Próximos Eventos
Lisboa 24 de Novembro 2018
Sábado:
10h30 - 13h30      Workshop O Natal com Coelho
Inscrições gratuitas até 24h de 20 Novembro: cincoquartosdelaranja.com

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Queques de abóbora com pepitas de chocolate


As sextas-feiras são sempre dias que nos enchem de esperança. As sextas-feiras anunciam a chegada do fim-de-semana que, por norma, são dois dias que nos ajudam a quebrar a rotina. A abrandar. Trazem com eles a sensação de termos mais tempo para as nossas coisas, para dar atenção à família, para irmos às compras, para tomar café enquanto se lê o jornal.

Uma das coisas que gosto de fazer ao fim-de-semana é ir para a cozinha e preparar uma coisa doce. Uns biscoitos, um tabuleiro com bolachas, um bolo ... Há uns tempos, para partilhar com a família, numa tarde de Domingo com direito a lareira acessa, fiz uns deliciosos queques de abóbora a que juntei duas mãos cheias de pepitas de chocolate. Ficaram divinamente gulosos!

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Salada de bacalhau com broa de milho


Olhei, hoje, para o calendário e reparei que faltam apenas 40 dias até ao Natal, pouco mais de um mês. Por todo o lado já se começa a sentir a azáfama associada a esta época, para mim, uma das mais bonitas do ano. Há luzes e enfeites, por onde se quer que ande. As lojas encheram-se de motivos de decoração, pinheiros, bolas, pais-natais de todos os tamanhos e feitios.

Uma das coisas boas do Natal, é podermos decorar a casa, montar o pinheiro, e estar com a família. Costumo fazê-lo no primeiro dia de Dezembro, porque este é que é o mês do Natal. Mas com isso não quer dizer que não se comece a preparar antes. Não deixem para o fim a compra dos presentes. Se fizerem uma lista e forem comprando, é muito mais fácil e evitam os stresses de última hora

Na minha família adoptámos uma estratégia, há uns anos atrás, que nos ajuda a todos. Para as crianças damos presentes em conjunto. Ou seja, entre cunhados e sogros, definimos um valor por casal e oferecemos um presente. Como somos sete, cada criança recebe um e não quatro ou cinco presentes. Tão mais fácil para todos.

Enquanto começamos a preparar o Natal, deixo-vos, hoje, uma salada. Uma salada de bacalhau com broa de milho que fica muito saborosa e que poderá ser uma boa sugestão para aproveitar algumas sobras dos dias de festa.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Queques de quinoa com bacon de peru


A quinoa é um dos ingredientes que uso, há vários anos. Penso que tenho receitas de quinoa em quase todos os meus livros. Para além de ser considerada um super alimento, este pseudo-cereal é muito versátil e permite que se faça mil e uma preparações.

Quando a Primor me desafiou a fazer uma receita com o seu bacon de peru, pensei logo em juntá-lo com quinoa. O resultado foram uns deliciosos pastéis que se comem, num instante. São óptimos para um lanche, a meio da tarde, para servir nos pequenos-almoços de domingo, ou para servir como refeição. Acompanham tão bem uma salada de verdes. Cá em casa são sempre um sucesso.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Workshop O Natal com Coelho, em Lisboa


No sábado, dia 24 de Novembro de 2018, em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy, das 10h30 às 13h30 iremos ter o workshop O Natal com Coelho. A carne de coelho é um ingrediente muito versátil que nos permite a realização de mil e uma receitas. É equiparada às carnes brancas.

O Natal com Coelho vai ser um workshop muito especial, onde teremos a oportunidade de confeccionar várias receitas com carne de coelho, todas muito práticas, e que poderão servir de inspiração para os dias de festa que se avizinham. Iremos preparar uma tentadora salada de Natal, uma deliciosa bola, pratos de tacho e de forno. Vamos fazer uma mesa repleta de deliciosos pratos de coelho para servirem, à família, este Natal. No final, degustamos tudo o que foi confeccionado.

A campanha europeia de incentivo ao consumo de carne de coelho vai oferecer convites duplos aos leitores do Cinco Quartos de Laranja para este workshop. O convite está feito. Quem quiser viver esta experiência basta:

- Levar consigo um exemplar do meu livro Cozinha para Dias Felizes;

- Inscrever-se através do preenchimento do formulário a seguir apresentado, até às 24h do dia 20 de Novembro de 2018.

Serão seleccionados aleatoriamente 9 convites duplos para o workshop. Os contemplados serão contactados, a partir do dia 21 de Novembro de 2018. Cada convite é válido para duas pessoas.

Sábado, dia 24 de Novembro, vamos cozinhar com coelho? Inscrevam-se!


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Coroa recheada com creme de cacau e avelã


Já se sente a chegada do Natal. Nas ruas, as montras das lojas encheram-se de luzinhas, de ideias para presentes ou com sugestões coloridas para decorarmos a casa, nesta altura do ano. Esta é uma das minhas épocas preferidas. Não pelos presentes em si, mas por tudo o que esta quadra representa. Juntar a família. O convívio à volta da mesa. A partilha. A escolha dos menus para as diferentes refeições. A divisão de tarefas. O entusiasmo com que se vive tudo isto, é mágico.

As festas de Natal, na minha família, fazem-se à volta da mesa. E se os pratos principais estão tradicionalmente definidos, os doces para as sobremesas, ou para acompanhar o chá, não. A minha escolha recai nas massas lêvedas. Ora faço bolo-rei, uma trança ou uma coroa. Para quem, como eu, anda sempre à procura de ideias para colocar na mesa de Natal, deixo-vos, hoje, a receita feita a convite da Fermipan, de uma deliciosa coroa recheada com creme de cacau e avelã.

Fermipan é um fermento biológico feito à base de leveduras e isento de glúten. É ideal para todo o tipo de massas lêvedas, à base de farinha, ou seja, massas que têm de passar pelo processo de fermentação antes de serem cozidas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Feijoada de pato


Os dias de Outono pedem o conforto de pratos quentes. Cá em casa, nesta altura do ano, adoro fazer pratos de forno e de tacho. Pratos substanciais que nos ajudam a superar o desconforto dos dias frios, com chuva e vento. Dos dias que nos obrigam a sair de casa com botas, casaco, cachecol e guarda-chuva. Dos dias em que nos apetecia era ficar em casa, a ver a chuva a cair da janela da sala, enquanto se bebia um chá, sentados no conforto de um sofá e ouvíamos algumas das nossas músicas preferidas, a tocar na aparelhagem, já velhinha, escolhida para o móvel castanho herdado há tantos anos. Aquelas músicas que nos inspiram, que nos deixam felizes e que ouvimos, vezes sem conta.

Para um destes dias, de Outono, frios e com chuva, em que nos apetece ficar em casa, deixo-vos um prato que nos aquece o corpo e alma, uma feijoada de pato.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Caril de bacalhau com camarão e couve-flor


Cá em casa, tentamos variar a nossa alimentação. Felizmente, hoje em dia, temos uma grande variedade de produtos à nossa disposição, numa ida às compras. Podemos assim, fazer pratos diferentes com muita regularidade.

Se há pratos tradicionais que fazemos, quando juntamos a família, porque sabemos que todos gostam e é mais fácil, no dia-a-dia, ou para uma refeição com amigos, adoro fazer coisas diferentes. Há, já algum tempo, que queria experimentar fazer um caril de bacalhau. Um destes dias, para um almoço demorado, com tempo para rir e conversar à mesa, foi esta a escolha. E ficou tão bom!

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Musse de chocolate com azeite


O azeite é a alma de tantos dos nossos pratos. Um peixe cozido regado com um azeite, de qualidade, transforma-se. Uma taça de azeite para molhar o pão, antes de começarmos uma refeição, é algo que nos deixa felizes. É ingrediente indispensável na minha cozinha e provavelmente na vossa também. Cresci a ver colocar a garrafa de azeite na mesa.

Mas o azeite não é só tempero. O azeite tem um papel tantas vezes de melhorador. Uma sopa, um assado, um peixe grelhado, uma carne, uns legumes salteados, as saladas, os molhos, a maionese - que tanto gostamos- ficam tão bons quando se usa azeite, esse líquido poderoso e precioso. Nunca me esqueço da primeira vez que estive em Itália. Num dos jantares, uma das colegas italianas rega com um fio de azeite a carne fatiada de uma costeleta de vitela grelhada que partilhávamos. O sabor do azeite na carne, transformou-a. E era maravilhoso! Até à altura não me passava pela cabeça colocar azeite numa carne grelhada. Quando regressei, passei a fazer o mesmo.

Fazer azeite é um processo que requer arte e saber. E por isso, fiquei muito contente quando a Oliveira da Serra me convidou a preparar uma receita com um dos seus azeites, considerado o melhor do mundo, na categoria Frutado Verde Ligeiro, num prestigiado concurso internacional, e que se encontra à venda numa edição especial. Este azeite conjuga diferentes variedades, como a Arbequina, a Cobrançosa e a Picual, revelando na boca uma mistura de aromas verdes que nos surpreende.

E se o azeite é bom na comida, a verdade é que se usa muitas vezes em sobremesas. Tantos são os bolos, os gelados, os pudins, os biscoitos ou as bolachas que têm o azeite como ingrediente. E se juntarmos azeite a uma deliciosa musse de chocolate? Cá em casa, adorámos o resultado final. Simplesmente irresistível!

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Workshop Receitas Práticas com Salmão, em Lisboa


No sábado, dia 17 de Novembro de 2018, em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy, das 17h00 às 20h00 iremos ter o workshop Receitas Práticas com Salmão. O salmão é um peixe de elevado valor nutricional. Cozinha-se rapidamente e é muito versátil. Pode ser ingrediente para mil e uma receitas, na nossa casa.

Receitas Práticas com Salmão vai ser um workshop muito especial, onde teremos a oportunidade de confeccionar várias receitas com salmão, todas muito práticas, e que poderão servir de inspiração para diferentes momentos, à volta da mesa, seja para refeições a dois, ou para toda a família. Iremos preparar saladas, pratos de forno e muitas outras coisas boas com este saboroso peixe.

A Seafood From Norway vai oferecer convites duplos aos leitores do Cinco Quartos de Laranja para este workshop. O convite está feito. Quem quiser viver esta experiência basta:

- Levar consigo um exemplar do meu livro Delicioso Piquenique;

- Inscrever-se através do preenchimento do formulário a seguir apresentado, até às 24h do dia 13 de Novembro de 2018.

Serão seleccionados aleatoriamente 9 convites duplos para o workshop. Os contemplados serão contactados, a partir do dia 14 de Novembro de 2018. Cada convite é válido para duas pessoas.

Sábado, dia 17 de Novembro, vamos cozinhar com salmão? Inscrevam-se!


sexta-feira, 2 de novembro de 2018

10 dicas para quem quer fazer pão em casa


Compro, algumas vezes, pão nas padarias e supermercados. Compro principalmente quando vejo um pão com uma combinação, ou um ingrediente, que me desperta a curiosidade. Por exemplo, há uns anos passei por Aveiro, e não resisti a comprar pão com algas. Gosto de comprar pão quando visito alguma cidade. Compro pão, de vez em quando, para consumirmos no dia-a-dia ou para fazer alguma receita que pede um determinado tipo de pão. Mas, a verdade, é que desde que comecei a fazer pão em casa, passei a olhar para este alimento de outra forma. E já não sou só eu. A família, sempre que há um almoço ou jantar, ao pegar o pão que está na mesa, pergunta logo: « Foste tu que fizeste? ». O pão feito em casa é único e verdadeiramente especial. Tem sempre um sabor diferente, intenso, guloso e podemos fazer mil e uma combinações de ingredientes.

Fazer pão em casa, pode, à partida, parecer complicado. Juntar as farinhas, escolher a levedura, acertar a quantidade de água, o sal. Amassar. Deixar a levedar. Perceber se já está lêvedo, ou se já levedou demais. Enrolar e colocar o pão no forno. As massas têm os seus caprichos que mudam do Verão para o Inverno, dos dias secos e quentes para os dias húmidos. Mas, quando se compreende as massas, fazer pão é mágico. Há algo de primordial no processo de fazer pão. Algo que nos deixa felizes. E quando começamos a fazer pão queremos partilhar essa alegria com os outros.

10 dicas para quem quer começar a fazer pão, em casa, ou para quem já faz e quer melhorar:

1. Ler a receita do princípio ao fim. Já deve ter acontecido a todos, ver a imagem de um pão ou receita com um aspecto maravilhoso e quando se coloca as mãos na massa, percebermos ou que nos falta algum ingrediente, ou que a receita exige técnicas ou equipamentos que não temos. Há receitas de pão que pedem, por exemplo, pré-fermentos feitos de véspera. Ler sempre a receita do princípio ao fim, ver se entenderam tudo - há receitas mais claras do que outras - e só depois, então, partir para a acção.

2. Fazer a mise en place. Ou seja, colocar, na bancada de trabalho, os ingredientes pesados e pela ordem que devem entrar na receita. Termos todos os ingredientes, à mão, ajuda-nos a poupar tempo e é uma forma de não nos esquecermos de nenhum. Imaginem, começarem a fazer uma massa, colocarem a farinha e mais alguns ingredientes e entretanto já não saberem se colocaram o sal ou a levedura seca, por exemplo! Ou então, irem pesar um ingrediente que se aperceberam que falta, quando já começaram a amassar! Assim com tudo disposto e organizado é muito mais fácil.

3. Usar uma balança digital. Estas balanças ao mostrarem o peso, permitem uma maior precisão. Passei a pesar também os líquidos. Se a receita diz 340 ml de água podem colocar 340 g. Para resultados mais consistentes, pesem tudo. Incluindo os ovos, azeite, etc. No entanto, para quantidades muito pequenas, recorro a colheres medidoras.

4. Escolha da levedura. Podem optar por levedura fresca. Encontra-se facilmente à venda nos supermercados em cubos de 25 ou 45 g, guarda-se no frigorífico e dura um mês. Ou por levedura seca, óptima para usar quando fazemos pão que requer pouca quantidade de fermento, ou para os nossos pré-fermentos. Esta levedura, em comparação com a fresca, apresenta uma maior durabilidade. Nas receitas quando se quer converter a levedura fresca para seca, usa-se 1/3 desta última. Ou seja 30 g de levedura fresca corresponde a 10 g de levedura seca. A levedura fresca pode-se congelar, mas como é um ser vivo, à medida que o tempo passa, pode ir perdendo a sua capacidade de fermentação. Ao descongelar, usa-se um pouco mais.

5. Amassar. Podem amassar à mão, usando um robot de cozinha ou uma batedeira. À mão, para que o glúten se desenvolva, normalmente aconselha-se a que se amasse durante, aproximadamente, 10 minutos. Lembrem-se que podemos amassar de várias maneiras. Hoje em dia, há métodos para amassar baseados em intervalos de descanso das massas, o que se revela menos trabalhoso.

6. Forno. Os fornos, como sabemos, são todos diferentes. É importante conhecermos o nosso forno e se for caso disso, adaptarmos a temperatura ou o tempo de cozedura.

7. Relaxar. Fazer pão não deve ser um factor de stress. Pelo contrário. Deve ser um momento que nos ajude a descontrair. Há lá coisa melhor do que amassar enquanto se colocam os pensamentos sobre a vida em ordem e se ouve uma música inspiradora que nos faz viajar?! As massas são caprichosas, não vamos fazer o pão perfeito. Há dias, que vai correr muito bem. Há dias em que não vai correr tão bem. Se começarem a fazer pão com uma atitude descontraída, vai ser tudo mais fácil.

8. Escolher as receitas. A escolha das receitas é muito importante. Fazer pão, de uma forma básica, é juntar farinha, sal, água e levedura. Comecem com uma ou duas receitas fáceis. Há medida que ganham confiança, que vão conhecendo as massas e o modo como o vosso forno se comporta, podem então ir arriscando em receitas mais complexas. Por exemplo, pães com maior hidratação, pães com fermentações longas. Fazer pão é um processo e estamos sempre a aprender.

9.Tomar notas. É fundamental tentarmos perceber o que correu bem e o que correu mal. Depois de escolherem, uma ou duas receitas, e de as colocarem em prática podem ir fazendo pequenas alterações. Se fazem um pão de trigo numa semana, na semana seguinte podem fazer um pão de trigo com centeio. Tomem nota da quantidade de farinha usada e da hidratação. Se gostaram do resultado final, tudo bem, senão, identifiquem que alterações querem fazer. Talvez, por exemplo, mudar a percentagem de farinha de centeio usada, porque ficou um pão pesado e não era isso que queriam. Um pão mais hidratado faz alvéolos maiores, há quem goste e há quem não goste. Uma massa mais hidratada pode revelar-se mais difícil a amassar.

10. Persistência. Fazer pão é uma deliciosa aventura. É preciso ir fazendo e não desistir. Quanto mais fizermos, melhor vamos entender os caprichos das massas. Comecem a fazer pão em casa. Insistam. Persistam. Divirtam-se!

Vamos fazer pão?

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Pescada no forno com tomate e presunto


Adoro peixe. Cá em casa, tentamos incluir peixe em várias das nossas refeições. Um dos peixes, que para mim entra na lista dos indispensáveis a ter no congelador, é a pescada. Cozida, não é assim tão apreciada, cá em casa. A verdade, é que é um peixe muito versátil e pode entrar em muitas outras receitas.

Agora que os dias estão a ficar mais frios, com sabor a Outono, começam também a saber melhor os pratos de forno. Pratos que nos reconfortam o corpo e a alma. Por isso, quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com as suas postas de pescada, a escolha recaiu num prato de forno, cheio de sabor. Pescada no forno com tomate e presunto, são servidos?

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Bolonhesa de frango


Organizar as refeições da semana é uma forma de rentabilizarmos as nossas compras e o nosso tempo. É uma forma de conseguirmos colocar na mesa, para família, refeições com qualidade, mesmo naqueles dias em que chegamos cansados e com pouca motivação para estar na cozinha.

Uma das coisas que costumo fazer, para depois ir incluindo nas refeições da semana, é carne à bolonhesa. Esta é uma pré-preparação muito versátil. Pode-se fazer em quantidade e congelar, em doses, para se ir usando. Com uma carne à bolonhesa podemos fazer empadão, lasanha, pizas, chili, entre muitas outras receitas.

Na última vez que fiz carne à bolonhesa, optei por carne de frango e o resultado, cá em casa, foi muito apreciado!

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Workshop Vamos Fazer Pão, em Lisboa


Dia 10 de Novembro de 2018, das 15h às 19h, irá ter lugar o workshop Vamos Fazer Pão? na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa.

Neste workshop vamos aprender técnicas para fazer bom pão, em casa. Entre os pães a confeccionar, destacam-se o pão de trigo, o pão de mistura com figos e nozes, os famosos pães tigre, e o pão de abóbora assada, que fica com uma cor linda, que quase parece uma broa. Iremos também fazer pão doce como uns tentadores Pães de Deus e uns irresistíveis rolos de canela.

O workshop tem uma componente prática, onde toda a gente amassa, enrola os diferentes pães e acompanha o processo de cozedura no forno. Para além disso, são dadas também indicações teóricas sobre a fórmula básica para fazer pão, sobre os diferentes fermentos e pré-fermentos que podemos usar, sobre a água, sobre o sal e outros elementos que podemos incluir nas nossas amassaduras, como gorduras, especiarias, legumes e sementes. Todos os participantes, no final, ficarão aptos a fazer bom pão, em casa!

Aceitam o desafio? Vamos Fazer Pão?

No final do workshop, degustamos todos os pães que forem preparados num delicioso lanche entre muitas conversas e boa disposição.

Fazem-me companhia?

EUR 50 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

Workshop Entradas e Aperitivos para Dias de Festa, em Lisboa


No próximo dia 10 de Novembro de 2018, sábado, quem quer vir cozinhar entradas e petiscos deliciosos para dias de festa? Das 10h às 13h, na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa, terá lugar o workshop Workshop Entradas e Aperitivos para Dias de Festa. Este é um workshop a pensar nos dias de festa que se avizinham, em que juntamos a família e os amigos à volta da mesa. Nestes momentos, se forem como eu, todas as sugestões são bem-vindas de modo a colocarmos na mesa entradas diferentes e saborosas.

Entre outras coisas, iremos fazer croquetes de alheira com diferentes coberturas e servidos com uma tentadora maionese. Vamos fazer palmiers salgados, um creme de espargos com uma cobertura de amêndoa crocante e linguiça que vai surpreender, fatias de pão grelhado com fatias de queijo e cebola caramelizada com vinho do Porto. Nesta manhã de workshop vamos encher uma mesa de muitas coisas boas para servirem como entradas nos dias de festa.

No final do workshop, reunimo-nos à volta da mesa, e degustamos tudo o que foi preparado. Será servido um vinho para brindarmos aos momentos bons da vida.

Fazem-me companhia?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Vamos fazer pão: Pão de alfarroba no tacho


Fazer pão é uma verdadeira paixão. Quando começamos a fazer pão, quando começamos a compreender as massas, há como que uma revelação, um entusiasmo quase infantil que nos motiva a querer continuar. O prazer de fazer um pão com as nossas mãos é algo mesmo muito especial!

Faço, pelo menos, um pão por semana. Como procuro variar a minha alimentação, gosto de ir fazendo pães diferentes. Adoro misturar farinhas. Uso sempre o trigo, mas por vezes, gosto de lhe acrescentar farinhas de outros cereais, ou de sementes. Um dos últimos que fiz, foi com farinha de alfarroba e ficou um pão delicioso e com um miolo cheio de alvéolos. Cá em casa, adoramos este tipo de pão.

A receita que partilho, hoje, foi desenvolvida a convite da Fermipan. Fermipan é um fermento biológico feito à base de leveduras e não tem glúten. É ideal para todo o tipo de massas lêvedas à base de farinha, ou seja, massas que têm de passar pelo processo de fermentação antes de serem cozidas. Vamos fazer pão?

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Arroz de goraz à pescador


Adoro pratos de arroz. Nós portugueses somos os maiores consumidores de arroz da Europa. Penso que no nosso receituário as receitas de arroz devem ser superiores às de bacalhau. O arroz vai bem com tudo. Pode ser prato principal ou acompanhamento. Pode ser usado como ingrediente em diferentes preparações, sejam elas doces ou salgadas. Arroz é daqueles ingredientes que fazem sempre parte dos indispensáveis da minha despensa. Uso arroz nacional de produtor. 

Um destes dias para dar destino a um goraz, oferta do meu pai que vai muitas vezes à pesca e me presenteia com um peixe de mar maravilhoso, decidi fazer um arroz a que juntei marisco. Ficou malandrinho, cheio de sabor.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Bolo de leite de coco


Há prazeres que nunca se esquecem e que de uma forma, ou de outra, os procuramos manter. Quando era miúda, era hábito fazermos, na minha casa, um bolo ao domingo. Um bolo para colocar na mesa para alguma eventual visita, ou simplesmente para termos o prazer de o saborear com um chá, ou café, a meio da tarde. Fazer um bolo ao domingo, um ritual tão simples e ao mesmo tempo tão especial.

No passado domingo, voltei à cozinha. Escolhi a forma. Abri o frigorífico e tirei os ovos e a manteiga. Da despensa trouxe os restantes ingredientes. Na memória tinha o cheiro doce, quente, de um perfumado bolo polvilhado com coco ralado, partilhado tantas vezes em família. Meti as mãos à obra e o resultado agradou a todos os que o provaram. Quem sabe se também ajudei alguém a construir memórias à volta de um bolo feito ao domingo?

A preparação deste delicioso bolo de leite de coco, que me fez viajar até à minha infância, e que partilho, hoje, convosco, foi feita a convite da Ayam. O leite de coco é um ingrediente muito versátil e resulta bem em sobremesas e pratos salgados. Não tem glúten, é isento de lactose e não possui conservantes.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Asinhas de frango panadas


O Outono traz dias mais frescos. Traz a vontade de começar a assar castanhas, marmelos, batata-doce. Traz o prazer de acender a lareira, de colocar na mesa pratos de conforto, como sopas quentes de abóbora com feijão seco e uma mão cheia de couve lombardo cortada em tiras, guisados demorados com batatas, cenouras e cogumelos, pão acabado de fazer ou uma chávena de chá com uma fatia de bolo, saboreada a ver o vento passar pelas folhas douradas das árvores.

E para petiscar? O que apetece nesta época do ano? Saladas, tábuas de queijos e enchidos, e petiscos de conforto, como umas asinhas de frango fritas, ligeiramente picantes e comidas enquanto estão mornas com um molho de maionese e alho. Delicioso! Partilho, hoje, a receita das asinhas, convosco. Espero que gostem.

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Master class Pão Artesanal com Massas-mãe, no Porto


Vamos fazer pão? Vamos fazer pão com pré-fermentos e massas-mãe? No dia 3 de Novembro de 2018, sábado, irá ter lugar o workshop master class Pão Artesanal com Massas-mãe que irá decorrer das 10h30 às 18h30, no WORK espaço criativo. Esta master class é dirigida a quem quer começar a fazer pão em casa ou para quem já faz e quer melhorar algumas técnicas usando pré-fermentos e fermento natural.

Neste workshop iremos fazer vários tipos de pão - pão de trigo, pão de mistura, pão com legumes, entre outros, mas o foco principal estará nas técnicas usadas para fazermos um bom pão artesanal em casa. Iremos falar de pré-fermentos, de como podemos fazer e alimentar um fermento natural ou isco, de fermentações longas, de como podemos controlar a fermentação das nossas massas, entre outros aspectos fundamentais para quem quer começar a fazer pão usando massas-mãe.

No final, reunimo-nos à volta da mesa e saboreamos tudo o que preparámos. Vamos fazer pão?

Inscrições e mais informações:
work@sott.pt   WORK espaço criativo
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Moamba de galinha com batata-doce


Há pratos, de outras cozinhas, de que ouvimos falar e que por um motivo, ou por outro, vamos adiando a sua preparação. Quando a Guinea's me convidou a preparar um prato com a sua moamba, confesso que pensei logo em preparar uma moamba de galinha. Uma moamba idêntica a uma que provei, há uns anos atrás, feita pelas mãos de uma cozinheira angolana, com uma história incrível de vida, e que adorei.

Pelo que sei, há várias maneiras de fazer moamba. É importante usarmos uma carne feita, e depois acrescentarmos legumes. Mas a moamba não é um prato exclusivamente feito com carne, podemos fazê-la também com peixe.

A moamba Guinea's, é um preparado ou melhor, um molho base muito usado na cozinha africana. Para quem nunca experimentou moamba, digo-vos que é muito fácil de fazer, é um prato que agrada, por certo, a toda a família. Ter já o molho pronto a usar é mesmo muito prático. Não há desculpa para não fazermos em casa.

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Salada de fruta com vinho do Porto e hortelã


Salada de fruta é uma daquelas sobremesas que faz, quase sempre, parte da mesa da família em dias de festa. Toda a gente adora. Mesmo que não tenhamos outras sobremesas, a salada de fruta, faz sempre sucesso!

Há uns tempos atrás, decidi fazer uma salada com as frutas que tinha, cá em casa, e juntei um pouco de vinho do Porto, como antigamente se fazia na casa dos meus pais. O resultado foi uma taça colorida, deliciosa e que fresquinha soube mesmo bem. Adoro salada de fruta. E vocês?

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Bruschettas de queijo de cabra com figos


Adoro queijo! Sempre que há um almoço ou encontro com a família e amigos, uma das primeiras coisas que penso em colocar na mesa, para irmos picando, é queijo. Queijo, pão, azeitonas e vinho, são daqueles ingredientes que procuro ter sempre, para estes momentos de convívio.

Para dar destino a alguns dos figos que tinha, cá em casa, decidi fazer umas bruschettas com queijo de cabra para servir como entrada num almoço de domingo. O resultado foi um verdadeiro sucesso. O sabor intenso do queijo combinou de forma gulosa com o doce dos figos e com a textura crocante do pão. Tão bom!

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Vamos fazer pão: Pão de espelta com sultanas, nozes e arandos


O pão é dos alimentos mais populares no mundo e um dos mais antigos. Versátil, porque para além de ter presença à mesa, é também ingrediente para muitas receitas, tanto salgadas como doces. Comemora-se, hoje, o Dia Mundial do Pão, data instituída em 2000, em Nova York, pela União Internacional de Padeiros e Afins.

O pão fermentado surgiu com os egípcios e o seu consumo foi difundido, na Europa pelos Romanos. Continua, hoje em dia, a ser um alimento presente em muitas casas portuguesas. Cresci a ver a minha mãe a fazer pão, para a família, o que me serviu de inspiração para tentar, hoje em dia, fazer pão em casa. Um hábito que se foi perdendo nos últimos anos devido à facilidade com que se encontra à venda. Mas se o pão de compra, de uma maneira geral, é bom, o feito em casa, pelas nossas mãos, é sem dúvida único e muito especial. Fazer pão em casa é um hábito que, aos poucos e poucos, se vai retomando.

E é esse o desafio que vos deixo. Para comemorar o Dia Mundial do Pão, vamos colocar as mãos na massa? Penso que é uma das melhores formas de homenagear esta data. A receita que partilho, hoje, foi desenvolvida a convite da Fermipan, um pão com mistura de farinhas, enriquecido com nozes e frutas secas. Fermipan é um fermento biológico feito à base de leveduras e não tem glúten. Vamos fazer pão?

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Perna de peru assada no forno com batatas


O Outono, a pouco e a pouco, faz sentir a sua presença. As manhãs e as noites começam a ficar mais frias e a chuva já chegou. Dos armários e gavetas tiramos os casacos e as roupas mais quentes. As botas e o guarda-chuva estão prontos a usar.

Na cozinha, começam a apetecer pratos de conforto, cozinhados no tacho ou no forno. Adoro pratos de forno! Um dos últimos que fiz foi uma perna de peru assada com batatas, de um dos perus que criámos no quintal em Santarém. Um prato simples, mas sempre que chega à mesa, toda a gente adora.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Chutney de figos com vinho do Porto


A época dos figos está a chegar ao fim. Os figos são uma fruta que adoro. Assim que chegam os primeiros figos, nas figueiras que temos no quintal em Santarém, cá em casa, começo logo a dar-lhes destino. Uso-os em saladas, em sobremesas, em doces e compotas e de há uns anos para cá, comecei a fazer chutney.

O chutney é um molho ou condimento agridoce que também pode ser picante. O mais conhecido, penso que seja o de manga. Mas pode-se fazer chutney de várias frutas e legumes. A receita que partilho, hoje, é com figo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Abacaxi grelhado com creme de mascarpone


A pouco e pouco, já se nota a diferença nos dias. As manhãs e as noites chegam mais frias. Há dias, em que a chuva começa a dar um ar de sua graça, mesmo que nos outros, o calor a fazer lembrar as férias, seja uma presença constante.

Quero tanto que os dias de Outono se instalem, de uma vez por todas. Adoro o tempo quente e todas as coisas boas que associo sempre ao Verão. Mas, assim que o Outono chega, vem também a vontade de mudar o guarda-roupa, de procurar fazer refeições de tacho, com sabor a conforto. Também vos acontece?

Partilho, hoje, convosco uma das últimas sobremesas que fiz para um almoço, cá em casa. O dia estava quente e por isso a decisão de fazer uma sobremesa passou pelo calor da grelha. Abacaxi grelhado com creme de mascarpone é simplesmente divinal. Sabe a um dia quente de Verão mas com os aromas reconfortantes de uma tarde de Outono, em frente à lareira. Espero que gostem.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Workshop Receitas Rápidas para o Jantar, em Lisboa


Dia 21 de Outubro de 2018, domingo, das 15h00 às 18h00, irá ter lugar o workshop Receitas Rápidas para o Jantar, na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa. O objectivo deste workshop é ajudar todos aqueles que procuram ideias práticas e acessíveis para as refeições da semana, em família. Iremos confeccionar várias receitas que irão surpreender, umas pela conjugação de ingredientes, outras pela rapidez com que as iremos preparar. Pois quando se chega a casa, depois de um dia de trabalho, ou de uma viagem, o que queremos é colocar a comida na mesa para a família o mais rapidamente possível. Comida, de preferência saborosa, feita com ingredientes frescos.

Para além das receitas confeccionadas, iremos falar sobre o planeamento semanal das refeições, com dicas sobre o tipo de pré-preparações que podem realizar para ser muito mais fácil fazerem o jantar, nos dias em que se chega a casa com o tempo contado para se estar na cozinha. Iremos também falar de como podem tentar aumentar o consumo de legumes às refeições.

No final do workshop, reunimo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi preparado. Será servido um vinho para brindarmos aos momentos bons da vida.

Fazem-me companhia?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Workshop Vamos fazer Risotto?, em Lisboa


No próximo dia 21 de Outubro de 2018, domingo, quem quer vir fazer risotos? Das 10h às 13h, na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa, terá lugar o workshop Vamos fazer Risotto?. Este é um workshop para quem quer aprender ou melhorar a técnica de fazer risoto.

O risoto é uma técnica de confeccionar pratos de arroz e neste workshop vamos aprender a fazer diferentes tipos de risoto. Vamos também falar de técnicas, de caldos que nos irão ajudar a tornar o sabor deste prato inesquecível. Vamos falar também de ervas aromáticas, de queijos, de especiarias que se podem usar, e dos diferentes tipos de arroz indicados para fazer este tão apreciado prato italiano. Para vos abrir o apetite posso dizer-vos que vamos fazer 6 pratos de risotto diferentes.

No final, juntamo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi preparado, em jeito de festa e com um copo de vinho para brindar. Vamos fazer Risotto?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Salada de queijo de cabra com pêssego e figos grelhados


E mais uma semana que começa. Sempre que a segunda-feira chega, temos a sensação de recomeço. Mais uma semana, mais uma janela com sete dias com inúmeras possibilidades à nossa espera.

Confesso que olho para o começo da semana sempre com uma energia positiva e penso, o que quero fazer esta semana que me possa deixar feliz?

Gosto de acreditar que somos nós que podemos fazer algumas coisas acontecerem. Somos nós que podemos mudar a nossa vida de maneira a conseguirmos fazer aquelas coisas de que gostamos. Trabalhar, cuidar da casa e da família, são coisas fundamentais, na nossa vida. Mas há semanas, há dias, em que penso que temos que fazer coisas que nos deixem felizes. Ler um romance. Tomar café com amigos. Passear ao final do dia junto ao Tejo. Ir às compras. Podemos pensar em começar um novo hobbie, mesmo que se ache que não se tem tempo. Penso muitas vezes que a vida é tão curta e quando olhamos para trás, as oportunidades, os momentos, já passaram. Por isso, cada semana, é mais um conjunto de dias, de horas, em que podemos fazer muitas coisas que nos deixem felizes.

E uma das coisas que, de há uns tempos para cá, decidi mudar foi a minha alimentação. O modo como comemos também influencia a nossa felicidade. Por isso, quero cada vez mais que os meus pratos sejam coloridos, cheios de vida e que transmitam sorrisos. Deixo-vos, hoje, uma salada deliciosa. Espero que gostem.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Pescada gratinada com cenoura e queijo


Depois das férias, começamos a regressar, aos poucos e poucos, às nossas rotinas. Organizamos as compras da semana, definimos as refeições a preparar, escolhemos o que devemos colocar nas lancheiras para levar para o trabalho. Pensar na comida que queremos ter no nosso prato é cada vez mais uma preocupação.

Um dos pratos que faço, cá em casa, muitas vezes e que depois de cozinhado congelo para ter pronto a consumir nos dias em que chego a casa tarde, é pescada gratinada com cenoura e queijo. Fica tão bom! Por isso quando, a Parmalat me desafiou a preparar uma receita com o seu béchamel isento de glúten, pensei logo em partilhar convosco, esta receita. É um prato muito prático, e que toda a família adora.

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Tomatada com curgete e ovos


Há dias, em que ando a mil. Reuniões, trabalhos, orçamentos, cursos e formações ao final do dia. Quando chego a casa, muitas vezes, só quero fazer algo muito rápido para colocar na mesa. Procuro ter sempre sopa feita. A sopa é uma boa maneira de iniciarmos uma refeição e há alturas, em que por si só, constitui uma refeição. Aconchega. Reconforta. E a verdade é que depois de comermos um prato de sopa ficamos logo com menos fome.

Um destes dias, para dar destino ao molho de tomate que fiz, decidi usá-lo num prato rápido, mas que fica muito saboroso. Cá em casa, todos adoramos, tomatada com ovos. Como procuro introduzir cada vez mais legumes, nas nossas refeições, acrescentei uma curgete. A curgete fica crocante, muito saborosa porque acaba por absorver os sabores do tomate. Espero que gostem.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Molho de tomate com orégãos


Uma das coisas boas que o Verão nos oferece, para além dos dias bonitos cheios de sol, é o tomate. O tomate, no Verão, chega-nos cheio de sabor. Comer um tomate, nesta altura do ano, apenas polvilhado com uma pitada de flor-de-sal, é uma verdadeira festa de sabor. Adoro tomate!

Uma das coisas que faço todos os anos em que o tomate me chega da horta em abundância, é molho de tomate. Faço uma ou duas panelas. Congelo e depois, durante o ano, vou usando. Durante o ano, é uma maneira de dizer. Penso que só tenho conseguido fazer molho de tomate para seis meses! Uso-o imenso. Em sopas, em assados, refogados, nas pizas, em recheios ... Ter molho de tomate pronto a usar dá imenso jeito!

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Workshop Vamos Fazer Pão? em Outubro, no Porto


O workshop Vamos Fazer Pão? está de volta. Vai ser no sábado, dia 13 de Outubro de 2018, das 15h30 às 19h30, no WORK espaço criativo.

Neste workshop, iremos fazer vários tipos de pão. Pão de trigo, pão de mistura com nozes, pãezinhos tigre, pão com abóbora assada e pão doce, como uns irresistíveis e tentadores rolos de canela.

Fazer pão é sempre uma experiência muito gratificante Para além de colocarmos a mão na massa, iremos falar do processo de fazer pão, das farinhas, das leveduras, da fermentação, dos materiais necessários e dos métodos de cozedura usando os nossos fornos de casa. Depois deste workshop fazer pão em casa vai tornar-se ainda mais fácil!

No final, juntamo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi preparado.

Vamos Fazer Pão?

Inscrições e mais informações:
work@sott.pt   WORK espaço criativo
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

O workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D foi assim ...


O pão é vida, é um alimento ancestral que nos conforta o corpo e a alma. Juntar farinha, sal, água e levedura numa taça, amassar com a força das nossas mãos, levar ao forno e colocar na mesa, para a família, um pão feito por nós, é pura felicidade!

E foi isso que fizemos no passado sábado no workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D, cá em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy. Fizemos diferentes tipos de pão para diferentes momentos. Amassámos um pão de mistura com figos e nozes, perfeito para servir com queijos, enchidos, e uma garrafa de vinho num dia feliz.


Colocámos no forno uma foccacia com cebola caramelizada - ideal para servir como entrada num dia de festa ou quando juntamos a família, à volta da mesa. Preparámos, também, uns tentadores pães tigre para as sandes da semana, uns pães de forma de alfarroba para os pequenos-almoços, um tabuleiro de pãezinhos com chouriço que sabem sempre bem e em jeito de sobremesa, uns maravilhosos rolos de canela, que fazem sempre as delícias de quem os prova. Tão bons!

Neste workshop usámos a levedura Activa Vita D, um fermento de padeiro em pó com vitamina D, que encontram à venda nos supermercados. Felizmente, que cada vez mais se fala da importância desta vitamina para a nossa saúde e agora que o Outono chegou devemos estar mais atentos à chamada vitamina do sol. Colocá-la no pão, um alimento do nosso dia-a-dia, não custa nada.


Depois de falarmos de leveduras, dos tempos de fermentação, do uso de diferentes farinhas e de todos os pães cozidos, juntámo-nos à volta da mesa para degustarmos tudo o que foi confeccionado. Houve ainda tempo para um brinde às coisas boas da vida e à felicidade que é fazer pão. O pão, feito por nós, é único.

Obrigada à Lallemand pela oportunidade de realizar este workshop e a todos os que estiveram presentes. Vamos fazer pão?

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Wraps de barrinhas de pescada panada


Setembro é o mês de regresso ao trabalho, para os crescidos, e os mais pequenos voltam, também, às suas rotinas na escola. Nesta altura do ano, começamos novamente a pensar em soluções práticas para os almoços ou para os lanches de toda a família.

Entre a azáfama de casa e do trabalho, todas as ideias para prepararmos refeições rápidas e saborosas, são por certo, muito bem-vindas. Por isso, quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com as barrinhas de pescada panada, pensei logo em algo que, cá em casa, adoramos - wraps - e que é muito prático, seja para levar, seja para fazer uma refeição em família. Aceitam a sugestão?

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Carpaccio de abacaxi com lima e hortelã


Ananás ou abacaxi?

Confesso que quando penso em ananás lembro-me, logo, do ananás dos Açores. Há uns anos atrás, quando estive em São Miguel, visitei uma estufa de produção de ananás, onde tive a possibilidade de aprender algumas curiosidades do cultivo deste delicioso fruto. Não sei se vos acontece, mas acabo, no dia a dia, por usar mais a palavra ananás mesmo que vá comprar um abacaxi! Cá em casa, tenho sempre alguém que me diz: « - Mas compraste um ananás ou um abacaxi? »

Qual é então a diferença? O ananás e o abacaxi são o mesmo fruto, podendo existir variedades mais doces ou mais ácidas, só que cultivados em locais e de maneiras diferentes. O ananás é produzido, principalmente, no sul do Brasil e no Paraguai. Demora 18 meses a ser produzido e só é apanhado quando está maduro. Quando visitei as estufas de ananases nos Açores, explicaram que controlam a produção usando um método que envolve o uso de fumo, para poderem fazer face ao aumento de procura por este fruto no Natal e na Páscoa. O abacaxi é cultivado ao ar livre em países tropicais como a Costa Rica, é mais doce e tem uma forma mais alongada. É também uma opção mais económica.

Cá em casa, consumimos abacaxi e ananás, apesar de comprar mais vezes abacaxi. E foi com abacaxi, que um destes dias, fiz uma refrescante sobremesa para servir num almoço demorado, cá em casa. Fazer sobremesas com fruta é tão prático!

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Esparguete com curgete, tomate e queijo Brie


O mês de Setembro é sempre um mês de recomeços. Foi durante anos, para mim, o começar de um novo ano, de um novo ciclo, com novos projectos e objectivos. Este ano, o mês de Setembro, foi vivido de outra forma. Estive de férias nas primeiras duas semanas. Fui pela primeira vez à ilha da Madeira e adorei. As paisagens, as idas ao mar, a comida, as pessoas, tudo isto me deixou com muita vontade de voltar.

Depois das férias, o regresso à minha cozinha faz-se de forma progressiva. Quando estou fora, antes de viajar, gosto de limpar o frigorífico. Deixo apenas as coisas que têm um prazo de validade alargado. E antes de ir de férias, um dos pratos que fiz para dar destino a algumas das coisas que tinha, foi a receita que partilho, hoje. Um prato de esparguete, simples, mas com muito sabor. Experimentem!

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Salada caprese com figos grelhados e presunto


Este, deverá ter sido o Verão, em que mais saladas caprese fizemos, cá em casa. Esta é uma daquelas saladas que unem a simplicidade a um sabor irresistível.

Para nós, esta foi e continua a ser, uma das nossas saladas preferidas para servir como entrada numa festa ou num almoço, nesta altura do ano. É fresca. Saborosa.

A versão que partilho, hoje, é com presunto e figos grelhados. Já vos disse que adoro figos grelhados? Ficam tão bons!

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Feijoada de camarão


Há pratos deliciosos que vamos fazendo, de vez em quando. Pratos que gritam conforto. Pratos que nos sabem bem, em todas as estações do ano.

Um destes dias, para um dos nossos almoços de fim-de-semana, fiz uma feijoada de camarão. Este é daqueles pratos que nos sabe sempre bem, esteja frio ou calor. Acompanhámos com uma garrafa de vinho branco bem fresco. A receita, partilho-a, hoje. Gostam?

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Passata de tomate


Nesta altura do ano, o Verão brinda-nos com uma colheita farta de tomate na nossa horta. A minha mãe é quem adora escolher as variedades a colocar na terra. É ela quem cuida sempre da nossa plantação de tomate. Quando chega a altura de apanhar, vamos as duas. Enquanto apanhamos o tomate, falamos da vida. Dos sonhos, das angústias, das coisas boas, das preocupações. No final, rimo-nos. E sentimos aquele bocadindo, longe de tudo, como um momento precioso e doce.

Com a abundância de tomate que foi chegando à minha cozinha, este ano, voltei a fazer mil e uma saladas, pratos com muito tomate, molho de tomate e passata. Este ano decidi fazer passata, que é simplesmente tomate cozido, limpo de sementes. Sem mais nada, ao contrário do molho de tomate que leva temperos. A passata é ideal para usarmos quando o tomate já não está na sua plenitude de sabor, e temos dificuldade em encontrar tomate delicioso para os nossos cozinhados. Deixo-vos, hoje, a indicação de como fiz a minha passata.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D, em Lisboa


No sábado, dia 22 de Setembro de 2018, em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy, das 10h30 às 14h00 iremos ter o workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D. Neste workshop iremos colocar as mãos na massa e fazer diferentes tipos de pão com mistura de farinhas usando o fermento de padeiro em pó com vitamina D.

A deficiência de vitamina D, conhecida como a vitamina do sol, tem sido identificada como a causa de algumas doenças. Por isso, a indústria alimentícia já usa vitamina D para enriquecer alguns produtos. Em prol do nosso bem estar, é uma vitamina a que devemos dar mais atenção.

Vamos Fazer Pão com Activa Vita D vai ser um workshop muito especial, onde terão a oportunidade de colocar as mãos na massa, e de certo, que irão aprender a fazer bom pão para depois experimentarem em casa.

A Lallemand vai oferecer convites duplos aos leitores do Cinco Quartos de Laranja para este workshop. O convite está feito. Quem quiser viver esta experiência basta:

- Levar consigo um exemplar do meu livro O Livro de Petiscos da Isabel;

- Inscrever-se através do preenchimento do formulário a seguir apresentado, até às 24h do dia 18 de Setembro de 2018.

Serão seleccionados aleatoriamente 9 convites duplos para o workshop. Os contemplados serão contactados, a partir do dia 19 de Setembro de 2018. Cada convite é válido para duas pessoas.

Sábado, dia 22 de Setembro, vamos fazer pão? Inscrevam-se!


quarta-feira, 5 de setembro de 2018

10 dicas para organizar as refeições da semana (mesmo quando não se tem tempo)


Setembro é um mês de recomeços. É o mês de regresso ao trabalho, para muitos. Significa também o regresso às rotinas de sempre. Para mim, foi, durante muitos anos, um mês que significava um novo ano, com novas metas e objectivos a atingir.

Depois das férias, o regresso a casa e ao trabalho nem sempre é fácil. Por vezes, todas as dicas são preciosas. E para quem quer começar a organizar as refeições da semana e a pensar nos almoços para levar para o trabalho, deixo-vos algumas dicas ou práticas que uso, cá em casa.

10 dicas para organizar as refeições da semana:

1) Cozer leguminosas em grandes quantidades e congelar. Podem cozê-las na panela de pressão para ser ainda mais rápido. Costumo cozer lentilhas, grão-de-bico, feijão encarnado, feijão branco e feijão frade. Depois de cozidas, dividir em várias porções e congelar. Quando quero usar, tiro, normalmente no dia anterior, e deixo a descongelar no frigorífico. Uso-as em saladas ou junto-as a sopas, guisados ou outras preparações.

2) Assar, estufar ou guisar carne em duplicado. São por norma pratos que demoram a cozinhar e fazendo mais quantidade estamos a poupar tempo na cozinha. Costumam ficar ainda melhores depois de apurarem os sabores, por isso, este é também mais um motivo para aumentarmos a quantidade da próxima vez que fizermos carne à bolonhesa, carne assada, rojões ou frango estufado, entre outras sugestões. Antes de congelar, dividir em doses. Por exemplo, com uma carne à bolonhesa poderão depois fazer vários pratos. Podem servir-la com esparguete, com noodles de curgete, com puré de batata ou outro a gosto, com couve-flor cozida, ou fazer empadões, entre outras receitas práticas. Não se esqueçam de colocar etiquetas, nas caixas ou nos sacos, com a indicação da data e o nome do que estão a congelar.

3) Fazer molhos de tomate. No verão, aproveito a abundância do tomate e faço várias panelas com molho de tomate. Congelo em doses e depois durante o ano vou usando. Ter o molho de tomate já feito é uma óptima solução para adiantar sopas, guisados, estufados ou até pratos de forno. Pode ser usado em pratos vegetarianos, em pizzas ou para aqueles dias em que queremos fazer uma refeição rápida e só temos tempo para cozer uma massa. Numa frigideira juntem molho de tomate duas mãos cheias de folhas espinafres, umas ervas frescas, deixem as folhas quebrar. Juntem massa cozida e umas lascas de queijo. E num abrir e fechar de olhos tem-se uma refeição cheia de sabor. E molho de tomate com ovos escalfados, servidos em fatias de pão torrado. Resulta tão bem! Este Verão, vamos fazer molho de tomate?

4) Arranjar e lavar, previamente legumes para a salada. Costumo cortar couve-roxa, ou couve-coração-de-boi, com uma mandolina, guardo numa caixa e vou usando nas saladas. Costumo ter já lavado, pronto a usar, alfaces (frisada, lisa, roxa, icebergue, etc. - gosto de ir variando e de as misturar), radicchio e endívias. Lavo bem. Escorro com a ajuda de um "secador" de legumes (encontram-se facilmente à venda), coloco numa caixa com papel absorvente. É importante que as folhas estejam bem secas, a humidade contribui para que se estraguem mais rapidamente. Há alfaces que se aguentam melhor do que outras. É irem vendo o que se adequa melhor às vossas necessidades. Cá em casa, há, por norma, salada a todas as refeições.

5) Fazer previamente um molho vinagrete para as saladas. Costumo preparar um frasco e vou usando durante a semana. Coloco azeite, vinagre (gosto ir usando vinagres diferentes como o tradicional de vinho tinto ou branco, de figo, de tomate, de pêra, de maçã, balsâmico ...) e mostarda em grão à antiga. Na altura de usar, volto a emulsionar e coloco na mesa para cada um temperar a sua salada. Um vinagrete básico faz-se com 3 partes de azeite para 1 de vinagre, e uma colher de chá de mostarda. Mas antes de servir, provar sempre e ajustar ao gosto de cada um. Há dias em que ter os legumes da salada e o molho já feito é uma ajuda preciosa.

6) Preparar com antecedência alguns alimentos. Costumo escolher um dia da semana. Quando posso é num dos dias de fim-de-semana, mas quando tenho muito trabalho faço-o à segunda-feira. Costumo assar batata-doce, beterrabas (embrulhadas em papel de alumínio), beringelas (cortadas ao meio e temperadas com molho de soja) e abóbora manteiga. Quem me acompanha no Instagram, penso que já deve ter visto alguns dos meus tabuleiros antes de irem para o forno. Costumo também assar pimentos. Estes ingredientes, tornam-se excelentes acompanhamentos ou uso-os em saladas e sopas. Para os meus almoços durante a semana, por exemplo, tendo batata-doce assada posso acompanhá-la com carne assada e uma salada. Posso recheá-la com carne à bolonhesa, um pouco de queijo e levo ao forno para tostar um pouco e servir com uma generosa salada. Posso fazer uma salada e adicionar umas rodelas de beterraba. A abóbora assada resulta bem com uma carne estufada e um arroz integral, dá para juntar a uma massa com legumes, molho de tomate e levar ao forno com queijo. Uso-a também para fazer sopas, bolos, biscoitos ou pão.

7) Cozer legumes, massa, arroz integral ou quinoa. Costumo cozer uma cabeça de brócolos, escorrer bem ou fazê-lo ao vapor, que ainda é melhor porque fica com menos água. Há semanas, em que cozo duas porções de massa, de arroz integral, previamente demolhado, ou de quinoa. Depois, posso fazer saladas, pratos de forno, estufados ou juntar estes ingredientes à base de uma sopa. O arroz ou a quinoa costumo consumir no prazo de 2 a 3 dias.

8) Fazer a base das sopas. Coloquem numa panela, uma cebola, alho-francês, cenoura ou abóbora e uma batata ou curgete. Colocar água de modo a que fique com cerca de dois dedos acima dos legumes. Temperar com um pouco de sal e levar ao lume até os legumes estarem cozidos. Adicionar um pouco de azeite e triturar. Fazer a base de uma sopa é simples e prático. Podem congelar em doses e depois durante a semana irem fazendo sopas diferentes. Com uma base, num dia podem adicionar grão-de-bico e folhas de espinafres ou nabiças, no outro, fazerem uma sopa de agrião, no outro juntam couve-lombardo cortada em juliana e curgete em cubos e assim por diante. A consistência da base pode ser alterada. Se gostarem mais líquida, é só adicionar mais água.

9) Fazer pão para a semana. O pão feito em casa tem um sabor incrível, para além de podermos controlar a escolha das farinhas, a quantidade de fermento usado. Eu costumo fazer um pão para a semana. Quando sei que não vou ter tempo, faço a mais e congelo. Se for pão grande, corto em quartos, embrulho em película aderente e congelo. Se forem bolinhas, procedo da mesma maneira, coloco tudo dentro de um saco e vai para o congelador.

10) Planear as refeições da semana. Antes de ir às compras pensar e definir as refeições da família, e quais as quantidades a adquirir. Há semanas em que não se come todos os dias em casa, nessa altura, as minhas pré-preparações têm esse factor em conta. Quando se sabe o que se vai comer no dia seguinte, é mais fácil, por exemplo, antes de sair de casa colocar no frigorífico a descongelar uma carne assada, um caril de peixe, ou a base da nossa sopa.

Estas dicas vão de certo ajudar-vos a poupar tempo na cozinha e a prepararem refeições caseiras, cheias de sabor, para toda a família.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Cataplana de bacalhau com batatas e pimentos


O mês de Agosto está quase a chegar ao fim. Este é um dos meses que associo sempre a férias. A idas à praia. Aos almoços com a família. A passeios sem horas marcadas. Aos bailaricos.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com os seus lombos de bacalhau, pensei logo em muitos dos almoços que se faziam em Santarém para toda a família, um guisado com batatas e bacalhau que nos enchia os olhos de sorrisos. Usava-se o tomate e os pimentos da horta. E no fim, ainda se ensopava o pão caseiro, no molho. Recordações deliciosas!

Agora, foi a minha vez de fazer, cá em casa. Foi para um almoço de domingo e soube tão bem. Cataplana de bacalhau com batatas e mistura de pimentos.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Sopa de tomate com lentilhas vermelhas


Há quem não acredite, mas a verdade, é que as sopas têm poderes mágicos. Um simples caldo de galinha dá-nos força, aconchega-nos o corpo e a alma quando estamos enfermos. Num dia de chuva e frio, sentarmo-nos à mesa e termos um prato de sopa fumegante à nossa espera é qualquer coisa de especial.

Eu gosto de sopas, em qualquer altura do ano. Sou daquelas pessoas que acredita que comer um prato de sopa nos reconforta. Que nos ajuda a comer mais legumes. Que é uma excelente maneira de iniciar uma refeição. Se querem que os vossos filhos comam sopa, já sabem que o exemplo começa em casa.

Todas as semanas faço sopa. A última que fiz foi para dar destino a algum do tomate que trago, nesta altura, da horta, em Santarém. Adorámos!

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Coelho frito


Há alturas, em que gosto de fazer pratos diferentes com ingredientes que, hoje em dia, encontramos facilmente à venda, como a quinoa, bulgur, entre outros. Há alturas, em que procuro fazer uma alimentação diferente e faço esparguete de legumes, manteigas de frutos secos, entre outras coisas boas, de que actualmente se fala. Mas há alturas, também, em que tenho vontade de fazer alguns pratos que via fazer em casa da minha mãe e que deixaram boas recordações. Eram pratos que reuniam a família à volta da mesa e de que toda a gente adorava.

Um destes dias, para dar destino a uns pedaços de coelho que tinha congelado, decidi fazer uma receita de que já tinha saudades. Coelho frito. Tão simples e tão bom!

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Salada caprese com figos


Uma das minhas saladas preferidas de Verão, é sem dúvida, a caprese. Uma salada simples, com poucos ingredientes mas que resulta de forma deliciosa. Perfeita para servir como entrada, num dia de festa ou para um momento a dois. Fantástica para aqueles dias em que queremos fazer uma refeição rápida, depois de uma ida à praia ou de um passeio pelas ruas de Lisboa. Ideal, para saborear com companhia, num final de tarde, em que queremos petiscar e conversar sobre as coisas boas da vida.

No verão, quando o tomate nos chega na sua plenitude de sabor, a salada caprese é mesmo muito boa! A versão apresentada, hoje, é com figos.

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Sandes de pasta de delícias do mar


O Verão pede comidas frescas e deliciosas. Comidas que se façam num abrir e fechar de olhos. Confesso que nesta altura do ano muitas das refeições cá de casa são feitas de uma forma mais ligeira. Coloco, muitas vezes, na mesa, uma sopa e uma salada. Ou só uma salada e legumes grelhados. Ou então, há dias, em que fazemos sandes e para terminar a refeição uma salada generosa de fruta.

Uma das últimas sandes que fizemos para um almoço, cá em casa, foi até antes de irmos de férias para o Algarve. Eu gosto, de uma vez por outra, fazer refeições assim. Descomplicadas. Frescas.