10h30 - 13h00      Conservas Portuguesas na Ementa
 
15h00 - 17h30      Doçaria Tradicional Portuguesa
Inscrições limitadas   work@sott.pt   91 700 1802 espaço WORK IT

segunda-feira, 16 de Abril de 2012

A cozinhar com cereais Fitness da Nestlé no Kiss the Cook


Na última sexta-feira de Março, como já vos tinha referido, tive o prazer de ir a um workshop ao Kiss the Cook, um espaço inovador, na Lx Factory a convite da Nestlé. O objectivo do workshop era mostrar uma outra vertente dos cereais Fitness, que para além de serem óptimos nos pequenos-almoços, lanches ou em refeições leves, com leite ou iogurte, agora iriam ser utilizados na confecção de pratos, doces e salgados.

Quando aceitei o convite sabia poucos pormenores do que seria a ementa portanto, quando me apercebi que íamos cozinhar com os cereais fiquei bastante curiosa. Comecei-me logo a questionar quais seriam as receitas. É sempre interessante descobrir novos usos para um determinado produto que estamos habituados a usar sempre da mesma maneira. Eu, neste workshop apercebi-me que estava prestes a descobrir que estes cereais podem ser utilizados de forma bastante inovadora e que resultam muito bem, tanto em pratos salgados como em doces.

O cozinheiro de serviço no espaço Kiss The Cook é o Rodrigo Meneses, que nos cativou desde o primeiro momento com simpatia, boa disposição e várias conversas interessantes sobre comida. O Rodrigo é quem dirige os workshops, foi ele quem criou as receitas que elaborámos.


A primeira receita que confeccionámos, seguindo as indicações do Rodrigo, foi peito de frango crocante servido com salada. Para esta receita, começámos por triturar grosseiramente cereais Fitness com queijo parmesão e salsa. De seguida, temperámos os peitos de frango com sal e pimenta preta de moinho. Mergulhámos os peitos de frango em leite e depois na mistura de cereais com salsa e queijo. Entretanto, colocámos uma frigideira ao lume com um fio de azeite. Assim que aqueceu colocámos os peitos de frango e deixámos cozinhar de um lado e depois do outro.

Eu depois do workshop tentei logo reproduzir a receita em casa e o resultado foi igualmente bom. Os cereais ficam crocantes e ligeiramente caramelizados, o que combina muito bem com o frango.

Frango crocante com cereais Fitness da Nestlé

Receita de Rodrigo Meneses


Ingredientes:
2 peitos de frango
35g de cereais Fitness Nestlé
20g de queijo parmesão
1 raminho de salsa
leite q.b.
pimenta preta de moinho
sal
azeite


1. Triturar grosseiramente os cereais com o queijo e a salsa.

2. Passar os peitos de frango pelo leite e depois pela mistura de cereais, queijo e salsa.

3. Colocar um fio de azeite numa frigideira e levar ao lume. Assim que estiver quente colocar os peitos de frango e deixar cozinhar de um lado e do outro.

4. Servir os peitos de frango com salada de verdes temperada com azeite.


O segundo prato confeccionado foi salmão na sauté com legumes suados no tacho. Colocámos um fio de azeite num tacho, assim que aqueceu juntámos legumes cortados finamente, alho-francês e cenoura. Temperámos com sal a gosto. Depois de os legumes quebrarem, tapámos o tacho e deixámos acabar de cozinhar em lume brando. O salmão foi temperado com sal e depois passado na frigideira com um pouco de azeite. O Rodrigo preparou um molho à base de natas e vinho branco para acompanhar o prato. O molho era divino.

Para sobremesa, picámos grosseiramente maçã reineta e uma barrita de cereais Fitness da Nestlé com trigo integral. Colocámos a mistura numa taça. Polvilhámos com canela e levámos ao forno. Acompanhámos com morangos frescos.

Gostei imenso de participar no workshop e agradeço desde já o amável convite da Nestlé. O ambiente que se criou foi muito agradável e bem disposto. Nada melhor do que cozinhar e logo de seguida sentarmo-nos à mesa para saborearmos o nosso trabalho, entre boas conversas e pessoas animadas. Aprendi também que os cereais podem ser utilizados em vários pratos e que resultam muito bem.

Deste workshop saiu a vontade de continuar a conversar com o Rodrigo Meneses e dessa vontade nasceu a entrevista que a seguir vos apresento.

O Rodrigo Meneses tem entre as suas paixões a cozinha. Para quem não sabe, é um dos ex-concorrentes do Masterchef e tem actualmente o programa Gosto de Portugal na canal 24 Kitchen. É um adepto ferrenho dos tachos & panelas. Adora tudo o que são ingredientes e descobrir a melhor forma de transformar algo banal numa iguaria. É segundo as suas palavras, obstinado pelas coisas boas. Gosta de aprender técnicas e receitas. E de falar muito sobre isso. Sente-se uma pessoa feliz quando consegue juntar à mesa uma boa conversa, um copo de um bom vinho e de iguarias que nos façam viajar pelos sentidos. Tem uma paixão pelo que faz. E isso é o mais importante para que se sinta bem. E é entre facas e frigideiras que se sente bem. Como qualquer outra pessoa a quem a cozinha falou mais alto no coração.


1. O que significa para ti cozinhar?

Cozinhar é algo que me relaxa. Sim. Por incrível que possa parecer. É na cozinha que me sinto bem. Porque cozinhar é verdadeira alquimia. É tornar ingredientes bons em algo ainda melhor. Cozinhar é sentir. E dar a sentir aos outros. É a partilha. A felicidade de estar com os outros à mesa. A cozinha tem algo de mágico e é isso que me apaixona. Descobrir sabores e ver o sorriso estampado na cara de quem come aquilo que preparamos.


2. Como descobriste o gosto pela cozinha?

Não vou mentir quando digo que é algo relativamente recente na minha vida. E começou com uma epifania em casa de um dos meus melhores amigos. Ele cozinhou algo diferente. Um bife de atum braseado com creme fraiche e uma salada de tomate cherry, espargos e azeitonas pretas. Foi aí. Ao provar algo que nunca tinha comido que percebi que a comida era algo mais do que simples alimentação. Foi um despertar dos sentidos e lembro-me de ter ido para casa determinado a mudar algo na minha vida: Iria aprender a cozinhar. Era esta a minha missão. E assim foi.


3. Estás sempre a pensar em comida?

Não. Claro que não. Embora a cozinha ocupe um lugar de destaque no meu coração tenho tantas outras coisas que gosto de fazer. Fotografar por exemplo. Ou tocar baixo: o meu instrumento preferido. Acho que a vida é demasiado grande para ficarmos apenas com uma paixão. E fazer outras coisas também me ajuda a ser melhor na cozinha. Porque é quando me distancio que me ocorrem algumas ideias. Mas posso dizer que a cozinha, mais do que a comida, é uma parte central da minha vida.


4. Participar no Masterchef foi, por certo, um momento marcante. Como avalias essa participação?

Foi engraçado. O Masterchef é um programa de TV interessante para quem participa. Gostei de conhecer mais pessoas com a mesma paixão que eu. Simples mortais que dedicam uma grande parte do seu tempo a essa mesma paixão. Foi engraçado entrar nas provas. Foi muito engraçado mesmo. Diverti-me imenso!


5. A participação no Masterchef trouxe-te novas oportunidades? Foi o caminho para uma mudança de vida?

Não diria que foi o caminho. Foi algo que me aproximou mais desta paixão. E foi essa aproximação que me levou a mudar de vida. O Kiss the Cook teve a maior parte da influência. Um projecto fantástico de Nuno Luís e Sandra Ribeiro. E foi do convite deles que surgiu a mudança de vida. Iria deixar de ser publicitário e dedicar-me apenas aos Tachos entre workshops e afins. Foi muito bom ter conhecido gente que tem uma visão inovadora. E daí até dar o salto bastaram alguns dias.


6. Dos três chefes envolvidos no programa – Justa Nobre, chef Cordeiro e Ljubomir Stanisic – qual o que sentes que mais te influenciou?

Cada um tinha características diferentes, o que dava um grande colorido ao programa. Os três tinham personalidades engraçadas e maneiras próprias de ver a cozinha e a gastronomia. Aproveitei o que pude de cada um deles. E fiquei com uma boa relação com eles.


7. Colaboras com o Kiss the Cook. Para quem não sabe, como descreves este projecto?

Como dizia atrás, o Kiss the Cook é um espaço tão inovador que me fez dar o salto para mudar de vida. É um local onde os workshops de cozinha são diferentes de tudo o que havia até então em Portugal. Um espaço que é a extensão da casa das pessoas. Boa música, um bom copo de vinho e boa cozinha. Entre sorrisos e conversas animadas. Os nossos workshops são diferentes porque toda a gente cozinha do princípio ao fim. E é muito engraçado ver a reacção das pessoas quando se aproximam dos alimentos e os transformam em algo bom. É nisso que me alimento. Na energia de ter vinte e quatro pessoas à volta das placas a cozinhar. Sou uma espécie de Maestro. E vou guiando as pessoas nos passos a darem para fazerem um brilharete. Têm de experimentar. Acredito que vão adorar e ficar viciados!


8. Para quem gosta de cozinhar e queira aprender, por onde deve começar?

Pelo básico. Acho que o mais importante é mesmo conhecer algumas bases. Começo sempre por dizer que o primeiro que devem comprar é uma boa faca. E quando digo boa, digo mesmo uma muito boa faca. Escolham a melhor que puderem comprar e tratem-na bem. É com ela que vão aprender os cortes essenciais para preparar bons pratos. É com ela que vão apurar a técnica. E depois é praticar muito. Comprar alguns livros de técnicas culinárias, ver vídeos no YouTube, ver bons programas na TV e acima de tudo querer aprender. Depois é só deixar fluir. E vão ver que num ápice estão a dominar a cozinha. E a divertirem-se muito no processo. Podem também fazer alguns workshops para aprenderem coisas mais específicas e ficaram com uma ideia prática do que devem fazer com determinados ingredientes. Temos que nos dedicar. E como comer faz parte do dia a dia, temos de nos empenhar para que esses momentos em que temos de o fazer, sejam bons momentos. Coloquem boa música na cozinha, abram um bom vinho e atirem-se para o desconhecido.


9. Gosto de Portugal é o nome do teu programa no canal 24 Kitchen. Para quem ainda não viu, como o descreves?

Como uma viagem de sonho pela gastronomia do nosso país. Um programa que mostra a boa comida, seja ela do restaurante estrela do bairro ou estrela Michelin. O que importa é que tenha boa comida. E eu vou lá estar para provar e para conversar com o chef enquanto comemos o que ele preparou. Lá está a minha ideia de relaxamento: a partilha de uma boa conversa e de uma boa mesa! Assim é o Gosto de Portugal. Assim sou eu.


10. Como surgiu a ideia para o Gosto de Portugal?

Foi uma ideia simples e que se tornou num gigante. Quando me abordaram com o conceito eu disse imediatamente que sim. É um sonho. Daí até começarmos a escrever o programa foi um ápice. E as ideias vão nascendo ao sabor da vontade de mostrar o que melhor temos por cá.


11. Para o teu programa, como escolhes os locais a visitar?

Tenho a sorte de ter na minha equipa uma das pessoas que mais sabe da matéria: O Miguel Pires do blogue Mesa Marcada. Eu e o Miguel somos amigos há vários anos. E como nos conhecemos, é fácil encontrar os sítios para irmos. Temos ideias do que queremos mostrar, e daí é só encontrar os lugares mais relevantes e que sejam bons para mostrar. Todos os locais que escolhemos têm algo de especial. E é isso que nos guia: mostrar o que temos de melhor cá pelo nosso burgo.


12. Gosto de Portugal porque ... ?

Porque temos tantos sabores por cá que só podem mesmo provocar paixão. Gosto de Portugal por tudo o que ele representa. Pelo modo de vida e de comer. Porque todos somos gastrónomos. Todos nós adoramos comer e andamos pelo país de restaurante em restaurante. Basta conversar com alguém sobre alguma cidade, aldeia ou local e vamos logo ter referências de onde se come bem por aquelas bandas. Somos assim. Apaixona-nos a comida. E a mim apaixonam-me as pessoas que gostam disto tanto quanto eu. Por isso, eu Gosto de Portugal!

19 comentários:

  1. Gostei muito deste teu post
    Obrigada

    ResponderEliminar
  2. Gostei da ideia de panar com cereais. Será que a receita resulta se em vez da frigideira levarmos ao forno?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rodrigo Meneses16/04/2012, 17:03:00

      No forno o risco de "colar" é maior. Por isso seguimos para a frigideira. A verdade é que o frango fica mais soculento. E o "panado" mais estaladiço. O truque é usar pouco azeite. Não necessitamos de usar óleos ou afins. Um bom azeite ajuda a dar mais sabor às ervas e ao parmesão do "panado".

      Claro que podem experimentar no forno, mas tenham atenção à temperatura, cozinhem com a 150º e durante um pouco mais tempo. E depois liguem o grelhador. No forno tem um pouco a tendência para descolar e o sabor fica mais "seco".

      Não tenham medo de usar o azeite e a frigideira. Se usarem pouca gordura é quase como se estivessem a grelhar. E o mesmo vale para o salmão. Bem corado só de um lado, para criar uma "crosta" e só se vira uma vez.

      Mas nada como experimentarem. E vão ver que resulta muito bem.

      Sem gorduras a "matarem" o sabor.

      Eliminar
  3. adorei a ideia, a receita,as fotos e a entrevista :) Parabéns :) um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Ficaram excelentes os panados, apetece provar :)

    bj
    http://ladyaofogao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. O post está fantástico, gostei muito.
    Beijinho, boa semana.

    ResponderEliminar
  6. Magnifico post!Confesso que ainda não vi nenhum programa do "Gosto de Portugal" mas vou ver com certeza!!!Parabéns à entrevistadora e ao Rodrigo.

    Bjoka
    Rita

    ResponderEliminar
  7. A tua sugestão é tão fácil e tão apetitosa que apetece mesmo imitar!
    Gostei imenso.

    ResponderEliminar
  8. Rodrigo Meneses16/04/2012, 16:58:00

    Obrigado pelos simpáticos comentários. É bom saber que gostam do que escrevemos. :)

    ResponderEliminar
  9. Adorei o blog, muito bonito, resolvi até seguir... Convido-te a conhecer o meu também... Parabéns pelo blog Bjkax
    http://paladaresdapaparoca.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Que experiência gira que viveste! E a receita, bem do meu agrado, Faço com corn flakes, e no forno, mas agora percebi que há outras possibilidades!
    Babette

    ResponderEliminar
  11. que belo dia que passate adorei esta sugestao
    beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Demais!!! Fantástico este post. parabéns, adorei tudo e vou experimentar o frango crocante!

    ResponderEliminar
  13. Bom dia.
    Sou intolerante à lactose, o que posso utilizar para substituir o leite? Será que com ovo fica parecido?
    Obrigada e parabens pelo blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que pode utilizar leite sem lactose.

      Eliminar
  14. Olá, Laranjinha! :)

    Desta vez, a receita ficou em segundo plano no meu registo mental. Esta entrevista é absolutamente deliciosa, pela humildade, franqueza e simplicidade do teu entrevistado, o Rodrigo Meneses (que era um dos meus candidatos favoritos). Comecei e a ler e de repente já estava embalada pelas suas palavras. Que viagem deliciosa. Gostei de saber que o Rodrigo, assim como eu, descobriu a cozinha recentemente. :)

    Parabéns pela forma como conduziste a entrevista. Fantástico. Gostei mesmo muito.

    A receita, já revi, também me agradou bastante. Tenho que experimentar.

    Um grande beijinho! :D

    Paula

    ResponderEliminar
  15. Esses workshops devem ser muito giros :)
    Ele foi dos meus concorrentes preferidos, sempre com boa disposição e fair play. :)

    ResponderEliminar