Próximos Workshops
Lisboa 4 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h00 - 13h00      Doces Tradicionais de Natal
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP

terça-feira, 12 de julho de 2016

Cantaril no forno com tomate e curgete


Às vezes as coisas estão mesmo ao nosso lado e nós nem damos por elas. Há uns anos atrás, estive de férias na ilha de São Miguel, nos Açores. Uma semana para descobrir as paisagens encantadoras da ilha e claro, apreciar a sua boa gastronomia.

Num dos dias parámos em Vila Franca do Campo, depois de deambular pelas ruas sentámo-nos para almoçar num restaurante pequeno, com uma esplanada num primeiro andar, junto a um cais onde chegavam barcos com peixe a saltar. Durante o almoço a nossa vista perdia-se na vastidão de mar azul ou num pequeno ilhéu de onde iam e vinham barcos com turistas. A casa estava cheia e o serviço foi demorado. Mas estávamos de férias e decidimos desfrutar da vista e do momento. E ainda bem que ficámos. Foi aqui que comemos o melhor boca negra grelhado de todas as nossas viagens aos Açores! A frescura e a textura da carne eram tão boas que nunca mais esqueci este peixe.

No passado fim-de-semana fui almoçar com os meus pais. A minha mãe surpreendeu-nos com peixe grelhado e disse-nos: « Este é um peixe que o pai costuma apanhar. Espero que gostem dele grelhado. » Bem, assim que provo um pedaço da carne firme e suculenta do peixe digo para o Ricardo, « Este peixe faz-me lembrar o boca negra! ». « Pois é! », diz-me logo ele. Um peixe vermelho com uma mancha negra perto da boca. Aos anos que o meu pai pesca este peixe. E que maravilha. Que reencontro delicioso!

No regresso a Lisboa, os meus pais oferecem-me um boca negra conhecido por cá, como cantaril. Não quis esperar. No dia seguinte foi logo o nosso almoço. Nem imaginam o orgulho do meu pai quando soube que adorámos o peixe!


Cantaril no forno com tomate e curgete

Ingredientes:
1 cantaril
1 haste de alecrim
1 curgete
200 g de tomate cereja
4 chalotas
2 dentes de alho
50 ml de vinho branco
50 ml de azeite
Sal e pimenta-branca q.b.


1. Colocar a haste de alecrim na barriga do peixe. Temperá-lo com sal e pimenta.

2. Numa assadeira, dispor a curgete cortada às rodelas, as chalotas cortadas em quatro, os dentes de alho esmagados, e o tomate.

3. Por cima, colocar o peixe. Temperar com sal e pimenta. Regar com o vinho branco e com o azeite.

4. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 40 minutos.

3 comentários :

  1. Adoro peixinho assado.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2016/07/paezinhos-de-alheira-e-queijo.html

    ResponderEliminar
  2. Engraçado, costumo fazer assim! O cantaril e o pargo também. Adoro cantaril, como grelhado e no forno e também é bom pôr na caldeirada, pois os peixes de pele vermelha são os que dão mais cremosidade ao molho da caldeirada. Aprendo estas coisas em Peniche e como lá sempre cantaril muito bom. Rascasso também é um peixe parecido e também excelente.
    Beijinhos.
    Susana

    ResponderEliminar
  3. E os Açores são lindos, sim!! E com excelente comida!
    Bjs!
    Susana

    ResponderEliminar