Próximos Eventos
Porto 16 de Novembro de 2019
Sábado:
10h00 - 13h30      Workshop Pré-preparações das Refeições da Semana
 
 
15h30 - 18h30      Workshop Receitas Rápidas p/ Jantar
Lisboa 23 de Novembro de 2019
Sábado:
10h00 - 13h30      Workshop Salgadinhos para Dias de Festa
 
 
15h00 - 19h00      Workshop Vamos Fazer Pão?
Inscrições/Vouchers: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Bacalhau com amêijoas e grão-de-bico


Nos últimos dias tenho andado de um lado para o outro. Na passada sexta-feira foi para a Praia da Vitória, na Ilha Terceira, para participar no festival literário Outono Vivo. Para além de uma entrevista para o programa Atlântida, apresentado por Sidónio Bettencourt, tive ainda a possibilidade de falar do livro Petiscos do Rio e do Mar, feito em co-autoria com Virgílio Nogueiro Gomes. Regressei no Domingo à noite, mas antes deliciei-me com o bom tempo e com muitas das coisas boas que a Terceira nos tem para oferecer.

Na segunda-feira, rumei para o Porto. Voltei ao programa Praça da Alegria para confeccionar um perfumado caril de peru com abóbora e lentilhas vermelhas. Viram? É um prato de conforto para esta altura do ano.

Ao regressar a casa, ontem, decidi preparar uma receita que se faz num abrir e fechar de olhos. Sempre que posso gosto de ter pré-preparações já feitas ou comida no congelador à espera de dias em que não tenha tempo para estar na cozinha. Para além disso, gosto de ter também alguns ingredientes que me permitam preparar uma refeição rapidamente. Todos os anos faço molho de tomate e congelo em doses. Gosto de demolhar e congelar bacalhau. Gosto de ter algumas embalagens de produtos congelados que considero práticos no momento de cozinhar, principalmente nos dias em que temos pouco tempo, como ervilhas, couves de Bruxelas, milho, salmão, amêijoas ou bacalhau desfiado fresco.

As nossas cozinhas reflectem a nossa vida. Há dias em que queremos que a comida chegue à mesa com um estalar de dedos. Se tivermos preparados, conseguimos.

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Granola com tâmaras, chocolate e caju


O pequeno-almoço é uma refeição que valorizo. Por norma, gosto de tomar o pequeno-almoço em casa. E quando sei que de manhã vou ter pouco tempo, costumo deixar logo tudo preparado de véspera.

Para os pequenos-almoços costumo fazer panquecas, waffles, pudins de chia, overnight oats. Gosto de ter no frigorífico ovos cozidos, iogurte e queijos. Na despensa, procuro ter flocos de aveia e granola.

A granola é, muitas vezes, feita por mim. Ao fazermos a nossa comida, temos a vantagem de escolhermos os ingredientes e decidirmos, neste caso, por exemplo, se queremos mais ou menos doce, mais ou menos frutos ou frutas secas. Podemos juntar mais canela, gengibre, raspa de um citrino, entre muitas outras hipóteses. Fazermos em casa a nossa granola permite-nos variar as combinações e ajustá-las ao nosso gosto.

Para os pequenos-almoços ou lanches da semana, deixo-vos uma receita de granola com tâmaras, chocolate e caju. Fica deliciosa.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Creme de cenoura e cherovia assadas


Ir ao Porto é, sempre, tão gratificante. Ontem, voltei para participar no programa Praça da Alegria da RTP. Preparei um prato rápido para o jantar. Depois de um fim-de-semana prolongado, sabe bem colocar o jantar, na mesa, para a família, sem perder muito tempo.



A comida tem o poder de nos inspirar, reconfortar. Consegue trazer alegria aos nossos dias. Sempre que viajo, uma das coisas que quero comer, assim que chego, é sopa. Um prato de sopa, feita com legumes, é verdadeiramente mágico.

Gosto de ir variando as minhas sopas. Na última que fiz, juntei cherovias e cenouras. Ficou tão boa! As sopas de legumes assados ficam ainda mais saborosas.

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Bolo de chocolate com azeite


No dia 1 de Novembro, celebra-se o Dia Mundial do Veganismo ( World Vegan Day ). Segundo a Wikipedia, « Veganismo é uma ideologia de vida que procura excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração animal, seja na alimentação, vestuário ou qualquer outro meio. Os veganos não consomem alimentos de origem animal, como carne (incluindo peixes, moluscos e insetos), laticínios, ovos e mel - além de evitar materiais derivados de animais, produtos testados em animais e lugares que usam animais para entretenimento ».

Faço uma alimentação omnívora, de inspiração mediterrânica e atlântica, que inclui carne, peixe, cereais e legumes. No entanto, tento, muitas vezes, fazer refeições sem carne e sem peixe. Como sabem, sou uma defensora do consumo de legumes. Até os costumo incluir nos meus pequenos-almoços.

Para assinalar esta data, a Oliveira da Serra desafiou-me a preparar uma receita. Resolvi fazer um tentador bolo de chocolate com azeite!

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Feijoada de bacalhau


No domingo fui visitar os meus pais e decidi levar o almoço. Quando cozinhamos para a família procuramos fazer, sempre que possível, pratos que toda a gente goste ou, que sejam de uma maneira ou outra, consensuais. Quando cozinhamos para aqueles de quem gostamos, queremos pôr na mesa felicidade, queremos que a nossa comida seja uma dádiva de conforto, que seja amor.

Como nesta altura do ano, apetece comida de tacho, decidi preparar uma feijoada de bacalhau, aproveitando uma receita que desenvolvi para a Pescanova que me desafiaram a preparar um prato com as suas postas de bacalhau demolhado.

Há pratos, que sabemos que fazem logo sucesso. E esta feijoada de bacalhau conquistou os comensais que se reuniram à mesa no passado fim-de-semana. Não sobrou nada!

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Chips de cherovia


Fazer a limpeza ao frigorífico é uma das indicações que dou, a quem faz as pré-preparações para as refeições da semana. Antes de enchermos o frigorífico com as compras da semana, é importante vermos o que temos e pensarmos como podemos dar destino aos ingredientes que sobraram.

Para aproveitar sobras de legumes, costumo assá-las no forno. Corto cebola, pimento, abóbora, batata-doce, curgete e junto tomate cereja. Tempero com azeite e sal. E vai para o forno. Os legumes que uso, variam de semana para semana, de acordo com o que tiver. Esta foi a forma que encontrei para usar sobras de legumes, sem ser em sopa.

A semana passada, para dar destino a duas cherovias que tinha na gaveta dos legumes, decidi fritá-las. Ao estilo das batatas-fritas. Cá em casa, adorámos!

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Marmelada com pêra e maçã


O Outono chegou de vez. Mudou a hora. Os dias ficam mais pequenos. A noite chega logo ao final da tarde. Muda o tempo e com ele as nossas vontades. Na cozinha, passamos a preferir pratos de conforto, assados no forno, sopas a fumegar, comidas de tacho e privilegiamos as bebidas quentes. Mudamos o guarda-roupa. Queremos casacos e roupas quentinhas.

No domingo estive em Santarém. Depois de visitar o quintal, de apanhar os últimos marmelos e romãs da época, a minha mãe e eu, sentámo-nos em frente à lareira acesa. Fiz um chá. Coloquei uns biscoitos na mesa e levei para a minha mãe provar a marmelada com pêra e maçã, que tinha feito há uns tempos. Até se comeu assim, simples, cortada à fatia. Gosto tanto de marmelada! Deixo-vos, hoje, a receita.

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Choquinhos guisados com tomate


Ao olhar para a agenda, ao ver os dias que faltam para o fim-do-ano, exclamei: « O tempo passa tão depressa! Ainda ontem, era Janeiro. Ainda ontem, estava a pensar nos objectivos para 2019 ». Há um poema, Seiscentos e Sessenta e Seis, de Mário Quintana, autor brasileiro, que diz:

« A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
Quando se vê, já é 6ª-feira ...
Quando se vê, passaram 60 anos!
Agora, é tarde demais para ser reprovado ...
E se me dessem – um dia – uma outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio
seguia sempre em frente ...

E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.
»

Tempo, que é um dos nossos bens mais preciosos e que tantas vezes descuidamos com coisas inúteis, as chamadas perdas de tempo. Perante a passagem do tempo, só nos resta seguir em frente. Aproveitar o que a vida tem para nós. E entre essas coisas boas está o tempo que passamos com os outros, o tempo que passamos, à volta da mesa, a falar, a conversar, a construir memórias. E como se costuma dizer: à mesa não se envelhece! E para a passagem do tempo, à mesa, deixo-vos uma receita cheia de sabor e, que sabe sempre tão bem, choquinhos guisados.

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Creme de abacate com curgete


O tempo mudou. O frio, a pouco e pouco, já se faz notar. Nesta altura do ano, mudamos o guarda-roupa, procuramos o agasalho de roupas mais quentes. Preparamos a lareira.

Como o Outono, também a nossa alimentação, muda. E vivemos numa época em que temos uma grande variedade de produtos à nossa disposição. Hoje em dia, podemos escolher entre uma maior oferta de gorduras para cozinhar ou temperar. Cada gordura tem usos e características diferentes. Há umas que são boas para consumir a frio, há outras que podem ser usadas para cozinhar, e outras ainda que são óptimas para fritar, porque aguentam temperaturas altas. Para certos pratos ou preparações, a escolha da gordura, pode estar associada ao sabor ou à sua ausência. Por vezes, queremos usar uma gordura neutra.

O Outono é a época do ano que pede comida de conforto, feita no forno, ou na panela. O Outono remete-nos para o conforto da nossa casa, junto à lareira, com uma mantinha no sofá. Conforto e comida, fazem-me lembrar os momentos passados à mesa, em família, depois de um dia de trabalho, em que as refeições se iniciam sempre com uma sopa. Um prato de sopa a fumegar num dia frio, é tão reconfortante! Ajuda-nos a repor energias.

Para experimentar o novo óleo de abacate da Fula, decidi preparar uma sopa cremosa. Juntei curgete - legume que tanto adoro - e abacate. O resultado é uma combinação especial, improvável, mas que resulta tão bem! Sopa é comida de Outono!

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Massa com atum e ervilhas


No dia a dia, no momento de preparar as refeições, penso que muitos de nós procuramos a simplicidade. Simplicidade com sabor, claro está.

Para conseguir ter refeições, mais ou menos equilibradas, durante a semana, principalmente nos dias em que tenho pouco tempo para cozinhar, decidi, há uns anos atrás, começar a pré-preparar a minha comida. Já vos falei, várias vezes, das pré-preparações para as refeições da semana. Quem quer começar, aconselho-vos a ler este texto e, já agora, este também.

Este método permitiu-me mudar a minha alimentação e comer de forma mais saudável. Num dia da semana, faço um conjunto de preparações, como por exemplo, carne estufada ou assada no forno, sopa, pão, asso legumes, cozo massa, entre outras coisas.

O método que utilizo é por ingredientes ou preparações que depois, durante a semana, me permitam conjugar e fazer refeições diferentes. Tento rentabilizar os mesmo ingredientes, só que de forma diferente. Por exemplo, há umas semanas, nas minhas pré-preparações cozi massa e ervilhas. Foram numa refeição, acompanhamento de um prato de carne e na outra, foram servidas como salada. Só cozinhei uma vez, e assim, consegui poupar tempo na minha cozinha. A receita da salada, partilho-a, hoje, convosco. Pode até ser uma boa opção para levar para o trabalho. Simples, descomplicada, mas cheia de sabor!

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Workshop Natal com Activa Vita D


No sábado, dia 2 de Novembro de 2019, em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy, das 10h30 às 14h00, iremos ter o workshop Natal com Activa Vita D. Neste workshop iremos colocar as mãos na massa e fazer pão doce e salgado usando o fermento de padeiro em pó com vitamina D.

A deficiência de vitamina D, conhecida como a vitamina do sol, tem sido identificada como a causa de certas doenças. A verdade é que não apanhamos sol como deveríamos. Por isso, a indústria alimentar já usa vitamina D para enriquecer alguns produtos. Esta é uma vitamina a que devemos prestar mais atenção. No dia 2 de Novembro, celebra-se o Dia Mundial da Vitamina D, por isso, ter sido este o dia escolhido para nos reunirmos numa manhã, que vai ser por certo, muito deliciosa.

Natal com Activa Vita D vai ser um workshop muito especial, onde terão a oportunidade de colocar as mãos na massa. Iremos preparar receitas variadas de pão a pensar na mesa de Natal, ou para os dias em que juntamos a família, à volta da mesa. Para além dos pães doces típicos da quadra festiva que se avizinha, iremos preparar também deliciosas entradas em que o pão será um elemento de destaque.

A Lallemand vai oferecer convites duplos aos leitores do Cinco Quartos de Laranja para este workshop. O convite está feito. Quem quiser viver esta experiência basta:

- Levar consigo um exemplar do meu livro Petiscos do Rio e do Mar;

- Inscrever-se através do preenchimento do formulário a seguir apresentado, até às 24h do dia 29 de Outubro de 2019.

Serão seleccionados aleatoriamente 9 convites duplos para o workshop. Os contemplados serão contactados, a partir do dia 30 de Outubro de 2019. Cada convite é válido para duas pessoas.

Sábado, dia 2 de Novembro, vamos colocar a mão na massa? Inscrevam-se!


sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Quiche de camarão com espargos


Há receitas que são sempre tão práticas e que se fazem nas mais diversas alturas, seja para uma festa, seja para uma refeição rápida ou para levar para o trabalho. Por vezes, servem até para darmos destino a algumas sobras.

Uma das receitas que resulta bem para as mais variadas ocasiões são as quiches. Sabem bem mornas ou frias. Nos dias em que queremos fazer uma refeição rápida, podem ser um excelente acompanhamento para, por exemplo, uma sopa. Tornam-se uma deliciosa refeição servidas com uma generosa salada mista. São óptimas para petiscar a meio da tarde. Uma fatia de quiche sabe sempre tão bem!

Quando a Parmalat me desafiou a preparar uma receita com a sua Nata com Sabores do Mar, decidi fazer uma quiche. Aproveitei umas sobras de camarão cozido que tinha, juntei-lhe uns espargos e o resultado foi uma tarte, deliciosa, que nos faz viajar pelos sabores do mar.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Marmelada tradicional


Em tempo de marmelos, faz-se marmelada. Penso que de Norte a Sul, esta é a opção escolhida por muitas famílias para dar destino aos marmelos.

Adoro marmelos. Tento aproveitá-los da melhor forma nesta altura do ano, até os uso em pratos salgados. Costumo assar sempre no forno. Houve um ano que fiz marmelo cozido em calda, que fica maravilhoso. E claro, todos os anos faço marmelada. Por curiosidade, o sufixo - ada, significa que é um doce que permite o corte. E é assim que eu gosto da marmelada, com uma consistência que se possa cortar às fatias.
Aprendi a fazer marmelada usando a seguinte proporção 1 kg de marmelo limpo para 1 kg de açúcar. Por vezes, gosto de tirar um pouquinho de açúcar, até porque não faço muita quantidade e entre a que se consome cá em casa e que vamos oferecendo, a verdade é que lhe damos destino muito rapidamente.

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Quinoa com couve kale e lascas de bacalhau


Comemora-se, hoje, 16 de Outubro, o Dia Mundial da Alimentação. Comer bem, é cada vez mais uma preocupação, num mundo em que os produtos processados estão ao alcance de todos, são muito baratos comparativamente com a comida de verdade, a carne, o peixe, os legumes, e por isso, tornam-se, também, muito apetecíveis quando vamos às compras.

Termos consciência do que comer bem, é meio caminho andado para fazermos as escolhas mais acertadas. Ao escolhermos fazer uma alimentação equilibrada, um dos aspectos a ter em conta, é as gorduras que usamos para cozinhar. Uma das que privilegio, cá em casa, é o azeite. Uso-o para cozinhar, para temperar e até, por vezes, para fritar.

Para cada preparação, podemos escolher um azeite diferente. No mercado encontramos três categorias de azeite à venda: Azeite Virgem Extra, Azeite Virgem e Azeite.

O Azeite Virgem Extra é o sumo puro da azeitona, sem qualquer defeito sensorial ou organolético. Normalmente apresenta uma acidez entre 0 e 0,8%. Esta categoria de azeite deve ser a nossa escolha quando queremos temperar a cru.

Azeite Virgem, é um azeite que não chegou à categoria do Azeite Virgem Extra, por eventualmente apresentar alguns defeitos ligeiros ou ter uma acidez superior a 0,8%. Nesta categoria a acidez não pode ser superior a 2%. Estes azeites são bons para cozinhar.

Azeite - contém azeite refinado e Azeite Virgem, é um azeite que resulta de uma mistura de azeite lampante com Azeite Virgem. O azeite lampante apresenta uma acidez superior a 2% e uma quantidade considerável de defeitos ao nível do cheiro e sabor. Este tipo de azeite só pode ser consumido depois de refinado. Este processo limpa-o de sabores desagradáveis, melhora a cor e baixa a acidez, que será igual ou inferior a 1%. É indicado para fritar. Não o utilizem para temperar a cru.

Devemos escolher o azeite não tanto pela acidez, mas pela qualidade, ou seja, saber se ele é ou não Azeite Virgem Extra.

Neste Dia Mundial da Alimentação, deixo-vos uma receita preparada a convite da Oliveira da Serra. Para temperar, cozinhar ou fritar, o azeite escolhido faz toda a diferença!

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Queques de bacon recheados com ovo cozido


Adoro variar os pequenos-almoços. Gosto de começar os dias com comida diferente. Vivemos numa época em que temos tantos produtos à nossa disposição, que variar o que comemos, só depende de nós.

Quando a Primor me desafiou a desenvolver uma receita com o seu bacon extra, pensei numa sugestão prática para os pequenos-almoços. Para os dias em que temos tempo ou, para os dias em que dá jeito ter algo pronto para pegar e levar. O resultado foram uns deliciosos e surpreendentes queques recheados com ovo cozido. Para além dos pequenos-almoços, estes queques são também bons para colocar nas marmitas.

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Creme de brócolos com canónigos


O que é comer bem? A alimentação é tão importante para o nosso bem estar físico, social e emocional, que responder a esta questão, aparentemente simples, se revela bastante complexo. Uma das obras, a que recorro regularmente, sobre este tema, é o livro Comer Bem é o Melhor Remédio de Alexandra Bento. A autora tem uma posição sobre a comida e sobre o modo como nos deveremos orientar, com a qual me identifico.

Há princípios, que de uma maneira geral, todos sabemos e que devem reger as nossas escolhas em termos alimentares. Deveríamos reduzir o consumo de açúcar. Reduzir o consumo de sal e de gorduras más. Optar por comer comida de verdade, carne, peixe, fruta, leguminosas, hortaliças, pão. Evitar as comidas processadas. Mas na prática, na correria dos dias, como é que podemos comer bem? Que escolhas devemos fazer para conseguirmos comer bem?

Um dos primeiros passos a dar, no sentido de fazermos uma alimentação equilibrada, está associado à organização e a seguir é cozinharmos em casa, fazendo, por exemplo, pré-preparações. Podem achar estranho, mas a organização está associada ao comprometimento. Se queremos comer bem, temos que nos envolver nessa tomada de decisão e, em casa, cozinhar. Ao cozinharmos somos nós que fazemos as escolhas.

Façam refeições variadas. Comer sempre o mesmo, não nos traz nem saúde nem felicidade. Variar a carne e o peixe. Aumentem a quantidade de legumes servidos às refeições. Batatas fritas e arroz, são acompanhamentos que fazem muita gente feliz, mas há outros igualmente interessantes.

Comer, um pouco de tudo, com equilíbrio e moderação, é quase sempre uma boa opção. No entanto, a sopa é uma das preparações que deve fazer parte dos menus de quem quer comer bem. Façam sopa, podem até fazer em quantidade e congelar em doses. Faço sopa todas as semanas, por vezes, até mais do que uma vez. E claro, tentamos também variar as nossas sopas.

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Robalos assados no forno com batatas


O Outono traz mudanças. Muda o tempo e muda, também, a nossa vontade de comer e de cozinhar. O Outono pede o aconchego de pratos quentes, que nos reconfortem o corpo e alma. E por isso, passamos, nesta altura do ano, a fazer mais pratos de tacho e de forno.

Confesso que adoro pratos de forno. São práticos e libertam-nos para outras tarefas. Deixo-vos, hoje, uma receita deliciosa e muito reconfortante, robalos assados no forno com batatas.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Caril de lentilhas


Todos nos preocupamos, cada vez mais, com o que comemos. Para fazermos uma alimentação equilibrada é importante, também, procurarmos alternativas e experimentarmos sabores novos.

Comer bem, é variar o que se come. É colocar no prato proteínas de boa qualidade, hidratos e legumes. Confesso que, hoje em dia, não me seduzem pratos em que o acompanhamento sejam batatas fritas e arroz. É bom, é. Sabe bem, claro. Mas, quando queremos mudar a nossa alimentação temos que interiorizar que apesar de nos saber bem, não nos faz assim tão bem.

Sem queremos ser radicais, em vez das batatas fritas, sirvam uns legumes cozidos ou assados. Mudarmos a nossa alimentação não é algo que se faça, de um dia para o outro. É um processo. Também temos que dar tempo ao palato para se habituar e, também, precisamos de tempo para interiorizarmos novas práticas.

De há uns tempos para cá, decidi, que tenho que introduzir mais leguminosas na minha alimentação. Para além do feijão e do grão-de-bico, passei a ter também lentilhas de várias cores na despensa.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Salada de polvo com batata


Há duas alturas do ano, em que gosto de destralhar a minha casa. Nem sempre fui assim. Quando vivia numa casa com muito espaço, ia acumulando. Guardava isto e aquilo. Havia sempre um local onde cabia mais alguma coisa. De há uns anos para cá, passei a fazer uma limpeza ao que não se usa, em duas alturas do ano, na Primavera e no Outono.

O desapego é uma arte difícil. A ligação aos objectos tem uma força sentimental tão grande, criamos com eles laços, vínculos, que reavivamos pelas memórias. Fazer a selecção do que queremos continuar a guardar, porque usamos e nos faz falta, daquilo que afinal não precisamos, não é tarefa fácil!

Uma das áreas que procuro destralhar, é o closet. Identifico as roupas que já não visto. Há, sempre, peças que guardo. Ou porque as acho muito bonitas e estou à espera da altura ideal para as usar. Peças que agora me estão largas, porque emagreci, mas nunca se sabe se ainda me vão fazer falta. É tão difícil colocar de parte o que já não usamos. Tudo nos faz falta. Não usamos agora, mas quem sabe se daqui a uns tempos não vamos precisar!?

No meio da necessidade e do apego sentimental, encontrei, obrigatoriamente, um critério, penso que ajudada pela guru da organização, Marie Kondo, que é: - se não usei determinada peça nos últimos sete anos, é porque muito provavelmente ela não me faz falta e terá que ter outro destino. Uso este critério para equipamentos, utensílios de cozinha, livros, revistas, e outras coisas que vamos acumulando. Destralhar não é fácil, mas tem que ser.

Entre as arrumações e as limpezas de Outono, deixo-vos uma salada feliz, ainda com sabor aos dias quentes de Verão.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Wraps com fajitas de frango


Gosto de ler. Não consigo ler tanto como gostaria, mas vou tentando ler pelo menos um livro por mês.

A escolha dos livros que leio é, por um lado, resultado de recomendações, por vezes é o tema que me chama a atenção, mas a grande maioria é escolhido pelos autores. Há autores que faço questão de acompanhar. De há uns anos para cá, que decidi que gostaria de ler mais autores portugueses. Há literatura estrangeira fabulosa, mas temos também tantos autores que merecem o nosso apoio e estima. E a melhor forma que temos de o fazer é comprar os seus livros. Por isso, tento intercalar autores portugueses e estrangeiros nas minhas leituras.

Recentemente li Uma Educação de Tara Westover, que recomendo. Um leitura que nos prende da primeira à última página e é autobiográfico. Uma escrita deliciosa que nos conta um percurso de transformação através dos estudos.

E agora, estou quase a terminar a obra Madre Paula de Patrícia Muller, que nos faz viajar até ao século XVIII e conhecer os amores do rei D. João V com a freira do Mosteiro de Odivelas.

Entre as leituras, e as viagens de trabalho que tenho feito, nos últimos dias, por vezes, quando chego a casa a solução para o jantar é uma receita rápida. Deixo-vos, hoje, umas fajitas de frango que se preparam num instante e ficam tão boas!

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Doce de figo com gengibre e limão


A época dos figos, vindos da horta, chegou ao fim. Este fim-de-semana, ainda consegui comer os últimos figos da figueira do quintal. Apanhados e comidos logo, sabem sempre tão bem!

Dizemos adeus ao Verão e recebemos o Outono. Na horta, os marmelos e as romãs já estão prontos a colher.

Todos os anos, procuro aproveitar a época dos figos e usá-los em saladas e bolos. Gosto também de os conservar em deliciosos doces e compotas. Este ano decidi fazer um doce de figo, desta vez, com gengibre e limão. Ficou tão bom!

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Meal prep, como começar?


Meal prep é um método que nos ajuda a organizar e a preparar as refeições da semana. Permite-nos rentabilizar as nossas compras, e alivia-nos da pressão de estar, sempre, a pensar no que fazer para o jantar.

Este método ajuda-nos a comer de forma mais equilibrada e saudável. Quando temos o frigorífico cheio de comida boa, já preparada, com pratos de carne, peixe, sopa e legumes, a tendência para fazermos escolhas menos acertadas diminui. Esta foi a forma que encontrei para mudar a minha alimentação.

Este método ajuda-nos a colocar as refeições na mesa, por vezes, em 15 minutos. No fundo, é só combinar as nossas pré-preparações, fazer um acompanhamento ou outro, quando se justifica, e aquecer. Tão prático, principalmente, quando chegamos a casa tarde.

Meal prep (ou food prep), é cozinhar a comida para as refeições da semana antecipadamente. Podemos escolher um dia e reservar duas a três horas para cozinhar ou, indo cozinhando. Há várias formas de o fazer. Cada família deve escolher o método que melhor se ajusta às suas necessidades. O meu método de pré-preparações é com ingredientes ou, com bases que nos irão permitir variar as refeições da semana. Mas como começar? É a pergunta que me fazem, muitas vezes.


Como Começar?

1) Identifiquem o número e o tipo de refeições que precisam de pré-preparar.
São só jantares? São os jantares e os pequenos-almoços? São os jantares e os almoços para levar para o trabalho? Lanches? Escrevam numa folha os dias e as refeições de que necessitam.

2) As refeições que vão preparar são para quantas pessoas? Por vezes ajuda a família ter um calendário partilhado, para saberem em que dias não fazem refeições em casa. Se há um dia em que jantam todos fora. É importante, antes de começarem terem uma noção de rotinas da família à mesa.

3) O que é que vou pré-preparar? Como faço a selecção do que cozinhar para as refeições da semana? A quantidade de comida a preparar está directamente relacionada com o número de refeições a preparar e o número de comensais. A tendência é querer fazer muita coisa. O meu conselho é calma. Não queiram atingir a perfeição! Comecem pelos básicos. Alguns exemplos:
- Sopa;
- Ovos cozidos;
- Gelatina;
- Alface lavada;
- Legumes assados;
- Massa cozida;
- Carne assada ou estufada.

Escolham fazer, por exemplo, a base da sopa da semana. Cozer uns ovos, fazer gelatina e assar uma carne no forno. Se quiserem, podem fazer em doses duplas e congelar. O tempo que vão despender para pré-preparar estas receitas, depois, durante a semana, será rentabilizado.

Com a prática, vão começando, aos poucos, a fazer mais pré-preparações e a rentabilizar o vosso tempo na cozinha. Nas minhas pré-preparações semanais costumo ter: legumes, hidratos e proteínas.

Faço sempre uma base de sopa, asso legumes (como, por exemplo, batata-doce, beterraba, couve-flor, pimentos ou faço um tabuleiro com uma mistura de legumes). Confecciono, quase sempre, gelatina que coloco em frascos, que me permitam levar para um lanche, por exemplo, ou servir como sobremesa. Cozo ovos, para os lanches, para usar em saladas ou ao pequeno-almoço. Este é daqueles ingredientes que rentabilizo e uso em vários pratos. Às vezes, até junto ovo cozido picado às sopas.

Asso carne ou faço um estufado. A carne assada pode ser servida, num dia, com legumes assados. No outro, servimos com uma salada e um puré. Podemos aproveitar e fazer, com as sobras, uma frittata ou uma sandes. Um risotto ou um arroz de abóbora servido com carne assada desfiada. É tão bom! Com uma base, podemos variar o que comemos durante a semana sem a rigidez dos pratos feitos.


Com a prática, vão ver que há confecções que se ajustam melhor às pré-preparações do que outras. O importante é que interiorizem o método e comecem! Aos poucos vão ganhando confiança.


5 receitas para quem quer começar a praticar meal prep:
- Pudim de chia;
- Creme de curgete com feijão branco e amêndoa;
- Carne à bolonhesa;
- Pernas de frango assadas no forno com limão;
- Caril de camarão.


No próximo dia 26 de Outubro de 2019, das 10h às 13h, irá decorrer em Lisboa, o workshop Pré-preparações e Refeições da Semana na escola de cake design IstoFaz-se. As inscrições já se encontram abertas.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Salada de feijão com tomate e abacate


Outubro já chegou. Apesar de ainda termos dias bonitos de sol e andarmos de manga curta, a verdade é que as manhãs e as noites já nos chegam mais frescas.

Gosto da mudança das estações e do que elas nos trazem. O Verão brinda-nos com a alegria, o sol, o mar, as comidas frescas e a vontade de sair de casa, viajar, aproveitar o bom tempo.

O Outono traz o recolhimento. Voltamos a procurar o conforto da nossa casa. Colocamos uma manta nos sofás, começamos a pensar em acender a lareira. Fazemos pratos de forno ou de tacho.

Mas enquanto o Outono não chega, de vez em quando, com os dias cinzentos e chuva, deixo-vos, hoje, uma deliciosa salada, muito colorida e feliz!

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Sandes caprese


Entre a correria dos dias, há alturas em que nos apetece fazer refeições rápidas ou, até lanches mais substanciais. Os dias não são todos iguais e isso reflecte-se também no modo como comemos. Ou, pelo menos, cá em casa, é assim.

Para os dias em que há menos tempo para estar à mesa, a solução passa, tantas vezes, por uma sandes. As sandes são como as saladas, podemos fazê-las de quase tudo.

Uma combinação que adoramos, um clássico italiano, é a que junta tomate, queijo mozzarella e manjericão. No verão faço, imensas vezes, esta combinação em saladas, mas digo-vos que em sandes também resulta muito bem!

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Salmão com amêijoas à Bulhão Pato


Mais uma semana que começa. Mais sete dias para novos desafios e oportunidades. Confesso que gosto dos começos ou recomeços. Sinto sempre que podemos fazer diferente. Podemos mudar. Podemos apostar em novas coisas.

Recomeçar, mesmo sabendo que podemos ter dias em que nos tiram o chão, ou que os apertos de coração falam mais alto. Recomeçar implica tantas vezes mudar. Um dos melhores exemplos para mim, é os das lagartas, que depois de um processo de mudança se transformam em lindas e graciosas borboletas. Por isso, vamos inspirar fundo e pensar que os inícios de semana são só mais uma forma de recomeçar como tantos que vamos tendo ao longo da nossa vida. Começar a semana de forma positiva, ajuda-nos a sermos mais felizes.

E a comida é também uma forma de felicidade. Por isso, deixo-vos um prato que assim que chega à mesa faz muitos sorrisos, salmão com amêijoas à Bulhão Pato.

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Sandes de barrinhas de pescada panada com abacate e palitos de batata-doce


Com as vidas atarefadas que temos, nem sempre conseguimos preparar antecipadamente todas as refeições. Para esses dias, gosto de ter no frigorífico e no congelador, ingredientes que me ajudem a confeccionar receitas que a família goste e que se façam num abrir e fechar de olhos.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com as suas barrinhas de pescada panada, pensei, logo, em algo muito prático. As barrinhas de pescada fazem sempre sucesso, junto dos mais pequenos, mas a verdade, é que os graúdos também gostam! Por isso, decidi fazer uma receita rápida que pode ser partilhada com toda a família. Ambos, miúdos e graúdos gostaram muito.

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Coelho estufado com cerveja


Tento variar o que se vai comendo, cá por casa. Nas idas às compras, procuro todas as semanas trazer legumes e frutas diferentes. Tento aproveitar os produtos da estação. Para além de serem normalmente mais baratos, dada a abundância, são também mais saborosos.

Tento intercalar refeições de carne e de peixe, por vezes também, recorro a pratos vegetarianos, uma a duas vezes por semana. Variar os peixes e o tipo de carne que vamos consumindo é, também, uma das nossas normas, cá em casa.

Uma das carnes que passei a consumir, para ir variando do frango e do peru, é a carne de coelho. Uma carne magra, que se presta a mil e uma receitas. Um destes dias, para uma das minhas pré-preparações, estufei-a com cerveja. Ficou tão bom!

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Sopa de tomate com pimento vermelho e leite de coco


Há ingredientes que associo sempre ao Verão, como o tomate e os pimentos. Durante muito tempo, usei os pimentos basicamente nas saladas, previamente assados, e nos guisados ou estufados. Só há bem pouco tempo, é que comecei a utilizar pimento cru nas saladas ou para acompanhar pastas como o hummus. Talvez porque durante anos o pimento que tínhamos, em casa, era maioritariamente o verde, vindo da horta.

Hoje em dia, encontramos pimentos à venda muito facilmente e para além dos mais comuns, o verde e o vermelho - penso que se encontram em todos os mercados de Norte a Sul do país, temos também o amarelo, o laranja e o roxo. Este último, talvez seja o menos comum por cá.

Na tentativa de usar os pimentos de outras formas, para aproveitar a abundância deste legume e do tomate que trouxe da horta de Santarém, resolvi fazer uma sopa. E a verdade é que adorámos!

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Como conservar os ovos?


Como conservar os ovos?
Esta é uma questão que me tem suscitado dúvidas. Em casa da minha mãe nunca se guardam os ovos no frigorífico. São colocados numa casa fresca, seca, e até com pouca luz. Por curiosidade, diga-se, que são os ovos que as galinhas que temos no quintal, vão pondo. Para terem uma noção da quantidade que se produz, há alturas em que queremos fazer um bolo, temos que os irmos guardando.

Desde que há uns anos me mudei para a casa onde hoje vivo, que verifico que a cozinha é muito quente. Por isso, passei a guardar os ovos no frigorífico. Sei que este é um produto sensível às variações de temperatura e decidi que ali estariam em melhores condições.

Há uns tempos atrás lancei esta questão num apontamento no Instagram do Cinco Quartos de Laranja e verifiquei que as respostas foram variadas, e que eu própria fiquei na dúvida, perante alguns dos argumentos apresentados.

O ovo é um ingrediente muito versátil. É usado tanto em pratos salgados como em doces, sendo por isso, um ingrediente indispensável nas nossas cozinhas.

O ovo é bastante nutritivo, e tanto a cor da gema como da casca não interfere nas suas qualidades. A cor da casca varia de acordo com a raça da galinha e a cor da gema está relacionada com o tipo de alimentação que é dada aos animais. Normalmente, galinhas criadas com milho ou com rações a que se adicionam corantes, a gema é mais amarela.

Como podemos avaliar a frescura do ovo?
De uma maneira geral, toda a gente já ouviu falar do teste do copo com água. O ovo está fresco se ao ser colocado num copo com água, este fica no fundo. Se boiar, é sinal que o devemos descartar. Os ovos velhos flutuam porque ganham volume, devido ao aumento do espaço da câmara-de-ar, entre a membrana interna e externa.

Este é um teste que podemos fazer em casa, agora quando estamos no supermercado que cuidados devemos ter?

Abrir a caixa dos ovos e verificar o seu estado, para evitarmos surpresas quando depois chegarmos a casa. A casca deve estar intacta, sem fissuras. A casca de um ovo novo é áspera e opaca.

Um hábito a adquirir: - partam os ovos primeiro para um recipiente, antes de os usarem. Assim, em caso de dúvida, podem decidir o que fazer.

Ao abrir um ovo conseguimos também perceber a sua frescura. Quanto mais fresco for, mais saliente é a gema e mais consistente é clara. Costumo dizer nos meus workshops que o segredo para um ovo escalfado perfeito é a sua frescura.

Conservar os ovos no frigorífico ou à temperatura ambiente? Como devemos proceder?
Ao comprarmos ovos a indicação da embalagem é que o consumidor os deve conservar no frigorífico? Como assim, se os compramos à temperatura ambiente? Parece incoerente.

Segundo o regulamento europeu que estabelece as regras de comercialização dos ovos, é referido no artigo 7, o seguinte: « Os ovos refrigerados deixados à temperatura ambiente podem cobrir-se de água condensada, favorecendo a proliferação de bactérias na casca e a sua provável penetração no ovo. Os ovos devem, por conseguinte, ser armazenados e transportados a temperatura constante e não devem, regra geral, ser refrigerados antes da venda ao consumidor final. ». De seguida, artigo 12 Marcação das embalagens, alínea F, é « (...) recomendando aos consumidores que, após a compra, conservem os ovos refrigerados ». E é esta indicação que encontramos nas caixas de ovos que trazemos das compras.

Apesar de não ser uma imposição, é uma recomendação a ter em conta, em termos de segurança alimentar, dado que em nossas casas o ambiente não é controlado e por isso, ocorrem mais variações de temperatura.

Ao conservarmos os ovos no frigorífico devemos tirá-los da caixa original e colocá-los, numa caixa própria, com a ponta mais fina virada para baixo. Colocá-los numa das prateleiras e não na porta do frigorífico. Ao utilizar, devemos retirar apenas os ovos de que necessitamos e respeitar a data de validade. As embalagens indicam uma data de durabilidade mínima, que não pode exceder os 28 dias depois de os ovos serem postos.

Os ovos só devem ser lavados na altura de os usarmos. A casca é purosa e ao lavarmos, destruímos a cutícula que protege da entrada de bactérias. Para que os ovos ao cozer não rachem, aconselha-se que estejam à temperatura ambiente, e que se junte vinagre à água antes de esta ferver.


Nos ovos para além da validade encontram-se outras informações. Podem ver na imagem o seguinte código 2PT3 - 140. O que significa? Este código funciona como o seu "cartão de cidadão".

O primeiro dígito inscrito revela o modo de criação das galinhas. Depois, temos duas letras que identificam o país de origem (neste caso PT = Portugal). Os últimos dígitos identificam o produtor ou a exploração.

Como identificar o sistema de criação das galinhas?
Quando o primeiro dígito for:

0 - Significa que os ovos são de produção biológica;
1 - Galinha criada ao ar livre;
2 – Ovo de galinha criada no solo;
3 - Ovos de galinhas criadas em gaiolas, que são os mais comuns.

Ao lerem o código, sabem exactamente o que estão a comprar.

Como são classificados os ovos?
Os ovos que encontramos à venda são da categoria A e são classificados em função do peso. Um ovo S, (small, pequeno) pesa menos de 53 g. Um ovo M (medium, médio) pesa entre 53 a 63 g. Um ovo L (large, grande) pesa entre 63 a 73 g. Os ovos XL (extra large, gigante) têm 73 g ou mais.

Há receitas em que o tamanho do ovo faz muita diferença!

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Pataniscas de legumes com caril


Dissemos, hoje, adeus ao Verão. As despedidas custam sempre. Fecha-se um ciclo. Termina a época das idas à praia, dos gelados, das bolas de Berlim, das conversas infindáveis com amigos nas noites quentes. Começamos a guardar os chinelos, os chapéus de sol e os vestidos frescos. Há despedidas que, esperamos nós, são apenas um até já. Neste caso, dizemos todos, querido Verão, até para o ano!

O Outono, traz-nos o sabor da mudança. Depois dos dias de calor, chega o tempo mais fresco. As primeiras chuvas. As folhas das árvores ganham novos tons. Começamos a procurar o agasalho de um casaco quentinho, de uns sapatos fechados. Abrimos as gavetas para sabermos onde estão os gorros e os cachecóis. Gosto da dinâmica do tempo e das estações. Cada época tem o seu encanto e cabe-nos a nós aproveitá-las da melhor forma possível, sem agruras.

E com o Outono chega também a necessidade das comidas de conforto. Deixamos as saladas e as sopas frias. Esta altura do ano é também de regressos. À escola, ao trabalho. Retomamos as rotinas. Procuramos comida que nos acompanhe nesta mudança de ciclo.

Quando a Fula me desafiou a criar uma receita com o seu óleo alimentar, decidi fazer uma receita que se encaixa neste tempo de mudança. Pataniscas de legumes. É uma receita que pode servir para uma refeição ou para um lanche nestes dias de Outono.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Salmão com massa e espinafres


Depois de um dia de trabalho, chegar a casa e preparar uma refeição saborosa e rápida para a família, é muitas das vezes, a nossa preocupação.

Por isso, quando a Parmalat me desafiou a desenvolver uma receita com a sua Nata com Tomate, pensei logo em preparar um prato que não nos roubasse muito tempo na cozinha. Para além disso, escolhi, ingredientes que muitas vezes temos em casa ou que são de fácil acesso numa ida ao supermercado. Espero que gostem deste apetitoso salmão com massa e espinafres que partilho, hoje, convosco.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Frigorífico, o grande aliado das meal prep


Meal prep são uma forma de prepararmos antecipadamente as refeições da semana. Antes de irmos para a cozinha devemos saber quantas refeições iremos precisar de preparar e para quantas pessoas. De seguida, faz-se um inventário do que se tem no frigorífico, na despensa e congelador. Não precisamos de comprar, aquilo que já temos em casa, desde que seja suficiente para as necessidades que identificámos quando definimos o plano de refeições a preparar.

As pré-preparações são uma forma de pouparmos tempo na cozinha e de simplificarmos as nossas refeições. Existem várias maneiras de o fazer. Podemos escolher um dia e cozinhar durante 2 ou 3 horas, o que vamos comer durante a semana. Ou podemos ir cozinhando. O meu conselho é que façam por ingredientes, e que depois os conjuguem no momento de colocar as refeições na mesa. Dá-nos mais liberdade. Podemos utilizar o que cozinhámos em mais do que uma refeição.

Por exemplo, nas minhas pré-preparações semanais há quase sempre uma base de sopa e ovos cozidos. Os ovos posso usá-los nos pequenos-almoços, numa sandes para os lanches ou até servir, numa das refeições da semana, com a sopa. Costumo também estufar ou assar carne. Por exemplo, quando faço frango assado inteiro. Numa refeição sirvo-o com um acompanhamento, feito no momento ou das pré-preparações. Na outra, desfio-o e junto-o a uma salada ou a uma frittata. E, provavelmente, ainda consigo no dia seguinte levar uma sandes para o trabalho ou fazer uma quiche. As pré-preparações ajudam-nos a rentabilizar a nossa comida e permitem-nos perceber compramos mais do que aquilo que efectivamente consumimos.


Quando cozinhamos previamente as nossas refeições temos como grandes aliados o frigorífico e o congelador. É importante termos um frigorífico de confiança que consiga conservar a nossa comida de forma eficaz. Por isso, aceitei o desafio da Samsung Portugal para participar no projecto Samsung Meal Prep.

Este projecto consistiu na realização de quatro pequenos filmes. Assim que chegamos das compras é importante cuidarmos dos nossos alimentos, principalmente dos frescos. E este é o tema que abordamos no primeiro episódio, para além de apresentar algumas dicas sobre como podem conservar alguns ingredientes de forma a prolongar a sua frescura.



Pequenos-almoços foi o tema escolhido para o segundo vídeo. Esta, é para mim, uma das mais importantes refeições do dia e procurei apresentar sugestões de pequenos-almoços diferentes e muito apetecíveis para esta altura do ano. Sabe tão bem começar o dia com uma refeição que nos deixe com energia. Se incluirmos esta refeição nas nossas pré-preparações, torna-se ainda mais fácil fazer a primeira refeição do dia em casa.



As sopas fazem parte da parte das minhas pré-preparações. São uma excelente maneira de iniciarmos as refeições e de incluirmos mais legumes na nossa alimentação. No terceiro episódio, mostro como podemos variar as sopas da semana usando sempre a mesma base e mudando os toppings combinando os ingrediente que preparámos previamente.



Quando chegamos a casa tarde depois de um dia de trabalho e sem disposição para ir para a cozinha, ter comida feita, é uma ajuda preciosa. Como confeccionar um jantar rapidamente, é o tema do último filme do projecto. Mostro como conseguimos colocar uma refeição na mesa em cerca de 10 a 15 minutos, recorrendo às nossas pré-preparações.



Ao prepararmos comida em quantidade para a semana é importante sabermos que tipo de frigorífico temos e quais as suas características. O Side By Side da Samsung, para além de ser muito elegante, tem uma grande capacidade de armazenamento, possui um sistema de refrigeração independente e permite uma fácil organização. Por isso, aceitei o desafio da Samsung Portugal para participar no projecto Samsung Meal Prep com o frigorifico Side by Side.

Ao longo de dez semanas fui partilhando no Instagram do Cinco Quartos de Laranja as minhas pré-preparações da semana. Entre as várias ideias e sugestões que partilhei contam-se sopas, pão, gelatina, húmus, legumes assados, quinoa cozida, massa, carne assada, estufados, caris, entre muitas outras coisas que vos podem inspirar a fazer o mesmo.

Meal prep é um método que nos ajuda a simplificar as refeições e que nos permite rentabilizar o nosso tempo. Exige organização e a criação de algumas dinâmicas como planear as compras, cozinhar e conservar a comida preparada. E se tivermos um frigorífico que nos dê confiança, como o Side by Side da Samsung, perfeito! O frigorífico é o nosso grande aliado!

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Como fazer pudim de chia?


Desde que comecei a partilhar os meus pequenos-almoços no Instagram do Cinco Quartos de Laranja, que me perguntam como faço o pudim de chia.

O pudim de chia é uma mistura de sementes de chia com um líquido, normalmente leite. As sementes de chia têm a capacidade de se expandir. Depois de misturados, as sementes, em contacto com o líquido, formam uma espécie de gel.

Gosto de usar o pudim de chia nos meus pequenos-almoços. Sirvo-o muitas vezes com iogurte, fruta fresca, coco ralado, e manteiga de amendoim. Confesso, que a primeira vez que comi não me seduziu. Mas depois, aprendi a gostar e hoje, quando faço, faço em quantidade para ir comendo ao longo da semana. O pudim de chia aguenta-se no frigorífico cerca de 4 a 5 dias. Pode também ser congelado.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Tomate recheado com salmão, quinoa e bulgur


Verão é tempo de tomate. Diz-se que nesta altura do ano não há más cozinheiras.

Adoro tomate! E procuro usá-lo de maneiras diversas, seja em saladas, como acompanhamento, ou como base de muitos pratos. De há uns anos para cá, que tento aproveitar a abundância do tomate da horta que temos em Santarém, para fazer molho de tomate. A par do doce de tomate, o molho, passou a fazer parte da tradições, cá em casa. Passei a fazer todos os anos. Congelo e depois vou usando.

O tomate é um ingrediente muito versátil e podemos usá-lo de maneiras diversas. Um destes dias, decidi fazer um prato que gostamos muito, tomate recheado.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Queques de atum


Setembro é um mês de retornos e recomeços. As aulas já começaram e hoje, há quem, também, recomece o trabalho depois de uns dias de férias. A vida é mesmo assim, faz-se de ciclos. E Setembro assinala a mudança, o regresso às rotinas.

A Oliveira da Serra desafiou-me a preparar uma receita para o regresso à escola com o seu azeite. Uma das coisas com que se preocupam muitas famílias, nesta altura do ano, é o que fazer para os lanches.

As opções mais práticas passam pelas sandes, iogurtes ou uma peça de fruta. Mas podemos tentar variar os lanches dos nossos filhos e o nossos também. Deixo-vos, hoje, a receita de uns deliciosos queques de atum, muito fáceis de fazer e que ficam muito saborosos!


quinta-feira, 5 de setembro de 2019

O workshop Receitas de Verão com Salmão da Noruega, foi assim


O salmão é um peixe tão versátil. Pode ser consumido de mil e uma maneiras, tanto em pratos quentes como em frios. Cru, frito, escalfado, cozido, marinado, grelhado, fumado, é um peixe que assim que chega à mesa faz sucesso. E foi isso que tivemos a oportunidade de verificar no workshop Receitas de Verão com Salmão da Noruega, que teve lugar cá, em Lisboa, no passado dia 24 de Agosto de 2019, da parte da manhã, patrocinado por Seafood from Norway.

Como podemos filetar um salmão em casa? - foi com esta pergunta que dei início ao workshop. Peguei num salmão inteiro, lindo, e demonstrei como se pode cortar e arranjar este peixe, recorrendo às facas que temos em casa. Quem gere orçamentos familiares, sabe que a poupança é uma preocupação e ao comprarmos um salmão inteiro, fresco, podemos em casa cortá-lo e aproveitá-lo desde a cabeça ao rabo. Para além disso, o preço do salmão fresco fica bem mais em conta do que comprarmos congelado, em postas ou lombos. O salmão da Noruega encontra-se à venda nos supermercados.

Os participantes do workshop foram divididos em grupos e toda a gente cozinhou. Quem cozinha nos meus workshops, depois em casa, ao reproduzirem as receitas, sei que irão fazer ainda melhor. Isso é tão gratificante.


Preparámos seis receitas com salmão. Começámos com uma pasta que servimos com tostas. Estamos habituados a fazer as pastas com salmão fumado, mas a verdade é que ficam igualmente boas com salmão cozido ou grelhado. Preparámos também um delicioso salmão à Brás, que faz sempre sucesso nos meus workshops. Um prato para a família, que toda a gente adora. Ao preparar esta receita expliquei também como podemos cozer ou melhor, escalfar o salmão. Apresentei esta receita, há uns tempos atrás, no programa A Praça da Alegria, depois de a ter feito no workshop Receitas Práticas com Salmão que teve lugar o ano passado.

Tomate recheado com uma mistura de quinoa, bulgur e salmão, foi outra das receitas que confeccionámos. O verão é a época do ano em que o tomate nos chega na sua plenitude de sabor, por isso, há que o aproveitar. Antes de rechearmos o tomate, expliquei como se deve cortar e qual o procedimento a ter para que liberte um pouco da sua água. Há pequenas dicas que fazem realmente diferença.


O verão traz-nos o prazer das comidas frescas e dos grelhados. Por isso, preparámos a grelha e fizemos umas tentadoras espetadas de salmão com abacaxi que servimos com um arroz de coco. O arroz de coco também surpreendeu. Fica tão bom!

Salmão à Bulhão Pato e salmão no forno com crosta de ervas, foram os outros pratos que preparámos.

Foi uma manhã feliz à volta de um peixe que cada vez mais nos conquista no prato. Cozinhar com salmão é muito fácil. Podemos confeccionar este peixe das maneiras mais diversas.

Um especial agradecimento à Seafood from Norway por esta oportunidade. Obrigada a todos os que participaram e que contribuíram para uma manhã de muitas partilhas.

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Bruschettas de tomate com chocos grelhados


O Verão é uma das épocas do ano que mais convida aproveitar os dias bonitos de sol. São as idas à praia, os passeios nos jardins ou à beira-rio. São os almoços com a família.

Nesta altura do ano, procuramos fazer refeições mais leves e frescas. Optamos por saladas, sandes, sopas frias e muitos grelhados. Tentamos aproveitar o tomate da estação.

Por isso, quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com os seus chocos, pensei logo numa receita com os sabores de Verão e que fosse muito prática de preparar para que possamos aproveitar o bom tempo da estação!

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Salada de mozzarella com tomate e azeitonas


Quantas vezes pensamos em saladas para levar para a praia, para uma viagem ou até para petiscar no local de trabalho? As saladas são pratos que adoro e, que nesta altura do ano, faço muitas vezes.

Podemos combinar mil e um ingredientes, são uma excelente opção quando queremos dar destino ao que temos no frigorífico e são também uma excelente maneira de ingerirmos mais legumes.

No início do mês de Agosto, numa das minhas pré-preparações das refeições da semana, fiz uma salada para levar, que partilho, hoje, convosco. As saladas feitas previamente, só devem ser temperadas no momento de servir.

Nesta altura do ano, as saladas e as comidas frescas, são sempre bem-vindas, concordam? 

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Peito de frango salteado com legumes


Numa altura que tanto se fala de alimentação - e depois de várias leituras sobre o tema - cada vez mais, me convenço que o melhor é tentarmos fazer uma alimentação equilibrada e sem fundamentalismos. Uma alimentação com carne, peixe, leguminosas, fruta e muitos legumes. Procurem incluir legumes nas vossas refeições, principalmente ao almoço e ao jantar.

Quando a Fula me desafiou a preparar uma receita com o seu óleo de sementes de sésamo tostadas, lembrei-me de partilhar convosco uma receita que adoro, peito de frango salteado com legumes. Os legumes que uso nesta receita, são muitas das vezes os que tenho no frigorífico ou no congelador. Este é um prato delicioso e que se prepara num abrir e fechar de olhos.

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Sopa de abóbora com tomate e lentilhas


O Verão é tempo de tomate. Todos os anos a minha mãe faz uma sementeira de tomate no quintal. E agora, nesta altura do ano, temos o privilégio de o ir apanhar.

Adoro tomate. Costuma-se dizer que em tempo de tomate não há maus cozinheiros. Para mim, o tomate torna tudo mais saboroso.

Numa destas semanas, para dar destino a uns quantos tomates maduros que tinha, decidi fazer uma sopa. As sopas fazem parte das refeições da semana. E sempre que posso tento incluir os legumes da época.

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Berbigão à Bulhão Pato


As comidas de Verão são frescas, leves e, de preferência, rápidas de preparar. Os dias quentes, as idas à praia, os passeios que fazemos, nesta altura do ano, convidam a petiscos deliciosos, mas que não nos ocupem muito tempo na cozinha.

A Oliveira da Serra desafiou-me a preparar uma receita de Verão usando os seus azeites. O azeite é uma das minhas gorduras de eleição para cozinhar e temperar. Associando este ingrediente ao Verão, lembrei-me de um petisco que o meu pai fazia muitas vezes nesta altura do ano. Berbigão à Bulhão Pato. Tão bom!

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Gelatina de papaia com iogurte


O mês de Agosto, é por norma, um mês tranquilo. Quando dava aulas, era o mês de férias por excelência. Hoje em dia, nesta altura do ano, gosto de ficar por Lisboa.

Em Agosto, passei a marcar almoços com as amigas, É tão bom colocar a conversa em dia, rir, saber novidades, partilhar desejos ou vontades. Estarmos com aqueles de quem gostamos é sempre gratificante. Como ando normalmente de um lado para o outro, como tenho quase sempre os fins-de-semana ocupados, procuro nesta altura do ano estabelecer e reatar laços.

Agosto, serve também para desacelerar. Procuro andar mais a pé pela cidade e aproveitar assim o bom tempo. Gosto de tomar café nas esplanadas. Faço uma pequena caminhada depois do almoço. Tiro uma tarde, de um dos dias da semana, para ir aos saldos ou ver o que está a chegar para a nova colecção. Faço questão de ir apanhar amoras, figos, tomate e outras coisas boas que vou tendo, nesta altura do ano, no quintal em Santarém. É em Agosto que junto a família mais chegada para um almoço. O dia do nosso aniversário é um dos melhores motivos que temos para celebrar a vida. Que o façamos junto daqueles que nos acompanham sempre. Por isso, no domingo vamos ter festa!

Em Agosto, as comidas, cá em casa, seguem também o ritmo da estação. Procuro fazer refeições mais leves e frescas. Optamos muitas das vezes por saladas, sandes e sopas. Usamos e abusamos do tomate, da curgete e dos pimentos. E para as sobremesas, as escolhas recaem nas frutas que o Verão nos oferece ou, então, em delícias doces que resultem bem fresquinhas, como a sugestão que partilho, hoje, convosco. Gelatina com iogurte. Fácil de preparar e deliciosa.

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Sopa fria de pepino


Agosto finalmente brinda-nos com dias de calor! Esta é uma das minhas épocas preferidas do ano. Adoro andar com chinelos, vestidos, roupas mais leves e chapéus de sol. O tempo quente traz-nos esta liberdade.

No Cinco Quartos de Laranja, tenho procurado partilhar receitas práticas para esta altura do ano, como saladas, sandes e muitas sugestões para fazer e levar. As sopas fazem parte das refeições de forma regular, cá em casa. No Verão, procuramos ter também sopas frias.

Deixo-vos, hoje, a receita de uma sopa fria de pepino. Foi, também, uma forma de dar destino aos pepinos que trouxe da horta.