sexta-feira, 16 de abril de 2021

10 dicas para escolher e comprar peixe fresco

Quando se fala em comprar peixe fresco, muitas pessoas ficam receosas. Como saber se o peixe é mesmo fresco? E como se amanha? Perante tanta variedade, com formas e tamanhos diferentes, que espécies de peixe escolher?

Na verdade, são precisos, apenas, alguns conhecimentos e confiança para trazermos peixe, sem ser congelado, para casa. Quando comecei a comprar peixe fresco no mercado, para os almoços de domingo, no tempo em que tinha um quintal, lembro-me de ter pedido ajuda aos meus pais.

Para comprar peixe fresco, deixo-vos 10 dicas:
  1. Escolham uma peixaria, mercado ou supermercado. Caso não conheçam ou não queiram procurar, peçam referências aos amigos ou à família. Passem a fazer as compras regularmente nesse estabelecimento. Um espaço de confiança, faz a diferença.

  2. No momento da compra, peçam conselhos. Não tenham receio de perguntar. Com o tempo, serão os próprios vendedores também a aconselhar-vos. Por vezes, até partilham receitas sobre como devemos cozinhar determinado peixe.

  3. Trazer o peixe amanhado para casa é, sempre, muito prático e poupa-nos trabalho. Peçam para vos arranjarem o peixe. Também lhes podem pedir para o cortarem de acordo com as vossas preferências. Se é para cozer, para assar ou para fritar. Se querem em postas, mais ou menos, grossas, ou, em filetes. O corte deve ser adequado à preparação que irão fazer.

    Por exemplo, costumo comprar o salmão inteiro na peixaria e peço para o filetarem. Em casa, corto os filetes em tranches e congelo de acordo com o destino que lhes pretendo dar. A cabeça e a espinha cozo, retiro-lhe a carne e faço salmão à Brás ou, uso para juntar a legumes salteados ou, a uma tarte. Nada se desperdiça!

  4. Quando forem às compras, não se esqueçam de levar um saco térmico para colocarem o peixe e, assim minimizar as variações de temperatura. Quando chegarem a casa, devem acondicionar o peixe no frigorífico ou, no congelador. O peixe fresco, deve ser consumido, de preferência num intervalo de 24 horas.

  5. Caso, guardem o peixe no frigorífico, podem embrulhá-lo num pano húmido e colocar cubos de gelo, para que ajude a prolongar a frescura. Ao congelar, dividam o peixe em porções e, não se esqueçam, de etiquetar os sacos.

  6. Ao escolherem o peixe, tenham atenção à frescura. O peixe deve cheirar a maresia. Há quem diga que o cheiro do peixe fresco faz lembrar o cheiro do pepino.

  7. O peixe fresco deve ter um aspecto firme e resistente. Caso pareça estar mole e flácido, poderá já não estar muito fresco.

  8. A pele e as escamas do peixe devem estar brilhantes, sem cortes. As barbatanas devem apresentar-se direitas e inteiras.

  9. Os olhos devem ser brilhantes, vivos e, nunca ensaguentados ou opacos.

  10. As guelras devem ser de um vermelho vivo, que indica frescura e, não uma cor desmaiada.

Espero que estas dicas vos ajudem na próxima ida às compras!

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Ovos estrelados em cama crocante de queijo parmesão

É curioso como, assim do nada, nos lembramos de poemas ou de passagens de alguns livros. Antes de começar a escrever o apontamento de hoje, fui reler o poema É urgente o Amor de Eugénio de Andradre. A poesia tem a magia de nos encantar, de nos fazer pensar e até de acalmar ou despertar o coração. O poeta diz-nos que:

« (...)
É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
(...) »


Mais do que importante, é urgente, começarmos os dias com alegria, cuidarmos de nós, telefonarmos e falarmos com aqueles de quem gostamos, mesmo que ainda não possamos correr para nos abraçarmos e beijarmos. Mesmo que ainda não possamos estar todos juntos.

É urgente acreditar na esperança de dias melhores. Enquanto o mundo, começa a voltar a si, aos poucos e poucos, por aqui vamos vendo séries, ouvindo músicas, lendo livros com mensagens positivas, fazendo caminhadas e, sobretudo, procurando fazer uma alimentação equilibrada, com comida colorida e feliz. A comida tem o poder de nos alegrar!

E para nos mantermos felizes, nada melhor do que começar o dia com um pequeno-almoço cheio de cor a fazer lembrar os dias bonitos de Primavera.

terça-feira, 13 de abril de 2021

Húmus

A revista Continente Magazine de Abril 2021 já chegou cá a casa. Sabem que é uma das revistas que adoro e com a qual aprendo sempre muito, seja pelas receitas, pelas dicas ou pelos artigos de sustentabilidade ou de organização? Esta é daquelas revistas que vale a pena comprar!

Nesta edição, há um especial sobre o Médio Oriente e, uma das receitas que me chamou logo a atenção, foi a do húmus. Adoro húmus!. É um dos ingredientes que uso em saladas, como acompanhamento e, até, em tostas do pequeno-almoço. Resolvi experimentar a receita e adorámos, cá em casa. Fica uma pasta leve, arejada e muito saborosa! Aconselho-vos a experimentar!

segunda-feira, 12 de abril de 2021

Menu semanal #56

Organizar as refeições da semana ajuda-nos a ter uma alimentação mais equilibrada e a poupar tempo na cozinha. Liberta-nos da preocupação de ter que pensar, todos os dias, sobre o que fazer para comer às refeições! Para vos ajudar a organizar o menu semanal, deixo-vos várias sugestões. Espero que gostem!


Ver também menu semanal #55.

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Papas de aveia com framboesas

A Primavera pede comida colorida e feliz. Esta é uma das minhas épocas do ano preferidas. Dias com temperatura amena, Sol e céu azul, transmitem-nos uma energia tão boa.

Na Primavera costumos fazer algumas limpezas na casa. Destralhar, principalmente. Costumo começar pelo closet e fazer uma escolha das roupas que já não uso. Houve uma altura em que guardava roupas à espera de as vir a usar. Mas com o passar dos anos tenho percebido, que isso, raramente, acontece. Ou porque passou de moda ou, porque o corte já não é tão "moderno" ou, porque continua a não servir! Quando tenho peças que não uso há mais de três anos, penso que dificilmente as irei usar e por isso assiná-lo-as, para virem a ter um destino útil, a doação.

Depois do closet passo para a despensa. É fundamental fazermos de tempos a tempos uma limpeza à despensa, para vermos o que temos, darmos destino a alguma coisa que esteja em fim-de-validade ou até para perceber quais os produtos que temos em quantidade ou em falta.

Este ano, decidi que nas limpezas de Primavera, vou destralhar as gavetas da cozinha. Guardo sempre muitos utensílios, alguns até tenho repetidos e depois acabo sempre por usar os mesmos! Também vos acontece o mesmo?

Para quem tem apego às coisas, como eu, destralhar não é uma tarefa fácil. Mas aos poucos, vou conseguindo e no final, ao ver tudo mais arrumado e com espaço, até me sinto muito melhor!

Para quem procura inspiração para destralhar a casa, nesta altura do ano, deixo-vos uma sugestão de leitura, Destralhe a Sua Casa, um guia prático de Paula Margarido. Tem sido muito útil para mim.

Entre as arrumações de Primavera, os dias, cá em casa, começam com pequenos-almoços cheios de cor. De há uns anos para cá, que adoro papas de aveia. A rubrica Em Directo da Minha Cozinha que faço às Domingos às 10h da manhã, no Instagram, começou com papas de aveia. Viram?

E para começarem o dia com energia, deixo-vos, hoje, a receita de umas deliciosas papas de aveia com framboesas. Resulta tão bem!

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Tábua mista para a mesa de Páscoa

Uma das coisas, que o confinamento nos trouxe, foi a vontade de petiscar em casa, como se fosse num restaurante ou numa esplanada, num dia de Sol, com os amigos.

Para isso, comecei a preparar, com mais frequência, tábuas mistas que serviram, muitas das vezes, como entrada de algumas das refeições de fim-de-semana ou foram, até, a refeição em si. Pesticar, sabe sempre tão bem! Podem ver aqui e aqui, algumas dicas para quem quer começar a fazer tábuas de coisas boas, em casa.

Para uma das refeições de Páscoa, preparei como entrada, uma colorida tábua. Foi um sucesso!

E vocês, também costumam fazer tábuas? Para servir como entrada ou como refeição de petiscos?

terça-feira, 6 de abril de 2021

Perna de borrego assada no forno com alho e alecrim

Desde que me lembro que o almoço de Domingo de Páscoa, em casa dos meus pais, era cabrito ou borrego assado no forno. O entusiasmo com que vivíamos esta época deixou-me tão boas lembranças. Falávamos, tantas vezes, sobre o que iríamos comer. E para acompanhar? - perguntava-nos a minha mãe - batatas? Ou um arroz de miúdos? Sempre gostou de nos envolver nas escolhas da comida que fazia.

Outra das tradições, são as amêndoas. Sempre se compraram amêndoas para oferecer a toda a família. É um pacote para a tia, para o primo, para os avós, para os netos, para as namoradas dos netos, para a vizinha - dizia-me ela, tantas vezes, para ver se não se tinha esquecido de ninguém. Uns dias antes da Páscoa, quando falei com ela, por telefone, relembrou-me a quem este ano vamos oferecer amêndoas. Cabe-me, agora, a mim, ajudá-la nesta tarefa, que sei que a faz feliz. Páscoa é quando abrimos os nossos corações e partilhamos amor com aqueles que nos rodeiam.

A partir do início deste ano, os nossos almoços em família, voltaram a mudar. A vida segue o seu ritmo e, nós, temos que nos ajustar e reinventar. Daqueles que partem, ficam as memórias e a esperança que a dor se vá suavizando com o passar do tempo.

Mas nos momentos alusivos, podemos sempre sentarmo-nos, à mesa, e relembrar aqueles que nos ajudaram, de alguma maneira, a ser quem somos. Um brinde para ti, Pai! Este ano, voltámos a ter um assado de borrego no forno, com pouco molho, como tanto gostavas.