Próximos Workshops
Lisboa 8 de Dezembro de 2016
5a-feira:
17h00 - 18h00      Entradas e Petiscos para a Ceia de Natal na loja Maria Granel
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP
Lisboa 11 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h30 - 11h30      Pequeno-almoço no dia de Natal na loja Maria Granel

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Uma visita ao restaurante Claro


Há já algum tempo que descobri o restaurante Claro do chef Vítor Claro, situado no hotel Solar das Palmeiras na avenida Marginal, em Paço de Arcos, com uma vista inspiradora e reconfortante para a zona em que o Tejo se junta ao mar. O restaurante abriu em 2012 e depois de no início deste ano sofrer algumas obras e mudanças na decoração, reabriu com uma nova carta.

Num domingo solarengo de Julho aceitei o convite do restaurante para ir visitar o espaço e conhecer a nova carta. Na mesa, com uma vista desafogada para o rio, fomos recebidos com pão fresco e uma focaccia de azeite, que acreditem, criam dependência, de tão bons que eram. O restaurante faz todos os dias pão fresco antes das refeições. Eu que adoro pão, é sempre algo a que não resisto assim que o colocam na mesa.

Um dos primeiros pratos que provei foi um clássico do chef Vítor Claro, bacalhau à Conde da Guarda, receita divulgada pelo mestre João Ribeiro, aqui servido com tomate. O tomate transforma o bacalhau dando-lhe uma frescura maravilhosa. Na minha opinião, este é um dos pratos que se transformou na imagem de marca do trabalho deste chef que sabe tão bem reinventar os sabores da cozinha tradicional portuguesa.


A seguir chegou-nos um prato fresco, de sabores suaves e profundos. Robalo com sumo de salada Waldorf e flor de aipo. Um prato perfumado em que o sumo da maçã verde e o aipo transformaram o robalo de forma sublime. Um prato elegante e simplesmente maravilhoso!


Os ravioli de gambas e cogumelos, prato em homenagem ao chef catalão Santi Santamaria, foram uma verdadeira surpresa. Um prato que alia a simplicidade e a sofisticação de forma deliciosa. Santamaria por certo ficaria orgulhoso com esta homenagem de Vítor Claro que em todos os seus pratos procura dar destaque ao sabor autêntico dos ingredientes.


Linguado à delícia com manteiga escura, banana, cornichon e puré de salsifis foi o prato que se seguiu. A frescura do linguado foi acentuada com o sabor do cerefólio e contrasta com o doce da banana. Uma combinação de sabores curiosa num prato que transparece elegância.


Que maravilha! - foi a primeira observação que fiz assim que provei o foie Wellington - uma recriação do conhecido bife Wellington com foie gras servido com natas ácidas e uma mistura de manjericão e hortelã que transporta este prato para um nível sublime.


A fazer lembrar os churrascos de Verão, foi-nos servido o prato de carne, costela mendinha grelhada com puré de batata e molho do assado. A carne tenra, suculenta e com um sabor acentuado a barbecue que nos surpreende a cada garfada.


E por fim, um miminho doce em forma de sobremesa. O aspecto deste queijinho de amêndoa, com creme de caramelo e maracujá não revela o sabor forte, intenso e guloso que se faz sentir assim que o colocamos na boca. Muito bom.


Destaco o excelente trabalho de harmonização de vinhos que foi feito. As escolhas revelaram-se acertadas numa conjugação de sabores, muitas vezes, misteriosa.


O restaurante Claro está aberto de quarta-feira a domingo, tem parque de estacionamento, e claro está, merece a vossa visita num destes dias bonitos de Verão.

3 comentários :

  1. Claro que o custo disso tudo nem sequer é referido, é um detalhe sem importância.
    JM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JM,
      obrigada pela sugestão.
      O custo do menu de degustação, que descrevo, são 48€. Caso se opte pela selecção de vinho são mais 28€.

      Eliminar
    2. Obrigado. Assim está melhor.
      JM

      Eliminar