quarta-feira, 16 de Março de 2011

Missão Laranjinha em Estremoz


- Bom dia, eu sou a Laranjinha!

Esta foi a frase chave para o desencadear da missão com o mesmo nome no Alentejo, mais concretamente na cidade de Estremoz.

A primeira etapa desta missão começou na Mercearia Gadanha, uma loja gourmet, com produtos tradicionais, especialmente enchidos, azeites e outros, como por exemplo bombons de chocolate, chás e diferentes tipos de sal. E onde também se pode petiscar. Após dizer a senha da missão recebi um saquinho de musselina atado. Sentei-me numa das mesas que foi em tempos uma barrica. Entretanto serviram-nos, o Ricardo também me acompanhou, dois cafés e dois Gadanhas. Gadanhas são umas queijadinhas de amêndoa deliciosas. Mesmo antes de tomar o café as minhas mãos não pararam até conseguir abrir o saquinho de musselina. O meu coração pulava de entusiasmo. Lá dentro descobri laranja seca, que deita um cheirinho tão agradável, e um bilhete. O bilhete começa com uma frase de Alfredo Saramago, "A cozinha é uma arte de circunstância e, no tempo presente, a cozinha tradicional é horizonte de muitas procuras e desejado encontro" e estava escrito ao estilo do livro de receitas da mãe de Framboise, personagem do livro Cinco Quartos de Laranja de Joanne Harris, que tanto me fascinou. Um pedaço de história, uma contextualização com intermeios de uma receita. Naquele momento transbordei de alegria. Era tão especial o que me estava a acontecer. Senti-me a personagem principal de uma história que uma leitora me estava a proporcionar. Quando saí da mercearia, na minha cabeça formulou-se uma pergunta: O que pensaria Joanne Harris de tudo isto?


Depois de perceber entusiasticamente que mais momentos me aguardariam, passei pelo mercado de Estremoz, tal como me foi indicado. A missão Laranjinha tinha ali uma etapa. Dirigi-me à venda do senhor Henrique e da mulher e voltei a dizer: - Bom dia, eu sou a Laranjinha! O senhor sorriu, foi ao fundo buscar algo e eis que me entrega mais um saquinho de musselina com laranja seca, com alguns pedaçinhos queimados, o que lhe dava um cheiro diferente mas agradável, e uma indicação. Deveria escolher um arranjo de malaguetas. Lindas. Mais uma vez as minhas mãos não perderam tempo e quiseram abrir o saquinho de musselina. O que diria este segundo bilhete? Mais alguns ingredientes para a receita e apontamentos pessoais. É ali que a minha anfitriã faz as suas compras. É ali que se delicia com a conversa com o senhor Henrique e a mulher sobre receitas, ingredientes, que descobre novos produtos. Mais uma vez, fiquei sem palavras. Cada momento estava a ser tão especial. Único. Quanta imaginação, quanto empenho foram colocados nesta missão! Tudo foi pensado ao pormenor.


Ao andar pelo mercado encontrei espargos selvagens. Espargos selvagens! - acho que foi a primeira vez que vi. São tão diferentes dos espargos que vemos à venda, cá em Lisboa. Encontrei pelo menos uma vendedora só com espargos, mas estavam à venda em várias bancas. No mercado vi favas, maçãs bravo-esmolfe, massa de pimentão caseira, queijos com orégãos, enchidos, legumes fresquinhos, cogumelos, coelhos e galinhas vivos. Encontrei também louça em barro vermelho, alguidares, pratos decorados. Estremoz tem tradição na barrística. Os mercados reflectem em parte a alma das regiões. Mostram um pouco da vida e dos costumes de cada local. O que me atrai em cada mercado são as diferenças.


Da visita ao mercado seguimos até à loja das famosas irmãs Flores. Na loja encontramos os bonecos tradicionais e até dá para espreitar a oficina onde ganham vida. No sábado, as gentes de Estremoz, souberam que andava por ali uma Laranjinha numa missão muito especial. :)


Depois de passearmos pela cidade, onde o branco impera e contrasta com ruas cheias de laranjeiras, dirigimo-nos novamente a casa da Cristina Lebre, a mentora de toda a Missão Laranjinha e que carinhosamente me convidou.


Esta história não termina aqui! ...

25 comentários:

  1. Olá querida Laranjinha já vi que andas-te pelas minha terra (Alentejo) e que por sinal conheço bem pois sou de Portalegre mas na infância cheguei a morar em Estremoz (ali bem perto) por isso amei cada foto, morei perto daquela fonte que se vê ali e vieram-me boas memorias agora e confesso que até uma lagrimazita...
    Obrigado por partilhares e divulgares estas maravilhas,

    beijinhos!!

    ResponderEliminar
  2. Já visitei Estremoz e adorei cada pedaçinho do que vi. Tive a sorte de ir num dia de feira de antiguidades nessa mesma praça que mostra nas fotos.
    Almocei divinamente no Restaurante duma pensão cujo nome não me lembro, mas se não me engano é o edificio da primeira foto.
    Obrigado pelo maravilhoso post.
    São estas coisas que fazem um blog ser : "Um bom blog"
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Olá Laranjinha,
    É tão bom e inspirador ler esta partilha de experiências, desejosa de ler a continuação da historia.

    ResponderEliminar
  4. Olá Laranjinha,
    Estou a adorar a história que, por sinal, está muito bem documentada com fotos maravilhosas. Aguardo os próximos capítulos.

    ResponderEliminar
  5. Olá Laranjinha
    A minha avó era de Estremoz mas eu conheço muito mal por isso já tenho um fim de semana marcado para, em Abril, ir conhecer melhor esta zona. Depois da tua descrição ainda estou mais ansiosa... eu adoro o Alentejo.

    Estou desejosa do próximo episódio.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Amiga, que espectáculo!!
    Adorei a Missão Laranjinha. :) Muito original.
    E adorei tb o tabuleiro de barro com os peixinhos: quero! :)
    Fico à espera das cenas dos próximos capítulos. :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Que post maravilhoso! Lindas fotos!!

    ResponderEliminar
  8. Ao ler a tua 'aventura/missão', até parece que somos nós a personagem, de tão bem relatada que está. Passear por essas cidades, fazem-nos pensar, na qualidade de vida que essas gentes têm. Até os produtos postos à venda são de outra qualidade. Mas enfim... não se pode ter tudo. Ficamos à espera dos próximos passos. :) Bjs

    ResponderEliminar
  9. Que fotos, hein??? E quanta delícia!
    Mas hoje eu vim para te pedir seu voto num concurso Tabasco que estou participando. Vc pode votar em mim?
    Estou pedindo muito?
    O link é esse aqui:
    http://www.tudocomtabascopeppersauce.com.br/?post_type=receitas&p=336

    Depois é só confirmar o voto no email que eles mandam. E só até esta 6ª feira!
    Muito obrigada!!!
    E desculpe-me pela intromissão.
    E parabéns pelo seu blog!
    Bj
    Deborah

    ResponderEliminar
  10. Paula Mariana,

    também eu fiquei comovida com o teu comentário. Estremoz, Portalegre, locais de que tenho muito boas recordações também.

    Célia,
    "São estas coisas que fazem um blog ser: "Um bom blog"" - Muito obrigada.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Jasmin e Catarina,

    muito obrigada pelas vossas palavras de incentivo.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Nelinha,

    tenho a certeza que irás adorar Estremoz. A cidade é bonita, as pessoas uma simpatia e claro, come-se muito bem.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  13. Rute e Marina,

    obrigada pela vossa visita.

    Gasparzinha,

    a louça alentejana é tão bonita! :)

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  14. Raspas de Laranja,

    concordo com o que dizes, a qualidade de vida fora das grandes cidades é tão diferente. Tudo é vivido com mais calma e os produtos que se encontram, têm outra qualidade.

    Obrigada pelas palavras de incentivo.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  15. Olá Laranjinha,
    que experiência, que história tão original e saborosa!!!

    Estou bastante curiosa para ver como terminou!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Uma história tão original, e engraçada.Imagino-te pelas ruas de Estremoz.A vida nestes lugares mais pequenos é muito diferente de Lisboa, aqui ninguém se conhece.Passamos uns pelos outros com uma indiferença brutal.

    Olha fico á espera do resto, estou curiosa.

    Bjs

    ResponderEliminar
  17. A família do meu marido é Alentejana, sempre que vamos a Estremoz ou Borba eu até deliro! Os hábitos, a gastronomia, os mercados, são lindos.

    Os espargos selvagens são óptimos, mas por cá também há, não na cidade, mas o meu sogro costuma apanhar na zona de Sintra. Muito bons!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Olá Laranjinha,
    que post lindo, adoro as tuas sugestões e a tua escrita pois a cada palavra fico com vontade de ir conheçer sitios lindos do Nosso Portugal.

    Beijinhos e também fico á espera do próximo post.

    Pi
    Fernanda

    ResponderEliminar
  19. Gosto muito do seu blog.Obrigada por divulgar, tão bem, o nosso belo pais.

    ResponderEliminar
  20. Magnífico.
    Tenho uma caixa onde guardo religiosamente folhetos e guias turísticos de Portugal.

    A impressão deste post vai juntar-se a eles. Que magnífico guia de Estremoz.

    ResponderEliminar
  21. Laranjinha.
    Adoro as tuas visitas guiadas. Um verdadeiro roteiro turistico e gastronómico, tão bem documentado com belíssimas fotos.
    Já agora, qual é a próxima Missão ;)
    Um beijinho
    Romã:*

    ResponderEliminar
  22. Adorei o vosso Blog, as fotos são lindíssimas. Foi pena não os ter encontrado na Mercearia Gadanha. Passem por lá mais vezes, fica o convite!
    Partilhei o vosso blog no nosso facebook: http://www.facebook.com/pages/Gadanha-Mercearia/370112103277
    Continuem com publicações desse tipo! Adoreiiii!!

    ResponderEliminar
  23. por onde começar...?! a minha terra é linda, é um facto... e os meus pais (sr. henrique e sua esposa lol) tb sao uma simpatia ;) é bom ver a minha cidade nesta perspectiva, as fotos são muito boas, adorei, e ainda é melhor saber que o mercado é uma referência, não só plos motivos obvios mas pq o mercado tradicional de estremoz é uma inspiração, não se devia perder, devia ser melhorado sim, e é pena que não tenha as melhores condições quando o frio do inverno e o calor do verão apertam. ninguém investe ali, e é uma pena...a qualidade e a tradição respiram-se por ali...
    beijokas

    vera f.

    ResponderEliminar
  24. Fico sempre deliciada
    Quando vejo alguém mostrar
    Que ao raiar a madrugada
    Há um Mundo a desvendar

    Há, no silêncio, sons fortes
    Há no alarido mudez
    Neste Mundo há sempre “Nortes”
    Para mostrar de vez em vez

    Laranjinha, volte ainda
    Estremoz é terra linda
    De história e artes tantas

    Para além das que já expôs
    Descubra mais, não sei bem quantas,
    Coisas belas em Estremoz

    Gina

    ResponderEliminar