Próximos Workshops
Lisboa 8 de Dezembro de 2016
5a-feira:
17h00 - 18h00      Entradas e Petiscos para a Ceia de Natal na loja Maria Granel
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP
Lisboa 11 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h30 - 11h30      Pequeno-almoço no dia de Natal na loja Maria Granel

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Salada de couve-flor com salmão e as minhas leituras


Todos os anos gosto de olhar para trás e fazer um balanço. Todos os anos percorro as folhas da minha agenda cheia de pequenas notas, que não passam de registos do que fiz, do que gostaria de fazer ou ideias que quero colocar em prática. Ter uma agenda transformou-se numa necessidade. Todos os anos em Dezembro, procuro comprar uma que preencha alguns dos meus requisitos. Apesar de ter também um calendário no telemóvel, a agenda em papel tem um valor especial. Nunca entro num novo ano sem ter uma agenda, pronta a ser escrita. É quase como uma superstição.

Ao folhear a minha agenda de 2013, encontro um resumo breve do que foi a minha vida neste ano. Desde jantares com amigos, os aniversários da família, listas de coisas que quero fazer, desde obrigações até às que me dão prazer, encontro frases soltas, poemas que li e registei, encontro listas de tarefas, listas de livros que quero ler ou que li, listas de filmes, as séries de cozinha que não quero perder, até aos meus compromissos profissionais ou actividades ligadas ao Cinco Quartos de Laranja. E como Dezembro está quase a chegar ao fim, a agenda de 2014, já cá está em casa.

Os últimos dias do ano são, sempre para mim, dias de balanço. Gosto de rever o que fiz. Gosto de perceber se consegui fazer com que os meus dias fossem felizes e preenchidos com as coisas que me dão prazer. E à semelhança de outros anos, começo também por fazer o balanço dos livros de gastronomia que li ou que chegaram à minha cozinha neste ano.


As minhas leituras gastronómicas de 2013 foram (por ordem de leitura):

- Cozinhar com Jamie - um livro sobre técnicas de cozinha, desde molhos, massas, passando pelo peixe, carne até às sobremesas.

- Cozinhar com Identidade de Fausto Airoldi - um livro de receitas numa viagem pelos sabores portugueses;

- Tratado do Petisco de Virgílio Nogueiro Gomes - um livro indispensável a quem se interessa por gastronomia e história da alimentação portuguesa;

- Alimentos ao Sabor da História e Os Mistérios do Abade de Priscos de Fortunato da Câmara. Cada vez mais acho interessante viajar pela história dos alimentos ou das receitas;

- Small Plates & Sweet Treats de Aran Goyoaga. Adoro o blogue Cannelle e Vanille e assim que vi que tinha publicado um livro, não resisti. As fotografias são lindas e as receitas, simplesmente inspiradoras. Gostei de descobrir que a autora trabalhou durante uns tempos em Cascais;

- Da Horta para a Mesa de Cláudia Villax - um livro cheio de dicas para quem quer ter uma horta. Para além dos vários conselhos sobre o que plantar e que cuidados se devem ter, desde a preparação dos solos, como evitar algumas pragas até receitas que se podem fazer para dar destino ao que se produz. Aconselho vivamente a experimentarem os morangos com açúcar de hortelã-pimenta, são tão bons. O açúcar com o sabor da hortelã eleva os morangos para um patamar de sabor surpreendente;

- The Sprouted Kitchen de Sara Forte - mais um livro de uma blogger. Gosto de algumas das combinações menos usais que esta autora coloca nos seus pratos de cozinha, principalmente vegetariana.

Para além dos livros de receitas e de gastronomia, adoro ler romances em que a comida é um elemento importante. Em 2013, a gastronomia em livros de ficção passou por A Rainha dos Gelados de Anthony Capella. Um romance à volta da história da preparação de gelados, com reis, rainhas e muitas traições.

Li ainda Comer e Amar em Paris que não é um livro de ficção, mas uma história verídica deliciosa de uma americana que se apaixona e casa com um francês. O livro trata da adaptação da autora ao estilo de vida francês. As idas ao mercado são deliciosas e o modo como vai descobrindo a cozinha francesa, despertou-me ainda mais a vontade de conhecer Paris.

Os livros fazem parte da minha vida. Não me imagino sem livros por perto ou sem andar a ler um livro, às vezes até mais do que um. Escolhidos para ler em 2014, de cozinha, tenho cá em casa:

- Sabores do Ar e do Fogo de Fátima Moura - uma viagem pelos sabores do fumeiro português;

- A História da Invenção na Cozinha de Bee Wilson - livro que nos fala sobre a evolução de muitos dos utensílios de cozinha;

- The Smitten Kitchen Cookbook de Deb Perelman - confesso que gosto de comprar livros de bloggers;

- What Katie Ate de Katie Quinn Davies - um livro lindo, lindo. Para além das receitas, as fotos deixam-nos a sonhar;

- Franny's - Simple, Seasonal, Italian de Andrew Feinberg, Francine Stephens e Melissa Clark - um livro de cozinha italiana do restaurante Franny's em Brooklyn. Vou buscar muitas das minhas inspirações à cozinha italiana. O gosto pelas flores de curgete, por exemplo, vem das minhas viagens a este país;

- Secrets of the Best Chefs de Adam Roberts. O autor do blogue Amateur Gourmet cozinha com vários chefs e amigos, revelando truques e dicas;

- The Kinfolk Table de Nathan Williams - um livro com receitas, de pessoas de várias partes do mundo (chefs, bloggers, etc.);

- A Year in My Kitchen de Skye Gyngell - um livro que acompanha o ritmo das estações com várias receitas.


É curioso ver que há cada vez mais bloggers a publicaram livros de comida. Penso que é um bom sinal. E enquanto o ano novo não chega, por cá estamos rendidos às sopas e às saladas, para equilibramos os excessos cometidos no Natal e para nos prepararmos para os que vamos cometer na passagem de ano.

Salada de couve-flor e salmão grelhado

Ingredientes:
400 g de couve-flor
330 g de couve-flor romanesca
4 postas do lombo de salmão
200 g de bulgur
1 dl de azeite
1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Cortar as couves em floretes. Cozer os floretes em água a ferver temperada com sal. Depois de a couve cozida, retirar da água e reservar.

2. Cozer o bulgur no caldo onde se cozeu a couve. Depois de cozido, escorrer e colocar o bulgur numa taça.

3. Juntar os floretes de couve ao bulgur.

4. Grelhar os lombos de salmão, temperados com sal e pimenta.

5. Numa taça emulsionar o azeite com o vinagre, sal e pimenta-preta a gosto.

6. Regar a salada de bulgur com o molho. Mexer. Se necessário retificar o sal e a pimenta.

7. Servir a salada com o salmão grelhado.


A todos, votos de boas leituras em 2014!

6 comentários :

  1. Olá Laranjinha,
    Este ano vou ter uma agenda... já a tenho e quero dar-lhe uso!
    Fim de ano é tempo de balaço e também faço o meu, e como o Tentações Sobre a Mesa completa hoje 2 anos fui rever o 1.ª post e encontrei-te nos comentários!
    Muito obrigada, foste um incentivo, tenho acompanhado o teu trabalho no blogue sempre com imensa admiração. Quando for "grande" quero ser como tu!
    Votos de um Ano Novo muito feliz, com muitos projetos realizados, novos sonhos, muita alegria e amor.
    Eu continuarei a ser visita assídua e admiradora de tudo o que fazes.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Lenita,
      muito obrigada pelas tuas simpáticas palavras. Nem imaginas como fiquei contente.
      Um grande beijinho e muitos parabéns pelos dois anos do delicioso Tentações sobre a Mesa.

      Eliminar
  2. É uma salada perfeita, adoro os peixe e o salmão é o meu favorito.

    Eu também gosto muito de ler, não sou pessoa sem um livro nas mãos. Vou tomar nota da recomendação do livro Comer e amar em Paris, tem que ser muito lindo.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Bela sugestão!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Nham, Nham!!

    Feliz Ano Novo!

    Bj, Carla

    http://aalfacinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Querida Isabel,

    foi um ano recheado de leituras, sem dúvida :)

    Que 2014 seja um ano bom, cheio de sucessos. Para ti e para o blogue.

    Beijinhos para ti e para o Ricardo,

    Ilídia

    ResponderEliminar