quarta-feira, 22 de Outubro de 2008

Um dia em Angra do Heroísmo ...

Nas férias de verão, deixámos S. Jorge com viagem marcada para o outro lado do Atlântico. Toronto, Canadá, era o nosso destino, mas antes parámos por umas horas em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira. Assim que saímos do aeroporto entrámos num táxi para a cidade. A sensação foi estranha. Deixámos uma ilha em que existia apenas uma via rápida, muitas vaquinhas e, claro muito pouco trânsito. Ali era notória a diferença. Auto-estradas, imagine-se.

O taxista foi metendo conversa, tentou perceber quem erámos e explicou-nos o que de melhor ali havia, onde é que poderíamos ir almoçar, etc. Em Angra quando nos preparávamos para pagar e sair, perguntou-nos a que hora queriamos que nos viesse buscar. Como? - perguntámos nós. Pagávamos depois, não havia problema. Apresentou-nos um percurso de regresso ao aeroporto pela cidade da Praia da Vitória, para ficarmos a conhecer mais um pouco da ilha e, obviamente um preço. Aceitámos. Uma atitude completamente inesperada e simultaneamente surpreendente. Cá no continente não deve acontecer com frequência de certeza. A mim nunca me tinha acontecido.

Depois de uma volta pela cidade, sentámo-nos numa esplanada. Queria provar os bolinhos D. Amélia, que aqui no blogue me tinham sugerido e que são típicos da ilha.

Dona Amélia é um bolinho maravilhoso. Conta-se que em 1901, a Rainha D. Amélia e o seu marido D. Carlos visitaram a ilha e as gentes da Terceira ofereceram-lhes os melhores bolos da região que na altura eram conhecidos como Bolos Indianos e que, agora, em honra da Rainha se chamam Donas Amélias.

O restaurante Adega Lusitânia foi o escolhido para o nosso almoço na ilha. Começámos com a Sopa da Tia Urânia. Uma sopa deliciosa, quase divina. Com feijão seco cozido triturado que enriquece o caldo, couve, cenoura, rama de funcho picadinha e uns pedaçinhos de carne que mal se notavam de tão bem desfiada que estava. Maravilhosa. Bendita Tia Urânia.

Para prato principal escolhemos Filetes de Abrotea e um Boca Negro grelhado este sim, muito bom. Fresquinho. Maravilhoso. Acompanhámos estas delícias com um vinho Pedras do Lobo, vinho de verdelho da ilha Terceira.

À hora combinada, econtrámo-nos com o nosso taxista e seguimos viagem. A ilha Terceira será de certeza umas das próximas ilhas a visitar.

8 comentários:

  1. Esta é a minha cidade, onde nasci e vivo :)

    Fico muito feliz por ter gostado!

    Não se esqueça de avisar numa próxima visita.

    ResponderEliminar
  2. Esta noite tb fui lá mas foi só em sonhos hehe...beijinho

    ResponderEliminar
  3. Que maravilha o teu espaço. Para além da gastronomia levas-nos a passear contigo. Obrigada. Bj

    ResponderEliminar
  4. Que delícia as suas histórias. As fotos do blog estão maravilhosas!!!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelos seus relatos e fotos.
    Portugal tem dois arquipelagos fantásticos!

    ResponderEliminar
  6. Os meus Açores são assim, cada ilha com o seu encanto mas um todo paradísiaco!!! Para a próxima faz o favor de passar por S. Miguel e avisar!!! Beijocas fofas

    ResponderEliminar
  7. Tão bem que ficou retratada a minha futura terra! :-)

    Acho que tem de voltar para visitar ainda melhor. E não se esqueça de me vir bater à porta, até porque a minha casa fica perto da Praia da Vitório, à pouca distância do aeroporto.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Ola :) Só agora a conheço, e como diz que voltava, voltou! Amanha já a conheço pessoalmente ;) hihi

    Adorei o seu cantinho ;) Parabens :)

    bjin ***

    ResponderEliminar