Próximos Workshops
Lisboa 10 de Dezembro de 2016
Sábado:
10h30 - 13h30      Receitas para a Mesa de Natal
 
 
14h30 - 17h30      Presentes de Natal
Inscrições: formacao@acpp.pt   21 362 2705 ACPP
Lisboa 11 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h30 - 11h30      Pequeno-almoço no dia de Natal na loja Maria Granel
Lisboa 18 de Dezembro de 2016
Domingo:
10h30 - 12h00      Presentes de Natal na mercearia Morteiro & Santos

quarta-feira, 18 de março de 2015

Caldo verde de curgete para comer e emagrecer


Vivemos num tempo em que as preocupações com a alimentação são uma questão de saúde pública e não apenas de sobrevivência ou de pura satisfação. A indústria alimentar ao desenvolver-se trouxe-nos novas necessidades, a que o marketing deu vida e que nos fez pensar que sim. Encontramos hoje nas prateleiras dos supermercados muitos produtos que, como diz Michael Pollan na obra O Dilema do Omnívoro, as nossas avós não reconheciam como comida. Escolher bons produtos para a nossa alimentação nem sempre é tarefa fácil tendo em conta o ritmo acelerado das nossas vidas. Eu defendo o que poderei chamar de bom senso alimentar. De entre tudo o que temos actualmente à nossa disposição, a direcção a tomar é a de procurarmos encontrar um equilíbrio. É importante ler os rótulos dos produtos que consumimos e reduzirmos o consumo de gorduras saturadas e de açúcares. É importante comermos sementes, mas não cair nos excessos. É urgente encontrar um equilíbrio sem deixar de saborear as coisas boas que os alimentos nos oferecem.

E como escolher os alimentos bons? Hiromi Shinya, diz-nos em A Enzima Prodigiosa, «(...) os melhores são aqueles que crescem em terra fértil, rica em minerais, sem recurso a aditivos ou fertilizantes químicos e que são ingeridos logo após a colheita. Quanto mais frescas são as verduras, a fruta, a carne e o peixe, mais enzimas terão.» Quantas refeições fazem com legumes por semana? Cozidos, assados, salteados, gratinados e crus, há para todos os gostos, sabendo que é importante diminuir o consumo de fritos. Todos adoramos batatas-fritas, mas sabemos que não as podemos comer todos os dias a bem da nossa saúde. É muito mais fácil cair em tentação do que procurar fazer uma alimentação equilibrada, ou se preferirem saudável. Confesso que nem sempre aceito de espírito aberto algumas tendências da dita alimentação saudável. Para mim comer bem é escolher alimentos frescos, misturar numa refeição, no mesmo prato, proteína, hidratos de carbono, algumas gorduras e muitas verduras. O facto de não termos uma horta com as verduras à nossa disposição, acabadas de sair da terra, não é motivo para não tentar. Para comer bem, é fundamental não saltar refeições, para que quando chegue à hora de comer, não se tenha vontade de comer o mundo. Começar o dia com um bom pequeno almoço. Avaliar o consumo pessoal de pão por dia. Faz sentido acompanharem o almoço e o jantar com pão? Comerem pelo menos duas peças de fruta por dia. Não petiscar salgadinhos e pequenas guloseimas entre as refeições. Há muito que me habituei a levar comigo sempre que saio de casa um iogurte líquido, uma maçã e nos últimos tempos uns queijinhos de triângulo ou daqueles pequenos, redondos, para os momentos em que a fome me parece desespero.

A relação com a comida é muitas vezes emocional. A comida serve de conforto a muitas das nossas emoções, principalmente em dias cinzentos, em que a nossa cabeça se enche de nuvens e com previsão de aguaceiros. Nesses dias, um quadrado de chocolate negro pode trazer de novo o sol e um grande sorriso. Não precisa de ser uma bola da Berlim coberta de açúcar e com creme ou um pacote de bolachas com recheio de chocolate. Se gostarem, cortem uns quantos rabanetes e vão mastigando, tipo snack. É uma forma de entretenimento do palato, satisfaz e compensa os nossos estados de espírito.

Planear, semanalmente, as refeições e procurar um equilíbrio entre os pratos de carne e de peixe. Comer sempre sopa às refeições. É fundamental para quem se preocupa em ter uma alimentação equilibrada e para quem quer emagrecer. Hoje deixo-vos uma sopa deliciosa e saudável. A sugestão deste caldo verde de curgete veio de uma conversa com as participantes no meu último workshop de Entradas e Petiscos, cá em Lisboa.


Caldo verde de curgete

Ingredientes para 4 pessoas:
3 curgetes (aprox. 715g)
2 cebolas
2 dentes de alho
1 chuchu
800 ml de água
Sal q.b.
Azeite q.b. para servir
25 g de chouriço cortado às rodelas finas


1. Descascar a curgete com descascador de corte em juliana. Reservar a casca.

2. Colocar numa panela a curgete descascada cortada em pedaços, as cebolas, o chuchu e os alhos. Regar com a água e temperar com sal. Levar ao lume.

3. Triturar a base da sopa. Adicionar a casca em juliana, cortada em pedaços. Levar ao lume até estar cozida.

4. Servir a sopa com uma rodela de chouriço e azeite.


Ao cortar a casca de curgete com o descascador de juliana, apercebi-me que as tiras ficavam muito grandes e por isso decidi cortá-las em pedaços mais pequenos. Para mim, caldo verde tem que ter chouriço. Uma rodelinha por prato de sopa enquadra-se no equilíbrio de que vos falo.

Outras sopas para comer e emagrecer:
- Caldo verde de couve-flor;
- Creme de couve lombarda;
- Sopa de chuchu com alho-francês e curgete crocante;
- Sopa de couve-flor com abóbora e harissa;
- Sopa de couve-flor e coentros.

16 comentários :

  1. muito boa, costumo fazer uma mas com couve flor assim nunca fiz mas tenho que experimentar.


    www.ocantinhodosgulosos.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Cantinho dos Gulosos,
      experimenta. Cá em casa gostámos muito.
      Um beijinho.

      Eliminar
  2. Para mim, o caldo verde é o nosso, o tradicional, com batata e couve. Tenho um grande respeito pela culinária portuguesa. Eu chamar-lhe-ia sopa de curgete e nunca caldo verde para não se confundir com o outro que eu adoro. Mas que esta sopinha tem um aspecto delicioso lá isso tem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      eu sei que esta sopa está no limite! ;) Também adoro o nosso caldo verde tradicional, costumo fazê-lo num dos meus workshop e toda a gente adora.

      Eliminar
  3. Isso mesmo, Laranjinha, a preocupação com a alimentação deve ser de todos nós. Opções saudáveis são sempre bem vindas, como esse caldo com curgete.
    Bj ,
    Lylia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lylia,
      de vez em quando sabe bem sairmos da nossa rotina alimentar e fazermos assim uma sopa diferente e saudável.
      Um beijinho.

      Eliminar
  4. Parece muito bom :P

    http://deaprendizachef.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aprendiz a Chef,
      aconselho a experimentar. Fica muito boa.
      Um beijinho.

      Eliminar
  5. Uma excelente sugestão e alternativa ao caldo verde 'normal' :) Bjinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anjo-de-mel,
      de vez em quando sabe bem fazer uma sopa diferente.
      Um beijinho

      Eliminar
  6. Sei que o chouriço dá bastante sabor à sopa e sendo um "caldo verde" era um crime culinário não o colocar, mas é a única coisa que dispensaria.
    A sopa deve ser óptima, a minha mãe costuma fazer uma dentro deste género e eu gosto muito, mas confesso que para fazer sopa o meu jeito não é muito... tem dias eheh
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cátia,
      adoro sopa. E às vezes até sinto falta de comer sopa.
      Um beijinho.

      Eliminar
  7. Bela sugestão!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Susana,
      esta sopa resulta muito bem.
      Um beijinho.

      Eliminar
  8. O Chef Avillez há umas semanas atrás deu uma receita de caldo verde com curgete também. http://radiocomercial.iol.pt/player/ochefsoueu.aspx?sid=34&id=13768

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      a ideia para esta sopa veio das participantes do meu último workshop de Entradas e Petiscos, em Lisboa, em que fazemos um caldo verde mas tradicional. Referiram-me que tinham visto num programa. Obrigada. Deve ter sido esse.

      Eliminar