quinta-feira, 22 de Abril de 2010

Na terra dos Templários ...

Tomar. Quando se fala em Tomar associo logo esta cidade à festa dos Tabuleiros, às fatias da China, ao rio Nabão, à Mata Nacional dos Sete Montes, ao Museu dos Fósforos, à Sinagoga, aos Templários e ao Convento de Cristo, considerado Património Mundial pela UNESCO.

Na quarta-feira passei por Tomar. Foi bom voltar, passados talvez sete anos, a esta cidade fundada por D. Gualdim Pais, em 1160. Passei pelo restaurante Infante, onde me lembro de me deliciar, há uns anos atrás, com um prato de bacalhau assado com migas de feijão frade, couve e broa de milho. Mas antes de visitar a cidade propriamente dita, passei pelo Convento de Cristo. Antes de entrar encontrei um posto de venda de bebidas com frutas e outros produtos, alguns da região, que me chamou a atenção.

A última vez que visitei o Convento de Cristo foi há uns bons anos atrás. Já não me lembrava de quão bonito e arquitectonicamente admirável era este monumento. Apesar das nuvens, de vez em quando, surgirem no horizonte e ameaçarem com a vinda de chuva a qualquer momento, o que é certo, é que o Sol acabou por levar a melhor e brilhar praticamente todo o dia, o que tornou esta visita ainda mais agradável.

Convento de Cristo.


Numa das muitas salas do convento encontrei uma adega de azeite e um forno do pão.

Depois de um passeio pelo centro histórico da cidade, o local escolhido para almoçar foi o restaurante A Bela Vista, junto a uma das margens do rio Nabão.

A nossa refeição começou com as entradas: queijo fresco, azeitonas, patê de delícias do mar, salada de orelha de porco com cenoura, bacon e feijão branco e pão acabadinho de sair do forno.

Para prato principal escolhi cabrito assado no forno, acompanhado com arroz das miudezas, couve lombarda com milho e batatas assadas com maçã e, a minha colega Cristina, escolheu bacalhau espiritual.

O restaurante tem um ambiente muito agradável, o serviço é atencioso e cuidado. Em relação às entradas destaco a saladinha de orelha de porco com feijão branco que estava muito boa. O prato de cabrito estava agradável, a carne bem confeccionada no entanto, as batatas com a maçã não me convenceram.

Depois de almoço e de uma breve visita ao Museu dos Fósforos, partimos para Constância. A viagem foi feita por estrada nacional o que nos permitiu contemplar a beleza dos campos, pintados com o vermelho das papoilas, o amarelo dos malmequeres e o branco das estevas. Numa parte da viagem acompanhámos o serpentear do rio Zêzere. Ao longo da margem, quase que sentia a frescura da água.

Chegadas a Constância, debaixo de um sol forte, deixámo-nos envolver pelas ruas estreitas e bem arranjadas da vila, pelas casas pintadas de branco com barras amarelas e o cheiro agradável das rosas e das flores de laranjeira.


A vila de Constância tem uma forte ligação ao poeta Luís Vaz de Camões, que segundo a tradição popular esteve ali desterrado. Para além disso, a ligação com o rio é muito valorizada. A vila virou-se para o Zêzere e a zona ribeirinha merece uma visita.

Antes de partirmos rumo a Lisboa, ainda contemplámos o castelo de Almourol, situado numa ilha no rio Tejo.

No regresso, com o calor do autocarro, adormeci e sonhei com cavaleiros, espadas e conquistas ...

8 comentários:

  1. Que bela reportagem.
    Já não passo por lá a um tempão!!
    Obrigada

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida um excelente passeio...
    Uma vez mais obrigado por partilhares...
    Beijinhos...

    ResponderEliminar
  3. Adoro passear contigo, laranjinha!
    Babette

    ResponderEliminar
  4. Pois cá está mais uma fã dos seus passeios! A cidade de Tomar tem histórias admiráveis para contar! Não conhecia o Restaurante que refere e fiquei curiosa. Também gosto muito de Constância, que é uma terra muito dinâmica e bonita. Ao Castelo de Almourol não vou há muitos anos e ainda o não visitei depois da remodelação que sofreu.
    Obrigada por ter partilhado. Bjs. Bombom

    ResponderEliminar
  5. Já não visito Tomar há alguns bons anos.
    Bom cartão de visita.
    Obrigada e um beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Olá Laranjinha,
    Estas fotos estão encantadoras e fui muitas vezes a Tomar à festa dos tabuleiros, mas já foi há tantos anos...
    Beijinhos e bom fim de semana,
    Lia.

    ResponderEliminar
  7. Nunca fui a Tomar mas quando surgir oportunidade, espero encontrar por lá esse carrinho de frutas!
    Aproveitarei todas estas dicas. :)

    ResponderEliminar