sexta-feira, 1 de Julho de 2011

Sopa de cenoura e tomate


Não gosto destes dias em que o tempo não se define. De manhã, sol e calor. Um calor de apetecer deixar tudo e ir para a praia, apanhar sol, comer gelados, rir, a bom rir. E agora à tarde, abafado e chuva. Olho pela janela e vejo o céu coberto de cinzento! Não gosto. Olho para mim e sinto-me como o tempo. Como se algo se tivesse quebrado. Uma leve inquietação que pulsa sem motivo.

Nestes dias assim, o meu refúgio tem nome. Um livro, de preferência de poesia, hoje abracei-me a Cecília Meireles e à sua Antologia Poética e um prato de sopa, quente e fumegante, servido numa taça que possa agarrar entre as mãos.

Acompanhei a sopa com umas torradas barradas com manteiga, de preferência dos Açores. A simplicidade do pão torrado contrasta com todo o prazer que nos dá. Quentinho, estaladiço, barrado com manteiga ou com uma fatia de queijo, ajuda-nos a equilibrar as forças, a perceber que há dias em que até os anjos, depois de varrerem o céu, precisam de dormir a sesta!


Ingredientes:
1kg de cenouras
2 cebolas
850g de tomate maduro
1 alho-francês cortado
1 ramo de salsa picado
sal e pimenta
água


1. Descascar e cortar as cenouras e as cebolas.

2. Limpar o tomate de peles e sementes.

3. Colocar os ingredientes numa panela. Adicionar água e sal. Levar ao lume a cozer.

4. Depois dos legumes cozidos, retirar do lume e triturar com a varinha mágica.

5. Levar a panela novamente ao lume. Adicionar o alho-francês, a salsa, azeite e pimenta a gosto.

6. Servir com pão torrado.

O tomate marca fortemente esta sopa. Eu que não sou muito fã de tomate cozinhado, gostei, mas como se costuma dizer, não amei. Valeu o conforto ou, melhor o reconforto. A tarde vai custar muito menos a passar. Ao contrário de mim, o Ricardo, que adora tomate de todas as maneiras e feitios, e para quem esta sopa estava óptima. Há dias assim, em que as opiniões divergem sobre os mesmos sabores. Ainda bem!

19 comentários:

  1. Que delícia de sopa, adorei!!! Bom fim de semana. Marta

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, Marta. Bom fim-de-semana.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Não fiques em casa...
    Experimenta ir até à praia e dá um mergulho no mar! Ou vai até ao Rio!! As águas do céu com as águas da terra...É que nem todas as águas são iguais!!
    Acho bonitos estes dia indefinidos! Pensamos com calma.... Falamos em silêncio....
    Um beijinho

    P.S Nestes dias sou incapaz de ler poesia!! Fico triste.
    Under a Fig Tree

    ResponderEliminar
  5. Amo sopas... sou capaz de tomar até no verão. Acho que alimenta a alma em primeiro lugar. Adorei sua receita. Abraços, Adriana.

    ResponderEliminar
  6. Laranjinha,
    uma sopinha a mim sabe-me sempre bem, faça chuva ou sol :) então com a companhia da Cecília Meireles, ainda melhor (tb tenho esse livro na prateleira, um mimo!) beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Belíssima sopa! E belíssimas escolhas: Cecília Meireles e a nossa manteiga. Espero que seja Milhafre, a da Terceira :) Um beijinho e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  8. Eu adoro sopa e adoro tomate cozinhado! Obrigado pela sugestão.
    Marta

    ResponderEliminar
  9. Pois eu sou fã de tomate, portanto esta sopa está perfeita.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. eu, tal como o Ricardo, sou fã de tomate. aposto que ia adorar a sopa.

    ResponderEliminar
  11. Adoro tomate....Adorei esta sugestão de sopa.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Este tempo é muito doentio, os meus ossos ressentem-se e a cabeça não regula. Estou constipadíssima e as sopas também têm feito parte das minhas refeições :)

    ResponderEliminar
  13. Adorei :) É uma boa sugestão, pois por estes lados nunca faz calor 'a sério'... As sopas são sempre bem vindas por aqui :)

    ResponderEliminar
  14. Não sei fazer sopas nem gosto de sopa de tomate. Mas gostei do texto que escreveu e da ideia geral...
    Por exemplo, não sabia que os anjos varrem o céu, julguei mesmo que o céu não tinha pó.

    ResponderEliminar
  15. Under a Fig Tree,
    sim, estes dias são bons para refletirmos. Pensarmos com calma, como dizes.

    Sabor com letras,
    eu também sou fã de sopa, seja no verão ou no inverno. A sopa sabe sempre bem.

    Barida,
    eu estou a adorar ler a poesia da Cecília Meireles. Há um poema que adoro dela, que não está antologia e que é: http://laranjacomcanela.blogspot.com/2005/12/arte-de-ser-feliz.html

    Ilídia,
    eu adoro os Açores! Já passei pela Terceira duas vezes e adorei a paisagem, as pessoas, a comida! A voltar, de certeza.

    MC, Conceição, Risonha e Belocas,
    obrigada pelos vossos comentários.

    Ameixinha,
    as melhoras rápidas.

    Pami Sami,
    obrigada. Uma sopinha sabe sempre bem.

    Nadinha,
    obrigada. :)

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  16. Eu também fico danada com este tipo de dias... acho mesmo que até ando zangada com o Senhor da meteorologia lá de cima... Temos uma semana cheia de sol e calor e assim que o fim de semana se aproxima ... toma lá chuva e mau tempo.... grmmm grmmm
    Só mesmo uma tigela de sopa reconfortante como esta é que me fazia fazer as pazes com esse Senhor.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Uma sopinha bem caseirinha para um dia de tempo inconstante e indefinido. E nós nos Açores sabemos bem o que isso significa. Cada dia comporta 4 estações.
    Uma opção de leitura bastante sugestiva. Neste momento deleito-me com Livro de José Luís Peixoto.
    Um beijinho
    patrícia

    ResponderEliminar
  18. Hum e mesmo a refeiçao que apetece com este frio.
    beijinhos uma boa semana

    ResponderEliminar
  19. Laranjinha,

    São os caldos que melhor nos confortam. Sempre.

    Também não sei se gostaria do tomate, mas, ainda assim ficou com uma cor e textura muito apelativas.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar