segunda-feira, 2 de julho de 2012

Workshop Operação Verão na Escola de Cozinha Arola


A minha estada no Penha Longa, Hotel Spa & Golf Resort começou com um workshop intitulado Operação Verão na cozinha do restaurante Arola. O próximo será no dia 21 de Julho 2012 e é sobre Paella. Depois de um cumprimento breve ao chef Sergi Arola, eu e os outros participantes, dirigimo-nos para a cozinha e esta é sempre uma sensação tão boa para mim. É passar para o outro lado, é ver os bastidores, é ter acesso a um outro olhar sobre algo que me fascina. Acho que pode ser comparado a quando descobrimos como são feitos os truques de magia. Não se perde o encanto, ficamos é ainda mais maravilhados com o resultado final, depois de vermos os processos. E foi cheia de entusiasmo que coloquei o avental preto distribuído aos participantes, que o coloquei como fazem os verdadeiros profissionais e que ouvi atentamente as explicações do chef Cláudio Cardoso, do restaurante Midori e que confeccionou os pratos de uma operação que exige comidas frescas e deliciosas, ou não fosse este um workshop de comida de Verão.


O chef Cláudio Cardoso começou por nos explicar a confecção do primeiro prato, gaspacho com tomate, morango e melancia, servido com uma espetada e ervilhas de wasabi. Uma entrada fresca, excelente para um dia de calor e a mistura de sabores a fazer-se sentir na boca como uma festa cheia de emoções, finalizado com a textura das ervilhas.


O segundo prato foi atum braseado com ar de ponzu e sunomono de morango. Fiquei impressionada como é fácil brasear o atum, basta ter um pequeno maçarico, daqueles que usamos para queimar o leite creme e já está. O atum é delicioso e este estava magnífico.


Seguiu-se uma salada de vieiras. O chef colocou numa taça abacate, morangos, feijões de soja e vieiras cruas, cortadas em seis. Temperou com pimenta preta de moinho, molho ponzu e finalizou com gema de morango (esferificação) e caviar de framboesas. O sabor do morango marca esta salada. A textura é dada pelos feijões de soja. Fiquei com vontade de reproduzir este prato cá em casa. Pareceu-me simples e com uma interessante mistura de sabores. Um dos segredos da salada reside no molho ponzu que o chef Cláudio referiu que se fazia juntando molho de soja, sumo de lima e sumo de laranja. Ver se um destes dias experimento.


O último prato apresentado foi um sushi roll que nos deixou com imensa fome, a meio da explicação já estávamos todos a salivar de tal modo que o chef, no final dividiu pelos presentes o rolo de sushi e que favor nos fez. Nós agradecemos, não deixando nada.


Referiu que um dos truques do arroz para sushi é usar a mesma quantidade de água e de arroz. Este sushi é diferente de todos que já comi. O recheio é feito com pele de salmão grelhada com sal, queijo tipo Filadélfia, manga e cebolinho. A pele do salmão fica deliciosa. Um sabor com leves aromas a grelhado, mas com a presença do sabor do salmão. Bom, mesmo. O sushi é servido com uma mousse leve de manga com sete pimentas japonesas que deixa um picante no final de boca delicioso. Que coisa boa!

A sobremesa foi uma mistura de rochas vulcânicas de tangerina e chá verde, folhas crocantes de maracujá e para surpreender o palato, petazetas que explodiam na boca como foguetes de contentamento, num empratamento que deslumbrou.


Depois de tirarmos o avental, saímos da cozinha e sentámo-nos numa mesa do restaurante Arola com vista para o campo de golfe. O dia estava bonito e nós curiosos para provar todas as iguarias que vimos o chef Cláudio Cardoso executar à nossa frente. Quando a comida chegou voltámos a tecer elogios ao modo como o chef conduziu o workshop, à apresentação da comida e ao cunho inovador que o chef tenta colocar nos pratos. Gostámos do modo informal e descontraído com que falou do que fazia. Aposto que ainda vamos ouvir falar muito deste jovem chef. No final, tivemos a certeza que aquilo que nos parecia bom estava realmente bom, muito bom.


As coisas boas que retiramos ao participar neste tipo de iniciativas são por um lado, a possibilidade de falarmos com pessoas que nos ensinam coisas novas, que explicam e tiram dúvidas, e por outro lado, é o facto de conhecermos pessoas novas que se juntam a um sábado de manhã pelos mesmos interesses e que falam horas a fio sobre comida e sobre as coisas boa da vida, como se conhecessem desde sempre. Não há nada melhor.

3 comentários:

  1. Uma forma fantástica de passar um sábado ... bem enriquecido na companhia de pessoas interessante e de bons sabores. Só de ver as imagens consigo perceber que esteve tudo na perfeição :)

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pela partilha destes momentos preciosos.
    Se eu fosse mais nova fazia-te companhia, he,he. Assim, limito-me a salivar daqui e a aprender contigo. Bjs. Bombom

    ResponderEliminar
  3. Que pratos tão requintados, apelativos e que devem ser deliciosos!!!
    Workshops são sempre uma excelente escolha para um dia diferente e proveitoso :)

    ResponderEliminar