Próximos Eventos
Lisboa 23 de Novembro de 2019
Sábado:
10h00 - 13h30      Workshop Salgadinhos para Dias de Festa
 
 
15h00 - 19h00      Workshop Vamos Fazer Pão?
Inscrições/Vouchers: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Salmão com amêijoas à Bulhão Pato


Mais uma semana que começa. Mais sete dias para novos desafios e oportunidades. Confesso que gosto dos começos ou recomeços. Sinto sempre que podemos fazer diferente. Podemos mudar. Podemos apostar em novas coisas.

Recomeçar, mesmo sabendo que podemos ter dias em que nos tiram o chão, ou que os apertos de coração falam mais alto. Recomeçar implica tantas vezes mudar. Um dos melhores exemplos para mim, é os das lagartas, que depois de um processo de mudança se transformam em lindas e graciosas borboletas. Por isso, vamos inspirar fundo e pensar que os inícios de semana são só mais uma forma de recomeçar como tantos que vamos tendo ao longo da nossa vida. Começar a semana de forma positiva, ajuda-nos a sermos mais felizes.

E a comida é também uma forma de felicidade. Por isso, deixo-vos um prato que assim que chega à mesa faz muitos sorrisos, salmão com amêijoas à Bulhão Pato.

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Sandes de barrinhas de pescada panada com abacate e palitos de batata-doce


Com as vidas atarefadas que temos, nem sempre conseguimos preparar antecipadamente todas as refeições. Para esses dias, gosto de ter no frigorífico e no congelador, ingredientes que me ajudem a confeccionar receitas que a família goste e que se façam num abrir e fechar de olhos.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com as suas barrinhas de pescada panada, pensei, logo, em algo muito prático. As barrinhas de pescada fazem sempre sucesso, junto dos mais pequenos, mas a verdade, é que os graúdos também gostam! Por isso, decidi fazer uma receita rápida que pode ser partilhada com toda a família. Ambos, miúdos e graúdos gostaram muito.

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Coelho estufado com cerveja


Tento variar o que se vai comendo, cá por casa. Nas idas às compras, procuro todas as semanas trazer legumes e frutas diferentes. Tento aproveitar os produtos da estação. Para além de serem normalmente mais baratos, dada a abundância, são também mais saborosos.

Tento intercalar refeições de carne e de peixe, por vezes também, recorro a pratos vegetarianos, uma a duas vezes por semana. Variar os peixes e o tipo de carne que vamos consumindo é, também, uma das nossas normas, cá em casa.

Uma das carnes que passei a consumir, para ir variando do frango e do peru, é a carne de coelho. Uma carne magra, que se presta a mil e uma receitas. Um destes dias, para uma das minhas pré-preparações, estufei-a com cerveja. Ficou tão bom!

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Sopa de tomate com pimento vermelho e leite de coco


Há ingredientes que associo sempre ao Verão, como o tomate e os pimentos. Durante muito tempo, usei os pimentos basicamente nas saladas, previamente assados, e nos guisados ou estufados. Só há bem pouco tempo, é que comecei a utilizar pimento cru nas saladas ou para acompanhar pastas como o hummus. Talvez porque durante anos o pimento que tínhamos, em casa, era maioritariamente o verde, vindo da horta.

Hoje em dia, encontramos pimentos à venda muito facilmente e para além dos mais comuns, o verde e o vermelho - penso que se encontram em todos os mercados de Norte a Sul do país, temos também o amarelo, o laranja e o roxo. Este último, talvez seja o menos comum por cá.

Na tentativa de usar os pimentos de outras formas, para aproveitar a abundância deste legume e do tomate que trouxe da horta de Santarém, resolvi fazer uma sopa. E a verdade é que adorámos!

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Como conservar os ovos?


Como conservar os ovos?
Esta é uma questão que me tem suscitado dúvidas. Em casa da minha mãe nunca se guardam os ovos no frigorífico. São colocados numa casa fresca, seca, e até com pouca luz. Por curiosidade, diga-se, que são os ovos que as galinhas que temos no quintal, vão pondo. Para terem uma noção da quantidade que se produz, há alturas em que queremos fazer um bolo, temos que os irmos guardando.

Desde que há uns anos me mudei para a casa onde hoje vivo, que verifico que a cozinha é muito quente. Por isso, passei a guardar os ovos no frigorífico. Sei que este é um produto sensível às variações de temperatura e decidi que ali estariam em melhores condições.

Há uns tempos atrás lancei esta questão num apontamento no Instagram do Cinco Quartos de Laranja e verifiquei que as respostas foram variadas, e que eu própria fiquei na dúvida, perante alguns dos argumentos apresentados.

O ovo é um ingrediente muito versátil. É usado tanto em pratos salgados como em doces, sendo por isso, um ingrediente indispensável nas nossas cozinhas.

O ovo é bastante nutritivo, e tanto a cor da gema como da casca não interfere nas suas qualidades. A cor da casca varia de acordo com a raça da galinha e a cor da gema está relacionada com o tipo de alimentação que é dada aos animais. Normalmente, galinhas criadas com milho ou com rações a que se adicionam corantes, a gema é mais amarela.

Como podemos avaliar a frescura do ovo?
De uma maneira geral, toda a gente já ouviu falar do teste do copo com água. O ovo está fresco se ao ser colocado num copo com água, este fica no fundo. Se boiar, é sinal que o devemos descartar. Os ovos velhos flutuam porque ganham volume, devido ao aumento do espaço da câmara-de-ar, entre a membrana interna e externa.

Este é um teste que podemos fazer em casa, agora quando estamos no supermercado que cuidados devemos ter?

Abrir a caixa dos ovos e verificar o seu estado, para evitarmos surpresas quando depois chegarmos a casa. A casca deve estar intacta, sem fissuras. A casca de um ovo novo é áspera e opaca.

Um hábito a adquirir: - partam os ovos primeiro para um recipiente, antes de os usarem. Assim, em caso de dúvida, podem decidir o que fazer.

Ao abrir um ovo conseguimos também perceber a sua frescura. Quanto mais fresco for, mais saliente é a gema e mais consistente é clara. Costumo dizer nos meus workshops que o segredo para um ovo escalfado perfeito é a sua frescura.

Conservar os ovos no frigorífico ou à temperatura ambiente? Como devemos proceder?
Ao comprarmos ovos a indicação da embalagem é que o consumidor os deve conservar no frigorífico? Como assim, se os compramos à temperatura ambiente? Parece incoerente.

Segundo o regulamento europeu que estabelece as regras de comercialização dos ovos, é referido no artigo 7, o seguinte: « Os ovos refrigerados deixados à temperatura ambiente podem cobrir-se de água condensada, favorecendo a proliferação de bactérias na casca e a sua provável penetração no ovo. Os ovos devem, por conseguinte, ser armazenados e transportados a temperatura constante e não devem, regra geral, ser refrigerados antes da venda ao consumidor final. ». De seguida, artigo 12 Marcação das embalagens, alínea F, é « (...) recomendando aos consumidores que, após a compra, conservem os ovos refrigerados ». E é esta indicação que encontramos nas caixas de ovos que trazemos das compras.

Apesar de não ser uma imposição, é uma recomendação a ter em conta, em termos de segurança alimentar, dado que em nossas casas o ambiente não é controlado e por isso, ocorrem mais variações de temperatura.

Ao conservarmos os ovos no frigorífico devemos tirá-los da caixa original e colocá-los, numa caixa própria, com a ponta mais fina virada para baixo. Colocá-los numa das prateleiras e não na porta do frigorífico. Ao utilizar, devemos retirar apenas os ovos de que necessitamos e respeitar a data de validade. As embalagens indicam uma data de durabilidade mínima, que não pode exceder os 28 dias depois de os ovos serem postos.

Os ovos só devem ser lavados na altura de os usarmos. A casca é purosa e ao lavarmos, destruímos a cutícula que protege da entrada de bactérias. Para que os ovos ao cozer não rachem, aconselha-se que estejam à temperatura ambiente, e que se junte vinagre à água antes de esta ferver.


Nos ovos para além da validade encontram-se outras informações. Podem ver na imagem o seguinte código 2PT3 - 140. O que significa? Este código funciona como o seu "cartão de cidadão".

O primeiro dígito inscrito revela o modo de criação das galinhas. Depois, temos duas letras que identificam o país de origem (neste caso PT = Portugal). Os últimos dígitos identificam o produtor ou a exploração.

Como identificar o sistema de criação das galinhas?
Quando o primeiro dígito for:

0 - Significa que os ovos são de produção biológica;
1 - Galinha criada ao ar livre;
2 – Ovo de galinha criada no solo;
3 - Ovos de galinhas criadas em gaiolas, que são os mais comuns.

Ao lerem o código, sabem exactamente o que estão a comprar.

Como são classificados os ovos?
Os ovos que encontramos à venda são da categoria A e são classificados em função do peso. Um ovo S, (small, pequeno) pesa menos de 53 g. Um ovo M (medium, médio) pesa entre 53 a 63 g. Um ovo L (large, grande) pesa entre 63 a 73 g. Os ovos XL (extra large, gigante) têm 73 g ou mais.

Há receitas em que o tamanho do ovo faz muita diferença!

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Pataniscas de legumes com caril


Dissemos, hoje, adeus ao Verão. As despedidas custam sempre. Fecha-se um ciclo. Termina a época das idas à praia, dos gelados, das bolas de Berlim, das conversas infindáveis com amigos nas noites quentes. Começamos a guardar os chinelos, os chapéus de sol e os vestidos frescos. Há despedidas que, esperamos nós, são apenas um até já. Neste caso, dizemos todos, querido Verão, até para o ano!

O Outono, traz-nos o sabor da mudança. Depois dos dias de calor, chega o tempo mais fresco. As primeiras chuvas. As folhas das árvores ganham novos tons. Começamos a procurar o agasalho de um casaco quentinho, de uns sapatos fechados. Abrimos as gavetas para sabermos onde estão os gorros e os cachecóis. Gosto da dinâmica do tempo e das estações. Cada época tem o seu encanto e cabe-nos a nós aproveitá-las da melhor forma possível, sem agruras.

E com o Outono chega também a necessidade das comidas de conforto. Deixamos as saladas e as sopas frias. Esta altura do ano é também de regressos. À escola, ao trabalho. Retomamos as rotinas. Procuramos comida que nos acompanhe nesta mudança de ciclo.

Quando a Fula me desafiou a criar uma receita com o seu óleo alimentar, decidi fazer uma receita que se encaixa neste tempo de mudança. Pataniscas de legumes. É uma receita que pode servir para uma refeição ou para um lanche nestes dias de Outono.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Salmão com massa e espinafres


Depois de um dia de trabalho, chegar a casa e preparar uma refeição saborosa e rápida para a família, é muitas das vezes, a nossa preocupação.

Por isso, quando a Parmalat me desafiou a desenvolver uma receita com a sua Nata com Tomate, pensei logo em preparar um prato que não nos roubasse muito tempo na cozinha. Para além disso, escolhi, ingredientes que muitas vezes temos em casa ou que são de fácil acesso numa ida ao supermercado. Espero que gostem deste apetitoso salmão com massa e espinafres que partilho, hoje, convosco.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Frigorífico, o grande aliado das meal prep


Meal prep são uma forma de prepararmos antecipadamente as refeições da semana. Antes de irmos para a cozinha devemos saber quantas refeições iremos precisar de preparar e para quantas pessoas. De seguida, faz-se um inventário do que se tem no frigorífico, na despensa e congelador. Não precisamos de comprar, aquilo que já temos em casa, desde que seja suficiente para as necessidades que identificámos quando definimos o plano de refeições a preparar.

As pré-preparações são uma forma de pouparmos tempo na cozinha e de simplificarmos as nossas refeições. Existem várias maneiras de o fazer. Podemos escolher um dia e cozinhar durante 2 ou 3 horas, o que vamos comer durante a semana. Ou podemos ir cozinhando. O meu conselho é que façam por ingredientes, e que depois os conjuguem no momento de colocar as refeições na mesa. Dá-nos mais liberdade. Podemos utilizar o que cozinhámos em mais do que uma refeição.

Por exemplo, nas minhas pré-preparações semanais há quase sempre uma base de sopa e ovos cozidos. Os ovos posso usá-los nos pequenos-almoços, numa sandes para os lanches ou até servir, numa das refeições da semana, com a sopa. Costumo também estufar ou assar carne. Por exemplo, quando faço frango assado inteiro. Numa refeição sirvo-o com um acompanhamento, feito no momento ou das pré-preparações. Na outra, desfio-o e junto-o a uma salada ou a uma frittata. E, provavelmente, ainda consigo no dia seguinte levar uma sandes para o trabalho ou fazer uma quiche. As pré-preparações ajudam-nos a rentabilizar a nossa comida e permitem-nos perceber compramos mais do que aquilo que efectivamente consumimos.


Quando cozinhamos previamente as nossas refeições temos como grandes aliados o frigorífico e o congelador. É importante termos um frigorífico de confiança que consiga conservar a nossa comida de forma eficaz. Por isso, aceitei o desafio da Samsung Portugal para participar no projecto Samsung Meal Prep.

Este projecto consistiu na realização de quatro pequenos filmes. Assim que chegamos das compras é importante cuidarmos dos nossos alimentos, principalmente dos frescos. E este é o tema que abordamos no primeiro episódio, para além de apresentar algumas dicas sobre como podem conservar alguns ingredientes de forma a prolongar a sua frescura.



Pequenos-almoços foi o tema escolhido para o segundo vídeo. Esta, é para mim, uma das mais importantes refeições do dia e procurei apresentar sugestões de pequenos-almoços diferentes e muito apetecíveis para esta altura do ano. Sabe tão bem começar o dia com uma refeição que nos deixe com energia. Se incluirmos esta refeição nas nossas pré-preparações, torna-se ainda mais fácil fazer a primeira refeição do dia em casa.



As sopas fazem parte da parte das minhas pré-preparações. São uma excelente maneira de iniciarmos as refeições e de incluirmos mais legumes na nossa alimentação. No terceiro episódio, mostro como podemos variar as sopas da semana usando sempre a mesma base e mudando os toppings combinando os ingrediente que preparámos previamente.



Quando chegamos a casa tarde depois de um dia de trabalho e sem disposição para ir para a cozinha, ter comida feita, é uma ajuda preciosa. Como confeccionar um jantar rapidamente, é o tema do último filme do projecto. Mostro como conseguimos colocar uma refeição na mesa em cerca de 10 a 15 minutos, recorrendo às nossas pré-preparações.



Ao prepararmos comida em quantidade para a semana é importante sabermos que tipo de frigorífico temos e quais as suas características. O Side By Side da Samsung, para além de ser muito elegante, tem uma grande capacidade de armazenamento, possui um sistema de refrigeração independente e permite uma fácil organização. Por isso, aceitei o desafio da Samsung Portugal para participar no projecto Samsung Meal Prep com o frigorifico Side by Side.

Ao longo de dez semanas fui partilhando no Instagram do Cinco Quartos de Laranja as minhas pré-preparações da semana. Entre as várias ideias e sugestões que partilhei contam-se sopas, pão, gelatina, húmus, legumes assados, quinoa cozida, massa, carne assada, estufados, caris, entre muitas outras coisas que vos podem inspirar a fazer o mesmo.

Meal prep é um método que nos ajuda a simplificar as refeições e que nos permite rentabilizar o nosso tempo. Exige organização e a criação de algumas dinâmicas como planear as compras, cozinhar e conservar a comida preparada. E se tivermos um frigorífico que nos dê confiança, como o Side by Side da Samsung, perfeito! O frigorífico é o nosso grande aliado!

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Como fazer pudim de chia?


Desde que comecei a partilhar os meus pequenos-almoços no Instagram do Cinco Quartos de Laranja, que me perguntam como faço o pudim de chia.

O pudim de chia é uma mistura de sementes de chia com um líquido, normalmente leite. As sementes de chia têm a capacidade de se expandir. Depois de misturados, as sementes, em contacto com o líquido, formam uma espécie de gel.

Gosto de usar o pudim de chia nos meus pequenos-almoços. Sirvo-o muitas vezes com iogurte, fruta fresca, coco ralado, e manteiga de amendoim. Confesso, que a primeira vez que comi não me seduziu. Mas depois, aprendi a gostar e hoje, quando faço, faço em quantidade para ir comendo ao longo da semana. O pudim de chia aguenta-se no frigorífico cerca de 4 a 5 dias. Pode também ser congelado.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Tomate recheado com salmão, quinoa e bulgur


Verão é tempo de tomate. Diz-se que nesta altura do ano não há más cozinheiras.

Adoro tomate! E procuro usá-lo de maneiras diversas, seja em saladas, como acompanhamento, ou como base de muitos pratos. De há uns anos para cá, que tento aproveitar a abundância do tomate da horta que temos em Santarém, para fazer molho de tomate. A par do doce de tomate, o molho, passou a fazer parte da tradições, cá em casa. Passei a fazer todos os anos. Congelo e depois vou usando.

O tomate é um ingrediente muito versátil e podemos usá-lo de maneiras diversas. Um destes dias, decidi fazer um prato que gostamos muito, tomate recheado.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Queques de atum


Setembro é um mês de retornos e recomeços. As aulas já começaram e hoje, há quem, também, recomece o trabalho depois de uns dias de férias. A vida é mesmo assim, faz-se de ciclos. E Setembro assinala a mudança, o regresso às rotinas.

A Oliveira da Serra desafiou-me a preparar uma receita para o regresso à escola com o seu azeite. Uma das coisas com que se preocupam muitas famílias, nesta altura do ano, é o que fazer para os lanches.

As opções mais práticas passam pelas sandes, iogurtes ou uma peça de fruta. Mas podemos tentar variar os lanches dos nossos filhos e o nossos também. Deixo-vos, hoje, a receita de uns deliciosos queques de atum, muito fáceis de fazer e que ficam muito saborosos!


quinta-feira, 5 de setembro de 2019

O workshop Receitas de Verão com Salmão da Noruega, foi assim


O salmão é um peixe tão versátil. Pode ser consumido de mil e uma maneiras, tanto em pratos quentes como em frios. Cru, frito, escalfado, cozido, marinado, grelhado, fumado, é um peixe que assim que chega à mesa faz sucesso. E foi isso que tivemos a oportunidade de verificar no workshop Receitas de Verão com Salmão da Noruega, que teve lugar cá, em Lisboa, no passado dia 24 de Agosto de 2019, da parte da manhã, patrocinado por Seafood from Norway.

Como podemos filetar um salmão em casa? - foi com esta pergunta que dei início ao workshop. Peguei num salmão inteiro, lindo, e demonstrei como se pode cortar e arranjar este peixe, recorrendo às facas que temos em casa. Quem gere orçamentos familiares, sabe que a poupança é uma preocupação e ao comprarmos um salmão inteiro, fresco, podemos em casa cortá-lo e aproveitá-lo desde a cabeça ao rabo. Para além disso, o preço do salmão fresco fica bem mais em conta do que comprarmos congelado, em postas ou lombos. O salmão da Noruega encontra-se à venda nos supermercados.

Os participantes do workshop foram divididos em grupos e toda a gente cozinhou. Quem cozinha nos meus workshops, depois em casa, ao reproduzirem as receitas, sei que irão fazer ainda melhor. Isso é tão gratificante.


Preparámos seis receitas com salmão. Começámos com uma pasta que servimos com tostas. Estamos habituados a fazer as pastas com salmão fumado, mas a verdade é que ficam igualmente boas com salmão cozido ou grelhado. Preparámos também um delicioso salmão à Brás, que faz sempre sucesso nos meus workshops. Um prato para a família, que toda a gente adora. Ao preparar esta receita expliquei também como podemos cozer ou melhor, escalfar o salmão. Apresentei esta receita, há uns tempos atrás, no programa A Praça da Alegria, depois de a ter feito no workshop Receitas Práticas com Salmão que teve lugar o ano passado.

Tomate recheado com uma mistura de quinoa, bulgur e salmão, foi outra das receitas que confeccionámos. O verão é a época do ano em que o tomate nos chega na sua plenitude de sabor, por isso, há que o aproveitar. Antes de rechearmos o tomate, expliquei como se deve cortar e qual o procedimento a ter para que liberte um pouco da sua água. Há pequenas dicas que fazem realmente diferença.


O verão traz-nos o prazer das comidas frescas e dos grelhados. Por isso, preparámos a grelha e fizemos umas tentadoras espetadas de salmão com abacaxi que servimos com um arroz de coco. O arroz de coco também surpreendeu. Fica tão bom!

Salmão à Bulhão Pato e salmão no forno com crosta de ervas, foram os outros pratos que preparámos.

Foi uma manhã feliz à volta de um peixe que cada vez mais nos conquista no prato. Cozinhar com salmão é muito fácil. Podemos confeccionar este peixe das maneiras mais diversas.

Um especial agradecimento à Seafood from Norway por esta oportunidade. Obrigada a todos os que participaram e que contribuíram para uma manhã de muitas partilhas.