Próximos Eventos
Lisboa 25 de Novembro de 2017
Sábado:
10h00 - 13h00      Workshop Doces e Receitas para a Mesa de Natal
Inscrições: escola@istofaz-se.pt   218 078 640 IstoFaz-se
Porto 2 de Dezembro de 2017
Sábado:
10h30 - 13h30      Workshop Doces de Natal
 
 
15h30 - 18h30      Workshop Receitas para Ofertas Natalícias

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Salada de peito de pato com amoras e pêssego grelhado


Há ingredientes que nunca faltam na minha despensa. Um desses ingredientes é o vinagre. É um elemento indispensável nas muitas saladas que faço ao longo do ano. Por curiosidade, o termo deriva do francês vinaigre que significa vinho agre ou azedo. E é um produto milenar.

Existem registos da existência do vinagre no antigo Egipto. Na Bíblia, uma das mais conhecidas referências é quando os romanos oferecem a Jesus Cristo uma esponja com vinagre para beber, durante a sua crucificação, de modo a que se revigorasse. Para Hipócrates, pai da medicina, o vinagre tinha propriedades medicinais. Ao longo dos tempos o vinagre foi utilizado na conservação dos alimentos, hábito que ainda hoje prevalece.

O vinagre resulta de duas fermentações. A primeira é uma fermentação alcoólica e a segunda uma fermentação acética. Na fermentação alcoólica dá-se transformação de açúcar em álcool e posteriormente, na fermentação acética, ocorre a transformação desse álcool em ácido acético formando assim o vinagre. Qualquer matéria prima que contenha açúcar pode ser usada para o fabrico de vinagre, como por exemplo, as uvas, a maçã, a batata, a beterraba, a pêra, o figo, entre outras. Um dos primeiros vinagres conhecidos no Médio Oriente é o de tâmaras.

Como sabemos, no Japão e na China, usa-se o vinagre de arroz. Existem diferentes tipos de vinagre dependo do produto ou fruto usado na fermentação alcoólica. Recentemente a Oliveira da Serra fez chegar ao mercado quatro novos vinagres feitos a partir de frutas portuguesas. São eles o vinagre de tomate, o vinagre de maçã, o vinagre de pêra Rocha e o vinagre de figo. Deixo-vos, hoje, uma deliciosa salada de peito de pato com o toque aromático e delicioso do vinagre de figo.


Salada de peito de pato com amoras e pêssego grelhado

Ingredientes 4 pessoas:
1 peito de pato
85 g de alface frisada
1 pêssego
70 g de amoras
30 ml de vinagre de figo Oliveira da Serra
85 ml de azeite
30 g de amêndoa laminada tostada
Sal e pimenta-preta q.b.


1. Fazer uns cortes na pele do peito de pato de modo a formar um xadrez. Temperar com sal e pimenta.

2. Aquecer uma frigideira antiaderente. Colocar o peito de pato com a pele voltada para baixo. Deixar cozinhar durante 3 a 4 minutos. Voltar o peito e deixar cozinhar durante 5 minutos, dependendo do tamanho.

3. Retirar o peito da frigideira e deixar descansar 5 minutos.

4. Cortar o pêssego em fatias. Pincelar com azeite e grelhar numa chapa, previamente aquecida.

5. Cortar o peito de pato em fatias finas.

6. Colocar a alface numa travessa. Dispor as fatias de peito de pato, o pêssego grelhado e as amoras. Polvilhar com a amêndoa laminada.

7. Numa taça misturar 75 ml de azeite com o vinagre de figo, o sal e a pimenta. Mexer e regar a salada com este molho.

2 comentários :

  1. Que salada bem apetitosa! beijinhos

    saboresdoninho.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabores do Ninho,
      obrigada. Adoro saladas nesta altura do ano.
      Um beijinho.

      Eliminar