Próximos Eventos
Lisboa 21 de Outubro de 2018
Domingo:
10h00 - 13h00      Vamos fazer Risotto?
 
 
15h00 - 18h00      Receitas Rápidas para o Jantar
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Perna de peru assada no forno com batatas


O Outono, a pouco e a pouco, faz sentir a sua presença. As manhãs e as noites começam a ficar mais frias e a chuva já chegou. Dos armários e gavetas tiramos os casacos e as roupas mais quentes. As botas e o guarda-chuva estão prontos a usar.

Na cozinha, começam a apetecer pratos de conforto, cozinhados no tacho ou no forno. Adoro pratos de forno! Um dos últimos que fiz foi uma perna de peru assada com batatas, de um dos perus que criámos no quintal em Santarém. Um prato simples, mas sempre que chega à mesa, toda a gente adora.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Chutney de figos com vinho do Porto


A época dos figos está a chegar ao fim. Os figos são uma fruta que adoro. Assim que chegam os primeiros figos, nas figueiras que temos no quintal em Santarém, cá em casa, começo logo a dar-lhes destino. Uso-os em saladas, em sobremesas, em doces e compotas e de há uns anos para cá, comecei a fazer chutney.

O chutney é um molho ou condimento agridoce que também pode ser picante. O mais conhecido, penso que seja o de manga. Mas pode-se fazer chutney de várias frutas e legumes. A receita que partilho, hoje, é com figo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Abacaxi grelhado com creme de mascarpone


A pouco e pouco, já se nota a diferença nos dias. As manhãs e as noites chegam mais frias. Há dias, em que a chuva começa a dar um ar de sua graça, mesmo que nos outros, o calor a fazer lembrar as férias, seja uma presença constante.

Quero tanto que os dias de Outono se instalem, de uma vez por todas. Adoro o tempo quente e todas as coisas boas que associo sempre ao Verão. Mas, assim que o Outono chega, vem também a vontade de mudar o guarda-roupa, de procurar fazer refeições de tacho, com sabor a conforto. Também vos acontece?

Partilho, hoje, convosco uma das últimas sobremesas que fiz para um almoço, cá em casa. O dia estava quente e por isso a decisão de fazer uma sobremesa passou pelo calor da grelha. Abacaxi grelhado com creme de mascarpone é simplesmente divinal. Sabe a um dia quente de Verão mas com os aromas reconfortantes de uma tarde de Outono, em frente à lareira. Espero que gostem.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Workshop Receitas Rápidas para o Jantar, em Lisboa


Dia 21 de Outubro de 2018, domingo, das 15h00 às 18h00, irá ter lugar o workshop Receitas Rápidas para o Jantar, na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa. O objectivo deste workshop é ajudar todos aqueles que procuram ideias práticas e acessíveis para as refeições da semana, em família. Iremos confeccionar várias receitas que irão surpreender, umas pela conjugação de ingredientes, outras pela rapidez com que as iremos preparar. Pois quando se chega a casa, depois de um dia de trabalho, ou de uma viagem, o que queremos é colocar a comida na mesa para a família o mais rapidamente possível. Comida, de preferência saborosa, feita com ingredientes frescos.

Para além das receitas confeccionadas, iremos falar sobre o planeamento semanal das refeições, com dicas sobre o tipo de pré-preparações que podem realizar para ser muito mais fácil fazerem o jantar, nos dias em que se chega a casa com o tempo contado para se estar na cozinha. Iremos também falar de como podem tentar aumentar o consumo de legumes às refeições.

No final do workshop, reunimo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi preparado. Será servido um vinho para brindarmos aos momentos bons da vida.

Fazem-me companhia?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Workshop Vamos fazer Risotto?, em Lisboa


No próximo dia 21 de Outubro de 2018, domingo, quem quer vir fazer risotos? Das 10h às 13h, na escola de cake design IstoFaz-se, em Lisboa, terá lugar o workshop Vamos fazer Risotto?. Este é um workshop para quem quer aprender ou melhorar a técnica de fazer risoto.

O risoto é uma técnica de confeccionar pratos de arroz e neste workshop vamos aprender a fazer diferentes tipos de risoto. Vamos também falar de técnicas, de caldos que nos irão ajudar a tornar o sabor deste prato inesquecível. Vamos falar também de ervas aromáticas, de queijos, de especiarias que se podem usar, e dos diferentes tipos de arroz indicados para fazer este tão apreciado prato italiano. Para vos abrir o apetite posso dizer-vos que vamos fazer 6 pratos de risotto diferentes.

No final, juntamo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi preparado, em jeito de festa e com um copo de vinho para brindar. Vamos fazer Risotto?

EUR 45 Inscrições e mais informações:
escola@istofaz-se.pt   218 078 640   IstoFaz-se
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Salada de queijo de cabra com pêssego e figos grelhados


E mais uma semana que começa. Sempre que a segunda-feira chega, temos a sensação de recomeço. Mais uma semana, mais uma janela com sete dias com inúmeras possibilidades à nossa espera.

Confesso que olho para o começo da semana sempre com uma energia positiva e penso, o que quero fazer esta semana que me possa deixar feliz?

Gosto de acreditar que somos nós que podemos fazer algumas coisas acontecerem. Somos nós que podemos mudar a nossa vida de maneira a conseguirmos fazer aquelas coisas de que gostamos. Trabalhar, cuidar da casa e da família, são coisas fundamentais, na nossa vida. Mas há semanas, há dias, em que penso que temos que fazer coisas que nos deixem felizes. Ler um romance. Tomar café com amigos. Passear ao final do dia junto ao Tejo. Ir às compras. Podemos pensar em começar um novo hobbie, mesmo que se ache que não se tem tempo. Penso muitas vezes que a vida é tão curta e quando olhamos para trás, as oportunidades, os momentos, já passaram. Por isso, cada semana, é mais um conjunto de dias, de horas, em que podemos fazer muitas coisas que nos deixem felizes.

E uma das coisas que, de há uns tempos para cá, decidi mudar foi a minha alimentação. O modo como comemos também influencia a nossa felicidade. Por isso, quero cada vez mais que os meus pratos sejam coloridos, cheios de vida e que transmitam sorrisos. Deixo-vos, hoje, uma salada deliciosa. Espero que gostem.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Pescada gratinada com cenoura e queijo


Depois das férias, começamos a regressar, aos poucos e poucos, às nossas rotinas. Organizamos as compras da semana, definimos as refeições a preparar, escolhemos o que devemos colocar nas lancheiras para levar para o trabalho. Pensar na comida que queremos ter no nosso prato é cada vez mais uma preocupação.

Um dos pratos que faço, cá em casa, muitas vezes e que depois de cozinhado congelo para ter pronto a consumir nos dias em que chego a casa tarde, é pescada gratinada com cenoura e queijo. Fica tão bom! Por isso quando, a Parmalat me desafiou a preparar uma receita com o seu béchamel isento de glúten, pensei logo em partilhar convosco, esta receita. É um prato muito prático, e que toda a família adora.

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Tomatada com curgete e ovos


Há dias, em que ando a mil. Reuniões, trabalhos, orçamentos, cursos e formações ao final do dia. Quando chego a casa, muitas vezes, só quero fazer algo muito rápido para colocar na mesa. Procuro ter sempre sopa feita. A sopa é uma boa maneira de iniciarmos uma refeição e há alturas, em que por si só, constitui uma refeição. Aconchega. Reconforta. E a verdade é que depois de comermos um prato de sopa ficamos logo com menos fome.

Um destes dias, para dar destino ao molho de tomate que fiz, decidi usá-lo num prato rápido, mas que fica muito saboroso. Cá em casa, todos adoramos, tomatada com ovos. Como procuro introduzir cada vez mais legumes, nas nossas refeições, acrescentei uma curgete. A curgete fica crocante, muito saborosa porque acaba por absorver os sabores do tomate. Espero que gostem.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Molho de tomate com orégãos


Uma das coisas boas que o Verão nos oferece, para além dos dias bonitos cheios de sol, é o tomate. O tomate, no Verão, chega-nos cheio de sabor. Comer um tomate, nesta altura do ano, apenas polvilhado com uma pitada de flor-de-sal, é uma verdadeira festa de sabor. Adoro tomate!

Uma das coisas que faço todos os anos em que o tomate me chega da horta em abundância, é molho de tomate. Faço uma ou duas panelas. Congelo e depois, durante o ano, vou usando. Durante o ano, é uma maneira de dizer. Penso que só tenho conseguido fazer molho de tomate para seis meses! Uso-o imenso. Em sopas, em assados, refogados, nas pizas, em recheios ... Ter molho de tomate pronto a usar dá imenso jeito!

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Workshop Vamos Fazer Pão? em Outubro, no Porto


O workshop Vamos Fazer Pão? está de volta. Vai ser no sábado, dia 13 de Outubro de 2018, das 15h30 às 19h30, no WORK espaço criativo.

Neste workshop, iremos fazer vários tipos de pão. Pão de trigo, pão de mistura com nozes, pãezinhos tigre, pão com abóbora assada e pão doce, como uns irresistíveis e tentadores rolos de canela.

Fazer pão é sempre uma experiência muito gratificante Para além de colocarmos a mão na massa, iremos falar do processo de fazer pão, das farinhas, das leveduras, da fermentação, dos materiais necessários e dos métodos de cozedura usando os nossos fornos de casa. Depois deste workshop fazer pão em casa vai tornar-se ainda mais fácil!

No final, juntamo-nos à volta da mesa e degustamos tudo o que foi preparado.

Vamos Fazer Pão?

Inscrições e mais informações:
work@sott.pt   WORK espaço criativo
( Realização do workshop sujeito a nº mínimo de participantes )

O workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D foi assim ...


O pão é vida, é um alimento ancestral que nos conforta o corpo e a alma. Juntar farinha, sal, água e levedura numa taça, amassar com a força das nossas mãos, levar ao forno e colocar na mesa, para a família, um pão feito por nós, é pura felicidade!

E foi isso que fizemos no passado sábado no workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D, cá em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy. Fizemos diferentes tipos de pão para diferentes momentos. Amassámos um pão de mistura com figos e nozes, perfeito para servir com queijos, enchidos, e uma garrafa de vinho num dia feliz.


Colocámos no forno uma foccacia com cebola caramelizada - ideal para servir como entrada num dia de festa ou quando juntamos a família, à volta da mesa. Preparámos, também, uns tentadores pães tigre para as sandes da semana, uns pães de forma de alfarroba para os pequenos-almoços, um tabuleiro de pãezinhos com chouriço que sabem sempre bem e em jeito de sobremesa, uns maravilhosos rolos de canela, que fazem sempre as delícias de quem os prova. Tão bons!

Neste workshop usámos a levedura Activa Vita D, um fermento de padeiro em pó com vitamina D, que encontram à venda nos supermercados. Felizmente, que cada vez mais se fala da importância desta vitamina para a nossa saúde e agora que o Outono chegou devemos estar mais atentos à chamada vitamina do sol. Colocá-la no pão, um alimento do nosso dia-a-dia, não custa nada.


Depois de falarmos de leveduras, dos tempos de fermentação, do uso de diferentes farinhas e de todos os pães cozidos, juntámo-nos à volta da mesa para degustarmos tudo o que foi confeccionado. Houve ainda tempo para um brinde às coisas boas da vida e à felicidade que é fazer pão. O pão, feito por nós, é único.

Obrigada à Lallemand pela oportunidade de realizar este workshop e a todos os que estiveram presentes. Vamos fazer pão?

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Wraps de barrinhas de pescada panada


Setembro é o mês de regresso ao trabalho, para os crescidos, e os mais pequenos voltam, também, às suas rotinas na escola. Nesta altura do ano, começamos novamente a pensar em soluções práticas para os almoços ou para os lanches de toda a família.

Entre a azáfama de casa e do trabalho, todas as ideias para prepararmos refeições rápidas e saborosas, são por certo, muito bem-vindas. Por isso, quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com as barrinhas de pescada panada, pensei logo em algo que, cá em casa, adoramos - wraps - e que é muito prático, seja para levar, seja para fazer uma refeição em família. Aceitam a sugestão?

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Carpaccio de abacaxi com lima e hortelã


Ananás ou abacaxi?

Confesso que quando penso em ananás lembro-me, logo, do ananás dos Açores. Há uns anos atrás, quando estive em São Miguel, visitei uma estufa de produção de ananás, onde tive a possibilidade de aprender algumas curiosidades do cultivo deste delicioso fruto. Não sei se vos acontece, mas acabo, no dia a dia, por usar mais a palavra ananás mesmo que vá comprar um abacaxi! Cá em casa, tenho sempre alguém que me diz: « - Mas compraste um ananás ou um abacaxi? »

Qual é então a diferença? O ananás e o abacaxi são o mesmo fruto, podendo existir variedades mais doces ou mais ácidas, só que cultivados em locais e de maneiras diferentes. O ananás é produzido, principalmente, no sul do Brasil e no Paraguai. Demora 18 meses a ser produzido e só é apanhado quando está maduro. Quando visitei as estufas de ananases nos Açores, explicaram que controlam a produção usando um método que envolve o uso de fumo, para poderem fazer face ao aumento de procura por este fruto no Natal e na Páscoa. O abacaxi é cultivado ao ar livre em países tropicais como a Costa Rica, é mais doce e tem uma forma mais alongada. É também uma opção mais económica.

Cá em casa, consumimos abacaxi e ananás, apesar de comprar mais vezes abacaxi. E foi com abacaxi, que um destes dias, fiz uma refrescante sobremesa para servir num almoço demorado, cá em casa. Fazer sobremesas com fruta é tão prático!

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Esparguete com curgete, tomate e queijo Brie


O mês de Setembro é sempre um mês de recomeços. Foi durante anos, para mim, o começar de um novo ano, de um novo ciclo, com novos projectos e objectivos. Este ano, o mês de Setembro, foi vivido de outra forma. Estive de férias nas primeiras duas semanas. Fui pela primeira vez à ilha da Madeira e adorei. As paisagens, as idas ao mar, a comida, as pessoas, tudo isto me deixou com muita vontade de voltar.

Depois das férias, o regresso à minha cozinha faz-se de forma progressiva. Quando estou fora, antes de viajar, gosto de limpar o frigorífico. Deixo apenas as coisas que têm um prazo de validade alargado. E antes de ir de férias, um dos pratos que fiz para dar destino a algumas das coisas que tinha, foi a receita que partilho, hoje. Um prato de esparguete, simples, mas com muito sabor. Experimentem!

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Salada caprese com figos grelhados e presunto


Este, deverá ter sido o Verão, em que mais saladas caprese fizemos, cá em casa. Esta é uma daquelas saladas que unem a simplicidade a um sabor irresistível.

Para nós, esta foi e continua a ser, uma das nossas saladas preferidas para servir como entrada numa festa ou num almoço, nesta altura do ano. É fresca. Saborosa.

A versão que partilho, hoje, é com presunto e figos grelhados. Já vos disse que adoro figos grelhados? Ficam tão bons!

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Feijoada de camarão


Há pratos deliciosos que vamos fazendo, de vez em quando. Pratos que gritam conforto. Pratos que nos sabem bem, em todas as estações do ano.

Um destes dias, para um dos nossos almoços de fim-de-semana, fiz uma feijoada de camarão. Este é daqueles pratos que nos sabe sempre bem, esteja frio ou calor. Acompanhámos com uma garrafa de vinho branco bem fresco. A receita, partilho-a, hoje. Gostam?

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Passata de tomate


Nesta altura do ano, o Verão brinda-nos com uma colheita farta de tomate na nossa horta. A minha mãe é quem adora escolher as variedades a colocar na terra. É ela quem cuida sempre da nossa plantação de tomate. Quando chega a altura de apanhar, vamos as duas. Enquanto apanhamos o tomate, falamos da vida. Dos sonhos, das angústias, das coisas boas, das preocupações. No final, rimo-nos. E sentimos aquele bocadindo, longe de tudo, como um momento precioso e doce.

Com a abundância de tomate que foi chegando à minha cozinha, este ano, voltei a fazer mil e uma saladas, pratos com muito tomate, molho de tomate e passata. Este ano decidi fazer passata, que é simplesmente tomate cozido, limpo de sementes. Sem mais nada, ao contrário do molho de tomate que leva temperos. A passata é ideal para usarmos quando o tomate já não está na sua plenitude de sabor, e temos dificuldade em encontrar tomate delicioso para os nossos cozinhados. Deixo-vos, hoje, a indicação de como fiz a minha passata.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D, em Lisboa


No sábado, dia 22 de Setembro de 2018, em Lisboa, no Lisbon Cooking Academy, das 10h30 às 14h00 iremos ter o workshop Vamos Fazer Pão com Activa Vita D. Neste workshop iremos colocar as mãos na massa e fazer diferentes tipos de pão com mistura de farinhas usando o fermento de padeiro em pó com vitamina D.

A deficiência de vitamina D, conhecida como a vitamina do sol, tem sido identificada como a causa de algumas doenças. Por isso, a indústria alimentícia já usa vitamina D para enriquecer alguns produtos. Em prol do nosso bem estar, é uma vitamina a que devemos dar mais atenção.

Vamos Fazer Pão com Activa Vita D vai ser um workshop muito especial, onde terão a oportunidade de colocar as mãos na massa, e de certo, que irão aprender a fazer bom pão para depois experimentarem em casa.

A Lallemand vai oferecer convites duplos aos leitores do Cinco Quartos de Laranja para este workshop. O convite está feito. Quem quiser viver esta experiência basta:

- Levar consigo um exemplar do meu livro O Livro de Petiscos da Isabel;

- Inscrever-se através do preenchimento do formulário a seguir apresentado, até às 24h do dia 18 de Setembro de 2018.

Serão seleccionados aleatoriamente 9 convites duplos para o workshop. Os contemplados serão contactados, a partir do dia 19 de Setembro de 2018. Cada convite é válido para duas pessoas.

Sábado, dia 22 de Setembro, vamos fazer pão? Inscrevam-se!


quarta-feira, 5 de setembro de 2018

10 dicas para organizar as refeições da semana (mesmo quando não se tem tempo)


Setembro é um mês de recomeços. É o mês de regresso ao trabalho, para muitos. Significa também o regresso às rotinas de sempre. Para mim, foi, durante muitos anos, um mês que significava um novo ano, com novas metas e objectivos a atingir.

Depois das férias, o regresso a casa e ao trabalho nem sempre é fácil. Por vezes, todas as dicas são preciosas. E para quem quer começar a organizar as refeições da semana e a pensar nos almoços para levar para o trabalho, deixo-vos algumas dicas ou práticas que uso, cá em casa.

10 dicas para organizar as refeições da semana:

1) Cozer leguminosas em grandes quantidades e congelar. Podem cozê-las na panela de pressão para ser ainda mais rápido. Costumo cozer lentilhas, grão-de-bico, feijão encarnado, feijão branco e feijão frade. Depois de cozidas, dividir em várias porções e congelar. Quando quero usar, tiro, normalmente no dia anterior, e deixo a descongelar no frigorífico. Uso-as em saladas ou junto-as a sopas, guisados ou outras preparações.

2) Assar, estufar ou guisar carne em duplicado. São por norma pratos que demoram a cozinhar e fazendo mais quantidade estamos a poupar tempo na cozinha. Costumam ficar ainda melhores depois de apurarem os sabores, por isso, este é também mais um motivo para aumentarmos a quantidade da próxima vez que fizermos carne à bolonhesa, carne assada, rojões ou frango estufado, entre outras sugestões. Antes de congelar, dividir em doses. Por exemplo, com uma carne à bolonhesa poderão depois fazer vários pratos. Podem servir-la com esparguete, com noodles de curgete, com puré de batata ou outro a gosto, com couve-flor cozida, ou fazer empadões, entre outras receitas práticas. Não se esqueçam de colocar etiquetas, nas caixas ou nos sacos, com a indicação da data e o nome do que estão a congelar.

3) Fazer molhos de tomate. No verão, aproveito a abundância do tomate e faço várias panelas com molho de tomate. Congelo em doses e depois durante o ano vou usando. Ter o molho de tomate já feito é uma óptima solução para adiantar sopas, guisados, estufados ou até pratos de forno. Pode ser usado em pratos vegetarianos, em pizzas ou para aqueles dias em que queremos fazer uma refeição rápida e só temos tempo para cozer uma massa. Numa frigideira juntem molho de tomate duas mãos cheias de folhas espinafres, umas ervas frescas, deixem as folhas quebrar. Juntem massa cozida e umas lascas de queijo. E num abrir e fechar de olhos tem-se uma refeição cheia de sabor. E molho de tomate com ovos escalfados, servidos em fatias de pão torrado. Resulta tão bem! Este Verão, vamos fazer molho de tomate?

4) Arranjar e lavar, previamente legumes para a salada. Costumo cortar couve-roxa, ou couve-coração-de-boi, com uma mandolina, guardo numa caixa e vou usando nas saladas. Costumo ter já lavado, pronto a usar, alfaces (frisada, lisa, roxa, icebergue, etc. - gosto de ir variando e de as misturar), radicchio e endívias. Lavo bem. Escorro com a ajuda de um "secador" de legumes (encontram-se facilmente à venda), coloco numa caixa com papel absorvente. É importante que as folhas estejam bem secas, a humidade contribui para que se estraguem mais rapidamente. Há alfaces que se aguentam melhor do que outras. É irem vendo o que se adequa melhor às vossas necessidades. Cá em casa, há, por norma, salada a todas as refeições.

5) Fazer previamente um molho vinagrete para as saladas. Costumo preparar um frasco e vou usando durante a semana. Coloco azeite, vinagre (gosto ir usando vinagres diferentes como o tradicional de vinho tinto ou branco, de figo, de tomate, de pêra, de maçã, balsâmico ...) e mostarda em grão à antiga. Na altura de usar, volto a emulsionar e coloco na mesa para cada um temperar a sua salada. Um vinagrete básico faz-se com 3 partes de azeite para 1 de vinagre, e uma colher de chá de mostarda. Mas antes de servir, provar sempre e ajustar ao gosto de cada um. Há dias em que ter os legumes da salada e o molho já feito é uma ajuda preciosa.

6) Preparar com antecedência alguns alimentos. Costumo escolher um dia da semana. Quando posso é num dos dias de fim-de-semana, mas quando tenho muito trabalho faço-o à segunda-feira. Costumo assar batata-doce, beterrabas (embrulhadas em papel de alumínio), beringelas (cortadas ao meio e temperadas com molho de soja) e abóbora manteiga. Quem me acompanha no Instagram, penso que já deve ter visto alguns dos meus tabuleiros antes de irem para o forno. Costumo também assar pimentos. Estes ingredientes, tornam-se excelentes acompanhamentos ou uso-os em saladas e sopas. Para os meus almoços durante a semana, por exemplo, tendo batata-doce assada posso acompanhá-la com carne assada e uma salada. Posso recheá-la com carne à bolonhesa, um pouco de queijo e levo ao forno para tostar um pouco e servir com uma generosa salada. Posso fazer uma salada e adicionar umas rodelas de beterraba. A abóbora assada resulta bem com uma carne estufada e um arroz integral, dá para juntar a uma massa com legumes, molho de tomate e levar ao forno com queijo. Uso-a também para fazer sopas, bolos, biscoitos ou pão.

7) Cozer legumes, massa, arroz integral ou quinoa. Costumo cozer uma cabeça de brócolos, escorrer bem ou fazê-lo ao vapor, que ainda é melhor porque fica com menos água. Há semanas, em que cozo duas porções de massa, de arroz integral, previamente demolhado, ou de quinoa. Depois, posso fazer saladas, pratos de forno, estufados ou juntar estes ingredientes à base de uma sopa. O arroz ou a quinoa costumo consumir no prazo de 2 a 3 dias.

8) Fazer a base das sopas. Coloquem numa panela, uma cebola, alho-francês, cenoura ou abóbora e uma batata ou curgete. Colocar água de modo a que fique com cerca de dois dedos acima dos legumes. Temperar com um pouco de sal e levar ao lume até os legumes estarem cozidos. Adicionar um pouco de azeite e triturar. Fazer a base de uma sopa é simples e prático. Podem congelar em doses e depois durante a semana irem fazendo sopas diferentes. Com uma base, num dia podem adicionar grão-de-bico e folhas de espinafres ou nabiças, no outro, fazerem uma sopa de agrião, no outro juntam couve-lombardo cortada em juliana e curgete em cubos e assim por diante. A consistência da base pode ser alterada. Se gostarem mais líquida, é só adicionar mais água.

9) Fazer pão para a semana. O pão feito em casa tem um sabor incrível, para além de podermos controlar a escolha das farinhas, a quantidade de fermento usado. Eu costumo fazer um pão para a semana. Quando sei que não vou ter tempo, faço a mais e congelo. Se for pão grande, corto em quartos, embrulho em película aderente e congelo. Se forem bolinhas, procedo da mesma maneira, coloco tudo dentro de um saco e vai para o congelador.

10) Planear as refeições da semana. Antes de ir às compras pensar e definir as refeições da família, e quais as quantidades a adquirir. Há semanas em que não se come todos os dias em casa, nessa altura, as minhas pré-preparações têm esse factor em conta. Quando se sabe o que se vai comer no dia seguinte, é mais fácil, por exemplo, antes de sair de casa colocar no frigorífico a descongelar uma carne assada, um caril de peixe, ou a base da nossa sopa.

Estas dicas vão de certo ajudar-vos a poupar tempo na cozinha e a prepararem refeições caseiras, cheias de sabor, para toda a família.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Cataplana de bacalhau com batatas e pimentos


O mês de Agosto está quase a chegar ao fim. Este é um dos meses que associo sempre a férias. A idas à praia. Aos almoços com a família. A passeios sem horas marcadas. Aos bailaricos.

Quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com os seus lombos de bacalhau, pensei logo em muitos dos almoços que se faziam em Santarém para toda a família, um guisado com batatas e bacalhau que nos enchia os olhos de sorrisos. Usava-se o tomate e os pimentos da horta. E no fim, ainda se ensopava o pão caseiro, no molho. Recordações deliciosas!

Agora, foi a minha vez de fazer, cá em casa. Foi para um almoço de domingo e soube tão bem. Cataplana de bacalhau com batatas e mistura de pimentos.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Sopa de tomate com lentilhas vermelhas


Há quem não acredite, mas a verdade, é que as sopas têm poderes mágicos. Um simples caldo de galinha dá-nos força, aconchega-nos o corpo e a alma quando estamos enfermos. Num dia de chuva e frio, sentarmo-nos à mesa e termos um prato de sopa fumegante à nossa espera é qualquer coisa de especial.

Eu gosto de sopas, em qualquer altura do ano. Sou daquelas pessoas que acredita que comer um prato de sopa nos reconforta. Que nos ajuda a comer mais legumes. Que é uma excelente maneira de iniciar uma refeição. Se querem que os vossos filhos comam sopa, já sabem que o exemplo começa em casa.

Todas as semanas faço sopa. A última que fiz foi para dar destino a algum do tomate que trago, nesta altura, da horta, em Santarém. Adorámos!

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Coelho frito


Há alturas, em que gosto de fazer pratos diferentes com ingredientes que, hoje em dia, encontramos facilmente à venda, como a quinoa, bulgur, entre outros. Há alturas, em que procuro fazer uma alimentação diferente e faço esparguete de legumes, manteigas de frutos secos, entre outras coisas boas, de que actualmente se fala. Mas há alturas, também, em que tenho vontade de fazer alguns pratos que via fazer em casa da minha mãe e que deixaram boas recordações. Eram pratos que reuniam a família à volta da mesa e de que toda a gente adorava.

Um destes dias, para dar destino a uns pedaços de coelho que tinha congelado, decidi fazer uma receita de que já tinha saudades. Coelho frito. Tão simples e tão bom!

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Salada caprese com figos


Uma das minhas saladas preferidas de Verão, é sem dúvida, a caprese. Uma salada simples, com poucos ingredientes mas que resulta de forma deliciosa. Perfeita para servir como entrada, num dia de festa ou para um momento a dois. Fantástica para aqueles dias em que queremos fazer uma refeição rápida, depois de uma ida à praia ou de um passeio pelas ruas de Lisboa. Ideal, para saborear com companhia, num final de tarde, em que queremos petiscar e conversar sobre as coisas boas da vida.

No verão, quando o tomate nos chega na sua plenitude de sabor, a salada caprese é mesmo muito boa! A versão apresentada, hoje, é com figos.

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Sandes de pasta de delícias do mar


O Verão pede comidas frescas e deliciosas. Comidas que se façam num abrir e fechar de olhos. Confesso que nesta altura do ano muitas das refeições cá de casa são feitas de uma forma mais ligeira. Coloco, muitas vezes, na mesa, uma sopa e uma salada. Ou só uma salada e legumes grelhados. Ou então, há dias, em que fazemos sandes e para terminar a refeição uma salada generosa de fruta.

Uma das últimas sandes que fizemos para um almoço, cá em casa, foi até antes de irmos de férias para o Algarve. Eu gosto, de uma vez por outra, fazer refeições assim. Descomplicadas. Frescas.

sábado, 25 de agosto de 2018

Pudim de tapioca com coco e manga


Agradecer à vida pelas coisas com que nos vai brindando é um dos meus lemas. Viver é algo tão precioso, único, que devemos sentir, como uma bênção, a nossa existência. Há medida que os anos passam, vamos tendo consciência que o tempo é finito e que devemos aproveitá-lo, da melhor forma que conseguirmos. Como dizia o professor John Keating, no filme O Clube dos Poetas Mortos, Carpe Diem. Nunca mais me esqueci desta mensagem! Lembram-se?

Hoje é um dia especial. Um dia em que gosto de agradecer à vida. Um dia em que me sinto grata por tudo. Hoje é o dia em que nasci. E os aniversários são excelentes motivos para festejar, para rir, para partilhar momentos doces com aqueles de quem gostamos. Por isso, deixo-vos, hoje, uma sobremesa fresca e deliciosa, feita para a rubrica Tipiak, mas que quero partilhar com todos os que me visitam e me incentivam a continuar a cozinhar e a falar de coisas boas. Grata pela vida. Obrigada a todos vocês, queridos leitores, que me vão fazendo companhia. Que venham mais 46!

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Caril de peru com lentilhas e abóbora


No Verão tento fugir dos pratos de forno. Confesso que nem sempre consigo, porque adoro assados, para além de serem tão práticos. Mas ligar o forno, nesta altura do ano, significa que vou ter a casa ainda mais quente! Por isso, vou tentando encontrar alternativas.

Um destes dias, descongelei peito de peru. A primeira sugestão, em que pensei, foi em fazê-lo no forno. Assim que tive a ideia, arrependi-me logo. Estava tanto calor! E se fossem uns bifinhos grelhados ou na frigideira com limão e ervas frescas? Não! Estava-me a apetecer algo mais exótico e cheio de sabor. A solução foi fazer um caril. Resultou tão bem! Para acompanhar, fiz uma salada de alface e comemos tão bem!

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Salada caprese com presunto


O que um ingrediente consegue fazer na minha cozinha! Acreditam que tenho feito, nas útimas semanas, pelo menos, uma salada caprese para iniciarmos os almoços de fim-de-semana! A desculpa que dou, em jeito de brincadeira, assim que coloco a salada na mesa, é que tenho que dar destino ao tomate que trago da horta.

Mas a verdade é que adoro esta salada nesta altura do ano! É fácil de preparar, fresca e todos adoram. Nunca sobra nada. A versão de hoje leva presunto.

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Granola com morangos desidratados


Adoro começar o dia com um bom pequeno-almoço. Quem acompanha o Cinco Quartos de Laranja no Instagram pode ver o que faço para os pequenos-almoços, cá em casa. Todos os dias apresento uma sugestão diferente. Maravilhoso, não é?

A comida é um prazer, uma maneira de estar e de viver, por que motivo havemos de comer sempre o mesmo, na primeira refeição do dia? De há uns anos para cá, que tento variar. No início, pode parecer difícil, mas a verdade é que temos tantas alternativas ao leite com café e às torradas ou ao pão com manteiga.

Para os pequenos-almoços ou lanches costumo fazer muesli ou granola. Nos últimos tempos, voltei a fazer granola, que é uma mistura de flocos de cereais com sementes e frutos secos, onde adicionamos mel ou outro adoçante, a gosto, antes de ir ao forno. A última que fiz foi com morangos desidratados. Ficou maravilhosa!

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Sopa de tomate amarelo assado


O Verão é tempo de tomate, e nesta altura do ano ele chega à minha cozinha, em abundância. Tenho a sorte de ter um quintal onde a minha mãe faz uma horta com muitas coisas boas. Uma dessas coisas é o tomate.

Planta todos os anos diferentes variedades de tomate, redondo, de cacho, chucha, coração de boi, cereja, pêra e amarelo. Este ano, enganou-se e plantou tomate amarelo como se não houvesse amanhã. Como não aprecia, cabe-me a mim dar-lhe destino. Uma das primeiras coisas que fiz foi uma sopa. Fica com uma cor linda!

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Vamos fazer pão: Pão de azeitonas


Fazer pão em casa deixa-nos felizes. Faz-nos felizes! Escolher as farinhas, amassar, ver a massa crescer, dar-lhe forma, e depois colocar o pão no forno, é algo muito especial. A magia de fazer pão completa-se quando o partilhamos com os outros.

Um pão feito por nós assume uma dimensão que se assemelha ao brilho das estrelas, numa noite de Verão. Todos podemos fazer pão. Todos conseguimos fazer pão em casa. O primeiro passo é começar. Vamos fazer pão?

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Espetadas de peru com tomate-cereja e abacaxi


Adoro o Verão! É das minhas estações do ano preferidas. Gosto dos dias de sol, das idas à praia, das roupas leves e de usar sapatos abertos ou chinelos. O Verão permite-nos uma maior liberdade. Parece que temos sempre mais tempo, nesta época, do que nas outras, talvez porque os dias são grandes e cheios de luz.

Gosto da abundância que o Verão nos traz. Na horta, temos alfaces, couves, as últimas curgetes, e muito tomate. Já apanhamos ameixas, pêssegos, e os primeiros figos. O Verão é uma estação que nos convida a sair. A aproveitar os dias bonitos de sol. Convida-nos a sentar à mesa e desfrutar de comidas frescas e muitos grelhados.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Salada caprese com tomate e pêssego


Ter uma horta é, para mim, um grande privilégio. Nesta altura do ano, chega-nos o tomate na sua plenitude de sabor e em grande abundância.

No fim-de-semana que passou, no sábado, fui até Santarém e trouxe a primeira grande colheita de tomate deste ano. No Domingo, decidi começar logo a dar destino a este fruto.

Para entrada do almoço, fiz uma salada caprese com tomate e pêssego. Ficou maravilhosa. A salada caprese é uma das minhas saladas preferidas para iniciar uma refeição, nesta altura do ano. Para além de saborosa, é muito fresca.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Manteiga ou pasta de avelã com canela


Na cozinha, como na vida, há hábitos que se adquirem e que ficam. Desde que decidi fazer manteigas de frutos secos, cá em casa, que nunca mais se acabaram. Agora, há sempre um frasco no frigorífico. Para usar em gelados rápidos, em sobremesas ou para barrar no pão, como se de uma guloseima se tratasse, estas manteigas são mesmo maravilhosas.

Comecei por fazer manteiga de amendoim, que adoro e que tento ter sempre, em casa. Mas como gosto daquela que tem pedaços, ultimamente tenho comprado. A seguir fiz manteiga de amêndoa e digo-vos, adorei! Foi como que uma revelação. O que é que eu andei a perder! Entretanto fiz de nozes, de caju e deixo-vos, agora, a receita de manteiga ou pasta de avelã. Nesta receita coloquei um pouco de açúcar de coco, porque senti necessidade de equilibrar o sabor. Espero que gostem.

Uso as manteigas ou pastas de frutos secos em batidos, nos pequenos-almoços - que podem ir acompanhando diariamente na página de Instagram do Cinco Quartos de Laranja - em waffles ou panquecas, para barrar em torradas, em tostas de arroz, ou para comer com fruta fresca. Há dias, em que corto uma banana para uma taça e junto-lhe uma colher de chá de manteiga de frutos secos e vou ao céu. Tão bom! Adoro.

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Crostini com queijo, doce de pêra e pistácios


O Verão pede gelados, mergulhos no mar, sol, areia, cervejas fresquinhas, grelhados, petiscos e entradas que não exijam muito tempo na cozinha.

Gosto de cozinhar e se for necessário posso passar uma manhã, uma tarde, ou o tempo que for necessário, para preparar um prato ou uma refeição que assim o exija. Mas há alturas, em que também sabe bem, não estar muito tempo na cozinha e prepararmos uma refeição ou uma entrada num abrir e fechar de olhos.

Deixo-vos, hoje, uma sugestão muito prática para servirem como entrada nestes dias quentes de Verão, em que não apetece muito cozinhar. Espero que gostem!

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Costeletas de borrego grelhadas com molho de coentros


Procuro, cada vez mais, fazer uma alimentação equilibrada, com carne, peixe, frutas e legumes. Mudarmos o modo como comemos não é, à partida, fácil, mas quando queremos ter uma vida mais feliz e vivermos com saúde, é fundamental fazermos mudanças. As mudanças devem ser feitas, aos poucos e poucos, e sempre adequadas ao estilo de vida de cada um.

Uma das coisas, que sinto que comecei a fazer, de forma consciente, foi introduzir mais legumes nas minhas refeições. Quando vou ao supermercado, o carrinho de compras vem quase sempre cheio com uma selecção, variada, de verduras. Quem estiver predisposto a mudar a sua alimentação deve estar também disponível para cozinhar de outras maneiras. A receita que partilho, hoje, convosco é de costeletas de borrego grelhadas, que tanto adoro. E para acompanhar, se fosse há uns anos atrás, possivelmente teria feito batatas-fritas, arroz, ou um puré de batata. O que hoje em dia procuro é encontrar um equilíbrio.

Gosto de comer comida saborosa, que me deixe feliz e satisfeita. Mas, agora, tento fazer combinações e receitas em que os legumes possam também estar na mesa de uma forma mais constante. Confesso que hoje em dia sinto que preciso de ter legumes e verduras nas minhas refeições. Precisamos de "vida" nos pratos, mesmo comendo de tudo um pouco.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Salada de macarrão com feijão verde e queijo feta


A pouco e pouco, regresso às rotinas. Ontem, foi dia de tratar de algumas burocracias. Hoje, espero conseguir organizar as refeições fazendo algumas pré-preparações e sopa. Mas, a verdade é que ainda estou com espírito de férias! Soube tão bem parar um pouco.

Antes de rumar ao Algarve, para uns dias de praia, procurei limpar o meu frigorífico, principalmente, dos alimentos perecíveis. As saladas, com um pouco de isto e daquilo, foram uma boa opção.

Deixo-vos, hoje, uma que preparei para dar destino ao feijão verde e ao primeiro tomate que trouxe da horta, em Santarém. Soube tão bem! As saladas são óptimas em todas as altura do ano, mas agora, no Verão, com os ingredientes da época, tornam-se ainda mais especiais.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Palitos de cherovia assada


Os últimos dias foram de férias. Este ano decidimos apanhar sol e passar uma semana na praia. Estivemos no Algarve e depois na costa Alentejana. Os momentos de pausa ajudam a recuperar energias, a quebrar a rotina, dão-nos força e equilíbrio para continuar. Podem ver alguns dos meus momentos de férias no Instagram do Cinco Quartos de Laranja.

Antes de ir de férias, costumo "dar a volta" ao frigorífico. Congelo aquilo que sei que não vamos conseguir consumir: leite aberto, sopa, alguns legumes e frutas. As frutas umas descasco-as e corto-as prontas a colocar nos batidos ou sumos, e outras, como as bananas, congelo-as muitas vezes com a casca. Faço mais saladas e tento aproveitar todos os restinhos que há no frigorífico de, por exemplo, tomate seco em óleo, azeitonas, pepinos em conversa, e queijos, que são uma das nossas perdições, cá em casa.

Como sei que os legumes assados se comem muito bem, por exemplo, faço um tabuleiro de legumes, asso, e torna-se um excelente acompanhamento ou um complemento às saladas. A couve-roxa, que costumo ter cortada para as saladas, nestas alturas, coloco-a na mesa salteada em azeite e alho e come-se num instante! O importante é não desperdiçarmos comida.

Na caixa dos legumes, no frigorífico, antes de ir de férias, tinha uma cherovia, também conhecida por pastinaca - e que parece uma cenoura branca - à espera de destino. Como já não ia fazer sopa, nem purés, decidi cortá-la em palitos e cozinhar uma espécie de "batatas-fritas" para acompanhar umas generosas sandes que servi num dos nossos almoços tardios. Ficaram tão boas!

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Tostas de batata-doce com queijo creme e tomate


Agosto é o mês de férias. Foi assim, para mim, durante mais de 15 anos, quando dava aulas. Este ano, decidimos tirar férias, também, nesta altura do ano. Férias com direito a sol, areia e mar. Confesso que já tinha saudades de fazer férias na praia. Precisamos de apanhar sol em prol da vitamina D.

E para quem me acompanha no Instagram do Cinco Quartos de Laranja, sabe o quanto adoro os pequenos-almoços. Todos os dias, tenho publicado o meu pequeno-almoço. E decidi, hoje, partilhar um dos últimos que fiz, em casa, tostas de batata-doce com queijo creme e tomate. Fica mesmo muito bom. Uma maneira diferente de começar o dia. As tostas de batata-doce podem ser feitas previamente. E tornam o pequeno-almoço muito colorido e são uma boa alternativa às torradas de pão, que também adoro, mas de vez em quando, sabe bem variar.

As tostas de batata-doce podem ser servidas com mil e uma coisas. Com ovo estrelado, com manteigas de frutos secos, com abacate, com húmus, ou como hoje vos apresento. Experimentem!

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Esparguete com curgete e delícias do mar


As férias de Verão estão a chegar. As idas à praia, os passeios com a família pelo campo ou por zonas do nosso país que há muito se queria visitar, estão entre as várias actividades que se fazem nesta altura do ano.

E quando estamos de férias, procuramos fazer refeições rápidas e leves. Refeições que se preparem num abrir e fechar de olhos e que não nos obriguem a estar muito tempo na cozinha. Pelo menos, cá em casa, é assim. Por isso, quando a Pescanova me desafiou a preparar uma receita com o seu surimi refrigerado, pensei logo em fazer um prato cheio de sabor e muito prático.

Ainda me lembro quando descobri o que era surimi. Foi numa crónica de Maria de Lourdes Modesto no seu livro Palavra Puxa Receita. O surimi é o nome japonês para as nossas Delícias do Mar e diz-nos: « O surimi é um produto do mar. Filetes de peixes branco, como os nossos conhecidos pescada, bacalhau e até sardinha, cortados finíssimos, lavados em água doce fria para lhes retirar todo o sangue, o sabor, pigmentos, cheiros e gorduras. (...) A pasta resultante é depois prensada e cortada em palitos ou rodelas (...) A cor rosada exterior vem-lhe da adição de paprika. »

Refere, ainda, que o calor é fatal para este produto. Que o devemos esquecer quando fazemos arroz de marisco. O ideal é usá-lo em saladas, pastas, sandes, ou pratos de realização fácil e rápida. Segui o seu conselho e preparei um esparguete delicioso com curgete e surimi.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Pernas de coelho no forno com laranja e batatas


A carne de coelho faz parte da nossa tradição gastronómica. Maria de Lourdes Modesto incluiu na sua obra Cozinha Tradicional Portuguesa, várias receitas com coelho. Em minha casa, o coelho sempre foi uma carne apreciada e servida em muitos momentos em que se reunia a família. Hoje em dia, encontramos facilmente esta carne à venda nos talhos e nos supermercados.

Sobre o coelho e o seu consumo, decidi falar com duas personalidades ligadas à gastronomia portuguesa, por um lado, Justa Nobre, uma das mais mediáticas chefs do nosso país, e Virgílio Nogueiro Gomes, conhecido gastrónomo e autor de vários livros.

Para Justa Nobre, a carne de coelho sempre se consumiu na zona onde cresceu, Trás-os-Montes, era muitas vezes servida como prato de domingo. É uma carne que gosta de cozinhar de diversas maneiras - assada, frita, estufada - e já serviu coelho no seu restaurante O Nobre.

Aconselha-nos a marinar a carne, uma a duas horas, antes de a cozinharmos. Uma das suas receitas preferidas de coelho, é a que tem no seu livro Justa Nobre, Cozinha com Paixão, em que o coelho bravo é servido com um arroz de farinheira. Quando era miúda, diz-nos, que adorava massa fina com coelho. A carne de coelho é também servida em dias de festa e se Justa Nobre tivesse que a servir num jantar de Natal, a receita escolhida seria Coelho à Caçador.

Virgílio Nogueiro Gomes, transmontano, refere que « o coelho faz parte das nossas tradições gastronómicas, especialmente nas regiões do interior, e até na Ilha de Porto Santo. O coelho foi dos primeiros e mais fáceis animais a ser domesticado. Acresce que é de fácil reprodução. »

Quando pensamos em receitas com carne de coelho o nosso pensamento vai logo para pratos salgados mas a verdade, é que pode ser usado em receitas doces. Virgílio Nogueiro Gomes diz-nos que « temos um doce em Vila Viçosa cujo creme é engrossado com carne branca de coelho cozida e depois pisada no almofariz. Dá uma consistência mais subtil e sem gosto à farinha. Depois açúcar, gemas de ovo, amêndoa e canela. »

Curiosa, perguntei-lhe se o coelho fazia parte da mesa dos reis, ao que respondeu: « Não há muita evidência. Há citações em relação à lebre, mas quando havia caça. Em Gil Vicente, aparece coelho em cinco obras, e lebre em duas. »

O coelho era uma carne incluída nas refeições da sua família, em Trás-os-Montes. Refere-nos que « Sim, havia coelho, mas não era a carne dominante. E depois passou a ser uma referência alimentar de forma preventiva, ou disciplinar, para diminuir o colesterol. Não era uma dieta, mas trazia uma nova qualidade alimentar. Lembro-me de que não havia uma época especial para comer coelho. Confesso que o coelho apetece confecionado no tacho e com muito molho. »

Uma das suas receitas preferidas de coelho, é À Moda da Bruxa de Valpaços e refere, ainda, que « há restaurantes de cozinha tradicional que têm confeção habitual de coelho como "O Churrasco" na Rua das Portas de Santo Antão. »

No restaurante, ou em casa, um prato de coelho é muito bem-vindo. Deixo-vos, hoje, uma receita desenvolvida, no âmbito da campanha europeia de incentivo ao consumo de carne de coelho, e a pensar nos momentos em que juntamos a família à mesa, ou recebemos amigos em casa. Pernas de coelho no forno com laranja e batatas. Deliciosa! Digna da mesa de um rei.

terça-feira, 24 de julho de 2018

Sandes de frango com pasta de abacate e coentros


Nesta altura do ano começamos a pensar nos dias de férias. Nas idas à praia, nos passeios sem pressas. Já escolhi também as minhas leituras de Verão. Os momentos de descanso ajudam a recuperar energias, fazem bem ao corpo e à alma.

Apesar de este ano não termos um Verão quente, cá por casa, continuam-se a fazer muitas saladas e refeições rápidas e frescas. Um destes dias, para um almoço apressado, fiz umas sandes. A ideia foi aproveitar umas sobras de frango assado. Ficaram tão boas! Podem ser até uma sugestão de lanche para levarem para a praia.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Palmiers recheados com doce de morango


As coisas boas vindas da terra, com sabor tradicional, deixam-me sempre feliz. Um destes dias recebi um cabaz com doces da Quinta de Jugais. Uma quinta especializada na produção de produtos tradicionais da Serra da Estrela, onde está situada, como queijos, enchidos, mel e doces de fruta. E com o cabaz veio, também, o desafio de confeccionar uma receita.

Eu adoro doces. Fazem parte de muitos dos meus pequenos-almoços, principalmente ao domingo, com pão fresco, ou para acompanhar torradas, que tantas vezes fazemos, cá em casa. Mas os doces de fruta têm também outras aplicações.

Podemos fazer sobremesas ou uns bolinhos rápidos para um lanche com a família. Foi o que decidi fazer, desta vez. Deixo-vos, hoje, uma receita muito prática e deliciosa, palmiers recheados com o doce de morango com hortelã da Quinta de Jugais. Ficaram maravilhosos!

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Salada de quinoa com quejo feta, tomate e pinhões


A quinoa é um ingrediente que adoro usar. É uma excelente alternativa ao arroz e à massa. Cozinha-se muito rapidamente. Para uma parte de quinoa usa-se, geralmente, duas de água e coze durante 15 minutos ou até o grão se separar do gérmen.

É um ingrediente muito versátil. Podemos usá-la em sopas, guisados, hambúrgueres, pães, em receitas de pastelaria e é óptima para colocarmos nas nossas saladas, nesta altura do ano. A quinoa, tem um sabor suave, ligeiramente a noz e até herbáceo. É rica em nutrientes, isenta de glúten e é considerada um super alimento.

A receita que partilho, hoje, foi desenvolvida para a rubrica Tipiak, e é uma salada de quinoa que se prepara num abrir e fechar de olhos. Nesta salada, usei os ingredientes da época, como o tomate, o pepino e o pimento. É uma salada com os sabores do Verão que pode ser uma boa sugestão para levar para a praia ou para um piquenique.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Entrecosto no forno com cerveja


As refeições, principalmente os almoços, cá em casa, durante a semana são sempre muito rápidos e práticos. Uso muitas pré-preparações, como cereais ou leguminosas cozidas, legumes assados, couve-roxa cortada pronta a usar nas saladas, folhas de alface lavadas e colocadas numa caixa, Procuro ter também carne assada ou estufada.

Tendo em conta a minha disponibilidade, o fim-de-semana, é quando cozinho mais. Faço pão. Asso legumes no forno. Lavo e preparo as verduras para as saladas. Confecciono a base das sopas, entre outras pré-preparações, que possa fazer de acordo com os ingredientes escolhidos para as refeições da semana.

Como as férias se aproximam, tenho também a preocupação de ir dando destino a algumas coisas que tenho congeladas. Uma dessas coisas que decidi preparar, no fim-de-semana que passou, foi uma tira de entrecosto. Um pedaço pequeno, que assei no forno com cerveja. Ontem, acabou por ser o nosso jantar.

terça-feira, 17 de julho de 2018

Borrego guisado com grão-de-bico e pimentos


A primeira vez que me lembro de comer uma carne guisada com pimentos foi numas férias. Sempre que fazemos férias no Algarve acabamos por ir, pelo menos um dia, ao outro lado da fronteira, passear, fazer compras.

Numa dessas vezes, em que estivemos em Ayamonte, acabámos por almoçar num restaurante pequeno, numa rua lateral à avenida principal que nos leva até à Ilha Canela. Lá, aceitei a sugestão dos meus sogros, clientes habituais da casa, na altura, de provar uma carne de vaca deliciosa, servida com um molho de tomate bem apurado e com pimentos vermelhos. A carne desfazia-se ao toque do garfo. Conquistou-me.

É um prato que faço algumas vezes, cá em casa. Mas um destes dias, em vez de carne de vaca, fiz com borrego e juntei-lhe grão-de-bico. Fica maravilhosamente bom!

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Wraps de frango com húmus e abacate


Há dias, em que precisamos de ter soluções práticas e rápidas para fazermos uma refeição. Nestes dias, recorro muitas vezes a saladas, a ovos mexidos, a sandes ou, às sempre deliciosas e muito bem-vindas, tostas. Com uma sopa ou uma salada de verdes, faz-se uma refeição diferente, equilibrada, num abrir e fechar de olhos.

No fim-de-semana, andei de um lado para o outro, no sábado estive no Porto. No domingo de manhã entre organizar algumas coisas, cá em casa, uma ida às compras, quando dei pelas horas, apercebi-me que não tinha muito tempo para preparar uma refeição sem deixar toda a gente cheia de fome durante muito tempo. A solução foi fazer uns wraps.

Os wraps são uma uma espécie de sandes em que os ingredientes são colocados em cima de uma fatia de pão fino, tipo uma folha, normalmente tortilhas, e que depois são enrolados. Hoje em dia, encontram-se à venda já preparados e com diferentes recheios em supermercados ou em restaurantes de comida saudável que encontramos facilmente em alguns espaços comerciais. Tal como as sandes, podemos fazer wraps com recheios muito variados.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Vamos fazer pão: Pão girassol


Fazer pão é uma forma de atingir a felicidade. É algo que fazemos de forma tão simples, mas que se transforma em algo especial. Pão é alimento. É vida. É sinónimo de partilha e de alegria à volta da mesa. Cresci a ver sempre pão na mesa.

Podemos fazer pão de mil e uma maneiras. De forma tradicional ou podemos brincar com as massas como se fôssemos crianças e dar-lhes formas divertidas e felizes. Formas que surpreendem e nos fazem sorrir. O pão de hoje é uma flor. Ou melhor, gosto de olhar para e ele ver um girassol! Podem ver o passo a passo deste pão no Instagram do Cinco Quartos de Laranja. Vamos fazer pão?