e no dia seguinte levei para o trabalho. Comem-se muito bem tanto mornas como frias e por isso podem ser preparadas de véspera. Há dias em que dá tanto jeito ter uma tarte pronta à nossa espera no frigorífico.

Para quem gostar de tartes encontra aqui uma selecção muito interessante:
- Quiche de alho-francês com salmão e espinafres;
- Quiche de cenoura e atum;
- Quiche de curgete;
- Quiche de favas e curgete;
- Tarte de bacalhau com azeitonas;
- Tarte de bacalhau com queijo;
- Tarte de cebola caramelizada com queijo de cabra;
- Tarte de cenoura;
- Tarte de chocolate com framboesas;
- Tarte de coco da Tété;
- Tarte de coco e leite condensado;
- Tarte de cogumelos com queijo Roquefort;
- Tarte de cogumelos frescos;
- Tarte de curgete com camarão e tomate seco;
- Tarte de curgetes em flor com tomate e requeijão;
- Tarte de espinafres com tomate cereja;
- Tarte de maçã;
- Tarte de salmão com queijo ricotta;
- Tarte de tomate cereja com azeitonas e queijo mozzarella;
- Tarte de tomate e curgete com queijo Camembert;
- Tarte rústica de damascos;
- Tarte tatin de banana;
- Tarte tatin de marmelos;
- Tarte tatin de maçã;
- Tartelettes de farinha de grão com alho-francês e cogumelos.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Doce de figo com Moscatel


Quem por aqui passa sabe que adoro ler. Em Agosto, consegui terminar My Berlin Kitchen de Luisa Weiss que já tinha começado a ler há algum tempo. Comecei e terminei a História de um gato e de um rato que se tornaram amigos do escritor Luís Sepúlveda, por quem me "apaixonei" depois de ler O velho que lia romances de amor, seguiram-se À Mesa com Kafka de Mark Crick e Já não se escrevem cartas de amor de Mário Zambujal, uma história simpática na Lisboa dos anos 50.

E com a chegada de Setembro é tempo de definir que livros gostaria de ler este mês. Para Setembro escolhi Comer Bem Viver Melhor de Darya Pino Rose, um livro que nos fala de alimentação e o que devemos procurar fazer para ter uma alimentação saudável sem cair em dietas restritivas. Parece-me muito interessante. Na área da ficção seleccionei A Mesa Limão de Julian Barnes, um livro de contos em que as personagens estão a envelhecer e se debatem com a questão do sentido da vida. E um clássico de 1847, Jane Eyre de Charlotte Brontë.

Já seleccionaram as vossas leituras para Setembro? Alguma sugestão? Tenho na minha lista de livros a comprar algumas das sugestões que me vão dando. A partilha é sempre tão gratificante. Adoro saber o que gostam de ler.

Para os dias em que tenho tempo para ler à tarde, gosto de preparar um pequeno lanche. Chá ou café, dependo do dia e da disposição. Uma fatia de bolo ou então, pão com doce. Um dos últimos que preparei cá em casa foi de figo com vinho Moscatel de Setúbal. Uma verdadeira delícia!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Sopa de tomate com bacalhau e couve


Quem visita regularmente o Cinco Quartos de Laranja sabe que eu sou uma apaixonada por sopa. Gosto de sopa em todas as alturas do ano. É uma forma tão boa de comermos legumes. Mas de há uns tempos para cá a sopa foi oficialmente instituída às segundas-feiras cá em casa.

As segundas-feiras são o dia em que o Ricardo e eu chegamos a casa mais tarde. O nosso jantar é sempre depois das dez da noite. E o que comer a essa hora que não nos obrigue a deitar com a barriga cheia e pesada? Houve dias em que preparei saladas, com muita mistura de verdes, queijo, atum ou frango de churrasco assado. Mas a pouco e pouco fomos achando que a sopa nos sabia muito melhor. A última que preparei foi esta de tomate com bacalhau e couve.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Figos em calda de Moscatel


Bem-vindo Setembro. Este é mais um mês que associo a mudanças e definição de objectivos ou projectos. Pensar em pequenas coisas para fazer ajudam-nos a apreciar e a valorizar a vida de outra forma. Todos andamos ocupados. O trabalho, os filhos, a escola, dar apoio à família, cozinhar, levar o carro à oficina, são tarefas que absorvem a nossa vida. Mas no meio de toda a azáfama, a mim, sabe-me bem, pensar em pequenas coisas que ajudem a dar colorido aos nossos dias. Por isso, gosto de traçar objectivos. É uma forma de me organizar e de procurar fazer coisas que de outra forma talvez não fizesse. Para os meses de Julho e Agosto tracei alguns objectivos, pequenas coisas. Alguns fui logo partilhando convosco à medida que iam sendo realizados. Deixo-vos, hoje, o balanço final:

1. Organizar um piquenique com a família e/ou amigos;

2. Voltar ao ginásio - qualquer altura é uma boa altura!;

3. Cozinhar durante uma semana receitas com tomate. Realizei a semana tomática;

4. Voltar a fazer gelados de pauzinho. Fiz uma receita, de morango e laranja que partilhei com a família num almoço cá em casa;

5. Escrever uma história, por semana, à volta da comida em Julho e Agosto. Acabei por escrever apenas uma história. Quem sabe se até final do ano, consigo dar asas à imaginação e escrever mais umas quantas;

6. Abraçar mais vezes as pessoas de quem gosto. Tentei. Este é daqueles objectivos que deve estar sempre presente. O tempo passa tão depressa e quando damos por nós, aqueles de quem gostamos podem já cá não estar. Ou nós!;

7. Apanhar amoras silvestres;

8. Apanhar um ramo de orégãos no campo;

9. Ir à praia e ver o pôr do sol. Gosto de ir à praia ao final do dia. Este ano não fui tantas vezes como gostaria, mas deu para caminhar na praia a dois e ver o pôr-do-sol sentados na areia;

10. Comer gelados numa esplanada. Acreditam que este ano ainda não comi gelados fora de casa!! Todos os anos gosto de ir, no Verão, a uma gelataria perto do Jardim da Estrela ao final da tarde. Espero que o consiga agora em Setembro;

11. Fazer pão com a minha mãe. Fazer pão é uma tarefa que exige planeamento e tempo. Este é um dos objectivos que ainda quero concretizar;

12. Escrever postais à família e aos amigos. O tempo de férias é ideal para escrever a quem gostamos. Faço-o principalmente quando viajo;

13. Preparar pequenos-almoços tardios, a dois, ao fim-de-semana. Os fins-de-semana foram aproveitados para quebrarmos a rotina do dia-a-dia. Houve pequenos-almoços com sumos de fruta, torradas, pão fresco, requeijão, ovos mexidos, tomate assado e bolinhos secos;

14. Cozinhar com as sobrinhas. Preparei com as minhas duas sobrinhas pães de leite. Usaram a imaginação e moldaram os pães das mais variadas formas, tranças, corações, etc. No final, os sorrisos de felicidade ao verem o tabuleiro a sair do forno, foi muito gratificante. Sabe tão bem construir memórias;

15. Aproveitar a fruta da época para doces e compotas.


E para comemorar a chegada de Setembro, deixo-vos uma receita doce e feliz, como espero que este mês seja para todos nós.