10h30 - 13h00      Conservas Portuguesas na Ementa
 
15h00 - 17h30      Doçaria Tradicional Portuguesa
Inscrições limitadas   work@sott.pt   91 700 1802 espaço WORK IT

segunda-feira, 6 de Setembro de 2010

Salada de beldroegas com pêssego e queijo fresco e a importância de comer vegetais


Beldroegas? Sempre me lembro de ver as beldrogas como uma erva daninha que invadia as hortas. Mas há pouco tempo esta imagem mudou e alterou-se completamente depois de ler o livro de Michael Pollan, Em Defesa da Comida - Manifesto de um Consumidor.

Michael, no seu livro que referi e que já li há já algum tempo, no capítulo III, propõe alguns conselhos práticos e preocupações que deveremos ter de modo a "(...) separar, e a defender, a comida verdadeira da avalanche de produtos parecidos com comida que agora nos rodeiam e enganam, especialmente nos supermercados" (p.173). Comer comida verdadeira é algo que procuro ter sempre presente no meu dia-a-dia, apesar de achar que vivemos uma realidade alimentar diferente da dos Estados Unidos e à qual o livro se refere bastante. Apesar de há uns anos para cá as cadeias de fast-food americanas terem vindo a consolidar a sua presença, o que é certo é que, melhor ou pior, ainda mantemos aspectos da nossa tradição gastronómica de traços mediterrânicos/atlânticos, com ingredientes como o azeite, vinho, ervas aromáticas e bastantes vegetais que acompanham pratos de peixe ou de carne e a sopa. Apesar de cada vez mais sermos bombardeados com produtos da indústria alimentar feitos para nos poupar tempo a preparar refeições, cheios de ingredientes/produtos estranhos e de açúcares (Michael Pollan aconselha-nos a lermos sempre os rótulos e evitar produtos que a nossa bisavó não reconhecesse como comida!), o que é certo é que em qualquer supermercado também existem bons produtos. O importante é saber escolher.

O autor aconselha que se "coma sobretudo vegetais, especialmente folhas - uma dieta à base de vegetais traz-nos grandes benefícios, especialmente pela quantidade de fibra e de antioxidantes. Os antioxidantes combatem os radicais livres, cuja produção aumenta com o avançar da idade. «Mas os antioxidantes fazem ainda outra coisa: estimulam o fígado a produzir as enzimas necessárias para decompor o próprio antioxidante, as quais, uma vez produzidas, continuam a dissolver outros componentes, incluindo eventuais toxinas que se assemelham ao antioxidante. Desta forma, os antioxidantes ajudam a eliminar químicos perigosos, incluindo substâncias cancerígenas, pelo que quanto mais existirem na dieta, mais tipos de toxinas o organismo tem capacidade de destruir. Esta é uma das razões porque é importante comer o maior número possível de diferentes vegetais: todos contêm antioxidantes diferentes, ajudando assim o organismo a eliminar diferentes tipos de toxinas". Não nos surpreende que se diga que comer vegetais e frutas nos faz muito bem. Uma dieta rica em vegetais ajuda-nos a reduzir o risco de desenvolver os problemas de saúde que têm marcado, nas últimas décadas, a dieta ocidental.

Michael Pollan diz-nos que devemos comer alimentos silvestres sempre que pudermos. Quando li esta frase, fiquei a pensar: que tipo de produtos silvestres é que eu tenho acesso? Fala-nos das espécies animais, mas para este texto vou referir apenas a parte que se refere aos vegetais. "Duas das plantas mais nutritivas do mundo são ervas - a anserina-branca e as beldroegas -, e algumas das dietas tradicionais mais saudáveis, como a mediterrânica, recorrem frequentemente a plantas silvestres. Os campos e as florestas estão repletos de plantas que contêm níveis mais elevados de diversos fitoquímicos do que as suas primas domesticadas. Porquê? Porque estas plantas têm de se defender das pragas e doenças sem qualquer ajuda nossa; e porque, historicamente, a nossa tendência foi seleccionar e cultivar plantas mais doces - muitos dos componentes defensivos que as plantas produzem são amargos. As plantas silvestres têm tendencialmente níveis mais altos de ácidos gordos ómega-3 do que as suas primas domesticadas, seleccionadas para durarem após a colheita".

Depois de ler o texto de Pollan comecei a valorizar ainda mais as beldroegas. O ano passado já tinha feito uma salada, mas este ano procurei introduzi-las de forma mais sistemática nas refeições cá em casa. Com as beldroegas tenho tenho feito sopas e saladas. Todas as beldroegas que nascem no meu quintal mudaram de estatuto. Até ao ano passado vi-as como ervas daninhas, agora são bem regadas, protegidas, para que cresçam verdinhas e viçosas.


Uma das saladas com beldroegas que entretanto me chamou a atenção foi publicada no Serious Eats e que tentei reproduzir com algumas alterações.

Ingredientes:
1 molhinho de beldroegas
1 pêssego
1 queijo fresco
1 cebola pequena picada
uma pitada de sal e pimenta a gosto
creme de vinagre balsâmico

1. Colocar num prato raminhos de beldroegas, o pêssego e o queijo cortado. Por cima, colocar a cebola picada.

2. Temperar com uma pitada de sal e pimenta a gosto. Regar com o creme de vinagre balsâmico.


A salada fica muito agradável, com contraste de sabores. As folhas de beldroegas frescas são ligeiramente crocantes. Que excelente praga esta que invadiu o meu quintal! ;)

Que outras plantas silvestres poderemos conseguir? Sugestões?

19 comentários:

  1. Tenho uma amiga alentejana que não se cansa de falar nas beldroegas. Até à data, confesso que pensava que as beldroegas eram mesmo planta do Alentejo e que por cá dificilmente se poderia encontrar, mas depois de fazer umas pesquisas pela net cheguei à conclusão de que já as vi por aí a serem arrancadas de muitos quintais para irem para o lixo. Pelos vistos muito se tem perdido.
    Beijinhos e uma boa semana.

    ResponderEliminar
  2. dente de leão. tanto a flor como as folhas são comestíveis. Optimas em saladas e as folhas até em sopas. :)

    ResponderEliminar
  3. Eu gosto imenso de beldroegas: que sugestão deliciosa!! :)

    ResponderEliminar
  4. Linda apresentação, otima sugestão

    abraço

    Daniel Moura

    http://feitonahora.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Está com um óptimo aspecto. Pouca gente conhece as beldroegas. Conheço bem as sopas deste vegetal, muito apreciadas em terras alentejanas.
    Acho óptimo que reserves um cantinho da horta para teres beldroegas. Elas nascem naturalmente em resultado de minusculas semenetes que ficam no chão de um ano para o outro. Rega-as bastente e verás que se fazem grandes e viçosas. Se quiseres deixa algumas para semente.

    ResponderEliminar
  6. Eu sempre comi sopa de beldroegas, uma das minhas sopas favoritas! :)
    (bom, por aqui, confesso que a frequencia com que como sopa de beldroegas diminuiu bastante, mas quando vou a portugal no verao, vingo-me! ;) )

    ResponderEliminar
  7. As generalidade das pessoas acha que os legumes e as frutas são só para encher e que não trazem beneficio nenhum á saúde... comer HC e carne é que alimenta. Eu debato-me todos os dias com este problema (sou nutricionista) e tento mudar mentalidades... espero que aos poucos consiga alguma coisa de significativo.
    Nunca comi beldroegas mas vou experimentar :)
    bjs

    ResponderEliminar
  8. sempre comi salada de beldroegas e sopa de beldroegas........ainda não tinha aqui postado porque achei que perante tantos blogs com tantos condimentos,tantos produtos que eu nem sequer conheço e tantas receitas tão elaboradas a minha salada ou sopa fosse uma "aberração". Feizmente apareceu alguém que aprecia BELDROEGAS (que a maior parte das pessoas com campo, destroi...)
    Está soberba essa sua salada...
    Bjs e obrigada

    ResponderEliminar
  9. Belo texto! Subscrevo!
    Aqui no Norte realmente não se vêm muito à venda....
    Ainda hoje recordo uma sopa de beldroegas que comi na já extinta Pousada do vale do Gaio.
    Babette

    ResponderEliminar
  10. Descobri há pouco tempo que tenho beldroegas nos canteiros :) Já pensei nas saladas mas ainda não fiz. Quero saber a que sabem!

    ResponderEliminar
  11. Bem.... Estamos sempre a aprender...
    Confesso que nunca experimentei mas que fiquei com curiosidade lá isso fiquei...
    Obrigado pela sugestão...
    Beijinhos e boa semana...

    ResponderEliminar
  12. Eu adoro beldroegas, não fosse eu alentejana, confesso que salada nunca fiz, mas a bela da sopa de pão com as ervinhas que tantas vezes são deitadas fora porque as pessoas não as conhecem, fazem as delicias aqui de casa.
    Depois de ver essa salada vou experimentar com certeza
    bjs

    ResponderEliminar
  13. Uma óptima sugestão...mas sobretudo uma óptima explicação!!!
    Eu também era daquelas que pensava serem ervas daninhas!!!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Gisela, Agora compreendo o nome do teu blog! A sopa de beldroegas que eu conheco, e um creme de cenoura a que se juntam as folhas inteiras das beldroegas. Fiquei curiosa sobre a receita da sopa de pao e beldroegas. Queres partilha-la na blogosfera?
    obrigada!
    Sofia

    ResponderEliminar
  15. Ai que saladinha tão boa! Nunca tinha ouvido falar nas beldroegas.. lol

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  16. Que coincidencia mencionares que costumavas ver as beldroegas como ervas daninhas, este verao a minha mae encontrou beldroegas a crescer aqui no meio do meu relvado! Para mim eram so' mais uma especie de ervas daninhas, para a minha mae eram ingrediente para salada :-) (infelizmente nao pudemos usa-las porque o relvado leva fertilizantes/pesticidas quimicos)

    ResponderEliminar
  17. Sofia vou partilhar com certeza
    bjs

    ResponderEliminar
  18. para falara a veradde mete-me alguma confusao porque sempre as vi coimo ervas com o tu e que nao se comiam
    mas a minha cunhada e alentejana e as vezs usa la em casa mas nunca provei
    e tambem tenho essas ervas no quintal:-)
    a salad esta bem colorida
    beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Eu gosto muito de beldroegas e outras ervas silvestres, ou daninhas.Nunca experimentei beldroegas em saladas, mas agora fiquei tentada. Tenho alguns exemplos com outras ervas, por exemplo: urtigas, tenhoaqui um exemplo de preparação e a Rute, do blog Publicar para Partilhar tem aqui outras sugestões. Com azedas, tenho estareceita.Também já vi uma receita com malvas, mas o blog foi removido.Há ainda outras, é uma questão de pesquisarmos...Gostei da sugestão do livro, vou procurar para ler.
    Beijinhos

    ResponderEliminar