sexta-feira, 2 de Novembro de 2012

Quinta das Carrafouchas e o restaurante Solar dos Pintor


Que vida magnífica deve ter tido a Condessa de Ega. Ao ver a fachada cor-de-rosa do palacete da Quinta das Carrafouchas, a poucos quilómetros da cidade de Lisboa, no concelho de Loures, penso numa mulher elegante e determinada. A quinta foi outrora propriedade da Condessa, amante de Junot. Hoje é propriedade da família de António Maria, produtor dos vinhos Quinta das Carrafouchas, que amavelmente nos acompanhou na visita à propriedade, num sábado à tarde.

Começamos pela antiga adega, de seguida fomos visitar as vinhas que estão na origem do vinho Quinta das Carrafouchas, que já tinha tido a oportunidade de provar quando estive em Estremoz.


Para além do palácio, a quinta possui ainda outros vestígios do seu passado nobre e luxuoso. Encontramos, fontes rodeadas de painéis de azulejos com diversas alusões à produção e consumo de vinho. António Maria, chamou-me a atenção para um dos painéis, onde estavam representadas garrafas de vinho a refrescar. Em jeito de brincadeira, interrogámo-nos, quem sabe se não saiu daqui o primeiro vinho engarrafado produzido em Portugal. Ninguém diria que apenas a quinze minutos de Lisboa se produz tão bom vinho. Nesta visita fui também acompanhada pela Carla Reis, a simpática autora do blogue Copo de Salto Alto.

Ao andar pela quinta, ao ouvir as explicações da Carla e do António, imaginei a Condessa de Ega a dar um passeio pelo campo, a sentar-se com os amigos ao ar livre e a beber um copo de vinho num dia de verão ao final da tarde, enquanto Junot se preocupava com as movimentações das suas tropas invasoras. Ao ver as ovelhas saloias a pastar tranquilamente, sonhei com queijo fresco do bom. Tive a oportunidade de espreitar diversas minas de água que ligam a quinta. Vi ainda videiras selvagens que crescem em alguns muros, caminhei por uma latada de vinha e bebi água bem fresquinha da fonte por um cocho de cortiça. E que bem que soube!


Depois da visita à quinta fui com os meus anfitriões jantar, a seu convite, ao restaurante que funciona como escritório para António Maria, o Solar dos Pintor que pertence a Luís Pintor, um grande apreciador e profundo conhecedor de vinhos e a sua mulher, Áurea Pintor, que se ocupa da cozinha e das coisas boas que ali se servem. O restaurante possui três salas, uma delas sujeita a reserva para encontros vínicos. E foi nesta sala onde se encontra uma garrafeira muito bem composta que nos sentámos à mesa. A acompanhar-nos ao jantar esteve também o Diogo Rodrigues do blogue airdiogo num copo.

O nosso jantar começou com uma tábua de queijos, pastéis de bacalhau e fatias de chourição. De seguida, serviram-nos um prato habitual da casa, frango frito com pickles e que bom que estava. Depois veio para a mesa burras ou seja bochechas de porco bem temperadas e tão tenrinhas que se comiam com gosto. Vitela em vinho tinto, que estava de fazer inveja à tradicional chanfana, prato da região da Beira Litoral e, por fim, bacalhau com azeite e alho acompanhado com grelos cozidos. A comida servida no Solar dos Pintor é comida tradicional bem feita. Em que se começa a comer e se tem dificuldade em parar.

O jantar foi acompanhado por bons vinhos. Ao longo do jantar vieram para a mesa garrafas da Quinta das Carrafouchas branco de 2010 um vinho fresco, suave, a fazer lembrar um dia de verão, Munda 2006, Grand'Arte 2007, Conde de Vimioso Reserva de 2000, Quinta de Baixo Reserva de 2001, Fonte das Moças de 2005, Quinta das Carrafouchas tinto de 2009 e por fim, uma garrafa de Quinta do Carmo de 2003. Todos eles, impecavelmente servidos à temperatura correcta. Dá gosto beber vinhos assim.


Para sobremesas tivemos pudim de ovos, torta de laranja e uma sobremesa típica da casa, queijadas de Manjoeiras, que são deliciosas. O Solar dos Pintor é um restaurante familiar, em que o preço médio de uma refeição ronda os dez euros. Onde se come e se é recebido muito bem.


O melhor da vida são mesmo as pessoas e os momentos que passamos com elas. As memórias que guardamos. Esta visita à quinta e este maravilhoso jantar foi especial pelas pessoas que dele fizeram parte. O carinho com que fomos recebidos e tratados é inesquecível. Este encontro deixou-me muito boas memórias.

Ao António Maria, à Áurea e Luís Pintor e à Carla Reis aqui fica o meu muito obrigada!


Restaurante Solar dos Pintor
Largo Alfredo Caldeira, 1
Manjoeira
Santo Antão do Tojal
Tel.: 21 974 9011 / 91 476 0487

8 comentários:

  1. Laranjinha
    Que bom ler este post. Boas mémorias : ) e a nossa missão.
    Sou fã dos vinhos da Quinta das Carrafouchas. São vinhos "especias" vinhos mágicos [ J.A Lembras-te?! ] Porque os vinhos do António Maria nascem acima de tudo nas vinhas.
    Um beijinho
    P.S Solar dos Pintor anotado ;)

    ResponderEliminar
  2. Agradecmos a vossa visita... Este espaço estará também aberto para eventuais interessados nos Jantares (ou almoços) Enogastronómicos aí realizados e suas iniciações ao vinho. Tudo, como é óbvio, regado a excelentes referências em um ambiente íntimo e familiar.

    Hoje, uma paragem obrigatória de alguns enobloggers nacionais (http://www.magnacasta.com/restaurantes/solar-dos-pintor) :)

    ResponderEliminar
  3. A quinta é magnífica! E já anotei o nome do vinho para experimentar :-)

    Quanto ao vinho engarrafado acho que o primeiro vinho a ser engarrafado em Portugal foi na José Maria da Fonseca, e os primeiros rótulos também saíram de lá. Já agora fica a sugestão, se ainda não o fez, de visitar a adega, já fiz a visita duas vezes e adorei

    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Penso que a alusão ao primeiro vinho engarrafado(depois da leitura do mesmo)será mais "romantizado" (na verdade, os painés originais reproduzem unicamente o consumo de vinho na quinta neste tipo de suporte) do que propriamente factual. De qualquer forma, a JMF foi a primeira empresa em Portugal a engarrafar vinhos de mesa na origem para fins comerciais, embora o acto de manter vinhos em garrafas seja muito anterior.

    ResponderEliminar
  5. yes,yes,yes! estou aqui ja a espumar so de olhar p essas coisinhas boas! nunca mais é Natal p matar saudades da comidinha portuguesa :)

    ResponderEliminar
  6. E tive tb o privilégio de conhecer a dona deste blogue ;)

    ResponderEliminar
  7. Olha o Pingus!!! O afamado (sim, porque a autora deste blogue já o conhecia pela fama... resta saber se é boa ou má)responsável pelo Pingas no Copo. Um dos melhores blogs nacionais: ALTAMENTE recomendável :)

    ResponderEliminar
  8. É sempre um regalo visitar o seu blog :)
    Continue com o fabuloso trabalho, é muito inspirador.

    http://culinariacomamoresabor.blogspot.pt/

    Blog Actualizado ;) com:

    Pizza Margherita Deliciosa

    ResponderEliminar