Próximos Workshops
Lisboa 8 de Dezembro de 2016
5a-feira:
17h00 - 18h00      Entradas e Petiscos para a Ceia de Natal na loja Maria Granel
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP
Lisboa 11 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h30 - 11h30      Pequeno-almoço no dia de Natal na loja Maria Granel

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Um jantar com vista para o mar pelo chef Rui Paula


No início do mês de Março fui conhecer o restaurante Casa de Chá da Boa Nova a convite do chef Rui Paula. O restaurante fica situado num local mágico, junto ao Farol de Leça da Palmeira, construído sobre as rochas e apenas a dois metros do mar. O edifício foi projectado pelo arquitecto Siza Vieira e as obras de construção terminaram em 1963. É considerado um monumento nacional. Depois de anos ao abandono, sofreu obras de reabilitação e abriu ao público em 2014 com um novo projecto do chef Rui Paula, proprietário dos restaurantes DOP, na zona histórica do Porto, e DOC, no Douro.

A carta do restaurante apresenta-se organizada em menus. Menu Atlântico em que se faz uma viagem pelos sabores do mar. Menu do Mar e da Terra, que como o nome indica junta as coisas boas do mar e da terra. O Menu Boa Nova que combina pratos de peixe e de carne. E por fim, os Clássicos com pratos emblemáticos de peixe. O peixe e o marisco são a grande aposta do chef Rui Paula neste seu novo espaço.

Nesta primeira visita fiz um mergulho no Atlântico de boca bem aberta para poder apreciar todos os sabores do mar.

Iniciámos a refeição com um amuse-bouche servido numa peça a fazer lembrar um coral. Entre as ramificações, pequenos mimos para o palato como mexilhão em folha de ostra, cone de salmão com caviar de lavagante, tapioca crocante com lavagante, macarron com feijoada de choco. Sentada na mesa, esta entrada fez-me recuar a um dia de praia, com o mar calmo e o céu azul, em que depois de um mergulho, decidimo-nos aventurar pelas rochas e começar a apanhar conchas ou pequenas pedrinhas de formatos distintos. Podemos provar também uma selecção de manteigas, com manjericão, a clássica e a de noz pecan, servidas com uma selecção de pães dos quais destaco, o de couve, que era maravilhoso. Para início de refeição foi-nos servido um Porto tónico.


A primeira entrada servida foi vieira e aipo num prato intitulado Calçada Portuguesa a que se seguiu carabineiro com três texturas de ervilha (em grão, puré e sponge cake) e ovo, um prato que juntou o mar e os sabores frescos e doces da Primavera.


Nesta viagem pelo Atlântico, provei também o robalo no seu habitat, com vivalves, algas, salsify e com ouriço do mar a dar a ideia de areia. Ao olhar para o prato, o salsify fez-me lembrar um pedaço de madeira, seco pelo sol, à deriva no mar.


Seguiu-se a pescada de anzol com plâncton e perceves. O tagliatelle de ovo faz lembrar as lentilhas. O sabor a mar de cada prato é inspirador. Parece mesmo que comemos o mar.


Foi ainda servido o bacalhau - pele, bochecha, língua e feijoada de samos, com a azeitona a fazer-nos lembrar um passeio na areia húmida pela água salgada do mar.


Por fim, para finalizar este mergulho no Atlântico, chegou um arroz de lula, arroz tufado com molho bordalês. A lula, vestida de preto a fazer lembrar a ousadia de Coco Chanel.


Depois de uma selecção de vários queijos portugueses servidos com compotas, chegou a sobremesa, os cítricos e o ivoire.

Todos os pratos foram servidos com um paring de vinhos, escolha do sommelier Carlos Monteiro, que nos surpreendeu a cada sugestão.


Este jantar foi uma viagem pelo mar. Pelos sabores do peixe e do marisco, numa tarde de sol, sentada na areia, em que de vez em quando se sente no rosto os salpicos do mar. Ao longe, dois barcos lançam as redes de pesca ao mar. Nas rochas, duas crianças enchem de pedrinhas e conchas os baldes de plástico, enquanto se maravilham com os caranguejos que se tentam esconder dos olhares humanos. Numa das margens da praia, dois pescadores de cana de pesca na mão, lançam os anzóis ao mar.

Pela carta de elogio ao mar, pela criatividade, pelos sabores colocados em cada prato, o chef Rui Paula merece um oceano de estrelas.

6 comentários :

  1. Pelos vistos....a incluir num próximo roteiro....
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria,
      tenho a certeza que vão adorar.
      Um beijinho.

      Eliminar
  2. Fiquei sem palavras (por isso escrevi)!
    Beijinho
    http://postigodosmeusdoces.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Céu,
      o trabalho do chefe Rui Paula é fabuloso.
      Um beijinho.

      Eliminar
    2. Agora percebo a razão pela qual, ele era tão crítico no MasterChef. A trabalhar desta maneira... Tinha que ser!
      Beijinho

      Eliminar
  3. Mas que magnífico jantar!!!
    Um manjar para os olhos e para o palato, já para não falar da Casa de Chá que é qualquer coisa!!! É a combinação perfeita!
    Beijinhos do Paraíso ~.~

    ResponderEliminar