Mostrar mensagens com a etiqueta açafrão. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta açafrão. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 20 de Setembro de 2013

Tagliatelle com mexilhão e pesto de flor de curgete


O Verão começa a despedir-se. As noites chegam mais cedo. Apesar dos dias quentes e cheios de sol, que nos deixam cheios de vontade para ir para a praia, as noites já se sentem mais frescas. A natureza segue o seu ritmo. E nós acompanhamos e tentamos aproveitar todas as coisas boas que nos tem para oferecer. E uma das coisas que gosto de aproveitar no Verão é a curgete e a sua flor.

Com flores de curgete já fiz ovos mexidos, flores recheadas, frittata e tartes. Este ano decidi-me também por um pesto.

Pesto de flor de curgete

Ingredientes:
50 g de flores de curgete
80 g de avelãs tostadas
50 g de queijo parmesão ralado
1 dente de alho
2 dl de azeite
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Retirar o pé e o estame das flores de curgete.

2. Colocar as flores, as avelãs, o queijo, o alho e o azeite num copo liquidificador. Temperar com sal e pimenta preta a gosto. Triturar.



Tagliatelle com mexilhão e pesto de flor de curgete

Ingredientes:
250 g de miolo de mexilhão
280 g de tagliatelle
2 g açafrão-das-índias
1 dente de alho
0,5 dl azeite
200 g de pesto de flor de curgete
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cozer a massa seguindo as indicações da embalagem, em água e sal.

2. Picar o alho.

3. Levar uma frigideira ao lume com o azeite e o alho. Deixar frigir.

4. Adicionar o miolo de mexilhão. Temperar com açafrão, sal e pimenta preta acabada de moer, a gosto.

5. Assim que o miolo estiver cozido, retirar do lume.

6. Numa taça misturar a massa, o miolo de mexilhão e o pesto de flor de curgete. Mexer e servir.

Este prato fez as delícias cá de casa, num dia bonito de Verão.

terça-feira, 21 de Agosto de 2012

Risotto de açafrão com flores de courgette recheadas


O Concurso de Receitas Comer e do Hotel Aviz decorre até 31 de Agosto e eu decidi participar com a receita que vos apresento hoje. Tudo começou com uma ida a Santarém onde fui apanhar flores de courgette. Chegada a casa decidi recheá-las e fazer um arroz de açafrão. O prato ficou tão bom, que o Ricardo me disse: não andavas a pensar numa receita para o concurso do Hotel Aviz? Por que é que não concorres com esta? Às vezes, nem é preciso procurar muito. Estava decidido.

No concurso ganha a receita que tiver mais Likes/Gostos no Facebook por isso se gostaram desta receita eu agradeço desde já o vosso apoio clicando aqui. Basta fazer Like/Gosto na foto da minha receita.


Risotto de Açafrão

Ingredientes:
160g de arroz para risotto
1 cebola picada
1 dente de alho picado
0,5dl de azeite
1dl de vinho branco
1 pitada de açafrão em fios (aproximadamente 12 fios)
2dl de água quente
6dl de caldo de galinha quente
25g de manteiga
15g de queijo parmesão ralado
sal q.b.


1. Colocar os fios de açafrão num copo. Adicionar os 2dl de água quente e reservar.

2. Num tacho colocar o alho, a cebola e o azeite. Levar ao lume e deixar refogar, mexendo uma vez por outra, até a cebola quebrar.

3. Acrescentar o arroz e mexer. Refrescar com o vinho branco. Assim que o vinho evaporar, adicionar o chá de açafrão, com os fios. Temperar com sal.

4. Ir adicionando o caldo de galinha pouco a pouco à medida que o arroz for pedindo.

5. Assim que o arroz estiver cozido, retirar do lume e adicionar a manteiga e o queijo. Envolver bem e servir de imediato com as flores de courgette recheadas.


Flores de courgette recheadas

Ingredientes:
18 flores de courgette
125g de requeijão
7g de cebolinho fresco picado
20g de tomate seco em azeite
15g de queijo parmesão ralado
2 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta preta de moinho q.b.


1. Pré-aquecer o forno a 180ºC.

2. Numa taça colocar o requeijão, o cebolinho, o tomate seco picado com um pouco do seu azeite e o queijo ralado. Temperar com sal e pimenta a gosto.

3. Com um garfo esmagar e envolver muito bem os ingredientes.

4. Retirar os estames das flores e rechear com a mistura de requeijão.

5. Depois das flores recheadas, juntam-se e torcem-se um pouco as pontas para ficarem fechadas.

6. Colocam-se as flores num recipiente de forno. Rega-se com o azeite e levam-se ao forno durante 8 minutos.

7. Servem-se com o arroz de açafrão.


O arroz fica delicioso e as flores de courgette recheadas ajudam a tornar este prato muito especial.

segunda-feira, 30 de Abril de 2012

Tagine de borrego com ovos e avelãs


De vez em quando gosto de mergulhar no sabor de outras cozinhas. Conhecendo outras cozinhas, acabamos por perceber melhor a nossa e também sabe muito bem viajar através dos sabores, imaginar outras paragens que combinem com o espírito do prato que iremos degustar. Eu adorava visitar Marrocos, ir, principalmente, a Marraqueche, Casablanca e Fez. Há qualquer coisa de exótico e misterioso nestas cidades, que me atraem e despertam a imaginação. Os mercados cheios de gente, as cores, as especiarias, tudo isto me soa a aventura e a histórias de mil e uma noites.

A cozinha escolhida para hoje foi a marroquina. A receita foi inspirada numa da revista BBC Good Food de Janeiro de 2001. Nesta cozinha, de que ainda só fiz pratos salgados, gosto do modo como usam as especiarias, como as misturam especialmente com a carne de borrego. A novidade desta tagine é que leva ovos.


Ingredientes:
25g de manteiga
0,5dl de azeite
1 cebola picada
1 colher de café de gengibre em pó
1 pitada de açafrão em fios
500g de borrego sem osso cortado em cubos
2 dentes de alho picados
3 cardamomos
1 raminho de coentros ou salsa picados
sal e pimenta
3dl de água (quente)
6 ovos de codorniz cozidos ou 4 ovos pequenos
50g de avelãs torradas


1. Colocar num tacho a manteiga com o azeite. Assim que a manteiga derreter, juntar a cebola, o açafrão, o gengibre, sal e pimenta a gosto. Deixar cozinhar até as cebolas ficaram transparentes.

2. Adicionar a carne e o alho. Deixar cozinhar durante 3 minutos e de seguida acrescentar a água, de preferência quente. Deixar cozinhar em lume brando até a carne estar cozida.

3. Servir com os ovos abertos ao meio, as avelãs torradas, coentros picados ou salsa. Acompanhar com cuscuz.


O que me chamou a atenção nesta receita foi os ovos. Pareceu-me uma combinação pouco usual, mas o que é certo é que os ovos ficaram deliciosos com o borrego.

quarta-feira, 7 de Março de 2012

Arroz de frango com açafrão no forno para um aniversário


É curioso como os nossos caminhos se cruzam e se entrelaçam. Mesmo que não tenhamos verdadeiramente consciência disso, as pessoas que se cruzam connosco marcam-nos quer seja por uma ideia, pela maneira de estar na vida, quer seja pelo modo como manifestam a sua bondade e carinho, que nos ajudam a olhar para o mundo de maneira diferente. As pessoas que contam na nossa vida são aquelas que nos afectam de alguma forma, aquelas que nos tocaram pela positiva, que nos fizeram sentir bem.

O ano passado a Manuela encontrou-me e concorreu ao desafio Conte-me a sua receita e partilhou com todos nós um bolo muito especial. O Bolo da Tia Rosa. Bolo este que se veio a transformar num delicioso blogue, onde a Manuela nos conta histórias, nos oferece receitas e nos mostra um pouco da sua maneira de estar na vida e com os outros. Conhecia-a na Feira do Livro. Voltamo-nos a encontrar no lançamento do livro de M. Margarida Pereira Muller, Receitas com Cerveja, onde a Manuela me falou de uma cerveja com sabor a chocolate, de que nunca mais me esqueci. A Manuela e eu temos uma história. A história de duas pessoas que se cruzam e que a partir daí nasce uma amizade. Este é o verdadeiro poder dos blogues. Juntar as pessoas.

Para a festa do 1º aniversário do O Bolo da Tia Rosa levo um arroz de frango com açafrão no forno. Um prato que me faz lembrar a minha infância e as festas de família.

Para cozer o frango

Ingredientes:
1/2 frango do campo
450g de arroz agulha ou arroz vaporizado
1 cebola
6 bagas de pimenta-da-Jamaica
3 cravos-da-Índia
1 chouriço
sal


1. Colocar o frango e o chouriço numa panela e adicionar água até tapar a carne. Juntar sal, a pimenta e a cebola com os cravinhos espetados.

2. Depois de cozido o frango, limpá-lo de peles e ossos. Desfiar a carne.

3. Cortar o chouriço às rodelas.

4. Coar 1,2L de caldo e reservar.


Arroz de frango com açafrão no forno

Ingredientes:
450g de arroz agulha ou arroz vaporizado
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1dl de azeite
1,2L de caldo de cozedura do frango (quente)
1 colher de chá de açafrão das índias


1. Levar a cebola e o alho num tacho ao lume com o azeite. Deixar frigir um pouco até a cebola quebrar.

2. Juntar o arroz e deixar fritar um pouco mexendo, para não deixar pegar.

3. Adicionar o caldo, sal e o açafrão. Deixar cozinhar durante 20 minutos. Depois de retirar do lume, deixar repousar durante mais ou menos cinco minutos.

4. Colocar uma camada de arroz num tabuleiro de forno. Por cima uma camada de carne desfiada. Terminar com uma camada de arroz. Decorar com as rodelas de chouriço.

5. Levar ao forno pré-aquecido a 220ºC durante 15 minutos.

6. Servir o arroz com rodelas de laranja.


Acompanhar o arroz com uma salada de verdes. Este arroz fica muito saboroso e solto. O açafrão deixa-o com um amarelo dourado, lindo.

quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012

Peitos de frango recheados com farinheira, nabiças e nozes


O domingo é o dia em que sinto que tenho tempo para descansar da rotina do dia-a-dia, e das visitas à família. A cidade pára da sua azáfama diária e como diz António Gedeão, "aos domingos as árvores crescem na cidade e os pássaros, julgando-se no campo, desfazem-se a cantar empoleirados nelas".

Aos domingos gosto de acordar com tempo, ler a meu belo prazer, olhar o mundo pela janela da sala, ver a calma das pessoas a andar, ouvir música e ir para a cozinha descansada. Sem pressas. Com tempo para cozinhar. Com tempo para apreciar o que faço, ter ideias, experimentar novas combinações, novos sabores.

O domingo é o dia em que gosto de me sentar à mesa com tempo. Fazer uma refeição demorada. Ter tempo para apreciar. Desligar a televisão. Conversar e rir.

O domingo é o dia em que gosto de ter tempo.

No passado domingo, para o almoço fiz estes peitos de frango recheados. Comprei um frango do campo e retirei-lhe os peitos. As pernas ficaram para outra refeição e com a carcaça fiz um caldo que usei no arroz de açafrão. Fazer isto, a pensar que tenho todo o tempo do mundo, só mesmo ao domingo.


Ingredientes:
2 peitos de frango
1 farinheira (125g)
150g de nabiças
15g de nozes picadas grosseiramente
2 colheres de sopa de pão ralado
1 colher de sopa de ervas picadas frescas (alecrim e tomilho)
1 colher de chá de manteiga
sal e pimenta


1. Cozer as nabiças em água.

2. Depois de cozidas escorrer muito bem e picar grosseiramente.

3. Pré-aquecer o forno a 200ºC.

4. Colocar a farinheira sem pele numa frigideira anti aderente. Levar ao lume e esmagar com a ajuda de um garfo. Adicionar as nabiças picadas e envolver muito bem. Juntar as nozes picadas.

5. Abrir os peitos de frango ao meio. Temperar com sal e pimenta.

6. Rechear os peitos de frango com a pasta de farinheira. Fechá-los com três ou quatro palitos. Colocar os peitos de frango num tabuleiro de forno.

7. Misturar as ervas picadas com o pão ralado. Polvilhar os peitos de frango com esta mistura.

8. Colocar umas nozes de manteiga por cima dos peitos de frango e levar ao forno durante 20 a 25 minutos.


Servi os peitos de frango recheados com arroz de açafrão.


Arroz de Açafrão

Ingredientes
1 chávena de arroz carolino
3 chávenas de caldo de galinha
1 colher de chá de açafrão das Índias (2g)
sal


1. Cozer o arroz carolino no caldo de galinha, com o açafrão das índias e uma pitada de sal, em lume brando durante aproximadamente 20 minutos.


Os peitos de frango recheados com farinheira combinaram muito bem com o arroz de açafrão. Foi uma refeição deliciosa para um domingo com tempo.

quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

Beringelas com cuscuz e molho de iogurte com açafrão


A vida torna-se mágica quando somos surpreendidos por alguma coisa boa. Não é preciso ser uma coisa valiosa. O importante é que seja especial e que nos faça sentir bem. Algo que nos faça sorrir ou que torne o nosso dia mais feliz. Isso acontece quando descobrimos coisas boas de pessoas com quem convivemos. Adoro descobrir talentos ou afinidades nas pessoas que me rodeiam. Sinto-me bem com isso. É ótimo descobrirmos laços que nos unem aos outros. Por outro lado, gosto também, quando me fazem a mim sentir especial. Quem não gosta?

Um destes dias de manhã, bem cedo, cheguei à minha secretária, no local onde trabalho, e tinha uma fotografia com uma dedicatória muito simpática. Este pequeno gesto transformou o meu dia. Fez-me sorrir. Fez-me sentir feliz, especial. Gostei tanto desta surpresa, feita pela mão do Nuno Capela, um já grande fotógrafo, que o meu dia correu muito melhor.

( Foto da autoria de Nuno Capela )

Mas quem gosta de receber surpresas acaba também por gostar de surpreender os outros. Estabelecer laços. Criar ligações. Ser feliz, surpreendendo e fazendo os outros sentirem-se especiais.

No domingo fui ao mercado sozinha e trouxe para casa dióspiros, maçãs vermelhas suculentas, beterrabas, tomate, entre outras frutas e legumes. Mas, uma das coisas especiais que comprei para surpreender o Ricardo foi beringelas. Estavam frescas e apetitosas. E foi assim que comprei 3 para lhe preparar um prato especial. Um pequeno gesto. Um pequeno nada. Mas são todas estas pequeninas coisas que dão cor à vida.


A ideia para estas beringelas veio do blogue What's For Lunch Honey? e, principalmente, a receita do molho de iogurte.


Beringelas assadas no forno

Ingredientes:
3 beringelas grandes
sal e pimenta

1. Cortar as beringelas ao meio. Em cada metade, fazer cortes de modo a fazer um xadrez.

2. Temperar com sal e pimenta.

3. Regar com 1,5dl de azeite.

4. Levar ao forno pré-aquecido a 220ºC durante 40 minutos.

O tempo de assar das beringelas varia de acordo com o tamanho.


Cuscuz com abóbora manteiga e bagos de romã

Ingredientes:
200g de cuscuz
2dl de água quente
sal e pimenta q.b.
40g de manteiga sem sal
200g de abóbora assada em azeite
1 raminho de salsa
1 raminho de coentros
50g de amêndoas torradas
5 colheres de sopa de bagos de romã

1. Colocar os cuscuz numa taça. Regar com a água quente. Deixar a descansar durante aproximadamente 5 minutos.

2. Colocar a manteiga numa frigideira. Levar ao lume. Assim que a manteiga esteja derretida, adicionar os cuscuz. Mexer muito bem de modo a que os grãos se separem.

3. Cortar a abóbora assada em pequenos cubos. Picar a salsa e os coentros.

4. Colocar os cuscuz numa taça. Juntar a abóbora, a salsa e os coentros picados, as nozes e os bagos de romã. Temperar com um pouco de sal e pimenta. Mexer.

5. Servir com as beringelas e o molho de iogurte com açafrão.


Molho de iogurte com açafrão

Ingredientes:
1 pitada de açafrão em fios (em infusão durante 5 minutos em 3 colheres de sopa de água quente)
180g de iogurte grego
1 a 2 dentes de alho espremidos
sumo de 1 limão
3 colheres de sopa de azeite

1. Envolver com uma vara de arames o iogurte com a infusão de açafrão. Mexer. De seguida adicionar os restantes ingredientes e mexer.

2. Reservar no frigorífico até à altura de servir.


Nesta receita o molho de iogurte faz toda a diferença. Fica muito saboroso. Em relação à receita original diminui a quantidade de limão usado e não me arrependi. Gostei tanto que fiquei com vontade de o usar noutras receitas.

O Ricardo adorou estas beringelas e, curiosamente, eu também. Eu que nem era grande apreciadora, agora dou por mim a gostar de beringelas! Bem, assim começo a não ter desculpas para não fazer mais vezes beringelas!

terça-feira, 16 de Novembro de 2010

Sargo à século XIX ou talvez não?

Na passada sexta-feira deixei a descongelar sargos, de uma das pescarias do meu pai, que adora ir à pesca, para confeccionar ao jantar.

Ao final do dia, chegada a casa, abri o Pantagruel, uma das bíblias da cozinha portuguesa, à procura de uma receita e encontro uma receita de Sargo à século XIX. Achei piada ao nome. Sargo à século XIX? Huummm ... soava-me muito bem, mesmo sem perceber o porquê do título da receita. :)

Ao ler as indicações de confecção percebi que o peixe deveria ser cortado em postas, que depois de enfarinhadas deveriam ser cozidas em azeite com os alhos e o açafrão. Depois do peixe cozido de um lado e outro, adicionavam-se a farinha diluída em água, o sumo de limão e a manteiga de modo a obter um molho. Ná! Não me "apeteceu" estar a cortar os sargos em postas e a fritá-las em azeite. Para mim, a receita fazia sentido se os peixinhos fossem cozinhados inteiros no forno. E assim, fiz! ;)


Ingredientes:
3 sargos
sal e pimenta
farinha
1,5 dl de azeite
sumo de 1 limão
4 dentes de alho
1 colher de café de fios de açafrão


1. Enxugar o peixe com papel absorvente.

2. Colocar sal nas guelras dos sargos e polvilhá-los com pimenta a gosto.

3. Passar o peixe por farinha.

4. Colocar os sargos num tabuleiro de forno. Adicionar os dentes de alho esborrachados, o açafrão, o sumo de limão e o azeite.

5. Tapar o tabuleiro com papel de alumínio e levar ao forno.

6. Uns minutos antes do o peixe estar pronto, retirar o papel de alumínio para que o peixe fique ligeiramente dourado.


Servir o peixe com batatinhas cozidas e uma salada de alface.

Sargos à século XIX ou talvez não, mas o que é certo é que resultaram muito bem. O molho que resulta do assado fica muito agradável.