Próximos workshops
Lisboa 29 de Novembro de 2014
Sábado:
10h30 - 13h00      Entradas e Aperitivos para Festas
 
 
14h30 - 17h00      Doces de Natal
Inscrições limitadas 30  formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP

sexta-feira, 9 de Novembro de 2012

Um passeio pelo Alto Douro


A paisagem derruba-nos. Impõe-se sobre os nossos olhos. Invade-nos e quase que paramos a respiração. Os socalcos de vinha construídos nas encostas do Douro Superior são de uma beleza arrebatadora. Foi assim deslumbrada e pequenina perante toda a grandiosidade da paisagem que me rodeava que me senti quando, no âmbito do convite para participar no primeiro Festival do vinho do Douro Superior, visitei a Quinta da Leda.


A quinta possui setenta e seis hectares de vinha e tivemos a oportunidade de a visitar no último dia das vindimas. Foi muito interessante andarmos pelas encostas a ver as vinhas e a ouvir as explicações do nosso anfitrião, Luís Sottomayor. Uma das vinhas que visitámos era mesmo junto ao rio Douro. Aqui, achei curioso colocarem no início de cada uma das fileiras de vinha um pé de roseira que funciona como detector avançado de uma praga, a farinheira. Ao atacar primeiro as roseiras, dá tempo para que se cure as videiras. As castas que ali encontramos são principalmente a Touriga Nacional, a Touriga Franca, a Tinta Roriz, a Tinta Barroca e a Tinto Cão. Depois de vermos descarregar as uvas, de perceber como se controla o stress hídrico da videira, de assistir à transformação das uvas desde que chegam até ao momento que vão já em forma de vinho estagiar, percebemos que todos os processos são controlados ao pormenor na vitivinicultura dita de precisão.

Terminámos a visita a provar os bons vinhos que ali se produzem. O primeiro vinho que provámos foi o Papa Figos de 2010. Papa Figos é o nome de um pássaro que existe na região, chega em Abril e parte em Outubro, acompanhando assim o ciclo da vinha. De seguida serviram-nos Callabriga de 2009 um vinho do novo mundo, com aromas a carvalho americano. Depois, provámos o Quinta da Leda de 2009, com madeira francesa e dezoito meses em barrica, produzido apenas com uvas da quinta e daí o seu nome.


Antes do almoço visitámos ainda a adega onde se produzem os vinhos Conceito pela mão da enóloga Rita Marques Ferreira, uma das grandes promessas da produção de vinho do Douro e do Novo Mundo (Nova Zelândia e África do Sul).

O almoço foi em casa da família da Rita. E que bem que nos receberam. Um almoço farto e muito bem regado. Uma das coisas que adorei comer ali foi um guisadinho de botelho. Botelho é uma abóbora colhida ainda muito pequena, sem as sementes formadas. Depois é feito um refogado com azeite, alho e tomate e leva a abóbora cortada aos pedaços com casca e tudo. Leva também pão. É muito bom. Para o ano, em época de abóboras tenho que experimentar. Ao início da refeição foi servido um vinho do Novo Mundo concebido pela Rita a fazer lembrar o Velho Mundo, Conceito Sauvignon Blanc de 2010. A acompanhar o prato principal de carne, foi nos servido o Conceito Tinto de 2009. À acompanhar a tábua de queijos, bebemos o Conceito Branco de 2010. No final, para acompanhar as sobremesas, foram-nos servidos os Portos, Conceito Vintage de 2005 e Conceito Tawny 10 anos. Como escreveu Ira Gershwin, depois deste almoço e do convívio que se viveu em volta da mesa, Who could ask for anything more?


Depois do almoço visitei o espaço do I Festival do vinho do Douro Superior onde mais uma vez provei diversos vinhos. Ao final do dia, não quis perder a prova de vinhos comentada pelo jornalista e crítico gastronómico, Fernando Melo. Foi a primeira vez que assisti a uma prova comentada e adorei, ou também não estivesse perante um dos grandes especialistas da área.

A prova, Grandes tintos do Douro Superior, consistiu na degustação de sucessivos duetos de vinho, de modo a podermos comparar a elegância, a frescura e a robustez de cada um deles. O primeiro par de vinhos que provámos foi Quinta de Vila Maior de 2007, um tinto com notas de baunilha e especiarias, com sabor fresco e atraente e Grandes Quintas de 2009, um vinho guloso, equilibrado. De seguida, serviram-nos Duorum Reserva de 2009, feito com uvas de vinhas velhas, um vinho complexo e poderoso, e Mux, um vinho com especiarias que se libertam na boca como um pássaro de asas abertas prestes a lançar-se em voo. Provámos ainda, o Duas Quintas Reserva de 2009 e Quinta da Leda de 2009, ambos bons vinhos, que terminam muito bem. Por fim, Vale Meão de 2010, um vinho pelo qual facilmente nos apaixonamos, que nos impressiona como a beleza de um quadro de Sandro Botticelli.


Os vinhos têm o poder de nos transportar para uma outra dimensão, criam sensações, despertam desejos, fazem-nos sonhar. Cada vinho tem uma personalidade e características próprias que nos emocionam, que nos prendem. Os grandes vinhos são aqueles que nos mostram alguma coisa, que nos seduzem e o Douro tem sem dúvida grandes vinhos. Para mim, esta visita foi uma viagem pelo mundo dos vinhos, em muito boa companhia. Fiquei com vontade de aprender e saber mais sobre este mundo maravilhoso, que só agora começo, pouco a pouco, a descobrir.

E foi completamente seduzida, rendida ao Douro que no último dia em Vila Nova de Foz Côa almocei no restaurante do Museu do Côa, depois de uma visita guiada pelo seu diretor, Fernando Real, juntamente com a equipa da Revista de Vinhos. Um almoço em excelente companhia e com um cenário único, de verdadeiro luxo!


O Alto Douro merece, pelas pessoas, pela paisagem, pelos seus vinhos, muitas mais visitas! Sem dúvida, Portugal no seu melhor.


Outro olhar sobre os vinhos Conceito servidos ao almoço:
- CONCEITO - Vinhos do Douro Superior e algo mais ... por Olga Magalhães Cardoso.

7 comentários:

  1. Adorei!!!! Acho que vou chamar a Isabel para colaborar no Copo de Salto Alto... ;)

    ResponderEliminar
  2. mas que fotos mais bonitas adoreiiiiiii bjs

    ResponderEliminar
  3. Adorei as fotos ,lindas.
    Bom fim de semana
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Mas que belo passeio! Adoro o Douro... tira-nos a respiração de tão lindo. As tuas fotos dão-me saudades de outros tempos! Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Lindissimo o lugar e o post.Arrasou.Beijos querida.

    ResponderEliminar
  6. Que lindas paisagens !!! O Douro é muito bonito, conheço bem, pois as minhas raizes são de Vila Real, adorei ver estas belissimas fotos.
    Obrigada pela partilha maravilhosa cm que nos presenteia sempre.
    Um beijinho e bom domingo.

    ResponderEliminar
  7. paisagens lindas e blog fantástico... já adicionei aos meus favoritos!!!

    Convido também a fazer uma visita ao meu:
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    Beijinhos

    ResponderEliminar