domingo, 19 de Outubro de 2008

Apontamentos gastronómicos de uma viagem a S. Jorge II

O segundo dia, na ilha de S. Jorge, acordou chuvoso e com nevoeiro, principalmente nas zonas mais altas da ilha. Apesar disso, decidimos viajar até ao Topo, depois seguimos para a Fajã do Ouvidor, Velas, Urzelina e Manadas. Não tivemos possibilidade de contemplar a beleza natural da ilha e a grandiosidade da vista na sua plenitude, pois o nevoeiro não permitiu.

Nessa segunda-feira, escolhemos para almoçar o restaurante Urzelina na localidade com o mesmo nome. Chovia torrencialmente. O restaurante estava cheio, com quase todos os comensais a terminaram o almoço. Era notória a presença de emigrantes, especialmente vindos dos Estados Unidos e do Canadá.

Depois de olharmos o menu, optámos por uns Torresmos de Serra Fritos, era o que nos parecia um pouco menos usual. Penso até que foi a primeira vez que comi peixe serra e achei-o um pouco seco.

A localidade de Urzelina tem mais outros dois restaurantes, o Manezinho e o Castelinho. Não cheguei a conhecê-los, ainda tentámos num dos dias jantar e noutro almoçar no Castelinho, mas não tivemos paciência para esperar, pois o número de pessoas que aguardava vez era enorme.

Depois do almoço, o tempo melhorou um pouco. Decidimos visitar a fábrica de queijo Manadas. Esta foi a primeira de três fábricas que visitámos. A sala da cura encantou-me. Primeiro o cheiro intenso, forte, apetecível e depois as prateleiras cheias de queijos, arrumadinhos, em fila, à espera de estarem curados, "secos" o suficiente para entrarem no mercado.

Estes recipientes em jeito de panela, devem servir para espremer o coalho e dar forma ao queijo.

Recipiente onde o leite é transportado para as fábricas.

A experiência mais sublime de gastronomia que tive nesta ilha, foi neste dia, e no restaurante A Quinta, da Escola Profissional de S. Jorge, ao jantar.


Para a mesa veio uma Espetada de Bacalhau com Camarão, um Entrecosto "À Quinta" (ovo, batata doce frita, ananás e feijoada) e uma garrafa de vinho Terras de Lava da Ilha do Pico.


A escolha da sobremesa recaiu num Pudim de Mel. A comida estava muito bem confeccionada, as doses eram generosas e o serviço irrepreensível. Fiquei com vontade de lá voltar.

3 comentários:

  1. gostei ;-) agora só preciso de ir lá!!! beijocas

    ResponderEliminar
  2. Que belas férias, Laranjinha...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Sem duvida que os Açores é rico pela sua gastronomia, na sua beleza........pela sua diversidade e pelas pessoas que são muito simpá
    ticas.Tb gostei muito dos Açores!

    ResponderEliminar