Próximos Workshops
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP

terça-feira, 14 de abril de 2009

Piza em família

Na passada quinta-feira repetiu-se o já tradicional dia de piza. Como convidados tivemos a minha cunhada Cristina e o Paulo.

A massa da piza foi feita da mesma forma de sempre e o molho de tomate também. Como o Paulo se atrasou um pouco, antes de começarmos a fazer as pizas começámos logo a petiscar. A Cristina trouxe uma embalagem de pistácios com sal e foi uma tentação. Ora se come mais um, ora se comem mais dois... três... Os pistácios são viciantes.

Ultimamente, os nossos convidados fazem questão de não revelar nada do que irão colocar na sua piza, nem revelar o nome que lhe vão atribuir. Só mesmo depois de estar na mesa é que revelam o nome e como tiveram a ideia. Suspense até à última.

A Cristina trouxe um saco fechadinho e só o abriu na hora de começar a colocar os igredientes. Quando lhe perguntámos o que iria colocar, repondeu: - "Vou colocar apenas dois ingredientes. São os meus dois ingredientes preferidos nas pizzas!". Pois, pois... ficámos na mesma.

O Paulo quando chegou começou logo a preparar-se para confeccionar a sua piza, à medida que ia revelando os ingredientes que trouxe, mais nos deixava na expectativa. Tanta coisa! Quando nos disse que tinha que cozinhar antes de colocar a cobertura na piza ou melhor, a cobertura da sua piza ia ser cozinhada previamente, deixou-nos sem palavras. Tínhamos ali um verdadeiro especialista - comentei eu e o Ricardo. Na realidade já deveríamos ter calculado pois, o Paulo cozinha e cozinha muito bem.

O ambiente que se tem vindo a criar à volta destes dias de piza é quase indescritível. É uma troca de experiências fabulosa num ambiente descontraído e de boa disposição. O suspense que se cria à volta do que se irá fazer ainda aumenta mais as nossas expectativas e o sentido de humor. É como um jogo.

A Cristina colocou na sua piza molho de tomate, três latas de atum (duas em óleo e uma ao natural), rúcula, queijo da ilha ralado e queijo mozzarella ralado.



Antes de ir para o forno regou com um fiozinho de azeite. Depois de sair do forno voltou a polvilhar com rúcula fresca.

Eu depois de colocar o molho de tomate coloquei uma camada de queijo mozzarella fatiado, folhas de espinafre frescas, uma cenoura ralada disposta em montinhos, uma cebola roxa em meias luas, pimento vermelho aos cubos, queijo gorgonzola e queijo mozzarella ralado.



O paulo fez um refogado num tacho com azeite, cebola picada e alho. De seguida adicionou carne de porco picada, temperou com sal e pimenta, e deixou fritar a carne.


Depois de frita, retirou, escorrendo, a carne para outro tacho com molho de tomate usado para a base da piza, deixando a gordura no primeiro tacho. Levou a carne novamente ao lume e adicionou uma embalagem de queijo ralado grana padano e meia embalagem de natas. Mexeu de modo a envolver bem a carne e deixou cozinhar mais um pouco. Retirou do lume e adicionou manjericão fresco picado.


Colocou este preparado na base de massa da piza. Polvilhou com queijo parmesão ralado e decorou com azeitonas pretas às rodelas. Na metada sem azeitonas deitou uns pingos de picante. Foi para o forno. Quando saiu do forno foi servida com folhas de manjericão fresco.

O Ricardo continua com as suas experiências gastronómicas avançadíssimas. Desta vez escolheu como ingredientes principais a farinheira e a malagueta, sem nunca deixar de lado o seu já ingrediente de marca, o brócolo.

Colocou na piza molho de tomate, rodelas de salpicão, rodelas de farinheira, brócolos em raminhos cortados ao meio, queijo roquefort, queijo da ilha, uma malagueta cortada em rodelas e uma outra inteira no centro da piza.


Uma piza de nos deixar com a boca em fogo, mas sem dúvida original. A malagueta inteira no centro dá-lhe um ar, como hei-de dizer, picante.



As pizas foram então baptizadas pelos seus respectivos criadores. A da Cristina é a Pizza Melguinha e a do Paulo Pizza Saloia.

As pizas que mais sucesso fizeram foram, em primeiro a do Paulo, sem dúvida a melhor e logo de seguida a do Ricardo. O critério de sucesso é medido pelo que sobra e da piza do Paulo não sobrou nada! Do Ricardo também não sobrou, mas como ele comeu mais da dele do que das outras, é suspeito, muito suspeito ...

9 comentários :

  1. Bem, ler esta mensagem à hora de almoço é demais! :) Têm todas uma aspecto fabuloso. Logo à noite sou capaz de experimentar a do Paulo ;)

    Gosto imenso de visitar este seu espaço, que consegue aliar a gastronomia ao bom humor e ao prazer pela vida. Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Como escolher...
    Mas a do Ricardo, derruba-me!
    Tb costumo usar tanto bróculos, como farinheira na pizza, mas esta conjugação e ainda a malagueta parece-me fantástica. E com roquefort...
    :)

    ResponderEliminar
  3. Bemmm, estou completamente rendida por essas pizzas.
    Não sei qual delas escolher.....
    Todas magnificas!
    Bjos

    ResponderEliminar
  4. Gostei da do Paulo, a do Ricardo ia levar-me a beber um garrafão de água de 5 litros he he

    ResponderEliminar
  5. Xquisitinha a comer14/04/2009, 21:19:00

    A malagueta está um show! Parece que até está a fazer pose para a foto :) eheh As fotos ficaram o máximo, também gostava de experimentar. A do Paulo deixou-me curiosa, até porque uma pizza Saloia é cá das minhas! ;)

    ResponderEliminar
  6. Só posso dizer que o recheio da piza saloia é muito bom até com massa! :o))))

    ResponderEliminar
  7. Que belo jantar em familia!

    Todas esta pizas me seduziram mas fiquei especialmente interessada na do Paulo!

    ResponderEliminar
  8. Devia de haver uma regra que proibia este blog de colocar mais pizas deliciosas. É que cada vez que aqui venho e vejo uma nova piza só me apetece ir a correr fazer uma, e eu estou a tentar emagrecer... :( LOL

    ResponderEliminar
  9. os dias de pizza na tua casa são sempre fantásticos..

    ResponderEliminar