Próximos Eventos
Espinho 19 de Agosto de 2017
Sábado:
11h30 - 12h30      Showcooking petiscos no âmbito do Festival Oito24
Entrada Gratuita Mercado Municipal de Espinho

domingo, 10 de dezembro de 2006

Pão Caseiro

Em algumas aldeias, na zona de Santarém, ainda encontramos pão caseiro. E é uma verdadeira maravilha, acabado de sair do forno com um pouco de manteiga, nem vos digo! Já cheguei a comer pão quente com azeite e açúcar. Assim, parece uma mistura um pouco estranha, mas é muito bom.

Estas tradições acabam por se perder pois é um trabalho muito duro. Com a força de braços amassam, quase sempre mais de 5 kg de farinha num alguidar de barro. É aproximadamente 1 kg por pão.

A amassadura fica algumas horas a levedar. Este processo é dificultado nesta altura do ano devido ao frio. No entanto, o alguidar é bem tapado com uma manta grossa, que ajuda a conservar o calor.

Todo este processo envolve sabedoria e muito saber fazer, desde o amassar o pão, pois não se pode colocar água a mais e tem que se perceber se a massa já está boa ou não, o fermento (antigamente as pessoas faziam o seu próprio fermento), o acender o forno, o próprio tender o pão, deitá-lo, vê-lo a crescer, tapar ou não a boca do forno para que não fique queimado, tudo isto envolve muita técnica.

No final, o resultado vale a pena! O cheirinho a pão acabado de cozer é inesquecível e, para quem não sabe, pão quente não se corta com faca, pois como diz a sabedoria popular "corta as forças à amassadeira".

São servidos?

10 comentários :

  1. Obrigada pela "encomenda"! ;o)
    Como sempre está marvilhoso!
    Parabéns à "Padeira" de serviço!

    ResponderEliminar
  2. Realmente o amassar do pão é um processo muito moroso e penoso mas que no final vale a pena!

    O cheiro e o sabor do pão acabado de fazer é algo que não se esquece e que sempre que se pode volta-se a viver! (neste caso, comer)

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. De Leiria para baixo, da fronteira até ao mar, o pão ainda se come. Devem ser restos herdados dos mouros (cuja arte de fazer pão era e é exímia), antes de Santarém ser a defesa avançada de Lisboa. Para cima dessa linha é borracha. Isto na generalidade, é óbvio, e mais nuns sítos do que noutros.

    ResponderEliminar
  5. Eu adoro pão! e este tem mesmo aquele aspecto delicioso... quentinho com manteiga e um leitinho quentinho com "brasa"!!
    Só tu para me fazeres crescer água na boca!
    Bijuquinha

    ResponderEliminar
  6. sou servida, claro...

    tão bem me lembro da minha avó servir-me ao lanche uma fatia de pão com manteiga e açúcar. Que lembranças boas!

    Parece que sinto o cheirinho a pãozinho quente, hummm...

    que post maravilhoso! Parabéns

    ResponderEliminar
  7. Que delícia de história! Não conhecia essa sabedoria popular que recomenda não cortar o pão quente... vou adotar em minha casa :)
    Quanto ao azeite com açúcar, deve mesmo ficar bom! Quando era pequena, a vó me dava pão com nata e açúcar.
    Obrigada por despertar essa lembrança doce
    ;***

    ResponderEliminar
  8. Eu ainda tenho o prazer de comer pão caseiro pois a minha sogra faz de 15 em 15 dias. Uma maravilha.

    ResponderEliminar
  9. eu tambem faço o pão que comemos cá em casa , uma maravilha

    ResponderEliminar