quinta-feira, 3 de agosto de 2017

15 livros para ler no Verão


Ler é um prazer, é uma forma de viajar, de encarnarmos personagens, de vivermos aventuras. Não me imagino sem andar sempre a ler.

Com o intuito de aumentar as minhas leituras, defini, este ano novamente, que tenho que ler um romance por mês. Leio muitos livros sobre alimentação, cozinha e gastronomia, mas o romance é um dos meus géneros preferidos.

Como o mês de Agosto é a altura preferida, por muitos de nós para tirar férias, deixo-vos uma lista de livros para lerem e desfrutarem nesta altura do ano.

Romances

- Um Ano para Ser Feliz de Lori Nelson Spielman

Brett tem um ano para mudar a sua vida através de uma lista de objectivos, que a mãe, entretanto falecida lhe impõe de modo a que tenha direito à sua herança. Uma história feliz. Em que a personagem principal se vê confrontada com um conjunto de situações que a impulsionam a procurar o pai, a ajudar os pobres, a voltar a ensinar, a apaixonar-se. Um livro com uma mensagem positiva que se lê de um fôlego. Ideal para saborear nos dias quentes de Verão.


- Arquipélago de Joel Neto

Um livro que nos transporta até aos Açores, ou melhor, até uma das minhas ilhas preferidas, a Terceira. Conta-nos a história de José Artur, que depois do divórcio, volta à ilha. Durante a reconstrução da casa do avô é descoberto o esqueleto de uma criança. E assim começa o desenrolar de um conjunto de segredos que nos mostram locais, tradições e as gentes da ilha.


- A Gorda de Isabela Figueiredo

Um livro delicioso. Para ser lido numa esplanada, com vista para o mar, e uma cerveja bem fresquinha. Neste romance conhecemos Maria Luísa. Uma jovem simpática, inteligente, voluntariosa e gorda. E é esta característica física que condiciona alguns aspectos da sua vida. Mas não pensem que isso a desmotiva. Ela é forte. Dá volta e vai em frente. Vale a pena conhecerem a Maria Luísa. Eu gostei muito de me cruzar com ela nas páginas deste livro.


- A Amiga Genial de Elena Ferrante

Este foi o primeiro livro que li de Elena Ferrante e o que mais me cativou foi a escrita. Uma escrita "simples" e envolvente, aproxima-nos das personagens. Elena nesta obra conta-nos a história de duas amigas que se conhecem na escola primária e que vivem num bairro pobre nos arredores de Nápoles. Separam-se quando uma prossegue os estudos e a outra fica no bairro a lutar por si e pela sua família, na loja do pai, que é sapateiro. Mas a amizade continua.


- A Improbabilidade do Amor de Annah Rothschild

« Um quadro velho e sujo é comprado numa obscura loja de velharias por Annie McDee. Chef talentosa mas falida, apaixonada mas com o coração partido, Annie cedeu a um impulso e gastou nele as últimas 75 libras que tinha no bolso. E enquanto se debate com a solidão e a falta de perspectivas, está longe de imaginar as repercussões da sua humilde extravagância. É que, singelamente pendurada entre os tachos e as panelas da sua cozinha, está agora uma obra-prima. A Improbabilidade do Amor é o quadro perdido de um célebre pintor do século XVIII. Na tentativa de desvendar a verdadeira identidade da obra, Annie vai deparar com um dos segredos mais bem guardados da História da Europa. » Um livro cheio de referências ao mundo da arte mas entre tachos e panelas. Delicioso. Para ler este Verão.


- Deixei-te Ir de Clare Mackintosh

Este livro surpreende. Quando o começamos a ler, parece que estamos a compreender e a perceber qual a personagem que estamos a acompanhar, mas depois tudo muda. Um livro sobre violência doméstica, forte, intenso e que não nos deixa indiferentes. Confesso que ainda hoje penso no modo como a história termina!


- Os Anagramas de Varsóvia de Richard Zimler

Gosto muito do trabalho e da escrita de Richard Zimler. Nesta obra transporta-nos para um gueto em Varsóvia. Aqui somos confrontados com a morte de um rapaz, Adam, de 9 anos, cujo corpo aparece mutilado num dos arames farpados que cercam o gueto. Uma rapariga aparece morta nas mesmas circunstâncias. O mistério adensa-se. E Cohen, um velho psiquiatra, tio de Adam, decidiu começar uma investigação que se revela muito perigosa. Um livro que nos relembra que não podemos esquecer as atrocidades cometidas pelos Nazis aos Judeus. Lembrar, falar, divulgar para que não volte a acontecer.


- A Rapariga no Comboio de Paula Hawkins

Um livro de leitura fácil, que nos prende da primeira à última página. Rachel todos os dias faz a viagem de comboio casa/trabalho. Observa sempre as mesmas casas. Constrói na sua mente vidas perfeitas das pessoas que vê. Num dos dias percebe que algo de errado se passa com um casal. Fala com a polícia e passa a fazer parte da investigação que entretanto começa. Para mim, um dos pontos fortes do livro, é chamar a atenção para o alcoolismo e como este pode destruir a vida de uma pessoa.


- O Ministério da Felicidade Suprema de Arundahti Roy

É a história de Anjum, criada como menino até à altura em que já não foi possível esconder as suas tendências de género. Nessa altura é condenada ao ostracismo numa comunidade de hijras. Depois de um massacre, Anjum tem que enfrentar de novo o mundo. Decidiu ir viver para um cemitério. Um livro cheio de referências à Índia, ao conflito com o Paquistão e ao modo como o país foi mudando. Há uma crítica social e política. Descreve situações de pobreza em contraste com uma Deli moderna. Confesso que achei o livro, por vezes um pouco confuso, com diálogos, paisagens interessantes mas com muitas referências a um universo que conheço muito pouco.


- Jesus Cristo Bebia Cerveja de Afonso Cruz

Um dos livros que está na minha lista de leituras. Achei o título tão curioso. E a obra é apresentada assim: « Uma pequena aldeia alentejana transforma-se em Jerusalém graças ao amor de uma rapariga pela sua avó, cujo maior desejo é visitar a Terra Santa. Um professor paralelo a si mesmo, uma inglesa que dorme dentro de uma baleia, uma rapariga que lê westerns e crê que a sua mãe foi substituída pela própria Virgem Maria, são algumas das personagens que compõem uma história comovente e irónica sobre a capacidade de transformação do ser humano e sobre as coisas fundamentais da vida: o amor, o sacrifício, e a cerveja. »


- O Livreiro de Paris de Nina George

« Jean Perdu é proprietário de um negócio tão especial quanto extraordinário: a Farmácia Literária, uma livraria instalada num barco atracado no rio Sena, em Paris. Ao invés de vender medicamentos, receita livros como remédio para os males da alma. Porém, embora saiba aliviar a dor dos outros, não consegue atenuar a sua própria dor. » Não acham delicioso este resumo? Cheia de vontade de começar a ler esta obra.


- Manual para Mulheres de Limpeza de Lucia Berlin

Um livro que me foi várias vezes recomendado. São contos, histórias de vida, que poderiam ser as nossas.


Comida e vinhos

- Como Não Morrer de Fome em Portugal de Lucy Pepper

Um livro escrito com muito sentido de humor. Uma visão deliciosa sobre os portugueses e os seus hábitos e costumes, à volta da mesa, e não só. Adorei ler este livro. O texto sobre o cozido e o focinho de porco é fantástico. Identifiquei-me tanto que num destes dias li o excerto à minha sogra, mentora dos muitos cozidos feitos ao longo do ano na minha família. Leiam! Acho que se vão rir tanto quanto eu!


- O Vinho que Lisboa Tem de Ana Marques

Um livro sobre quintas, wine bars e garrafeiras da região de Lisboa. Um livro para quem gosta de vinho ou para quem quer descobrir o vinho que Lisboa tem.


- Uma ideia de felicidade de Luís Sepúlveda e Carlo Petrini

Carlo Petrini é o fundador do movimento slow food. Luís Sepúlveda é um escritor chileno, autor de vários livros, em que se inclui a obra O Caracol que Descobriu a Lentidão. E o que é que o caracol tem a ver com comida? Um livro sobre política, convicções pessoais em busca da felicidade, e claro, comida!


E vocês, que leituras recomendam para este Verão?

11 comentários :

  1. Só boas sugestões de leitura,...
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada,Mary.
      Adoro ler.
      Um beijinho.

      Eliminar
  2. Li o Girl on the Train e AMEI.Amei mesmo, os personagens são TODOS detestáveis e tão humanos, tão comuns, tão reais. Nem achei que o livro puxasse para os problemas do alcoolismo, acho até que isso ali é extremamente secundário. Para mim o que retirei dali foi o quanto fazemos filmes e ideias pré concebidas nas nossas cabeças acerca das outras pessoas e das suas vidas maravilhosas, e tantas vezes estamos errados, sem nunca sabermos o que está pr detrás daquela aparente perfeição. Acho também que chama muito a atenção para algo de que se fala tão pouco, a violência psicológica exercida por pessoas altamente manipuladoras e a forma como por vezes nos deixamos enredar numa teia perigosa por não repararmos em pequenos sinais que essas mesmas pessoas nos dão á partida. Mas acima de tudo, acho que fala muito naquilo que a falta de amor próprio e de auto estima pode causar em nós enquanto individuos. Apesar da escrita aparentemente simples e extremamente acessivel, achei um livro de um profundidade imensa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ruth,
      tens razão, o livro toca todos esses assuntos. A questão da manipulação é brutal. O Deixei-te ir, foca também a questão e o modo como uma mulher intelegente, independente, bonita se deixa ficar. Vai aceitando a violência física e psicológica do marido.
      O modo como os livros nos tocam é tão interessante. Temnho saudades de pertencer a um grupo de leitura!
      Um beijinho.

      Eliminar
  3. Uma sugestão "viver depois de ti"adorei

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cristina,
      vi o filme e adorei. Lindo! O livro deve ser ainda mais bonito.
      Obrigada.

      Eliminar
  4. Aí está uma coisa que ainda não consegui adquirir o hábito nem aperfeiçoar o gosto: Ler... Gosto de poucos escritores e mesmo assim o livro tem de me cativar e deixar-me entrar, de forma a querer saber (chegar) ao fim.

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2017/08/dia-um-na-cozinha-e-uma-delicia-branca.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Clarinha,
      desta lista experimentar ler A Rapariga no Comboio. Acho que vais gostar.

      Eliminar
  5. Laranjinha, obrigada pela lista maravilhosa. Ainda não li nenhum destes livros mas fiquei curiosa em relação a vários. Um deles foi a "Amiga Genial" e descobri que é o primeiro de uma tetralogia. Ficam na minha lista para ler :)
    Obrigada e beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miriam,
      obrigada.
      Espero que gostes.
      Um beijinho.

      Eliminar
  6. Adorei todas as sugestões, uns conhecia e outros apenas tive conhecimento deles agora. Boas leituras. beijinhos

    https://saboresdoninho.blogspot.pt/

    ResponderEliminar