terça-feira, 5 de Abril de 2011

Fazer pão ou a satisfação de um desejo


Em casa dos meus pais, desde que me lembro, que sempre houve pão caseiro. Houve e continua a haver. Todas as semanas o alguidar de barro enche-se de farinha, fermento, água e sal. Todas as semanas as mãos da minha mãe amassam dez ou mais quilos de farinha. Fazer pão transforma-se numa tarefa especial, mas árdua, extenuante, que exige do corpo imensas energias. Depois do pão levedo, passa-se para o forno que se enche de lenha e que arde até o forno estar no ponto. Diz-se que o forno está quente, quando o tecto parecer que mudou de cor, assemelhar-se a uma autêntica brasa viva. Limpa-se o lastro do forno e começa-se a tender os pães que são ali deitados um a um. Umas vezes, se se quer que fiquem dourados, tapa-se a boca do forno, outras fica assim mesmo, aberto. Passada uma hora, retira-se o pão e é uma autêntica festa. O cheiro a pão quente é irresistível.

Amassar pão sempre me despertou a curiosidade. Fazer pão parece algo tão simples, uma combinação de farinha, água, sal e fermento e já está. Mas normalmente o segredo do pão está no amassar, na forma fantástica, mágica, como se combinam estes quatro ingredientes e, obviamente, no levedar. Coisas, só aparentemente simples. Foi graças a este fascínio pelo amassar, que este ano resolvi fazer pão sem recorrer à máquina do pão.


Ingredientes:
1Kg de farinha T65
50g de fermento fresco
sal q.b.
6 a 6,5dl de água morna

1. Colocar a farinha num alguidar.

2. Dissolver o fermento em 2,5dl de água.

3. Envolver a água com fermento na farinha.

4. Amassar a massa e ir adicionando aos poucos e poucos a água.

5. Deixar levedar.

6. Aquecer o forno a 250ºC.

7. Colocar o pão no forno, reduzir a temperatura para 200ºC. Deixar cozer durante 1 hora.


Para cozer o pão usei a pedra onde faço a piza e coloquei um tabuleiro com água no forno para aumentar a humidade.

Enquanto o pão estava no forno, não resisti a observar o modo como crescia, o modo como a massa se transformava. Depois do pão cozido e assim que o consegui partir, não resisti a barrar uma boa fatia de pão com manteiga.

O Ricardo, achou que o pão era muito grande, mas que não estava nada mal! Isto vindo do responsável por fazer o pão cá em casa, soa-me a elogio, não acham? ;)

27 comentários:

  1. E que belo pãozinho, parabéns, ficou mesmo bonito.

    ResponderEliminar
  2. Fabuloso, não existe nada melhor que o bom do pãozinho caseiro! Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Não há nada que me dê mais satisfação na cozinha do que fazer pão. Ontem comecei a minha terceira tentativa de fazer um isco (o que os ingleses chamam sourdough) para poder finalmente experimentar fazer pão sem recurso a fermento quimico, depois só me falta experimentar cozer num forno a lenha. O teu pão ficou com um aspecto perfeito, quer por fora, quer no miolo.

    ResponderEliminar
  4. Estou danada para experimetnar a fazer pão caseiro também! As minhas avós também faziam e tenho muito pena de não ter aprendido mais com elas!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  5. Under a Fig Tree disse:

    Laranjinha,

    A pedra faz maravilhas no forno ... Eu uso uma de granito sem polimento.

    Engraçado... eu também fico a olhar, deliciada, para o forno a ver os bolos, tartes, pão,etc... crescerem e tostarem... Acho fascinante!! E gosto de sentir os cheiros TODOS.

    O pão ficou com cara de Alentejano : )! Sabes que antigamente a um pão pequeno aqui no Alentejo, dava-se-lhe o nome de "morcates"?! Sim.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  6. Basta olhar para ele para ver o delicioso que devia estar. Nada como um belo pãozinho caseiro. Eu sempre que vou ao meu Alentejo não resisto a trazer e nada tem a ver com os que compramos no super feitos em máquinas e em grande quantidade...
    Estas são tradições que não devíamos perder nunca....o amassar com as mãos, sentir o pão, o cheiro...

    beijinhos e obrigado pela partilha!!

    ResponderEliminar
  7. hmmm pão caseiro, ficou o máximo e gostei muito da tua "história"... foi um desafio a que te propuseste com muito sucesso. ;)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  8. Eu faco päo todas as semanas, e nunca uso máquina (nem tenho uma). Para mim o maravilhoso de fazer o päo é mesmo o amassar, e ver a massa crescer, dar-lhe forma...

    Este parece-me delicioso ;)

    ResponderEliminar
  9. Ficou perfeito. Há desejos que valem a pena. :)

    ResponderEliminar
  10. Laranjinha, ficou espectacular o teu pão.
    Adoro o cheiro que fica pela casa quando está no forno a cozer.E também não resisto a uma fatia quantinha com manteiga.

    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Cá em casa, mais ou menos duas vezes por semana o meu pai faz pão. E pelas fotos acredito que o teu está perfeito, aposto que estava uma delicia. Parabéns

    ResponderEliminar
  12. A minha avó era a padeira da terra e penso que o fascínio pelo pão corre nas veias de todas as descendentes dela.
    Esse teu pão ficou com um aspecto ótimo e não duvido que quentinho barrado com manteiga devia estar uma perdição.

    ResponderEliminar
  13. Pelo pãozinho! Em casa dos meus pais também eu me lembro da minha mãe cozer pão ao fim-de-semana, a minha tarefa era colocar o pão no forno com a pá e fazer uns pãezinhos com chouriço ou uma pizza com aquela massa do pão, uma delícia!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. hoje estamos em sintonia... lol
    também postei uns pãezinhos amassados à mão, sem recorrer à máquina do pão.
    o teu pão tem um aspecto fabuloso!

    ResponderEliminar
  15. E agora que já sabes que não custa nada, acredita que e um vício que se instala!
    Vício dos bons, cheio de casa perfumada. :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Hummm pão caseiro, que delicia! A minha mãe também costumava cozer pão 2x por semana 5KG. Só que ela fazia primeiro o fermento e depois deixava levedar um pouco. Só depois adicionava a restante farinha. Aquele cheiro e sabor fazem parte das minhas memórias.
    Sei que dá imenso trabalho tratar do forno, mas é daquelas coisas que compensa, pois nada se compara a um pão cozido no forno de lenha. Além disso quando se tem crianças, faz ainda mais sentido preservar estas tradições, por isso já pedi ao meu marido para fazermos um forno nas traseiras da nossa casa.

    Dora

    ResponderEliminar
  17. Parabéns pelo pão e pelo desejo concretizado. Ficou mesmo com aquele aspecto de quem pede manteiguinha da boa!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Hum... imagino o cheirinho...
    Tem um aspecto maravilhoso...
    E assim se realizam os desejos.... com muita força de vontade....
    Obrigado pela partilha e por trazeres à memória recordações fantásticas...
    Beijinhos...

    ResponderEliminar
  19. Amassar à mão, nunca amassei, mas adoro fazer pão caseiro, com a ajuda da Bimby ou da Chef, faço a massa, e cozo no forno.
    O teu tem um aspecto tão caseiro que até apetece roubar uma fatia.
    Acho que o Ricardo perdeu o titulo de padeiro.
    Um beijinho aos dois

    ResponderEliminar
  20. ESSE PÃO FICOU PERFEITO, IMAGINO A SABOR MARAVILHOSO .
    EU USO A MFP, PARA COZER PREFIRO NO FORNO.
    BJS

    ResponderEliminar
  21. Amiga, por aqui é o que mais tenho feito. Por acaso vou publicar hoje um. Comer pão e fazê-lo é um vício.. A minha sogra tem um forno a lenha, só tenho pena que ela esteja a 30km da minha casa ou acho que o forno estaria sempre aceso.. ehehe
    O teu pão ficou com um aspecto excelente. beijocas

    ResponderEliminar
  22. Cresci a ver fazer pão em forno a lenha, daqueles à antiga... Ainda consigo "sentir" o cheirinho tão peculiar do forno aceso e pronto para receber as bolas de massa...E no final o pão quentinho com manteiga, que delicia...

    Hoje, compro pão caseiro feito na padaria aqui próxima, saboroso por sinal, mas não é a mesma coisa... :)

    Já pensei comprar uma dessas máquinas de fazer pão, mas depois lá se vai a linha... ahahah

    Beijinhos e um bom dia ensolarado

    ResponderEliminar
  23. Faço pão frequentemente e não tenho sequer MFP.
    Acho que tira ao pão a alma e a satisfação de vermos algo crescer nas nossas mãos.

    Em termos de receitas e formas de fazer pão, não há nada melhor do que pão com sourdough, criarmos o nosso próprio "fermento", acompanhar o processo durante dias... adoro.

    bjs

    ResponderEliminar
  24. Na casa da minha mãe sempre se fez pão, ainda hoje, enquanto o calor não chega a valer, uma parte da manhã de sábado é destinada a essa tarefa; e quando o tempo nos permite, acabamos também por fazer alguns bolitos (secos ou de fatia). ´
    Quando eu era pequenita,a minha mãe costumava fazer umas bolinhas pequeninas de pão, nas quais ao sair do forno se fazia um furo e se colocava azeite, deixava-se estar um pouco e comia-se morninho. De vez em quando ainda fazemos. Para mim que adoro molhar o pão no azeite e comer, é qualquer coisa de maravilhoso.
    È muito gratificante passar por aqui,tudo de bom para si.
    Sónia Lopes

    ResponderEliminar
  25. eu adoro este pao quentinho a sair do fornop
    a minha mae tambem faz, tem os um forno assim como o dos teus pais e uma maravilha:-)

    ResponderEliminar
  26. Belíssimo o aspeto desse pão.
    Ficou-me a sensação, da leitura do seu texto tão vívido, de que cultiva o gosto pelos aspetos mais naturais e sensoriais da cozinha e só por isso me atrevo a sugerir-lhe que experimente reduzir a quantidade de fermento fresco para metade do que usou (25g para 1kg)ou até menos, o que fará a sua massa levedar mais devagar e o pão ficar depois ainda mais fôfo e elástico. Claro que deverá contar com o dobro do tempo de preparação.
    E se gostar deste pão levedado devagar (no campo, deixava-se a "acrescentar" durante toda a noite), experimente guardar uma bola de massa com cerca de 200g e deixá-la numa tigela tapada por uns dias à temperatura ambiente, fazendo assim o seu próprio fermento, o "finto" que, sendo ainda mais lento a levedar, dá um pão inexcedível.

    ResponderEliminar
  27. Ana e Luís Pontes,
    obrigada pelas vossas sugestões. Agora fiquei curiosa. Um destes dias experimento a fazer o meu próprio fermento.

    Moira,
    o forno a lenha faz mesmo toda a diferença!

    Berloques,
    para as as crianças estas experiências são inesquecíveis e tão importantes. Aprendem a dar valor.

    Gasparzinha,
    é verdade, fazer pão transforma-se num vício. Agora já só ando a pensar em novas experiências. Já cá tenho farinha de centeio e de castanha, vamos ver o que isto dá! ;)

    Sónia,
    também eu adoro molhar o pão no azeite. Acho que é algo bem nosso, bem português.

    Rosa,
    não quero influenciar, mas eu adoro a máquina do pão. Pode ser programada e de manhã acordar e comer pão fresco, morninho é mesmo uma perdição. :)

    Margarida,
    eu também adoro pão. Às vezes até como só pão com pão, quando está morninho ... ui! :)

    Gisela,
    amassar à mão não é fácil, mas até pode ser terapêutico, ajuda a gastar energias :)

    Cidália,
    pãozinho com chouriço feito em forno de lenha é magnífico. Até parece que estou a sentir o cheirinho quente e delicioso da mistura do pão cozido com o chouriço.

    Nelinha e Família Antunes,
    é verdade. E assim, pouco a pouco lá vou conseguindo concretizar alguns dos meus desejos.

    São33,
    um destes dias tenho que experimentar dessa forma. O forno deve dar uma consistência diferente da cozedura da máquina.

    Under a Fig tree,
    sim, este pão fica encorpado, forte.

    Su e Risonha,
    muito obrigada pelo vosso comentário.

    Sandra,
    curiosamente a minha vontade de fazer pão vem por causa da minha mãe que faz e fica óptimo. Experimenta, é uma experiência giríssima.

    Sandra Batista, Raspas de Laranja e Jasmim,
    muito obrigada pelo comentário.

    Paula Mariana, Rute e No Conforto da Minha Cozinha,
    eu também gosto de mexer na massa, ver todo o processo de transformação de ingredientes tão simples em algo tão fantástico é maravilhoso.

    Um Beijinho.

    ResponderEliminar