Mostrar mensagens com a etiqueta funcho. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta funcho. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 11 de Junho de 2014

Hambúrguer de salmão em bolo do caco com maionese de wasabi


Adoro bolo do caco. Provei, pela primeira vez,  bolo do caco num restaurante de comida madeirense em Lisboa, que o Ricardo e eu íamos muitas vezes. Há uns anos atrás descobri à venda bolo do caco e comecei a usá-lo cá em casa. Quentinho com manteiga de alho resulta numa entrada maravilhosa, mas gosto também de o usar em sandes.

O bolo do caco da Primus foi um dos vencedores do Produto do Ano 2014. Esta certificação reconhece produtos considerados inovadores à venda em Portugal, eleitos pelos consumidores. Este ano distinguiram-se sessenta marcas.

Desenvolvi esta receita de uns apetitosos hambúrgueres de salmão em bolo do caco com um toque exótico dado pelo wasabi para a rubrica Produto do Ano.


Hambúrguer de salmão em bolo do caco com maionese de wasabi

Ingredientes para 6 hambúrgueres:
600 g de salmão limpo de peles e espinhas
50 g de cebola
1 dente de alho
7 g de rama de funcho
30 g de pão ralado
40 g de mostarda em grão à antiga
6 bolos do caco Primus
1 tomate grande cortado às rodelas
6 folhas de alface
1 colher de sopa de azeite
Maionese de wasabi q.b.
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Picar o salmão no robot de cozinha ou numa picadora.

2. Colocar o salmão picado numa taça. Adicionar a cebola picada, o dente de alho espremido, a rama de funcho picada, o pão ralado, a mostarda, sal e pimenta preta a gosto. Mexer de modo a envolver muito bem os ingredientes.

3. Moldar seis hambúrgueres. Colocar os hambúrgueres num tabuleiro forrado com papel vegetal. Tapar os hambúgueres com outra folha de papel vegetal e levar ao frigorífico durante, pelo menos 30 minutos.

4. Colocar o azeite numa chapa para grelhar e levar ao lume. Assim que estiver quente, colocar os hambúrgueres e grelhar, virando-os a meio.

5. Abrir ao meio os bolos do caco.

6. Numa das metades dispor uma folha de alface, uma rodela de tomate, um hambúrguer, barrar a superfície com maionese e tapar com a outra metade do bolo do caco. Repetir a operação para os restantes hambúrgueres.


Maionese de wasabi

Ingredientes:
150 g de maionese
2 colheres de chá de pasta de wasabi

1. Numa taça misturar a pasta de wasabi com a maionese.

segunda-feira, 2 de Junho de 2014

Salmão com curgete, tomate e funcho para comer e emagrecer


A comida está na moda? - é uma das perguntas que me costumam fazer com alguma regularidade. Hoje em dia fala-se mais de comida porque há cada vez mais pessoas preocupadas com a sua alimentação, querem saber a origem dos produtos que colocam na mesa face à enorme variedade do que comercialmente encontramos. Há também cada vez mais pessoas a cozinhar em casa e que acabam por levar comida para o trabalho. Tudo isto ajuda a que se fale de comida. A preocupação pelo que se come também se reflecte nos imensos livros sobre dietas que chegam ao mercado. "Somos o que comemos" - a nossa vida, a nossa saúde reflete a alimentação que temos e o estilo de vida que cultivamos. É importante estarmos atentos ao que comemos.

Desde o mês de Fevereiro deste ano que nasceu aqui no Cinco Quartos de Laranja a rubrica Comer para Emagrecer. Procuro publicar receitas com poucos hidratos de carbono, fáceis e rápidas de preparar. Hoje trago-vos mais uma saborosa sugestão para quem se preocupa em manter a linha.


Ingredientes para 4 pessoas:
4 lombos de salmão
1 cebola
2 curgetes
2 bolbos de funcho
200 g de tomate cereja
1,8 dl de azeite
1 colher de chá de alho em pó
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cortar a cebola em meias luas.

2. Cortar os bolbos de funcho em fatias finas. Cortar as curgetes em pedaços.

3. Colocar os legumes num tabuleiro de forno. Juntar o tomate cereja.

4. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto. Regar com azeite e mexer.

5. Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 40 minutos, a meio mexer a mistura.

6. Temperar os lombos de salmão com sal, pimenta e alho em pó.

7. Colocar os lombos de salmão por cima dos legumes assados. Regar com 30ml de de azeite e levar o tabuleiro mais 8 a 10 minutos ao forno.


No próximo sábado vou estar na Loja das Conservas, na rua do Arsenal, em Lisboa, às 11h30 para um showcooking. Vou confeccionar receitas fáceis e rápidas com conservas para o Verão. A participação é gratuita. Basta inscreverem-se através do envio de um eMail para sofia.brandao@apoveira.pt e lojadasconservas@gmail.com.

Conto convosco. Apareçam!


Outras receitas Para Comer e Emagrecer:
- Beringela e tomate com bacalhau;
- Costeletas de borrego com brócolos;
- Creme de couve lombarda;
- Salada de espargos com camarão;
- Sopa de chuchu com alho-francês;
- Sopa de couve-flor e coentros.

terça-feira, 25 de Fevereiro de 2014

Creme de couve lombarda, para comer e emagrecer


O apontamento da sopa para comer e emagrecer que publiquei a semana passada teve reacções muito positivas. Tive vários pedidos para continuar a publicar receitas que ajudem quem está a fazer dieta, ou para pessoas que de vez em quando gostam de fazer refeições sem hidratos de carbono. Confesso que fiquei com vontade de criar a rubrica Para Comer e Emagrecer. O que vos parece? Hoje, deixo-vos mais uma sugestão, um creme de couve lombarda. Espero que gostem.


Ingredientes:
650 g de couve lombarda (sem as folhas verdes)
270 g de cabeças de nabo
35 g de bolbo de funcho
60 g de folhas de agrião (ou de espinafres)
1 cebola
3 dentes de alho
1 dl de azeite
1,5 l de água
Sal e pimenta-preta q.b.
Azeite trufado para servir


1. Colocar numa panela a couve lombarda cortada, as cabelas de nabo descascadas e cortadas, o funcho, as folhas de agrião, a cebola descascada e picada, os dentes e alho. Temperar com sal e regar com a água.

2. Levar ao lume e deixar cozinhar até os legumes estarem cozidos.

3. Adicionar o azeite e temperar com pimenta preta a gosto. Com a ajuda da varinha mágica triturar os legumes até obter um creme.

4. Servir o creme com um fio de azeite trufado.


A sopa é fundamental às refeições. Ao jantar, uma a duas vezes por semana, comer apenas sopa pode ajudar quem está a fazer dieta tendo em vista perda de peso.

quarta-feira, 9 de Outubro de 2013

A minha primeira experiência com a Yämmi: Sopa de cherovia


Já há algum tempo que tinha pensado em comprar uma máquina de cozinha. Mas tendo em conta os preços elevados, fui sempre adiando essa decisão até que finalmente chegou a Yämmi. Para além de ter um nome apetitoso, chegou ao mercado com um preço acessível. Desconfio que vai ser uma prenda de Natal para muitas pessoas.

Confesso que estava muito curiosa com a máquina. Foi a primeira vez que usei este tipo de máquinas para cozinhar e estava com algumas dúvidas, por exemplo, se me iria ambientar, se iria perceber como é que funcionava, se conseguiria fazer tudo certinho para que a receita resultasse, já que me diziam que tinha que ser tudo muito preciso.

A primeira coisa que fiz foi montar a Yämmi e perceber para que servia cada uma das peças e acessórios. Perdi algum tempo a tentar encontrar o medidor que tapa a tampa do copo, até que descobri que estava ainda na placa de esferovite que protege o equipamento dentro da caixa. Depois de tudo montado e previamente lavado na máquina da louça - tive o cuidado de colocar as borrachas na parte de cima da máquina, para apanharem menos calor - fui ler o manual de instruções e ver como se faziam algumas receitas do livro que acompanha a Yämmi. Uma das coisas que procurei descobrir foi como se fazia um refogado, como se procedia para cozer os alimentos, o que fazer para bater as claras em castelo, como fazer para cozinhar a vapor, como preparar massas. No fundo, procurei perceber o que significam estes três eixos tão importantes para aprender a funcionar com este tipo de máquinas: temperatura, velocidade e tempo.

A primeira receita que decidi fazer foi uma sopa. Como era a primeira vez que ia usar a máquina, a sopa seria uma opção segura. Para esta sopa decidi fazer um refogado para ver como funcionava e correu tudo muito bem. Eu que em relação às máquinas tenho sempre algumas resistências, achei que a Yämmi era muito fácil de usar, muito intuitiva. Enganei-me a primeira vez a colocar o tempo, marquei cinco segundos em vez de cinco minutos, mas como calculam, ao ouvir o sinal sonoro que o programa tinha terminado, rapidamente me apercebi do meu erro e rectifiquei a situação. Noutras receitas, já não me voltei a enganar. O facto de a máquina cumprir a sua função sem ser necessário estarmos ao pé e alertar-nos quando termina, é um descanso. Podemos estar a fazer outras coisas, quando simultaneamente "estamos" a cozinhar.

A Yämmi vem com uma balança, que pesa ao grama. A balança é exterior à máquina, o que nos permite retificar pesos sem grandes preocupações. A minha balança antiga, já foi reformada.

Uma das coisas que tinha algum receio era o barulho. Será que a máquina a cozinhar faria muito barulho. Não. Achei que não faz muito barulho. Houve alturas, principalmente quando me coloco em frente ao computador, que até me esqueci que tinha a máquina a funcionar, não fosse o sinal sonoro que emite quando acaba um programa. Até ao momento a Yämmi satisfez as minhas expectativas, mas as experiências continuam.


Sopa de cherovia com gengibre e rama de funcho

Ingredientes:
300 g de cherovias
160 g de alho-francês sem rama
135 g de cebola
20 g de raiz de gengibre
5 g de rama de funcho
9 dl de água ou caldo de legumes
0,5 dl de azeite
Sal q.b.


Versão Yämmi:

1. Descascar e picar a cebola.

2. Cortar o alho-francês às rodelas. Descascar e picar o gengibre.

3. Colocar a cebola, o alho-francês e o gengibre no copo da Yämmi. Regar com o azeite. Refogar na velocidade 1, durante 5 minutos, à temperatura máxima (ST).

4. Adicionar as cherovias descascadas e cortadas em pequenos cubos e a rama de funcho.

5. Regar com a água ou caldo de legumes. Temperar com sal. Deixar cozinhar durante 25 minutos na velocidade 1 a 100ºC.

6. Triturar durante 3 minutos, progressivamente da velocidade 3 até à velocidade 7.
Versão tradicional:

1. Descascar e picar a cebola.

2. Cortar o alho-francês às rodelas. Descascar e picar o gengibre.

3. Colocar a cebola, o alho-francês e o gengibre numa panela. Regar com o azeite. Refogar até a cebola quebrar.

4. Adicionar as cherovias descascadas e cortadas em pequenos cubos e a rama de funcho.

5. Regar com a água ou caldo de legumes a ferver. Temperar com sal. Deixar cozinhar até os legumes estarem cozidos.

6. Com a ajuda da varinha mágica, reduzir a sopa a puré.


Nesta sopa podem substituir a cherovia por batata. Resulta muito bem servida com um fio de azeite por cima. Cá em casa adorámos esta sopa. Cremosa, a notar-se o ligeiro aroma picante do gengibre e a frescura da rama de funcho. A quantidade de água usada depende, caso se prefira uma sopa mais espessa ou mais líquida.

quarta-feira, 3 de Julho de 2013

Salada de búzios integrais com salmão grelhado


Gosto do verão. Dos dias quentes, das roupas leves e frescas, das idas à praia, de andar com chinelos nos pés. Prefiro os dias de calor, longos que convidam a passeios e encontros com os amigos. Gosto da luz e do céu azul. De poder parar e ler um romance que me faça sonhar. De andar pela cidade e fotografar pequenos momentos, rostos a sorrir.

O Verão é uma estação que enche cestos de generosidade. Oferece-nos uma variedade de frutas doces e legumes frescos, viçosos. Dá-nos os figos e as cerejas. As courgettes e o tomate. Gosto do Verão. Das comidas leves e frescas. Das saladas cheias de legumes. Hoje, para a rubrica Milaneza alimenta a imaginação, apresento uma salada de búzios integrais com salmão grelhado.


Ingredientes:
300 g de búzios integrais Milaneza
300 g de salmão grelhado
200 g de tomate cereja
1 cebola roxa pequena
1/2 bolbo de funcho
50 g de agrião
3 embalagens de 125 g de iogurte natural
8 g de rama de funcho
1 dente de alho
2 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta preta q.b.


1. Cozer os búzios integrais seguindo as indicações da embalagem (mas cerca de 2 minutos a menos que o tempo indicado), em água temperada com sal.

2. Depois de cozidos, escorrer os búzios, regar com duas colheres de sopa de azeite e colocá-los num recipiente largo para arrefecer ao ar ou no frigorífico, por 15 a 20 minutos.

3. Numa taça juntar os búzios com o salmão previamente grelhado, já frio, e lascado, o tomate cereja cortado ao meio, a cebola roxa cortada em meias luas, o bolbo de funcho cortado finamente e as folhas de agrião.

4. Numa taça juntar os iogurtes com o dente de alho espremido, a rama de funcho picada, sal e pimenta preta a gosto.

5. Servir a salada regada com o molho.


Os búzios integrais são deliciosos e combinam bem em saladas com molhos. Esta salada resulta muito bem e pode ser uma excelente opção para levar para a praia, um piquenique ou até para o trabalho. Aproveitem os dias bons de Verão e façam como eu, comam muitas saladas!

segunda-feira, 15 de Abril de 2013

Sopa de trigo sarraceno com espinafres


Na minha última ida às compras aos supermercados biológicos Brio entre os vários produtos diferentes que tinha vontade de experimentar, eis que me deparei com uma embalagem de trigo sarraceno e achei logo que o destino seria uma sopa. Uma sopa cheia de legumes como eu gosto.

O trigo sarraceno, apesar do nome não é da família do trigo mas das Poligonáceas. É o fruto de uma planta da família do ruibarbo, mas em termos culinários é classificado como um grão. Uma das curiosidades deste grão é a sua forma triangular. Tal como o arroz, para cada medida de grão, usar duas de água.

Ingredientes:
215 g de trigo sarraceno
2 cebolas médias
3 dentes de alho
1 folha de louro
1 dl de azeite
3 cenouras
1 lata (400g) de tomate pelado
115 g de funcho
150 g de alho-francês sem rama
1,7 L de caldo de legumes ou água
200 g de folhas de espinafres
sal e pimenta-preta de moinho


1. Levar ao lume, numa panela, o alho, a folha de louro e o azeite. Deixar frigir um pouco e de seguida adicionar as cebolas picadas.

2. Adicionar as cenouras cortadas em pequenos cubos, o funcho picado, o alho-francês cortado em meias luas e o tomate pelado. Deixar cozinhar durante 4 a 5 minutos.

3. Adicionar o trigo sarraceno e mexer. Regar com o caldo de legumes e temperar com sal e pimenta preta acabada de moer a gosto.

4. Quando os legumes e o trigo estiverem cozidos, adicionar as folhas de espinafre, mexer e passado um minuto retirar do lume. Servir de imediato.


Esta é uma sopa rica, consistente a que o trigo sarraceno dá um toque muito especial. Faz-me lembrar uma que comi numa das minhas viagens de verão, num dia bonito ao pôr-do-sol, num pequeno restaurante, na região da Toscana, em Itália. Que saudades!

quinta-feira, 15 de Março de 2012

Salada de queijo feta com sésamo e salmão


Há dias em que chego a casa e a vontade de cozinhar é tanta como a de ir correr a meia-maratona. Abro o frigorífico para ver o que se pode colocar na mesa. Quase sempre tenho sopa feita, o que dá um jeito enorme para um jantar que requeira pouco tempo na cozinha. A seguir, para estas ocasiões penso sempre nuns ovos mexidos, que adoro, sejam eles simples ou misturados com ervas, queijos ou enchidos, ou então uma salada. A escolha desta semana, para um dos meus jantares apressados foi uma salada de queijo feta com sementes de sésamo e salmão. O que se faz rapidamente, não significa que não surpreenda e que não deixe de estar saboroso. Esta minha salada conquistou. O queijo feta envolvido nas sementes de sésamo deu uma ajuda.


Ingredientes:
1/2 cebola roxa cortada em meias luas finas
1/2 bolbo de funcho cortado em fatias finas
100g de queijo feta
2 colheres de sopa de sementes de sésamo
200g de salmão fumado
salada de folhas verdes
sal
azeite e vinagre q.b.


1. Numa taça misturar a salada de folhas verdes, a cebola e o funcho cortado.

2. Envolver os cubos de feta nas sementes de sésamo.

3. Juntar o queijo e o salmão à mistura anterior.

4. Temperar com sal, azeite e vinagre a gosto.


Nesta salada é importante cortar o funcho em fatias finas, para ficar crocante.

quarta-feira, 14 de Março de 2012

Sopa de abóbora com camarão picante


A sopa. Nos últimos tempos não tenho feito muitas sopas. Talvez seja porque os dias têm estado muito quentes e tenho preferido outras comidas. A ideia desta sopa veio no seguimento de algumas receitas que fiz para dar uso a uma abóbora grande que chegou à minha cozinha.

Houve alturas em que procurava logo aproveitar e congelar a abóbora. Agora ando numa fase que procuro logo aproveitar e cozinhar ao máximo com ela ainda fresca. Os congelados dão muito jeito, prepara-se uma sopa ou outra refeição num instante. Mas se posso usufruir de todo o sabor de um fruto ou legume fresco, porquê congelá-lo? Não há nada melhor de que usar os produtos sem passarem pelo congelador.


Sopa de abóbora

Ingredientes:
1Kg de abóbora cortada em pequenos cubos
1 cenoura
1 alho francês sem rama
1 cebola
1 cabeça de funcho
1,5dl de azeite
sal
1L de água quente
cebolinho picado para servir


1. Colocar os legumes numa panela com o azeite. Levar ao lume e deixar cozinhar um pouco, até os legumes começarem a perder volume.

2. Temperar com sal. Juntar a água e deixar os legumes acabarem de cozer.

3. Depois dos legumes cozidos, triturá-los.

4. Servir a sopa com salteados camarões picantes e cebolinho picado.


Camarões picantes

Ingredientes:
200g de camarão sem casca
azeite
1 a 2 dentes de alho picados
1 colher de chá de harissa ou 1 pitada de pimenta caiena
sal q.b.


1. Colocar um fio de azeite num frigideira. Juntar o alho picado e deixar frigir um pouco.

2. Adicionar o camarão juntamente com a harissa ou um pouco de pimenta caiena. Temperar com um pouco de sal a gosto. Mexer.

3. Servir o camarão com a sopa.


O picante é facultativo. Quem não apreciar este contraste de sabores, pode simplesmente saltear o camarão com o alho picado. Já fiz esta sopa duas vezes. Quando se repete é porque se gosta e muito. Cá em casa, adorámos!

quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012

Filetes de peixe com arroz de abóbora assada


As pescarias do meu pai transformam-se em momentos de alegria para mim. Sabe-me tão bem quando recebo peixe apanhado por ele. Da última vez que fui para os lados de Santarém não resisti e trouxe mais uns peixinhos deliciosos. Este peixe cheira sempre a mar.

Quando o peixe é fresco e de boa qualidade, para mim, não há nada melhor do que o cozinhar sem grandes temperos. Procurar a simplicidade e retirar de um bom produto o seu sabor autêntico, é o meu lema. Foi o que fiz ao cozinhar estes filetes num caldo de legumes.


Arroz de abóbora assada

Ingredientes:
350g de arroz carolino
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1dl de azeite
9dl de água ou caldo de peixe
250g de abóbora assada com tomilho e azeite
sal


1. Num tacho refogar no azeite a cebola e o alho. Juntar o arroz, o sal e o caldo de peixe ou água. Deixar cozinhar com o tacho tapado em lume brando.

2. Passados 10 minutos do arroz estar a cozer, juntar a abóbora esmagada com um garfo. Ir mexendo de vez em quando até o arroz estar cozido.

3. Servir o arroz com os filetes de peixe cozidos num caldo de ervas.



Filetes de peixe cozidos em caldo de legumes

Ingredientes:
3 folhas verdes da rama de alho-francês
1 cenoura cortada em cubos
1 raminho de rama de funcho
3 grãos de pimenta-da-Jamaica
sal q.b.
2 filetes de besugo (ou outro peixe a gosto) por pessoa


1. Colocar os ingredientes num tacho com água. Levar ao lume e deixar ferver até a cenoura estar cozida.

2. Colocar os filetes no caldo com cuidado com a pele virada para baixo. Deixar cozer durante dois a três minutos, dependendo do tamanho dos filetes.

3. Servir os filetes com o arroz de abóbora.


Eu usei besugos pequenos a que retirei os filetes. A cabeça e a espinha do peixe podem servir para fazer um caldo para cozer o arroz.

quarta-feira, 26 de Outubro de 2011

Creme de abóbora, funcho e cominhos


"A sopa

de legumes cobriu de nuvem o estômago amaciando de calor seu corpo antes maltratado pelo dia-a-dia.

Tinha planos de felicidade assim como o vidro de maionese fechado, feliz, brilhando na prateleira da cozinha vindo das últimas compras do supermercado.

Nova em vidro. Não mais transparente. Era preciso tecer estórias e mais estórias, fazê-las dobrarem-se sobre si mesmas, acolchoando-se de tempos a serem percorridos. Fazer a vida durar o mais que pudesse e guarnecê-la de consistências.

Tinha abóbora madura, ótimo antioxidante, repolho, muita fibra dizem, para os intestinos, um fio de lembranças de aconchego, de tudo na hora certa, indícios de cuidado de alguém.

Quero esclarecer que não teve o hábito de tomar sopa de letrinhas na infância e não tinha sido alfabetizada dessa forma.

Foi para a escola e na cartilha aprendeu à duras penas a ler e a escrever, embora não conseguisse com isso, melhor entendimento do mundo e de pessoas.

Foi a sopa neutra sem letras, num sábado qualquer na cozinha de sua casa que iniciou-a na arte de inscrever em si mesma o rumo da vida que bem quisesse."


Rosália Milsztajn, Aqui dentro de mim, editora Aeroplano, 2003.


Não tenho quaisquer dúvidas. Chega a chuva e o frio e cá por casa uma das coisas que se exige é uma sopa. Não há nada mais reconfortante do que um prato de sopa quentinha e saborosa, num dia de chuva e de vento. Pelo menos para mim. Como diz o poema, a sopa é uma forma de amaciar o estômago e compensá-lo dos maus tratos do dia-a-dia. A sopa serve de compensação, por isso se enche de legumes, cada um com as suas mais valias, e ajuda a recuperar as energias perdidas.

Gosto de sopa em todas as alturas do ano, mas em tempo frio sabem melhor. Gosto com legumes, em creme e até mesmo com letrinhas. Hoje aqui fica a sugestão de um creme, cheio de sabor, para compensar um típico dia de Outono.


Ingredientes:
1 cebola picada
550g de abóbora cortada em pequenos cubos
2 alhos-franceses (apenas a parte branca) cortados
1,5dl de azeite
1 bolbo de funcho cortado
1 colher de chá de cominhos em pó + para servir
sal
1L de água quente
cebolinho fresco picado para servir


1. Colocar os legumes cortados numa panela. Adicionar o azeite, sal a gosto e os cominhos. Levar ao lume e deixar cozinhar, mexendo de vez em quando, até os legumes estarem macios.

2. Adicionar a água quente. Deixar levantar fervura e triturar.

3. Servir a sopa em taças polvilhadas com cominhos e cebolinho picado.


Os cominhos tem um sabor acentuado, por isso é importante dosear com cuidado as quantidades.

segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

Caldeirada de peixe à moda da Laranjinha


Já há algum tempo que não fazia uma caldeirada. Este fim-de-semana ao decidir o que cozinhar, resolvi fazer uma caldeirada de peixe, para um dos nossos almoços demorados e preguiçosos. Esta foi a forma que encontrei para aproveitar umas postas de Safio que o meu pai me ofereceu. Numa das suas pescarias trouxe um Safio que pesava quase 8Kg. Ficou tão contente que o congelou inteiro para eu e outras pessoas da família vermos. A primeira ideia que me veio à cabeça ao ver o tamanho do peixe foi como é que ele o conseguiu tirar sozinho do mar. Pelos vistos, coisas que só os pescadores sabem!


Ingredientes:
1,7Kg de peixe variado (Cherne, Garoupa, Corvina e Safio)
6 sardinhas
10 camarões grandes
500g de amêijoas
1,2Kg de batatas descascadas e cortadas às rodelas
1Kg de tomate maduro (limpar de peles e sementes e picar)
3 cebolas médias cortadas às rodelas
4 dentes de alho picados
1/2 pimento vermelho cortado às tiras
1/2 pimento verde cortado às tiras
3 folhas de louro
1 a 2 piripiris
pimenta preta de moinho
1 colher de chá de pimenta da Jamaica
1 ramo de salsa
1 ramo de coentros
1/2 bolbo de funcho cortado
1 colher de chá de pimentão doce
2dl de azeite
5dl de vinho branco
1dl de água
sal
fatias de pão para servir


1. Temperar o peixe com sal uma hora ou hora e meia antes de começar a preparar a caldeirada.

2. Colocar no fundo de uma panela, de modo a formar camadas, as cebolas cortadas, o alho, o tomate, os pimentos, a salsa, os coentros, o funcho, o piripiri, as batatas às rodelas e por fim o peixe.

3. Colocar o louro, o colorau, as pimentas, sal e o azeite. Regar com a água e o vinho branco. Tapar a panela e levar ao lume a cozinhar. Não mexer a caldeirada. Depois de ferver e uns minutos antes de retirar do lume, adicionar as sardinhas, o camarão e as amêijoas. Tapar a panela e deixar acabar de cozinhar. Estará pronta assim que as batatas estejam cozidas.

4. Servir a caldeirada com fatias de pão.


Esta caldeirada dá para 6 a 8 pessoas. Fica com bastante molho, mas cá em casa gostamos assim, para acompanhar com fatias de pão a gosto. O caldo que sobra é normalmente aproveitado para fazer um arroz.

terça-feira, 12 de Julho de 2011

Febras de porco com laranja e cardamomo


Ao folhear a revista Saveurs de junho de 2011, a receita de febras com laranja e cardamomo chamou-me a atenção. Normalmente gosto de recolher receitas com febras, porque acho que são muito práticas para refeições no dia-a-dia e por outro lado, gostei da ideia de juntar os sabores do funcho com os da laranja.


Ingredientes:
600g de febras de porco
4 laranjas
2 cebolas pequenas
2 bolbos de funcho
25g de manteiga
4 colheres de sopa de azeite
3 cardamomos
sal e pimenta


1. Alourar as febras numa frigideira com a manteiga.

2. Adicionar o sumo e a raspa de duas laranjas, os cardamomos ligeiramente abertos e as cebolas cortadas em meias luas. Temperar com sal e pimenta. Tapar e deixar cozinhar.

3. Cortar o funcho.

4. Colocar o azeite numa frigideira e saltear o funcho. Temperar com sal e pimenta.

5. Descascar as restantes duas laranjas. Limpar os gomos de peles.

6. Servir as febras com o funcho e os supremos de laranja.


Funcho e laranja revelou-se uma combinação muito interessante. O funcho, tenro e crocante, resultou na perfeição com os sabores da laranja e com um ligeiro aroma a cardamomo.

quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2011

Sargo assado no forno com alecrim, limão e funcho


O que faz um bom blogue? O que marca o sucesso de um blogue? O número de visitas? De páginas vistas? O número de comentários? Com quase cinco anos de experiência pelo mundo dos blogues de comida, tenho visto muitas coisas boas e outras menos boas. Uma dessas coisas, é a cópia de receitas sem se citar as fontes e a utilização abusiva de fotos tiradas de outros blogues. Eu sei que esta é uma questão que ultimamente tem suscitado alguma polémica. A Suzana e a Moira também já a referiram, mas é importante discuti-la e procurar o que outros pensam sobre o assunto. Na minha opinião, dizer onde se encontrou a receita ajuda a contextualizar o processo de criação/adaptação/cópia da mesma. Ou até mesmo dizer que se resolveu fazer determinada receita e que a inspiração veio do sítio y. Ao mostrar o processo criativo, enriquece-se o trabalho publicado. Ao colocar a fonte estamos a dar a possibilidade ao leitor de ir mais longe se assim o entender. E quanto mais visitas tem um blogue maior é a responsabilidade nesta área!

A receita de hoje foi inspirada no pargo assado em crosta de sal que encontrei no livro A Enciclopédia Culinária de Gunter Beer e Patrik Jaros. Gostei da ideia de o peixe ser assado com funcho e resolvi experimentar.


Ingredientes:
2 sargos
4 rodelas de limão
1/2 bolbo de funcho cortado em fatias
alecrim fresco
sal e pmenta
azeite

1. Rechear a barriga dos sargos com alecrim, as rodelas de limão e o funcho.

2. Colocar os sargos num tabuleiro de forno. Temperar com sal e pimenta a gosto. Regar com azeite e levar ao forno a assar.


O peixe ficou muito agradável. Em termos de sabor o alecrim acaba por marcar a sua presença. Acompanhei este prato com legumes cozidos.


Para concluir a reflexão, nos blogues de comida, as fotos são muito importantes, apesar de existirem na blogosfera portuguesa blogues excelentes sem fotos. Mas a foto ajuda a contar uma história e isso faz a diferença. As fotos não fazem um bom blogue, mas dão uma ajuda preciosa. Eu pelo menos gosto de visitar blogues com imagens cuidadas, apelativas, que me dão vontade de ir para a cozinhar fazer determinada receita. A foto representa um olhar. Uma perspectiva e isso cativa-me.

O que faz um bom blogue são as pessoas. A qualidade que colocam naquilo que fazem, as afinidades que conseguem criar. Eu gosto de visitar blogues onde encontro afinidades, onde as pessoas me levam a pensar, onde sinto que aprendo, onde me estimulam, onde há estórias. E depois persistência. Muita persistência. E mesmo, depois disso, continua a pergunta: o que faz um bom blogue?

terça-feira, 18 de Janeiro de 2011

Lulas guisadas com tomate e funcho

Um destes dias descongelei uma daquelas lulas gigantes que o meu pai me ofereceu de uma das suas idas à pesca. Para terem uma ideia, antes de serem limpas, pesavam cerca de três quilos!

Sem grandes ideias de como a iria cozinhar, fiz umas pesquisas na blogosfera e no blogue Simply Recipes descobri uma receita que me deixou com água na boca. O que me agradou foi ver um guisadinho de lulas com um molho de tomate a que nenhum pedaço de pão fica indiferente. ;)


Ingredientes:
0,850 de lulas cortadas às rodelas
1 dl de azeite
3 dentes de alho picados
1 cebola picada
1 bolbo de funcho cortado em pedaços pequenos
2 colheres de polpa de tomate
4 tomates maduros grandes (aprox. 550 g)
1 dl de vinho tinto
1,5 dl de água
1 ramo de salsa
sal e pimenta

1. Aquecer o azeite num tacho. Adicionar a cebola e o funcho. Deixar saltear até quebrarem.

2. Adicionar o sal, os dentes de alho, o tomate picado e a polpa de tomate. Deixar cozinhar durante dois a três minutos.

3. Adicionar as lulas, o vinho tinto, a água e pimenta a gosto. Tapar o tacho e deixar cozinhar em lume brando durante sensivelmente 1 hora ou até as lulas estarem tenras. Se necessário acrescentar mais um pouco de água.

4. Antes de retirar do lume, acrescentar um raminho de salsa picada.

O funcho foi uma agradável surpresa. Ajudou a dar consistência ao molho e combinou muito bem com as lulas. Cá em casa este guisado foi acompanhado com pão fresco e estaladiço. Não fiz arroz, nem cozi legumes. Pão, molhadinho no molho, foi uma autêntica perdição! :)

quinta-feira, 9 de Dezembro de 2010

Salada de dióspiro com funcho e queijo gorgonzola

Este Outono tenho andada maravilhada com os dióspiros de roer. Para além de os comer ao natural, também tenho procurado usá-los em saladas. Para além disso, tenho também uma receita de bolo a aguardar a luz do dia.

Esta salada, que serviu de entrada, foi encontrada no sítio MyRecipes.com.


Ingredientes:
2 Dióspiros
1 bolbo de funcho
100 g de queijo gorgonzola
azeite
sumo de meio limão
pimenta

1. Descascar os dióspiros e cortá-los.

2. Cortar o bolbo de funcho em fatias bem finas.

3. Numa taça ou prato juntar o dióspiro, o funcho e o queijo.

4. Temperar com sal, pimenta, azeite e o sumo de limão. Mexer e servir.


A salada fica com uma agradável mistura de sabores. O funcho fica crocante e ajuda a dar textura.

sábado, 20 de Novembro de 2010

Hoje a Moira vem jantar ...

O blogue Tertúlia de Sabores faz hoje 3 anos. A Moira para comemorar este aniversário, lançou o desafio Hoje a Moira vem jantar ... e eu, que adoro festas, tal como no ano passado, não poderia faltar a esta. ;)

Para a Moira fiz um arroz de agrião com amêijoas e camarões. A mesa está posta e o arroz não pode esperar.


Ingredientes:
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 bolbo de funcho cortado em pedaços pequenos
1 raminho de tomilho
1 folha de louro
1,5 dl de azeite
300 g de arroz carolino
1,5 dl de vinho branco
água quente (aprox. 1l)
1/2 ramo de agriões frescos
1 raminho de coentros
300 g de camarão
250 g de amêijoas
150 g de miolo de berbigão
pimenta
sal

1. Lavar e arranjar os agriões, tirando os talos mais duros. Triturar os agriões com os coentros. Reservar.

2. Refogar a cebola, o alho, o tomilho, o louro no azeite.

3. Adicionar o arroz e mexer. Refrescar com o vinho branco. De seguida, adicionar a mistura triturada de agriões e coentros.

4. À medida que o arroz for pedindo, acrescentar água quente.

5. Adicionar o miolo de berbigão, as amêijoas e o camarão. Temperar com sal e deixar acabar de cozer sendo que, sempre que for necessário acrescentar água quente.

6. Assim que o arroz estiver cozido servir imediatamente.


Muitos Parabéns ao Tertúlia de Sabores, que a querida Moira nos continue a encantar com muitas e apetitosas receitas.

A receita deste arroz foi inspirada no Watercress Risotto with Scampi and Scallops do blogue La Tartine Gourmande.

segunda-feira, 19 de Abril de 2010

Porco assado com funcho, alecrim e cebola roxa



Os dias de chuva obrigam-me a levar chapéu de chuva, a calçar botas e a escolher um casaco impermeável. Os dias de chuva são quase sempre cinzentos. Tristes.

Em dias de chuva, na minha cozinha, volto aos assados no forno. São reconfortantes e animadores.


Ingredientes:
1 bolbo de funcho
1 cebola roxa
4 dentes de alho3 hastes de alecrim
2 colheres de sopa de azeite + azeite para pincelar
1 lombinho de porco
sal e pimenta

1. Aquecer o forno a 200º C.

2. Num recipiente de forno colocar o funcho cortado, a cebola cortada em meias luas, os dentes de alho esmagados e o alecrim. Regar com as duas colheres de sopa de azeite. Assar no forno durante 15 minutos.

3. Pincelar o lombinho de porco com azeite. Temperar com sal e pimenta a gosto.

4. Levar ao lume uma frigideira antiaderente. Adicionar o lombinho e deixar cozinhar de cada lado aproximadamente 2 minutos ou até ficar dourado.

5. Mexer a mistura de legumes e adicionar o lombinho de porco. Deixar cozinhar mais 15 minutos ou até o funcho estar tenro e o porco cozinhado o suficiente.

6. Servir o lombinho de porco com os legumes.

Na receita original, publicada na revista Donna Hay Magazine, edição 38, é sugerido que se sirvam os legumes misturados com folhas de espinafre bebé. Eu acabei por acompanhar com uma salada de folhas verdes.

Este prato foi uma agradável surpresa. A carne tenra, suculenta combina maravilhosamente com os legumes assados.

As referências dos tempos e da temperatura do forno são as indicadas na revista. Cá por casa ainda vou usando um forno sem controlo da temperatura.


terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

Robalo no forno com tomate cereja e funcho



Há blogues que acompanho regularmente, apesar de normalmente não comentar. No Google Reader tenho mais de cinquenta blogues que acompanho, apesar de algumas vezes me atrasar nas leituras. Um desses blogues é o Blog de Carla Pernambuco. A ideia que tenho de Carla é uma mulher dinâmica, inteligente e multifacetada. Desenvolve diversas actividades relacionadas com o mundo da gastronomia a par do seu restaurante, Carlota. Soube que o ano passado Carla Pernambuco esteve entre nós na iniciativa Peixe em Lisboa, mas na altura estava fora do país e não tive possibilidade de ir assistir. Adorava ouvi-la.

Já há algum tempo a Carla publicou uma receita do livro de uma amiga que me deixou curiosa e cheia de vontade de experimentar. Neste sábado, fui à praça e comprei alguns dos ingredientes necessários. O almoço seria Robalo no forno com tomate cereja e funcho em papillote.


Ingredientes:
2 robalos (aprox. 400 g cada)
sal e pimenta
azeite
2 colheres de sopa de sumo de limão
1 bolbo de funcho cortado em fatias finas
2 dentes de alho picadinhos
12 tomates cereja

1. Colocar os tomates num recipiente e rebentá-los com as mãos. Reservar.

2. Misturar o funcho com o sumo de limão e o alho.

3. Em dois papillotes, colocar uma base de funcho.

4. Esfregar os robalos com azeite. Temperar com sal e pimenta a gosto.

5. Golpear os robalos dos dois lados, com dois a três cortes.

6. Dispor os robalos em cima da cama de funcho. Colocar funcho dentro e em cima dos robalos.

7. Dividir os tomates esmagados com o respectivo molho pelos robalos. Regar com um fio de azeite, fechar o papillote e levar ao forno a assar.


Este prato ficou suculento, aromático e delicioso. O funcho faz a diferença.