Próximos Eventos
Lisboa 21 de Outubro de 2018
Domingo:
10h00 - 13h00      Vamos fazer Risotto?
 
 
15h00 - 18h00      Receitas Rápidas para o Jantar
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

quinta-feira, 29 de março de 2018

Salada de feijão branco com miolo de camarão e crocante de presunto


A chegada da Primavera inspira-nos a pensar em pratos mais coloridos, cheios de legumes e com muito sabor.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com seu o miolo de camarão gigante, confesso que pensei logo numa salada. Cá em casa, adoramos saladas. São muito práticas, preparam-se num abrir e fechar de olhos e toda a gente gosta!

Nesta salada que preparei para a rubrica da Pescanova, para além do miolo de camarão, juntei feijão branco cozido, legumes frescos e pedaços de presunto crocante. Ficou tão boa!

quarta-feira, 28 de março de 2018

15 receitas de borrego para a mesa de Páscoa


A Páscoa está a chegar. E uma das carnes, que se costuma servir nesta quadra festiva, é o borrego. Adoro carne de borrego e este ano vai estar, novamente, na nossa mesa no domingo de Páscoa, para o tradicional almoço de família. Para quem, como eu, costuma servir esta carne, nesta altura do ano, aqui ficam quinze saborosas receitas.

15 receitas de borrego para a mesa de Páscoa:

terça-feira, 27 de março de 2018

Lançamento do livro Petiscos e Miudezas à Portuguesa


Queridos leitores,

no próximo dia 3 de Abril de 2018, às 18h30, na livraria Ferin, na rua Nova do Almada, em pleno Chiado, irá ter lugar o lançamento do meu último livro Petiscos e Miudezas à Portuguesa, editado pela Marcador editora, e que realizei em co-autoria com o conhecido gastrónomo Virgílio Nogueiro Gomes.

Gostaria de vos convidar a estarem presentes, a fazerem-me companhia neste momento que é sempre tão especial. Os livros acabam por ser um bocadinho os nossos "filhos" tornando-se assim, motivo de celebração. Fazem-me companhia?

É, para mim, uma honra e um privilégio ter a obra apresentada pela Maria de Lourdes Modesto, uma das grandes referências da cozinha portuguesa.

O livro Petiscos e Miudezas à Portuguesa é um elogio à cozinha portuguesa onde se procura revalorizar as carnes, ditas menos nobres, de animais como o porco, os suínos, os caprinos, os bovinos e as aves. Tem receitas tradicionais, como mão de vaca guisada com grão, iscas de cebolada, tripas à moda do Porto, butelo com casulas, maranhos com grelos, pezinhos de coentrada, pipis, cabeça de xara, entre outras.

O livro, para além das receitas, é complementado com textos introdutórios em cada capítulo, onde se fala das carnes e dos animais, e se faz uma contextualização histórica relacionada com o consumo da referida carne.

O convite para a festa de lançamento está feito. Dia, 3 de Abril, encontramo-nos na livraria Ferin? A vossa presença vai encher-me o coração. Conto com todos vocês!

segunda-feira, 26 de março de 2018

Lulas com chouriço e alho-francês


A pouco e pouco, o ritmo das refeições, cá em casa, regressa à normalidade. Depois de duas semanas com almoços e jantares fora de casa, sabe bem voltar a algumas das nossas rotinas.

Um dos pratos que fiz recentemente, cá em casa, para um dos nossos almoços foi lulas com chouriço e alho-francês. Um prato que junta os sabores da terra com os do mar. Muito saboroso!

sexta-feira, 23 de março de 2018

Vamos fazer pão: Pão com pepitas de chocolate


Adoro chocolate. Sou daquelas pessoas que não resiste a uma fatia de um bolo de chocolate húmido, a uma taça de musse de chocolate, daquelas que ficam espessas, e que nos confortam o corpo e a alma. Não resisto a bolachinhas de chocolate saboreadas a meio de uma tarde de Inverno com um chá ou café. São daquelas coisas que nos dão anos de vida e que tratam a felicidade por tu.

Adoro abrir uma caixa de bombons e escolher, um a um, qual é que vou comer. Não resisto a um quadradinho de chocolate para acompanhar o café a seguir a uma refeição demorada. O chocolate saboreado em quadradinhos são daqueles mimos que nos dão alegria. Que nos deixam de sorriso satisfeito no rosto, que nos fazem esquecer as tristezas do mundo.

E pão com pepitas de chocolate? Delicioso! Tentador. Uma verdadeira guloseima, que nos remete para a infância. Experimentem uma fatia deste pão, barrada com uma boa manteiga. Leva-nos ao céu! Vamos fazer pão?

Apresentei a receita deste delicioso pão com pepitas de chocolate no passado domingo, no Festival Internacional do Chocolate de Óbidos.

quinta-feira, 22 de março de 2018

Copinhos de musse de chocolate com creme de mascarpone


Este ano voltei ao Festival Internacional do Chocolate de Óbidos para um showcooking no passado domingo, ao início da tarde. É sempre muito especial e gratificante voltar a um dos mais importantes festivais do género em Portugal.

O primeiro ano em que participei, confeccionei uma sopa de abóbora com chocolate do meu livro Cozinha para Dias Felizes e um bolo tentação de chocolate, que é uma verdadeira delícia. Este ano decidi preparar uma sobremesa servida em copinhos, apresentados em camadas, com bolacha de chocolate, musse e finalizados com um irresistível creme de mascarpone. Uma combinação que não nos deixa indiferentes. Tão bom!

quarta-feira, 21 de março de 2018

Petiscos e Miudezas à Portuguesa, o livro


Queridos leitores,

já chegou às livrarias o meu novo livro, realizado em co-autoria com o gastrónomo Virgílio Nogueiro Gomes, Petiscos e Miudezas à Portuguesa, editado pela editora Marcador.

Foi um grande desafio, ter a possibilidade de cozinhar com as partes menos nobres dos animais. Um animal sacrificado deve ser um animal honrado e por isso deve ser comido da cauda à ponta do nariz. Não desperdiçar nada! E que bons petiscos e que maravilhosos pratos os nossos antepassados fizeram com as tripas, com as cabeças, com os rins, com o sangue! Revalorizar alguns produtos que por mil e um motivos fomos afastando da nossa mesa, é um dos objectivos deste livro. Encontramos no receituário tradicional português várias receitas com as miudezas de animais. Há que continuar a valorizar estes produtos para que se tornem ainda mais populares.

Eu cresci no Ribatejo e o sacrifício de um animal era motivo para juntar a família. A matança do porco era sinal de abundância e fartura para os meses que se seguiam. Aproveitava-se tudo, desde o sangue, até ao toucinho - que servia tantas vezes para fazer banha e depois comiam-se os torresmos, passando pelas tripas e pelo redenho. Vivemos numa altura em que é importante dizer não ao desperdício e é também o que este livro procura destacar.

O Petiscos e Miudezas à Portuguesa é um livro com receitas. Algumas tradicionais, como mão de vaca guisada com grão, iscas de cebolada, tripas à moda do Porto, butelo com casulas, maranhos, pezinhos de coentrada, pipis, cabeça de xara, entre outras.

E também tem adaptações mais contemporâneas como salada de fígados de galinha com framboesas, sandes de coração com maionese de mostarda em grão à antiga, molejas com cebola caramelizada e puré de grão, uma sopa maravilhosa de cabeça de borrego assada, entre muitas mais deliciosas iguarias que vos vão deixar com água na boca. Cozinhar com as partes, ditas menos nobres dos animais, tem a vantagem de fazermos pratos deliciosos e a muito baixo custo. Numa ida ao supermercado vejam o preço do pernil de porco, dos fígados, dos corações, dos pezinhos, etc. Enchem a mesa de comida de forma muito barata e com pratos cheios de sabor.

Ao preparar algumas das receitas do livro, pedi ajuda aos meus pais. Receitas como tripas guisadas com batatas, molhinhos com feijão branco, fressura guisada, pezinhos de borrego no tacho, foram e continuam a ser cozinhadas na minha família. E sempre que chegam à mesa é uma verdadeira festa. Toda a gente gosta. Um agradecimento especial também ao meu irmão que pacientemente acedeu aos meus pedidos e me arranjou muitas das carnes usadas na confecção das receitas.

O livro está dividido em cinco capítulos. Cada capítulo tem um texto introdutório em que se fala de cada um dos animais escolhidos, com uma contextualização histórica, onde se faz referência às partes usadas na cozinha portuguesa e com a indicação das carnes com designação DOP e IGP.

Como em tudo, há sempre um começo. E a minha aventura no mundo dos livros iniciou-se, em 2012, com o Cozinha para Dias Felizes a que se seguiram, em 2014, Delicioso Piquenique e Receitas Indispensáveis para o seu Robot Cuisine Companion, este último, publicado em Março de 2016. O Livro de Petiscos da Isabel chegou às livrarias nos finais de 2016.

E no ano em que o Cinco Quartos de Laranja celebra o seu 12º aniversário sabe bem ver chegar às livrarias mais um trabalho em que o meu nome surge ao lado de uma grande referência da história da alimentação em Portugal, Virgílio Nogueiro Gomes, a quem agradeço o convite e a confiança para a realização deste Petiscos e Miudezas à Portuguesa. Muito obrigada!

Brevemente darei mais novidades sobre encontros com leitores e outras acções. Mas deixo já o convite para estarem todos comigo no dia do lançamento em Lisboa: 3 de Abril de 2018. Combinado?

terça-feira, 20 de março de 2018

Muesli tropical


Comemora-se, hoje, o Dia Internacional da Felicidade e todos, de uma maneira ou de outra, queremos ser felizes.

Há, quem procure a felicidade nas pequenas coisas do dia-a-dia. Na gargalhada inocente de uma criança, na luz intensa de um dia de céu azul, num passeio à beira-mar de mão dada com alguém especial. Num dia de Inverno, a ver a chuva a cair, no conforto do sofá com um chá quente entre as mãos. Há quem procure a felicidade no sorriso de uma flor, numa árvore nua num dia de nevoeiro, numa fatia de bolo de chocolate servida com um café e uma mesa cheia de amigos. Há quem procure a felicidade num abraço apertado, num beijo demorado, nos sorrisos dos outros, nas páginas de um romance, no brilho das estrelas numa noite de Verão, num filme de amor.

Há quem procure ser feliz todos os dias. Que olhe para a vida com um entusiasmo único, intenso, contagiante, como só assim conseguisse viver. Como só dessa maneira meio louca e inocente conseguisse encontrar um sentido para a vida, para a sua vida. Uma alma vazia, sem cor, sem desejos e sem sonhos morre aos poucos. A fórmula para encontrarmos a felicidade está no modo como olhamos para nós e para os que nos rodeiam. Está no modo como queremos viver. O problema é que muitas vezes não sabemos o que fazer. Desistimos antes de persistir. Ser feliz, não é um presente bonito embrulhado numa caixa glamorosa que nos é entregue pelo correio. A felicidade não chega sem trabalho, sem predisposição.

Para sermos felizes, temos que aprender a saborear os pequenos prazeres da vida. A olhar para as coisas com amor, com predisposição para o bem e agradecer todas as pequenas conquistas com que a vida nos presenteia.

Para sermos felizes, todos os dias, é importante agradecer. Agradecer o amor dos que nos rodeiam, as amizades que vamos conquistando, os dias de sol e de céu azul, a saúde, a possibilidade de vivermos de forma livre e independente, a comida farta que temos na mesa. Podemos ser felizes todos os dias, basta querermos.

Podemos ser felizes com uma taça de muesli servida com iogurte logo pela manhã. Há dias em que a comida é também uma forma de felicidade.

segunda-feira, 19 de março de 2018

O workshop Receitas Rápidas para o Jantar, em Lisboa, foi assim


Cozinhar em grupo, é uma forma especial de partilhar, de aprendermos uns com os outros. Cozinhar em grupo, ajuda-nos a descontrair, é uma forma única de conversarmos e de rirmos, muito. Sabe sempre tão bem! E foi o que aconteceu no último workshop Receitas Rápidas para Jantar que teve lugar na escola de cake Design Isto Faz-se.

Com as vidas atarefadas, que todos temos, nem sempre conseguimos arranjar tempo e paciência para chegar a casa e ir para a cozinha. Neste workshop preparámos diversas receitas, muito práticas e rápidas, com o intuito de ajudar todos os que participaram a prepararem alguns pratos num abrir e fechar de olhos.


Para além de dicas sobre como organizar as refeições da semana, sobre como fazer algumas pré-preparações para ir usando durante a semana, sobre como podemos rentabilizar uma base de sopa, entre outras indicações, que espero preciosas, preparámos vários pratos. Entre eles, contam-se uma salada de cuscuz, um caril de atum com grão e espinafres, que é simplesmente maravilhoso, carne na frigideira com farinheira, entre outras saborosas sugestões.

No final, juntámo-nos à volta da mesa e degustámos tudo o que foi preparado.


Relembro que no próximo dia, 25 de Março de 2018, irá decorrer o workshop Doces e Folares de Páscoa, onde iremos preparar diversas sugestões a pensar nos dias de festa que se avizinham. Fazem-me companhia?

EUR 50 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

sexta-feira, 16 de março de 2018

Vamos fazer pão: Bôla de enchidos


Por cá, começa-se a pensar na mesa de Páscoa. Relembro que, no dia 25 de Março, irá decorrer, cá em Lisboa, o workshop Doces e Folares de Páscoa, das 10h30 às 13h30, na escola de cake design IstoFaz-se. Iremos preparar muitas coisas boas, para partilhar com a família, nesta quadra festiva.

A minha cozinha, nestes últimos dias, tem andado a meio gás. Muitos eventos em que almoço e janto fora. Para a semana, já regressa tudo à normalidade, principalmente a organização do meu frigorífico e a gestão das refeições. Deixo-vos, hoje, uma deliciosa sugestão, feita com uma massa lêveda, enriquecida com ovos e manteiga e que fica maravilhosamente boa! Gostam de bôla? E se for com enchidos? Vamos meter as mãos na massa e fazer pão?

quinta-feira, 15 de março de 2018

Queques de chocolate


Gosto dos dias de chuva quando posso ficar em casa. Gosto de ouvir a chuva a cair sentada no sofá, enrolada numa pequena manta que me faz muitas vezes companhia. Gosto de ver chover da janela da minha sala com vista para o Tejo.

Os dias de chuva são bons para pensar na vida. Escrever sobre as coisas boas que nos aconteceram e sobre todos os objectivos que queremos ainda colocar em prática. Podemos aproveitar a nostalgia dos dias de chuva para pensar nas pequenas coisas que nos ajudam a ser felizes. E uma das coisas que adoro fazer, quando nestes dias de Inverno chove, é poder tomar um chá quente com um bolinho a acompanhar. Para quem, como eu, aprecia estes pequenos e deliciosos prazeres da vida, deixo-vos a receita de uns tentadores queques de chocolate que se fazem num abrir e fechar de olhos.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Perna de borrego assada no forno com batatas


Uma das carnes muito apreciadas, cá em casa, é borrego. Adoramos, principalmente assado no forno. O borrego é também uma carne muito apreciada e servida em muitos almoços de família no domingo de Páscoa. Para quem já começa a pensar no que irá preparar, deixo-vos, hoje, uma deliciosa sugestão. Perna de borrego assada no forno com batatas. Um prato simples mas cheio de sabor!

terça-feira, 13 de março de 2018

Meia desfeita de bacalhau com pimento vermelho assado


Nos últimos dias tenho andado de um lado para o outro. No fim-de-semana, estive, no sábado, no Porto para dois deliciosos workshops e no Domingo, rumei até Alpiarça para um showcooking na Biblioteca Municipal com o tema Receitas Rápidas para Mulheres sem Tempo. A par das actividade de fim-de-semana, faço também parte dos elementos do júri do concurso gastronómico Sabores de Alvalade, promovido pela Junta de Freguesia de Alvalade, e no qual tenho que visitar vários restaurantes.

Por isso, o tempo para cozinhar e fazer refeições em casa, tem sido pouco. Um destes dias para um almoço rápido, resolvi fazer uma salada que resulta sempre bem, meia desfeita de bacalhau. Tão bom! Gostam?

segunda-feira, 12 de março de 2018

Workshop Doces e Folares de Páscoa, em Lisboa


Dia 25 de Março de 2018, das 10h30 às 13h30, irá ter lugar o workshop Doces e Folares de Páscoa na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa. Vai ser uma manhã muito doce e especial.

O objectivo deste workshop é ajudar todos aqueles que procuram sugestões de doces e folares para colocar na mesa de Páscoa, para partilhar com a família e os amigos. Iremos confeccionar:

- Folar Tradicional com ovo cozido;
- Folar de rosas com doce de gila e amêndoa;
- Pão recheado com doce de ovos, amêndoa e canela;
- Bolo ninho com cobertura de chocolate;
- Pão-de-ló tipo de Margaride;
- Folar de enchidos.

No final, juntamo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi confeccionado. Fazem-me companhia?

EUR 50 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

sexta-feira, 9 de março de 2018

Vamos fazer pão: Pão doce com laranja, alperces e cardamomo


Os dias de chuva convidam a ligar o forno e a fazer pão para toda a família. O pão é um alimento ancestral, que faz parte da nossa mesa. Eu adoro pão! Ao fazermos pão, em casa, temos a liberdade de fazermos pães com mistura de farinhas, com sementes, com frutos ou até fazermos um pão doce para servirmos num lanche, ou num pequeno-almoço de fim-de-semana, daqueles em que temos tempo de estar à mesa e conversar.

O pão que partilho, hoje, convosco é um pão perfumado e delicioso onde juntei laranja, alperces e cardamomo. Gostam da combinação? Vamos fazer pão?

quinta-feira, 8 de março de 2018

Copinhos de iogurte com muesli e sementes de chia


Gosto de ser mulher. De tomar decisões sobre a minha vida, sem constrangimentos ou imposições. Gosto de ser livre, de ir às compras quando bem entender, de conduzir, de votar, de ter tido a possibilidade de ir à escola. De poder escolher entre ter filhos ou não. De poder expressar as minhas opiniões, sem receio que isso coloque em risco a minha integridade física. Gosto de me sentir segura, de não ser vítima de nenhum tipo de violência. Gosto de ser mimada. Gosto de receber flores, chocolates, de ser convidada para jantar. Gosto de sorrir para quem me ajuda e acompanha.

Gosto de tomar as rédeas das minhas opções de forma consciente, livre e independente. É um privilégio poder fazê-lo. Sabemos que em muitas partes do mundo, ser mulher é muito mais complicado. Por isso, faz todo o sentido comemorar o Dia Internacional da Mulher, não por uma questão puramente feminista, mas por uma questão de direitos e valores válidos, que deveriam ser universais para todos os seres humanos, que devem ser relembrados e defendidos.

Enquanto mulher gosto de procurar, todos os dias, ser feliz. Gosto de cuidar de mim. Independentemente da nossa idade, acho que devemos olhar para o espelho e gostar do que vemos. Penso que devemos procurar fazer tudo aquilo que estiver ao nosso alcance para nos sentirmos melhores com o nosso corpo. Para isso é preciso comprometimento.

De há uns tempos para cá, decidi mudar a minha alimentação, mas sem exageros ou radicalismos. Quero ter um estilo de vida mais saudável, mais equilibrado. Para além, de ter mais cuidado com o que como, decidi também voltar ao ginásio. O exercício físico traz-nos mais energia, vitalidade. Faz bem ao corpo e à alma. Felizmente que vivemos num país em que as mulheres podem ser livres e decidir as coisas boas que querem na sua vida. Feliz Dia da Mulher a todas as mulheres que visitam e acompanham o Cinco Quartos de Laranja. Deixo-vos, hoje, uma receita a pensar nos pequenos-almoços. Há dias, em que nos podemos começar a mimar logo na primeira refeição do dia!

quarta-feira, 7 de março de 2018

Batata-doce recheada com grão-de-bico e espinafres


Cá em casa procuramos fazer uma alimentação variada. Costumo planear as refeições de acordo com as compras da semana, ou com algum ingrediente a que quero dar destino. Por exemplo, esta semana tenho couves, grelos e nabiças, que trouxe da horta em Santarém. As refeições são pensadas em função do que tenho fresco no frigorífico, na despensa e também no congelador, isto numa primeira fase para minimizar o desperdício. Quando se pensa as refeições da semana é importante termos noção do que temos em casa para não irmos acumulando comida. Eu pelo menos, gosto de ir dando destino ao que tenho para então depois voltar a comprar.

Um destes dias apercebi-me que tinha várias batatas-doces e assei um tabuleiro com elas. Nesse mesmo dia para o almoço resolvi recheá-las e assim fazer uma refeição sem carne e sem peixe, que confesso, muitas vezes também sabe bem. Adoro batata-doce e vocês?

terça-feira, 6 de março de 2018

Polvo confitado com batatas e couve salteada com linguiça


Os pratos de polvo são sempre muito apreciados, cá em casa. Adoramos arroz de polvo malandrinho. Este é daqueles pratos que tanto nos sabem bem no Verão como no Inverno. Na nossa lista de preferências, destacam-se também as saladas de polvo, o polvo à lagareiro, as pataniscas com arroz do mesmo - um prato maravilhoso! - ou uns filetes de polvo, em que os tentáculos são fritos depois de passados por uma polme e servidos com um arroz de feijão. Tão bom! Assim que me lembre, acho que gosto de todos os pratos de polvo!

Um dos últimos pratos que fiz cá em casa, para um almoço demorado ao fim-de-semana, foi polvo confitado. Escusado será dizer, que foi um prato que fez muitos sorrisos assim que chegou à mesa!

segunda-feira, 5 de março de 2018

Os workshops Vamos Fazer Pão? de Outubro, no Porto, foram assim


Fazer pão é verdadeiramente mágico. Juntamos farinha, água, sal e fermento. Amassamos. Deixamos a levedar. Enrolamos o nosso pão. E no final, em jeito de festa, reunimo-nos à volta da mesa para provar o pão, quente, acabado de sair do forno. Estes momentos são tão, mas tão bons!

Os workshops que dediquei ao pão, no Porto, em Outubro do ano passado, no WORK espaço criativo, começaram com uma breve explicação teórica sobre como podemos fazer pão cheio de sabor em casa. Falamos de farinhas, da quantidade de água a usar, do sal, dos tempos de fermentação. Falamos de pré-fermentos ou massas-mãe que ajudam a tornar o miolo do nosso pão mais consistente e delicioso. Testamos diferentes métodos de fazer pão e de como o podemos cozer em casa.


Nestes workshops procuro mostrar que fazer pão em casa pode ser tão simples. Basta termos paciência e darmos tempo às nossas massas. Um pão feito por nós tem um encanto especial!

Fazemos pão de trigo, pão de mistura com figos e nozes que fica uma verdadeira delícia! Experimentamos fazer diferentes tipos de pães, pães grandes cozidos num tacho ou pãezinhos para os lanches da família. Experimentamos fazer também um pão doce, perfeito para dias de festa ou para colocar na mesa de um pequeno-almoço especial.


Quando começamos a fazer pão apaixonamo-nos pelas massas. E ficamos a saber exactamente o que contém o nosso pão: apenas, farinha, sal, água e levedura. O pão feito por nós é sempre um pão cheio de sabor, que pode ser enriquecido com legumes, frutos secos, sementes entre muitas outras possibilidades. Vamos Fazer Pão?


Irei realizar novamente mais um workshop Vamos Fazer Pão? no Porto, no próximo dia 10 de Março de 2018. Quem me faz companhia?

Inscrições e mais informações:
work@sott.pt   WORK espaço criativo
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

sexta-feira, 2 de março de 2018

Vamos fazer pão: Pão de alfarroba com batata-doce e nozes


Uma das coisas que me fascina, quando faço pão, é poder misturar farinhas e juntar ingredientes diferentes e menos comuns. Gosto de usar, por exemplo, especiarias, frutos secos e legumes. Há uns tempos atrás, misturei farinhas, juntei-lhe batata-doce e nozes e o resultado foi um pão delicioso que finalmente, partilho, hoje, convosco.

Pão de alfarroba com batata-doce e nozes, gostam da combinação? Fica tão bom. Vamos fazer pão?

Relembro que dia 10 de Março, volto ao Porto para dois deliciosos workshops. De manhã, vamos preparar Doces e Folares de Páscoa e à tarde, voltamos a meter as mãos na massa e Vamos Fazer Pão?

quinta-feira, 1 de março de 2018

Medalhões de pescada com legumes no forno


Há ingredientes que são uma ajuda preciosa quando pensamos em preparar as refeições da semana para a família. Um desses ingredientes, para mim, são os medalhões de pescada. São tão práticos e versáteis, e sempre que chegam à mesa fazem sucesso.

Um dos pratos que preparei recentemente, cá em casa, com medalhões de pescada a pensar na rubrica da Pescanova foi a receita que partilho, hoje, convosco, medalhões de pescada com legumes no forno. Um prato reconfortante para estes dias de Inverno.