quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

Costeletas de porco com molho de tomate e amêndoa


Os dias têm estado chuvosos e frios. Ontem, quando saí do trabalho aconteceu-me uma pequena peripécia. Ia eu muito bem de chapéu de chuva aberto, que nem era meu, a chover razoavelmente bem, eis que vem uma rabanada forte de vento, o chapéu vira-se e as varetas ficam completamente todas torcidas. O que era um chapéu de chuva transformou-se numa estrutura metálica torcida e sem aproveitamento nenhum. No meio da chuva, assim que vi o que aconteceu ao chapéu dei uma enorme gargalhada. Quem me seguia por perto deve ter pensado que eu não regulava bem. Mas eu continuei, ainda tentei proteger-me da chuva com o que restava do chapéu, mas era inevitável. O destino foi o primeiro caixote do lixo que encontrei e segui viagem assim mesmo. Ao longo do meu trajecto fui encontrando mais carcaças de chapéus abandonados.

Em dias de pequenas peripécias nada melhor que um prato reconfortante. A receita destas costeletas encontrei-a na revista Saberes & Sabores nº 122 de Abril de 2004.


Ingredientes:
4 costeletas de porco
sal
pimenta
60 g de margarina
2 colheres de sopa de farinha
1 colher de chá de alho em pó
1 lata pequena de tomate pelado em cubos
1 copo de água
0,5 dl de vinho do Porto
50 g de amêndoas raladas
canela em pó
3 a 4 colheres de sopa de natas
tomilho fresco

1. Temperar as costeletas com sal e pimenta.

2. Derreter a margarina numa frigideira.

3. Misturar a farinha com alho. Passar as costeletas de ambos os lados nesta mistura.

4. Fritar as costeletas na frigieira com a margarina até alourarem de ambos os lados. Retirar para um prato e reservar de modo a que se conservem quentes.

5. Deitar o tomate na frigideira onde se alourou as costeletas e deixar cozinhar aproximadamente 10 minutos. Ir adicionando água aos poucos.

6. Adicionar o vinho do Porto e as amêndoas raladas. Mexer. Adicionar uma pitada de canela, sal e pimenta a gosto.

7. Deixar apurar um pouco e junte as natas.

8. Servir o molho com as costeletas. Salpicar com tomilho fresco.

Acompanhar este prato com esparguete ou fettucine cozido.

O segredo destas costeletas está no molho. Bom. Muito bom!

6 comentários:

  1. Está mesmo um verdadeiro temporal! Espero que passe em breve antes que dê cabo de mais guarda-chuvas :)
    O molho é mesmo o que mais dá nas vistas neste prato!

    ResponderEliminar
  2. Aqui está um temporal medronho, vento forte q leva quase tudo à frente! :S
    Mas temos q viver c o tempo q temos e mais nada! :S
    Esse molhinho está mesmo tentador!
    Hum... saboroso.
    Beijinhos doces**

    ResponderEliminar
  3. Ai que coisa tão boa!!!
    Parabéns pelo blog, tem receiotas deliciosas...já sou seguidora.
    Visita docescuriosidades.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Que beleza de porquinho, as fotos ficaram lindas! Vou anotar a receita aqui! Parabéns! Bjinhos

    ResponderEliminar
  5. ai molhas felizmente nao apanhei mas o tempo nao esta para brincadeiras.
    estao uam delicia estas costeletas
    esse molho esta dos deuses
    beijinhos

    ResponderEliminar