Mostrar mensagens com a etiqueta rúcula. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta rúcula. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

Carpaccio - ou talvez não? - de beterraba


A história da alimentação é um mundo fascinante. Para além das histórias dos produtos, origens e influências, agrada-me muito descobrir como nasceu determinado prato. Encontramos nas ementas de vários restaurantes carpaccio de polvo, de bacalhau, de morangos, entre outras possibilidades, como beterraba. Será que tudo o que nos é apresentado cortado em fatias finas recebe a designação de carpaccio? Como nasceu este prato que tanto nos alimenta a imaginação?

Fortunato da Câmara na sua obra, Os Mistérios do Abade de Priscos, conta-nos a história. Guiseppe Cipriani abriu em 1931 o conhecido Harry's Bar, junto à praça de San Marco em Veneza. O bar transformou-se logo num enorme sucesso. O serviço de qualidade, o ambiente luxuoso, foi atraindo para o bar conhecidas personalidades de várias áreas, como escritores, actores, políticos. Em 1950 a condessa Amalia Nani Mocenigo, que estando proibida por ordens médicas de comer carnes vermelhas cozinhadas, pediu a Guiseppe para comer algo saboroso mas que não fosse contra as indicações do médico. Guiseppe ao ouvir as lamentações da sua cliente, foi para a cozinha e regressou com um carpaccio. Um prato com lâminas de lombo de novilho cru servido com um molho branco.

«Guiseppe Cipriani era um amante da pintura renascentista, por isso a exposição retrospectiva sobre a obra de Vittore Carpaccio, que por aquela altura estava em exibição no Palácio Doge, foi mais uma vez uma fonte de inspiração para dar o nome a uma criação sua. O PORQUÊ de se chamar carpaccio ao prato de fatias finas de carne crua com um molho branco deve-se ao estilo do pintor do século XV. (...) Os diversos tons vermelhos, profundos, que caracterizam os seus quadros em conjunto com os degradês brancos marcam o estilo de Carpaccio. (...) O novilho do carpaccio servido à condessa Mocenigo tinha as tonalidades dos quadros de Vittore Carpaccio.»


O carpaccio são as fatias finas de bife de novilho, tudo o resto, tal como se diz no mundo da arte, são falsos carpaccios! Apresentei esta entrada, com sabores frescos de primavera, na edição de Julho de 2013 da revista Saber Viver.

Carpaccio de beterraba

Ingredientes para 4 pessoas:
3 beterrabas médias cozidas
2 laranjas
50 g de queijo feta
30 g de pinhões
40 g de rúcula selvagem
40 g de folhas de agrião

Ingredientes para o molho:
4 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto
1 pitada de cominhos em pó
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cortar as beterrabas em fatias finas com uma mandolina.

2. Descascar e cortar as laranjas em gomos, limpos de peles e sementes.

3. Alourar os pinhões numa frigideira ao lume.

4. Colocar as fatias de beterrabas em quatro pratos.

5. Numa taça misturar os gomos de laranja, a rúcula, as folhas de agrião, o queijo esboroado e os pinhões.

6. Numa taça misturar o azeite, com o vinagre, os cominhos, sal e pimenta-preta a gosto. Regar a salada com o molho e mexer.

7. Distribuir a salada pelos pratos com a beterraba.

terça-feira, 10 de Dezembro de 2013

Salada de queijo Brie com dióspiro grelhado e presunto


A sazonalidade é algo que, devido a técnicas de produção e de conservação, em certos produtos até nos esquecemos que existe. É importante conseguirmos ter favas e ervilhas todo o ano, mas para mim, não as dispenso quando nos chegam na Primavera tenras e doces.

Agora é tempo de usarmos e abusarmos de tudo o que a natureza nos oferece no Outono, quase, quase a saber a Inverno. É tempo das nabiças, das couves, das abóboras, dos kiwis e dos dióspiros. Adoro esta "fruta dos deuses". Originária da China, «as suas variedades dividem-se em função da sua adstringência. As "adstringentes" - Coroa de Rei, Kaki tipo e Roxo Brilhante - são as mais comuns e necessitam de uma maturação adequada para poderem ser consumidas. As "não adstringentes" – Fuyo, Hana Fuyo, O Gosho, Giro, Cal-Fuyo, Fau-fau e Sharon - podem consumir-se de imediato, após a colheita.»

A minha preferida para comer ao natural é a Coroa de Rei. Este tipo de dióspiros têm que ser comidos bem maduros. E são tão doces, que às vezes um sabe a pouco! Para saladas salgadas ou de frutas, os ditos "para roer", são os ideais. Hoje, para a rubrica Momentos Président avec Plaisir, deixo-vos uma salada de Outono, com sabores quentes e muito reconfortantes.


Ingredientes:
1 queijo Brie Président
2 dióspiros (não adstringentes)
50 g de presunto fatiado
2 colheres de sopa de cebola frita
85 g de mistura de alfaces com rúcula
0,5 dl azeite
2 colheres de sopa de vinagre de framboesa
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cortar o queijo.

2. Descascar e cortar os dióspiros em fatias.

3. Levar uma chapa ao lume, assim que estiver quente dispor as fatias de dióspiro. Deixar grelhar durante um minutos ou até a fatia de dióspiro estar com as marcas da grelha e depois virar.

4. Colocar a mistura de alfaces e rúcula numa taça. Adicionar o queijo, o presunto, o dióspiro grelhado e a cebola frita.

5. Num copo, emulsionar o azeite com o vinagre, o sal e a pimenta a gosto.

6. Regar a salada com o molho. Mexer e servir.

segunda-feira, 9 de Dezembro de 2013

Filetes de peixe espada preto com salada de cuscuz e abóbora


O fim-de-semana que passou estive no Porto para participar na Essência do Gourmet Natal 2013. E no domingo a seguir a um almoço de bifanas na mítica Conga, fui com uns amigos, passear pela baixa do Porto até ao Palácio da Bolsa, onde passei o resto da tarde, entre provas de queijos, vinhos e muitos produtos regionais.

Durante o passeio, fui entrando em algumas lojas, de produtos portugueses, com várias sugestões para oferecer no Natal. Desde cabazes, caixas com produtos alusivos a um tema, passando pelos sacos de bombons ou de bolachinhas até frascos cheios de conservas. E esta ideia, achei muito engraçada. O frasco é à escolha, maior ou mais pequeno, colocam-se as latas de conserva escolhidas. Fecha-se o frasco, decora-se a tampa com tecido ou papel colorido e já está. Um presente original e tão simples.

Eu a esta ideia, só acrescentaria mais uma, de modo a completar o presente. Por cada lata de conserva, juntava uma receita. Caso queiram aproveitar esta sugestão, deixo-vos uma de filetes de peixe espada preto de Sesimbra que desenvolvi para a rubrica Nero - Fish and Flavours.

Ingredientes:
175 g de abóbora manteiga assada
4 latas filetes de peixe espada preto em azeite Nero (uma lata por pessoa)
200 g de cuscuz
1 colher de chá de azeite
1 dl de água a ferver
40 g de amêndoa com pele
3 colheres de sopa de bagos de romã
100 g de rúcula selvagem
0,5 dl de azeite
2 colheres de sopa de condimento de vinagre balsâmico branco
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Colocar o cuscuz numa taça com a colher de chá de azeite. De seguida, regar com a água quente, onde previamente se adicionou uma pitada de sal. Tapar o recipiente e deixar descansar durante 5 minutos.

2. Com um garfo soltar os grão do cuscuz.

3. Numa saladeira juntar o cuscuz, a rúcula, a abóbora, a amêndoa cortada grosseiramente e os bagos de romã.

4. Num copo emulsionar 0,5dl de azeite com o condimento de vinagre, sal e pimenta preta a gosto. Regar a salada com este molho.

5. Distribuir a salada pelos pratos. Por cima dispor os filetes de peixe espada preto.


Fiz esta salada para entrada num almoço de família. E toda a gente quis repetir. Os filetes de peixe espada preto fizeram sucesso e combinam muito bem com os restantes ingredientes de Outono, como a abóbora e a romã.

segunda-feira, 14 de Outubro de 2013

Sandes de filete de peixe espada preto com maionese de ervas


Há alturas em que percebo tão bem o sentimento de Garfield em relação às segundas-feiras. Especialmente aquelas segundas-feiras a seguir a um fim-de-semana preenchido, sem tempo para me organizar na cozinha.

Para quem como eu, de vez em quando precisa de alternativas saborosas e rápidas para uma refeição, aconselho a ter sempre na despensa umas quantas conservas. Cá por casa nunca podem faltar na despensa, pelo menos, atum e sardinhas. Recentemente, acrescentei a esta lista, filetes de peixe espada preto em azeite, das Conservas Nero.


As Conservas Nero, sediadas em Leça da Palmeira, é pertença de uma família com longa história no ramo da captura e transformação do peixe que remonta ao séc. XVII. Recentemente, José Nero revitalizou a indústria conserveira da família e, para além do atum Catraio, das sardinhas Georgette, procura trazer novos produtos para o mercado. Um deles são estes filetes de peixe espada preto de Sesimbra em azeite, que penso ser caso único no mundo.

As latas trazem um filete de peixe espada preto, branquinho e muito versátil. Para inaugurar a nova rubrica, Nero - Fish and Flavours, apresento uma generosa sandes destes filetes com maionese de ervas que cá em casa gostamos muito de comer.


Ingredientes:
2 latas de filetes de peixe espada preto em azeite Nero
75g de maionese de ervas
4 fatias de pão
30g de rúcula selvagem
2 chalotas
2 tomates
2 colheres de sopa de azeite
Vinagre de vinho tinto q.b.
Sal q.b.


1. Barrar as fatias de pão com a maionese de ervas.

2. Distribuir os filetes de peixe espada pelo pão, fazendo, opcionalmente, sandes.

3. Servir o pão com uma salada de tomate, rúcula, chalotas às rodelas, temperada com azeite, vinagre e sal a gosto.


Ingredientes para a maionese de ervas:
75 g de maionese
1 dente de alho
1 colher de chá de cebolinho picado
1 colher de chá de salsa picada
1 colher de café de mostarda em grão


1. Numa taça colocar, a maionese, o dente de alho espremido, o cebolinho, a salsa e a mostarda.

2. Mexer muito bem.


Esta sandes de filete de peixe espada preto em azeite com a maionese fica tão bom!

segunda-feira, 29 de Outubro de 2012

Mais uma ideia para um lanche saudável para as crianças


A comida exige cuidados e quando toca a alimentação dos mais pequenos, as preocupações aumentam. A pensar nas crianças e nos pais, a revista Saber Viver propôs-me que desenvolvesse cinco ideias de lanche saudáveis para as crianças levarem para a escola, publicados na edição de Setembro de 2012. Os lanches foram concebidos com o apoio da nutricionista Patrícia Rama, coordenadora científica da APCOI, Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil. O segundo desses lanches foi uma sandes de pão integral com requeijão, ervas aromáticas frescas e rúcula e um sumo de laranja e abacaxi com hortelã.


Sandes de pão integral com requeijão, ervas aromáticas frescas e rúcula

Ingredientes:
50g de requeijão
1 colher de sopa de salsa e orégãos frescos picados
rúcula selvagem
2 fatias de pão integral


1. Desfazer o requeijão com um garfo. Polvilhar com as ervas picadas e envolver.

2. Barrar uma fatia de pão com a pasta de requeijão e ervas. Por cima, colocar rúcula e tapar com a outra fatia de pão.


Sumo de laranja e abacaxi com hortelã

Ingredientes:
1dl de sumo de laranja
100g de abacaxi
4 folhas de hortelã


1. Colocar os ingredientes num liquidificador e triturar.

quinta-feira, 25 de Outubro de 2012

Dia Mundial das Massas e um desafio


As massas fazem parte regularmente dos meus cozinhados. Ou melhor, não podem faltar na minha despensa. São muito versáteis. Ficam bem em quase tudo, desde sopas, saladas, guisados e principalmente nos molhos. Temos uma enorme variedade de massas e só nos resta aproveitá-las da forma mais saborosa possível.

Hoje, dia 25 Outubro, comemora-se o dia mundial das massas e o Cinco Quartos de Laranja em parceria com a Milaneza promovem um desafio intitulado Um prato de massa Milaneza com um toque de laranja em que serão oferecidos cinco cabazes bem recheados de produtos variados Milaneza, incluindo as mais recentes novidades lançadas pela marca.


O desafio está aberto a todos os leitores, com morada válida em Portugal continental e ilhas, e para participar deverão:

i) Fazer uma receita em que um dos ingredientes seja uma massa (seca ou fresca) Milaneza;

ii) Outro ingrediente obrigatório a utilizar é a laranja;

iii) Tirar uma fotografia à receita confeccionada;

iv) Publicar a participação na página do Cinco Quartos de Laranja no Facebook:
- [obrigatório] Anexando a fotografia respectiva;
- [obrigatório] Indicando o nome da receita e as instruções de confecção;
- [obrigatório] Identificando a massa Milaneza utilizada;
- [opcional]     Quem tiver um blogue, pode indicar adicionalmente o link para a respectiva publicação posterior a 25 Outubro de 2012 e com referência a este desafio.

v) Cada leitor pode participar as vezes que quiser;

vi) O desafio decorre até às 24h do dia 11 de Novembro de 2012;

vii) A Milaneza irá seleccionar as cinco melhores receitas tendo em linha de conta os seguintes quatro critérios: inovação da receita, originalidade, apresentação e preparação rápida;

viii) No dia 15 de Novembro de 2012 serão divulgadas as participações contempladas. Posteriormente, estas serão contactadas pela Milaneza para a oferta e envio dos cabazes.

Para vos inspirar, deixo-vos um delicioso prato de massa que fiz ontem para o meu jantar. O produto Milaneza que escolhi foi fusilloni (espirais gigantes).

Fusilloni com peitos de frango e laranja


Ingredientes:
250g de massa fusilloni Milaneza
2 peitos de frango
sumo e raspa de uma laranja
1 colher de chá de sálvia em pó
1 colher de chá de alho em pó
50g de tomate seco em azeite
10 ameixas secas
100g de rúcula selvagem
2dl de natas
70ml de azeite
1dl de água de cozedura da massa
pimenta preta de moinho q.b.
sal q.b.
queijo grana padano ralado q.b.


1. Cortar os peitos de frango em pequenos cubos.

2. Temperar a carne com a raspa e o sumo de laranja, com o alho e a sálvia em pó, com sal e pimenta preta a gosto.

3. Colocar o azeite numa frigideira e levar ao lume. Assim que estiver quente, colocar o frango juntamente com o molho. Deixar cozinhar a carne, mexendo de vez em quando.

4. Cozer a massa em água temperada com sal, seguindo as indicações da embalagem.

5. Adicionar a água, as ameixas e o tomate seco cortado. Deixar ferver durante aproximadamente um a dois minutos.

6. Acrescentar as natas. Assim que levantar fervura juntar a rúcula. Mexer e retirar do lume.

7. Misturar o molho com a massa. Polvilhar com queijo ralado e servir.


Conto com as vossas participações!

terça-feira, 11 de Setembro de 2012

Salada de melancia com queijo de cabra curado


Eu e a melancia temos uma relação um pouco sui generis. Eu gosto de melancia, mas nunca penso em comer melancia. Quando tenho alternativa, opto por ela. Acho a melancia um fruto bonito. O verde da casca esconde um coração de polpa vermelho intenso. Gosto quando se corta pela primeira vez uma melancia acabada de apanhar, ao ceder à pressão da faca parece que estala cheia de sumo.

Quando vou ao supermercado, nunca me lembro de me apetecer trazer uma melancia, colocá-la no frigorífico e depois saboreá-la bem fresquinha, com o sumo a escorrer, como vejo algumas pessoas fazerem. Talvez, me incomode o facto de as melancias terem tantas pevides. Ou talvez, por ter comido muita melancia quando era miúda, o apetite por este fruto foi diminuindo.

De há uns anos para cá, tenho procurado encontrar motivação e usar a melancia mais frequentemente. Este ano já fiz uma gelatina e esta salada. E não é que adoro comer a melancia assim? Entenda-se lá estas questões de gosto!

Salada de melancia com queijo de cabra curado


Ingredientes:
550g melancia sem casca
100g queijo de cabra curado Palhais com teor de sal reduzido
50g rúcula selvagem
200g milho cozido
50g azeitonas pretas às rodelas
1/2 cebola roxa cortada
2 colheres de sopa de alcaparras
15 folhas de hortelã

Molho:
0,5dl azeite
2 colheres de sopa de vinagre de framboesa
pimenta preta acabada de moer q.b.
sal q.b.


1. Cortar a melancia em pequenos cubos e a cebola em meias luas.

2. Numa saladeira colocar a melancia, a rúcula, o milho, as azeitonas, a cebola, as alcaparras e a hortelã, cortada grosseiramente com as mãos.

3. Juntar o queijo de cabra desfeito ligeiramente com a ponta dos dedos.

4. Para o molho, colocar os ingredientes num copo e mexer com uma vara de arames.

5. Regar a salada na altura de servir com o molho. Mexer.


A salada fica muito agradável. Óptima para um dia de Verão.

Esta receita foi publicada na edição de Agosto 2012 da revista Saber Viver.

quarta-feira, 1 de Agosto de 2012

Salada de meloa cantaloupe com queijo mozzarella e presunto


Tenho por tradição fazer sempre, no meu primeiro dia de férias, uma salada. Ontem, ao jantar, servi esta salada de meloa cantaloupe com queijo mozzarella e presunto.


Decidi incluir esta salada na rubrica Hoje o Blog é Meu, onde falo sobre o modo como a comida influencia o nosso bem-estar. Agradeço desde já à Carmen este convite. Espero que gostem.


Ingredientes:
1/2 meloa cantaloupe bem fresca
50g de rúcula
3 folhas de alface
20 queijos mini mozzarella frescos
150g de bagas de alcaparras
80g de presunto fatiado fino

Para o molho:
3 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de vinagre de framboesa
1 colher de chá de mostarda Dijon
pimenta preta de moinho q.b.


1. Com uma colher para fazer bolas de fruta, fazer bolinhas de meloa.

2. Numa taça colocar a rúcula, a alface cortada grosseiramente com as mãos, os queijinhos mozzarella, as alcaparras, as bolinhas de meloa e as fatias de presunto.

3. Para preparar o molho, colocar os ingredientes numa taça e mexer com uma vara de arames até estarem bem emulsionados.

4. Regar a salada com o molho e servir de imediato.


Esta salada fica muito agradável com a meloa bem fresquinha. Pode tanto ser servida como entrada ou como prato principal, especialmente nestas noites quentes de verão.