Próximos Eventos
Pinhel 18 de Novembro de 2017
Sábado:
17h15 - 18h00      Showcooking Beira Interior – Vinhos & Sabores
 
Domingo:
14h30 - 15h15      Showcooking Beira Interior - Vinhos & Sabores
 
Lisboa 25 de Novembro de 2017
Sábado:
10h00 - 13h00      Workshop Doces e Receitas para a Mesa de Natal
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se
Porto 2 de Dezembro de 2017
Sábado:
10h30 - 13h30      Workshop Doces de Natal
 
 
15h30 - 18h30      Workshop Receitas para Ofertas Natalícias

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Adeus Outubro, bem-vindo Novembro


O tempo é uma forma de privilegiarmos a vida. O tempo parece que não tem fim, apesar de o contarmos em dias, horas, minutos e segundos. Se não nos atrevermos a viver intensamente chegamos ao fim e não resta nada. Ou resta muito pouco.

A idade traz-nos sabedoria. E com ela, em vez de uma vida apressada, vem a vontade de viver de uma forma mais gratificante, sem nos preocuparmos com o que outros pensam, se gostam ou não gostam, se aceitam ou criticam. Com a idade, vem a tranquilidade de sermos nós mesmos. Com rugas. Com cabelos brancos, mas sempre com sonhos no brilho dos nossos olhos. A capacidade de sonhar ajuda-nos a viver. A andar para a frente. A fazermos coisas que nos dêem prazer ou que nos façam sentir mais felizes.

Todos os meses, procuro aproveitar o tempo, esta dádiva maravilhosa. Entre as tarefas da vida do dia-a-dia, procuro encontrar caminhos que me façam sorrir e que me deixem o coração satisfeito. Olho muitas vezes para o céu e agradeço as coisas boas que tenho tido a sorte de conquistar, mesmo que às vezes nem tudo corra da melhor forma ou da maneira que eu gostaria.


Gosto de ir à Terra. Visitar as hortas. Ver a natureza crescer. É um privilégio vermos alguns dos nossos alimentos ganharem vida. E depois, podermos trazer para a nossa mesa um molho de nabiças, umas folhas de couve, abóboras, um ramo de hortelã, feijão-verde colhido pelas nossas mãos ou estrelar um ovo das galinhas a que demos milho. Estas pequenas coisas, são tão simples, mas ao mesmo tempo, tão preciosas e boas!


É, talvez, pela minha proximidade à terra, que hoje procure fazer pão. O pão é um alimento básico da nossa alimentação. Pão é vida, é força, é um alimento que faz parte das nossas mesas desde tempos ancestrais. E fazer pão em casa, é tão gratificante! Todas as semanas, faço pão para comermos ao longo da semana. Umas vezes misturo farinhas, outras, junto sementes, outras, acrescento legumes. Adoro pão com legumes.

Adoro ler. Uma das estratégias que encontrei para ler mais, foi escolher uma obra para ler em cada um dos meses do ano. Em Outubro, escolhi a obra O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas de José Tolentino Mendonça. Um livro delicioso que nos faz pensar na vida, na morte, nas coisas que importam ou não. Cada texto é uma breve reflexão. No meu exemplar, em quase todas as páginas há sublinhados. Este é um livro que nos toca o coração e a alma.

Em Outubro. aceitei mais um desafio. Dinamizar um curso de bases de cozinha. Foi uma experiência fantástica. Um grupo de participantes muito interessado e atento. No final, fiquei com o coração cheio. Cozinhei, também, pela primeira vez em Campolide, num showcooking, que decorreu junto ao quiosque da praça desta freguesia lisboeta.

A vida faz-se de aprendizagens e é sempre bom ouvir quem sabe mais do que nós. Nesse sentido, fui assistir ao Congresso da Estrella Damm que reuniu alguns dos melhores chefs da Península Ibérica. Das apresentações, confesso que fiquei muito curiosa com uma sobremesa de nabo, feita sem açúcar do chef Alexandre Silva do premiado restaurante Loco. Estive também no restaurante Segundo Muelle num workshop dedicado ao ceviche, um prato peruano, feito com peixe cru marinado num ácido, normalmente, sumo de lima. Depois do workshop seguiu-se um jantar onde pudemos provar alguns dos pratos servidos na casa. Recomendo vivamente provarem o quinoto, ou melhor, o risotto de quinoa. É tão, mas tão bom!

Em Outubro, a minha cozinha não parou. Aproveitei as abóboras da estação para assar, fazer pão e usar em sopas. Procurei dar um destino doce aos marmelos do quintal. Este ano, voltei a fazer marmelada, assei marmelos no forno com especiarias e também os cozi em calda de açúcar aromatizada. Adoro marmelos!


Outubro, foi também tempo de avaliações. Estive, como um dos elementos do júri do concurso nacional A Mesa dos Portugueses. Este é um concurso que privilegia a cozinha de casa. E há tantas pessoas a cozinharem tão bem! A minha participação tem sido uma experiência muito gratificante, pelas pessoas com quem me cruzei e por tudo o que tive a possibilidade de aprender. No próximo ano, concorram. Vão adorar a experiência!


Outubro trouxe-nos dias mais frescos, mas de céu azul que nos ajudaram a sonhar com as coisas boas da vida. Que Novembro nos traga a felicidade das pequenas coisas e a possibilidade de sorrirmos das nossas conquistas a cada dia que passa. Bem-vindo, Novembro!

Sem comentários :

Enviar um comentário