Próximos Eventos
Lisboa 3 de Outubro de 2020
Sábado:
10h00 - 13h00      Workshop Receitas Rápidas para todos os Dias
 
 
15h00 - 19h00      Workshop de Pão para o Dia-a-dia
Inscrições/Vouchers: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Menu semanal #29



Prepararmos as refeições da família para a semana exige alguma organização e disponibilidade. Se escolhermos um dia da semana e fizermos algumas pré-preparações, depois, nos dias em que temos que cozinhar, torna-se tudo mais fácil.

Para vos inspirar a variar as refeições da semana e terem todos os dias algo especial, deixo-vos mais algumas sugestões de receitas para toda a família. Espero que gostem!



Ver também menu semanal #28.

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Frango com molho teriyaki

Esta semana partilhei convosco receitas para as lancheiras da semana. Procurei variar as sugestões de modo a ajudar-vos a pensar e as escolher as receitas a preparar.

E para terminar esta primeira edição de receitas para levar para o trabalho, deixo-vos um peito de frango que se faz num instante e cuja inspiração vem da Ásia.

Espero que gostem!

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Bolonhesa de grão-de-bico



Prepararmos comida para levar para o trabalho exige alguma organização prévia, mas quando entramos no ritmo depois é muito fácil.

Esta prática tem algumas vantagens, nomeadamente:

 - sabermos o que estamos a  comer (confeccção, escolha dos ingredientes, quantidade de sal, gorduras etc.)
- permite-nos poupar dinheiro com a alimentação;
- ficamos descansados com o ter que procurar um local para almoçar, ganhamos independência e até nos sobra mais tempo na hora do almoço;
- é uma forma de cuidarmos de nós e da nossa saúde.

Esta semana tenho vindo a partilhar convosco algumas sugestões de receitas para as lancheiras. Hoje, deixo-vos uma receita sem carne e sem peixe. Espero que gostem.

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Bacalhau salteado com brócolos e açafrão




Levar comida para o trabalho ou preparar as refeições para os mais pequenos levarem para a escola é a preocupação de muitas famílias nesta altura do ano.

Para vos ajudar, esta semana estou a partilhar sugestões de receitas que podem fazer para as marmitas ou para comer em qualquer lugar. Lembrem-se que ter algumas pré-preparações feitas agiliza o processo de levar comida para o trabalho.

Há uns anos atrás, depois de uma viagem aos Estados Unidos e de ver a rotina de alguns amigos, decidi começar a levar comida para o trabalho. Na altura, a grande vantagem, para mim, era que, assim, conseguia comer muito melhor, de forma mais equilibrada, e sabia o que a minha comida continha. Para além disso, foi também uma forma de poupar. Esta dinâmica, no meu local de trabalho, na altura, foi adoptada por outras colegas. E lembro-me que algumas até tinham um mealheiro onde depositavam o dinheiro diário que poupavam.

Levar comida para o trabalho é, cada mais, uma escolha. E para quem faz esta opção, deixo-vos mais uma deliciosa e prática sugestão.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Quinoa com legumes salteados e atum



Setembro traz mudanças. Dizemos adeus ao Verão. Recebemos com expectativa os primeiros dias do Outono.

É tempo de regressar ao trabalho e às nossas rotinas habituais. Se adoro ter férias, de sair, viajar, a verdade é que, também, me sabe bem regressar. Há sempre como que um conforto nos regressos.

E para quem regressa ao trabalho, esta semana, partilho algumas sugestões de receitas para as marmitas. Escolhi preparar receitas práticas, saudáveis e com ingredientes que se encontram numa ida ao supermercado. Espero que gostem.

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Menu semanal #28



O menu da semana está pensado para vos facilitar a vida. As receitas escolhidas são, de uma maneira geral, práticas e com ingredientes que se encontram facilmente.

Nos menus semanais, há sempre sopas, pratos de carne e de peixe, pelo menos uma opção vegetariana e sobremesas.

Para vos inspirar, deixo-vos mais um menu. Espero que gostem e que seja uma mais valia para a organização das refeições da família.

Ver também menu semanal #27.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Lanches: Sandes de manteiga de amendoim com banana



Lanches para levar é o tema que estou a trabalhar convosco. Durante esta semana, fui partilhando algumas sugestões de lanches práticos, que podem ser para toda a família. Espero que vos ajudem e inspirem.

A pensar no regresso ao trabalho ou à escola, partilho convosco mais um lanche delicioso. Espero que gostem.

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Lanche: Sandes de abacate com tomate e ovo



Que lanches fazer para levar para o trabalho? O que preparar para as crianças na escola? O que posso ter em casa, para quando algum dos membros da família precisa de lanchar sem ter que preparar nada? Estas perguntas reflectem muitas das nossas preocupações quando temos que pensar e organizar os lanches da família.

Lanches para levar, é o tema que estou a trabalhar convosco esta semana. Como sabem, de vez em quando, peço-vos a vossa opinião sobre temas que gostariam que eu trabalhasse aqui na minha cozinha. Depois de feito um inquérito na página de Instagram do Cinco Quartos de Laranja, a maioria dos leitores optou pelos lanches. Numa altura de regresso ao trabalho e à escola, é um tema que faz muito sentido nesta altura. Por isso, partilho convosco mais uma sugestão de um lanche prático e delicioso. Espero que gostem!

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Lanches: Iogurte com granola e fruta fresca


Sugestões de lanches e o modo como podemos organizar as lancheiras para levar para o trabalho ou para o mais pequenos é o tema que estou a trabalhar convosco nos próximos dias.

Se para as principais refeições de uma maneira geral, temos sempre ideias, para os lanches, por vezes, acaba por ser mais difícil.

Para vos ajudar, hoje, partilho mais uma sugestão. Esta ideia de prepararmos iogurte com fruta fresca e granola, pode ser servida ao lanche ou até para os pequenos-almoços.

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Lanches: Sandes de ovo com queijo e espinafres


Setembro é mês de recomeços. Para muitos, significa o regresso ao trabalho e às rotinas habituais. As escolhas já reabriram. Voltamos a organizar de forma mais sistemática as refeições da semana, e os pequenos-almoços e lanches para levar para o trabalho ou para os mais pequenos comerem na escola, começam a ser uma preocupação.

Para começar o dia ou para matar aquela fome que nos desinquieta, as sandes são quase sempre uma boa opção. Partilho convosco uma sandes deliciosa, que pode ser feita para os lanches da família ou para um pequeno-almoço.

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Menu semanal #27


Setembro é um mês de recomeços. As crianças voltam à escola e, nós, recomeçamos as nossas rotinas, divididas entre a casa e o trabalho. Os recomeços exigem sempre um tempo de adaptação. E para quem, agora, recomeça as suas rotinas, deixo-vos mais um menu que espero que sirva de inspiração para a preparação das refeições da semana.

Ver também menu semanal #26.

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Menu semanal #26


Organizar e planear as refeições da semana é uma das maneiras que encontrei para poupar tempo na cozinha e de comer, de forma, mais equilibrada. Quantas vezes, chegamos a casa tarde e, sem uma estratégia definida, acabamos por fazer opções menos saudáveis. Para vos ajudar a pensar nas refeições da semana, deixo-vos mais um menu:

Ver também menu semanal #25.

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Menu semanal #25


Mais uma semana que começa!

De férias ou, em casa, preparar e organizar as refeições para a família é sempre uma preocupação. Para vos ajudar, deixo-vos mais umas sugestões muito práticas:

Ver também menu semanal #24.

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

Salada de polvo com abacate


O dias quentes, de céu azul, trazem a possibilidade de aproveitarmos melhor o Verão. Vamos à praia. apanhamos sol, damos um mergulho na piscina ou no mar. Pensamos em organizar piqueniques com a família. Fazemos passeios ao final da tarde num parque ou jardim.

Nesta altura do ano, procuramos aproveitar o bom tempo da melhor forma e, para isso precisamos, também, de pensar nas nossas refeições. Quando o calor se faz sentir, os pratos frescos e coloridos é que nos sabem bem. Procuramos fazer, tantas vezes, receitas versáteis que sejam petisco ou refeição. Que possam ser pré-preparadas e que no momento de nos sentarmos à mesa se preparem, num abrir e fechar de olhos.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com polvo, pensei logo nos petiscos de Verão que se tornam, tantas vezes, refeição e preparei uma salada de polvo com abacate. Espero que gostem!

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

15 pequenos-almoços de Verão


O Verão, para mim, é sempre uma estação feliz. Gosto dos dias longos, quentes, de céu azul.

Gosto das possibilidades que esta época do ano nos traz. As idas à praia, os passeios e as caminhadas, as sardinhadas ou churrascadas com aqueles de quem gostamos. No Verão parece sempre que a vida é mais fácil.

Nesta altura do ano, gosto de começar o dia com comida colorida, de preferência fresca e deliciosa. Os pequenos-almoços ajudam a trazer alegria aos nossos dias.

Variar o que comemos, nesta época do ano, ainda se torna mais fácil, por isso, deixo-vos algumas sugestões, para começarem os dias quentes de Verão com comida feliz. Espero que gostem!

15 receitas para pequenos-almoços de Verão

terça-feira, 25 de agosto de 2020

Bolo de arroz


Hoje, é o meu dia de aniversário. Com o passar dos anos, sinto-me cada vez mais grata, sempre que este dia chega. O tempo é das coisas mais preciosas que temos. E por isso, agradeço.

Obrigada a todos os que se têm cruzado comigo. Obrigada a todos os que me acompanham. Obrigada a todos os que me incentivam a melhorar, a aprender, a continuar no meu trabalho. Obrigada a todos vocês que visitam o Cinco Quartos de Laranja e que me ajudam a ser todos os dias um bocadinho mais feliz.

A vida torna-se mais fácil quando caminhamos com amigos ao nosso lado. O dia de hoje, não é só meu! Grata por vos ter na minha vida!

Vamos celebrar? Para um lanche especial, deixo-vos uma fatia deste bolo de arroz que tão boas memórias de infância me traz.

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Menu semanal #24


Estejamos de férias ou de regresso ao trabalho, ter comida feita para as refeições da semana, é uma ajuda preciosa, no nosso dia-a-dia. Chegar a casa e, não ter que gastar muito tempo a pensar no que iremos cozinhar, para a família, é algo que nos facilita imenso a vida.

A pensar nas refeições da semana, deixo-vos mais um menu cheio de deliciosas sugestões. Espero que vos ajude a simplificar a vida na cozinha e a rentabilizar o vosso tempo e a vossa comida.

Ver também menu semanal #23.

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Salada de camarão com milho e abacate


Verão é sinónimo de comidas deliciosas e coloridas. Cá em casa, a escolha para as refeições destes dias quentes, são as saladas. Frescas, saciantes e cheias de sabor. Adoramos!

Comum a muitas comidas, cá em casa, nesta altura do ano, é o peixe e o marisco. Partilho, hoje, convosco uma salada muito prática, com sabor do mar. Espero que gostem. Bom apetite!

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Menu semanal #23


Organizarmos as refeições da semana ajuda-nos a poupar tempo e, a gerir de forma mais eficaz, as nossas compras. Para a semana que, agora, começa, deixo-vos mais um menu cheio de deliciosas sugestões para vos ajudar a organizarem as vossas refeições. Espero que gostem!

Ver também menu semanal #22.

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Torradas com requeijão e figos


Os figos trazem-me à memória os Verões quentes que passei no Ribatejo. A figueira enche parte do quintal, com os ramos quase a tocar o chão, atrai os pássaros que de papo cheio cantam de forma entusiasmada, como se estivessem no paraíso. Os figos frescos são uma fruta frágil e caprichosa. O calor torna-os doces, irresistíveis. Pecaminosos, até.

Tal como os pássaros também, dou por mim, a rondar a figueira de cesta na mão. Olho. Procuro. Escolho os mais maduros. Carnudos e suculentos são pura sedução. Ali, junto à figueira, não resisto a encher a barriga de figos.

Mas, qual a melhor maneira de comer um figo?

Herberto Helder, no poema mudado para português de D.H.Lawrence, diz-nos:

« A maneira correcta de comer um figo à mesa
É parti-lo em quatro, pegando no pedúnculo,
E abri-lo para dele fazer uma flor de mel, brilhante, rósea, húmida,
desabrochada em quatro espessas pétalas.

Depois põe-se de lado a casca
Que é como um cálice quadrissépalo,
E colhe-se a flor com os lábios.

Mas a maneira vulgar
É pôr a boca na fenda, e de um sorvo só aspirar toda a carne.

Cada fruta tem o seu segredo.
O figo é uma fruta muito secreta.
Quando se vê como desponta direito, sente-se logo que é simbólico:
Parece masculino.
Mas quando se conhece melhor, pensa-se como os romanos que é
uma fruta feminina.
(...)
»

Os figos são uma das formas que o Verão encontrou para nos mimar. São uma fruta secreta, simbólica, e como é referido no poema não pode ser comida de qualquer maneira!

E para festejarmos a alegria do Verão, deixo-vos uma tentadora torrada. Esta é também uma forma deliciosa, irresistível de comermos figos!

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Manteiga ou pasta de amendoim


Fazer manteiga ou pasta de amendoim, em casa, não é uma tarefa nada difícil. Basta usarem amendoim torrado, uma pitada de sal e um bom processador.

Chamo a atenção do processador, porque quando comecei a fazer manteiga de amendoim não tinha um processador com muita potência. E ao fazer a pasta, juntei um pouco de óleo, de modo a conseguir ajudar o processador a tornar os amendoins numa pasta cremosa. Há até, quem considere que um pouco de óleo ajuda a tornar mais cremosa a manteiga de amendoim, feita em casa. No entanto, tenham em atenção, que nem todos os processadores são os mais indicados para fazermos este tipo de pastas. O meu primeiro processador aqueceu tanto, que deixou de funcionar!

Os amendoins passam por um processo de transformação até conseguirmos obter uma pasta cremosa. Primeiro, começa por ser uma mistura granulosa, a seguir, passa a ser uma espécie de farinha fina. Entretanto, começa a ficar mais pastoso e depois, ao continuarmos a triturar, transforma-se numa pasta cremosa.

A manteiga de amendoim, feita em casa, nunca é tão cremosa ou tão líquida como algumas de compra, mas cá em casa, sempre que posso, esta é uma daquelas pré-preparações que faço para as refeições da semana. Adoro usar a manteiga de amendoim ou, de outros frutos secos, nos meus pequenos-almoços ou lanches!

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Pudim de chia com leite de coco


De há uns anos para cá, decidi mudar a minha alimentação. O que me levou a fazer esta mudança foi o querer sentir-me melhor. Cheguei a um ponto em que as roupas estavam sempre apertadas, sempre que me via nas fotografias, reparava em tudo aquilo que me fazia sentir gorda. Passei a notar que andava sempre mais cansada.

Quando não nos sentimos bem, quando achamos que temos que mudar de direcção e, fazer as coisas de outra maneira, é a altura perfeita para tomarmos a decisão de agir. Mudar o nosso estilo de vida, procurarmos fazer uma alimentação mais equilibrada e saudável só depende, à partida, de cada um de nós. É certo que se tivermos a família do nosso lado, que todos decidam embarcar na viagem de mudança de estilo de vida, tudo se irá tornar mais fácil. Sozinhos, sabemos que é sempre mais difícil, mas não impossível. Temos que acreditar que a mudança só nos vai trazer benefícios em termos pessoais e sociais.

Mas a mudança não deve ser só por uns tempos. Mudar o nosso estilo de vida, tentar fazer uma alimentação mais saudável e equilibrada é uma tarefa para a vida. Todos os dias temos que cultivar as mudanças, os novos hábitos que decidimos promover.

Em que consiste fazer uma alimentação mais saudável? Há tantas respostas. Entre tanta informação, afinal o que é certo e o que é errado?

Alimentação saudável é aquela que nos fornece os nutrientes que o nosso corpo precisa. E para isso, na minha opinião, devemos tentar comer comida verdadeira. Iniciem as refeições com sopa. No prato principal, ao lado da carne e do peixe, coloquem muitos legumes e leguminosas. Evitem os doces e produtos açucarados, evitem as comidas processadas com ingredientes de que não fazemos a mínima ideia do que serão. Retirem da despensa todos os salgadinhos e outras tentações que vos chamam sempre que dá aquela vontade louca de comer. Tenham gelatinas, fruta fresca, ovos cozidos, húmus, cenouras baby, bolachas de milho, tremoços para servirem aos lanches, por exemplo. Não se esqueçam de beber água e variar o que comem. E claro, para mim, tomar o pequeno-almoço é um hábito de quem procura fazer uma alimentação equilibrada.

A comida é uma forma de felicidade. Gosto de comida colorida, ajuda-me a começar o dia com mais alegria. Para os pequenos-almoços ou lanches, os pudins de chia são uma excelente sugestão.

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Menu semanal #22


Prepararmos as refeições da semana, com antecedência, é uma prática que nos ajuda a poupar tempo, a rentabilizar a nossa comida e, a comer de forma mais equilibrada. Para o menu desta semana, procurei dar destaque a alguns pratos de peixe e de marisco, que combinam de forma deliciosa com o Verão.

Espero que gostem!

Ver também menu semanal #21.

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Doce de figo


Os figos frescos são, para mim, uma das frutas que simboliza o Verão. No passado fim-de-semana, fui visitar os meus pais. No quintal, temos figueiras. Numa delas, consegui apanhar uma cesta pequena de figos. Ainda não estavam bem maduros, mas mesmo assim, não me demovi.

Quando cheguei a Lisboa, decidi usá-los para fazer um irresistível doce de figo.

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Arroz com 3 pimentos


Há pratos que soam a Verão e, o arroz de pimentos, é um deles. Nós, portugueses, somos conhecidos como os chineses da Europa no que toca ao consumo de arroz. Contam-se os mil e um pratos que fazemos com este ingrediente tão versátil.

O arroz pode ser usado como ingrediente estrela de pratos principais ou ser servido como acompanhamento. No Verão, procuramos pratos que juntem arroz e peixe, concordam?

Há uns tempos atrás, decidi fazer um arroz de elogio ao Verão, com tomate e pimentos. Este arroz, foi o acompanhamento destes filetes de sardinha panados. Combinação deliciosa. Viva o Verão!

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Os livros que me inspiraram a mudar a minha alimentação


As leituras inspiram-nos. As dos romances fazem-nos viajar, sonhar ou apaixonar. Acho que ando sempre a ler um ou mais livros. De há uns anos para cá, a par dos livros de receitas, decidi tentar perceber um pouco mais sobre alimentação.

O que comemos reflecte-se no nosso corpo e na nossa saúde. É importante fazermos uma dieta equilibrada, mas como? Que hábitos devemos promover em prol de uma alimentação saudável? Que dieta devemos seguir? Que alimentos comer? Por vezes, parece que há tanta contradição.
Quando pensamos em alimentação, são imensas as questões que nos surgem, principalmente sobre o modo como devemos comer. Ao longo destes anos procurei respostas para algumas das minhas questões. Fui falando com nutricionistas e procurei ler sobre este tão vasto e apaixonante tema. A seguir apresento-vos alguns dos livros que me inspiraram a mudar a minha alimentação.

Um dos autores que me acompanha desde que li a obra O Dilema do Omnívoro, é Michael Pollan. O que comer? É uma pergunta que tantas vezes nos colocamos. E a massificação de produtos alimentares feitos pela indústria, trouxe ainda mais problemas no momento de decidir o que vamos colocar na mesa para comer. Nesta obra, Michael Pollan para além de falar do milho e como consumimos este ingrediente de forma processada em vários produtos, alerta-nos para o modo como estão a ser cultivados as frutas e os legumes, e como se faz a criação de animais, em algumas explorações. Depois de expor alguns problemas associados ao modo como é produzida a nossa comida, chama-nos a atenção para a importância de fazermos uma alimentação com comida real, mas sem cair em fundamentalismos.

De seguida quis logo ler Em Defesa da Comida. Esta obra é um manifesto, em que o autor alerta o consumidor para que «Coma comida», para que coma sobretudo vegetais, principalmente folhas, falando-nos também da importância de variarmos a nossa alimentação e de olharmos para a nossa tradição gastronómica, para a nossa cultura alimentar. Este é um livro que me ajudou a mudar a minha alimentação, é uma das minhas referências.

Comer Bem Viver Melhor de Dra Darya Pino Rose. Cheguei a este livro por mero acaso. Mas assim que comecei a ler as primeiras páginas já não parei. Tirei desta obra, muitas coisas, mas principalmente, um conceito: - equilíbrio. Comer com equilíbrio é a melhor dieta.

Mas o que é comer com equilíbrio? Como conseguimos fazer esta gestão?

Fazer dieta ou tentar procurar fazer uma alimentação equilibrada, mais do que um destino, é uma viagem. Mais do que querer perder peso rapidamente, o importante é mudar de hábitos e interiorizar rotinas. A comida não é só uma questão de sobrevivência, é uma forma de felicidade e se nos estivermos sempre a privar, não a vamos conseguir alcançar. A privação cria ansiedade, aumenta o desejo por determinado alimento. É preferível matar o desejo comendo um quadrado de chocolate, do que sofrer por não o poder fazer. Para a Dra Darya "as pessoas de mentalidade de crescimento agem como se pudessem melhorar em tudo, caso se esforcem, e que o fracasso é uma experiência de aprendizagem e uma oportunidade para crescerem e melhorarem. Falhar não é reflexo do valor pessoal." Isto é tão importante!

Ao longo do livro percebemos que para perder e manter peso devemos integrar hábitos mais saudáveis e fazer mudanças permanentes no nosso estilo de vida. É fundamental começarmos a mudar a pouco e pouco alguns dos nossos hábitos. Se quiserem começar a fazer tudo de uma só vez, é mais difícil. Um passo de cada vez. Interiorizem.

« Dependendo do nível de dificuldade para o indivíduo, um dado hábito pode levar de duas semanas a oito meses a desenvolver-se, mas, em média, um novo hábito demora cerca de dois meses, ou sessenta e seis dias a enraizar-se. »

« Outro factor importante na formação de hábitos bem-sucedidos é escolher objectivos simples e específicos que possam ser atingidos com um conjunto simples de acções. »

Por exemplo, comecem por beber mais água. De seguida, passem a iniciar as refeições com um prato de sopa. Comam mais devagar e se possível façam da mesa um momento de partilha com a família. Incluam mais legumes e leguminosas nos vossos pratos. Procurem comer comida verdadeira, e se a cozinharem, melhor. Parece que é pouco, mas na prática, vão ver que estas pequenas ações já exigem, mudanças, foco e determinação.

Este é um livro a que volto muitas vezes. Inspirador Ajuda-me a encontrar caminhos para procurar fazer uma alimentação mais equilibrada, sem fundamentalismo. Por que como a autora refere, não há alimentos mágicos!

A Enzima Prodigiosa e A Enzima Prodigiosa 2 de Dr. Hiromi Shinya. Destes dois livros tirei uma lição, ao comer, tenho que ter vida no meu prato. As minhas refeições têm que ter mais ingredientes frescos.

Para o autor a qualidade da água e dos alimentos que ingerimos determinam a nossa saúde. Entre as muitas recomendações sobre carne, peixe, café, leite, margarina, iogurte, alerta-nos também para a saúde do intestino e para ao efeito da oxidação dos alimentos.

No estilo de vida que defende, o Dr. Hiromi, refere que uma alimentação equilibrada para os seres humanos seria composta por 85% de vegetais e 15% de alimentos animais. Comer mais produtos hortícolas, parece-me, que só nos faz bem!

Comer para viver e O Fim das Dietas de Dr. Joel Furhman. São dois livros que vos aconselho a ler.
O Dr. Joel defende que « temos que consumir alimentos com os nutrientes adequados para que não tenhamos necessidade de consumir calorias "vazias" em excesso e para que assim consigamos obter as nossas necessidades nutricionais. » Refere ainda que « a maior parte de nós tende a acreditar em milagres. As pessoas querem crer que, apesar de alguns excessos, se tomarem um comprimido, um pó ou outra opção qualquer, conseguem manter uma saúde excecional. Contudo, esta é uma crença falsa (...). Se deseja uma saúde de excelência e de longevidade, terá de se empenhar na causa. E se deseja emagrecer com segurança, terá de fazer uma alimentação à base de alimentos não-refinados, ricos em nutrientes e em fibra. »

Em ambos os livros encontramos testemunhos de mudança de alimentação e de estilo de vida, de alguns dos pacientes do Dr. Joel Furhman. Existem também planos alimentares e receitas.

Na obra O Fim das Dietas, apresenta indicações precisas sobre o que devemos comer. Por exemplo, recomenda que a dose diária de frutos secos e sementes seja de pelo menos 28 g por dia.

De uma maneira geral, as duas obras aconselham que façamos uma alimentação pobre em calorias e rica em nutrientes.

Comer Bem é o melhor remédio de Alexandra Bento. Um livro que nos tenta consciencializar para as escolhas diárias que fazemos em termos de alimentação. Procura explicar como devemos orientar as nossas escolhas, sem que isso seja caro ou complicado. Alerta para alguns cuidados a termos na preparação e confecção dos alimentos e promove o receituário português. Tem receitas.

Como não morrer e Como não morrer, o livro de receitas de Dr. Michael Greger. Confesso que li primeiro o livro com as receitas. Gostei tanto, identifiquei-me com algumas das ideias e indicações do autor que assim que pude, comprei o primeiro, que entretanto, comecei a ler.

A Revolução Smart Food de Eliana Liotta. Nesta obra a autora apresenta-nos a cultura smart food, com o intuito de conseguirmos fazer uma alimentação mais saudável. Ao longo da obra apresenta e fala de alguns ingredientes que nos podem proteger ou ajudar a promover a longevidade.
No capítulo Factos e Mitos, a autora responde a muitas questões, que de uma maneira geral todos já nos confrontámos, como por exemplo: devemos beber leite? É preciso retirar os hidratos de carbono para emagrecer? A fruta no fim da refeição, engorda?

No final, a mensagem que retirei é, como em tantas outras coisas, o melhor é a moderação. Cada um deve fazer um esforço individual para tomar consciência dos próprios hábitos, compará-los com os padrões ideais, e gradualmente, com calma, ir melhorando a relação que se mantém com a comida.

Food Pharmacy de Lina Nertby Aurell e Mia Clase. Um dos conceitos que retenho deste livro é: inflamação. É um livro que quero reler. As autoras recomendam-nos uma dieta arco-íris, em que os produtos hortícolas são fundamentais. Recomendam o consumo de curcuma, pois é uma das especiarias com maior poder anti-inflamatório.

Cá por casa, passei a usar mais vezes a curcuma ou açafrão-da-Índia.

A Dieta da Água de Dra. Dana Cohen e Gina Bria. O poder da hidratação é o tema desta obra, e é algo que me interessa bastante.

Como sabemos que estamos a beber a quantidade de água suficiente? Beber água só por si é suficiente para nos mantermos hidratados? Para as autoras a água só por si não é suficiente e por vezes a quantidade não significa qualidade. Recomendam para além da ingestão de água o consumo de plantas, frutos, legumes, sementes com propriedades hidratantes.

Estes são alguns dos livros que me levaram a mudar a minha alimentação. As leituras ajudam-nos a perceber e a profundar os temas. Ajudam-nos a ganhar sentido crítico. De cada obra, retiramos sempre aquilo que de uma maneira geral nos identificamos.

Mais do que seguir esta ou aquela dieta, entre tantas indicações sobre o que comer, o importante é encontrarmos um caminho que nos permita ser feliz e que consigamos fazer uma alimentação que nos traga saúde e que nos faça sentir bem! Equilíbrio e bom senso, nas escolhas alimentares, são sempre boas opções.

segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Menu semanal #21


Para a selecção de receitas desta semana, pensei em alguns produtos da estação que nos chegam na sua plenitude de sabor.

Em Agosto, é tempo, entre outras coisas, de tomate e figos. É a altura do ano em que, muitas vezes, as nossas refeições se fazem com saladas.

Espero que gostem das seguintes sugestões para as refeições da semana!

Ver também menu semanal #20.

sexta-feira, 31 de julho de 2020

Salada de bacalhau com feijão branco


« Eu gosto é do verão
De passearmos de prancha na mão
Saltarmos e rirmos na praia
De nadar e apanhar um escaldão
E ao fim do dia, bem abraçados
A ver o pôr-do-Sol
Patrocinado por uma bebida qualquer
»

A música, Eu gosto é do Verão, do grupo A Fúria do Açúcar, fica no ouvido e simboliza de forma deliciosa o espírito com que vivemos o Verão. Esta é uma época de sol, mar, de caminhadas à beira-mar, de gelados, de petiscos.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com bacalhau desfiado fresco no ponto de sal, pensei logo no espírito com que vivemos esta época do ano. Procuramos ter tempo para aproveitar o bom tempo, as férias. As refeições, mais do que em outra época do ano querem-se práticas, que não nos roubem muito tempo e, que façam sucesso, assim que chegam à mesa.

Inspirada pelo modo como vivemos o Verão, deixo-vos, hoje, uma saborosa salada de bacalhau fresco no ponto de sal, confeccionada com feijão branco que se faz num instante. Este bacalhau resulta muito bem nas saladas de Verão.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Sopa de feijão branco com couve kale


Mais do que fazer dieta ou seguir um regime alimentar A ou B, o importante, é procurarmos ter um estilo de vida equilibrado. Um estilo de vida que envolva preocupações a nível alimentar e de actividade física.

Mudei de vida aos 41 anos. Uma decisão ponderada. Despedi-me. Fui de férias e quando regressei a confrontação com a nova realidade foi um choque. Passei de uma vida activa, dinâmica, com uma agenda preenchida, para uma vida mais livre, em que a gestão do tempo passou a ser feita por mim. A adaptação a uma nova realidade exige sempre tempo. Podermos gerir a nossa agenda é algo atractivo e romântico, mas a realidade, mostra-nos que a vida nem sempre é uma novela com final feliz. Há novos hábitos a promover, as rotinas passam a ser outras, as preocupações mudam. Há novos desafios.

Passados uns tempos, em casa, percebi que precisava de mudar a minha alimentação. O que procurei foi tentar encontrar uma forma de não fazer dieta, mas comer de forma mais equilibrada. Sem proibições, mas com equilíbrio. A minha preocupação foi, como é que eu comendo, posso perder peso e sentir-me bem? Que tipo de escolhas é que devo fazer, de modo a não me sentir emocionalmente presa pelo peso de comer isto e de não comer aquilo?

Uma das coisas que já fazia, mas que passei a fazer de forma sistemática, foi a ter sopa feita em casa. Lembrem-se que para fazermos uma alimentação equilibrada, um dos primeiros passos é cozinhar em casa. E fazer sopa, não custa mesmo nada. Podemos sempre fazer sopa em quantidade e congelar.

A sopa é uma excelente maneira de iniciarmos as nossas refeições. Se nesta altura do ano, poderá não ser tão atractivo, por causa do calor, comer um prato de sopa a todas as refeições, aconselho a manterem-na pelo menos ao jantar. A sopa ajuda-nos a ingerir mais água, mais legumes e pode ser uma forma de controlarmos melhor a nossa ânsia de comer.

A dieta que devemos procurar fazer deve ser aquela que nos traga alimentos ricos em nutrientes. Associada a esta ideia decidi começar a incluir mais legumes e leguminosas nas minhas refeições. Por isso, cá em casa, há sempre sopa!

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Arroz integral com grão-de-bico e espinafres


Variar o que comemos é importante. Por um lado, oferecemos ao nosso corpo diferentes tipos de nutrientes e, por outro, é uma forma de nos estimularmos emocionalmente.

Comida, emoções e sentimentos, andam tantas vezes de mão dada. Se estamos tristes, por vezes, apetece-nos compensações doces. Se estamos alegres, queremos comemorar com algo que nos alimente e faça fervilhar o nosso estado de espírito.

Há comidas de que temos saudades. Há pratos que nos lembram pessoas, lugares, momentos. Os sabores da memória são ricos em sentimentos. Por vezes, basta o cheiro de um pão no forno, um bolo acabado de ser feito, o café que chega à mesa para viajarmos nas nossas lembranças de momentos felizes, à volta da mesa.

A comida é uma forma de conforto para o corpo e para alma. Deixo-vos, hoje, um prato delicioso que costuma deixar um sorriso em quem o prova. Espero que gostem!

terça-feira, 28 de julho de 2020

Salada de arroz Vénus com camarão e manga


Cruzei-me há uns anos atrás com o arroz Vénus, numa loja em Lisboa, onde tinha ido comprar arroz basmati tufado para uma receita que andava a preparar. Um arroz com uma cor linda e um nome inspirador, não me deixaram indiferente. Acabei por trazê-lo para casa. Na altura, não fazia ideia da origem deste tipo de arroz.

O arroz Vénus é um arroz italiano. Resulta do cruzamento de um arroz típico do Vale do Pó e de uma variedade de arroz negro asiático, conhecido como o arroz proibido.

O nome Vénus é uma alusão à deusa romana do amor. O nome foi escolhido em virtude de o arroz negro ter sido durante muitos anos considerado um poderoso afrodisíaco. Uma das características deste arroz é o seu aroma, intenso, a fazer lembrar o pão acabado de fazer. É um arroz integral, que para além de uma cor bonita, é rico em antioxidantes.

Para cozer este arroz é aconselhável demolhar previamente. Uma curiosidade, a água fica negra, mas o arroz não perde a coloração.

Os dias quentes de Verão pedem comidas frescas e, de preferência, coloridas. Cá por casa, as saladas têm sido o prato, mais vezes, escolhido. Para dar destino ao arroz Vénus que tinha cozido, decidi fazer uma deliciosa salada.

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Menu semanal #20


Cozinhar é uma forma de cuidarmos daqueles de quem gostamos. Pensarmos e definirmos o que iremos cozinhar, torna-se mais importante, por ser para a família. Para vos ajudar, preparei mais um menu com sugestões para a ementa semanal. Espero que vos inspire!

Ver também menu semanal #19.

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Salada de quinoa com legumes grelhados


Os dias quentes de Verão, têm sido passados em casa. Este ano, as férias foram adiadas para mais tarde.

À medida que o tempo passa, sinto cada vez mais saudades do mar. De ouvir as ondas a fustigar a areia, de ver o pôr-do-sol sentada na esplanada enquanto termino mais um romance, escolhido da lista de livros a ler nas férias. É tão importante ter férias. Parar. Quebrar rotinas. Para depois voltarmos com saudades, garra e determinação à nossa vida.

Nos dias quentes, cá por casa, procuramos fazer refeições ligeiras e frescas. A escolha passa, muitas vezes, por grelhados e saladas.

Deixo-vos, hoje, uma deliciosa salada de quinoa com legumes grelhados. Espero que gostem!

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Bifes de peru grelhados com orégãos


Os dias quentes de Verão pedem refeições práticas e, de preferência, rápidas. Cá em casa, nestes dias temos dado preferência às saladas. Viram a que partilhei, ontem, no Instagram do Cinco Quartos de Laranja? Resulta tão bem para esta altura do ano!

Para além das saladas, temos feito muitos pratos, principalmente, com grelhados. Resultam tão bem e podemos acompanhar com uma salada generosa. Deixo-vos, hoje, a receita de uns deliciosos bifes de peru que se preparam num instante e que normalmente, toda a gente gosta!

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Medalhões de pescada com alho-francês


Um dos símbolos do Verão, para além do sol, do mar, dos gelados e das bolas de Berlim, é sem dúvida o tomate. É nesta época que nos chega pleno de sabor.

Para aproveitarmos este delicioso fruto, deixo-vos, hoje, uma receita muito prática, para toda a família.

terça-feira, 21 de julho de 2020

Salada de melancia com abacate e queijo


A melancia é uma das frutas que simboliza o Verão. É daqueles frutos, que para mim, só sabe bem quando faz calor. Uma fatia de melancia, num dia quente de Verão, ajuda a refrescar. Torna-se deliciosa.

Mesmo que consigamos encontrar melancia o ano inteiro, consumi-la no Verão é que faz sentido! Durante anos, a melancia, cá em casa, foi sempre servida como sobremesa ou snack, a meio da tarde. Em dias de praia, sabe tão bem comer melancia à beira-mar!

Ainda me lembro, quando a comecei a usar em saladas e a surpresa foi tão boa. Para os dias quentes de Verão, deixo-vos, hoje, uma refrescante salada com melancia!

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Menu semanal #19


Mais uma semana que começa e, com ela, a vontade de preparar comida deliciosa e fresca para a família. Para o menu desta semana escolhi pratos que se preparam, de uma maneira geral, de forma prática, dando destaque às sopas frias. Como produto da semana, seleccionei a melancia, usada em saladas, resulta tão bem. Espero que gostem!

Boa semana e bons cozinhados.

Ver também menu semanal #18.