quarta-feira, 12 de junho de 2019

Amêijoas à Bulhão Pato


Os dias de sol com céu azul e calor fazem lembrar a chegada do Verão. Esta é uma das minhas épocas preferidas do ano. Gosto da energia que os dias cheios de luz nos trazem, por isso, já começo a querer que o Verão chegue!

Verão é tempo de leituras mais leves, a combinar com o espírito que estação nos traz. É tempo de passear, de andar com chinelos e calções. É tempo de comer gelados e petiscos. Um dos petiscos que fazemos muito em família, nas férias de Verão, é amêijoas à Bulhão Pato.

sexta-feira, 7 de junho de 2019

O workshop Receitas Práticas com Coelho, foi assim


No passado dia 25 de Maio, teve lugar, cá em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy, o workshop Receitas Práticas com Coelho que decorreu no âmbito da campanha europeia de incentivo ao consumo de carne de coelho. O objectivo deste workshop foi sensibilizar os participantes para o consumo desta deliciosa carne no dia-a-dia.

Classificada como carne branca, a carne de coelho é muito versátil e para quem procura fazer uma alimentação saudável, este é um ingrediente a colocar na lista de compras. O coelho faz parte da tradição culinária portuguesa, e podemos consumir coelho de mil e uma maneiras. Encontramos várias receitas de coelho de norte a sul do país.


Perguntei ao chef Hélio Loureiro, que tanto tem promovido o consumo de carne de coelho, porque devemos comer coelho e se, na sua opinião, é uma carne fácil e versátil de cozinhar. Ao que me respondeu:

« Devemos consumir carne de coelho primeiro por ser uma carne que faz parte da nossa tradição culinária, Hispânia (correspondendo à Península Ibérica) quer dizer a terras dos coelhos por isso sempre fez parte da nossa culinária, no códice da Infanta Dona Maria do século XV existem referências e receitas de carne de coelho seguindo-se em todas as publicações culinárias como Domingos Rodrigues, Lucas Rigaut e por aí fora. Sempre fez parte do receituário regional e podemos mesmo dizer que era das carnes mais apreciadas no interior do país onde se reproduzia com facilidade.

A carne de coelho também é uma carne amiga do ambiente pois está próxima da nós, não tem que fazer longas viagens. Para produzir um quilo de carne de coelho são precisos uma quantidade muito reduzida de água e a sua confecção também, devido à maciez da carne, é rápida, por isso ecológica. Considerando que um coelho bebe o dobro do que come e que o índice global de conversão de uma exploração é, em média, 3,30, podemos dizer que produzir 1 kg de carne de coelho (carcaça), são precisos 11,5 litros de água. Naturalmente não está considerada a água para processos industriais nem para o cultivo dos cereais necessários à sua alimentação. Apenas a água para abeberamento animal.

Nutricionalmente por ser uma carne branca e com muito pouca gordura é saudável e deve fazer parte da nossa alimentação semanal. Culinariamente falando é de uma grande versatilidade permitido desde um escabeche fabuloso, empadas, bôlas, assados, estufados, grelhados, em espetadas, frito ... hoje em dia, temos no mercado coelho já cortado em partes facilitando imenso a sua confecção, temos os lombinhos limpos de gordura, e isso é excelente para saltear e grelhar , as coxas para assar com crosta de mostarda e as pernas para fazer em tempura ... por último, e o melhor de tudo, é uma carne muito saborosa.
»

As necessidades dos consumidores mudaram e o coelho, que era até há pouco tempo, vendido apenas em carcaça, aparece, hoje, nos pontos de venda com outros cortes. Encontramos à venda, coelho já partido em pedaços. Encontram também embalagens só com pernas, que é sempre uma parte muito apetecível, em lombos, como o chef Hélio também referiu, e carne de coelho picada, em hambúrguer. Comer carne de coelho, hoje em dia, tornou-se mais fácil!


No workshop Receitas Práticas com Coelho preparámos seis receitas com carne de coelho, que se revelaram deliciosas e muito fáceis de replicar no dia-a-dia. Confeccionámos Coelho à Brás com alho-francês, que foi um verdadeiro sucesso, uma salada de cuscuz com carne de coelho e frutos secos, que surpreendeu pela mistura dos ingredientes. O cuscuz era com especiarias e isso deu um toque especial, exótico, à salada. Gratinado de coelho com espinafres, que toda a gente adorou. Nestas receitas usámos carne de coelho cozida. A ideia é que se cozemos tantas vezes outras carnes, por que não cozer coelho e depois usá-lo desfiado. Podemos até cozê-lo com antecedência e depois ir consumindo, ou até congelar.

Neste workshop usámos, também, carne de coelho picada e preparámos uns tentadores hambúrgueres que servimos com maionese de abacate. Ao verem a carne de coelho picada, a observação de muitos participantes foi: - Realmente não tem gordura nenhuma!

Preparámos também coelho estufado com feijão branco, uma receita tradicional que faz sempre sucesso, e coelho confitado com mostarda Dijon e ervas frescas, que surpreendeu. Fica tão bom! O confitado foi servido com puré de grão-de-bico.

No final, juntámos-nos todos à volta da mesa e degustámos o que foi confeccionado, entre muitas conversas e boa disposição. Comer carne de coelho é bom.

Agradeço à campanha europeia de incentivo ao consumo de carne de coelho por apostarem no trabalho de divulgação do Cinco Quartos de Laranja. Obrigada, também, a todos os que participaram e que fizeram deste workshop uma experiência cheia de sabor.

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Creme de couve-flor com feijão branco


Como sabem, procuro comer e variar os legumes às refeições. Procuro incluir vegetais em quase todas as minhas refeições, até nos pequenos-almoços. E por que motivo devemos comer o maior número possível de vegetais diferentes?

Michael Pollan, no livro Em Defesa da Comida, refere que devemos comer sobretudo vegetais, especialmente folhas. E devemos variar, por que todos contêm antioxidantes diferentes e ajudam o organismo a eliminar diferentes tipos de toxinas.

Eliana Liotta, refere em A Revolução Smart Food, que « (...) metade do almoço e do jantar devem ser constituídos por produtos hortícolas (...). Ricos em água e fibra, os vegetais saciam, travam a absorção de açúcares e de gorduras e têm um valor calórico baixo, sem falar das substâncias benéficas que contêm, desde os fitocompostos às vitaminas. (...) O ideal será variar o mais possível, de forma a assegurar a ingestão de todo o tipo de nutrientes. É necessário comportar-se como uma grande horta e ir colhendo um pouco daquilo que produz. Poderá ser prático recorrer a uma estratégia que ponha em evidência as cores: o branco da couve-flor, o vermelho dos tomates, o verde das curgetes, o amarelo e laranja das nêsperas e das cenouras, o azul e o roxo dos figos e beringelas. »

Podemos misturar as cores dos legumes, em muitos pratos, mas principalmente nas saladas e nas sopas. Deixo-vos, hoje, uma sopa branca. A sopa é uma excelente maneira de ingerirmos mais legumes, mas também é importante irmos variando as sopas que comemos!

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Goraz no forno com legumes


O goraz é um peixe muito apreciado, cá por casa. Tenho a sorte de ter um pai que, de vez em quando, vai pescar com os amigos, e que me faz chegar um ou, outro mimo.

Para um almoço de domingo, um destes dias, decidi fazer goraz assado no forno. É um prato que adoramos e que se prepara num instante. Pode ser feito com outro peixe que gostem. Os assados no forno, nestes dias de Primavera, que se revelam mais frescos, sabem tão bem!

terça-feira, 4 de junho de 2019

Cestinhos de fiambre com ovo no forno


Adoro variar o que como ao pequeno-almoço. A primeira refeição do dia dá-nos energia, e a maneira como começamos pode ser um factor determinante para o modo como iremos enfrentar todos os desafios com que nos iremos cruzar.

Gosto de começar o dia com pratos coloridos, nutritivos e saciantes. Por norma, não saio de casa sem tomar o pequeno-almoço. É um hábito que adquiri e do qual não abdico. Mesmo nos dias em que não tenho tempo, arranjo sempre maneira de conseguir comer. Nem que leve um iogurte, umas bolachas ou um pão com queijo e uma peça de fruta. Não saltem o pequeno-almoço!

O pequeno-almoço pode ser preparado de véspera. Há receitas tão fáceis de fazer. Quem tem acompanhado os pequenos-almoços que vou partilhando no Instagram do Cinco Quartos de Laranja já deve ter conseguido variar o que come na primeira refeição do dia. Deixo-vos, hoje, mais uma sugestão para começarem o dia com muita energia!

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Coelho estufado com vinho tinto


Junho chegou com dias de sol e muito calor. Cá por casa, já se começa a pensar nas férias e nas idas à praia. Mas antes, ainda há coisas por fazer. Relembro que vou estar nos dias 10 e 13 deste mês, na Feira do Livro de Lisboa com o meu querido amigo Virgílio Nogueiro Gomes, às 17h para sessões de autógrafos. Marquem na agenda e passem por lá, para falarmos de livros, leituras, de comida boa e de outras coisas boas da vida. Com companhia, tudo é mais fácil.

Os dias de calor convidam a juntar mais vezes a aqueles de quem gostamos à volta da mesa. Deixo-vos, hoje, uma deliciosa receita de coelho estufado com vinho tinto para partilharem com a família num almoço de domingo.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Ceviche de salmão com abacate e laranja


O calor chegou! E com ele, vem também a vontade de mudarmos as nossas rotinas. Roupas mais leves, passamos a tomar o café na esplanada, compramos o protector solar, a pensar nas idas à praia, e na hora de fazermos as refeições, a escolha passa por opções mais leves e frescas.

Gosto de acompanhar o ritmo das estações. E apesar de adorar pratos de forno, assim que o calor chega, a minha cozinha muda. Por isso, quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com os seus medalhões de salmão, pensei logo num prato fresco e que se faz num instante. Espero que gostem! Cá por casa, está aberta a época das comidas frescas.