Próximos Workshops
Lisboa 4 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h00 - 13h00      Doces Tradicionais de Natal
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Um almoço com sabores a Primavera no restaurante Hotel Aviz


Há dois nomes que me vêm logo à memória sempre que vou ao restaurante do Hotel Aviz, e são eles, o do mestre João Ribeiro e de Calouste Gulbenkian. João Ribeiro, esteve à frente da cozinha do restaurante desde a sua inauguração em 1933 e Calouste Gulbenkian foi um famoso hóspede do hotel já nos últimos anos de vida. O hotel esteve situado até 1962 no local onde hoje está o Sheraton, e por lá passaram conhecidas actrizes e muitas outras ilustres figuras do mundo da música à política. O Hotel Aviz foi considerado o mais importante hotel de luxo na altura na cidade de Lisboa e re-abriu em 2005 no local onde hoje se encontra, na rua Duque de Palmela.

Tem à frente da cozinha, actualmente, o chef Cláudio Pontes, que conheci no jantar dedicado ao capão do projecto Endógenos. Este jovem chef procura conjugar a tradição e os pratos cheios de história deixados pelo mestre, com o seu cunho pessoal. E foi num dia cheio de sol que tive a oportunidade de visitar o restaurante e de experimentar a carta com sabores da Primavera.


Depois de provar os diferentes pães com queijo, chegou à mesa um delicioso e reconfortante consommé de lagosta. Um caldo rico e cheio de sabor, a que se seguiu um apetitoso salmonete com sabor a mar, servido com batata-doce, que adoro, e molho vilão.


E como um delicioso passeio por Lisboa, num dia bonito e inspirador, chegou à mesa um prato que me despertou os sentidos. Codorniz em massa recheada com alheira e servida com ovo, iscas e ginja. Irresistível.


E para terminar a refeição de forma doce e feliz, chegou à mesa um morango. Ou melhor, uma sobremesa em forma de morango gigante, recheado com mousse de morango, que tive que partir para chegar ao recheio, a fazer lembrar-me também a surpreendente sobremesa que tive o prazer de degustar no referido jantar do projecto Endógenos dedicado ao capão. E foi assim de forma doce que terminou este delicioso almoço num dos mais emblemáticos restaurantes da cidade de Lisboa.

3 comentários :