Próximos Eventos
Lisboa 25 de Novembro de 2017
Sábado:
10h00 - 13h00      Workshop Doces e Receitas para a Mesa de Natal
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se
Porto 2 de Dezembro de 2017
Sábado:
10h30 - 13h30      Workshop Doces de Natal
 
 
15h30 - 18h30      Workshop Receitas para Ofertas Natalícias

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Frango assado no forno com picante


Adoro frango assado. Em casa dos meus pais, frango assado de churrasco, comia-se nos dias em que a minha mãe não tinha tempo de fazer o almoço, ou o jantar. Como era o meu pai que ia comprar o frango, pedia quase sempre frango com picante. Ou pelo menos, é assim que me lembro. Talvez por isso, para mim, frango assado tem que ter um pouco de picante. Dá-lhe personalidade. Picante sem ser um fogo ardente que nos deixe com a língua a pedir água com urgência. Picante, q.b., como se costuma dizer. Apenas aquele toquezinho de malandrice que nos embriaga ligeiramente o palato e nos faz querer repetir.

Um deste dias para o almoço decidi fazer no forno um frango assado tipo de churrasco. Soube-nos tão bem!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O workshop Vamos Fazer Risoto, em Lisboa, foi assim ...


Os meus workshops não são apenas para partilharmos receitas, técnicas ou dicas. São também momentos especiais de convívio, de partilha, de alegria. São experiências que ficam. Que nos ajudam a ficar mais bem-dispostos, que nos ajudam a olhar para a cozinha com um ar simpático. É deste modo que gosto de estar na cozinha e na vida. E quem me faz companhia, quem participa, penso que compreende o que pretendo dizer.


No passado mês de Outubro decorreu, cá em Lisboa, o workshop Vamos Fazer Risoto?. Este foi um workshop muito pedido e finalmente consegui que tivesse lugar. Durante uma manhã, muito bem disposta, preparámos diferentes caldos para os nossos arrozes. O caldo nos risottos é um ingrediente que ajuda a fazer a diferença em termos de sabor no resultado final dos nossos pratos.

Depois dos caldos prontos, preparámos cerca de sete risotos diferentes, nomeadamente, risoto de bacalhau, risoto de cogumelos, risoto de camarão, risoto de farinheira, risoto de ervilhas com ovo escalfado e presunto crocante, risoto de legumes e um risoto doce com molho de morango. No final, juntá-mo-nos todos à volta da mesa para saborear os deliciosos pratos que os participantes cuidadosamente prepararam.


No próximo dia, 25 de Novembro de 2017, volto a ter um workshop em Lisboa, desta vez dedicado a Doces e Receitas para a mesa de Natal.

Vamos confeccionar vários pratos a pensar na mesa de Natal ou para os dias de festa que se avizinham. A ideia será recriarmos uma mesa de festa com entradas, pratos principais de bacalhau e de peru e sobremesas alusivas à época. No final, para acompanhar a nossa refeição será servido um vinho para brindarmos a estes momentos bons.

Quem me faz companhinha no workshop Doces e Receitas para a mesa de Natal cá em Lisboa?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Vamos fazer pão: Pão com batata-doce roxa


Todas as semanas se faz pão cá por casa. E a grande magia de fazermos pão, é que o podemos fazer ao nosso belo gosto. Temos a liberdade de juntarmos farinhas, de escolhermos sementes, especiarias ou legumes. Os nossos pães são sempre especiais e únicos.

Um dos últimos pães que fiz, cá em casa, foi com batata-doce roxa, que tem uma cor linda e faz um pão que surpreende toda a gente. Já imaginaram um pão roxo? Fica lindo! E não precisamos de corantes. A batata-doce roxa deixa-o com uma cor mesmo fabulosa.

Um pão que tem tempo para levedar sem pressas, é sempre, um pão cheio de sabor. Este, pensei fazê-lo, num dia, e coze-lo, no outro. Mas, como não tive tempo, acabou por fermentar dois dias no frigorífico. O resultado foi um pão fabuloso. Vamos fazer pão?


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Barras de aveia com frutos secos


Falo poucas vezes em lanches e snacks aqui no Cinco Quartos de Laranja. Lembro-me de há uns anos vos ter apresentado sugestões para os lanches dos mais novos. Depois tenho sugestões de sandes, sumos e batidos.

Mas há alturas em que dá jeito ter algo prático para saborear, daquelas coisas que se colocam na mala e que se podem comer em todo o lado, a qualquer altura. Quando saio em trabalho, costumo levar sempre uma caixa com alguns frutos secos, para ir comendo ou então, umas barras de cereais. As barras podem ser feitas em casa e são óptimas. Para além disso, são um excelente reforço de energia quando fazemos caminhadas ou vamos ao ginásio. Cá em casa, às vezes até acompanham o café a meio da tarde!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Perna de borrego no tacho


A comida une-nos. Preparar um prato e partilhá-lo é uma forma de amor. Uma forma de cuidarmos dos outros. A comida é uma forma de construirmos memórias. Por isso, defendo tantas vezes que se cozinhe com a ajuda das crianças. Ao cozinharmos com elas, passamos-lhe um conjunto de valores sobre a vida e sobre o modo como nos alimentamos.

A alimentação é muito mais importante do que umas calças bonitas, um vestido elegante ou o verniz da moda. Ou melhor, antes de tudo isso, a nossa preocupação deveria ser para a mesa. Aquilo que comemos reflecte o modo como queremos viver. E quando pensamos em alimentação deveríamos pensar que é fundamental variarmos o que comemos. Para mim, este é o grande princípio para uma alimentação saudável. Comer sopa, comer legumes, comer pão, comer peixe, comer carne. Mas variar.

Deixo-vos, hoje, a receita de uma carne, borrego - que tanto adoro - feita no forno e assada lentamente. Fica tão boa! Uma sugestão para irem variando a vossa alimentação.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Salmão com crosta de ervas e parmesão


Cá em casa, tento variar a nossa alimentação. Muitos legumes, sopas, pratos de carne e de peixe. E se vario a carne entre frango, peru, porco, borrego, vaca e coelho, tento fazer o mesmo no peixe. Apesar de ter a sorte de o meu pai gostar de ir à pesca e de nos presentear com algum do peixe que traz do alto mar, a verdade, é que de vez em quando, compro também peixe para as refeições da semana. Um peixe que acho muito versátil e que se prepara, num abrir e fechar de olhos, é o salmão. Um destes dias, numa ida às compras decidi trazer salmão.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Adeus Outubro, bem-vindo Novembro


O tempo é uma forma de privilegiarmos a vida. O tempo parece que não tem fim, apesar de o contarmos em dias, horas, minutos e segundos. Se não nos atrevermos a viver intensamente chegamos ao fim e não resta nada. Ou resta muito pouco.

A idade traz-nos sabedoria. E com ela, em vez de uma vida apressada, vem a vontade de viver de uma forma mais gratificante, sem nos preocuparmos com o que outros pensam, se gostam ou não gostam, se aceitam ou criticam. Com a idade, vem a tranquilidade de sermos nós mesmos. Com rugas. Com cabelos brancos, mas sempre com sonhos no brilho dos nossos olhos. A capacidade de sonhar ajuda-nos a viver. A andar para a frente. A fazermos coisas que nos dêem prazer ou que nos façam sentir mais felizes.

Todos os meses, procuro aproveitar o tempo, esta dádiva maravilhosa. Entre as tarefas da vida do dia-a-dia, procuro encontrar caminhos que me façam sorrir e que me deixem o coração satisfeito. Olho muitas vezes para o céu e agradeço as coisas boas que tenho tido a sorte de conquistar, mesmo que às vezes nem tudo corra da melhor forma ou da maneira que eu gostaria.


Gosto de ir à Terra. Visitar as hortas. Ver a natureza crescer. É um privilégio vermos alguns dos nossos alimentos ganharem vida. E depois, podermos trazer para a nossa mesa um molho de nabiças, umas folhas de couve, abóboras, um ramo de hortelã, feijão-verde colhido pelas nossas mãos ou estrelar um ovo das galinhas a que demos milho. Estas pequenas coisas, são tão simples, mas ao mesmo tempo, tão preciosas e boas!


É, talvez, pela minha proximidade à terra, que hoje procure fazer pão. O pão é um alimento básico da nossa alimentação. Pão é vida, é força, é um alimento que faz parte das nossas mesas desde tempos ancestrais. E fazer pão em casa, é tão gratificante! Todas as semanas, faço pão para comermos ao longo da semana. Umas vezes misturo farinhas, outras, junto sementes, outras, acrescento legumes. Adoro pão com legumes.

Adoro ler. Uma das estratégias que encontrei para ler mais, foi escolher uma obra para ler em cada um dos meses do ano. Em Outubro, escolhi a obra O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas de José Tolentino Mendonça. Um livro delicioso que nos faz pensar na vida, na morte, nas coisas que importam ou não. Cada texto é uma breve reflexão. No meu exemplar, em quase todas as páginas há sublinhados. Este é um livro que nos toca o coração e a alma.

Em Outubro. aceitei mais um desafio. Dinamizar um curso de bases de cozinha. Foi uma experiência fantástica. Um grupo de participantes muito interessado e atento. No final, fiquei com o coração cheio. Cozinhei, também, pela primeira vez em Campolide, num showcooking, que decorreu junto ao quiosque da praça desta freguesia lisboeta.

A vida faz-se de aprendizagens e é sempre bom ouvir quem sabe mais do que nós. Nesse sentido, fui assistir ao Congresso da Estrella Damm que reuniu alguns dos melhores chefs da Península Ibérica. Das apresentações, confesso que fiquei muito curiosa com uma sobremesa de nabo, feita sem açúcar do chef Alexandre Silva do premiado restaurante Loco. Estive também no restaurante Segundo Muelle num workshop dedicado ao ceviche, um prato peruano, feito com peixe cru marinado num ácido, normalmente, sumo de lima. Depois do workshop seguiu-se um jantar onde pudemos provar alguns dos pratos servidos na casa. Recomendo vivamente provarem o quinoto, ou melhor, o risotto de quinoa. É tão, mas tão bom!

Em Outubro, a minha cozinha não parou. Aproveitei as abóboras da estação para assar, fazer pão e usar em sopas. Procurei dar um destino doce aos marmelos do quintal. Este ano, voltei a fazer marmelada, assei marmelos no forno com especiarias e também os cozi em calda de açúcar aromatizada. Adoro marmelos!


Outubro, foi também tempo de avaliações. Estive, como um dos elementos do júri do concurso nacional A Mesa dos Portugueses. Este é um concurso que privilegia a cozinha de casa. E há tantas pessoas a cozinharem tão bem! A minha participação tem sido uma experiência muito gratificante, pelas pessoas com quem me cruzei e por tudo o que tive a possibilidade de aprender. No próximo ano, concorram. Vão adorar a experiência!


Outubro trouxe-nos dias mais frescos, mas de céu azul que nos ajudaram a sonhar com as coisas boas da vida. Que Novembro nos traga a felicidade das pequenas coisas e a possibilidade de sorrirmos das nossas conquistas a cada dia que passa. Bem-vindo, Novembro!