Próximos Workshops
Lisboa 6 de Maio de 2017
Sábado:
14h00 - 18h00      Vamos fazer pão?
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Cestinhos de pão com bacon de peru e ovo


Confesso que assim que recebi o convite para preparar uma receita com bacon de peru, um novo produto de charcutaria da Primor, fiquei curiosa.

Adoro bacon de porco, mas quando se procura uma alternativa mais saudável ou equilibrada em termos de alimentação há que encontrar outras opções. O bacon de peru tem um baixo teor de gordura e de açúcares, logo com menos calorias que o seu homólogo de porco, o que nos permite saboreá-lo sem pesos de consciência ou facadinhas na dieta.

O bacon de peru pode ser usado em saladas, servido num prato de massa, em sandes ou tostas. Cá em casa, decidi usá-lo para um pequeno-almoço demorado de fim-de-semana. Fiz uns cestinhos de pão forrados com fatias de bacon de peru e no recheio, ovo batido. Ficou tão bom!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Pescada guisada com ervilhas e chouriço


A Primavera traz-nos dias bonitos com céu azul. As árvores enchem-se de flores. As andorinhas constroem os ninhos nos beirais das casas. Das hortas chegam-nos as favas e as ervilhas. Estes, são daqueles legumes que adoro e faço questão de comer nesta altura do ano.

Quando a Pescanova me desafiou a criar uma receita com pescada pensei logo em juntar-lhe os sabores frescos e doces da Primavera. O resultado foi um prato que fez muito sucesso cá em casa, pescada guisada com ervilhas e chouriço. Tão bom!

segunda-feira, 24 de abril de 2017

10 livros para ler na Primavera


Os livros fazem parte dos meus dias. Posso dizer que sou uma apaixonada por livros. Gosto de ter livros. Passo regularmente pelas livrarias para espreitar as novidades. Gosto de saber o que os meus amigos andam a ler. Peço sugestões muitas vezes a outros apaixonados pela leitura. Quando ando de Metro, reparo nas capas dos livros das pessoas que fazem a viagem a ler. Os livros fazem parte de mim. E para quem como eu adora livros, deixo-vos, hoje, 10 sugestões para lerem ou folhearem nestes dias bonitos de Primavera.

Romances:

- A Improbabilidade do Amor de Hannah Rothschild

É um romance feliz. A história acompanha Annie, que se divorciou e decidiu voltar a cozinhar. Um dia, entra numa loja de velharias e compra um quadro. Nem imagina as mudanças que aquele quadro vai trazer à sua vida. Um romance com muitas referências ao mundo da arte. Ideal para ler nestes dias bonitos de Primavera.


- A Vegetariana de Han Kang

Uma história contada a várias vozes. No início achei a história estranha, fora do normal, um pouco bizarra até. Uma mulher, Yeong-hye, depois de ter um sonho, decide ser vegetariana. Abre o frigorífico e o congelador, e deita para o lixo todos os pratos de carne ou a carne que tinha para cozinhar. Esta decisão transforma de forma irreversível a ordem na família. O pai numa reunião de família, bate-lhe. O seu casamento acaba. O marido começa a olhar para ela como uma desconhecida. De uma forma muito egoísta, não a tenta perceber ou ajudar. O cunhado, artista falhado, começa a ficar obcecado com o corpo de Yeong-hye e a sua mancha mongólica. Decide filmá-la. A irmã, dona de uma loja, começa a perceber que viver não significa fazê-lo apenas em função dos outros ou por uma questão de sobrevivência. Será que consegue ajudar Yeong-hye ou está apenas concentrada em si? Aos poucos fui querendo perceber o que ia acontecer às personagens. Ao chegar ao fim, fiquei a pensar: - até que ponto podemos fazer tudo o que queremos ao nosso corpo? É essa a nossa única liberdade? Afinal, como é que as nossas decisões podem afectar de forma tão vincada aqueles que nos rodeiam?


- A Amiga Genial de Elena Ferrante

De vez em quando, pergunto na minha página de Facebook, sugestões de livros para ler. Eu adoro ler e não me imagino sem andar a ler um ou mais livros ao mesmo tempo. Com as sugestões que me vão dando faço uma lista e sempre que posso compro os livros que me despertam a atenção ou os que são mais recomendados. Numa das vezes, o nome de Elena Ferrante foi várias vezes indicado e decidi ler, agora, durante o mês de Março, a sua obra A Amiga Genial. A história acompanha duas amigas, na infância, num bairro popular nos arredores de Nápoles. A história começa quando ambas se conhecem na escola primária. Uma escrita envolvente!


Cozinha, gastronomia e alimentação:

- A Revolução Smart Food de Eliana Liotta

Um livro que nos chama a atenção para o modo como nos alimentamos e como podemos mudar a nossa forma de comer de modo a termos uma vida com mais saúde. O livro apresenta um conjunto de alimentos que identifica como sendo base para uma alimentação inteligente. Um dos ingredientes que passei a usar com mais regularidade cá em casa foi o açafrão-da-índia.


- O Diabo na Cozinha de Marco Pierre White

Um livro fantástico sobre a ascensão deste grande chef, que inspirou e formou muitos dos actuais chefs estrela de Inglaterra, incluindo Gordon Ramsay. Uma obra biográfica que nos mostra como se vive e trabalha nas cozinhas profissionais. Um livro que mostra a obsessão do chef Marco Pierre White pela perfeição. Escrito com sentido de humor, mesmo nas situações mais dramáticas. Um livro que recomendo a quem procura saber mais sobre grandes chefs e sobre o modo como se chega ao mundo das estrelas Michelin. Um livro que recomendo também a todos os que se interessam por comida.


- A Cevicheria de Kiko Martins

O ceviche é prato nacional no Peru. Feito com peixe cru marinado em sumo de lima ou outro citrino. O peixe a usar é normalmente branco, sem muita gordura. O chef Kiko decidiu publicar em livro algumas das melhores receitas servidas no seu restaurante, A Cevicheria, onde para além do ceviche explora ingredientes como a quinoa. Um livro para quem se interessa pelos sabores do mundo.


- TOP - Tesouros de Origem Portuguesa de Fortunato da Câmara

Um livro sobre muitos dos produtos portugueses de excelência, desde arroz, azeite, frutas, queijos e manteigas. Alguns conhecia, como a amêndoa do Douro, a planta do gelo, mas muitos outros, foram uma surpresa, como a azeitona negrinha do freixo! Sabiam que temos produção de açafrão em Portugal? Um livro cheio de tesouros para quem gosta de gastronomia e quer saber mais sobre muitos dos nossos bons produtos.


- O Livro de Petiscos da Isabel de Isabel Zibaia Rafael

Os dias quentes estão a chegar. Sabe tão bem preparar uma mesa de petiscos, umas bebidas frescas para partilhar, entre muitas conversas felizes, com a família e os amigos. Um livro cheio de ideias práticas e receitas de fácil preparação que vos ajudam a brilhar. ;)


- Prazer sem Pecado de Gilberto Costa e Cláudia Viegas

Um livro onde os autores nos apresentam 65 receitas que promovem o prazer mas sem pecar. As técnicas de elaboração das receitas e os seus componentes foram pensados de modo a termos à mesa um conjunto de sobremesas mais saudáveis.


Blogosfera:

- Ser Blogger de Carolina Afonso e Sandra Alvarez

Um livro para quem quer começar um blogue, cheio de dicas sobre como comunicar e rentabilizar o vosso trabalho. Ao longos dos capítulos vamos encontrando conselhos ou dicas de conhecidos bloggers portugueses.

E vocês, o que andam a ler nesta Primavera? Adoro as vossas sugestões. 

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Vamos fazer pão: Pão de espelta com nozes


Fazer pão em casa pode parecer algo muito difícil, mas a verdade, é que não é. Pensem que antes da sociedade de consumo em que vivemos, fazia-se o pão em casa, à mão, sem ajuda das batedeiras ou de outros utensílios que hoje nos facilitam, e muito, a vida. No fundo é darmos continuidade a uma arte que tem passado de geração em geração.

Para fazermos bom pão em casa, são precisos apenas cinco ingredientes. Farinha, sal, fermento, água, tempo e paciência. Quando começamos a fazer pão em casa, apaixonamo-nos pelo sabor bom do pão. Para mim é quase terapêutico amassar a massa. Nem imaginam como me entusiasmo quando a vejo a levedar! Fazer pão é diferente de fazermos um bolo. O resultado não é logo imediato, mas é também fruto das nossas mãos. E isso é mesmo muito especial.

Relembro que no dia 6 de Maio vamos ter em Lisboa um workshop para quem quer fazer bom pão em casa. Vamos fazer pão?


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Bolo de farinha de arroz e nozes


Que prazer que é fazer um bolo e depois sentarmo-nos à mesa em boa companhia, com um café ou com uma chávena de chá a acompanhar. É algo tão simples mas tão precioso e feliz. Eu adoro!

Num destes dias de Primavera, ao "destralhar" a minha despensa, apercebi-me que tinha muita farinha de arroz a precisar de destino. Uma das soluções foi um bolo especial para partilhar. Usei os ovinhos caseiros que trouxe das galinhas que temos em Santarém, no quintal dos meus pais. Misturei na massa, uma mão cheia de nozes e outra de sultanas que sobraram dos doce de Natal. O resultado foi um bolo rico. Soube tão bem!

Há alturas do ano, em que temos de dar volta à nossa despensa e gastar os restos e os restinhos disto e daquilo. Olhar para a validade das especiarias. Identificar o que está quase em fim de validade. Na Primavera, gosto sempre de renovar a minha despensa. E vocês?


quarta-feira, 19 de abril de 2017

Workshop Vamos Fazer Pão? em Lisboa


No próximo dia 6 de Maio de 2017, sábado, das 14h às 18h, vamos ter um workshop de pão na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa. Este é um workshop para todos aqueles que gostam de pão e querem começar a fazer ou melhorar o modo como fazem pão em casa.

O workshop terá uma componente teórica onde falaremos de farinhas, fermentos, pré-fermentos, do sal e da água a usar quando se amassa, com o intuito de vos ajudar a fazer bom pão em casa. Depois de alguns esclarecimentos vamos colocar as mãos na massa e fazer diferentes tipos de pão, como pão de trigo, pãezinhos tigre com a respectiva cobertura, pão de centeio com figos secos e nozes, pão com abóbora assada, pães de leite e rolos de canela. Para além de amassar iremos também enrolar o nosso pão.

O receituário a preparar é um misto de pão, pão especial e pão doce, usando diferentes tipos de farinha. Este vai ser um workshop único. Se gostam de pão e querem saber mais, não percam esta oportunidade.

No final, juntamo-nos à volta da mesa e vamos provar pão quentinho acabado de fazer. Vamos ter manteigas e outras coisas boas para saborear com o nosso pão!

Este é um workshop para quem quer fazer bom pão em casa! Vamos Fazer Pão? Quem aceita o desafio?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

terça-feira, 18 de abril de 2017

Salada de quinoa com queijo feta e manga


Já chegaram as favas e as ervilhas da horta à minha cozinha. Se há legumes que gosto de comer na época são as favas e as ervilhas. Têm um sabor tão especial! São tenras e doces. Encontram-se facilmente à venda todo o ano congeladas. Mas assim, frescas, apanhadas e descascadas por nós, são muito, mas muito melhores!

O destino das primeiras ervilhas que trouxe da terra foi uma tentadora salada com quinoa. Resultou tão bem! A comida não tem que ser complicada, tem é que ser saborosa. Gosto de pratos que me deixam feliz como a receita que hoje vos trago.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Perna de borrego assada no forno com mostarda e alecrim


Adoro os dias bonitos de céu azul com que a Primavera nos tem brindado. Nestes dias, sem nuvens em que o azul do firmamento se torna intenso, quase perfeito, gosto ainda mais de olhar para o céu. Transmite-me serenidade. Parece que de um momento para o outro, somos só nós e uma imensidade infinita de azul. Sem preocupações. Sem stresses. Sem as nuvens negras disto e daquilo que nos perseguem porque sim, seguindo as leis da vida. Há qualquer coisa de libertador quando se olha para o céu. Já experimentaram? Já olharam hoje para o céu?

Os dias bonitos, cheios de luz, entusiasmam-me. Trazem-me mais energia. Sinto-me muito mais feliz. E foi num dia bonito sem nuvens, em que o céu era um mar de azul inspirador que preparei o prato que publico hoje, para um almoço demorado a dois. Daqueles em que abrimos uma garrafa de vinho, rimos, agradecemos e falamos como se a tarde não tivesse fim. As coisas boas da vida têm muito mais sabor quando partilhadas.

domingo, 16 de abril de 2017

Votos de uma Páscoa Feliz


Queridos leitores,

a todos, votos de um domingo de Páscoa muito feliz e doce junto daqueles que mais amam.


Um beijinho.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Vamos fazer pão: Trança de Páscoa


A Páscoa está a chegar. Por cá começam-se a ultimar algumas bolachinhas para oferecer. Já se compraram amêndoas e ovinhos de chocolate. O domingo é dia de almoço em família, em Santarém. Costumo passar sempre a Páscoa com os meus pais. O prato principal para o almoço é, segundo a tradição, carne. Ora de borrego. Ora de cabrito. Assado no forno ou cozinhado no tacho. Resulta sempre tão bem!

Os doces para a mesa de Páscoa sou eu quem os costuma fazer, de há uns anos para cá. Este ano, entre outras sobremesas, decidi fazer uma trança de Páscoa. Esta trança é um pão doce que resulta muito bem e que se inclui na rubrica Vamos fazer pão? Gostam?

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Vamos preparar a Páscoa: Bolachas de manteiga


O ovo, germe da vida, é um dos símbolos da Páscoa. O que seria da Páscoa sem o ovo? Usamo-lo nos folares doces e salgados de Norte a Sul do País. São muitos os folares enfeitados com ovo cozido. É ingrediente indispensável no pão-de-ló, nos bolos ninho ou nos biscoitos e bolachas que se fazem para oferecem nesta altura do ano. E quem resiste aos ovinhos de chocolate tão típicos desta quadra? Adoro! Mas deixo-vos, hoje, umas bolachinhas de manteiga em forma de ovo para oferecem ou servirem no Domingo de Páscoa com o café. Gostam?

terça-feira, 11 de abril de 2017

Março, o mês da chegada da Primavera foi assim


A vida tem muito mais sentido quando olhamos para trás e fazemos o balanço do que vivemos. O nosso passado acompanha-nos, faz parte daquilo que cada um de nós é hoje. As situações, as vivências, moldam-nos e tornam-nos mais fortes, mais determinados, mais conscientes do que queremos ou do que não queremos. Olhar para o passado, é uma forma de determinar o futuro, de escolher dentro de um conjunto de possibilidades aquilo que queremos que a nossa vida seja. E a cada dia que passa, cada um de nós, deve procurar ser feliz. E neste caminho para a felicidade uns dos primeiros passos é agradecer. Agradecer pela vida, pelas pessoas que temos à nossa volta, pelas possibilidades que ainda temos à nossa frente. Agradecer por podermos olhar para o céu, por vivermos em paz, por termos alguém que nos ama ou que nos faz bater o coração.


Março foi um mês bom para mim. Começou com uma ida ao programa do Fernando Alvim no Canal Q, onde falei do meu livro O Livro de Petiscos da Isabel e do blogue. O meu último livro tem muitas receitas práticas para partilhar em dias de festa ou para momentos informais, à volta da mesa, com os amigos ou a família. Já faz parte da vossa estante?


Foi em Março que teve lugar a festa de aniversário do Cinco Quartos de Laranja que se realizou em jeito de workshop, patrocinado pela Pescanova, que juntou muitos leitores do blogue numa manhã feliz à volta da cozinha. 11 anos de blogue. Como o tempo passa! Parece que foi ontem que me sentei em frente ao computador e escrevi o primeiro apontamento. Agradeço muitas vezes ter tido a ideia e a força para começar este projecto que, aos poucos e poucos, tem mudado a minha vida.

Março levou-me num passeio pelo Douro de barco a convite da Compal. Este era um passeio que tinha curiosidade em fazer, há já algum tempo. Entre as várias actividades, podemos provar a deliciosa e suculenta maçã de Armamar. De provar doces tradicionais e produtos desenvolvidos com as frutas produzidas na região de Resende e Armamar, assim como uns fantásticos queijos da Serra de Fragas. Este momento serviu também para a apresentação do néctar de Maçã de Armamar e do Limão de Resende, uma edição limitada que esgotou rapidamente. Este sumo resultou do trabalho realizado pelo Centro de Frutologia da Compal em colaboração com os agricultores da região. Para mim, confesso, foi uma forma de perceber que temos uma maçã de Armamar e um limão de Resende, e que são muito bons. Pena que não se encontrem numa ida às compras.

Na minha opinião, um dos mais interessantes festivais gastronómicos de Lisboa é o Peixe em Lisboa. Este ano realizou-se no Pavilhão Carlos Lopes, junto ao Parque Eduardo VII. Tive a honra de pertencer ao júri, juntamente com Virgílio Nogueiro Gomes, Cristina Liz, Osvaldo Piuza, Carlos Braz Lopes e Domingos Soares Franco, no concurso O Melhor Pastel de Nata. Esta iniciativa tem tido, a cada ano que passa, mais pastelarias a concorrer. E verdade seja dita, houve muitos e bons pastéis de nata a concurso. Este ano o pastel vencedor foi da pastelaria O Pãozinho das Marias, na Ericeira. Uma das revelações nesta décima edição do festival, foi o concurso A Melhor Patanisca de Lisboa. Participaram vários restaurantes. Espero que seja um concurso que mantenha a continuidade e que seja uma forma de enaltecer uma receita tão lisboeta.

Tive também o prazer de ir almoçar ao restaurante do El Corte Inglés, no âmbito das Jornadas Gastronómicas da Argentina. Estas jornadas ajudam a descobrir a cozinha e os produtos que caracterizam a gastronomia de um país.


Março levou-me até ao Teatro da Trindade para assistir à peça Avenida Q. Um musical onde um grupo de amigos reflecte sobre as desilusões que os afectam como o desemprego, os amores, os preconceitos, os problemas de relacionamento com colegas de casa, com actores e marionetas em palco. Achei tão curioso ir ver esta peça numa altura em que andava a acompanhar a série Big Little Lies. É que na série a peça está em ensaios no teatro da cidade. Achei que foi uma coincidência tão gira!

Assisti na Associação de Cozinheiros Profissionais à tertúlia sobre a amêndoa, uma conversa conduzida por Virgílio Nogueiro Gomes e que teve como convidada Paula Alves da pastelaria Alcôa. No final, houve provas de amêndoas cobertas, fruto tão associado à Páscoa. Fui também aprender a fazer ceviche no restaurante Segundo Muelle com o chef peruano Javier Iparraguirre. Neste prato, aparentemente tão simples, peixe cru cozinhado num ácido, tem afinal muito que se lhe diga. O chef chamou a atenção para o corte do peixe e da cebola, entre outros aspectos, como por exemplo, que não devemos espremer as limas até ao fim. Usar apenas 1/3 do sumo de cada metade de lima, para que não passe o amargor. Curioso, não é?

No mês de Março li A Vegetariana de Han Kang. Uma história contada a várias vozes. No início achei a história estranha, fora do normal. Uma mulher, Yeong-hye, depois de ter um sonho, decide ser vegetariana. Decisão que transforma de forma irreversível a ordem da família. O seu casamento acaba. O marido começa a olhar para ela como uma desconhecida. De uma forma muito egoísta, não a tenta perceber ou ajudar. O cunhado, artista falhado, começa a ficar obcecado com o corpo de Yeong-hye e a sua mancha mongólica. Decide filmá-la. A irmã, dona de uma loja, começa a perceber que viver não significa fazê-lo apenas em função dos outros ou por uma questão de sobrevivência. Aos poucos fui querendo perceber o que ia acontecer às personagens. Ao chegar ao fim, fiquei a pensar: - até que ponto podemos fazer tudo o que queremos ao nosso corpo? É essa a nossa única liberdade? Afinal, como é que as nossas decisões podem afectar de forma tão vincada aqueles que nos rodeiam.

Chegou também à minha cozinha o último livro do chef Kiko, A Cevicheria e TOP de Fortunado da Câmara.


Em Março, andei pelo campo. Comi pinhões. Olhei para as árvores floridas. A Primavera tem o dom de nos oferecer um espectáculo único na natureza. Fica tudo verde, florido. Fica tudo tão mais bonito! Olhar para as pequenas coisas que nos rodeiam e termos a capacidade de sorrir e agradecer, é um grande passo a caminho da felicidade.

Que Abril que nos traga dias cheios de luz e muitos, muitos sorrisos!

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Salame de chocolate com leite condensado e avelãs tostadas


Há bolos ou receitas que nos marcam e ficam gravadas no nosso imaginário para sempre. Uma das receitas que me acompanha desde a infância, e que associo sempre a momentos bons, a risos, a encontros de amigos e família, é o salame de chocolate. Adoro! Lembro-me que era uma sobremesa comum em muitas das festas de aniversário. Nunca faltava em almoços ou jantares de família. Ainda hoje, quando se coloca fatias de salame de chocolate na mesa para acompanhar o café, é sempre uma alegria. Toda a gente gosta. Eu não lhe resisto. Como sempre uma fatia e quando dou por mim, já estou a segurar a segunda.

Quando a Nestlé me desafiou a apresentar uma receita com leite condensado pensei logo num delicioso salame, para servir em dias de festa, cortado às fatias. Fazer o salame de chocolate com leite condensado é muito mais seguro, principalmente em dias de calor, dado que a receita não leva ovos. Quem aceita uma fatia deste tentador e irresistível salame de chocolate com leite condensado e avelãs tostadas?

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Vamos fazer pão: Folar de enchidos


O folar faz parte da mesa de Páscoa de Norte a Sul do nosso país. Encontramos o folar de Mirandela, o de Lamego, o de Valpaços, o de Chaves, entre outros, com enchidos ou carnes. Encontramos também o folar com ovos inteiros e muitos folares doces. Era tradição, nesta época festiva, os padrinhos e as madrinhas oferecerem um folar aos afilhados e era também o presente que os párocos recebiam durante visita pascal às casas dos paroquianos.

A Páscoa está a chegar. De há uns anos para cá, gosto de oferecer nesta altura do ano, com as amêndoas alguns presentes de comer feitos em casa, como pão-de-ló, folares e bolachas. Por isso, hoje, na rubrica Vamos fazer Pão, trago-vos um folar salgado, feito com enchidos. Uma das coisas que gosto nesta receita de folar, é que não fica seco. Fica um pão fofo e saboroso. Esta Páscoa, vamos fazer folares?


quinta-feira, 6 de abril de 2017

O workshop dos 11 anos do Cinco Quartos de Laranja foi assim


Cozinhar faz parte do nosso dia-a-dia. Mas cozinhar em jeito de festa para comemorar os 11 anos do Cinco Quartos de Laranja transforma-se num acto especial, memorável. E foi o que aconteceu no passado sábado, dia 18 de Março, da parte da manhã na ACPP - Associação de Cozinheiros Profissionais. Uma sala cheia de leitores do blogue. Boa disposição e muita vontade de partilhar ideias e emoções à volta dos tachos.


A Pescanova ofereceu este momento bom aos leitores do Cinco Quartos de Laranja. E do menu desta festa constou camarão de Moçambique Pescanova no forno com alho e ervas. O camarão feito assim fica lindo para servir em dias de festa. Preparámos também miolo de camarão Pescanova ao alhinho, receita que resulta sempre de forma deliciosa. Adoro e faço muitas vezes para petiscar com amigos. Não faltou também sapateira recheada, servida com tostas. O facto de a Pescanova a vender já cozida ajuda imenso. Tudo o que nos facilite a vida é muito bem-vindo! Preeparámos também tiras de pota Pescanova panadas com maionese de manjericão e alho. Uma receita, do meu livro O Livro de Petiscos da Isabel e que faz sempre sucesso. É daqueles petiscos que desaparece sempre numa festa.


E os pratos principais desta festa começaram com lombos de bacalhau Pescanova confitados e servidos com puré de batata-doce e alho-francês. O bacalhau foi cozido em azeite, no tacho, com ervas aromáticas, grãos de pimenta e dentes de alho. O resultado é um bacalhau suculento. Preparámos também um arroz de polvo Pescanova com vinho tinto, um prato tradicional que faço muitas vezes. Adoro este arroz de polvo bem malandrinho. Tivemos também bacalhau Pescanova gratinado no forno, com uma boa cebolada, cenoura e batata palha frita, receita que faz sempre sucesso nos meus workshops. É daqueles pratos que ficam tão bons que vamos querer repetir. Confeccionámos também medalhões de pescada do Cabo Pescanova com broa de milho e bacon no forno e medalhões de salmão Pescanova com crosta crocante de amendoim, pratos que resultam de forma deliciosa. Quando se cozinha com bons ingredientes é tudo mais fácil.

Para sobremesa servimos uma musse de limão, leve, fresca. Soube bem terminar a refeição com um mimindo doce. Durante a festa houve momentos para brindar e até cantámos os parabéns a você.


Muito obrigada a todos vocês, queridos leitores. Obrigada à Pescanova por ter proporcionado a realização deste evento e a todos os que estiveram presentes e fizeram desta festa um momento feliz.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Vamos preparar a Páscoa: Coelhinhos de Páscoa


A Páscoa está a chegar. Cá por casa já se anda em preparativos. Os saquinhos e as etiquetas para as lembranças de Páscoa já estão feitos.

Nesta época do ano, gosto sempre de presentear a família e os amigos com algumas lembranças feitas em casa. As amêndoas fazem parte da tradição e eu mantenho-a, mas também gosto de oferecer algumas coisas, por mim feitas, na cozinha. Este ano, nos saquinhos de Páscoa, vamos ter umas bolachinhas em forma de coelho. Gostam?

terça-feira, 4 de abril de 2017

Vamos preparar a Páscoa: Como decorar sacos e etiquetas


Para mim, a Páscoa, sempre foi uma festa de família. Uma das coisas que recordo desta altura do ano, é das festas com a família à volta da mesa. Os anos foram passando, as vidas mudam, mas nesta altura do ano gosto, sempre, de fazer um almoço no domingo de Páscoa com a família.

A Páscoa é, também, desde que me lembro, um momento para agradecer e fazermos chegar àqueles de que gostamos pequenas lembranças. Desde miúda que na minha família se oferecem e recebem amêndoas. Hoje em dia, as amêndoas fazem parte das lembranças, mas gosto também de oferecer outros mimos, como folares, bolos ninho ou bolachas alusivas à Páscoa. Mas se o conteúdo é importante, a embalagem ou o embrulho das nossas ofertas é também sempre especial. Eu adoro fazer embrulhos. Escolher os papéis. As fitas para os laços e gosto, principalmente de fazer embrulhos diferentes do que é habitual, ou pelo menos, procuro dar-lhes um toque pessoal. Os embrulhos dos presentes de Páscoa este ano vão ser uns sacos decorados e umas etiquetas com coelhinhos.

Sacos decorados com coelho de Páscoa

Material necessário:
Sacos de papel
Papel de embrulho colorido
Molde em forma de coelho
Pompons coloridos
Tesoura
Cola em baton
Cola universal
Fitas de embrulho ou de papel coloridas


1. Fazer os contornos do coelho no verso da folha de papel de embrulho. De seguida recortar.

2. Colar a figura do coelho no saco. Com a cola universal, líquida, colar um pompom a fazer de rabinho do coelho.

3. Na base do saco colar uma fita colorida.



Etiquetas para os presentes de Páscoa

Material necessário:
Etiquetas (de compra)
1 folha de cartolina colorida
Cola em baton
Cola  universal
Molde em forma de coelho
Pompons coloridos

1. Fazer com o molde os contornos do coelho na cartolina. Recortar.

2. Colar a figura do coelho na etiqueta.

3. Colar um pompom, usando a cola universal, a fazer de rabinho.

Os moldes para fazerem os coelhos são fáceis de encontrar numa pesquisa na internet. Caso queiram, posso enviar-vos, por email, os que usei.

Podem fazer estes trabalhos com a ajuda das crianças. Elas vão adorar!


Os pompons que utilizei são de compra. Mas caso queiram e tenham lãs, podem fazer em casa. Já temos sacos e etiquetas para as lembranças de Páscoa! Gostam? Também costumam personalizar os vossos presentes? 

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Salmão no forno com laranja e manteiga de funcho


O fim-de-semana passou num abrir e fechar de olhos, e para mim, foram dias de trabalho. No sábado dinamizei um workshop numa festa de crianças. A meio da tarde preparámos pães de leite, muito criativos. Fizemos números, tranças, letras e muitas coisas mais com a massa, seguindo a imaginação de crianças de 6 e 7 anos. A segunda parte do workshop envolveu a decoração de uns saquinhos com motivos de Páscoa e que serviram de lembrança da festa.

No domingo de manhã tive um workshop na escola de Cake Design Isto Faz-se dedicado a doces e folares de Páscoa, onde trabalhámos várias massas lêvedas doces com que fizemos folares, pães recheados, entre muitas outras coisas boas para os participantes colocarem na mesa de Páscoa. Foi uma manhã doce e feliz.

Entre o acordar cedo e o andar de um lado para o outro, uma das nossas refeições de fim-de-semana preparou-se num abrir e fechar de olhos. Costumo comprar muitas vezes salmão fresco. Compro um inteiro e depois peço logo na peixaria para o arranjarem, em dois lombos separados. Costumo trazer com a pele, pois na altura de os confeccionar, decido se a tiro ou não. Para grelhar prefiro que tenha a pele. O salmão é um peixe que se cozinha rapidamente, por isso para uma refeição que se queira rápida dá imenso jeito ter, à mão, uns lombos ou algumas postas deste peixe. Tudo o que nos facilite a vida na cozinha é muito bem-vindo!