Próximos Eventos
Porto 28 de Outubro de 2017
Sábado:
15h30 - 19h00      Workshop Vamos Fazer Pão?
Lisboa 4 de Novembro de 2017
Sábado:
10h00 - 13h00      Workshop Vamos Fazer Risoto?
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Doce de tomate com baunilha


O Verão é a altura do ano em que faço mais doces e compotas. E um dos meus doces preferidos é o de tomate. O tomate é um produto que nos chegou com os Descobrimentos. E como se cozinhava então sem este produto maravilhoso?

O tomate é nativo da região andina da América do Sul. Evidências genéticas demonstram que tem origem no Peru. Foram os conquistadores espanhóis que o trouxeram para a Europa e chamaram-lhe tomate. Esta designação resulta da palavra asteca tómatl, que significava “frutos roliços”, pois o tomate propriamente dito, era xitomatl. Ao contrário de outros alimentos vindos do novo mundo, o tomate, tal como a batata, foi encarado com desconfiança pelos europeus e remetido, durante décadas a planta ornamental. Em Inglaterra, fazia parte dos jardins reais. Só as classes mais pobres ou em alturas de escassez é que se recorria ao seu consumo. Os italianos chamaram-lhe pomo d'oro ou manzana dourada, o que poderá talvez querer dizer que o primeiro tomate que chegou à Europa seria de cor amarela. De Itália chegou a França, onde foi apelidado de pomme d'amour. Foram os italianos a incluir pela primeira vez o tomate num livro de receitas.

O tomate caracteriza a cozinha portuguesa. Tantos e tão bons são os pratos que levam tomate. Como se costuma dizer, em tempo de tomate não há más cozinheiras.

O tomate chega-nos na sua plenitude de sabor e doçura em Agosto. E este ano decidi aproveitar a produção da horta, em Santarém, e fazer doce de tomate. A receita que publico, hoje, foi com baunilha.


Doce de tomate com baunilha

Ingredientes:
2 kg de tomate limpo
1 kg de açúcar
1/8 de colher de chá de baunilha em pó
Casca de 1/2 limão

1. Triturar, para uma panela, o tomate com o passe-vite.

2. Adicionar o açúcar, a baunilha e a casca de limão.

3. Levar ao lume e deixar apurar até obter ponto de estrada.

4. Ainda quente, guardar em frascos esterilizados.

5. Colocar os frascos virados com a tampa para baixo e deixar arrefecer.


Nesta receita usei baunilha de Madagáscar em pó. O tomate foi pelado previamente com água quente. Depois retirei as sementes e só então é que o triturei. Depois dos frascos de doce frios, colocar etiquetas e decorar.

2 comentários :

  1. Gosto muito das suas receitas de compotas!
    Este verão congelei muitos tomates maduros pois não me lembrei de fazer compotas.
    Será que dá para fazer com tomate congelado?

    Obrigada,
    Ester

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ester,
      nunca fiz com tomate congelado.

      Eliminar